Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Como ganhar dinheiro mesmo sendo pobre
#1
A fórmula é simples, porém trabalhosa.

A principal dificuldade em ganhar dinheiro e enriquecer é que você tem de ter um dinheiro de reserva para criar aquilo que é chamado de "renda passiva", que é a renda que continua crescendo sem que a pessoa tenha de trabalhar.  

Isso significa que, para enriquecer, você tem de juntar um capital que seja suficiente para ser investido e tenha rendimento.

E, para obter esse capital, não há mágica: você tem de criar valor; você tem de ter uma atividade diária que seja valorizada e voluntariamente consumida por pessoas.

Logo, duas conclusões: 1) você tem de trabalhar em algo que seja valorizado e demandado por consumidores. Só assim você conseguirá acumular algum dinheiro;

2) se a taxa básica de juros vigente em seu país for alta, melhor para você, pois seu dinheiro aplicado renderá mais.

Pessoas pobres permanecem pobres por três razões. 

A primeira é que sua mão-de-obra é tão simples, que a demanda por ela não é alta. Uma mão-de-obra ganha valor de acordo com sua escassez e sua qualidade. Trabalhadores de redes fast food ou caixas de supermercado e padaria simplesmente não são uma mão-de-obra escassa. Isso faz com que seus contracheques sejam baixos.

A segunda razão é que as pessoas pobres que têm uma renda mais maleável — ou seja, uma renda que não está totalmente comprometida com despesas fixas e essenciais — têm de saber escolher entre várias opções. 

Entre as pessoas ricas, alguns vícios — como uísque importado — podem ser considerados meras excentricidades, uma vez que esses vícios, na maioria dos casos, não causam a ruína de suas circunstâncias presentes e futuras. Já entre os pobres, os vícios — dentre os quais os mais comuns são cigarros e bebidas — consomem um dinheiro que, em outras circunstâncias, poderia ser utilizado para aplicações financeiras, as quais formariam aquele colchão necessário para criar a renda passiva.  

Uma pessoa que não controla seus vícios e que por isso vive exclusivamente de salário a salário é uma pessoa que, em vez de estar se esforçando para controlar seu próprio destino, está com o seu destino controlado pelo mercado de trabalho.

A terceira razão é que, sem que tenham nenhuma culpa por isso, as pessoas pobres possuem acesso apenas a uma fatia muito limitada da economia — que é aquela que está fisicamente próxima deles. Vários pobres (embora cada vez menos) continuam sem acesso à internet, a qual é hoje a maior força-motriz por trás da acumulação de riqueza.  Aliás, vários pobres nem sequer têm acesso a uma livraria ou até mesmo a uma boa educação.

Com esses três fatores combinados, as pessoas pobres muito provavelmente continuarão pobres. E o comportamento agregado de indivíduos no mercado mostra que isso é verdade. Histórias de sucesso continuam sendo a exceção. Sendo assim, torna-se fácil acreditar que as pessoas pobres não têm nenhuma outra escolha senão continuarem pobres.  

Este artigo é uma tentativa de mostrar que tal argumento não procede, e também de mostrar como a pobreza pode ser superada por meio da compreensão das forças naturais do mercado.

Simples, porém trabalhoso

Para remediar o primeiro problema da pobreza — a mão-de-obra de uma pessoa pobre não ser escassa —, é necessário adquirir educação. O indivíduo tem de saber tornar sua mão-de-obra qualificada e demandada. 

Isso pode ser feito tanto por meio do autodidatismo quanto por meio da educação em uma escola técnica. Aprender as técnicas de um trabalho específico, como fazer aulas técnicas em um sábado à tarde para adquirir um certificado de operador de empilhadeiras, é um esforço que, embora sobrecarregue o indivíduo temporariamente e até mesmo aumente seus gastos, poderá lhe trazer uma maior acumulação de riqueza no longo prazo. 

Não basta apenas olhar o salário do final do mês para determinar o que pode e o que não pode ser comprado. Qualquer planejamento para o futuro tem de ser feito com o intuito de ganhar o máximo de dinheiro possível. Isso significa que o indivíduo terá de poupar dinheiro para fazer essa especialização. Logo, ele não poderá gastar seu pouco dinheiro comprando cigarros, cerveja ou comendo uma comida mais cara. Sacrifícios serão necessários no curto prazo, o que inclui não ter TV a cabo ou serviços de streaming.  

