Avaliação do Tópico:
  • 6 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[RELATO] Loucuras do Libertador - Estados Unidos da América
#41
Boa, acompanhando, Libertador qual é a sua faixa de idade? agora poderia escrever um um livro ao final de tudo isso "Como eu venci ou como vencer no EUA com 550 dólares" e vender aqui, brasileiro gosta de ler essas paradas.
- A verdadeira liberdade está no domínio absoluto de si mesmo (Montaigne).





Responda-o
#42
(20-10-2016, 02:56 PM)Madroox Mx Escreveu: Boa, acompanhando, Libertador qual é a sua faixa de idade? agora poderia escrever um um livro ao final de tudo isso "Como eu venci ou como vencer no EUA com 550 dólares" e vender aqui, brasileiro gosta de ler essas paradas.

Isso é produzir provas contra si mesmo.
Se o cara está ilegal o negócio é ficar pianinho.
Responda-o
#43
Continuando!

Parte 3: A psicopata


Eu demorava cerca de uma hora para ir caminhando ao trabalho e mais uma hora para voltar caminhando, aproveitava este momento para ir orando (conversando com Deus em pensamentos, falando sobre o que aprendi com as vendas, o que planejava para o futuro, os casos curiosos que vi e etc). Lá o sistema de ônibus é muito ruim, a maior parte da cidade não tem linha de ônibus alguma, só a região turística que tem, mas ninguém está aí para isso visto que carro é muito barato e o pessoal usava muito o Uber também, mas eu estava com pouco dinheiro para gastar com isso.

Alguém da igreja me perguntou e ficou sabendo que eu caminhava 1 hora pra chegar ao trabalho e 1 hora pra voltar e resolveu me ajudar, conseguiu o contato de outro que tinha uma bicicleta velha e foi comigo lá buscar. Então um dia ganhei uma bicicleta velha de um irmão da igreja e um capacete usado, passei a pedalar loucamente para cima e para baixo por lá. Até que a bicicleta velha começou a estragar toda, parafuso do guidão soltou enquanto eu dirigia, cai no chão, mas consegui uma chave de fenda para ir apertando e arrumando ao longo do trajeto,  e o pneu furou, então eu comprei uma bomba e enchia todo dia antes de sair, porque eu tinha muito pouco dinheiro e não queria comprar um pneu novo para a bicicleta. Até que um dia cheguei atrasado e o judeu que era dono do negócio brigou comigo, expliquei para ele a situação da bicicleta e falei que iria resolver.

Ele pegou a minha bicicleta e disse que ia consertar de graça para eu não atrasar mais. Mas na verdade ele achou a bicicleta tão velha que jogou ela no lixo e umas duas horas depois apareceu com uma bicicleta top de linha zerada e me deu de presente. Passei a cortar aqueles semáforos e calçadas a mil por hora todos os dias, parecia um maluco. 



Vídeo meramente ilustrativo

Coloquei um fone de ouvido e umas músicas no celular, e passava cortando os caminhos por aí, porque dava pra pegar bastante velocidade com a bicicleta nova. E comecei a rodar pra todo canto com essa bicicleta. 

Nesse período de crise nas vendas, eu estava sempre em contato com o General Diamante pelo WhatsApp, ele me ajudou muito com duvidas que eu tinha sobre vendas pela internet.

Criei uma conta no Ebay e anunciei um dos produtos que eu vendia na loja. Vi os anúncios de todos os meus concorrentes online e fiz o meu anuncio juntando as características que eu considerei melhores de todos os que vendiam mais, o melhor de cada um. E deu certo. Comecei a vender, depois da venda ser feita, o dinheiro caia em uma conta do PayPal, aguardando aprovação do cliente, quando este recebesse o produto. Eu comprava o produto no Kiosk com o meu desconto de funcionário, mas só depois que eu já tinha vendido, ia no United States Postal Service (USPS), que era mais barato que o FedEx, e enviava o produto, sempre enviando umas amostras grátis de outro produto e pedindo para eles em darem uma avaliação positiva no site.

Eu vendi bem na internet mas decidi parar antes que ficasse sem dinheiro. Eu fiquei com cerca de 360 dólares a receber do Paypal. Fiquei com uns 650 dólares na carteira, contando com os meus lucros das vendas, e tirei os anúncios do ar. Porque senão eu ficaria sem dinheiro na carteira e eu ainda não sabia como tirar aquele dinheiro do PayPal nos EUA.

Estava chegando o dia de pagar o aluguel e eu não havia juntado o dinheiro suficiente e nem conseguia sacar o dinheiro da internet. Me esforcei ao máximo nas vendas. Mas não foi o suficiente.

