Avaliação do Tópico:
  • 1 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Os 4 Cavaleiros da Pobreza
#1
Exclamation 
- Começo este tópico com esta observação categórica do confrade Chris Kyle.


Chris Kyle Escreveu: Escreveu:Pior que todo mundo deve conhecer várias pessoas que gastam mais do que ganham e mesmo depois que ganham um salário maior, continuam gastando mais do que ganham...inclusive com familiares...

Minha teoria é que tem gente que nasce para ser pobre e outros para serem ricos, enquanto pobre pensa que "dinheiro é pra gastar", o rico pensa que "dinheiro é para fazer mais dinheiro"...simples assim...O Low Profile do Rover é muito bom, tirando a parte de carros que eu gosto, o resto sou totalmente Low Profile, ninguém sabe quanto ganho, nem quanto gasto, nem mesmo familiares e com isso ninguém acha que tu tá bem (já que a sociedade vive de momento, se tu tem 100 mil R$ na conta para investir em renda fixa, tu é um otário, mas se tu tem um Corolla zero de 80 mil R$ e não tem um centavo nem para abastecer o carro, tu é o mais foda de todos)....

- Minha resposta na citação abaixo.
Citação:- Categoricamente, bem observado. 

- Isto é visto no mundo das finanças como a 'Psicologia do Consumo', um dos 4 cavaleiros da pobreza. O bom brasileiro gastador que se preze, prefere manter o status ao invés de usar o seu dinheiro de forma produtiva.

- E quando um vai contra a maré, é taxado de otário e tudo mais. Paciência, eles na pobreza por lá, e eu na minha construção da Liberdade Financeira, aqui.


Este comentário me incentivou a criar este novo tópico: Os 4 Cavaleiros da Pobreza.

No mundo das finanças, este cavaleiros são bem conhecidos. Vou descrever os mesmos.


1º Cavaleiro: Psicologia do consumo

- Esta situação em si é o que a mídia impõe a você. Vou citar alguns exemplos.

Primeiro Exemplo: Propagandas de suplementos! Por exemplo, o Whey Protein: Quantas vezes você viu atletas super musculosos induzindo você e sua mente a comprar este determinado produto, que você ficará tão forte quanto eles? Muitas vezes! Ainda mais quem é inexperiente no assunto.

Segundo Exemplo: Carros! Quantos inúmeros comerciais já induziram você a trocar o seu novo carro por um mais novo sem necessidade de trocá-lo? Vou citar um video exemplo de psicologia de persuasão.

https://www.youtube.com/watch?v=vJOi-JDgi2E

Nota: Neste comercial em particular, ele induz você da seguinte maneira. Tradução: “Adquira este carro, você será tão forte e temido quanto os lutadores do UFC”.

Terceiro Exemplo: Dias festivos como o Dia dos Namorados! É outro exemplo de consumo. Principalmente contra o homem. Tradução: “Compre isto para sua namorada, ou vai se dá mal e perde-la”. Nota: Aposto que muitos aqui já se ferraram bonito por não fazer nada de especial ou presenteá-la nesta data.

Conclusão: Esta é a psicologia do consumo. Fazer você adquirir objetos sem realmente precisar dos mesmos.

2º Cavaleiro: Evolução cultural e biológica

- Nos tempos remotos de nossa evolução humana, o homem primitivo tinha em seu subconsciente, o que pode ser chamado de Pulso de Gratificação, eles caçavam e rapidamente consumiam a caça. Nos tempos primitivos, não tinham como armazenar os alimentos. Por esta situação o cérebro criou esta defesa através do Impulso de Gratificação Instantânea para se defender e preservar. Naqueles tempos, não podia prever qual era a próxima refeição. Este pulso era um mecanismo de defesa cerebral.

- O que quero dizer com esta pequena história? 

- Agora com a modernidade, temos geladeiras, supermercados entre outros que facilitam nosso dia-a-dia. Desta forma, hoje podemos estocar alimentos ou compra-los prontos.

- Hoje este famoso pulso ainda está ativo sobre nós, o mesmo se dirigiu para outras áreas de nossas vidas. Ele ainda está ativo sobre nós, só que este mecanismo de defesa buscou outras maneiras de satisfação. O Gasto Compulsivo é uma delas. O impulso de gastar imediatamente o salário para alimentar este mecanismo cerebral.

Primeiro exemplo: Aqueles que ganham a loteria e torram seu dinheiro quase que de imediato, voltando à pobreza.

Segundo exemplo: A mulherada em shoppings torrando o cartão de crédito em compras desnecessárias, acumulando dividas. Para satisfazer este mesmo pulso de gratificação.

