Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
A Chave para Entender as Mulheres: O Medo Existencial
#1
Lightbulb 
A Chave para Entender as Mulheres: O Medo Existencial


Nota do Wild: Trazer uma postagem aqui não significa necessariamente que eu concorde 100% com o texto, apenas que eu acho o tema válido para discussão. Eu escolhi um subtítulo sugestivo para poder chamar melhor a atenção do que a pessoa pode ganhar ao ler esse texto, mas ademais já aviso, o texto é longo, complexo e pode ter um vocabulário um pouco difícil. Contudo vou presumir que todo mundo aqui é alfabetizado e sabe interpretar textos, só tentando ajudar um pouco quando necessário. Minhas habilidades de tradução são péssimas então tive que me valer de tradução automática e passar horas ajustando e adaptando para melhor entendimento. Qualquer erro, favor não deixem de avisar. Se divirtam e boa leitura.

---------------------------

Uma das perspectivas principais da Pílula Vermelha como praxeologia (Nota: metodologia da prática) na compreensão da dinâmica intersexual é a psicologia evolucionista. Até os PUAs da “Era clássica” fizeram referências à ‘psico-evol’, muitas vezes sem perceber, para explicar vários aspectos do Jogo (Nota: aqui ele se refere ao “jogo” dos relacionamentos entre homens e mulheres). O próprio método do Mystery (Nota: Pickup artist famoso) estava fundamentalmente enraizado no entendimento dos “circuitos evolutivos” das mulheres (e dos homens) como base para o desenvolvimento de técnicas modernas de Jogo. Essas foram as primeiras incursões no ‘firmware1 mental’ evoluído das mulheres, como um meio de entender o jogo de acasalamento que vivenciamos hoje - e como usá-lo para nossa melhor vantagem enquanto homens.

[1 Nota: firmware aqui ele se refere aos “programas mentais” mais básicos que uma pessoa pode ter, tais como os instintos de sobrevivência e atitudes subconscientes, fazendo uma analogia com firmwares de máquinas e computadores, que são o nível mais baixo de programa que fornece acesso específico à maquinaria (hardware).]

No entanto, esse foi apenas o ponto de partida. A Pílula Vermelha é muito mais dinâmica do que as aplicações do Jogo. Como desenvolvi em outros ensaios (e palestras), os fundamentos de como os sexos se relacionam seguem as nossas realidades biológicas, mas também as realidades ambientais e sociais do nosso passado ancestral. Ainda estamos usando o mesmo “circuito” nestes tempos que nossos ancestrais usavam no passado, apenas o contexto que mudou. Hoje, quero explorar as influências que o legado dessa ancestralidade exerce sobre homens e mulheres e também tentar responder a algumas perguntas sobre por que homens e mulheres temem certos aspectos da natureza evoluída um do outro.

No meu último artigo, fiz uma distinção entre nosso mercado sexual, ancestral e localizado, comparado ao mercado globalizado em que nos encontramos hoje. Este é um bom ponto de partida. Nos primórdios de nossos dias de caçadores-coletores, nossas companheiros em potencial vieram de nossos grupos tribais ou, quando nossa tribo conseguiu dominar outra tribo, levávamos ‘noivas de guerra’ para cruzar. Foi isso que definiu nosso mercado sexual localizado no passado. Na verdade, eu argumentaria que um déficit de mulheres 'casáveis' de uma tribo local era na verdade um motivador principal para ir à guerra com uma tribo externa. Essa é uma distinção importante porque muitas dessas mesmas dinâmicas motivacionais são refletidas no mercado sexual global de hoje e como a dinâmica intersexual moderna evoluiu.

Necessidade de Controle

Muitas das necessidades de controle social que vemos provenientes das mulheres e do feminismo de hoje fazem parte de um desejo ancestral e evoluído por parte das mulheres de buscar segurança em um mundo caótico do passado. Desde o advento da contracepção unilateralmente controlada pela mulher (Nota: métodos contraceptivos tais como pílulas anticoncepcionais), a Revolução Sexual e a ascensão da Ginocracia, um poder sem precedentes sobre o processo de nascimento da raça humana foi transferido para apenas um dos dois sexos necessários para perpetuar nossa espécie.

“Aborto é eugenia” (ou disgenia) é um ditado que tenho visto no Twitter recentemente. Desde a Revolução Sexual, não apenas ‘empoderamos’ as mulheres, mas nós homens cedemos sistematicamente qualquer reivindicação à nossa própria paternidade e, ao mesmo tempo, presumimos que as mulheres devem, por padrão, saber o que é melhor para o processo de nascimento humano e a criação das novas gerações. Mas não é apenas o aborto que é eugenia, é também Hipergamia e dezenas de outros aspectos da dinâmica intersexual nas quais as sociedades ocidentais supõem que as mulheres devem saber melhor como proceder. Levamos as mulheres da geração Baby Boom a palavra coletiva de que elas seriam governantes mais misericordiosas do que homens se lhes déssemos apenas a opção de serem mais sexuais conosco. Acreditamos tolamente que as mulheres policiariam os piores aspectos de sua própria estratégia sexual depois que cedemos voluntariamente o poder em troca do acesso sexual. (Nota: aqui ele fala que basicamente cedemos poder de natalidade às mulheres em troca da certeza de que elas não teriam filhos e, portanto, estariam mais sexualmente disponíveis, ele explica isso um pouco melhor depois).