Chegou o dia de pagar o aluguel, eu tinha que pagar 1100 dólares, pois o dono queria que eu pagasse o mês que eu usei e o mês adiantado, disse que todos faziam assim, o que era mentira, fui descobrir depois conversando com outros brasileiros. Mas combinado é combinado.
Eu consegui pagar 550 dólares em dinheiro e disse que eu não tinha como pagar o mês adiantado ainda, mas que iria pagar. Contei a verdade, que as vendas caíram e que eu tinha um dinheiro na internet a receber e que eu podia transferir para conta dele.

Ele ficou irado, perdeu o controle e quis levantar a voz. Eu disse pra ele que não admitia isso pois eu havia sido honesto desde o inicio, antes mesmo de eu me mudar para a casa dele, já tinha falado que eu não tinha dinheiro e iria conseguir com o tempo e ele aceitou esse acordo desde o inicio. E disse que, de fato, eu não tinha dinheiro e ia pagar assim que recebesse e em momento nenhum iria desonrar a minha palavra.

Eu acho que ele viu que eu tinha razão e que falei com seriedade, mas não quis dar o braço a torcer, saiu de perto e depois que se acalmou, disse que como foi pastor por muito tempo não deveria ter agido assim, que não duvidou de mim em momento algum, que sabia que eu era uma pessoa correta e que agiu assim porque estava contando com esse dinheiro, que eu não devia fazer isso de novo e sim avisar com antecedência.

Pediu para eu transferir esse dinheiro da internet na conta do PayPal dele e para a minha família transferir o restante o mais rápido possível.

Enquanto isso o dinheiro do PayPal estava bloqueado e eu não conseguia sacar e nem transferir para o dono do imóvel. O Diamante tinha me alertado para tomar cuidado com isso e não ficar sem uma reserva de emergência. Mas acabei ficando sem. Na verdade, eu nunca tive a reserva de emergência pois já cheguei com pouquíssimo dinheiro.

O grande problema era que eu não tinha como receber dinheiro do Brasil, primeiro porque minha família não tinha dinheiro nenhum para me enviar e segundo porque já que eles não tinham como enviar mesmo, eu nem abri conta em banco.

Nesse meio tempo, eu soube que o Legionário Volvo estava indo visitar Orlando e marcamos um EDR aqui pelo fórum, para caso houvesse outro realista na região e quisesse participar também. Mas fomos só nós dois mesmo. Ele foi lá no meu trabalho, mostrei o lugar pra ele, apresentei alguns colegas de trabalho.

Quando deu o meu horário de ir embora, fomos para uma lanchonete, trocamos diversas ideias sobre as diferenças entre o Brasil e o EUA. Sobre como as mulheres agem do mesmo jeito em qualquer parte do mundo. Gravamos o EDR, infelizmente eu perdi o áudio, mas o Volvo me disse que ainda tem o Podcast, vai ver se consegue editar e enviar aqui no tópico.

[Image: 3087965-d3a376bf640ec69367d87050596dafc4.jpg]

Foi muito bom esse EDR, porque eu estava em um momento tenso e é sempre bom encontrar um velho amigo e dar uma descontraída.
Eu já conheço o Volvo a anos dos EDRs que ocorrem em Brasília, então foi bem bacana.

Aconteceu que aos poucos eu fui usando o dinheiro restante para alimentação básica, e mesmo economizando bastante todo o dinheiro que eu tinha disponível comigo lá se limitou a uns 80 dólares.

Nesse meio tempo aconteceu algo estranho. Muito estranho. O dono do apartamento apareceu de repente com uma mulher americana lá. Os irmãos da igreja dele, Assembleia de Deus, insistiram para ele levar ela para lá pois ela estava passando por muitas dificuldades e o dono da ultima casa que ela estava, queria se livrar dela o mais rápido possível.

Assim que eu vi a cara dela, eu senti que tinha alguma coisa errada. O jeito dela agir, as expressões dela e a história mal contada, me soaram muito suspeito.

Ela era americana nata, nasceu em uma cidade próxima, podia trabalhar em qualquer emprego e existem muitos para quem tem documentação, quase todas as lojas tem uma placa de contrata-se. Quem está legalizado pode escolher emprego a vontade, as lojas disputam por funcionários. Então porque ela não arrumava um emprego?

Ela disse que teve sérios problemas quando separou do noivo e agora estava passando necessidades e ficava escorada na casa dos irmãos dessa igreja, e recebendo doações de comida deles, ninguém conhecia ela nem o passado dela. E porque ela não ficava na casa dos parentes dela? Cadê os parentes dela? E ela não tinha amigos?

Ela não trabalhava e dizia que estava procurando emprego mas ficava só nas entrevistas e dizia que reprovava nos testes.

