Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Bem-vindos a realidade (só para os bons)!
#61
(11-04-2019, 06:12 PM)Gângster Escreveu:
(11-04-2019, 06:07 PM)Astranagan Escreveu: 1)O teu cu e a tua opinião em qualquer assunto não cheiram bem.
2)Faculdade é roubada hj em dia na maioria dos casos, FATO
3)Vc tá rindo da minha desgraça que expus corajosamente, poderia muito bem tá mentindo aqui sem consequencias
4)Não estou chorando, apenas alertando a roubada que é fazer faculdade. Não sou caso isolado.
5)bundão é vc e o corno do teu pai
O choro é livre. 
 
Olhe pessoal, preste atencao, ele ta alertando que faculdade é cilada temos uma nova regra no forum e na vida!!!!, vamos seguir a risca heim GargalhadaGargalhadah

E o fracasso, frustracao e a cagacao de regra continua.....

Ah, e discurso e vitimismo tipico de comunista vagabundo idem......

Enfim......

falou o bem sucedido, kkkkkk
Responda-o
#62
@Astranagan você está levando o assunto muito ao pé da letra e levando críticas para o lado pessoal.

Sobre faculdades em si; ruim com ela, pior sem ela. A não ser que você tenha algum empreendimento que possa gerar lucro ou alguma situação próxima a isso. Uma herança em dinheiro, um patrimônio, ou algo que você possa multiplicar seu dinheiro ao longo dos anos.

Bom, eu mesmo pretendo no futuro (se eu puder) fazer Faculdade de ED. Física. Consigo aprender várias técnicas da profissão pela internet? Sim, porém não posso simplesmente abrir uma Academia ou ensinar alunos a fazer os exercícios. Exemplo foi o meu professor de artes marciais. Ele para subir de Dan na faixa preta, um dos requisitos era fazer uma faculdade de ED. Física ou Fisioterapia para prestar aula e se precaver de possíveis acidentes com seus alunos durante os treinos.
Responda-o
#63
Pior que eu concordo que fazer faculdade não é um bom negócio hoje em dia. Depois quando tiver um tempo livre vou escrever com calma o porquê.
“A maior necessidade do mundo é a de homens — homens que se não comprem nem se vendam; homens que, no íntimo de seu coração, sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.” Ellen White, Educação, Pág 57.
Responda-o
#64
Há faculdades para todos os bolsos hoje em dia. Presencial ou a distância. O diploma ainda é muito requisitado. Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mais da metade dos brasileiros não tem nem diploma do ensino médio! Em alguns nichos isso faz muita diferença! Caso o confrade exerça uma profissão técnica, se aliar um diploma de especialização / certificação ficará ainda mais visível para o contratantes.
Se o machado está cego e sua lâmina não foi afiada, é preciso golpear com mais força. Agir com sabedoria assegura o sucesso. - Salomão em Eclesiastes 10.10.
Muito cara legal foi parar debaixo de uma ponte por causa de uma mulher. - Bukowski.
As maiores redpills ouvimos da boca de mulheres.
Responda-o
#65
Faculdade em 90% dos casos é desperdício.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#66
No mercado hoje, o diploma universitário em si, não é diferencial na partida, mas no decorrer do processo para aquisição da vaga, se a disputa for muito parelha em comparativo com os concorrentes, poderá ser.

Mas longe do que foi há trinta anos, quando nem 10% da mão-de-obra empregada no país possuía diploma, então, em um prazo menor pode-se fazer um curso técnico ou formação em tecnólogo.

E daí sim, agregar boas qualificações em informática {especialmente excel} e inglês; em tempo, educação, com ou sem diploma, deve ser pré-requisito sempre.
Responda-o
#67
O SEGREDO DO SUCESSO , Ativem legendas em português



Além disso, ore para que a vontade de Deus seja feita! Não a sua.
Responda-o
#68
Dependendo do objetivo do cara é um tremendo desperdício de tempo ter nível superior. Por isso o objetivo tem que ser decidido antes de ingressar para saber se vale a pena ou não. Mas normalmente a pessoa entra na faculdade para só depois ver o que vai fazer com o diploma.

Vou enumerar 5 objetivos principais hoje que eu vejo as pessoas fazerem faculdade:

1. Ser funcionário em empresa privada (na maioria de grande porte).
2. Ser funcionário em empresa pública (concurso público)
3. Empreender (construir o próprio negócio e empregar pessoas).
4. Status, aparência, poder de barganha para arrumar um pretendente melhor.
5. Ser um acadêmico (fazer mestrado, doutorado, PHD, produzir artigos e teses).