3º Cavaleiro: Ambiente familiar

- Este ponto é bem delicado. Acredito que muitos de nós aqui no Fórum, viemos de famílias sem nenhum conhecimento adequado em relação ao dinheiro. O dinheiro não é para ser amado ou odiado, ele é apenas uma ferramenta. Quando bem utilizado, trará benefícios abundantes.

- Muito de nós desde a infância, viemos com o conceito errado sobre o dinheiro, e de como administrá-lo. Que o mesmo trás discórdias e brigas. Quantos de vocês não devem ter ouvido a seguinte frase dos seus pais “O chefe é uma mala”, “O dinheiro é sujo” entre outras negatividades? Pois é! Este é o costume de muitas famílias a respeito do dinheiro. Crescemos e enraizamos estas negatividades e posteriormente (se não tomarmos cuidado) passaremos aos nossos filhos, também.

OBS: Se você quiser conhecer mais esta postura e como se defender dela, recomendo fortemente a leitura do Livro “Os Segredos da Mente Milionária”. A primeira parte do livro irá elucidar bastante suas dúvidas.

4º Cavaleiro: Hábitos

- Há pessoas que possuem hábitos de riqueza e outras de pobreza. Mais uma vez, recomendo o mesmo livro citado no 3º cavaleiro. A segunda parte da obra esclarecerá bem suas dúvidas.

- Pessoas que tem mentalidade de pobreza, nunca estão abertas a oportunidades. Para elas o dinheiro é feito exclusivamente para gastar. Estes hábitos são até em consequência vindos do 3º cavaleiro.

- Você já deve ter ouvido esta célebre frase: “Posso ter uma coisa ou outra, não se pode ter tudo”. Sinceramente, esta frase me irrita profundamente. A pessoa sabe (de certa forma) suas limitações, porém não busca conhecimento para melhorar e mudar. A mesma não tem estratégias, entusiasmo ou perspectiva de se desenvolver, prefere ficar no “conforto” da situação atual.

Conclusão final: Busque conhecimento financeiro, estude e estude. Se blinde contra estas 4 situações negativas. Você só tem a ganhar.

OBS: Na verdade, são 5 cavaleiros, o último é meio complexo. Caso este tópico tenha feedbacks construtivos e interessados, depois posso criar um post só para 5º cavaleiro.
Responda-o
#2
Opa confrade, marcando pra ler depois. São esses tópicos importantes que ficam no esquecimento aqui. Ta bom dessa galera esquecer PUA e se focar no que faz a diferença.

Enviado de meu XT1033 usando Tapatalk
Responda-o
#3
Muito bom!
Responda-o
#4
(29-10-2015, 04:31 PM)Fëanor Escreveu: Opa confrade, marcando pra ler depois. São esses tópicos importantes que ficam no esquecimento aqui. Ta bom dessa galera esquecer PUA e se focar no que faz a diferença.

Enviado de meu XT1033 usando Tapatalk

- Tenho me concentrado em tópicos para desenvolvimento. Ainda falta muito para que os meus textos alcancem um nível de qualidade dos Olds do fórum, estou trabalhando para chegar lá. Estou aqui também para ajudar e aprender. 

- Uma frase que me influenciou bastante foi do confrade Azorth: "A Real me deu muito e estou aqui pagando de volta".

(29-10-2015, 05:05 PM)destruidor Escreveu: Muito bom!

- Agradeço o elogio.
Responda-o
#5
Eu comecei pelo 4º mas to voltando aqui pra ler.

Muito bom.
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#6
Ótimo tópico mesmo.

Economia deveria ser no mínimo ensinado desde criança nos colégios, mas isso automaticamente iria ir contra o consumismo e fazer várias empresas quebrarem, pois ninguém ia ser otário de pagar quase 40 mil R$ num carro 1.0 que vende no Brasil (e só é o mais vendido todos os meses, chega a ser lamentável)...

Fora que as pessoas no geral não analisam o preço da coisa e sim "a parcela". Muita gente descobriu na marra como funciona a economia nessa crise esse ano, descobriram o significado de inflação e tudo mais, pois as pessoas esquecem que a parcela que compromete parte do salário hoje, irá comprometer mais ainda no futuro, pois tudo aumenta de preço e raramente o salário acompanha (ou o salário de alguém aumentou mais de 50% como fizeram com a luz esse ano) e assim vai indo...fora a questão de moda que citei, tem gente que tem um carro/celular/etc...bom e troca porque o vizinho/amigo/parente trocou, e aí continua o ciclo infinitamente...
Responda-o
#7
(05-11-2015, 09:19 AM)Chris Kyle Escreveu: Ótimo tópico mesmo.

