Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[Guia] Como se dar bem na Faculdade
#1
[Guia] Como se dar bem na Faculdade
(por C.O.B.R.A)

[Image: YHY21Ti.jpg]

Elaborei este guia prático para aqueles que frequentam a faculdade e só se fodem nela. Para quem não sabe, sou formado em Administração de Empresas e curso uma segunda faculdade de Farmácia e Bioquímica e fiz este guia para você se dar bem (ou ao menos minimizar a sua situação):

1) Amigos não existem.
Coloque isso na sua cabeça de uma vez por todas filho da puta. Você tem companheiros sociais que te ajudam a alcançar seus objetivos mesquinhos e Ególatras com uma maior facilidade. Na faculdade você terá apenas colegas e aliados. Jamais amigos.

2) Você não será melhor profissional por causa de amigos.
Um mito que tem ao redor é o “Networking”. Todo mundo quer ficar amigo um do outro para conseguir emprego. Bullshit! Cada um se forma e toma o seu rumo. Não quer dizer que você não dê sorte, mais isso é muito difícil de acontecer. Você não necessariamente sairá já empregado apenas por ter Playboys imbecis acéfalos ou vadias engolidoras de porra como amiguinhos. O que irão garantir seu emprego serão boas notas ou um pai influente.

3) 80% Estudo. 20% Presença.
O que eu percebi e fiz uma comparação em ambas as faculdades que eu faço, é que o que te faz passar nas provas e tirar boas notas é sentar o CU na cadeira e ir estudar. Não tem mistério. Prestar atenção nas aulas, você esquecerá 90% de tudo que foi falado, se estudar o “decoreba” que toma conta do ensino Brasileiro, você também esquecerá. Mais pelo menos servirá para te passar nas provas.

4) Decoreba > Aprendizado.
Eu que nunca gostei de decoreba, e sempre gostei de aprender em vez de decorar, tive que ficar que nem um retardado mental decorando vários nomes imbecis para poder tirar nota nas provas, tive que me render a isso senão seria reprovado. Não tem jeito o ensino Brasileiro privilegia mulheres acéfalas-decorebas e não nosso intelecto.

5) Seja extremamente egoísta.
Se tiver que abrir mão de várias amizades lá dentro abra. Você não os verá de novo mesmo... Use-os como “peões” em um jogo de xadrez onde você terá cada peça preparada para usar ou descartar a qualquer momento. Você, Você, e Você de novo. Sempre.

6) Não mostre os dentes.
O que percebo, é os homens da faculdade quererem fazer de conta de que estão numa “balada” dentro da faculdade. Isso chega a ser nojento e se dá por 2 motivos:
-Querem pagar de Cult e descolados (mesmo não sendo) pra impressionar os outros coleguinhas;
-Querem pagar de Cult e descolado (mesmo não sendo) pra impressionar as coleguinhas vadias. Enquanto eles estão que nem cachorro no cio, as vadias cagam e andam pra eles, preferindo babar por alphas bombados e ricos que tem carro, e tirarem boas notas no final.

Sente na carteira e fique na SUA! Você está indo lá para aprender uma profissão. Não pra conquistar vagabundas, ser popular ou ter vários coleguinhas inúteis. Eu tenho essa postura, fico na minha falo o necessário, não mostro os dentes e percebo que sou muito respeitado lá, até os mais engraçadinhos conversam comigo com seriedade e as vadias vem puxar assunto.

7) Trate todos de forma igual
Trate todos de forma igual, não fique de gracinhas mais não os descarte por completo. Afinal, você nunca sabe quando irá precisar deles. Como estudar de forma eficiente e controlar a libido.

Desligue som, TV, Videogame, rádio, MP3 Player e Internet. 

Estude por no máximo 50 minutos e pare 10. 

Sabemos que nossa libido é muito grande (a minha é a 2ª maior da América Latina tenho vontade de comer 80% das mulheres na rua ali mesmo no chão) e tenho um QI de 82. Bata uma punheta depois dos 50 minutos, depois volte a estudar. Se desconcentrar de novo depois de algum tempo, bata outra e assim por diante. Vá comer alguma coisa, depois volte a estudar.

Esse foi um guia resumido de cono se dar bem na faculdade tanto na convivência quanto com pessoas.