A faculdade pode ser uma completa perda de tempo e dinheiro ou só uma parcial perda de tempo e dinheiro. E em alguns casos pode até ser vantajoso. Tudo depende do seu objetivo entre esses acima. Por isso é importante definir o objetivo antes.

O motivo de status e aparência por incrível que pareça ainda são usados pelas mulheres, vejo algumas que fizeram faculdade, se formaram e depois nunca trabalharam na área. Esther Villar comenta bastante sobre isso no livro dela. O que era mais comum na época dela. Mas apesar do tempo ter mudado, muitas hoje em dia ainda vão além e estudam e passam em um concurso público e depois casam, são as mais empoleiradas. Quero dizer, empoderadas. A maioria das mulheres sonha em ser concursada e em ganhar dinheiro sem ter que fazer quase nada e com esse status arrumar um pretendente melhor. 

Agora, para a primeira opção, ter um emprego bom na área privada, eu acredito que atualmente, os empregos estão sob risco de serem substituídos por robôs. Não só os empregos de motoristas de caminhão e de táxi que estão sendo substituídos por carros e caminhões que dirigem sozinhos. Mas também profissionais altamente especializados como médicos, advogados e contadores, estão com seu futuro em risco. Por isso é importante escolher muito bem a área de atuação.

Veja só os carros autônomos já em funcionamento: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2...otiva.html

O projeto já está bem mais avançado do que na época dessa reportagem.

Em algumas cidades do mundo como Pittsburgh o Uber já faz corridas com carros autônomos dirigindo sozinhos e eles querem estender isso para várias outras cidades nos próximos meses.

https://tecnoblog.net/228386/uber-um-bil...autonomos/

Google, Intel, Tesla também já estão trabalhando pesado em cima disso para lançar concorrentes muito em breve. 

Mas, Libertador, isso vai demorar para chegar no Brasil. E eu não sou motorista, então isso não me afeta. Será mesmo que vai demorar? Será mesmo que isso não te afeta em outras áreas? 

Olha esse frigorífero brasileiro:





Olha essa fábrica semi-automatizada da Coca-cola no Brasil:





Imagina o tanto de trabalhadores que eles tinham para fazer isso, mas agora não precisam mais. Foram todos demitidos e substituídos por robôs HOJE. Não no futuro. Essas pessoas forçadamente vão migrando para outras áreas. Aí é que está a estratégia, pesquisar e ver quais áreas estão com risco de serem extintas pela tecnologia nos próximos anos para não acontecer que depois que você fizer seus 5 anos de faculdade e não tiver nem 5 anos trabalhando na área já seja obrigado a mudar de área e recomeçar tudo do zero.

Essa automatização está ocorrendo em outras áreas, também, hoje já temos o IBM Watson e robôs que trabalham na parte jurídica de forma mais eficiente que os advogados recém-formados. Agora a coisa começou a afetar quem tem nível superior. Siga o meu raciocínio.

A máquina de inteligência artificial atua como um pesquisador jurídico, encarregado de examinar milhares de documentos para reforçar os casos da empresa. Esses trabalhos de pesquisador legal eram normalmente exercidos por advogados no início de suas carreiras.

Advogados perguntam questões jurídicas a ROSS em linguagem natural, assim como se conversassem com um colega humano, e a inteligência artificial as interpreta utilizando a lei, reúne provas, extrai inferências e responde rapidamente, de modo altamente relevante e baseado em evidências, com citações e análises. Ou seja, você tem um robô que faz o trabalho de vários advogados de início de carreira, sendo muito mais econômico e eficiente para as empresas advocatícias. JÁ ESTÁ SENDO USADO POR EMPRESAS.

https://transformacaodigital.com/ross-o-...-do-mundo/

As empresas estão precisando de menos advogados para fazer o serviço e estão cada vez mais aderindo a inteligência artificial hoje, mas ao mesmo tempo, nós temos uma quantidade cada vez maior de novos advogados entrando em um mercado já saturado que está caminhando para um encolhimento. O que vai acontecer com quem é recém-formado e não tem experiência específica? E pior ainda, o que vai acontecer com quem está começando a faculdade agora? E ainda pior de todos, o que vai acontecer com aquele cara que está começando a faculdade agora e ainda por cima só estuda o suficiente para passar e conseguir o diploma no final?

