Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[DEBATE] Afinal de contas, vacinas devem ser obrigatórias?
#1
Afinal de contas, vacinas devem ser obrigatórias?

Antes de mais nada, quero deixar que minhas ideias não vão no sentido de resolver todos os problemas sobre o tema. Mas sim de tentar buscar caminhos onde se tem menos conflitos. O mundo não é perfeito.
Sou uma pessoa pró-vacinas, acredito em seu efeito protetor e tomo sempre que posso. Porém, ninguém deve ter o direito de colocar uma substância dentro do corpo de um indivíduo, de forma compulsória. Isso é uma violação da liberdade individual. Dessa forma, não acho correta a obrigatoriedade de tal ação.
Tentarei abordar esse tema a partir de questionamentos (que estão entre aspas e negritado) que vejo com frequência no debate público.
“Uma pessoa que não toma vacina teria uma maior chance de contaminar outras pessoas, não? A sua liberdade individual não pode violar a liberdade do outro. E aí? ” – Sim, de fato, a sua liberdade não pode violar a do outro e contaminar alguém pode ser considerado um tipo de agressão. Porém, na maioria das vezes, é muito difícil você saber que pessoa contaminou qual e assim realizar a punição de forma justa. Portanto, para se analisar tal contexto é ideal se pensar no risco de contaminação. Existem dois tipos de risco, o real e o abstrato. Explico. No primeiro, é possível perceber claramente um agressor (ou agressores) e uma vítima (ou vítimas) bem definidos e um meio claro para se realizar a agressão. Já no segundo, esses elementos não são bem definidos. Pessoas que impõem um risco real sobre outras pessoas devem ser punidas de alguma forma pela lei. Já as que impõem eventuais riscos abstratos não devem, explicarei com mais detalhes adiante.
Vamos aos exemplos:  uma pessoa que tem um teste positivo ou sintomas característicos para a COVID-19, e mesmo assim resolve ir em uma rua movimentada, está impondo um risco real de contaminação para as outras pessoas e, logo, ela deve ser penalizada. Percebe que há um agressor (pessoa contaminada, que sabe de seu quadro patológico) e uma vítima bem definida e um meio claro (os aerossóis ou gotículas contendo vírus emitidos pelo agressor) para se realizar a agressão (o ato de contaminar alguém com o vírus). Uma outra situação de risco real, mais evidente para exemplificar melhor, seria um bandido te assaltando com uma arma de fogo apontada em sua direção.

Em relação a uma pessoa que não fez o teste e nem tem os sintomas característicos de um vírus, a mesma não deve ser punida ao sair na rua. “Mas esse determinado indivíduo pode ter o vírus, pode não ter sintomas, pode entrar em contato comigo e pode me contaminar, e aí? ” - Nesse caso, trata-se de um risco abstrato, no qual é necessário que uma série de eventos ocorram em consonância para algo te atingir de forma negativa. É muito evidente que não temos aqueles elementos chaves característicos do risco real: agressor bem definido (o indivíduo pode estar contaminado ou não, isso vale para todos as pessoas presentes no ambiente público) e meio para se contaminar (se não há um agressor, não há meio de agressão, nesse contexto que estamos tratando aqui). Risco abstrato é inerente a quase toda atividade humana. Sempre que você sai na rua, existe o risco abstrato de alguém te atropelar, um bandido te assaltar, alguém te agredir e etc. Porém, isso não lhe dá o direito de punir essas pessoas (que teriam algum risco abstrato de te causar tais danos), por exemplo, de saírem de casa. Se começarmos a punir riscos abstratos, a vida em sociedade se tornará impossível.
Outro tema de grande debate é quanto a utilização de espaços e serviços públicos por indivíduos não vacinadas. Minha visão é que o indivíduo, tomando vacinas ou não, deve ter o direito de usufruir de espaços e serviços públicos (salvo exceções em que nenhum cidadão comum pode, como tribunais, uma sala de cirurgias e etc) e privados (claro, nestes, apenas se os proprietários deixarem).

“Mas o espaço público pertence ao estado, ele que cria as regras de quem pode circular ou não. Logo, ele pode proibir os não vacinados de usufruir de tais ambientes, não? ” – Na prática, o estado determina quem pode usar um determinado espaço ou não, pois ele detém o monopólio da força. Porém, penso que é antitético proibir certas pessoas de acessarem serviços e espaços públicos, já que eles também pagaram por eles através dos impostos, assim como todo cidadão.
Por outro lado, é totalmente válido uma entidade privada definir regras de quem pode ou não aproveitar de seus serviços e espaços, pois apenas quem pagar, poderá usar. Por exemplo, um plano de saúde deve poder cobrar mais caros de indivíduos não vacinados, visto que estes têm uma maior chance de adoecerem (Um baita incentivo para se atingir uma maior vacinação). Ou uma escola pode definir que só aceitará alunos vacinados. Quem não quiser essas condições não paga e procura um educandário que aceita alunos não vacinados.

“O indivíduo que não usa vacina, tem um maior risco de adoecer e ir parar no SUS, isso pode onerar mais o sistema, a sociedade inteira perde com isso. O que acha? ” -  Sim, concordo. Esse é o preço que pagamos por termos um sistema público e universal de saúde (e aqui não estou propondo seu fim ou algo do gênero). No nosso sistema, toda a sociedade banca, através dos impostos, os gastos de saúde com indivíduos que agem de forma “irresponsável”. Isso não é só para vacinas. Pessoas que não praticam exercícios físicos e não se alimentam direito, têm chances consideráveis de desenvolverem uma série de doenças (diabetes, infarto agudo do miocárdio, osteoporose e por aí vai) e serem extremamente custosas para o SUS. Pessoas que fazem sexo sem proteção, possuem uma grande chance de contraírem DSTs, e serem extremamente custosas para o SUS. Pessoas que enchem a cara e vão para o hospital ou que caem (por estarem embriagadas) e quebram algum osso vão ser custosas para o SUS. Se for obrigar o indivíduo a se vacinar, com o objetivo de desonerar o sistema, isso também abre brecha para obrigar as pessoas a se exercitarem e comerem direito, com o mesmo objetivo financeiro. Nem sempre o que é mais vantajoso economicamente, é o mais correto do ponto de vista ético.  