Pessoas que sobrevivem de salário a salário deveriam economizar o máximo possível a cada semana. Após um ano de poupança extrema, uma pessoa que trabalha em troca de salário mínimo já terá algumas economias. Se as taxas básicas de juros do país estiverem altas, tanto melhor: suas aplicações irão render mais, e sua poupança será menos sacrificante. A partir daí, não será difícil investir esse dinheiro em cursos técnicos que lhes deem um certificado. 

Em países em que tais cursos são subsidiados ou mesmo "gratuitos", não há nenhuma desculpa para não fazer isso. Com esforço e dedicação, um jovem pobre pode se tornar um grande mecânico de automóveis, um serviço para o qual sempre haverá demanda.

No pior dos cenários, que é aquele em que uma pessoa pobre não possui meios de transporte para se locomover até o local do curso técnico — quando, por exemplo, as tarifas de ônibus são caras, ou nem sequer há ônibus —, uma bicicleta terá de ser adquirida. Daí a importância ainda maior da poupança. Trata-se de um gasto que na verdade é um investimento.

Inversamente, os dois vícios mencionados — cigarros e álcool — não acrescentam absolutamente nada à riqueza de um indivíduo. Ao contrário, são gastos que representam uma contínua subtração de sua riqueza, principalmente no mundo atual, em que os preços desses bens só fazem crescer à medida que os governos vão elevando os impostos que incidem sobre esses itens. Cortar a cervejinha pode ser algo bem sacrificante em termos de prazer pessoal; mas, quando se considera que a escolha é entre um momento de prazer ou uma vida bem-sucedida, a opção deveria ser bem clara.

O terceiro problema, que é o das oportunidades de acordo com a localização do indivíduo, também terá de ser resolvido por meio da poupança. Computadores e até mesmo laptops terão de ser adquiridos; e podem ser adquiridos no mercado de usados por preços bem em conta. Ter um computador ou um laptop pode parecer uma despesa incrível para alguém que ganha salário mínimo; mas, de novo, com planejamento, poupança, sacrifícios e corte de gastos inúteis, é algo totalmente viável. Não é fácil, mas é totalmente factível. No mundo atual, ter um computador é quase obrigatório.

Uma pessoa que não tenha acesso à internet em casa poderá ter de ir a uma fonte que forneça internet, como uma biblioteca. Ou, no extremo, comprar um plano básico de celular e fazer hotspot. Daí a necessidade de mais poupança.  

A questão então passa a ser a seguinte: tendo investido em uma bicicleta ou em um computador, o que o indivíduo terá de fazer para enriquecer? Com um computador, os serviços mais demandados (e, por isso, os mais escassos) envolvem programação. Livros sobre programação de computadores, muito embora nem sempre estejam totalmente atualizados, podem ser encontrados em bibliotecas públicas. Vários deles, como Visual Basic para iniciantes, vêm com DVDs que podem ser utilizados como ferramenta de auxílio. 

O próprio YouTube possui vídeos que ensinam vários tipos de programação de computador. E, procurando com paciência, a internet fornece vários .pdfs gratuitos de apostilas de programação. Com dedicação e paciência, qualquer um pode se tornar um webmaster.

Com efeito, a difusão da tecnologia já concede acesso a inúmeras informações a custos cada vez menores. Hoje temos vários programas gratuitos de aprendizagem via internet (como por exemplo a Khan Academy). Basta entrar na internet, fazer o download do material curricular e seguir as instruções.

Consequentemente, não é impossível que um sujeito que trabalha em alguma rede de fast food ou que é caixa de padaria, e que hoje não tem nem meio de transporte e nem computador, possa por meio desses sacrifícios e esforços subir na vida. Ele pode não virar um milionário, mas sem dúvida sua renda irá aumentar substantivamente.

Um grande problema ao qual todos estão sujeitos é que essa renda que momentaneamente parece ser contínua e suficiente pode repentinamente sumir. Trabalhadores podem ser demitidos. Empresas podem falir. O mercado pode simplesmente tornar algumas profissões obsoletas. Em algum momento no futuro, pode até ser possível que computadores se programem sozinhos de acordo com um arranjo de preferências pré-determinadas. Aquele indivíduo ou aquela família que até então estava confortável em uma profissão repentinamente descobre que sua renda voltou a correr risco.