O grande ponto é que os robôs não precisam de salário ou aumentos, trabalham ininterruptamente, não tiram férias, não precisam de descanso nem de planos de saúde ou de aposentadoria. Além disso, eles não tem sindicato, não fazem greve e não te processam falsamente por assédio igual é moda agora por parte das feministas hibridas. São mais eficientes e ainda saem mais baratos.

Então, a segurança no emprego na área privada é uma ilusão. Uma ideia ultrapassada. As empresas estão mudando para o que é mais vantajoso para elas, e com esse excesso de leis trabalhistas, sindicatos, processos e direitos dos funcionários, as empresas estão optando por robôs que ainda por cima são mais eficientes e precisos. A automação já começou a levar embora os empregos dos trabalhadores de curso superior em algumas áreas e o processo já está se estendendo para outras áreas HOJE.

Tem um livro chamado Robôs: A Ameaça de um futuro sem emprego, de Martin Ford. Ele explica por que o conto de fadas de ir a escola, fazer faculdade e conseguir um emprego estável é delirante. As probabilidades são de que, mesmo se você for médico, um robô o substitua... Agora, não no futuro.

O desemprego em massa chegou. E ainda tem gente começando uma faculdade agora se endividando todo e esperando que daqui 5 a 6 anos saia ganhando 10 mil por mês ou mais para conseguir cobrir rapidamente o gasto que teve durante a faculdade. Doce ilusão. 

E vou explicar agora o principal motivo:

O que você acha que a pessoa aprende na faculdade? Um monte de matérias inúteis que são obrigatórias na grade curricular, aprende muita teoria e muito pouca prática, feito por profissionais que são apenas professores, ou seja, não são especialistas práticos naquilo que estão ensinando. Imagine você aprender a empreender com um professor que nunca abriu um negócio na vida, é isso que temos na faculdade. É o mesmo que aprender aulas de natação teóricas com alguém que nunca nadou. Todas as aulas são em uma sala de aula, longe da água, e quando a pessoa sai e arruma finalmente um emprego que ela se afoga e começa de fato a aprender como trabalhar na área. Isso é a faculdade hoje, você aprende depois que termina a faculdade. As pessoas fazem só pelo diploma e nada mais. Porque é exigido das empresas que tenham um funcionário responsável técnico para fazer aquilo. É só isso que garante um emprego para muitos, a obrigatoriedade da lei de um responsável técnico naquela função. E além de tudo, a faculdade é uma máquina de fabricar funcionários.

É óbvio que existem bons professores que realmente entendem e vivem o que estão ensinando. E também existem matérias realmente boas. Mas isso é minoria. Se gasta muito tempo com lixo para conseguir ter pouca exposição ao bom conteúdo. Vou explicar mais pra frente a estratégia que defendo.

Eu fiz faculdade pelo terceiro motivo porque queria empreender na área e achei que na faculdade eu aprenderia muita coisa sobre como empreender na minha área. Ledo engano. Sai muito frustrado porque eu não aprendi NADA sobre empreender. Eu só tinha 16 anos quando comecei a faculdade, eu era bem novo, por isso fui iludido como muitos e só perdi meu tempo. Tudo o que aprendi foi como ser um bom funcionário nas variadas áreas de atuação do curso, afinal todos os meus professores eram funcionários, o que mais podiam me ensinar? Não tive uma única aula sobre legislação necessária para construir um negócio na área, como abrir e administrar um negócio, como utilizar as leis a meu favor, como gerenciar uma equipe, nem nada. Para mim foi uma tremenda perda de tempo.

Hoje, se eu pudesse voltar no tempo, eu não faria faculdade. Eu me especializaria no que eu realmente quero com cursos específicos, desses que normalmente não tem diplomas nem certificados.

Eu aprendi muito mais o que me interessava em um curso de uma semana no SEBRAE do que 5 anos de faculdade. Claro, que eu fiz muito mais cursos além desse.

Continuando, mesmo quem faz faculdade pelo segundo motivo, ser servidor público também está perdendo tempo e dinheiro. Se o objetivo é ser concursado, fazer um curso tecnólogo a distância, sai mais barato, mais rápido e você consegue focar melhor nos estudos para concurso durante a faculdade o que é o seu objetivo principal. Fazer um curso superior só para dizer que fez, por questão de status e aparência é perda de tempo e dinheiro se no final você só quer mesmo passar em um concurso para ter estabilidade. As pessoas que não tem faculdade idealizam demais um diploma.

