Avaliação do Tópico:
  • 2 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Benjamin Franklin: 8 lições valiosas extraídas de sua rotina diária
#1
Citação:"Quando reflito – uma coisa que faço frequentemente – sobre a felicidade de que desfrutei, às vezes digo a mim mesmo que, se me fosse oferecida de novo exatamente a mesma vida, voltaria a vivê-la do início ao fim”.

– Benjamin Franklin

Benjamin Franklin é uma das pessoas mais admiradas do mundo. Dono de uma capacidade singular de ter habilidades em uma pluralidade de áreas (a la Leonardo da Vinci) – afinal, Franklin foi um jornalista, editor, autor, filantropo, abolicionista, funcionário público, cientista, diplomata, inventor e enxadrista estadunidense, além de um dos líderes da Revolução Americana – Benjamin Franklin ainda é conhecido por suas ideias acerca da frugalidade e da importância de não fazer dívidas como um dos pilares para construção de riqueza.

O que muita gente não sabe é que Franklin – que é o rosto estampado nas notas de 100 dólares – tinha uma rotina diária altamente estruturada, que revela que, além de todas as grandes funções que desempenhou, muitas delas à frente de sua própria época, ele era um verdadeiro mestre na arte de gerenciamento de seu tempo, recurso esse que é tão ou mais valioso que dinheiro.

Navegando no ótimo site Lifehack, me deparei com um interessante artigo a respeito da rotina diária de Benjamin Franklin. A ele é atribuída a rotina diária abaixo esquematizada (por ele próprio):

[Image: Agenda-Rotina-Dia%CC%81ria-Benjamin-Franklin.png]

As 8 valiosas lições que apresento abaixo são eminentemente práticas, as quais, se seguidas por você, terão grandes chances de melhorar significativamente (+ de 90%) sua própria qualidade de vida.

Lição nº 1: Tire da cabeça e coloque no papel

Vai por mim – aliás, vai por Franklin: a cabeça é o pior lugar para armazenar compromissos e registrar tarefas a cumprir. Cabeça é um órgão concebido para pensar e processar informações. Para prestar atenção. Para ter foco. Mas não foco na reunião de amanhã, mas sim no projeto de hoje. Do agora.

Enquanto um compromisso estiver em sua cabeça, enquanto um compromisso não for registrado no papel ou numa agenda eletrônica, enfim, enquanto ele não sair da sua mente, ele vai continuar lá, ruminando sua psique e fazendo você lembrar a todo instante que precisa fazer aquilo, atrapalhando sua concentração e seu foco na atividade que precisa ser feita agora.

De certa forma, Franklin intuiu um dos principais pilares do método de produtividade pessoal GTD: tirar as coisas da cabeça e colocá-las no papel. Quando você registra uma tarefa, compromisso ou atividade “fora da cabeça”, você alivia sua mente, desocupa ela desse incômodo mental, e, consequentemente, acaba liberando espaço para pensar, refletir e agir sobre coisas que de fato merecem o gasto de energia de seu cérebro.

Por isso, se você ainda não usa uma agenda, seja ela de papel, seja ela online (app), para marcar seus compromissos e tarefas, recomendo fortemente que você passe a usar uma, como forma não só de organizar melhor suas rotinas e tarefas, mas também – e principalmente – de liberar espaço em seu cérebro e em sua psique para coisas e fatos que mereçam o aproveitamento de sua capacidade pensante.

A cabeça, definitivamente, não é o melhor lugar para armazenar informações relativas a tarefas a cumprir e compromissos a realizar. Por quê? Porque você pode facilmente esquecê-las. Quando você abre a geladeira e verifica que o leite está acabando, não fique lembrando a você mesmo, a todo instante, praticamente a toda hora, principalmente quando vai abrir a geladeira depois, que precisa comprar leite. Use a regra dos dois minutos, e imediatamente anote na agenda:

“- Mercado, quinta-feira, 20h: comprar leite”.

Pronto! Você se livra dessa tarefa e sobretudo livra seu cérebro de ficar a toda hora “falando mentalmente” a você de que precisa comprar leite porque ele está acabando.

E isso funciona para todas as demais atividades que requerem planejamento e organização. Se você quiser estabelecer ordem em meio ao caos, trate de tirar da cabeça e colocar no papel. Assim como fez Benjamin Franklin.