Ela andava com uma Bíblia o tempo todo e pagava de santa. Eu, as vezes, pegava ela olhando pra gente com um olhar frio, parecia uma psicopata. Os irmãos da igreja dele estavam pagando o aluguel para ela e enviando comida. Ela passava quase todos os dias sem procurar emprego, assistindo TV e navegando na internet. E quando ele questionava, ela dizia que tinha uma entrevista marcada para a semana seguinte, quando chegava a data, ela dizia que tinha sido alterada ou ela saia por umas horas e dizia que reprovou.

[Image: stock-photo-bloody-and-violent-psychopat...252052.jpg]

Outra coisa peculiar, ela nunca fechava a porta do quarto, deixava entreaberta, dormia com a luz acesa, com música evangélica a noite toda e com a Bíblia aberta. Depois de alguns dias ela pediu para ir comigo na minha igreja. Eu acabei deixando a doida ir.

Chegando lá, ela pediu para os irmãos orarem por ela, fez um grande vitimismo, que deixou todos convencidos, menos eu, eu já estava bem desconfiado disso tudo, ela falou que foi muito injustiçada pelo ex e que estava sendo atormentada por demônios. Isso explicava o comportamento estranho dela a noite, com luz acesa, música religiosa e Bíblia aberta. Nisso um homem lá da igreja disse que conseguia um emprego excelente para ela, já que ela era legalizada, para ganhar 13 dólares por hora para ficar sentada atendendo como secretária. Um emprego tranquilo e sem esforço em que ela ganharia bem mais do que eu que tinha que ficar em pé o dia todo abordando estranhos.

Ela disse que depois passava o contato para ele, ele insistiu dela passar logo já que ela estava tão necessitada , ela se esquivou e inventou uma desculpa de que não tinha celular e pediu um celular novo.

Eu pensei: "essa mulher ou está fugindo da polícia ou de um manicômio, pois não quer trabalhar, só quer ficar com os imigrantes ilegais e ainda escorada nas costas dos outros."

E mesmo sem eu pagar o aluguel comecei a pressionar o dono da casa para me conseguir a identidade dela, ele concordou e começou a pressioná-la, ela fazia de tudo para não entregar mas percebeu que a situação estava ficando complicada e entregou relutante. No mesmo dia ele me mostrou, tirei uma foto e fui ao trabalho.

Ao chegar lá, pesquisando na internet pelo celular eu descubro que ela é fugitiva da polícia! Já tinha sido presa duas vezes e estava sendo procurada pela polícia para ser presa de novo, pela terceira vez. Nessa ultima vez parece ela tinha tido um surto de raiva e espancado feio alguma pessoa, eu não entendi bem o que significava a palavra em inglês e nem os outros vendedores, mas era algo relacionado a agressão física séria.

Liguei na hora para o dono da casa e expliquei toda a situação para ele, o que ela havia feito na reunião da igreja, mandei os printscreens do site da polícia e falei para ele que era perigoso ela morar com a gente. Que ele devia expulsar ela ou ligar para a polícia. Mas eu não liguei para a polícia porque a casa era dele e era ele quem devia decidir o que era melhor ser feito. Ele entrou em pânico.

Deu um ultimato na psicopata, falou que ela tinha que ir embora até escurecer. Ela começou a chorar e se vitimizar, ainda bem que ele não se abalou. Depois ela viu que não tinha jeito, concordou e saiu, ele me disse que sentiu uma sensação estranha quando ela olhou e falou que iria sair nessa mesma noite, porque ela fez uma expressão estranha. Ele ficou com medo e ligou para os amigos dele da igreja, pois não queria ficar sozinho quando ela voltasse, isso foi muito importante. Eu estava no trabalho ainda, mas cheguei a tempo de acompanhar o que iria acontecer.

Ele trocou as fechaduras da casa e assim que escureceu ela chegou em uma caminhonete velha, e desceram dois negões com ela, muito mal encarados, pelo jeito ela tinha amigos, ela subiu na frente e quando viu que tinha várias pessoas na casa ficou desconcertada e sem reação, voltou e pediu para os dois negões ficarem lá embaixo esperando. Os dois ficaram em um canto escuro perto da entrada do prédio esperando.


[Image: Stalker-1.jpg]


Continua em breve.
“A honra, a integridade e a verdade precisam ser guardadas, custe o que custar ao próprio eu.” Obreiros Evangélicos, pág. 447
Responda-o
#44
Vc sabe que um livro é bom quando quer continuar lendo e lendo. Este relato é do mesmo nível, melhor ainda por trazer fatos reais.