Se a pessoa realmente quer aprender sobre aquela área, a coisa mais útil que ela pode fazer são cursos que não tem diplomas, pois não tem exigências toscas do MEC. Cursos como do Sebrae feito por professores que são empreendedores, cursos como o desse site: https://meusucesso.com/ e até mesmo cursos do Youtube específicos para o que se quer aprender, nem que seja violão, programação, marcenaria, desenho, inglês, finanças, etc. Você vai direto ao ponto, não tem aulas obrigatórias na grade como português, interpretação de texto, sociologia, e outras matérias que não tem a ver com o que você quer aprender. 

Eu dei aula em cursos técnicos e ministrava a mesma matéria para cursos totalmente diferentes como Massoterapia, Design de interiores, Desenho em construção civil, enfermagem, telecomunicação, segurança do trabalho, entre outros. O aluno era obrigado pelo MEC a fazer várias matérias que não tinham nada a ver com o curso, perdendo muito tempo do curso nisso, e se ele fizesse dois ou três cursos, tinha que fazer as mesmas matérias obrigatórias 3x. Um insulto ao tempo e inteligência do aluno.

Agora nesses sites que listei acima para um estudante interessado, se aprende muito mais em menos tempo e sai com conhecimento prático muito maior do que alguém que passou 5 anos na faculdade aprendendo teoria com professores que só enchem linguiça para cumprir o horário e inclusive passava atividades em grupo ou algo que nitidamente só tinha o objetivo de manter o aluno até o horário da aula acabar. Outro insulto ao tempo e dinheiro do aluno que chega cansado depois do trabalho para assistir uma aula que não se aprende nada e depois ainda tem que pegar dois ônibus para conseguir voltar para casa. Só dinheiro e tempo desperdiçado.

Afinal, os professores estão lá para receber por hora e muitos não se importam se o que você aprende vai ser útil e prático ou não, só vão seguir o que o MEC exigir mesmo pois se não fizerem isso serão punidos. Alguns professores realmente levam a sério o trabalho e enchem o aluno de atividades teóricas cumprindo tudo o que o MEC exige. Mas mesmo assim, o aluno estará aprendendo teorias que algumas vezes não são realmente úteis na prática. Afinal, essa cartilha que seguem também é definido por teóricos de alto escalão que, muito provavelmente, também não atuam na área mas que definiram algumas matérias como obrigatórias para se formar uma boa base e o modelo é lento para se adaptar de acordo com as mudanças do mercado.

Um aluno que estuda em casa direto o que realmente precisa, excluindo assuntos desnecessários, aprende muito mais e dita o próprio ritmo de aprendizado, se ele tiver acesso a um fórum ou profissional para tirar alguma eventual dúvida, ele aprende "5 anos" em menos de 6 meses, pois vai direto para o que precisa aprender. Ele está nitidamente em vantagem em relação aos outros, com exceção de um detalhe: Não terá diploma.

E para completar a cereja do bolo, a grande maioria dos estudantes não aprende nada na faculdade nem a teoria. Estudam só o suficiente para passar com nota mínima para conseguir o diploma no final do curso. E se no ano seguinte tivessem que refazer uma prova com a matéria do ano anterior, quase nenhum estudante de universidade conseguiria passar de novo na matéria, pois uma vez aprovado, eles abandonam o assunto. Nenhum dos meus colegas revisavam as matérias importantes porque meu curso não tinha uma OAB ou algo do tipo no final, então para eles não havia necessidade de revisar.

Esses chegam no mercado completamente ineptos demandando tempo e energia da empresa para treinar o funcionário como se fosse alguém que tivesse ensino médio. O único motivador que ainda faz a empresa contratar essas criaturas é a obrigatoriedade de um responsável técnico com esse diploma. Então, esse é um dos poucos benefícios de se fazer a faculdade atualmente.

O outro benefício é ter direito a cela especial caso você seja preso.

Eu nem mencionei, mas depois de se formar que começa a verdadeira luta por um lugar ao sol. É aí que o bicho pega de verdade. E muitos quando finalmente arrumam um emprego descobrem que o salário é muito menor do que almejavam quando começaram a faculdade. Bem vindo a realidade como diz o título do tópico.