Lição nº 2: Construa pontes para o futuro

O que você fizer hoje só terá impacto no futuro se aquilo que você tiver feito hoje tiver valido a pena, olhando, no futuro, com os olhos voltados para o passado.

Veja que Benjamin Franklin todo dia se questionava, ao final do dia: o que eu fiz de bom hoje (what good have I done today)? E veja o legado que ele construiu.

Todo dia nasce como uma oportunidade única de fazer um você melhor amanhã, no ano que vem, daqui a 5 anos, daqui a 10 anos, daqui a 50 anos. O eu do futuro será o produto do eu que você resolveu ser e fazer hoje. Não desperdice o dia de hoje!

Alimentar-se corretamente e praticar exercícios físicos hoje é construir uma ponte para o futuro: é fazer um corpo (e mente) mais forte e mais saudável.

Estudar, trabalhar e poupar hoje é construir uma ponte para o futuro: é crescer intelectualmente, produzir um serviço ou bem de qualidade, e ter mais dinheiro amanhã e depois de amanhã.

O que quer que você faça, certifique-se de que isso tenha um impacto e uma conexão no futuro. Alguns (e tenho certeza que alguns confrades são assim) vão mais além, e agem para construir verdadeiras pontes para a eternidade.

No livro The Power of Less, de Leo Babauta, destaco o seguinte ponto do pensamento do Leo, que tem muito a ver com a filosofia de vida de Benjamin Franklin:

“Uma das implementações práticas mais inteligentes da metodologia de Leo Babauta – segundo minha opinião – é o estabelecimento das três tarefas mais importantes – three most important tasks (MITs) – que devem ser a sua prioridade a cada dia, sendo que pelo menos uma delas esteja relacionada a alguma de suas metas. Isso assegurará que você estará fazendo alguma coisa em direção aos seus sonhos naquele dia. É uma dica simples, mas bastante prática, que eu gostei muito, pois permite a conexão entre aquilo que você faz hoje com aquilo que você quer ter no futuro“.

Não importa o que você faça, aja de modo que aquilo que você faça hoje tenha relevância mais pra frente. Afinal, se você der um passo a cada dia, ao final de um ano, você terá dado 365 passos.

Lição nº 3: durma pelo menos 7 horas por noite.

Benjamin Franklin era um cara ocupadíssimo, que fazia milhares de atividades e coisas ao longo de sua vida. Mas tudo isso não seria possível se ele não tivesse energia suficiente para realizar toda essa montanha de atividades. E, para ter energia, é preciso ter “pique”, o que pressupõe descanso.

Analise de novo a figura acima, e você verá que Franklin ia dormir às 10 da noite e acordava às 5 da manhã.

Sim, meu caro: ele dormia 7 horas por noite.

Sono

Já falamos aqui no fórum sobre a importância do sono como elemento fundamental para restaurar a energia consumida durante o dia e para metabolizar todas as experiências e atividades ocorridas nos níveis físico, mental, emocional e espiritual.

Nuno Cobra chega a dizer, em seu excelente A semente da vitória, que o sono é o principal pilar de seu método de treinamento. E Tony Schwartz, autor do não menos maravilhoso livro Envolvimento Total, considera uma noite de sono bem dormida um elemento indispensável para se alcançar altos níveis de produtividade no trabalho e uma melhora na qualidade de vida de um modo geral.

Aqui, o número importa (aliás, esse é um dos 8 números que você deveria contar (ou ao menos levar em conta): ambos, Nuno Cobra e Tony Schwartz, acreditam, baseados inclusive em evidências científicas, que menos do que 7 horas de sono não são suficientes. A média mínima de sono necessário para produzir resultados fisiológicos satisfatórios gira em torno de 7 a 8 horas. Eventualmente, em um ou outro dia, é permitido você dormir menos do que 7 horas. Contudo, a longo prazo, os efeitos serão nefastos para o corpo e para a mente se você mantiver uma rotina diária de pouco sono, ou seja, produzir uma média de apenas 5 a 6 horas por noite.

E, se você dorme tão pouco (média semanal de 5 a 6 horas líquidas por dia, computando os finais de semana), está na hora de rever as camadas que você anda adicionando em sua vida. Afinal, (quase) tudo o que é excessivo faz mal.

Lição nº 4: acorde cedo.

Repare no esquema de Benjamin Franklin: ele acordava às 5 da manhã. 