Este texto faz parte do projeto: Segunda das Relíquias Perdidas.
Responda-o
#2
Eu incluiria aí: Se for Universidade Pública, não puxe o saco de nenhum professor, mas evite pegar inimizade com algum deles

Professor de Universidade Pública tem o ego do tamanho do mundo. Como 99,9% é de esquerda, evite confronto com eles porque se não eles não irão deixar você se formar nunca!
Responda-o
#3
Texto interessante pra quem não conhece o ambiente acadêmico. É uma briga de ego sem fim, inclusive entre professores e alunos também, além de muita luxação de saco. Concordo que não é digno ficar lambendo ninguém, mas é preciso ser sociável pra não ser prejudicado.

E discordo totalmente da questão de networking. Já consegui muitas oportunidades através de colegas.

Às vezes eu acho que essa idealização da solidão é apenas o hamster girando pra justificar o fracasso social e isolamento. A menos que você sofre de autismo, não tem justificativa pra ser babaca e se isolar.
Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#4
Dica simples: Vá para aprender, aproveite a oportunidade e usufrua da estrutura da faculdade como bibliotecas, CDOCs, laboratórios, etc (se houver), aproveite os bons professores e faça um 'network' com um bom propósito, principalmente se quiseres crescer na área específica.
Responda-o
#5
Alguns pontos que acho válido destacar, além dos que já foram citados no texto:

Low Profile: com o passar do tempo (experiência e amadurecimento), percebemos que a melhor coisa a se for estando na faculdade é ser low profile. Você não vai conseguir mudar a opinião de toda a galera retardada. Então que se foda, deixa a rapaziada brigar com facas. Fiz isso demais, principalmente no fim e com professores comunas e feministas.

Celular: hoje eu percebo que poderia ter aproveitado bem mais o curso se não tivesse perdido tempo mexendo no celular.

Amizades: sigo o que disse o @Gorlami . Eu sempre trabalhei, então não foi o meu caso, mas o que vi de amigo meu conseguir estágio/emprego através de oportunidades advindas de outros colegas não está escrito. Também não entendo toda essa romantização da solidão que alguns fazem. É muito extremismo para pouquíssimo (ou nenhum) resultado. Você não precisa ser um bitolado anti social que não conversa com ninguém, porra.

Inimizade com professores: alguns professores são filhos da puta e não adianta dizer que é errado, que não podem foder aluno e blá blá blá. Os caras são desonestos mesmo e foda-se. Então, evitar conflito com esses caras é a melhor coisa a se fazer.

Faça o máximo de atividades que conseguir/puder: isso ajuda demais no futuro, quando for realmente seguir a profissão. Como eu já trabalhava, acabei que só fiz o estágio obrigatório que a faculdade exigia. Hoje isso me atrapalha. Tenho um pouco mais de dificuldade do que o pessoal que sempre estagiou na área e estiveram em contato com a prática todo o tempo.
Responda-o
#6
Bem descartável esse texto.

Eu fiz muito isso de decorar em vez de querer aprender, até porque depois de um tempo eu já não tinha o mesmo interesse pelo curso que fiz (eu tenho uma regra, não desisto no meio do caminho). Posso dizer que fiquei entre as 5 melhores médias do curso em que me graduei, isso competindo com uns 100 alunos que também se formaram.

Se você quer fazer uma faculdade que realmente gosta, te dou as dicas para ter sucesso em todos os sentidos, extraindo o máximo que a faculdade pode oferecer. Sente-se entre as cadeiras do meio da sala em diante, estude 30 minutos todos os dias após as aulas, não seja o otário que estuda para passar cola para vagabundo (a), participe das aulas e tenha uma certa amizade com os professores, não fique reclamando como um otário (para quem estuda, pouco importa a didática do professor), vá nos encontros tomar uma breja se for solteiro. Dica última: EM HIPÓTESE ALGUMA SEJA O LÍDER DA SALA (isso só te faz ficar mal visto entre os alunos e professores).

Eu fui basicamente o que indiquei. Mulheres se aproximaram de mim seja para aprender o conteúdo da aula ou porque queriam ficar comigo, os caras me chamavam pra jogar futebol e sinuca, os professores me respeitavam bastante, etc.
Responda-o
#7
Uma coisa que eu percebi que ser popular e bem querido pelas pessoas não necessariamente significa mostrar os dentes.

Eu era calado e as pessoas me chamavam pra fazer trabalho comigo, nunca precisei pedir pra entrar em grupo de ninguém.