Para finalizar, faço uma pergunta sincera para aqueles que são favoráveis a obrigatoriedade da vacinação. Se um indivíduo se vacinar, contra a sua vontade, e desenvolver efeitos colaterais graves, você assumirá a responsabilidade por tal acontecimento?
Responda-o
#2
Pensando de forma prática, sendo favorável ou não à obrigatoriedade de vacinação, o cerco vai fechar e você tomará a vacina. E o motivo é simples, tomar ou perder o pouco de liberdade/vantagens que se tem.

A exemplo a posse em concurso público. Você não estudará a fio por anos e deixará da posse por não estar com a vacinação em dia. É obrigatório, desde sempre. Além dos demais exames.

Isso será expandido para outras áreas e no fim não terá para onde correr. Não há o que se possa fazer enquanto ser humano individual inserido na sociedade.

Faça a porcaria da vacina e pare de se debater.
Basta que o almejado ideal aconteça todos os dias para que a sonhada perfeição desapareça. 
Responda-o
#3
Nada deve ser obrigatório. Tudo deve ser voluntário conforme o direito natural.

Mas não tomar a vacina já acho mancada.
Responda-o
#4
(01-09-2021, 12:52 AM)Merdingo Escreveu: Pensando de forma prática, sendo favorável ou não à obrigatoriedade de vacinação, o cerco vai fechar e você tomará a vacina. E o motivo é simples, tomar ou perder o pouco de liberdade/vantagens que se tem.

A exemplo a posse em concurso público. Você não estudará a fio por anos e deixará da posse por não estar com a vacinação em dia. É obrigatório, desde sempre. Além dos demais exames.

Isso será expandido para outras áreas e no fim não terá para onde correr. Não há o que se possa fazer enquanto ser humano individual inserido na sociedade.

Faça a porcaria da vacina e pare de se debater.

A tendência, infelizmente, é seguir o que você falou. O que não quer dizer que devemos aceitar essas imposições autoritárias de forma calada e passiva. E sou uma pessoa pró-vacinas, me vacino sempre que posso.

(01-09-2021, 07:12 AM)Per Onore Escreveu: Nada deve ser obrigatório. Tudo deve ser voluntário conforme o direito natural.

Mas não tomar a vacina já acho mancada.

Concordo com você.
Responda-o
#5
(01-09-2021, 07:12 AM)Per Onore Escreveu: Nada deve ser obrigatório. Tudo deve ser voluntário conforme o direito natural.

Mas não tomar a vacina já acho mancada.

Pensamento perigosíssimo, talvez o mais perigoso de todos. Vou deixar meus centavos, pois sei que o camarada @Per Onore é dos nossos e não compactua com governos autoritários.

Se vocês pararem para analisar a história do mundo, todos os governos ditatoriais usaram sempre a mesma desculpa: eles sempre defendiam algo maior, o bem comum, a paz social. 
Tem um documentário na netflix chamado Cuba e o Cameramen, é um cidadão que registrou momentos de Fidel Castro por mais de quatro décadas. No início da revolução, era essa a desculpa: tomar o poder pelos pobres, pelo povo, blá blá blá. Esse é apenas um exemplo.

O que vemos hoje são pessoas que até ontem se diziam a favor da liberdade, mas que abriram fendas em seus princípios por conta da fantasia do bem social.

"eu defendo a liberdade, mas você precisa tomar a vacina, pois é saúde pública". Ora, ou você defende a liberdade, ou defende o autoritarismo sanitário.
Não dá para desenhar um círculo quadrado. É impossível ser corintiano palmeirense.

Qual será a próxima medida? As pessoas vão abrir exceções em prol do quê? Hoje é a vacina, amanhã será outra coisa.

Para se ter liberdade, é necessário anos de luta.
Para perdê-la, basta um piscar de olhos.

E fico muito preocupado com isso quando vejo que apenas neste tópico, dois camaradas que possuem materiais de extrema qualidade aqui nesse fórum já caíram no conto do Vigário.

O nazismo só foi colocado em prática porque Hitler tinha apoiadores, pessoas que compactuavam com o seu ideal macabro e genocida. Soldados e pessoas comuns.

Reforço o questionamento: vamos abrir mão de qual liberdade da próxima vez?
#somostodosvelhos
Responda-o
#6
Bom texto, Aspira. Foi você quem escreveu?

Citação:Sou uma pessoa pró-vacinas, acredito em seu efeito protetor e tomo sempre que posso. Porém, ninguém deve ter o direito de colocar uma substância dentro do corpo de um indivíduo, de forma compulsória.

Penso o mesmo,  fiz uso da vacina mas sou contra impor sanções e retirar a liberdade daqueles que não quiseram se vacinar.



Citação:Na prática, o estado determina quem pode usar um determinado espaço ou não, pois ele detém o monopólio da força.


Com certeza, as festinhas de bandidos e os bailes funks nas favelas continuaram normalmente, porque o fiscal da Prefeitura não fecha o bar em área de milícia?  porque será?