Então, no meu ponto de vista, resumindo tudo para os preguiçosos: 
  • Se você quer empreender, não faça faculdade. Utilize esse dinheiro para fazer um curso prático como os que eu citei acima. É isso que realmente importa.
  • Se você quer ser concursado, não faça faculdade, faça um tecnólogo a distância e aproveite a economia de dinheiro e de tempo para estudar pesado para concurso e já começar a passar em alguns até mesmo antes de se formar.
  • Se você quer ser um funcionário de uma empresa privada, saiba que ao se formar vai bater muita cabeça para conseguir um lugar ao sol e mesmo assim seu futuro está em risco, que a empresa que você almeja não se importa com você e não hesitará em te trocar por um robô assim que descobrirem que isso se tornou mais vantajoso para elas. Então, escolha muito prudentemente a área que vai cursar para uma área que tenha uma boa perspectiva de futuro e foque mais aprender as matérias que realmente importam e estude além do que os professores passam e se prepare para chegar o mais capacitado possível no mercado de trabalho. E o salário não vai ser tão alto como você imaginava, a não ser que você saiba empreender. Aí seria melhor ter focado nos cursos práticos de empreendedorismo e usar o dinheiro para construir o negócio em vez de ter gasto tudo em uma faculdade.
  • Se você quer ser um acadêmico a faculdade é o lugar ideal para você. Entre e estude bastante, puxe saco dos professores certos, produza bastantes artigos e seja feliz.
“A maior necessidade do mundo é a de homens — homens que se não comprem nem se vendam; homens que, no íntimo de seu coração, sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.” Ellen White, Educação, Pág 57.
Responda-o
#69
Façam faculdade de robótica Yaoming.

Ou um curso técnico mas aprendam em casa 

Seria possível aprender em casa sem a estrutura de um curso ? Quem tem o direito de ter acesso ? 

Será que a empresa vai valorizar o canudo ou o conhecimento adquirido em casa ? Dependendo da resposta é melhor empreender.

E medicina ? Você se consultaria com um curandeiro ? Eu sim, você respeita a experiência/relato dos conhecidos ou um papel.timbrado ?
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#70
O 'homem-comum', agora em contato com materiais realistas, deve dar uma banana pro maconheiro do DCE, mandar as putinhas ególatras para caixa-prego e focar em ser bem sucedido nos Estudos, enfim: 'cagar e andar' o que esta sociedade misândrica e mangina pensa"

Por: @Fernando_R1
A vida passa como um conto ligeiro. 
Responda-o
#71
Saí do ensino médio totalmente desorientado, sentindo que não tinha vocação pra nada e acabei caindo de paraquedas no curso de direito. Se eu tivesse a mentalidade que tenho hoje, hesitaria em fazer o curso. Menos mau porque consegui uma bolsa de estudos e não tive que pagar pela faculdade com meu próprio dinheiro.

Acredito que ter um curso superior tem sua importância para fins de instrução. A pessoa que faz uma faculdade bem feita tem seu campo de visão ampliado, enxerga as coisas de uma maneira diferente, como se seus horizontes fossem alargados. Têm uma visão crítica do que acontece ao seu redor e estão melhormente situados na vida moderna. O ensino público é insuficiente devido a sua precariedade, forma até mesmo analfabetos funcionais, verdadeiros "jecas" na vida social.
A realidade nua e crua.
Responda-o
#72
Essa questão que o @Libertador trouxe sobre desemprego em massa, robôs e etc. É uma coisa que nem perco meu tempo pensando, porque querendo ou não é uma " Mensagem do apocaplise" então não acredito que valha a pena ficar pensando nesse tipo de coisa.

E digo mais, por mais que tenha uma verdade nisso. Ainda não se concretiza na vida real, vide que em muitos países o desemprego está com taxas baixíssimas, acredito que o desemprego que o Brasil passa no momento, é só uma fase juntamente com a colheita de 12 anos de governo socialista.E nada tem aver com Robótica.

Não sei se viram o vídeo que postei no começo do tópico. Mas nos EUA os empresários lutam para preencher 5.8mi de vagas todos os anos , vagas estas que ninguém quer trabalhar, sendo pedreiro, auxiliar , encanador , eletricista e etc. E olha que lá é o centro da tecnologia.

Então a verdade, que essa realidade só está chegando no Brasil agora com a inflação de "peões formados" na sociedade, logo logo profissões braçais serão mais valorizadas ainda e a tendência que os salários aumentem.