Muito bom, aguardando a continuação!
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#45
Cara essa parte 3 foi bem louca!
Responda-o
#46
Mulher louca da porra, parece Um filme do Tarantino, tipo Pulp kkk

Pensei que os 2 negão ia tentar apagar o pastor e o libertador, e fazer ração com eles pqp kkkk
Fumei 25 cigarros esta noite e você sabe da cerveja.

Buwkoski.

Buceta não machuca e não se faz sexo com a bunda.

Leg. Bean, fórum mundo realista.
Responda-o
#47
(21-10-2016, 11:11 AM)Cônsul Ragnarok Escreveu: Mulher louca da porra, parece Um filme do Tarantino, tipo Pulp kkk

Pensei que os 2 negão ia tentar apagar o pastor e o libertador, e fazer ração com eles pqp kkkk


Eu lembrei dos causos daquele canal ID - Investigação Discovery
Responda-o
#48
Ri demais da parte da bicicleta furando o pneu (sempre vem uma merda pra piorar as coisas)
Mas achei foda a reação do patrão de dar uma nova e melhor. Qual patrão hj no Brasil faria isso? Provavelmente ia mandar se virar ou ir a pé.

A fugitiva já até imaginava que seria furada antes de ler, só de ver a postura obsessiva religiosa dela.
Aguardando os próximos capítulos.
Esforça-te, pois, e sê homem. (1 Reis 2.2)

Responda-o
#49
Continuando!

Parte 4: Sem dinheiro

[Image: 3-Strategies-To-Buy-Property-With-No-Mon...14x487.png]

Quando eu cheguei na casa, ela ainda estava terminando de pegar as coisas e os dois negões lá embaixo esperando. Assim que ela foi embora, os amigos do dono do apartamento também foram. Nesses últimos dias eu tinha dormido preocupado com aquela maluca perturbada por demônios dormindo no quarto ao lado. Fiquei aliviado quando ela foi embora. A atmosfera da casa estava bem pesada, como se fosse um pouco difícil de respirar, quando ela foi embora parece até que ficou mais leve, deu pra perceber nitidamente que o ambiente estava melhor. Ela ainda me ligou um dia depois pra pedir para eu passar o contato daquele pessoal da igreja que ela conheceu, mas não passei e nunca mais ouvi falar dela.

Eu acho que devia ter ligado pra polícia e denunciado ela, e assim ela teria ido direto pra cadeia, mas a casa não era minha, então deixei a decisão por conta do dono.

Respondendo a pergunta do Legionário mentefantastica, eu quase não saia, pois quando terminava o turno do trabalho estava muito cansado e ia direto para casa, afinal eram 12 horas por dia em pé e tentando forçar vendas. Eu achava bem exaustivo mentalmente.

E aos sábados que era o meu dia de folga, eu ia na igreja adventista, o pessoal sempre fazia almoço lá, eu ia sempre porque eu aprendia muita coisa conversando com eles, fazia muitos contatos, o que me ajudou muito para aprender os macetes da cidade. Quando se está em país estrangeiro sozinho, é muito importante ter desenvoltura para se comunicar e fazer amizades rapidamente. E a igreja é um lugar excelente para isso. O pessoal se ajuda muito.

Já a pergunta sobre o custo de vida, isso é absurdamente diferente. O aluguel é bem caro. Um quarto em uma casa eu estava pagando 550 dólares, só pelo quarto. Mas isso é porque a cidade estava cheia de imigrantes e todo dia chegava mais um monte. Eu devia ter escolhido outra cidade. E o plano de telefone também era caro. Algo em torno de 50 dólares por mês, mas que se podia ligar ilimitado para qualquer telefone fixo do Brasil e com 4g ilimitado também.

Dava para assistir vídeos pelo 4g sem problema algum, era mais rápido que muito wifi aqui no Brasil. E praticamente todas as lojas tinham wifi grátis com uma velocidade bem alta.

Em relação a custo de vida básico é tudo muito barato. O salário mínimo na Flórida era 8,50 dólares por hora. Uma pessoa que podia trabalhar legalmente tirava fácil 370 dólares por semana e quase 1500 dólares por mês, recebendo o salário mínimo!!!! Uma BMW se pagava menos de 300 dólares por mês de parcela. O preço da gasolina era 50 cents por litro. As coisas como comida, eletrônicos, roupas, eram baratos, muito baratos, não tem nem comparação com o Brasil.

