Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Criança interior
#1
Tive um padrasto que só me humilhava, maltratava e me martirizava e minha mãe narcisista era omissa a isso tudo algum confrade aqui já passou por isso, ou sente essa dor interna forte ?
Responda-o
#2
meu pai era assim quando eu era criança, me humilhava na frente de todo mundo, tratava minha irma como uma princesa, e eu so me fodia

sem contar que cresci vendo ele batendo na minha mae

só que ao mesmo tempo, na minha inocencia, meu pai é um cara bem sucedido, entao mesmo com isso eu admirava ele em partes

só que atraves da luta, eu me recompus, minha confiança e autoestima foi la em cima

e por meio de algumas brigas, eu coloquei ele no devido lugar

ate teve um dia que ele ameaçou com uma arma, eu desafiei ele atirar em mim se ele tivesse coragem

depois ele começou a me respeitar, as vezes ele me ouve (trabalho junto com ele)

nao sei o seu caso, mas voce tem que saber se impor, e atraves de suas atitudes mostrar pra ele que voce é um homem que aguenta porrada da vida

se caso carrega traumas, o que recomendo é procurar uma psicologa

fiz terapia por muito tempo, e ela me ajudou a lidar com esses problemas, principalmente em relaçao a minha mae, que é quebrar essa dependencia que nós homens carregamos de mae

caminho pra sair dessa tem, mas toda mudança causa incomodo, muitas bads, momentos de sofrencia

mas depois vale a pena, vai por mim

só depende de voce enfrentar tudo e engolir isso

hoje nao carrego magoas nenhuma do meu pai, só me resta ter compaixao dele

e respeito tambem, até porque se nao fosse ele, eu nao estaria aqui agora te dando um conselho

no mais, sempre recomendo aos confrades, procure a Deus, ele tem todas as respostas pra voce

abraço irmao
Quanto mais você estuda você mesmo, quanto mais você entende quem você é, mais confiante se tornará em sua capacidade de fazer seja lá o que você está fazendo
Responda-o
#3
Boa irmão, minha mãe separou dele tem 5 anos que bom ouvir sua superação tamo junto

Na vdd é ex padrasto
Responda-o
#4
Esse é um retrato dos lares desestruturados, dos rodízios de padrastos, uma surubagem de homens e mulheres desequilibrados sem a menor estrutura emocional para ter um filho, ainda usando eles como objeto de barganha.

Os filhos crescem com uma visão relativizada e distorcida de valores como fidelidade, amor, companheirismo e carregam com isso sérias sequelas emocionais, que se não tratados os transformam em "bombas" muitas vezes piores que os pais causando esse "caos geracional".

Nessas coisa aí cabe uma ajuda de um bom psicólogo, ou de leitura de auto-conhecimento e na ligação com Deus.

Tem duas opções ai: chorar e reclamar com Deus porque ele não te colocou em uma família de comercial de margarina OU agir como homem e cair para dentro das adversidades e mostrar que você não é a média ponderada de uma geração molenga que só sabe reclamar e exigir as coisas sem fazer esforço, tudo na molezinha!

A vida não é passeio no parque e para o homem as coisas são sempre mais difíceis, a capacidade de absorver porrada e seguir lutando é o que diferencia os homens dos demais moleques mimados.
Responda-o
#5
(06-04-2022, 03:15 PM)Fernando_R1 Escreveu: Esse é um retrato dos lares desestruturados, dos rodízios de padrastos, uma surubagem de homens e mulheres desequilibrados sem a menor estrutura emocional para ter um filho, ainda usando eles como objeto de barganha.

Os filhos crescem com uma visão relativizada e distorcida de valores como fidelidade, amor, companheirismo e carregam com isso sérias sequelas emocionais, que se não tratados os transformam em "bombas" muitas vezes piores que os pais causando esse "caos geracional".

Nessas coisa aí cabe uma ajuda de um bom psicólogo, ou de leitura de auto-conhecimento e na ligação com Deus.

Tem duas opções ai: chorar e reclamar com Deus porque ele não te colocou em uma família de comercial de margarina OU agir como homem e cair para dentro das adversidades e mostrar que você não é a média ponderada de uma geração molenga que só sabe reclamar e exigir as coisas sem fazer esforço, tudo na molezinha!

A vida não é passeio no parque e para o homem as coisas são sempre mais difíceis, a capacidade de absorver porrada e seguir lutando é o que diferencia os homens dos demais moleques mimados.

Que isso resposta maravilhosa precisava ouvir isso mano, Deus abençoe
Responda-o
#6
Sai dessa casa e vai buscar a independência primeiro.
Pois o que a sua mãe fez é responsabilidade dela, segundo que agora só cabe a vc reerguer a tua vida, comece por aí depois vá mudando.

Leia mais livros, aperfeiçoe o seu intelecto e seu físico e suas finanças, em resumo seja dono da tua vida.
Louvado seja o SENHOR, minha rocha; ele treina minhas mãos para a guerra e dá a meus dedos habilidade para a batalha. Ele é meu aliado infalível e minha fortaleza, minha torre segura e meu libertador. Ele é meu escudo, em quem me refugio; faz as nações se sujeitarem a mim. Salmos 144:1-2

強さと名誉と尊厳
Responda-o
#7
Esquece isso cara, vc é o maior pegador da cidade.
Basta que o almejado ideal aconteça todos os dias para que a sonhada perfeição desapareça. 
Responda-o
#8
Não te entendo, uma hora tu paga de pegador "macho Alpha" e os caralhos... Agora tá se lamentando por isso?