Como dizia Jordan Peterson " Não tentem mudar o mundo, mudem a sí mesmo"
Além disso, ore para que a vontade de Deus seja feita! Não a sua.
Responda-o
#73




Impossível ler esse texto e não lembrar desse áudio kkkkk. 
O grito do proletariado.
Responda-o
#74
Esse FIES é o maior tiro no pé que a pessoa pode dar ao fazer faculdade.

Eu já vi muita gente financiando curso que com um pouquinho de estudo você passa tranquilamente, como pedagogia e biomedicina em faculdades privadas.

É só tirar uns 600 de nota no ENEM que você já consegue pegar a vaga de graça pelo ProUni. 

É absurdamente ridículo financiar um curso desses. 

No mais, concordo com o @Libertador; eu segui o caminho de fazer um tecnólogo para concursos. Até agora tem dado certo.

Se eu fosse seguir um caminho alternativo eu teria feito um curso técnico e/ou trabalhado e abrido uma empresa logo. 

No mais, boa sorte para quem for fazer faculdade.
Em tudo dai graças.

Responda-o
#75
(12-04-2019, 07:34 PM)gRILO Escreveu: Essa questão que o @Libertador trouxe sobre desemprego em massa, robôs e etc. É uma coisa que nem perco meu tempo pensando, porque querendo ou não é uma " Mensagem do apocaplise" então não acredito que valha a pena ficar pensando nesse tipo de coisa.

E digo mais, por mais que tenha uma verdade nisso. Ainda não se concretiza na vida real, vide que em muitos países o desemprego está com taxas baixíssimas, acredito que o desemprego que o Brasil passa no momento, é só uma fase juntamente com a colheita de 12 anos de governo socialista.E nada tem aver com Robótica.

Isso. Faça igual os taxistas em relação ao Uber e carros autônomos, espere o trem acertar o carro para só depois tentar tirar o carro de cima dos trilhos. Vai dar certo sim.

Se nós estamos vendo o mundo caminhando em uma direção, nada mais sensato que pensar em médio e longo prazo de como o mundo vai ficar se ele continuar indo nessa mesma direção, pois fazer uma faculdade demanda tempo e energia e o mundo está mudando rápido. Tem que se levar em conta que uma faculdade comum (sem greves) são 5 anos. E mais alguns anos depois de formado para começar a se adaptar ao mercado. Já pensou na hipótese de ficar esse tempo todo investindo tempo, dinheiro e energia para depois descobrir que a sua nova área não tem mais futuro e que os atuais profissionais estão mudando de área por conta disso? Seria bem frustrante ter que recomeçar né?

Essas mudanças vão ocorrer rapidamente em algumas áreas e em outras podem demorar dezenas de anos e em outras ainda pode nunca ocorrer, por isso é bom ter uma noção básica do rumo das coisas na hora da escolha.

Áreas com provável risco mais eminente são: Contadores, corretores de imoveis, redatores, motoristas, vendedores, auditores, analistas de crédito, e principalmente, áreas técnicas. Aqui tem até uma lista: https://willrobotstakemyjob.com/highest-risk-jobs

Áreas com risco mais baixo: Dentistas, Físicos, veterinários, fisioterapeutas, nutricionistas, etc.

É óbvio que o ponto principal do meu argumento não é sobre os robôs, só aproveitei para abordar esse tema na resposta. O ponto principal é que dependendo do objetivo da pessoa, faculdade não compensa. Como citei principalmente do caso de concurso público que compensa fazer um EAD de 3 anos ou de quem quer empreender que compensa mais fazer cursos práticos diretamente relacionados ao seu objetivo em vez de buscar diplomas. Diplomas é para quem quer ser empregado dos outros e no futuro até um autônomo que nesse caso os cursos práticos de gestão e vendas se mostrarão muito úteis também. 

Voltando ao assunto, kkkkkk, como a frase que você colocou: "Não tentem mudar o mundo, mudem a sí mesmo", é bem isso, se o mundo está mudando, melhor se adaptar a ele do que resistir a mudança achando que ele vai continuar funcionando como foi com seus pais e avôs.

Lembrando que a internet surgiu só em 92. Tem míseros 27 anos de idade, mais nova que muitos realistas. E olha o tanto que o mundo já mudou por conta dessa invenção.
O Iphone, o primeiro smartphone com aplicativos como conhecemos hoje, surgiu só em 2007, tem míseros 12 anos, todo mundo já tem um e não conseguem imaginar como é viver com um celular que só ligava e mandava mensagens de texto pagas.

A velocidade de inovação e mudanças só vem aumentando e cada nova invenção potencializa as próximas. 