Citação:Porém, penso que é antitético proibir certas pessoas de acessarem serviços e espaços públicos, já que eles também pagaram por eles através dos impostos, assim como todo cidadão.

Veja a incoerência: Do nosso impostinho e dinheiro ele gosta. E o pior, o Estado é benevolente com os tipos mais grotescos da sociedade, não faz nada para impedir o número gigante de usuários de drogas quebrando o patrimônio público e privado e roubando os outros na rua e quer transformar aquele que não se vacina em um pária, um indivíduo de segunda classe.
Responda-o
#7
(01-09-2021, 10:21 AM)Fernando_R1 Escreveu: Bom texto, Aspira. Foi você quem escreveu?

Citação:Sou uma pessoa pró-vacinas, acredito em seu efeito protetor e tomo sempre que posso. Porém, ninguém deve ter o direito de colocar uma substância dentro do corpo de um indivíduo, de forma compulsória.

Penso o mesmo,  fiz uso da vacina mas sou contra impor sanções e retirar a liberdade daqueles que não quiseram se vacinar.



Citação:Na prática, o estado determina quem pode usar um determinado espaço ou não, pois ele detém o monopólio da força.


Com certeza, as festinhas de bandidos e os bailes funks nas favelas continuaram normalmente, porque o fiscal da Prefeitura não fecha o bar em área de milícia?  porque será?


Citação:Porém, penso que é antitético proibir certas pessoas de acessarem serviços e espaços públicos, já que eles também pagaram por eles através dos impostos, assim como todo cidadão.

Veja a incoerência do nosso impostinho e dinheiro ele gosta. E o pior, o Estado é benevolente com os tipos mais grotescos da sociedade, não faz nada para impedir o número gigante de usuários de drogas quebrando o patrimônio público e privado e roubando os outros na rua e quer transformar aquele que não se vacina em um pária, um indivíduo de segunda classe.

Foi eu que escrevi sim, há uns meses atrás. Porém, só agora resolvi publicar aqui na internet, pois percebi que esse tema está voltando de novo no debate público.
Responda-o
#8
Não tem escapatória. Mesmo não sendo obrigatória, o Estado imporá uma série de exigências, que deverão ser seguidas por qualquer pessoa que queira ter uma vida normal. De que adianta a vacina não ser obrigatória, se será para ter carteira de trabalho assinada? De que adianta não ser obrigatória, se você terá de estar vacinado se quiser fazer uma viagem? Etc.

Outra coisa que venho percebendo, é que muitas pessoas pensam que a exigência de um estabelecimento privado se difere de uma exigência estatal, mas não percebem que a exigência privada é, na maioria das vezes, uma exacerbação do que o Estado quer. Temos uma falsa impressão de concorrência no âmbito privado, quando na maioria das vezes são empresas concessionárias privilegiadas por terem pouca concorrência.

Definitivamente, não. A vacina não deve ser obrigatória. Entretanto, infelizmente, acaba sendo, já que o brasileiro acaba sendo obrigado a tomar pra participar ativamente na sociedade e prover à família.
Responda-o
#9
A massa sempre foi estupida, mas o nível de estupidez agora chegou em um nível tão grande, que elas não mais se satisfazem com a própria estupidez, elas precisam que você faça parte disso também, seja com vacinas ou máscaras. 

A impressão que eu tive, é que de inicio, era só um medo de uma doença desconhecida mesmo, um medo real, porem, as elites, ao perceberem que a população realmente se resignava com qualquer coisa, resolveram testar a submissão dela, e perceberam que poderiam ir muito mais longe do que pensavam.

Eles fizeram direitinho, pegaram a escoria pela degeneração, com músicas deploráveis e festas sujas.
E pegaram os covardes metidos a limpinhos e bonzinhos pela paranóia, fechando cada vez mais o cerco.

É engraçado porque parece até que são duas sociedades, até as 18:00 horas todos são limpos e bem cuidados, as 23:00, principalmente sexta e sábado, ai não mais existe pandemia, porem os limpinhos diurnos não ligam, eles continuam usando as mascaras inúteis, mesmo sabendo que isso não vai adiantar, já que a outra metade da sociedade depois das 18:00 simplesmente não se importa.

Isso sem contar que essas máscaras que todo mundo está usando simplesmente não funcionam, a única que funciona mesmo é a n95 e quase ninguém usa essa porque é uma bosta que quase te impede de respirar.

Mas não adianta, essas medidas são para esse povo limpinho o que o funk é para os degenerados, eles gostam disso, e arrisco a dizer, não querem que acabe nunca, eles precisam se sentir especiais de alguma forma.
Responda-o
#10
Não tomei, nem vou tomar, independente das consequências e do ostracismo social.

Se quiserem tanto assim, que me matem e apliquem a vacina no meu cadáver gelado, que depois será comido pelos vermes.

Já fui prejudicado e sei que vou ser cada vez mais, mas mantenho minha decisão. Me organizei pra ir embora do país, mas sem a vacina se tornou impossível, então por enquanto deixei a ideia pra escanteio.

Estão ameaçando me demitir, disse que não vou tomar e que não adianta insistir. Todo mundo fica me olhando torto na empresa, não me importo. Sei que na primeira oportunidade vou ser demitido por justa causa e que só não fui ainda porque não tem ninguém que consiga tocar o meu setor. Assim que acontecer vou recorrer, só saio na marra, não facilito em absolutamente nada.

Estou fazendo o máximo pra conseguir tampar o buraco financeiro com o meu negócio paralelo ao trabalho oficial, pra quando for demitido segurar as pontas, mas sei que isso só vai funcionar temporariamente.

Avisaram na academia que será obrigatório mostrar a carteirinha pra entrar. Pisei lá pela última vez nessa sexta feira e deixei claro que não vou compactuar com nada disso e os motivos. Se tivesse tomado faria a mesma coisa.

