Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Não se envolvam com mulheres pobres
#21
Acho que mulher que trabalha é pior o chifre.
Eu gostaria de uma que fica se em casa cuidando do filho.
a mulher que trabalha ou sai bastante uma hora ela conhece outro cara que lhe ofereça mais.
não digo que vai acontecer mas é um risco.
mas não confio em nenhuma, pois sei que quando ela achar outro interessante ela vai dar brecha.
Responda-o
#22
(31-07-2019, 10:38 AM)sobrevivente Escreveu: Acho que mulher que trabalha é pior o chifre.
Eu gostaria de uma que fica se em casa cuidando do filho.
a mulher que trabalha ou sai bastante uma hora ela conhece outro cara que lhe ofereça mais.
não digo que vai acontecer mas é um risco.
mas não confio em nenhuma, pois sei que quando ela achar outro interessante ela vai dar brecha.

Errado confrade, se vc quer manter a mulher em casa faça isso pelo bem dos seus filhos, na minha opinião é de extrema importância a mulher ficar em casa e se didicar na criação e educação dos filhos, saber o que eles comem, com quem andam, onde andam etc.  Delegar a criação dos filhos a terceiros principalmente hoje em dia é perigoso.  Se a mulher for trair ela traí estando em um emprego em sendo dona de casa, manter a mulher no lar por medo de ser trocado por outro denota insegurança e isso não é bom em um relacionamento.
Responda-o
#23
Além do que, em sendo a mulher dona de casa, a justiça não entende que o homem quis protegê-la da sociedade e dos problemas que o serviço pesado trás, mas que o marido era um opressor safado que prendeu a donzela em um castelo. 

Quando a mulher não trabalha, havendo separação é mais uma pensão que o homem tem que pagar.

No mais, há muitas que ao invés de ajudarem a tranquilizar o cara quando chega morto do serviço, só sabem arranjar brigas e picuinhas, fazendo o cara pouco a pouco perder o prazer de estar com a família e filhos.
Nenhuma mulher é mais bonita que a liberdade.
Responda-o
#24
(31-07-2019, 11:27 AM)Escobar Escreveu:
(31-07-2019, 10:38 AM)sobrevivente Escreveu: Acho que mulher que trabalha é pior o chifre.
Eu gostaria de uma que fica se em casa cuidando do filho.
a mulher que trabalha ou sai bastante uma hora ela conhece outro cara que lhe ofereça mais.
não digo que vai acontecer mas é um risco.
mas não confio em nenhuma, pois sei que quando ela achar outro interessante ela vai dar brecha.

Errado confrade, se vc quer manter a mulher em casa faça isso pelo bem dos seus filhos, na minha opinião é de extrema importância a mulher ficar em casa e se didicar na criação e educação dos filhos, saber o que eles comem, com quem andam, onde andam etc.  Delegar a criação dos filhos a terceiros principalmente hoje em dia é perigoso.  Se a mulher for trair ela traí estando em um emprego em sendo dona de casa, manter a mulher no lar por medo de ser trocado por outro denota insegurança e isso não é bom em um relacionamento.

@Escobar, vc acha possível conciliar o homem trabalhar fora e a mulher meio período com a criação dos filhos? Você sabe que há casos que o homem tem algum acidente ou morre, e a mulher acaba desamparada tendo que sustentar os filhos. Não seria um risco?
Nenhuma mulher é mais bonita que a liberdade.
Responda-o
#25
(27-07-2020, 12:18 PM)SteveMcQueen Escreveu:
(31-07-2019, 11:27 AM)Escobar Escreveu: Errado confrade, se vc quer manter a mulher em casa faça isso pelo bem dos seus filhos, na minha opinião é de extrema importância a mulher ficar em casa e se didicar na criação e educação dos filhos, saber o que eles comem, com quem andam, onde andam etc.  Delegar a criação dos filhos a terceiros principalmente hoje em dia é perigoso.  Se a mulher for trair ela traí estando em um emprego em sendo dona de casa, manter a mulher no lar por medo de ser trocado por outro denota insegurança e isso não é bom em um relacionamento.

