Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Tá bom ou quer mais?
#21
Previsível e aliás, creio que não irá acabar por aí.

Esse fato deixou muito evidente que o papai estado e às feministas estão começando a tentar fechar o cerco. Esse conluio terrível está fazendo, ou melhor, continuarão fazendo de tudo para atacar os homens que não estão entrando nesse jogo.

Terrível...
"O que fazemos em vida ecoa pela eternidade.''



Responda-o
#22
Elas realmente não precisam de homens... tendo o estado como marido. Agora entendo os sonegadores.
Se o machado está cego e sua lâmina não foi afiada, é preciso golpear com mais força. Agir com sabedoria assegura o sucesso. - Salomão em Eclesiastes 10.10.
Muito cara legal foi parar debaixo de uma ponte por causa de uma mulher. - Bukowski.
As maiores redpills ouvimos da boca de mulheres.
Responda-o
#23
Interessante como é essa figura do ''pai-Estado''.

Que é tão associada a uma ''evolução'' do país enquanto provedor de políticas assistenciais, mas ironicamente se revelou tão caudilha, retrógrada, exatamente por assumir um posto que, tradicionalmente, era resolvido, no foro familiar, e logo, privado.

Só invocando ônus a quem fosse diretamente envolvido, o que fazia das implicações econômicas serem menos danosas a quem se auto-tutelava e conduzia com mais responsabilidade.

É como aquela piada da professora que um belo dia, resolveu dar aos alunos uma experiência comunista, somando e redistribuindo igualmente a nota dos alunos, até que um belo dia, aqueles que eram mais estudiosos desistiram de continuar produzindo ''bons resultados'', já que seus incentivos haviam sido reduzidos/retirados.

Como o Brasil - e seus vizinhos no continente - se auto repete.

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
#24
@Baralho

Este é o sucesso do estado social-democrata draconiano, a invasão do Estado e de outras estruturas coligadas como as Big techs na dimensão da individualidade do ser ...

Eles escolhem o que você pode ou não pode fazer, no que você vai crer, te carimba um 'label' de indivíduo que não pensa no coletivo ... isso é muito sério!
Responda-o
#25
Pois então.
Hoje mais cedo no serviço, um colega de trabalho veio, sorrateiramente, criticar o presidente JB, na visita dele ao Es.
Claro sob o disfarce do ''não voto em político nenhum'', o típico modinha da vez, o ''isentão'' (que, ao melhor estilo Psdbista, vai lacrar 13 em 2022).

Seguindo, caro @Fernando_R1 o que deu pra responder, sem alongar o assunto - pois ambiente de serviço, é onde se paga as contas e só...
O presidente JB não é um ''exemplo'' de líder estadista, e como qualquer político pensa em si em primeiro lugar - e até aí não há nenhuma novidade nisso.
Porém deve-se reconhecer 2 coisas.
Endossar uma narrativa de impeachment, só causaria mais desestabilização ao país do que melhoras, tanto em 2020 e ainda mais, agora em 2021, com a economia se estabilizando e voltando a reagir.
Os concorrentes dele são (muito) piores que o mesmo, que exatamente dão poder a uma agenda internacional que há muito já está baseada no Brasil, aliás, até o nome se refere ao maior centro econômico e cultural do país: foro de Sp.

Por fim, o ''bozo'' de um lado ainda é coerente com a defesa das liberdades básicas: individual, de opinião, de credo e de empreender.
Quem invocou a LSN do fundo do baú, pra prender opositores foi o STF e não o presidente.
Quem invocou os petralhas que estavam presos, e lá deveriam ficar e devolveu-lhes direitos políticos foi o STF.
Quem desestabiliza, cria intrigas é a oposição, o judiciário e a extrema imprensa, carente das generosas verbas que até então detinham em governos passados.

Que só aumentaram o peso do Estado na forma de carga tributária e da maior recessão em 120 anos, ''só'' isso.
Entre esses vadios e o ''bozo'', ainda que não haja um terceiro nome que de fato, não tenha ligações com grupos obscuros nem a quadrilha que sabotou o país, não há dúvidas de que o voto no ''bozo'' é o necessário para o Brasil.

De novo, o necessário e possível... não o ideal. Isso quem sabe em 2026.

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
#26
Lembrando que é um projeto, ainda não se tornou lei. Apesar da insanidade que vigora atualmente, acredito que esse projeto é tão lixo que não será aprovado com essa redação. Tem artigo jurídico na internet questionando se fazer a mulher infeliz vai ser crime no Brasil, em tom de crítica.

É como diz a sabedoria dos memes, o apocalipse deixou de ser uma ameaça e se tornou uma esperança.
A realidade nua e crua.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)