Economia deveria ser no mínimo ensinado desde criança nos colégios, mas isso automaticamente iria ir contra o consumismo e fazer várias empresas quebrarem, pois ninguém ia ser otário de pagar quase 40 mil R$ num carro 1.0 que vende no Brasil (e só é o mais vendido todos os meses, chega a ser lamentável)...

Fora que as pessoas no geral não analisam o preço da coisa e sim "a parcela". Muita gente descobriu na marra como funciona a economia nessa crise esse ano, descobriram o significado de inflação e tudo mais, pois as pessoas esquecem que a parcela que compromete parte do salário hoje, irá comprometer mais ainda no futuro, pois tudo aumenta de preço e raramente o salário acompanha (ou o salário de alguém aumentou mais de 50% como fizeram com a luz esse ano) e assim vai indo...fora a questão de moda que citei, tem gente que tem um carro/celular/etc...bom e troca porque o vizinho/amigo/parente trocou, e aí continua o ciclo infinitamente...

- A 'Psicologia do Consumo' só não afeta aqueles que são frugais. Gastam com muito gosto no prazeres pessoais, e ao mesmo tempo são bem rígidos com gastos supérfluos.

- Um exemplo: No Brasil se tem uma péssima mania das montadoras venderem carros como se fossem água no verão. O cara mal compra um carro e poucos meses depois, incentivam a trocá-lo pelo ano atual. As diferenças de um carro para o outro são mínimas na maioria dos casos. Desse jeito quem vai quebrar é o cara. rs

Cara comum: Compra e depois logo em seguida quer trocá-lo para manter o "status".

Cara frugal: Compra o carro com muito gosto, e só vai adquirir um outro, se for necessário. Pensando e analisando como será a compra e seus benefícios.

- Esta situação beneficiaria a baixa dos preços. No Brasil o cara compra um carro popular incompleto com um preço acima de 40mil é ostentação. Esse tipo de veículo lá fora não é nem considerado carro.

- Ao meu ver, as empresas não faliriam, esta situação incentivariam o consumo inteligente com a queda dos preços. O Governo seria forçado a diminuir os impostos para fazer a economia girar. Entre vários exemplos. Mas, isto que acabei de citar aqui no Brasil é uma utopia. kkk 

- O livro "O Homem Mais Rico da Babilônia" é um exemplo de um povo que era bem instruído financeiramente. E a cidade foi a mais rica do seu tempo.
Responda-o
#8
(05-11-2015, 07:49 AM)Awaken Escreveu: Eu comecei pelo 4º mas to voltando aqui pra ler.

Muito bom.

- Valeu, confra. Agradeço o elogio.
Responda-o
#9
Divulguei até na Macho de Honra, mesmo isso tendo pouco retorno, quem ler vai gostar.

Mas sabe como é... se fosse uma publicação anti-feminista que não acrescentasse nada na vida de ninguém iria ter 50k de alcance e 30k likes.
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#10
Vai pro Canal!
Responda-o
#11
(05-11-2015, 07:08 PM)Awaken Escreveu: Divulguei até na Macho de Honra, mesmo isso tendo pouco retorno, quem ler vai gostar.

Mas sabe como é... se fosse uma publicação anti-feminazi que não acrescentasse nada na vida de ninguém iria ter 50k de alcance e 30k likes.

(06-11-2015, 07:10 AM)Barãozin Escreveu: Vai pro Canal!

- Agradeço, senhores.
Responda-o
#12
ótimo tópico, parabéns confrade.

Eu sou um completo ignorante em finanças. Tenho 3 empregos e não me sobra nada no fim do mes. Preciso aprender a me organizar.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#13
(28-03-2016, 10:53 AM)Hércules Escreveu: ótimo tópico, parabéns confrade.

Eu sou um completo ignorante em finanças. Tenho 3 empregos e não me sobra nada no fim do mes. Preciso aprender a me organizar.

Pode começar por esse:
http://lelivros.website/book/download-o-...obi-e-pdf/
Bode velho gosta de Capim Novo.
Responda-o
#14
Marcando pra ler com calma depois.
Responda-o
#15
Exclamation 
muito interessante,

vou me organizar pra ler o livro indicado.
Responda-o
#16
Ainda não tinha visto esse tópico. Muito bom.
Pedi, e vos será concedido; buscai, e encontrareis; batei, e a porta será aberta para vós.
Responda-o
#17
Confrades, recebi uma MP do Libertador essa semana, onde ele citou a possibilidade de que algum ou alguns dos artigos que retirei do PFL (meu blog que encerrei recentemente) poderiam ser postados aqui.

Eu sinceramente tenho receio de deixá-los aqui (explico o motivo de tirá-los do ar no artigo de despedida), apesar de que pode vir a ajudar e motivar muitas pessoas.

Portanto ofereço a vocês confrades, três artigos. 