@Escobar, vc acha possível conciliar o homem trabalhar fora e a mulher meio período com a criação dos filhos? Você sabe que há casos que o homem tem algum acidente ou morre, e a mulher acaba desamparada tendo que sustentar os filhos. Não seria um risco?

Até no caso de uma possível separação tu vai ter que dar pensão pra ela, caso não trabalhe.

Antigamente havia muitos casos da mulher ser "do lar" e quando o homem começava a bater pino em zona e pinga dava separação, ficando a mulher com 2, 3 filhos pra criar, sem estudo e sem trabalho.

Acontece que aqui a maioria tomou no rabo com alguma espertinha moderna e joga no extremo oposto.

Não é bem por aí.
[...]
Responda-o
#26
E tem mais, se a mulher é vagabunda e rampeira, não vai ser por só por causa de trabalho que ela vai te aprontar.

Trabalhando pelo menos ocupa a cabeça e não fica em casa o dia todo vendo novela e articulando cenas com você quando chega em casa e só quer descansar.
[...]
Responda-o
#27
(31-07-2019, 12:13 AM)Rozyzz Escreveu: Eu sou da ideia que tu tem q se relacionar com pessoas do mesmo nível (financeiro e intelectual), caso contrário tu ta andando pra trás e digo isso até pra amizades.


Exato.

No mais, é só tomar os devidos cuidados e aproveitar a marmita.
"Só o conhecimento liberta o homem, só através do conhecimento o homem é livre e em sendo livre: ele pode aspirar uma condição melhor de vida para ele e todos os seus semelhantes." - Dr. Enéas Carneiro





Responda-o
#28
Já me relacionei com mulhr pobre, aliás, foi o único relacionamento sério que tive na vida, ela era companheira, me ajudava, me apoiava, não era uma pessoa ruim, mas a família dela fazia de tudo pra complica a nossa vida, vivia enfezando quando ela ia na minha casa, até sair para uma praça começou a ser problema depois de um tempo, ela era a filha mais velha de 5, sendo 4 meninas e um menino, a família me tratava bem e tudo mais, mas eles não deixavam não davam liberdade nenhuma pra ela, mesmo tendo mais de 20 anos e nós dois estando juntos por mais de um ano.

Por causa disso, transávamos pouco, e tínhamos que improvisar, já fizemos várias peripécias em locais inadequados por causa disso.

Até que ela começou a insistir em casamento, falei que não achava uma boa ideia, que queria juntar grana, que não era hora, cheguei até a considerar por um momento, mas pensei melhor e mudei de ideia, quando mudei de ideia ela não aceitou, falou que eu não queria tomar atitude, que estava com medo, que não sei o que, essa pressão me fez fica não só ressabiado com a ideia por si só, mas desconfiado, por que tanta urgência? Sempre tinha sido algo meio ruim por causa da família dela, mas até estávamos conseguindo contornar bem a situação, achar nosso canto, morávamos em cidades diferentes, coisa pouca, uma hora de distancia, e começamos a usar um hotel como motel, para poder ter um pouco de privacidade que a família dela nunca permítia.

Mesmo assim, depois de um tempo, ela disse que queria mais que queria casar, essa insistência, de dela falar que "a gente precisa dar esse passo" me fez ficar meio desconfiado, e por impulso, terminei, hoje ela faz lives com professores sobre feminismo negro(ela é "negra"), e sei lá, não faço a menor ideia de como estaria se resolvesse casar com ela meses atrás, sei que teria juntado bem menos dinheiro(gastava uns 200 por mês pra poder ver ela e pagar o hotel pra conseguir ter um pouco de intimidade e sossego com ela).

O principal problema não é nem ter uma boa condição e namorar uma mulher com baixa condição, o maior problema é que sempre fica aquela pulga atrás da orelha de você nunca saber se ela gosta de você ou só da tua grana, mas no meu caso, o problema foi ser um namoro pobre mesmo, nós dois éramos pobres, e eu cheguei a conclusão que, pior do que namorar uma pessoa pobre, é ser um casal pobre, você é privado de todas as coisas que tornam um relacionamento interessante, inclusive a principal delas, sexo. Isso falando de namoro pobre, casamento pobre deve ser bem pior, você tem intimidade a hora que quiser com a pessoa, mas em compensação todo o resto está uma bagunça, sempre no vermelho, ser pobre e casado deve ser uma das, se não a pior posição para se estar na sociedade.