Não vou cooptar com perseguição nenhuma, nem segregação de ninguém. Acabei pedindo umas anilhas e uma gaiola pra treinar em casa, queria fazer isso há muito tempo.

Eventualmente o condomínio vai querer me expulsar daqui por não ser vacinado. Não vou facilitar em nada, vão ter que usar a força. Nenhum papel, aviso, multa, cartinha ou restrição vai me fazer mudar de ideia.

Não vou falsificar, nem arrumar um jeito de conseguir a carteira sem tomar a vacina, porque se fizesse isso estaria legitimando o controle absoluto que eles querem ter.

Não permito que o estado decida aquilo que vou ou não enfiar no meu corpo de maneira indiscriminada indefinidamente.

Tomar isso é o mesmo que assinar um contrato em branco, cujos termos eles alteram quando bem quiserem e entenderem.

Em Israel, quem não tomar a terceira dose é considerado não vacinado, ou seja, ser ou não vacinado depende de uma definição abstrata dos governantes, que decidem como querem, quando querem, obedecendo motivos escusos e agendas obscuras como boas marionetes pagas que todos são.

Se tiver que parar em um campo de concentração que assim seja, mas não tomo, não importam as restrições impostas. Não tive a opção de não aceitar o primeiro contrato social que me impuseram, mas dessa vez tenho e não aceito, não tomo, nem que custe a minha vida. Não vou negociar minha liberdade, não importa quão tentadora seja a proposta, que nesse caso não é nem um pouco.

Peguei o virus e não senti absolutamente nada. Não vou tomar picada nenhuma pra me salvar de um virus de letalidade negligenciável. Minha chance de morrer todo dia andando a pé na rua é maior.

Existem diversos médicos que dizem que quem pegou já está imunizado, fora que com as novas "variantes" a vacina não se mostrou eficaz, sem contar colaterais que vi com meus próprios olhos em pessoas próximas, que se fossem tão incomuns assim, certamente não conheceria ninguém próximo com eles.

Vi miocardite em jovem de 22 anos e uma mulher próxima com o corpo completamente infestado pela herpes zoster, semanas depois de tomar a vacina, sem ter absolutamente nenhum problema desse nivel antes.

Ninguém se responsabiliza por nada quando se trata dessa picada. Vazaram contratos onde os fabricantes se esquivam de todas as responsabilidades, jogando as consequências de qualquer advento indesejado nas costas do governo que adquiriu e do coitado que pode sofrer a vida inteira com a consequência.

Vi vários dizendo em redes sociais que quem não se vacinou deveria morrer, não deveria ser atendido em hospitais, etc, mas aqueles que querem isso podem ficar tranquilos, que desejar que minha morte não me prejudica em absolutamente nada. Se quiserem de fato que isso aconteça vão ter que sujar as mãos de sangue.

Last stand até o fim.

A ideia de estar sozinho contra o mundo sempre me agradou, então acaba sendo mais um incentivo pra não tomar. Ser perseguido me aproxima do mestre dos mestres, aguça minha fé, me faz ver esse mundo de ilusões com mais clareza. Quem quiser me perseguir me faz um verdadeiro favor, me ajuda a me igualar à condição de perseguição que meu criador passou na Terra. Todo esse processo me purifica, me faz crescer.

É extremo? Sim. A redenção da minha alma é a única coisa que me interessa e estou pronto para morrer por ela. Estou pronto pra abandonar tudo a qualquer momento, menos a minha fé.

Não serei morno, nem farei diplomacia com aqueles que querem controlar cada passo da minha vida. O Pai Maior me deu o livre arbítrio e irei exercê-lo até o fim. Não vou me ajoelhar, não me rendo por nada.

Minha fé nunca esteve tão forte, minha certeza nunca foi tão grande. Morrer por isso, se assim for, será a maior honra da minha vida.

E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.
“Habit to us is given from above:
it is a substitute for happiness.”
― Alexander Pushkin


Responda-o
#11
Isso pra mim é um dilema inútil do sentido prático, já que nossa liberdade é bastante mitigada, mesmo em relação a outros países do mundo que estão com a mesma política quanto às vacinas. No Brasil as pessoas não podem nem falar sua opinião que já sofrem com isso, sendo que constantemente somos forçados a fazer coisas contra a vontade.

Na questão das vacinas, creio que o principal é a chance rara de dar merda com algum efeito colateral muito grave que, apesar valer a pena frente ao risco da doença, pode matar alguém que estava se cuidando direito e não iria pegar a doença. Porém, pessoas nesse grupo são pouquíssimas, não chegando nem a 1 em 10 mil que se cuidam de verdade.

Acho que só tem coerência em não se vacinar quem está se cuidando e, ao meu ver, mesmo os merdas dos vacinados deveriam se cuidar igual, o que não ocorre. Não foram nem dois anos, esse povo é muito putinha, povo fraco de merda.

Por outro lado, quem não quer se vacinar e também não quer sofrer as consequências... pode cometer um crime... https://www.youtube.com/watch?v=SSOkd6XT__k


Já do ponto de vista pessoal eu não tomei, porém quero ser vacinado, todavia minha intenção é comprar minha própria vacina, da marca que eu bem entender e tudo mais. Nesse ponto, fica claro que temos governos facistas no mundo todo já que tudo (todas as vacinas) são pelo Estado, ou seja, só o Estado pode comprá-las, tudo dentro do estado e nada fora, em um verdadeiro monopólio do facismo real, a despeito de termos uma bastante saudável concorrência entre diversas empresas produtoras do insumo.
Responda-o
#12
(01-09-2021, 12:06 PM)Daredevil Escreveu: Não tem escapatória. Mesmo não sendo obrigatória, o Estado imporá uma série de exigências, que deverão ser seguidas por qualquer pessoa que queira ter uma vida normal. De que adianta a vacina não ser obrigatória, se será para ter carteira de trabalho assinada? De que adianta não ser obrigatória, se você terá de estar vacinado se quiser fazer uma viagem? Etc.