Então, quem ganha o salário mínimo lá, vive bem. Nos bairros pobres era normal ver dois carros na garagem. Se você quisesse podia comprar um carro usado por menos de 2 mil dólares e tinham muitos abaixo desse preço.
Exemplo do preço de alguns carros da região na internet:

Por 400 dólares:
[Image: 00T0T_ivS2zvitPdp_1200x900.jpg]

Por 750 dólares:

[Image: 00v0v_hjjgnNjWwQ1_1200x900.jpg]

Por 2.000 dólares, um 97 eclipse Gst spyder:

[Image: 00l0l_1L47ntPlsnN_1200x900.jpg]
Ou se tiver um pouco mais dinheiro, que tal esse Ford Mustang usado por 12 mil dólares:

[Image: 00o0o_kOpuGPFgqQg_1200x900.jpg]
[Image: 00202_cgPyMwOJySJ_1200x900.jpg]

Todos os entregadores de pizza da cidade iam de carro, não lembro de ter visto nenhum entregando pizza de moto. E alguns chegavam ao absurdo de entregar pizzas de Camaro. Na época eu até cheguei a tirar foto de um Camaro entregando pizza e postei em um grupo do WhatsApp dos legionários que existia na época.

Um carro muito popular que se vê por todo lado é esse Ford Mustang. É comparável ao Gol no Brasil.

Eu observava em alguns brasileiros à minha volta dois comportamentos distintos, o primeiro gostava de status e andava de BMW e gastava tudo o que ganhava para ficar ostentando. O segundo que você via era aquele cara frugal, que andava de carro velho e poupava muito dinheiro. Vai do perfil e metas de cada um. Eu acredito que um realista provavelmente seria o frugal misturado com o Low Profile.

Voltando a história, eu achei bem louca essa história daquela americana lá em casa, mas eu ainda passaria por muita coisa louca.

Vou falar um pouco sobre o dono do apartamento, a história que ele me contou foi a seguinte, ele chegou na Califórnia30 anos atrás sem dinheiro algum também, chegou a dormir de favor em um sofá estragado no porão de uma casa por uns meses, até ser expulso pelos filhos da mulher que o acolheu. Passou por muitas coisas difíceis, aprendeu inglês com dificuldade, alguns anos depois, ele encontrou o amor da vida dele, uma brasileira ilegal, se casaram.

[Image: casamento-feliz-e-duradouro4.jpg]

Ficaram casados uns 25 anos, no inicio tudo lindo, mas logo ela foi mudando e, passado alguns anos, ela fazia muitos jogos emocionais, fazia greve de sexo, atormentando ele de várias maneiras e ele já nem sabia mais o que fazer, um dia ela traiu ele por um mexicano que era legalizado e o trocou por esse cara. E no divórcio eles dividiram os imóveis no Brasil que ele havia comprado com o dinheiro juntado a vida toda nos EUA.

Mas eles ainda trabalhavam juntos, cuidando de uma idosa bem rica, ela o difamou muito no ex-trabalho, para tentar pegar o lugar dele e ganhar mais. Pois eles recebiam 350 dólares por dia trabalhado e tinham que revezar os dias entre si. Ele não conseguia entender como ela, depois de tantos anos juntos, conseguia ser tão má e tão fria. Ele acabou ficando no trabalho mesmo com os ataques dela e ela pediu as contas porque ia voltar para o Brasil.

No fim da história, ela teve um filho desse mexicano, vendeu as casas do Brasil e acabou gastando quase todo o dinheiro, ficando sem casa e sem dinheiro para comprar uma.

O dono do apartamento foi demitido quando essa idosa que ele cuidava morreu, pegou todo o dinheiro que conseguiu juntar e comprou esse apartamento em Orlando e um carro novo, pois havia saído finalmente o green-card dele, não lembro o que ele fez para conseguir isso. Ele ainda tinha as casas dele no Brasil alugadas em que o dinheiro ficava com a mãe e a irmã.

O problema era que ele não queria arrumar um emprego ou algo para investir e ficava todo dia horas na Starbucks, chorando e pensando na vida, e depois voltava para o apartamento e ficava o dia todo chorando e se lamentando por tudo que aquela mulher fez ele passar.

[Image: size_590_homem_de_negc3b3cios_chorando1.jpg]

Ele ainda estava muito abalado com a separação e as vezes ficava com um papo estranho de que a vida não tinha mais sentido, de que ele não se apegava a coisas materiais, de que estava disposto a abrir mão de tudo, como tudo aqui é ilusão e as vezes comentava sobre algumas pessoas que se mataram, parecia que ele estava tentando justificar a atitude delas. E eu ficava pensando: "Só falta esse cara querer se matar aqui e ainda sobrar pra mim."

Enquanto isso, as minhas vendas não melhoravam, logo a situação foi piorando, o meu dinheiro foi diminuindo até eu ter uns 50 dólares.