Mas um namoro pobre não fica muito atrás, será um relacionamento praticamente sem lazer, sem intimidade, e cheio de pobremas que simplesmente não existiram com um pouco de dinheiro e independência.

Outra coisa que não tenho mais saco é família controladora, parte dos problemas causados, foi por causa da família dela, que vivia privando ela de fazer coisas comigo.
Responda-o
#29
Mesmo assim, depois de um tempo, ela disse que queria mais que queria casar, essa insistência, de dela falar que "a gente precisa dar esse passo" me fez ficar meio desconfiado, e por impulso, terminei, hoje ela faz lives com professores sobre feminismo negro(ela é "negra"), e sei lá, não faço a menor ideia de como estaria se resolvesse casar com ela meses atrás, sei que teria juntado bem menos dinheiro(gastava uns 200 por mês pra poder ver ela e pagar o hotel pra conseguir ter um pouco de intimidade e sossego com ela).


Pobre conservador quer passar a filha para frente rápido, se fosse pobre marxista ensinariam a filha a caçar um cara com condições melhores independentemente das consequencias.

Dois fudidos na merda e no cio se abraçando no vuco vuco, é isso que eu chamo de igualitarismo.

@Reale se você tivesse conseguido um emprego de caseiro numa chacara com lazer e tudo o mais,  na época, teria se casado com ela?
Responda-o
#30
@Minerim provavelmente, lembro que tentei um concurso para uma cidade minúscula, e estava planejando ir morar com ela lá, caso passasse, isso ano passado, mas não rolou, fiquei em 15° e só tinha uma vaga, umas 100 pessoas fizeram, e estava cogitando trazer ela para morar aqui comigo, mas queria mais tempo pra pensar, ela não deu, e eu na dúvida, decidi recuar, hoje vejo que não valeria a pena, solteiro já estou tendo dificuldades com coisas pequenas, e podendo juntar metade do salário, quão mais teria que gastar se ela estivesse aqui? 

Mas parte disso foi falta de grana, se não provavelmente teríamos casado, mas hoje já não tenho tanta certeza se quero me casar um dia, seja com quem for, dou muito valor a minhas economias, por menores que sejam, para dar de mão beijada o poder delas para alguém.

E realmente éramos dois fodidos, foi bom ter umas experiências malucas na vida por conta disso, mas não deixava de ser humilhante, de certa forma. Não tem jeito, relacionamento bom, é relacionamento com dinheiro, depois da experiência que tive com esse namoro pobre, eu nem julgo mais tanto mulher que exige que o cara tenha no mínimo um emprego fixo e um carro.

As minhas exigências para a próxima, caso tenha uma próxima, é ter uma família sossegada, o resto eu vejo se vale a pena no meio do caminho.

Ah, mais um problema relacionado a hábitos pobres, um fator que eu julguei fundamental para não querer nada, é que eu queria economizar, e ela tava cagando pra isso, pra juntar dinheiro, quando eu perguntava para ela, ela falava que "a gente dava um jeito" e é nesse dá um jeito que o brasileiro médio tem vários filhos em uma condição de sobrevivência, a própria família dela consistia em duas pessoas trabalhando empregos de baixa escolaridade para sustentar 5 filhos. Eu achava que por ela estar na faculdade e estar ascendendo socialmente, ia entender a importancia de poupar, mas na cabeça dela ela ia vim e os gastos não iam aumentar.

Basicamente, o me fez não casar foi o meu pão durismo(e uma punheta).
Responda-o
#31
Meu primeiro namoro foi bem pobre também. Tinha acabado de fazer 18 anos e namorava uma mulher 8 anos mais velha que eu. 

Atravessava a cidade de ônibus pra ir à casa dela, periferia, demorava duas horas pra chegar. 

A família dela era bem humilde, os pais eram legais, aposentados. Mas não tínhamos privacidade nenhuma: era quatro cômodos pra quatro pessoas, os pais e as duas irmãs. A gente namorava no parque e não dava pra transar pq eu não tinha dinheiro e meus pais não gostavam dela por ser mais velha.