Outra coisa que venho percebendo, é que muitas pessoas pensam que a exigência de um estabelecimento privado se difere de uma exigência estatal, mas não percebem que a exigência privada é, na maioria das vezes, uma exacerbação do que o Estado quer. Temos uma falsa impressão de concorrência no âmbito privado, quando na maioria das vezes são empresas concessionárias privilegiadas por terem pouca concorrência.

Definitivamente, não. A vacina não deve ser obrigatória. Entretanto, infelizmente, acaba sendo, já que o brasileiro acaba sendo obrigado a tomar pra participar ativamente na sociedade e prover à família.

Concordo. Infelizmente, nosso poder de reação contra o estado é bem reduzido.
Responda-o
#13
(01-09-2021, 07:10 PM)Mr. Mike Escreveu: Isso pra mim é um dilema inútil do sentido prático, já que nossa liberdade é bastante mitigada, mesmo em relação a outros países do mundo que estão com a mesma política quanto às vacinas. No Brasil as pessoas não podem nem falar sua opinião que já sofrem com isso, sendo que constantemente somos forçados a fazer coisas contra a vontade.

Na questão das vacinas, creio que o principal é a chance rara de dar merda com algum efeito colateral muito grave que, apesar valer a pena frente ao risco da doença, pode matar alguém que estava se cuidando direito e não iria pegar a doença. Porém, pessoas nesse grupo são pouquíssimas, não chegando nem a 1 em 10 mil que se cuidam de verdade.

Acho que só tem coerência em não se vacinar quem está se cuidando e, ao meu ver, mesmo os merdas dos vacinados deveriam se cuidar igual, o que não ocorre. Não foram nem dois anos, esse povo é muito putinha, povo fraco de merda.

Por outro lado, quem não quer se vacinar e também não quer sofrer as consequências... pode cometer um crime... https://www.youtube.com/watch?v=SSOkd6XT__k


Já do ponto de vista pessoal eu não tomei, porém quero ser vacinado, todavia minha intenção é comprar minha própria vacina, da marca que eu bem entender e tudo mais. Nesse ponto, fica claro que temos governos facistas no mundo todo já que tudo (todas as vacinas) são pelo Estado, ou seja, só o Estado pode comprá-las, tudo dentro do estado e nada fora, em um verdadeiro monopólio do facismo real, a despeito de termos uma bastante saudável concorrência entre diversas empresas produtoras do insumo.

Você tocou em um ponto muito importante, que é o monopólio estatal na atuação da vacinação da COVID-19. Se fosse permitido também à iniciativa privada vacinar as pessoas, já estaríamos com um percentual da população vacinada muito maior e em uma velocidade bem mais rápida.
Além disso, muitos lugares adotaram uma estratégia de vacinação errada. Vacinaram os idosos com Coronavac, que é menos eficaz que Pfizer e Aztrazeneca. E a população mais jovem foi vacinada com estas duas últimas. Resultado: ainda continua morrendo idosos desse vírus. Se a iniciativa privada tivesse tal liberdade, bastava uma família se reunir, fazer uma vaquinha, e vacinar as pessoas de mais idade com uma dose de Pfizer ou Astrazeneca. 
Pelo menos, alguns estados agora parecem que vão iniciar essa 3° dose de reforço para tais idosos.
Responda-o
#14
(01-09-2021, 04:55 PM)Indomável Escreveu: Não tomei, nem vou tomar, independente das consequências e do ostracismo social.

Se quiserem tanto assim, que me matem e apliquem a vacina no meu cadáver gelado, que depois será comido pelos vermes.

Já fui prejudicado e sei que vou ser cada vez mais, mas mantenho minha decisão. Me organizei pra ir embora do país, mas sem a vacina se tornou impossível, então por enquanto deixei a ideia pra escanteio.

Estão ameaçando me demitir, disse que não vou tomar e que não adianta insistir. Todo mundo fica me olhando torto na empresa, não me importo. Sei que na primeira oportunidade vou ser demitido por justa causa e que só não fui ainda porque não tem ninguém que consiga tocar o meu setor. Assim que acontecer vou recorrer, só saio na marra, não facilito em absolutamente nada.

Estou fazendo o máximo pra conseguir tampar o buraco financeiro com o meu negócio paralelo ao trabalho oficial, pra quando for demitido segurar as pontas, mas sei que isso só vai funcionar temporariamente.

Avisaram na academia que será obrigatório mostrar a carteirinha pra entrar. Pisei lá pela última vez nessa sexta feira e deixei claro que não vou compactuar com nada disso e os motivos. Se tivesse tomado faria a mesma coisa.

Não vou cooptar com perseguição nenhuma, nem segregação de ninguém. Acabei pedindo umas anilhas e uma gaiola pra treinar em casa, queria fazer isso há muito tempo.

Eventualmente o condomínio vai querer me expulsar daqui por não ser vacinado. Não vou facilitar em nada, vão ter que usar a força. Nenhum papel, aviso, multa, cartinha ou restrição vai me fazer mudar de ideia.

Não vou falsificar, nem arrumar um jeito de conseguir a carteira sem tomar a vacina, porque se fizesse isso estaria legitimando o controle absoluto que eles querem ter.