Você ter um grupo que te fortaleça é bom, até mesmo uma mulher que te dê condição, que no meu caso durante a faculdade eu tive (Claro que pelo fato de ser comprometido jamais fiz nada), mas como eu percebia que ela me dava condição e que ela tinha a atenção do professor, decidi ser gentil com ela pra sempre alcançar o professor manso.
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#8
conheci minha mulher na faculdade
fiz bons colegas na época, mas a "vida" no afastou
foi bem legal e me formei entre os melhores da uniesquina
texto interessante, mas para mim não serviria
Meus Posts sobre:

1 - Fitness + Finanças   2 - Cultura Pop

Responda-o
#9
Grande texto, o cobrete ás vezes postava bons conselhos (como o texto ''todos querem/esperam que você fracasse'', era esse o título mais ou menos).

Nesse caso específico desse tópico, é válido pra os egressos do ensino médio.

No entanto, pra quem já está na lida do trabalho, ou já superou essa fase universitária, a experiência de rua já fez seu serviço e poucos pontos dessa resenha serão válidos.
"Não existe mulher feia, você que bebeu pouco." (Mancho, Rodimeu)

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
#10
A coisa mais importante é que você seja independente, proativo e autodidata, o resto não tem tanta relevância assim. 

 Independente no sentido de não ficar esperando que as coisas se resolvam por si só ou que outra pessoa as resolvam pra ti, se possível pegar o e-mail e o número de WhatsApp dos professores e sempre que tiver dúvidas, tratar diretamente com eles, também é importante anotar tudo, tirar foto e/ou gravar as aulas pra não ficar dependendo de outras pessoas pra isso, se você tem todas as informações importantes seja de conteúdo, eventos, trabalhos e provas, você é independente e não precisa ficar bajulando seu colega de sala infantil que fará joguinhos pra não te passar as informações que ele tem, e se passar, vai omitir alguma. 

 Proativo no sentido de tomar a dianteira em tudo: produza os slides dos seminários sem que alguém lhe dê ordem pra isso, pelo contrário, seja você o cara que dá ordens; se uma matéria foi dada hoje, revise nem que por seja por 5 minutos no final do dia pra não ficar com dúvidas ou perdido; se lhe passaram um trabalho, comece no mesmo dia, nem que apenas por 5 minutos; seja sempre o cara que dá o pontapé inicial. Na faculdade a preguiça reina e é engraçado que as pessoas sempre dizem "não tenho tempo", mas sempre vejo as pessoas comentando de memes, dos assuntos do momento no twitter, postando tolices nos grupos de WA e debatendo séries infantilóides do mainstream, não tem tempo ou não tem prioridades? 

 Autodidata no sentido de priorizar a vida intelectual, sua individualidade e o seu diferencial; pensar a longo prazo, nas tendências de mercado, no seu plano A, B, C e etc., ao se formar, buscar uma visão holística da área que você atua; se você trabalha em algo que te requira criatividade, desenvolva habilidades artísticas, tenha um caderno de ideias, leia sobre as diferentes culturas do mundo, vá estudar alguns ramos da psicologia para compreender seus futuros clientes, vá praticar a oratória, a dicção, a linguagem corporal para se sobressair em reuniões, entrevistas e encontros de negócios, aproveite os inúmeros seminários ao longo do curso para aprimorar essa habilidade e se preparar tanto para a Trabalho de Conclusão quanto para o mercado em si... 

 OFF -
Spoiler Revelar
A faculdade acentuará ainda mais as suas lacunas de aprendizado, se você teve um ensino básico péssimo, é seu dever acordar o quanto antes para mudar essa realidade deplorável desse país, e evite ao máximo essa visão limitada do ensino superior, o estudo da geometria descritiva, da filosofia, da história, do cálculo e da interpretação de problemas matemáticos (se quiser, coloque a Teoria Musical aqui), podem lhe ajudar a desenvolver uma linha de pensamento mais ampla que supera essa visão mesquinha que a universidade gosta de impor aos alunos. Você precisa pensar/raciocinar/interpretar/criar e não apenas reproduzir. 

 Sobre as amizades, acho melhor você limitá-las a categoria de colegas, amizade some quando aparece dinheiro e/ou oportunidade de estágios, e eu sempre vi acessos de inveja por parte de alguns "amigos" principalmente quando você começa a se sobressair e se destacar. É mais fácil encontrar a exceção do que uma amizade verdadeira, mas seja sociável, é importante e priorize os veteranos, tenha boas relações com eles e sempre lhes peça as provas antigas, FAÇA DISSO UMA PRIORIDADE, provas antigas são fundamentais. 
 