Minha tia deixava a gente dormir no apartamento e ficávamos a maior parte do tempo lá. Durou dois anos isso. Uma monotonia. Ela também me pressionou pra noivar aí pulei fora.
"Escola? E o aprendizado com os próprios erros? A experiência te faz professor de si próprio".
Responda-o
#32
Daqui a adiante, só me relacionarei com mulher mais pobre, quando eu tiver uma aparência envelhecida.

Esse texto é inútil pros carentes que não sabem lidar com sua rejeição entre as mulheres da sua situação econômica.
Responda-o
#33
O brasileiro depende de concurso público para ter alguma ascensão social numa economia cheia de estatais, dizer que o país é uma espécie de CCCP  não é errado.


lembro que tentei um concurso para uma cidade minúscula, e estava planejando ir morar com ela lá, caso passasse, isso ano passado, mas não rolou, fiquei em 15° e só tinha uma vaga, umas 100 pessoas fizeram, e estava cogitando trazer ela para morar aqui comigo, mas queria mais tempo pra pensar, ela não deu, e eu na dúvida, decidi recuar, hoje vejo que não valeria a pena, solteiro já estou tendo dificuldades com coisas pequenas, e podendo juntar metade do salário, quão mais teria que gastar se ela estivesse aqui? 

[Image: images?q=tbn%3AANd9GcSPB7MZqb5JdomRuIKGc...w&usqp=CAU]
Mas parte disso foi falta de grana, se não provavelmente teríamos casado, mas hoje já não tenho tanta certeza se quero me casar um dia, seja com quem for, dou muito valor a minhas economias, por menores que sejam, para dar de mão beijada o poder delas para alguém.


E realmente éramos dois fodidos, foi bom ter umas experiências malucas na vida por conta disso, mas não deixava de ser humilhante, de certa forma. Não tem jeito, relacionamento bom, é relacionamento com dinheiro, depois da experiência que tive com esse namoro pobre, eu nem julgo mais tanto mulher que exige que o cara tenha no mínimo um emprego fixo e um carro.


Não se intimide com o pessimismo dos tempos. se for da ALA SONHO DE NOIVA ou se pretender ter uma família algum dia desses faça-o com consciência dos riscos e fé na providência divina. Angel

Basicamente, o me fez não casar foi o meu pão durismo(e uma punheta).   Gargalhada

O ecossistema brasileiro já está em declínio, efeito da engenharia social comunista.

 No passado uma roça e o catolicismo eram o suficientes para construção de famílias.

A mera expectativa de construção de uma sociedade cristã com classe média é combatida por todos os porcos mamadores tiranos e ladrões de verba pública. 

Oficiais militares ocultistas só prestam para servir os comunistas, o que eles tem em comum? Odeiam Deus PAI CRIADOR, Jesus Cristo e os crentes.

Se a religião não fosse uma ameaça aos planos  diabólicos e a subserviência destes para com o mal refletida  na difusão de pecados e maldições sobre a face da terra plana,  a CHINA por exemplo ou os comunistas não a combateriam....
Responda-o
#34
Dentro da turma do deixa disso está cheio de ocultistas. Cheio.
São uma praga nesse país.

Por isso a igreja fazia churrascão comunitário, para evitar o que temos hoje.
Nenhuma mulher é mais bonita que a liberdade.
Responda-o
#35
Eu vou mais pela escolaridade dos pais dela e da dita cuja do que pelo dinheiro só e tão somente. Normalmente o grau de escolaridade dos pais garante um comportamento melhor e um nível cultural melhor. Logo a genética também conta.

Quando vem de família mal instrúida e pobre, as duas coisas... aí já tem que avaliar bem e na maioria das vezes acaba não compensando mesmo, muito frequentemente eu diria.
Responda-o
#36
Retornando à linha apresentada pelo @Haggar, acredito que o tópico e o autor seja voltado não para a classe social da pessoa, mas sim a condição dela como um todo (incluindo a parte social como amigos, família, vizinhos, parentes, etc.). E claro... Como bem me lembrou de certo ditado, tem pessoas que saem da pobreza, mas a pobreza não sai da pessoa, o espírito de vileiro é algo foda de lidar.