O emocional nas vendas é muito interessante e eu gostava de observar isso. Tinha uma judia que era muito boa de vendas, estava lá há 7 ou 8 semanas, ela vendia uma média de 1000 dólares por dia, e ficava com cerca de 300 dólares de comissão por dia. Mas aconteceu que chegou a época que as vendas diminuíram e houve um dia fraco e ela não vendeu nada. E isso abalou muito o emocional dela. No dia seguinte ela foi vender e não estava conseguindo vender, ela foi ficando preocupada mas continuou se esforçando e não vendeu nada de novo. Ficou mais abalada ainda.

Ela foi perdendo a confiança em si mesma. No terceiro dia ela se empenhou muito e também não vendeu nada. Ela começou a ficar com uma expressão constante muito desanimada e abatida, semelhante a expressão dos que vendiam muito pouco, e ela não conseguia mais se empenhar nas vendas como antes. E assim foi indo dia após dia sem vender nada e o emocional dela só piorando por conta disso. Quando ela estava no oitavo dia seguido sem vender nada, ela não aguentou mais e desistiu. E olha que ela era uma vendedora muito boa, conseguia vender quase no mesmo nível dos melhores.

Esse era um trabalho difícil e com muita rotatividade, alguns desistiam no primeiro dia de trabalho, mas a maioria desistia do trabalho com cerca de uma semana, quando eram durões, chegavam a duas semanas, raramente alguém ficava mais do que isso, e tinha um pequeno grupo que já estava lá a mais de 6 meses, e eram todos KILLERS (matadores na tradução literal), que é como eles chamam os vendedores que vendem absurdamente, aqueles fora de série.

E apesar da alta desistência sempre tinham dezenas de pessoas tentando ser chamadas para entrar no trabalho e todo dia aparecia algum imigrante procurando vaga. Então tinham muito mais pessoas tentando entrar do que vagas disponíveis.

Eu já estava a umas 6 semanas, e já tinha visto vários chegando e desistindo. Mas, eu não estava disposto a desistir, eu acreditava que com o tempo de algum modo, consciente ou inconsciente, eu iria aprender a vender bem e continuei me empenhado ao máximo apesar de estar vendendo pouco. Para tentar aprender o mais rápido possível e aumentar logo as minhas vendas. O meu emocional estava sendo forçado ao máximo neste período. Chegou um momento que com o lucro que eu tinha e tirando o que eu gastei com as despesas, eu acabei ficando com apenas uns 30 dólares na carteira. Enquanto isso eu ainda não conseguia tirar nem transferir o dinheiro do PayPal, que eram cerca de 360 dólares. E eu ainda tinha a dívida do aluguel de 550 dólares e que em algumas semanas poderia ir para 1100 dólares.

O dono do imóvel não parecia nem um pouco disposto em ficar mais um mês sem receber o aluguel adiantado. Mas eu não iria conseguir nem pagar o mês que eu morei, que dirá o mês adiantado. Aquilo estava me preocupando, e eu lembrei que ele tinha me contado uma história, assim que eu cheguei, antes mesmo do problema com o aluguel, de um inquilino que estava alugando um quarto e por algum motivo ele implicou com o cara, não foi por falta de dinheiro, foi alguma coisa que o cara falou, e ele colocou as coisas do cara para fora do apartamento e trocou as fechaduras. E eu as vezes lembrava disso e pensava que qualquer dia eu ia chegar no apartamento e as minhas coisas estarem do lado de fora.

Nesses dias conheci uma vizinha ao voltar do trabalho, e vou relatar a história dela rapidamente para vocês verem que existem vários doidos pelo mundo que também fazem isso que eu fiz, ela ganhou uma bolsa de intercambio e morou dois anos na Irlanda, depois que voltou para o Brasil, ficou uns meses e juntou uns 1000 dólares e decidiu ir para Orlando. Por indicação de uma conhecida que já morava lá. Ela tinha um blog que relatava suas aventuras e um curso meia-boca de jornalismo, e postava nesse blog textos e vídeos das cidades e coisas que ela ia passando.

[Image: depositphotos_49239891-stock-photo-touri...street.jpg]

Aconteceu que depois de uns meses, o dinheiro dela acabou e ela também não estava conseguindo pagar o aluguel, devido a dificuldade de conseguir dinheiro e trabalho, e ela acabou sendo despejada e foi morar ali perto de onde eu morava de favor na casa da amiga. Trocamos contatos, eu passava dicas de emprego pra ela e ela me mandava sempre que achava algo também. Ela tentou arrumar trabalho em tudo que era lugar, mas todos os lugares ilegais já estavam cheios. Ela estava tão desesperada que estava tentando trabalhar em qualquer coisa que aparecesse. A família mandava todo mês uns 200 dólares para ajudar ela. E ela arrumou um emprego de motorista, 12 horas por dia, todos os dias, que tirava cerca de 250 dólares por mês, pois era só comissão e ainda tinha que dividir o valor com o dono do veiculo.