 E sobre as presenças/faltas, EVITE AO MÁXIMO FALTAR NOS PRIMEIROS MESES DO SEMESTRE, quando você fizer a avaliação 2 e tiver certeza que teve um bom desempenho, aí sim é hora de faltar e aproveitar as férias antecipadas, geralmente depois da avaliação 2, boa parte da galera tá preocupada pois levou tudo na brincadeira enquanto você estará de boa curtindo sua vida bem longe das preocupações e poderá faltar até semanas se quiser pois ainda está com a ficha limpa de faltas...

 Eu estava planejando um texto sobre faculdade pro meu blog, se eu fizer, posso postar o link como complemento depois, mas esse lance é muito relativo, todo mundo tem uma visão diferente sobre a universidade, mas no final, o seu futuro é somente seu e ninguém vai buscá-lo por você. 



 

Responda-o
#11
Amigos? Seus colegas de sala são seus concorrentes. Não ter amigos não significa ser um bicho isolado, tu pode sair, tomar uma com a galera, pegar umas moças do curso, desde que não fale muito sobre si e seus planos. Eles não são seus amigos, no máximo companheiros de estudo/farra.

Não há muito o que acrescentar, os principais pontos já foram apontados pelos outros membros: proatividade, pensar primeiro em si e evitar conflito com professor que pode atrasar sua vida lá dentro. 

Spoiler Revelar
3) 80% Estudo. 20% Presença.
O que eu percebi e fiz uma comparação em ambas as faculdades que eu faço, é que o que te faz passar nas provas e tirar boas notas é sentar o CU na cadeira e ir estudar. Não tem mistério. Prestar atenção nas aulas, você esquecerá 90% de tudo que foi falado, se estudar o “decoreba” que toma conta do ensino Brasileiro, você também esquecerá. Mais pelo menos servirá para te passar nas provas.

Este é o ponto mais importante. Há aulas que são completamente descartáveis; há professores com didáticas péssimas, não gesticulam, não fazem uma anotação no quadro e só leem slides como se fossem robôs com pilhas esgotando, é de envergonhar. Portanto, o estudo intenso e verdadeiro deve ocorrer fora do ambiente acadêmico, use as aulas para sanar as dúvidas mais difíceis. 

Sejam focados. Lembre-se todos os dias do porquê vocês estão lá.
Visitante? Crie sua conta clicando aqui para ter acesso a áreas exclusivas.


Responda-o
#12
O interessante dessas observações de estudo é que você acaba percebendo a falta de qualidade da sua turma e do curso todo em questão.
Hoje olho para trás e vejo que se eu tivesse dedicado um pouco só a mais, teria concluído a faculdade entre os cinco melhores do curso e isso somando todos os períodos (matutino e noturno).

Isso faz uma baita diferença lá na frente.
Se destacar é importante.
Responda-o
#13
Concorrentes ou sócios.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#14
Hoje agradeço à exigência dos meus professores mais chatos: você tem que ser profissionalmente reconhecido pela sua seriedade.
"Escola? E o aprendizado com os próprios erros? A experiência te faz professor de si próprio".
Responda-o
#15
Como se dar bem nisso ou aquilo? ...baseado na percepção de uma única pessoa? Cuidado!

Não existe receita pronta a ser seguida quando estamos lidando com pessoas (...dentro da proposta do texto!), pois obrigatoriamente, todos nós como indivíduos, alunos ou professores, estamos interagindo uns com os outros para um objetivo único (...ou pelo menos deveria ser!), a formação profissional de cada um alí presente, mas dentro desse enorme processo acadêmico, estamos alí somente para "nos diplomar", como um processo mecânico?

Partindo do pressuposto que cada aluno enfrentará uma jornada de "n" anos para cumprir seu objetivo, outros eventos surgirão nessa linha temporal e não podem jamais ser desconsideradas, pois tudo isso fará parte além da formação daquele (a) graduando (a).

Citação:
1) Amigos não existem.
Coloque isso na sua cabeça de uma vez por todas filho da puta. Você tem companheiros sociais que te ajudam a alcançar seus objetivos mesquinhos e Ególatras com uma maior facilidade. Na faculdade você terá apenas colegas e aliados. Jamais amigos.