Me perdoem se eu estiver falando bobagem, mas o tópico fala justamente do tipo de garota que só tem o corpo para oferecer e mais nada. Somado a outros problemas intrínsecos da situação (como falta de educação, rasidão de alma, horizonte bem estreito e falta de ambição, planejamento de vida e tudo o mais) só faz com que esse tipo não seja um bom negócio de maneira geral.

Não é o fato dela ser exatamente pobre, mas sim muitas vezes de ter pais pobres pela família desestruturada ou condições ruins de forma geral e outras coisas que atrapalham a relação. Mesmo entre os pobres tem muita gente esforçada, dedicada, que quer um futuro e sair da mediocridade. Mas o resto das condições vai e fode tudo. Por isso o olho vivo.

A galera deu a letra aí atrás e meu relato também pode reforçar: A minha BM era de família pobre (mãe borderline, separada do pai, que é um banana) e vivia num bairro de periferia, mas ela era muito batalhadora e realmente a falta de grana de ambos (eu na época focado na faculdade), juntando tudo desgastou muito o relacionamento pois não dava oportunidade nenhuma da gente ter intimidade, a situação na casa dela era totalmente caótica e ela muito tímida. Mesmo sendo uma boa garota e não ter o terrível espírito vileiro, a gente ter muito o que conversar, ser uma pessoa excelente (com vários problemas como depressão, mas mesmo assim gente decente), a mãe dela fazia problemas pela família toda. Foi osso. Isso sem contar que ir no bairro dela já era um pouco arriscado 
Undecided

Então, assim como dizem as más línguas, infelizmente, o caso muitas vezes é que nem a lenda do cara tentar tirar mulher do puteiro para casar e os resultados que isso dá. Muitas vezes a pessoa não é só vítima daquela situação, como muitas vezes pode não fazer nada para mudar, ou ser até co-responsável por tudo. Se a mina é pobre e tem condição ruim pode ser também que tenha dedo dela e escolhas ruins da mesma no bojo.

Procurar uma garota num nível intelectual/financeiro mais próximo ao seu no fim das contas é um exercício de autopreservação. Bancar o príncipe encantado que vem no cavalo branco resgatar a donzela... Esqueçam que é furada.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#37
Citação:Não é o fato dela ser exatamente pobre, mas sim muitas vezes de ter pais pobres pela família desestruturada ou condições ruins de forma geral e outras coisas que atrapalham a relação. Mesmo entre os pobres tem muita gente esforçada, dedicada, que quer um futuro e sair da mediocridade. Mas o resto das condições vai e fode tudo. Por isso o olho vivo.
@Wild exatamente, minha ex era uma pessoa boa, excelente, e era uma ótima namorada, quando estávamos juntos, mas família dela não era assim, eles não eram necessariamente "de periferia" porque eram do sul, mas tinham todos aqueles hábitos que levam a pessoa a pobreza, sendo o mais latente o meu ex sogro e sogra terem cinco filhos sem nem ter um superior completo ou um concurso garantido...

De qualquer forma, nem foi por causa disso, mas eles não deixavam ela sair, não deixavam ela vir me visitar, e parece que conforme o relacionamento ia andando, a lista dos "não deixavam" só ia aumentando ao invés de diminuir.

E realmente era criação deles aquilo ali, porque a irmã dela tinha uma namorado, e pelo que eu via, não era muito diferente não, aliás, aquele casal, pelo que eu pude perceber, já está junto por coveniência a muito tempo, porque na situação de ambos, iria ser mais difícil achar outra pessoa, eu não sei como aquilo vai se sustentar lá pra frente, mas como isso aqui não é fofoca, deixa quieto.

E finalizando, as vezes não é nem questão da pobreza em si, mas da "cultura" da família, e também, se a família é do tipo que apoia o relacionamento, ou não, porque a dela não apoiava, pelo menos não nas atitudes, ela sempre mandava eu ficar indo na casa dela, porque se não a família dela não ia deixar ela sair de casa, porra... a mina já tinha mais de 20 anos, quando conheci ela, ela não era mais virgem, e ainda tinha essas frescuras da família?