Não permito que o estado decida aquilo que vou ou não enfiar no meu corpo de maneira indiscriminada indefinidamente.

Tomar isso é o mesmo que assinar um contrato em branco, cujos termos eles alteram quando bem quiserem e entenderem.

Em Israel, quem não tomar a terceira dose é considerado não vacinado, ou seja, ser ou não vacinado depende de uma definição abstrata dos governantes, que decidem como querem, quando querem, obedecendo motivos escusos e agendas obscuras como boas marionetes pagas que todos são.

Se tiver que parar em um campo de concentração que assim seja, mas não tomo, não importam as restrições impostas. Não tive a opção de não aceitar o primeiro contrato social que me impuseram, mas dessa vez tenho e não aceito, não tomo, nem que custe a minha vida. Não vou negociar minha liberdade, não importa quão tentadora seja a proposta, que nesse caso não é nem um pouco.

Peguei o virus e não senti absolutamente nada. Não vou tomar picada nenhuma pra me salvar de um virus de letalidade negligenciável. Minha chance de morrer todo dia andando a pé na rua é maior.

Existem diversos médicos que dizem que quem pegou já está imunizado, fora que com as novas "variantes" a vacina não se mostrou eficaz, sem contar colaterais que vi com meus próprios olhos em pessoas próximas, que se fossem tão incomuns assim, certamente não conheceria ninguém próximo com eles.

Vi miocardite em jovem de 22 anos e uma mulher próxima com o corpo completamente infestado pela herpes zoster, semanas depois de tomar a vacina, sem ter absolutamente nenhum problema desse nivel antes.

Ninguém se responsabiliza por nada quando se trata dessa picada. Vazaram contratos onde os fabricantes se esquivam de todas as responsabilidades, jogando as consequências de qualquer advento indesejado nas costas do governo que adquiriu e do coitado que pode sofrer a vida inteira com a consequência.

Vi vários dizendo em redes sociais que quem não se vacinou deveria morrer, não deveria ser atendido em hospitais, etc, mas aqueles que querem isso podem ficar tranquilos, que desejar que minha morte não me prejudica em absolutamente nada. Se quiserem de fato que isso aconteça vão ter que sujar as mãos de sangue.

Last stand até o fim.

A ideia de estar sozinho contra o mundo sempre me agradou, então acaba sendo mais um incentivo pra não tomar. Ser perseguido me aproxima do mestre dos mestres, aguça minha fé, me faz ver esse mundo de ilusões com mais clareza. Quem quiser me perseguir me faz um verdadeiro favor, me ajuda a me igualar à condição de perseguição que meu criador passou na Terra. Todo esse processo me purifica, me faz crescer.

É extremo? Sim. A redenção da minha alma é a única coisa que me interessa e estou pronto para morrer por ela. Estou pronto pra abandonar tudo a qualquer momento, menos a minha fé.

Não serei morno, nem farei diplomacia com aqueles que querem controlar cada passo da minha vida. O Pai Maior me deu o livre arbítrio e irei exercê-lo até o fim. Não vou me ajoelhar, não me rendo por nada.

Minha fé nunca esteve tão forte, minha certeza nunca foi tão grande. Morrer por isso, se assim for, será a maior honra da minha vida.

E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.

Esse comentário deveria ser fixado em todas as áreas desse fórum. Um dos melhores que já li aqui.

Enquanto isso, outros camaradas relativizam a liberdade e abrem brechas ao autoritarismo.

Quero estar de camarote quando o a relativização atingir em cheio o rabo deles. Nessa hora, comunista vira liberal e ateu clama a Deus.
#somostodosvelhos
Responda-o
#15
Também estou sofrendo pressão de alguns famliares e no trabalho. Lido com construção civil, e já se fala em permitir o acesso aos canteiros apenas com comprovação de vacina. Notem, isso já é usual. É necessário apresentar carteira de vacinação juntamente com toda a documentação, mas o que os animais teimam em nao entender é que ESSAS vacinas contra covid nao sao, de maneira lguma, iguais as outras tantas que existem por aí!

Porra, nao sou antivax, inclusive tomei a vacina contra febre amarela pra entrar numa obra em 2018 em sp durante o surto. Mas essas vacinas estao em estagio experimental, carai! Lidam com uma tecnologia nova de rna! E, pior, MUITAS pessoas apresentam reacão severa logo nas primeiras horas após tomar essas vacinas, e dizem que é normal. Estão hipnotizados pela midia, porra? Normal é o caralho!! Se há reacao grave no inicio, nao é razoavel crer em efeitos colaterais muito piores em longo prazo?

Como o Indomavel disse, pra mim virou questao de honra nao tomar. Ja nao chega o estado me roubar 80% da renda em impostos, ainda querem foder a minha saude? Cade a turma do meu corpo minhas regras? Ou essa maxima so serve pra exterminio de bebês no utero mesmo?!

Estado é quadrilha, quem compactua com ele é cumplice. Já disse aqui algumas vezes, a saida é o agorismo.
Responda-o
#16
A Pfizer não está mais em estágio experimental, inclusive, acabou de passar pelos testes nos E.U.A.
Eu levo a estatistíca como guia, 30%/40%/50% de diminuição do risco já é bem melhor do que não estar vacinado.
Claro, vocês podem falar de efeito colateral, etc. Mano, tem gente que tava tomando ivermectina, tomando óleo de carro, bebendo coisas totalmente maléficas para o corpo e agora fica falando de "efeito colateral".
Ok, ainda assim eu concordo que possam existir alguns efeitos colaterais dessas vacinas, mas eu, opinião e decisão pessoal, acho que se existir algum efeito colateral em massa vai ser bom pra ensinar uma lição pra todo mundo.
Não dá pra ficar batendo cabeça em um assunto que a maioria da população concorda.
Eu preferia trancar os idosos em casa e deixar quem é saudavel brincar de roleta russa, realmente não dou a minima, mas agora que tá todo mundo se vacinando, lutar contra a vacina vai ser inútil.
Spoiler Revelar
Suba o primeiro degrau com fé. Não é necessário que você veja toda a escada. Apenas dê o primeiro passo.