O que fazer?

O objetivo supremo de ganhar dinheiro é ganhar dinheiro o suficiente para que investi-lo se torne uma vocação. Isso irá fornecer uma vida com mais segurança e mais certezas. Investidores podem controlar aquilo em que investem. Tanto o sucesso quanto o fracasso são determinados pelas escolhas que fazem. Isso é o oposto de ter de seguir ordens de um patrão, que é quem decide por conta própria se o empreendimento no qual você trabalha irá fracassar ou ser bem-sucedido. 

Por isso, o objetivo da independência vocacional deveria ser óbvio: você começa sendo um assalariado, mas deve utilizar o dinheiro para se qualificar continuamente, até se tornar um empreendedor autônomo. Hoje, com a internet, você tem acesso a praticamente qualquer livro-texto ou vídeo técnico que queira. Tendo um meio de locomoção — uma bicicleta ou até mesmo um carro simples e usado, que já deixou de ser caro há muito tempo —, sua esfera de influência econômica se estende para muito além de sua residência. É assim que você começará a realmente ganhar dinheiro.

Após adquirir uma renda contínua e confiável, e com os vícios controlados, é possível poupar cada vez mais dinheiro, o que permitirá um colchão que traga alguma tranquilidade.

Visto por esse prisma, aquele senso comum que diz que devemos "trabalhar para ganhar dinheiro para sobreviver" é somente parte da solução. Mais especificamente, é a primeira parte da solução. O objetivo supremo é "trabalhar para ganhar dinheiro para que, então, você possa ser autônomo ou trabalhar em troca de um salário ainda maior".

Para concluir

Se você mora em um país que oferece cursos técnicos gratuitos, cujas taxas de juros são relativamente altas, e você tem acesso à internet, não há desculpas para não ganhar dinheiro. Você pode não ficar milionário, mas pode perfeitamente deixar de ser pobre. O processo é simples, mas muito trabalhoso. Exige sacrifício e dedicação. Mas qualquer um pode fazê-lo.

https://mises.org.br/article/1981/como-g...endo-pobre
Tudo oque te resta é o desenvolvimento pessoal.

Responda-o
#2
Nascer com uma buceta também ajuda. E muito. Aliás, talvez seja a forma mais fácil de ascender na vida, para as que são espertas. Não que seja uma esperteza diferencial, é porque existem muitos trouxas proporcionando benefícios incalculáveis, muitas vezes providos em lei, de dar inveja à Cleópatra.

Mas isso não é opcional, é a roleta russa do DNA e da vida. Nasceu sem perereca, e pior, pobre e fodido, vai ter que ralar e muito.

Quem começa por baixo e joga no hard tem que aprender a ser low profile em tudo, andar pelas sombras, gastar com o básico e se desviar de problemas o máximo possível. Gastar o tempo com coisas que visem o crescimento profissional e galgar cargos ou empreender, coisa que para quem não tem merda nenhuma é até interessante.
Basta que o almejado ideal aconteça todos os dias para que a sonhada perfeição desapareça. 
Responda-o
#3
Outro ponto interessante a se notar, dois na verdade, é que, primeiro, percebo como a classe média do país está cada vez mais e mais nivelada com os pobres, a nossa classe média parece cada vez mais estúpida e inerte, e esta perdendo poder de compra sem nem sequer perceber, o pobre permanece com um poder de compra relativamente igual devido aos auxilios, a classe média, não, e os ricos vão ficando mais ricos.

No futuro, acho que a classe média será cada vez mais aproximada do pobre, e ambos se distanciarão cada vez mais do rico, e a classe média alta se aproximará dos ricos, levantando assim um verdadeiro sistema de castas.

O segundo ponto, é casar cedo, sem estabilidade financeira, eu acho que esse é outro fator que fode bastante a vida financeira das pessoas, especialmente os pobres, que tendem a fazer isso. Então, eles vem com aquele velho argumento que sendo dois, se ajudam e a coisa anda, mas isso só é verdade quando se tem planejamento financeiro e não vem um filho no meio do caminho, que é o que geralmente acaba acontecendo, e ai, já era, é o famoso viver para trabalhar.