Alguns podem ou não acreditar nisso, mas a citação acima não é uma verdade absoluta, pois como dito anteriormente, haverá todo tipo de pessoas, e sim, há amizades sinceras que fazemos dentro desse laboratório todo! Por experiência pessoal, desde o início da minha primeira graduação, tive amigos que me ajudaram muito e vice versa, a qual temos esse vínculo até hoje, tanto na esfera profissional quanto pessoal.

Portanto, na minha humilde opinião, quanto aos demais ítens citados pelo autor original do texto, diria que não é sendo um retardado antissocial ou um adepto da esbórnia que garantirá alguma coisa e cada um é responsável pela sua dedicação e determinação (...e também pela falta destas!), cabendo a cada um fazer o seu melhor dentro daquilo que se propôs.
"Fiat Justitia, Pereat Mundus..."
Responda-o
#16
Muitos já devem ter lido essa notícia, mas lá vai:

https://www.theguardian.com/technology/2...t-learning

[Image: DhAidDP.png]
[Image: 25i9T1e.png]

Desconfio que a maioria de quem tem familiaridade com o ambiente acadêmico já deva ter percebido.

Foi-se a época em que curso superior era demonstrativo notório de conhecimento. Tenho aulas muito boas, mas em compensação tem outras que parece que, literalmente, não tenho paciência para escutar tanta porcaria. Tempos atrás fiz uma pergunta para a professora exemplificar o que estava citando, e por resultado ela deu uma volta no assunto de uns 15 minutos para no final dizer que tinha uma proposta diferente de metodologia: ao invés de exemplificar as quatro possibilidades do assunto estudado em questão, ela iria "desconstruir" primeiro para depois explicar os conceitos. Podem dizer que fui arrogante, mas eu procuro me esforçar para exprimir algo daquilo, mas não aguentei e saí da sala de aula.
Detalhe: não desprezo a crítica, longe disso, mas os conceitos são explicados mal e porcamente, quando são.
"No man has the right to be an amateur in the matter of physical training. It is a shame for a man to grow old without seeing the beauty and strength of which his body is capable." – Socrates
Responda-o
#17
Spoiler Revelar
(11-03-2020, 12:19 PM)Ducati Escreveu: Muitos já devem ter lido essa notícia, mas lá vai:

https://www.theguardian.com/technology/2...t-learning

[Image: DhAidDP.png]
[Image: 25i9T1e.png]

Desconfio que a maioria de quem tem familiaridade com o ambiente acadêmico já deva ter percebido.

Foi-se a época em que curso superior era demonstrativo notório de conhecimento. Tenho aulas muito boas, mas em compensação tem outras que parece que, literalmente, não tenho paciência para escutar tanta porcaria. Tempos atrás fiz uma pergunta para a professora exemplificar o que estava citando, e por resultado ela deu uma volta no assunto de uns 15 minutos para no final dizer que tinha uma proposta diferente de metodologia: ao invés de exemplificar as quatro possibilidades do assunto estudado em questão, ela iria "desconstruir" primeiro para depois explicar os conceitos. Podem dizer que fui arrogante, mas eu procuro me esforçar para exprimir algo daquilo, mas não aguentei e saí da sala de aula.
Detalhe: não desprezo a crítica, longe disso, mas os conceitos são explicados mal e porcamente, quando são.

Rapaz, reiterando o que eu havia postado anteriormente, achei muito interessante seu ponto de vista, pois vai exatamente de encontro à proposta do texto e o que eu estava debatendo ontem com um cliente meu.

Como diz o ditado popular: "Juntando a fome com a vontade de comer", é exatamente isso o que está acontecendo com esta questão da má preparação do futuro profissional nas universidades, pois de um lado temos o docente relapso e mal preparado, se colocando acima do bem e do mal, pouco se importando com o graduando, e do outro lado temos o mesmo graduando que não está nem aí para a sua formação (...que equação miserável, hein?)

Atualmente eu não estou lecionando, pois além de não estar compensando o ganho da hora /aula, precisei me ausentar para estar mais presente com alguns projetos na empresa e também por estar na reta final da minha pós graduação...