-Martin Luther King
Nosso Mundo Ciclico
Responda-o
#17
(03-09-2021, 08:43 AM)Raynor Escreveu:
Spoiler Revelar
A Pfizer não está mais em estágio experimental, inclusive, acabou de passar pelos testes nos E.U.A.
Eu levo a estatistíca como guia, 30%/40%/50% de diminuição do risco já é bem melhor do que não estar vacinado.
Claro, vocês podem falar de efeito colateral, etc. Mano, tem gente que tava tomando ivermectina, tomando óleo de carro, bebendo coisas totalmente maléficas para o corpo e agora fica falando de "efeito colateral".
Ok, ainda assim eu concordo que possam existir alguns efeitos colaterais dessas vacinas, mas eu, opinião e decisão pessoal, acho que se existir algum efeito colateral em massa vai ser bom pra ensinar uma lição pra todo mundo.
Não dá pra ficar batendo cabeça em um assunto que a maioria da população concorda.
, realmente não dou a minima, mas agora que tá todo mundo se vacinando, lutar contra a vacina vai ser inútil.


Citação:Claro, vocês podem falar de efeito colateral, etc. Mano, tem gente que tava tomando ivermectina, tomando óleo de carro, bebendo coisas totalmente maléficas para o corpo e agora fica falando de "efeito colateral".

O grande X da questão continua sendo a obrigação compulsória da vacinação e a total ausência de responsabilidade de grandes laboratórios em eventuais falhas nos seus imunizantes.

Citação:Não dá pra ficar batendo cabeça em um assunto que a maioria da população concorda.
A maioria da massa tende a concordar com a narrativa hegemônica, com base no medo e paranóia incutidas pela mídia, uma massa anestesiada pelo medo aceita quaisquer condições para voltar a ter uma "vida normal" ...


Citação:Eu preferia trancar os idosos em casa e deixar quem é saudavel brincar de roleta russa

Não é brincar de roleta russa não jovem,  é trabalhar, manter a sociedade funcionando, manter a vida social do homem e a ordem natural das coisas, cuidando apenas do grupo de risco e dos idosos ... bons tempos em que homens tinham brio para defender os mais fracos, os oprimidos, os perseguidos.

Nunca trabalhei com a possibilidade de que fosse morrer de Covid (aqui no RJ é muito mais fácil morrer de assalto ou atropelado), apenas com uma massa anestesiada pelo medo e o pavor da morte e aplaudiu medidas que só aumentaram o controle estatal  na vida das pessoas, tornou as relações humanas mais doentias, trancou gente saudável em casa sujeitando-os a depressão e o que é pior essas medidas que além de ferrar com a economia da sociedade não teve nenhum efeito para baixar o número de mortes sem contar com a farra no orçamento com hospitais de campanha que foram sumariamente desmontados mesmo com os rumores de uma segunda onda.
Responda-o
#18
(01-09-2021, 04:55 PM)Indomável Escreveu: Não tomei, nem vou tomar, independente das consequências e do ostracismo social.

Se quiserem tanto assim, que me matem e apliquem a vacina no meu cadáver gelado, que depois será comido pelos vermes.

Já fui prejudicado e sei que vou ser cada vez mais, mas mantenho minha decisão. Me organizei pra ir embora do país, mas sem a vacina se tornou impossível, então por enquanto deixei a ideia pra escanteio.

Estão ameaçando me demitir, disse que não vou tomar e que não adianta insistir. Todo mundo fica me olhando torto na empresa, não me importo. Sei que na primeira oportunidade vou ser demitido por justa causa e que só não fui ainda porque não tem ninguém que consiga tocar o meu setor. Assim que acontecer vou recorrer, só saio na marra, não facilito em absolutamente nada.

Estou fazendo o máximo pra conseguir tampar o buraco financeiro com o meu negócio paralelo ao trabalho oficial, pra quando for demitido segurar as pontas, mas sei que isso só vai funcionar temporariamente.

Avisaram na academia que será obrigatório mostrar a carteirinha pra entrar. Pisei lá pela última vez nessa sexta feira e deixei claro que não vou compactuar com nada disso e os motivos. Se tivesse tomado faria a mesma coisa.

Não vou cooptar com perseguição nenhuma, nem segregação de ninguém. Acabei pedindo umas anilhas e uma gaiola pra treinar em casa, queria fazer isso há muito tempo.

Eventualmente o condomínio vai querer me expulsar daqui por não ser vacinado. Não vou facilitar em nada, vão ter que usar a força. Nenhum papel, aviso, multa, cartinha ou restrição vai me fazer mudar de ideia.

Não vou falsificar, nem arrumar um jeito de conseguir a carteira sem tomar a vacina, porque se fizesse isso estaria legitimando o controle absoluto que eles querem ter.

Não permito que o estado decida aquilo que vou ou não enfiar no meu corpo de maneira indiscriminada indefinidamente.

Tomar isso é o mesmo que assinar um contrato em branco, cujos termos eles alteram quando bem quiserem e entenderem.

Em Israel, quem não tomar a terceira dose é considerado não vacinado, ou seja, ser ou não vacinado depende de uma definição abstrata dos governantes, que decidem como querem, quando querem, obedecendo motivos escusos e agendas obscuras como boas marionetes pagas que todos são.