Por isso que agora, caso eu acabe namorando alguém, só vou fazer isso se eu perceber que OU ela é muito independente da família, o que pode ser uma faca de dois gumes, pois se é muito independente, nada impede de já ter rodado em um carrossel de rolas, OU, e é o que parece mais atraente, ter uma família que vá coma a minha cara, goste de mim, e deixe ela sair livremente comigo.

Um relacionamento em que a família da pessoa não te apoia 100% estar com ela, ou pelo menos não reprove, é um relacionamento com uma ancora, e que vai ser muito mais difícil manter, esse foi um fator que ajudou a acabar com a nossa relação também.

Essa história de que o cara conhece uma mina super apaixonada e encantadora, mas que tem uma família que faz um inferno na vida do cara, mas mesmo assim eles ficam juntos, só funciona em comédia romântica mesmo.
Responda-o
#38
(31-07-2020, 04:42 AM)Wild Escreveu: Retornando à linha apresentada pelo @Haggar, acredito que o tópico e o autor seja voltado não para a classe social da pessoa, mas sim a condição dela como um todo (incluindo a parte social como amigos, família, vizinhos, parentes, etc.). E claro... Como bem me lembrou de certo ditado, tem pessoas que saem da pobreza, mas a pobreza não sai da pessoa, o espírito de vileiro é algo foda de lidar.

Me perdoem se eu estiver falando bobagem, mas o tópico fala justamente do tipo de garota que só tem o corpo para oferecer e mais nada. Somado a outros problemas intrínsecos da situação (como falta de educação, rasidão de alma, horizonte bem estreito e falta de ambição, planejamento de vida e tudo o mais) só faz com que esse tipo não seja um bom negócio de maneira geral.

Não é o fato dela ser exatamente pobre, mas sim muitas vezes de ter pais pobres pela família desestruturada ou condições ruins de forma geral e outras coisas que atrapalham a relação. Mesmo entre os pobres tem muita gente esforçada, dedicada, que quer um futuro e sair da mediocridade. Mas o resto das condições vai e fode tudo. Por isso o olho vivo.

A galera deu a letra aí atrás e meu relato também pode reforçar: A minha BM era de família pobre (mãe borderline, separada do pai, que é um banana) e vivia num bairro de periferia, mas ela era muito batalhadora e realmente a falta de grana de ambos (eu na época focado na faculdade), juntando tudo desgastou muito o relacionamento pois não dava oportunidade nenhuma da gente ter intimidade, a situação na casa dela era totalmente caótica e ela muito tímida. Mesmo sendo uma boa garota e não ter o terrível espírito vileiro, a gente ter muito o que conversar, ser uma pessoa excelente (com vários problemas como depressão, mas mesmo assim gente decente), a mãe dela fazia problemas pela família toda. Foi osso. Isso sem contar que ir no bairro dela já era um pouco arriscado 
Undecided

Então, assim como dizem as más línguas, infelizmente, o caso muitas vezes é que nem a lenda do cara tentar tirar mulher do puteiro para casar e os resultados que isso dá. Muitas vezes a pessoa não é só vítima daquela situação, como muitas vezes pode não fazer nada para mudar, ou ser até co-responsável por tudo. Se a mina é pobre e tem condição ruim pode ser também que tenha dedo dela e escolhas ruins da mesma no bojo.

Procurar uma garota num nível intelectual/financeiro mais próximo ao seu no fim das contas é um exercício de autopreservação. Bancar o príncipe encantado que vem no cavalo branco resgatar a donzela... Esqueçam que é furada.

A questão familiar pesa também. Tanto é que existe aquele ditado: "A palavra convence, o exemplo arrasta". Os filhos tendem a herdar a cultura e os costumes dos pais, mesmo que em menor grau, e o fato de crescer em um seio familiar problemático já é um sinal de alerta a ser considerado, entretanto, não é algo definitivo, existem pontos fora da curva. No mais, quem puder se relacionar com gente do mesmo nível cultural e financeiro, o faça. Isso evita muitos problemas.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 2 Visitante(s)