Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Conhecendo o Autor #01 - Charles Bukowski
#1
Salve camaradas.

Ultimamente essa seção do fórum tem sido bastante movimentada, muito em função da baita ideia da criação do Projeto Clube do Livro, do camarada @Dark_Painter01 e tocado principalmente pelo @Libertador .

Para tanto, o tópico Que livros estão lendo? também é frequentemente atualizado, ao passo que o camarada @Geoman criou um tópico ABSURDO sobre Como digerir livros acima do seu nível e aumentar sua inteligência. Tem tudo para ser um dos tópicos mais importantes do reduto.
 
Nesse embalo, pensei ser interessante trazermos também informações e curiosidades dos autores por trás das obras que lemos.

Quando e onde nasceram, formação, hobbies, costumes, dificuldades, peculiaridades, morte, principais obras e por aí vai.
 
Para iniciar bem, escolhi um camarada que se eu tivesse que escolher as obras de apenas um autor durante a vida, com certeza escolheria as desse cara (polêmica): CHARLES BUKOWSKI!
 


CHARLES BUKOWSKI


[Image: o-escirtor-charles-bukowski-em-retrato-f...15x300.jpg]


Heinrich Karl Bukowski, ou Henry Charles Bukowski, ou Buk, ou Velho Safado, nasceu em 16 de agosto de 1.920 (esse ano de 2.020 foi seu centenário, inclusive), na cidade de Andernach, na Alemanha.

Seu pai era um soldado americano e sua mãe alemã. Quando tinha três anos de idade, o pai retornou aos EUA, tendo Bukowski passado a maior parte de sua vida na cidade de Los Angeles (50 anos de sua vida e é o motivo da cidade ser bem presente em suas obras).

O interessante é que assim como acontecia com Franz Kafka, seu pai era extremamente autoritário e violento, ao passo que sua mãe era deveras submissa.

Charles tinha problemas na escola, pois praticamente não tinha amigos e sofreu com as espinhas, tendo que passar por procedimentos médicos no hospital da cidade, de tanta acne que tinha.

Quando ganhou uma máquina de escrever de seu pai, começou a escrever poemas, mas seu pai não gostava nada dessa ideia por conta dos temas propostos e, por conta disso, o expulsou de casa, fazendo com que Bukowski conhecesse os três pilares de sua vida: o álcool, os livros e as mulheres Gargalhada.

Detalhe que em 1.936 iniciou a faculdade de jornalismo, mas obviamente não conclui hehe.

O Velho Safado, apelido que seus fãs utilizam carinhosamente, devido à vida desregrada e de mulherada que o sujeito viveu, ficou pulando de emprego e emprego nos EUA, mas nunca algo grandioso que o fazia ganhar dólares e dólares. O “menos pior” foi de carteiro, que o fez escrever o romance Cartas na Rua (livro sensacional, assim como todos os outros), mas estava muito longe de ser o emprego dos sonhos.
 
Buk começou a ganhar um pouco de notoriedade porque seus textos começaram a ser publicados em alguns jornais, mas a fama de escritor mesmo veio bem depois.

Apesar do alcoolismo e da mulherada, Charles chegou a se casar duas vezes e até teve uma filha, Marina Louise Bukowski. Mas, obviamente, todos os dois casamentos terminaram em divórcio.
 
As maiores influências e motivações de Bukowski foram Dostoiévski, Ernest Hemingway (autor de O Velho e o Mar, livro absurdo de bom) e Henry Miller.

Esse último, inclusive, recusou um convite de Buk, que queria encontrá-lo. Miller rejeitou dizendo que o álcool era uma forma de matar a criatividade.

Ei, Miller, vá tomar no seu cu!

Bukowski escreveu mais de 45 livros, sendo desses 06 romances: Misto Quente, Factótum, Cartas na Rua, Mulheres, Hollywod e Pulp (escrevi na ordem que se deve ler, e não em ordem cronológica). Com exceção do último, Pulp, em todos eles Charles utiliza seu alter ego, Henry Chinaski. Em Pulp, o personagem principal é o detetive Nick Belane, mas é só o nome que muda, pois Belane é tão alcoólatra e solitário quanto Chinaski. Independente disso, o Velho Safado nunca deixou seu estilo seco, suburbano, esgotosférico, solitário, violento e marginal em suas escritas. Puta que o pariu, que gosto ler as obras desse merda!