Como estava sobrando mão de obra ilegal, todo mundo começou a abaixar os salários dos empregos clandestinos. E mesmo assim tinha vários disputando as vagas, não parava de chegar gente naquela cidade. Por isso, se forem com pouco dinheiro, escolham bem a cidade antes.

Eu queria continuar nas vendas, pois com o tempo eu ia pegar o jeito e começar a vender bem, mas eu não tinha dinheiro para me manter lá até passar esse período de aprendizado e também de vendas fracas, que os experientes falavam que ia durar mais umas 6 semanas ainda, quando ia começar o turismo dos americanos. Então eu e outro vendedor que fiz amizade, o Felipe, decidimos ir para qualquer outro trabalho que pagasse um salário suficiente para pagar as contas, ele não precisava de dinheiro, porque morava em uma casa própria e já tinha carro, tudo da família, mas ele queria juntar dinheiro pra pagar a passagem pra namorada ir morar com ele lá e a família não queria ajudar, eu ainda não sabia mas essa namorada do Felipe iria afundar totalmente o meu futuro negócio. Pegamos a lista que consegui, que continha o telefone de diversos mestres de obra, e ligamos para todos, não tinha vaga em nenhum trabalho e todos diziam a mesma coisa, que até tinha serviço, mas que já tinha muita gente na fila caso alguém fosse sair.

Fui na igreja em outro sábado falei com os irmãos, que me passaram outra lista grande com diversas pessoas da construção civil, ligamos para todos, mas não conseguimos nada. Fomos nas lojas de brasileiros que aceitavam ilegais, mas eles diziam que o turismo de brasileiros estava muito fraco e que além de não contratarem, elas estavam demitindo funcionários.

Até que chegou um momento que eu fiquei com 5 dólares na carteira para usar e viver nos EUA.

[Image: american-five-dollar-bill.jpg]

Nesse dia eu estava desanimado e abatido, mas me esforçando para vender, aí eu parei e vi que se continuasse assim não iria sair do lugar, respirei fundo e me esforcei para mudar a minha postura, me automotivar e agir com energia, logo em seguida passou um ator da globo, aquele que fazia o Tuco na Grande Familia, parei ele dizendo que queria tirar um selfie, depois disse que ia dar um presente pra mulher dele, porque gostava muito dele, o que não era verdade, mas falei com energia e empolgação, levei ela para mais perto do kiosk e comecei a apresentar os produtos para ela e consegui fazer uma venda de 225 dólares. Fiquei com 56 dólares de comissão só com essa venda. O que me dava dinheiro para sobreviver por mais um tempo.

O engraçado é que a gente conhecia muita gente famosa lá também, tinha muitos atores e celebridades andando e comprando por lá.
Tinha dia que eu tirava 15 dólares, outros que eu tirava 30 dólares, 50 dólares, na época boa, teve um dia que cheguei a tirar 180 dólares, mas atualmente tinha dias eu não tirava nada. Era muito incerto esse serviço. E nessas ultimas semanas as vendas tinham caído muito no Outlet.

Tinha dois judeus e um venezuelano que parece que viviam em uma realidade paralela pois todo dia eles tiravam no mínimo 200 dólares de comissão, mesmo com a maioria sem conseguir vender quase nada. E eles ainda reclamavam que tava fraco de vendas porque normalmente eles faziam muito mais. Teve um dia que o Yaron fez uma venda de 6 mil dólares para uma família canadense, ele tirou 2 mil dólares de comissão, ele definitivamente era um Killer. Eu com uma venda dessa, só com uma, consegueria me manter tranquilo por 3 meses. E fundamentar o meu negócio. Mas cada um se vira como pode, como eu estava com dificuldade em vender presencialmente, eu comecei a  investir na internet.

Eu não tinha contado para ninguém das vendas que tinha feito pelo Ebay, pois se isso fosse proibido, eles saberiam que eu estava vendendo e eu poderia ficar com problemas no trabalho, e se fosse permitido, todo mundo ia querer vender também e eu sairia perdendo. De qualquer jeito, eu sairia perdendo se eles soubessem. Fiquei calado, até que eu tive uma ideia, chamei o Felipe, pois ele era confiável e ele tinha vindo com dinheiro do Brasil, contei todo o esquema que eu fiz na internet. Propus de sermos sócios, ele entrar com todo o dinheiro e eu com o conhecimento de anúncios e publicações e dividiríamos o lucro em 50% para cada. E eu pagaria a minha parte do custo com o lucro das vendas, expliquei sobre o dinheiro preso no Ebay e que eu ainda não sabia como resolver isso. Ele topou mesmo assim e recoloquei os anúncios para vender na internet, e por exigência dele, cadastramos em uma conta do Paypal que estava no nome dele.