Sim, coincidentemente, esse era um dos segredos revelados das pessoas bem-sucedidas: acordar (muito) cedo e passar os fins de semana sem trabalho.

Uma das metas que eu estipulei para mim mesmo nesse ano, foi o de estabelecer uma rotina diária em que eu acordasse, ao invés da faixa das 6 cedo, também na faixa das 5 horas cedo, principalmente nos finais de semana, onde a tendência é bagunçar tudo.

Não é uma tarefa trivial, mas tenho conseguido evoluir, aos poucos. O ideal é acordar sem despertador, de modo natural, pois isso significa que você completou todos os ciclos do sono. É a forma de acordar natural e a mais benéfica para a sua saúde, pois você não interrompe o metabolismo fisiológico que ocorre durante o sono.

No entanto, no começo da mudança de hábito, talvez precise acordar com a ajuda do bom e velho alarme. Tudo bem. O importante é começar.

Quanto mais cedo você acordar, mais horas você terá para aproveitar bem seu dia. É como se fosse um bônus. E, como o relógio não comporta mais do que 24 horas a cada dia, alguns minutos extras todo dia, ao final de uma vida inteira, podem significar muito mais realizações ao longo de sua vida. Pense nisso!

Lição nº 5: seja egoísta: reserve um tempo para você mesmo.

Seja sincero: há quanto tempo você não gasta um tempo consigo mesmo?

Refletir

Hoje, a maioria das pessoas, assim que acorda, ou logo no café da manhã, já vai lendo os emails, as últimas atualizações no WhatsApp, o que outras pessoas andaram postando no Facebook, Instagram, Twitter… já acordam conectadas aos outros, sem sequer estarem conectadas a elas mesmas!

Elas não se dão conta de que sua agenda acaba sendo controlada pela agenda de outras pessoas. Suas prioridades não são verdadeiramente suas prioridades: acabam sendo as prioridades de outras pessoas. É do colega de trabalho que mandou o email, ao qual você tem que responder – ou sente a necessidade de responder – imediatamente; é do amigo do WhatsApp ou Facebook, que compartilhou uma mensagem ao qual você sente a necessidade irresistível de curtir imediatamente, e assim por diante.

Benjamin Franklin não deixava sua agenda ser controlada por terceiros. Pelo contrário, como se vê do esquema dele, ele sempre reservava um tempo, especialmente pela manhã, para aquilo que eram suas prioridades. Meditava e refletia sobre suas prioridades. E sempre antes das 8 da manhã.

Lição nº 6: faça suas atividades mais exigentes pela manhã.

Do organograma de Benjamin Franklin se infere que ele fazia pela manhã as atividades que demandavam mais energia. Embora o trabalho (work) ocupasse duas “fatias” de seu “orçamento de tempo”, separadas pelo horário do almoço, é possível deduzir que a parte mais complicada do trabalho, que sempre é o seu início, era realizada pela manhã, logo após suas meditações acerca do que era importante fazer no dia.

Isso encontra ampla ressonância entre vários especialistas em produtividade pessoal, ou seja, de que o melhor momento do dia para fazer aquelas atividades mais pesadas e que demandam mais concentração, foco e energia mental é o período da manhã, quando, dos pontos de vista físico e mental, você tem mais “combustível” e e energia para “queimar”. 

O importante é “sincronizar” as atividades que exigem mais demanda com os momentos, no dia, em que você estiver no auge de sua capacidade de atenção e forma física, e isso geralmente ocorre pela manhã.

Lição nº 7: diminua o ritmo à noite.

Dos pontos de vista físico e mental, vamos diminuindo nossos níveis de energia no decorrer do dia. À medida que as horas passam, vamos ficando mais cansados mentalmente (quem nunca chegou em casa estafado mentalmente que atire a primeira pedra), e nosso corpo também vai, gradativamente, ficando com menos disposição e pedindo “cama”.

Portanto, temos que adequar nossas atividades diárias ao nosso estado corporal, fazendo atividades mais leves à noite, e era justamente isso que Benjamin Franklin fazia, seja ouvindo uma boa música, seja conversando, seja ainda se ocupando com alguma distração.

Era também durante à noite que Franklin metabolizava as experiências pelas quais passava durante o dia, refletindo mais profundamente sobre o impacto que suas ações no presente poderiam ter no futuro. Ou seja, ele não reservava um tempo para si mesmo somente no começo do dia, como também fazia a mesma coisa ao final desse mesmo dia. E isso deu muito certo, afinal, suas contribuições para a ciência e para a história da humanidade falam por si mesmas.