Detalhe engraçado: Charles era um escritor compulsivo, mas só saia alguma coisa quando estava bêbado. Claro que isso não era problema, pois era difícil encontrar momentos em que estava sóbrio Gargalhada.

Uma curiosidade interessante é que ele está presente em músicas e álbuns de muitas bandas famosas, como Guns, U2 e Red Hot.

Outro fato engraçado é que Charles odiava filmes e, em especial Hollywood. Apesar disso, chegou a ser roteirista de um filme chamado Barfly. Tem no YouTube, mas é ruim demaaaais huahuahua. Alguns dizem que ele fez de sacanagem, mas não acredito nisso. Bukowski como roteirista de filme foi um épico escritor. O livro dele, Hollywood, fala dessa fase de sua vida. É o quinto romance a ser lido e fica claro a mudança de vida do velho, pois aqui ele já não estava pulando de galho em galho, até por conta da idade, então passa o livro todo apenas com Sarah.
 
Charles morreu em 09 de março de 1.994, na Califórnia, vítima de uma pneumonia, aos 73 anos de idade.

Seu último romance, Pulp, escrito pouco antes dele morrer. Curioso que ele fala muito da morte nessa obra, inclusive tem uma personagem chamada Dona Morte. Sensacional esse livro, excelente mesmo. Não queria termina-lo, pois sabia que não teriam mais romances dele para ler. Pulp marca o fim do legado de Bukowski.

Charles, vulgo Chinaski, fez da solidão sua inspiração. Fez a vida na sarjeta ser seu teatro dos sonhos.


Você foi foda, Buk!
#somostodosvelhos
Responda-o
#2
As obras do velho realmente são diferenciadas, não li todos os livros dele, apenas as principais. irei tirar tempo para ler ainda.

Mas os poemas dele, são o que se destacam para mim. Estão em outro nível.
Por mínimo que seja o que um homem possua, sempre descobre que pode contentar-se ainda com menos."
Responda-o
#3
Aproveitando o gancho, ele admirava profundamente Dostoiévski, inclusive fez um poema sobre ele.

Dostoiévski é o meu escritor preferido, os personágens que ele escreveu foram os que eu mais me identifiquei. Ele tem uma história bem interessante, ele era revolucionário na juventude, algo como um esquerdista hoje em dia, mas naquela época tipos assim eram tratados na base do fuzilamento, e ele quase foi fuzilado, mas apeans fingiram que iriam fazer o ato.

Então ele foi preso, e passou por uma metarmofose gigantesca na prissão, após isso, ficou viciado em jogos, se casou com uma mulher que detestava ele e o traiu, desenvolveu epilepsia na cadeia, acabou escrevendo para pagar contas, enfim, a vida dele é uma perrengue atrás do outro, para se ter uma ideia, já no terceiro grande livro dele, Os Demônios, ele ainda era um devedor, e usou esse livro para pagar as contas e voltar para a Russia, sua grande mãe russia.

Para se ter uma ideia da desgraça do homem, ele apostou todos os direitos dos livros dele para escrever um livro em menos de um ou dois mêses, esse livro era O jogador.

Dostoiévsi rivalizava com Tólstoi, que era aristocrata e tinha todo o tempo do mundo para escrever, ironicamente, Dostoévski não dava muita enfase nas desiguadades sociais ou no sofrimento dos mais pobres em seus livros, ao contrário de Tolstói, preferia mais escrever sobre os intelectuais pobres da época, e sobre como a Rússia estava criando jovens com uma mentalidade niilista e perigosa para o futuro.