Se decide aí confrade pois tá difícil Gargalhada
"Quando um homem quebra seus grilhões e correntes; jura jamais servir a outro senhor, é aí que ele se torna verdadeiramente livre." (Spartacus)

“O amor-próprio não é um pecado tão grande quanto a auto-negligência.”  (Henry V.)

Responda-o
#9
HaGargalhadahah isso aí é outro rolo crescer num ambiente familiar destrutivo é outro o tópico aqui não é sobre isso tá cego ?
Responda-o
#10
(06-04-2022, 08:31 PM)Macaco Bad Escreveu: HaGargalhadahah isso aí é outro rolo crescer num ambiente familiar destrutivo é outro o tópico aqui não é sobre isso tá cego ?

Passei por isso com madrasta, mas era de discutir por besteiras. Meu pai infelizmente foi completamente domado por ela, tipo ele que fazia a comida dela, limpava a casa, fazia tudo e ela sempre gritava com ele.

Tipo ele fazia tudo que ela mandava só por medo de perder ela, sempre tentei abrir a cabeça dele em relação a isso, mas ele sempre ficava era puto comigo falando que era coisa da minha cabeça e que o homem deve agradar a mulher, deixei de mão.

Mas muitas vezes não aguentava ver aquilo e falava algo aí virava uma discussão e ele óbvio ainda ficava do lado dela kkk.
Responda-o
#11
Putz, bro. Imagino quão foda deve ser ter vivenciado isso. 

Mas sendo mais objetivo e direto ao ponto. 

Aparentemente faz tempo que isso deve ter ocorrido em sua vida, mas como qualquer coisa que nos choca fortemente isso ainda deve te perturbar de alguma forma. 

O que você vai ter que fazer, mano, é procurar curar isso na sua história de vida. Apagar o que aconteceu é impossível, pois o que aconteceu consumou-se; não podemos fazer nada com o passado a não ser colher aprendizados dele. Ou você vai curar isso com a ajuda de um terapeuta ou procurando ler coisas que ajudem a curar traumas emocionais; essa segunda opção é mais árdua, demorada, talvez mais difícil, mas será a sua jornada. Procurar um terapeuta vai auxiliá-lo no processo, mas não vai isentar a sua responsabilidade de resolver as paradas da sua vida e fazer a SUA parte nesse processo de cura. 

Ressignificar o que nos acontece é uma parada muito foda. Tudo na vida serve de aprendizado, por pior que seja, e por mais que não consigamos ver aonde é que está a poha do aprendizado disso que aconteceu com você, há sim um aprendizado ali. 

Ninguém tem a vida perfeita, e se por acaso algo que foi feito a nós nos incomodou, é um grande exemplo sobre as atitudes que você nunca deve fazer na sua vida. Ou seja, esse teu padastro - por mais filho da p*ta que seja - te ensinou sobre como não viver a vida, te ensinou como não agir diante de um lar, seja com um filho ou com um enteado. 

Não passei por situação semelhante à sua nesse quesito, mas tenho minhas coisas que tenho que resolver, e busco fazê-lo ressignificando o que me aconteceu.

Às vezes uma das grandes vitórias na vida está em agir diferente de quem agiu mal conosco.
"Orandum est ut sit mens sana in corpore sano." (Juvenal

"Certamente, o único caminho de uma vida tranquila passa pela virtude." (idem)
Responda-o
#12
(07-04-2022, 09:32 PM)Gardenzio Escreveu: Putz, bro. Imagino quão foda deve ser ter vivenciado isso. 

Mas sendo mais objetivo e direto ao ponto. 

Aparentemente faz tempo que isso deve ter ocorrido em sua vida, mas como qualquer coisa que nos choca fortemente isso ainda deve te perturbar de alguma forma. 

O que você vai ter que fazer, mano, é procurar curar isso na sua história de vida. Apagar o que aconteceu é impossível, pois o que aconteceu consumou-se; não podemos fazer nada com o passado a não ser colher aprendizados dele. Ou você vai curar isso com a ajuda de um terapeuta ou procurando ler coisas que ajudem a curar traumas emocionais; essa segunda opção é mais árdua, demorada, talvez mais difícil, mas será a sua jornada. Procurar um terapeuta vai auxiliá-lo no processo, mas não vai isentar a sua responsabilidade de resolver as paradas da sua vida e fazer a SUA parte nesse processo de cura. 

Ressignificar o que nos acontece é uma parada muito foda. Tudo na vida serve de aprendizado, por pior que seja, e por mais que não consigamos ver aonde é que está a poha do aprendizado disso que aconteceu com você, há sim um aprendizado ali. 

Ninguém tem a vida perfeita, e se por acaso algo que foi feito a nós nos incomodou, é um grande exemplo sobre as atitudes que você nunca deve fazer na sua vida. Ou seja, esse teu padastro - por mais filho da p*ta que seja - te ensinou sobre como não viver a vida, te ensinou como não agir diante de um lar, seja com um filho ou com um enteado. 

Não passei por situação semelhante à sua nesse quesito, mas tenho minhas coisas que tenho que resolver, e busco fazê-lo ressignificando o que me aconteceu.

Às vezes uma das grandes vitórias na vida está em agir diferente de quem agiu mal conosco.
Obrigado amigo me ajudou muito
Responda-o
#13
passei por algo parecido, mas já os perdoei e me perdoei também.
Responda-o
#14
Tive uma infância normal, ainda bem.
O curioso é que as pessoas que conheço que possuem algum problema psicológico, como depressão ou TOC por exemplo, tiveram uma infância problemática.
"Escola? E o aprendizado com os próprios erros? A experiência te faz professor de si próprio".
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)