As vendas na internet recomeçaram fracas pois não tínhamos reputação ainda. Mas foram aumentando aos poucos. Eu sabia que não podia contar com esse dinheiro nos próximos 20 dias que era o tempo que demorava para o Ebay liberar totalmente o dinheiro e depois dessa data ainda precisávamos ver como conseguir retirar esse dinheiro do PayPal.

Poucos dias depois um irmão da igreja me ligou avisando que conseguiu um trabalho na construção civil para mim. Fiquei pensativo, eu queria continuar nas vendas, mas do jeito que as coisas estavam indo, eu seria despejado da minha casa a qualquer momento. E na construção eu iria ganhar pouco, mas era um salário certo, eu detesto salário fechado, eu gosto de ganhar por produção, algo que tenha escalabilidade, algo que dê para crescer, mas eu estava sem muitas opções. Decidi ouvir a proposta do construtor.

E eu começaria uma nova fase na minha jornada, totalmente diferente do que eu tinha passado até agora.

Continua em breve.
“A honra, a integridade e a verdade precisam ser guardadas, custe o que custar ao próprio eu.” Obreiros Evangélicos, pág. 447
Responda-o
#50
Essa é a diferença de um país de primeiro mundo para isso que chamamos de "em desenvolvimento".

No aguardo das demais partes.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#51
(21-10-2016, 07:11 PM)mentefantastica Escreveu: Ri demais da parte da bicicleta furando o pneu (sempre vem uma merda pra piorar as coisas)
Mas achei foda a reação do patrão de dar uma nova e melhor. Qual patrão hj no Brasil faria isso? Provavelmente ia mandar se virar ou ir a pé.

A fugitiva já até imaginava que seria furada antes de ler, só de ver a postura obsessiva religiosa dela.
Aguardando os próximos capítulos.

É.
Patrão honrado! 

Vou ler a 4 parte!
Responda-o
#52
Que relato sensacional!

Cada parte me fascina mais...
Responda-o
#53
Tô curioso com a questão do Ebay..
Vc tá nos States ainda?
Responda-o
#54
Acompanhando aqui!
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#55
Voltando aqui pra marcar.
Em cidades como Massachusetts e Vegas tem muitas vagas de emprego pros "ilegais", mas isso varia de cidade pra cidade. Fico no aguardo dos próximos capítulos.
Chaotic Mind - Benji Chasin
Responda-o
#56
Vou falar um pouco sobre o dono do apartamento, a história que ele me contou foi a seguinte, ele chegou na Califórnia há 30 anos atrás sem dinheiro algum também, chegou a dormir de favor em um sofá estragado no porão de uma casa por uns meses, até ser expulso pelos filhos da mulher que o acolheu. Passou por muitas coisas difíceis, aprendeu inglês com dificuldade, alguns anos depois, ele encontrou o amor da vida dele, uma brasileira ilegal, se casaram.

BRASILEIRA  Big Grin

O caras fogem daqui e abraçam uma a milhares de km de distância. Se o sujeito está longe escolha outra...

[Image: Steve-Carell-Facepalm.gif]
Anuncie aqui!!!
Responda-o
#57
Mineirinho adora quando um estrangeiro arruma uma brasileira. Ele tem espasmos de alegria! (mas no caso o cara é brasileiro mesmo... brasileiro burro, sai daqui do brasil pra morar em outro país e conhece uma brasileira e junta.. esse é burro)
Responda-o
#58
Realmente, é uma idiotice sem tamanho um brasileiro ir pro EUA, e casar com uma brasileira. Só empata em burrice com um gringo casando com brasileira.
Esforça-te, pois, e sê homem. (1 Reis 2.2)

Responda-o
#59
Muito Bom.
Aguardando a continuaçao...
Responda-o
#60
Excelente relato e uma puta lição de vida, Libertador!

Passastes por cada perrengue que eu nem imaginava. Espero fazer uma edição bem feita no podcast, para postar aqui também.

Aguardando a continuação[2], pois a última notícia que tive sua, lá, foi justamente a busca pelo emprego na construção civil.
"A maior maldição que pode se abater sobre uma criança é mãe piranha e pai covarde. Daí advém todo o declínio do Ocidente."
Palhaço, Canal Brasileirinhos.
Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
  Aventura no Estados Unidos da América com o Coronavírus wellcome 17 825 29-06-2020, 08:03 PM
Última Postagem: wellcome
Big Grin [RELATO] Loucuras do Libertador - O Teste Físico Libertador 94 17,958 20-11-2019, 01:46 AM
Última Postagem: Neo Solid

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 37 Visitante(s)