Dizem que ele previu caras como Lênin e Stalin, e arrisco a dizer que é verdade, a União Soviética era um grande puxa saquismo onde, se você não lambesse as bolas das pessoas certas, morria de fome condenado no gulag, e em vários livros dele, é retratado como as relações sociais eram importantes para a sobrevivências das pessoas na época, e como ser um inepto social naquela época era muito pior do que hoje em dia.
Responda-o
#4
Nunca li Bukowski. Qual livro você indica como leitura inicial para alguém que não leu nenhum dos livros dele ver se se interessa?
“A maior necessidade do mundo é a de homens — homens que se não comprem nem se vendam; homens que, no íntimo de seu coração, sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.” Ellen White, Educação, Pág 57.
Responda-o
#5
(24-09-2020, 09:58 PM)Libertador Escreveu: Nunca li Bukowski. Qual livro você indica como leitura inicial para alguém que não leu nenhum dos livros dele ver se se interessa?

Bem, vou falar por experiência própria. Na real o meu primeiro contato com ele foi através dos poemas. Os poemas do bukowski são meio pesados no sentido de retratar a solidão, ódio e a maioria dos sentimentos que estão presos e não podem ser soltos, pelo menos não socialmente falando. Dos que posso citar aqui que mais gostei foi o poema do "pássaro azul" (esse é famoso, já deve ter lido em algum lugar) e o "então queres ser um escritor" (acho que a tradução por português fica assim). 

Mas ele tem inúmeros poemas, e não são grandes, só procurar internet a fora.

Agora os livros, o primeiro que li foi o "misto-quente" e acho que a maioria começa o Charles por esse livro. Li o "mulheres" também, achei bem legal, não com a profundidade do misto-quente, mas mesmo assim nada superficial. 

Bem, não sei se ajudei muito, mas acho que vale a pena ler o "velho safado" ai Yaoming
Por mínimo que seja o que um homem possua, sempre descobre que pode contentar-se ainda com menos."
Responda-o
#6
Creio que não exista ordem de leitura em relação aos livros de poemas que ele escreveu.
Mas falando dos romances, aquela ordem do tópico é a melhor para poder entender toda a vida do Charles.

Misto Quente é o primeiro, pois ele começa falando da sua infância difícil na escola e em casa, devido a sua relação com o pai.

Eu li uma trilogia de cinco livros uma vez (se é que isso existe Gargalhada), O Guia do Mochileiro das Galáxias. Fantástico, mas o é tipo uma ladeira: o primeiro é excepcional, o segundo um pouco menos, o terceiro menos, e por aí vai.

Nos romances do Bukowski, não consigo precisar qual é melhor que o outro. São etapas diferentes da vida do Velho e é nítido quando a jovialidade vai dando espaço a idade avançada, tanto que nos dois últimos ele não fala mais das aventuras com mulheres.


Ele não vai dar conceitos nas obras, do que deve ou não fazer.
Suas obras são úteis para quem gosta de Hemingway, Kafka, Dostói, Tolstói, etc. Se o camarada acha que esse tipo de obra não agrega, então não vai curtir os livros do Chinaski.
#somostodosvelhos
Responda-o
#7
(24-09-2020, 09:58 PM)Libertador Escreveu: Nunca li Bukowski. Qual livro você indica como leitura inicial para alguém que não leu nenhum dos livros dele ver se se interessa?

Melhor você nem ler. Vai falar que o livro é horrível e uma merda impresável igual falou do Admirável Mundo Novo.

Gargalhada Yaoming

Na minha opinião, faz mais sentido começar por "Misto Quente". Aí tu já entende melhor o pano de fundo dos outros livros dele, que são todos geniais...


----

Bem, eu sou suspeito para falar de Bukowski. Sublime, com todos os elementos que eu gosto e me identifico muitas vezes - afinal, acho que é justamente essa a característica de grandes escritores, fazer os leitores se identificaram com o personagem/situação - .

Apesar de ter muitos palavrões e falar sobre a sujeira do submundo urbano, a leitura dos livros do velho é incrivelmente agradável e leve de se ter. Por mais dramático e deprimente que seja o cenário, sempre há aquele humor preciso e inconfundível. Eu rio muito lendo os livros do velho, e isso não tem preço. A simplicidade de como as coisas acontecem, ou de como Chinaski encara a vida, é o que me chama mais atenção e é o que eu acho que tem mais valor para a real.