Lição nº 8: seu trabalho não é sua vida.

Vejam que coisa interessante, que chega a ser até um paradoxo: olhando para o impressionante legado de Benjamin Franklin para a Humanidade, como se pode observar lendo sua (resumida) biografia na Wikipedia, alguém poderia supor que esse cara era um verdadeiro workaholic, que fazia do trabalho a sua vida, trabalhando mais de 80 horas por semana, de modo ininterrupto e sem direito a descanso, sono, alimentação e divertimento.

Pois sua vida foi justamente o contrário disso tudo: o trabalho, no esquema diário de Franklin, ocupava uma porção extremamente limitada de sua vida. Das 8 ao meio dia, e das 2 às 6 da tarde. E “zé-fi-ni”.

E por que isso ocorreu dessa forma? Simples: porque sua rotina, apesar de dever ter sido muito exigente, com mil e um compromissos e coisas a fazer e a inventar, era equilibrada. Ele reservava um tempo para dormir bem, ele gastava um tempo para si mesmo, ele destinava outra fatia de horas para o lazer, ele não se privava da alimentação… em suma: ele era um verdadeiro mestre na arte de utilizar bem o tempo de que dispunha, e o utilizava levando em conta suas disponibilidades de energia física e mental. Ou seja, quando trabalhava, trabalhava “pra valer”, focado, concentrado, e, principalmente, determinado.

Acima disso tudo, ele tinha um plano diário bem definido, e o executava de modo disciplinado e persistente. Certamente ele não teria conseguido uma vida de tantas realizações se fosse displicente com o sono e a alimentação, e sem fazer reflexões diárias sobre o modo como conduzia sua própria vida.

Bom, todas essas lições somadas produziram um ser humano de notáveis realizações, e um dos prêmios por ter sido tão disciplinado em sua vida diária foi, sem dúvida, a sua extraordinária longevidade: viveu 84 anos, e isso nos anos 1.700 (1706 a 1790), quando a medicina estava ainda num estágio bem modesto de conquistas. Isso deve equivaler a viver uns 120 anos nos dias atuais. Impressionante, não?

Conclusão

Ter uma vida todos os que estão lendo esse tópico têm.

Agora, criar uma vida significativa, que melhore não só a sua vida, mas também a de muitas outras pessoas, bem, isso é para poucos, não é para qualquer um. Depende de uma série de ingredientes, tais como objetivos a conquistar (o que você quer de sua vida?), modo como se usa o tempo (como você gasta sua vida?), e o exercício de forças e virtudes pessoais (quais são suas habilidades?).

A rotina diária de Benjamin Franklin nos dá “pistas” poderosas de que, com organização, disciplina e persistência, é possível viver uma vida que vale a pena viver. Então, vamos vivê-la?

Fonte original: http://www.lifehack.org/articles/product...edule.html
O que me preocupa não é nem o grito dos esquerdistas, das feminazis, das mães solteiras, dos corruptos, dos maconheiros, dos cachorrentos, dos LGBTs, dos sem caráter e sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons.
Responda-o
#2
Muito bom... muito bom mesmo.

Eu sigo todas esses itens e tive uma melhora muito boa na qualidade de vida e realização de tarefas.

Minha procrastinação e preguiça foram a quase 0.
Acho que devo isto a grande parte não me preocupar com nada no fds, antes eu aproveitava e estudava ou adiantava algo de trabalho, hoje eu foco só em curtir e descansar.

Sigam os passos desse texto e veja como seu desenvolvimento melhorará.
Responda-o
#3
Excelente. Salvando aqui.
Responda-o
#4
- Uma frase de Benjamin que gosto bastante (já que sou estudante de finanças) é esta...

Citação:
Investir em conhecimento sempre renderá os melhores juros.
Responda-o
#5
Estou salvando todos esses tópicos e guardando comigo para um dia repassar ao meu filho.
Responda-o
#6
muito interessante
Responda-o
#7
Excelente post Major.

Preciso começar a seguir essa de não me preocupar com nada fds (bem difícil) e dormir mais.
Responda-o
#8
Muito interessante.