A arte de ser Low Profile: Isso é algo que sempre vejo os confrades aqui e até no FdB comentando. Fico muito feliz em ver que muitos entenderam a mensagem, alguns não compreenderam direito, mas o artigo mudaria isso.

Como aproveitar oportunidades que surgem durante crises: O título do artigo é auto-explicativo. Quando tudo está na merda ou uma situação negativa ocorre, é possível tirar algo de bom dali e as vezes existem oportunidades. O assunto principal aqui é dinheiro mesmo e falo um pouco das experiências que tive com minha empresa, quando a água bateu na bunda.

Botar a mão na massa nunca valeu tanto a pena: Aqui falo sobre trabalho. Como o brasileiro adora ter status até ao trabalhar. Pra mim trabalhar é uma atividade feita para ganhar dinheiro. Não é para ser divertida, nem para ter status. E muitos brasileiros perseguem empregos que estão cada vez mais difíceis de conseguir, geralmente onde não vão ganhar bem, enquanto existem trabalhos que não exigem terno e gravata e nem proporcionam ar condicionado, mas pagam mais. O objetivo do trabalho é ganhar dinheiro e não aparecer.


Confrades e confrades moderas, por favor, deixem as suas opiniões, se querem que eu poste aqui esses artigos ou não. E caso a resposta seja positiva, me digam em qual parte do forum eles podem ser publicados, eu mesmo vou montá-los aqui do jeito que estavam no PFL. Eu estou de "férias" até o fim do fim de semana, mas preferia já posta-los até Sexta. Passarei o próximo mês e meio muito longe daqui, cuidando da vida.
Responda-o
#18
(29-03-2017, 02:14 PM)Mr. Rover Escreveu: Confrades, recebi uma MP do Libertador essa semana, onde ele citou a possibilidade de que algum ou alguns dos artigos que retirei do PFL (meu blog que encerrei recentemente) poderiam ser postados aqui.

[...]

Confrades e confrades moderas, por favor, deixem as suas opiniões, se querem que eu poste aqui esses artigos ou não. E caso a resposta seja positiva, me digam em qual parte do fórum eles podem ser publicados, eu mesmo vou montá-los aqui do jeito que estavam no PFL. Eu estou de "férias" até o fim do fim de semana, mas preferia já posta-los até Sexta. Passarei o próximo mês e meio muito longe daqui, cuidando da vida.

Eu acho muito importante você disponibilizar estes textos para os confrades, que como eu, estão buscando aprender o caminho das pedras para enriquecer nesta vida. O fórum não pode se limitar apenas a bons textos sobre relacionamentos, até porque a parte financeira é essencial para o desenvolvimento pessoal de um realista. Então, por isso, acho vital tópicos financeiros de alta qualidade feitos por realistas aqui no fórum.

O lugar correto para a postagem é justamente nesta seção: Desenvolvimento Financeiro.

Que bom que topou fazer essas postagens, estou no aguardo!
“A honra, a integridade e a verdade precisam ser guardadas, custe o que custar ao próprio eu.” Obreiros Evangélicos, pág. 447
Responda-o
#19
(29-03-2017, 07:41 PM)Libertador Escreveu: Eu acho muito importante você disponibilizar estes textos para os confrades, que como eu, estão buscando aprender o caminho das pedras para enriquecer nesta vida. O fórum não pode se limitar apenas a bons textos sobre relacionamentos, até porque a parte financeira é essencial para o desenvolvimento pessoal de um realista. Então, por isso, acho vital tópicos financeiros de alta qualidade feitos por realistas aqui no fórum.

O lugar correto para a postagem é justamente nesta seção: Desenvolvimento Financeiro.

Que bom que topou fazer essas postagens, estou no aguardo!


Mesmo o artigo sobre ser Low Profile? Acho que isso não se encaixa na área financeira. Os outros dois encaixam aqui. Não seria melhor eu postar esse artigo no forum principal e depois vocês movem para onde acharem melhor?

Bom, postarei os outros dois aqui. Aprendi bastante com a Real lá atrás e me sinto na obrigação de retribuir de alguma forma.
Responda-o
#20
A Psicologia do Consumo é bem forte e presente em nossa sociedade. É um fato que mulheres gostam desse 1ª cavaleiro da pobreza aí, elas gastam MUITO durante o mês, nunca se satisfazem com dinheiro algum.

Geralmente em guarda-roupas femininos se encontram uns 7 a 8 pares de sapatos. E roupa que não se acaba mais, e cosméticos e itens de beleza que não se acabam mais.

A indústria cosmética lucra bastante e sofre pouco com a crise econômica ( menos ainda do que lojas de roupa) por causa do consumismo feminino.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)