Bukowski, charutos e wisky, melhor combinação depois de um dia difícil. Se não experimentou, precisa experimentar.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#8
@hjr_10

Considero uma falha grotesca da minha formação intelectual o pouco lastro de leitura de obras clássicas, graças a alguns tópicos bons sobre leitura estou começando a corrigir este problema e algumas coisas do Bukowski estão na minha lista.
Responda-o
#9
(25-09-2020, 10:30 AM)Fernando_R1 Escreveu: @hjr_10

Considero uma falha grotesca da minha formação intelectual o pouco lastro de leitura de obras clássicas, graças a alguns tópicos bons sobre leitura estou começando a corrigir este problema e algumas coisas do Bukowski estão na minha lista.

Somos dois, camarada.
Não vai se arrepender, são ótimas obras.
#somostodosvelhos
Responda-o
#10
Esse é o filme que Bukowski foi roteirista. Só recomendo assistir se for para conhecer mais um feito do Velho Safado, ou seja, só pra quem realmente curte o Velho. Do contrário, perderão 1h40min de suas vidas, pois é muito, muito ruim GargalhadaGargalhada

Link do Filme no YouTube

Obs: ele aparece no filme (23:36).

Edit*****: não consegui postar o vídeo direto (burro demais), mandei por link.
#somostodosvelhos
Responda-o
#11
(25-09-2020, 09:55 AM)Héracles Escreveu:
(24-09-2020, 09:58 PM)Libertador Escreveu: Nunca li Bukowski. Qual livro você indica como leitura inicial para alguém que não leu nenhum dos livros dele ver se se interessa?

Melhor você nem ler. Vai falar que o livro é horrível e uma merda impresável igual falou do Admirável Mundo Novo.

Gargalhada Yaoming

Na minha opinião, faz mais sentido começar por "Misto Quente". Aí tu já entende melhor o pano de fundo dos outros livros dele, que são todos geniais...

Se eu achar o livro uma merda imprestável como aquele com certeza falarei aqui no fórum e explicarei o contra-ponto como fiz com o outro. 

Gargalhada Gargalhada

Apesar que não acredito que acharei os livros dele ruins. Mas, de todo jeito, exerço o meu direito de discordar da manada quando achar conveniente mesmo que o livro seja um clássico idolatrado por todos. Afinal, esse é um fórum de discussão. Estamos aqui pra isso.

Valeu pela dica. Anotei aqui.
“A maior necessidade do mundo é a de homens — homens que se não comprem nem se vendam; homens que, no íntimo de seu coração, sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.” Ellen White, Educação, Pág 57.
Responda-o
#12
Li Misto Quente por indicação dos confrades.
Achei genial. Genial!

Antes de partir para as próximas obras do autor, irei reler novamente o supracitado livro.
Não existe um gene para o espírito humano.
 Gattaca, A experiência genética
Responda-o
#13
Já li uns 4 livros indicados pelos confrades e, em razão desse tópico, acabo de adquirir Misto Quente.

Sempre boas as recomendações.
Responda-o
#14
O velho Buk é leitura obrigatória. Gosto do Mulheres, O Amor é um Cão dos diabos, entre outros.
Se o machado está cego e sua lâmina não foi afiada, é preciso golpear com mais força. Agir com sabedoria assegura o sucesso. - Salomão em Eclesiastes 10.10.
Muito cara legal foi parar debaixo de uma ponte por causa de uma mulher. - Bukowski.
As maiores redpills ouvimos da boca de mulheres.
Responda-o
#15
Estou lendo O Capitão Saiu Para o Almoço e os Marinheiros Tomaram Conta do Navio.
O que estou rindo, não é brincadeira. Camarada Héracles disse "Eu rio muito lendo os livros do velho, e isso não tem preço." e eu concordo plenamente.

Quem não tem o hábito de ler fica se perguntando "como esse louco consegue rir lendo livros?"