Se tiver que parar em um campo de concentração que assim seja, mas não tomo, não importam as restrições impostas. Não tive a opção de não aceitar o primeiro contrato social que me impuseram, mas dessa vez tenho e não aceito, não tomo, nem que custe a minha vida. Não vou negociar minha liberdade, não importa quão tentadora seja a proposta, que nesse caso não é nem um pouco.

Peguei o virus e não senti absolutamente nada. Não vou tomar picada nenhuma pra me salvar de um virus de letalidade negligenciável. Minha chance de morrer todo dia andando a pé na rua é maior.

Existem diversos médicos que dizem que quem pegou já está imunizado, fora que com as novas "variantes" a vacina não se mostrou eficaz, sem contar colaterais que vi com meus próprios olhos em pessoas próximas, que se fossem tão incomuns assim, certamente não conheceria ninguém próximo com eles.

Vi miocardite em jovem de 22 anos e uma mulher próxima com o corpo completamente infestado pela herpes zoster, semanas depois de tomar a vacina, sem ter absolutamente nenhum problema desse nivel antes.

Ninguém se responsabiliza por nada quando se trata dessa picada. Vazaram contratos onde os fabricantes se esquivam de todas as responsabilidades, jogando as consequências de qualquer advento indesejado nas costas do governo que adquiriu e do coitado que pode sofrer a vida inteira com a consequência.

Vi vários dizendo em redes sociais que quem não se vacinou deveria morrer, não deveria ser atendido em hospitais, etc, mas aqueles que querem isso podem ficar tranquilos, que desejar que minha morte não me prejudica em absolutamente nada. Se quiserem de fato que isso aconteça vão ter que sujar as mãos de sangue.

Last stand até o fim.

A ideia de estar sozinho contra o mundo sempre me agradou, então acaba sendo mais um incentivo pra não tomar. Ser perseguido me aproxima do mestre dos mestres, aguça minha fé, me faz ver esse mundo de ilusões com mais clareza. Quem quiser me perseguir me faz um verdadeiro favor, me ajuda a me igualar à condição de perseguição que meu criador passou na Terra. Todo esse processo me purifica, me faz crescer.

É extremo? Sim. A redenção da minha alma é a única coisa que me interessa e estou pronto para morrer por ela. Estou pronto pra abandonar tudo a qualquer momento, menos a minha fé.

Não serei morno, nem farei diplomacia com aqueles que querem controlar cada passo da minha vida. O Pai Maior me deu o livre arbítrio e irei exercê-lo até o fim. Não vou me ajoelhar, não me rendo por nada.

Minha fé nunca esteve tão forte, minha certeza nunca foi tão grande. Morrer por isso, se assim for, será a maior honra da minha vida.

E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo.

Foi o melhor comentário até o momento! Estou passando por vários problemas por não tomar essa vacina. E não adiantar conversar e explicar, acabo é sendo mais atacado e perseguido. É triste ver pessoas considerando normal você só poder entrar em certos lugares com um pedaço de papel, é tão óbvio que isso vai escalar para coisas piores, e em breve esses mesmos em uma histeria coletiva vão matar pessoas que não são vacinadas. 
Porque na muita sabedoria há muito enfado; e o que aumenta em conhecimento, aumenta em dor.
                                                                                                                      Eclesiastes 1:18
Responda-o
#19
Eu não consigo entender qual é a dificuldade das pessoas entenderem que se trata de liberdade do indivíduo. Aí vem o Zé Mané falar de roleta russa, puta que o pariu.

O que nós vimos nessa pandemia foram comerciantes tendo suas lojas SOLDADAS por agentes municipais e estaduais, a mando de governadores e prefeitos. Inclusive aquele prefeito de São Paulo, que depois de ter falecido, parece que virou santo, é intocável e ninguém pode criticá-lo. Fez uma caralhada de merda, porra.
Senhoras e mães de família sendo esganadas com mata leão também por agentes municipais e estaduais, a mando também de governadores e prefeitos, sendo detidas pelo crime perverso e cruel de estarem... CAMINHANDO NA PRAIA.
Enquanto isso, Felipe Neto e Luciano Hulk postavam nas redes socias o famoso fique em casa, mas na prática um ia jogar bola todo final de semana e o outro não só praticava exercícios ao ar livre, como também fez uma viagem internacional com sua querida e amada esposa.

Eu não quero saber se a vacina é experimental, se protege 10% ou 1000%, o que eu quero é que as pessoas tenham liberdade de escolha não só de tomarem ou não, mas também de escolherem qual vacina tomar, caso queiram se vacinar.
Ora, essa vacina foi comprada com o meu, com o seu, com o nosso dinheiro.

Você chega na volkswagem para comprar um jetta. O dinheiro é seu, obviamente.
Aí o vendedor diz que você não pode pegar o jetta, tem que ser o gol. Caralho, vai tomar no seu cu, o dinheiro é meu porra.

Digo e repito: em breve teremos mais manobras para cercear a liberdade do indivíduo. E o "engraçado" é que são sempre pessoas conversadoras sendo castradas e tolidas de seus direitos.

Para se conquistar a liberdade, é necessário muitos vezes dar a própria vida.
Para perdê-la, basta uma canetada.
#somostodosvelhos
Responda-o
#20
Tópico, excelente, em especial as contribuições do hjr me chamaram muito a atenção. Vou deixar um texto em inglês que pensei em traduzir mas não tive tempo, infelizmente: https://krauserpua.com/2021/06/26/why-i-...ccination/
  • Sem a visão de um objetivo um homem não pode gerir a sua própria vida, e muito menos a vida dos outros.
Leia: Nuvem de Giz
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)