A parte mais difícil para quem é pobre ou classe média baixa, ou até mesmo média média, é começar, o dinheiro é exponencial tanto pra cima quanto pra baixo, se desde o inicio da vida souber juntar e investir, mesmo que pouco, logo começa a fazer uma bola de neve, agora, se vai ser uma bola de neve de sucesso, ou de fracasso, vai depender do bom senso de cada um.
Responda-o
#4
Vindo nesse tópico esperando a foto do lote pra carpir.

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
#5
[Image: joseph_carpindo.jpg]
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#6
Muito bonito o texto mas é só um texto escrito por alguém que não sabe o que diz.

Operador de empilhadeira ? É zueira só pode, demonstra a falta de conhecimento da realidade do cara.

Poderia ser operador de escavadeira hidráulica, máquina agrícola, entre outros, mas empilhadeira foi forte.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#7
(09-08-2021, 09:35 PM)Bean Escreveu: Muito bonito o texto mas é só um texto escrito por alguém que não sabe o que diz.

Operador de empilhadeira ? É zueira só pode, demonstra a falta de conhecimento da realidade do cara.

Poderia ser operador de escavadeira hidráulica, máquina agrícola, entre outros, mas empilhadeira foi forte.

Não foi, depois que terminei minha epopéia jurídica voltei pra São Paulo, estava no mercado e tinha um funcionário reclamando que gannhava só 1.800, que na outra empresa ganhava mais e a cesta básica devia ser melhor por se tratar de um hipermercado, daí ele foi embora eu perguntei pra atendente:
- Nossa ele trabalha no mercado e esta reclamando de ganhar 1.800?
Ela respondeu:
- Ele não é caixa, é operador de empilhadeira!
.
Fique curioso e fui pesquisar vagas, esta baixo mesmo, imagina se voce mora com os pais, não tem dívidas e ganha a média que é 2.500, sendo esperto o céu é o limite pra ele no futuro.
.
Outro exemplo legal, meu começo do curso foi pelo prouni, então voce tem que levar a carteira dos pais, daí la tinha no ultimo registro do meu pai o salário dele de quando entrou, 1.880 SÓ QUE ELE ENTROU NA EMPRESA EM 1998!!! Ele fazia um monte de horas extras, pegava turno da madrugada pra adicional, e dirigia a linha especial que levava a torcida organizada pro Morumbi pra ter adicional tb, esqueci de dizer ELE ERA MOTORISTA DE ONIBUS!!
Entra no site da FGV e procura por calculadora cidadão e olha quanto esse valor da hoje em dia.
Responda-o
#8
Dólar em baixa, real em alta, vai que.

[Image: gBqEFXmn]

E tem mais, o índice crb - cesta de commodities - está subindo o morro desde janeiro ...

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
#9
Continuando sobre eleição.

Eis algo que pode custar caro nas urnas, se nada for feito ...







Se priorizou o auxílio br, e pouco a correção de uma injustiça tributária, fiscal, que perdura desde 2015.



E sim, tem reformas entregues (da prev. ok), mas a admin. por exemplo, está engavetada no congresso, não vai ser útil em matérias eleitorais.



De modo parecido, outra iniciativa corretíssima que foi a retomada de concessões como o marco do gás e do saneamento... e os planos de privatizações (Ceitec, Liquigas e BRD, por ex.), onde leva tempo pra ligar essas ações ao cenário atual, por exemplo, de melhora nas contas públicas.



E sobretudo, por que a correção da tabela do irpf foi item de campanha em 2018, e vai ser cobrado nos palanques e debates - e também debates nas redes.

[Image: image.png]

Por isso, postando e relembrando aqui, que não tem defesa disso e que é algo a ser ponderado.

O que é certo tem que ser cobrado e lembrado, sempre, senão esse país não vai pra frente.

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
#10
Show.

- Pib em 2022 em recuperação.
- Queda no desemprego pelo terceiro trimestre seguido, com índice melhor que o de 2015.
- Elevação no percentual de empregados com cLt, a maior desde 2012.
- Privatização em curso da Eletrobras.
E foi já metade de 2022.


Sem contar na valorização - recuperação - do BRL frente ao US dollar...
Fontes opressoras... no spoiler..

De pouco a pouco, o Brasil vai se aprumando, até outubro deve estar MAIS DIREITO, nesse passo.

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
  Como ganhar dinheiro sendo poliglota? Machado Annihilator 7 5,488 18-09-2016, 10:16 PM
Última Postagem: Sociólogo

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 2 Visitante(s)