Benjamin Franklin deixou boas lições de desenvolvimento pessoal. Não só foi um dos lideres da Revolução Americana, como também foi um grande cientista inventor. Dentre seus inventos, o para-raios, o aquecedor, lentes bifocais...
Responda-o
#9
Que bom que gostaram, pensei que ia ser mais um tópico que fosse afundar sem comentários. O pessoal está esquecendo de dar likes, quem gostou curte aí.
O que me preocupa não é nem o grito dos esquerdistas, das feminazis, das mães solteiras, dos corruptos, dos maconheiros, dos cachorrentos, dos LGBTs, dos sem caráter e sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons.
Responda-o
#10
(27-09-2015, 03:34 PM)Major Lobo Honrado Escreveu: Que bom que gostaram, pensei que ia ser mais um tópico que fosse afundar sem comentários. O pessoal está esquecendo de dar likes, quem gostou curte aí.

- Compreensível seu descontentamento. Eu particularmente desanimei em criar mais tópicos.
Responda-o
#11
likes = reputação (esse botãozinho que tem um ok desenhado aí do seu lado esquerdo). É de graça, não vai cair a mão de ninguém nem deixar ninguém mais pobre.

Falando sério agora, não estou descontente nem nada, apenas gostaria de ver maior participação e feedback por parte do pessoal, mas já agradeço a quem postou no tópico.
O que me preocupa não é nem o grito dos esquerdistas, das feminazis, das mães solteiras, dos corruptos, dos maconheiros, dos cachorrentos, dos LGBTs, dos sem caráter e sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons.
Responda-o
#12
(27-09-2015, 03:34 PM)Major Lobo Honrado Escreveu: Que bom que gostaram, pensei que ia ser mais um tópico que fosse afundar sem comentários. O pessoal está esquecendo de dar likes, quem gostou curte aí.

Mas pra que isso? É para aumentar sua reputação...Gargalhadaha

Não to vendo nenhum like. To vendo só um simbolo da mão, mas isso interfere alguma coisa?
Responda-o
#13
É ali aonde tem as estrelinhas, a função não é exatamente aumentar a reputação do Major e sim registrar tópicos com ótimo nível de conteúdo hehe
Foi a guerra quem em mim despertou um animal 

Ask mais badass da rede Big Grin : ask.fm/warMR 
Responda-o
#14
(27-09-2015, 08:26 PM)War Escreveu: É ali aonde tem as estrelinhas, a função não é exatamente aumentar a reputação do Major e sim registrar tópicos com ótimo nível de conteúdo hehe

Isso mesmo, o objetivo é marcar os melhores tópicos, e incentivar outros a fazer isso. Quando eu falo em curtir não é só os meus textos, mas os de todo mundo.
O que me preocupa não é nem o grito dos esquerdistas, das feminazis, das mães solteiras, dos corruptos, dos maconheiros, dos cachorrentos, dos LGBTs, dos sem caráter e sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons.
Responda-o
#15
Essa parte de colocar as ideias no papel é de suma importância. Não confio em desenvolvimento pessoal sem uma agenda física, rs.
Responda-o
#16
Muito bom! Eu tenho que regular meu sono, pois eu durmo 6hrs por dia na semana. E além disso, quero ver se consigo me programar pra não ter nada no fds pra fazer, ou no máximo, umas 2hrs no sábado.
Responda-o
#17
UP e movido!
Leiam!!!
Bode velho gosta de Capim Novo.
Responda-o
#18
Pra mim é quase impossível deixar o fds livre, sempre tem algo pra fazer do meu curso...É até estranho quando eu saio com os amigos...Do nada eu começo a lembrar oque tenho que fazer, ai bate aquele desconforto.
Responda-o
#19
Simplesmente, edificante!


Responda-o
#20
Valiosas lições. E não são difíceis de colocar em prática, adaptando sempre no estilo de vida de cada um.
Pilares como organização, sono e meditação já eram utilizados por ele muitos anos atrás.
Hoje em dia temos uma gama de apps que auxiliam a prática dos 3, que fazem a diferença para a vida de quem quer performar em alto desempenho.

Gostei abordagem menos "workaholic", dando espaço para si mesmo e para outras atividades. As vezes focar no macrossistema ajuda mais do que apostar tudo no micro.
The more fucks you give, the less fucks you get. But the less fucks you give, the more fucks you get. So fuck it.
Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
  A Agenda de Benjamin Franklin Mente 26 2,777 14-08-2017, 12:04 PM
Última Postagem: Melancton

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)