Algumas passagens:

"Não sei quanto às outras pessoas, mas quando me abaixo para colocar os sapatos de manhã, penso, Deus Todo-Poderoso, o que mais agora?" (p.20)

"De qualquer forma, o Gritão [um cara que não saia do hipódromo, apostando em cavalos] estava lá de novo no dia seguinte. A mesma coisa: vociferou contra os resultados de cada páreo. De certa forma, é um gênio, porque ele nunca escolhe um vencedor. Pense nisso. É uma coisa muito difícil de fazer". (p.55)

GargalhadaGargalhada
#somostodosvelhos
Responda-o
#16
(28-09-2020, 03:26 PM)hjr_10 Escreveu: "Não sei quanto às outras pessoas, mas quando me abaixo para colocar os sapatos de manhã, penso, Deus Todo-Poderoso, o que mais agora?" (p.20)

Yaoming Gargalhada

é disso que estou falando
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#17
(28-09-2020, 03:26 PM)hjr_10 Escreveu: Estou lendo O Capitão Saiu Para o Almoço e os Marinheiros Tomaram Conta do Navio.
O que estou rindo, não é brincadeira. Camarada Héracles disse "Eu rio muito lendo os livros do velho, e isso não tem preço." e eu concordo plenamente.

Quem não tem o hábito de ler fica se perguntando "como esse louco consegue rir lendo livros?"


Algumas passagens:

"Não sei quanto às outras pessoas, mas quando me abaixo para colocar os sapatos de manhã, penso, Deus Todo-Poderoso, o que mais agora?" (p.20)

"De qualquer forma, o Gritão [um cara que não saia do hipódromo, apostando em cavalos] estava lá de novo no dia seguinte. A mesma coisa: vociferou contra os resultados de cada páreo. De certa forma, é um gênio, porque ele nunca escolhe um vencedor. Pense nisso. É uma coisa muito difícil de fazer". (p.55)

GargalhadaGargalhada

Um livro que leio, re-leio, e não me canso de rir pra caraio é:

O Apanhador no Campo de Centeio - J. D. Salinger

Uma obra-prima que não merece ser esquecida nunca.
Responda-o
#18
"Um problema que eu enfrentava era ir ao banheiro. Estava sempre apertado, mas tinha vergonha de deixar os outros saberem da minha necessidade. Assim, eu segurava. Era realmente terrível conter a vontade. E o ar estava puro, e eu sentia vontade de vomitar, vontade de cagar e de mijar, mas não dizia nada. E quando algumas das outras crianças voltavam do banheiro, eu pensava: vocês estão sujas, vocês fizeram as coisas lá dentro...

As garotinhas eram bacanas em seus vestidos curtos, com seus cabelos longos e seus belos olhos, mas eu pensava, elas também fazem as coisas lá dentro, mesmo que finjam que não."

Diferente de 90% dos homens, que veem as mulheres como seres celestiais, o velho safado já aqui dá seus pitacos realistas.

Misto-Quente (Charles Bukowski).
Responda-o
#19
Já li frases a solto e a esmo. Se uma coisa, ao invés de fantasiar, ele parece ser bem pé no chão.

Depois desse tópico, já entrou na lista de leituras obrigatórias pra mim. Agradeço a recomendação e espero poder correr pra ver se um dia acompanho o tópico do clube do livro.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#20
Terminei de ler O Capitão Saiu para o Almoço.

Mais uma baita leitura. A pegada do livro é aquela das citações que deixei aqui e, curiosamente, a que mais achei engraçado e interessante foi a primeira:

"Não sei quanto às outras pessoas, mas quando me abaixo para colocar os sapatos de manhã, penso, Deus Todo-Poderoso, o que mais agora?" (p.20)

Não vou negar que vira e mexe penso exatamente a mesma coisa, puta que o pariu.
#somostodosvelhos
Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
  Conhecendo o Autor #3 - Álvares de Azevedo hjr_10 2 306 11-01-2021, 10:52 AM
Última Postagem: corpsegrinder
  Conhecendo o Autor #02 - Franz Kafka hjr_10 8 651 11-01-2021, 10:49 AM
Última Postagem: corpsegrinder
  Conhecendo o Autor #04 - Ernest Hemingway hjr_10 4 441 27-11-2020, 10:23 PM
Última Postagem: Aricton

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)