Ninguém em 92 imaginaria que a internet teria se tornado tão fundamental nos dias atuais e nem em 2007 imaginavam que todo mundo teria um Smartphone hoje. As coisas estão acontecendo cada vez mais rápido. E nós não sabemos se daqui 20 anos ainda usaremos papel moeda por conta da tecnologia blockchain. Nem sabemos qual vai ser a velocidade de adoção dessa inteligência artificial, drones, impressoras 3D e carros autônomos. E muito menos se as pessoas que ingressam hoje no mercado de trabalho terão alguma previdência paga pelo governo daqui 3 décadas quando se aposentarem. Mas tem gente que faz todo o planejamento de vida baseado no que aconteceu com seus pais e avôs, afinal, se deram certo para eles, então vai continuar dando certo para ele também e daqui 30 anos vai aposentar e receber direitinho. Então, tá né.
“A maior necessidade do mundo é a de homens — homens que se não comprem nem se vendam; homens que, no íntimo de seu coração, sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.” Ellen White, Educação, Pág 57.
Responda-o
#76
Spoiler Revelar
(13-04-2019, 12:08 AM)Libertador Escreveu:
(12-04-2019, 07:34 PM)gRILO Escreveu: Essa questão que o @Libertador trouxe sobre desemprego em massa, robôs e etc. É uma coisa que nem perco meu tempo pensando, porque querendo ou não é uma " Mensagem do apocaplise" então não acredito que valha a pena ficar pensando nesse tipo de coisa.

E digo mais, por mais que tenha uma verdade nisso. Ainda não se concretiza na vida real, vide que em muitos países o desemprego está com taxas baixíssimas, acredito que o desemprego que o Brasil passa no momento, é só uma fase juntamente com a colheita de 12 anos de governo socialista.E nada tem aver com Robótica.

Isso. Faça igual os taxistas em relação ao Uber e carros autônomos, espere o trem acertar o carro para só depois tentar tirar o carro de cima dos trilhos. Vai dar certo sim.

Se nós estamos vendo o mundo caminhando em uma direção, nada mais sensato que pensar em médio e longo prazo de como o mundo vai ficar se ele continuar indo nessa mesma direção, pois fazer uma faculdade demanda tempo e energia e o mundo está mudando rápido. Tem que se levar em conta que uma faculdade comum (sem greves) são 5 anos. E mais alguns anos depois de formado para começar a se adaptar ao mercado. Já pensou na hipótese de ficar esse tempo todo investindo tempo, dinheiro e energia para depois descobrir que a sua nova área não tem mais futuro e que os atuais profissionais estão mudando de área por conta disso? Seria bem frustrante ter que recomeçar né?

Essas mudanças vão ocorrer rapidamente em algumas áreas e em outras podem demorar dezenas de anos e em outras ainda pode nunca ocorrer, por isso é bom ter uma noção básica do rumo das coisas na hora da escolha.

Áreas com provável risco mais eminente são: Contadores, corretores de imoveis, redatores, motoristas, vendedores, auditores, analistas de crédito, e principalmente, áreas técnicas. Aqui tem até uma lista: https://willrobotstakemyjob.com/highest-risk-jobs

Áreas com risco mais baixo: Dentistas, Físicos, veterinários, fisioterapeutas, nutricionistas, etc.

É óbvio que o ponto principal do meu argumento não é sobre os robôs, só aproveitei para abordar esse tema na resposta. O ponto principal é que dependendo do objetivo da pessoa, faculdade não compensa. Como citei principalmente do caso de concurso público que compensa fazer um EAD de 3 anos ou de quem quer empreender que compensa mais fazer cursos práticos diretamente relacionados ao seu objetivo em vez de buscar diplomas. Diplomas é para quem quer ser empregado dos outros e no futuro até um autônomo que nesse caso os cursos práticos de gestão e vendas se mostrarão muito úteis também. 

Voltando ao assunto, kkkkkk, como a frase que você colocou: "Não tentem mudar o mundo, mudem a sí mesmo", é bem isso, se o mundo está mudando, melhor se adaptar a ele do que resistir a mudança achando que ele vai continuar funcionando como foi com seus pais e avôs.

Lembrando que a internet surgiu só em 92. Tem míseros 27 anos de idade, mais nova que muitos realistas. E olha o tanto que o mundo já mudou por conta dessa invenção.
O Iphone, o primeiro smartphone com aplicativos como conhecemos hoje, surgiu só em 2007, tem míseros 12 anos, todo mundo já tem um e não conseguem imaginar como é viver com um celular que só ligava e mandava mensagens de texto pagas.