Estou a quase 2 anos em uma mais uma especialização, que até então, julgava extremamente interessante para o futuro dos negócios, mas no decorrer do tempo, não ví absolutamente nada de diferente daquilo que já não havia aprendido na graduação e aplicado no dia a dia; a maioria dos professores tem o que chamamos de síndrome do Patropí (...que falam, falam e não dizem nada!); baixo conteúdo de matéria, e por aí vai ... portanto, que especialização é essa?

Esse é o reflexo do nosso sistema educacional virando estatística... Segue o jogo!
"Fiat Justitia, Pereat Mundus..."
Responda-o
#18
Agora que já passei por esta etapa posso dar alguns conselhos. Como vai da minha vivência fica como recomendação, não como verdade absoluta:

0. Goste do que tá fazendo. Não faça só pra ter um diploma. Gente que não gosta de uma profissão e só estão lá por dinheiro ou status são uns filhos da puta que usurpam da profissão. Daqui há pouco isso aqui tá cheio de médico e advogado e todos uns mercenários. Nosso país já tá fudido, não precisamos de escória para poder tirar as vagas de quem realmente se interessa pela área pretendida.

1. Estude feito um condenado. Isso é óbvio, no fim, por mais trabalho em equipe que tenha no seu curso, no fim quem precisa passar é você, então não tente carregar ninguém nas costas. Se conseguir estudar sozinho, mete o pé, se conseguir estudar em equipe, organize um grupo de estudos pequeno com o pessoal mais próximo de você que seja focado. Quem atrapalhar ou atrasar os outros você arranca fora. Não aconselho ter mais de 4 pessoas, mais de 6 sob nenhuma hipótese, muita gente o pessoal se distrai e fica com conversas paralelas.

2. Faça mais por você. Não ache que vai sair um profissional da faculdade, muito pelo contrário, em muitos casos você sai de lá mais pobre, perdeu tempo valioso da vida, e isso por conta de um pedaço estúpido de papel. Ao invés de correr pra se formar, já que vai jogar 4-6 anos da sua vida fora, ao menos tente fazer ações que melhorem seu currículo, procure estágios, faça cursos adicionais, estude outras línguas, iniciação científica, participe de congressos e coisa que te agregam como pessoa e como profissional.

3. Evite a todo custo namorar garotas de lá, especialmente se for da mesma turma. Poucas vezes vi isso dar certo, faculdade não é lugar para misturar com relacionamentos pessoais ou outras coisas que podem te distrair do teu foco. Você até pode pegar algumas, mas aconselho focar em garotas de outros cursos ou outras faculdades se possível. Você está lá pra estudar, você pode curtir de vez em quando, mas lembre qual seu objetivo principal de estar alí.

4. Crie relações de cordialidade com o professor. Afinal tem muita gentalha que só sabe reclamar, com razão ou não, mas o fato que eu já vi muita turma se ferrar por conta de inimizade de professor com um ou dois da turma. Sim, tem professor que é muito FDP, que vai estar lá pra ser mais um prego na sua cruz, mas trate eles como um desafio que você tem que superar com a inteligência. Prove que ele está errado sobre você tirando as melhores notas, pois ele pouco poderá fazer contra isso, e se fizer, ele pode se dar mal.

5. Melhor não se misturar com a gentalha. Se a turma for ruim, muito bagunceira, tiver uma má reputação, faça de tudo pra se desvencilhar disso. Na verdade tem vários perfis de turmas que observei, algumas podem ser mais unidas, outras não, mas no geral basta 1 ou 2 palhaços pra turma ganhar uma má reputação. Se isso ocorrer você pode até trancar as disciplinas com aquela turma ou tentar horários alternativos.

6. Controle emocional é o mais importante. Nem todo mundo sabe lidar com a frustração de ter perdido disciplinas, ou do professor demolir seu trabalho na frente da sala. Você tem que ter cabeça e foco, não desistir por conta de alguns percalços. No curso que entrei vi muita gente que não conseguia dar conta das disciplinas difíceis e ao invés de se dedicar a aprender (que é algo que pode demorar um bom tempo, você pode entender algo explicado na hora, mas nunca aprende nada de imediato) na primeira fraqueza elas caiam fora do curso. Isso é simplesmente vergonhoso. Se fosse pra desistir tão fácil, que não entrasse, ora porra.

Talvez tenha uma ou duas dicas adicionais, mas agora não consigo lembrar. Pois bem...

Se eu tivesse seguido bem essas dicas que estou dando desde o início, meu caminho teria sido bem menos tortuoso e o resultado final muito mais gratificante.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)