A velocidade de inovação e mudanças só vem aumentando e cada nova invenção potencializa as próximas. 

Ninguém em 92 imaginaria que a internet teria se tornado tão fundamental nos dias atuais e nem em 2007 imaginavam que todo mundo teria um Smartphone hoje. As coisas estão acontecendo cada vez mais rápido. E nós não sabemos se daqui 20 anos ainda usaremos papel moeda por conta da tecnologia blockchain. Nem sabemos qual vai ser a velocidade de adoção dessa inteligência artificial, drones, impressoras 3D e carros autônomos. E muito menos se as pessoas que ingressam hoje no mercado de trabalho terão alguma previdência paga pelo governo daqui 3 décadas quando se aposentarem. Mas tem gente que faz todo o planejamento de vida baseado no que aconteceu com seus pais e avôs, afinal, se deram certo para eles, então vai continuar dando certo para ele também e daqui 30 anos vai aposentar e receber direitinho. Então, tá né.

A lucidez e sensatez nesse post do @Libertador foram fenomenais. Enquanto ainda lia a mensagem do @gRILO eu já estava pensando nesse caso do taxistas vs Uber, um exemplo claro da armadilha que é a zona de conforto.
Estar atento para com as constantes mudanças do nosso mundo, ser adaptável e estar sempre preparado para o pior ou improvável são de importância imprescindível pra quem não quer ser só mais um.
Responda-o
#77




Concordo com tudo que o @Libertador escreveu.
Quantos funcionários poderiam estar aí? Não é teoria da conspiração, isso tudo já está acontecendo.
Responda-o
#78
Eu faço faculdade e estou gostando, Tecnólogo na area de TI na melhor faculdade aqui de perto, bolsa 100% e não pago um real de condução. Acredito que os melhores cursos pra se fazer atualmente são os rapidos, que te introduzem rapido no mercado.
Responda-o
#79
Citação:Descreverei a saga do homem comum, não rico, não cafa, não marginal e similar, no ensino superior. A saga começa no colegial quando geralmente as famílias de classe média, para cima, matriculam seus filhos em Anglos, Objetivos, Poliedros da vida. São escolas que prometem uma pedagogia moderna, criando um clima "cool" de aprendizagem. Ledo engano, são verdadeiros campos de concentração para o homem comum.

Esse texto é péssimo, saga do homem comum ? Não sou de São Paulo, entretanto sei que o poliedro custa em torno de 2000 reais a mensalidade, e que o curso poliedro é muito, mas muito caro, Anglo que é um estudo bilingue deve ser no mínimo 2500, isso é a saga do homem comum ? Esse texto é choradeira do início ao fim, se retratasse a realidade de muitos aprovados que são pessoas da roça, trabalham e estudam e etc, ou até caso extremos de catadores de lixo que passam para medicina estudando com livros encontrados no lixo...

O homem comum estuda em um colégio de 2000 reais de mensalidade, fora materiais, transporte, video-game para o beta mangina se desestressar, computador e toda uma estrutura para ele se densenvolver e depois cria esse texto "realista", do jeito que o mimizento escreveu esse texto deve ter ganho um carro do pai aos 19 anos e se sente vítima da sociedade porque não é um modelo esportivo do ano, muita palhaçada esse texto ai, na boa, quero ver passar no vestibular estudando sozinho em casa morando em um barracão na favela, vou até parar por aqui, esse texto fede a playboy de classe média que não tem respeito pelo esforço dos pais e acha que o mundo gira em torno de si mesmo, como se todo mundo tivesse que agradá-lo, muita babaquice.
Assim, Davi prevaleceu contra o filisteu com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou sem que Davi tivesse uma espada na mão.
Responda-o
#80
(11-04-2019, 04:17 PM)Fernando_R1 Escreveu: Eu entrei na Universidade a 20 anos atrás ... E sou formado a quase 15 anos, acho que na minha época de estudante era melhor, hoje a situação está mais barra-pesada para trabalhar, principalmente a galerinha jovem sem experiência

Todo semestre milhares de jovens se formam nessas uniesquinas que os formam como se fossem uma produção em série e depois de formados quando vão procurar vagas de emprego na área e não acham ficam se estapeando por qualquer coisa que aparece.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)