No mês passado, um leitor me enviou um link para uma história sobre como a Irlanda havia acabado de ceder mais da sua autoridade acerca do destino reprodutivo de seu país para as mulheres ao legalizar o aborto. A própria ilha católica de celtas fez da Hipergamia seu motivo dominante após muitos anos de pressão feminista. As irlandesas comemoraram a decisão de permitir que matassem seus filhos indesejados. De fato, muitos países católicos em toda a América do Sul estão em vários estágios de legalização do aborto. Mas o sentimento sobre o aborto nesta década não é mais como um mal necessário, como era no tempo de Roe vs. Wade (Nota: Sei que a Wikipedia pode estar contaminado ideologicamente, mas o caso referido é este: https://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_Roe_contra_Wade). Hoje é motivo de comemoração aberta entre homens e mulheres.
Antes de ser crucificado pelos críticos aqui, minha oposição ao aborto não deriva (primariamente) de razões morais, decorre de seguir objetivamente a dinâmica de poder envolvida e o propósito latente do aborto. O aborto é eugenia; é o ceder de qualquer pretensão de influenciar a paternidade que os homens possam ter tido nos últimos 100.000 anos de evolução humana.

Então, por que as mulheres lutam com unhas e dentes pelo “direito” de abortar de forma gratuita e segura ao longo de várias gerações? Por que o direito de acabar com a vida do filho dela (e do pai) no útero é um imperativo para as mulheres?

Pergunte às mulheres e a resposta feminista do clichê é sempre “Meu corpo, minhas regras!”. Mas por que é tão importante eliminar os homens completamente do processo reprodutivo? Qual é a motivação para privar legalmente os homens de 1% que seja da voz em ter uma criança que tem pelo menos metade do seu legado genético? Essa também é uma das maiores ofensas às mulheres; que um homem possa ter algum controle sobre o corpo das mulheres. "Tire as mãos do meu útero!" esse também é outro grito de guerra, mas por que é um pensamento tão abominável que os homens possam ter alguma influência sobre quem nasce e quem não?

Medos Existenciais e o Filtro Hipergâmico

Existem certos medos com os quais os seres humanos nascem. Nosso ‘firmware mental’ evoluído está altamente sintonizado com nossa própria sobrevivência. Pode parecer simples, mas nascemos com certas reservas instintivas sobre nossos ambientes. Cobras, aranhas, animais com armas naturais pontiagudas são criaturas de que não precisamos aprender a ficar longe. Esse medo, essa cautela, fazem parte do nosso ‘sistema de bordo’ quando deixamos o útero. O mesmo acontece geralmente com alturas e locais confinados. Também temos um instinto natural muito definido de repulsa. Na verdade, existe toda uma área de estudo evolutivo psicológico dedicado à resposta da repulsa humana. Parte de nosso ‘firmware’ inato nos deixa enojados com fezes, carcaças mortas e putrefação. Se é insalubre e pode nos deixar doentes ou enfermos, somos repelidos por aquilo - a menos que estejamos condicionados a não ser.

O que precede são alguns medos existenciais bastante básicos que a maioria das pessoas tem. Desenvolvemos um ‘firmware’ embutido que faz o possível para nos manter vivos, mas existem outros medos mais complexos e as repulsões associadas que também guiam nosso bem-estar. O que eu quero focar aqui é o que a Pílula Vermelha chama de Filtro Hipergâmico. Essa é uma maneira solta de dizer que as mulheres têm repulsa e desconfiança inatas dos homens que, de outra forma, não gostariam de mais nada do que a experiência de fazer sexo com elas.

Desde nosso passado ancestral até a Revolução Sexual, em meados da década de 1960, uma mulher fazer sexo era uma atitude repleta de consequências perigosas. Por cerca de 100.000 anos, a evolução escreveu uma sub-rotina de reprodução nos cérebros de todas as fêmeas humanas posteriores - sempre duvide da qualidade de um homem.

O Filtro Hipergâmico possui várias maneiras de determinar essa qualidade. Na semana passada, mencionei que as mulheres usam universalmente a altura de um homem como uma qualificação física para excitação/atração. Esse é um critério óbvio; se preencher o requisito de altura, siga em frente. Já mencionei em outros ensaios que a Hipergamia é sempre baseada na dúvida - duvidar de que aquele homem é o melhor que ela pode conseguir - mas também na dúvida sobre se esse cara ficará por perto e se comprometerá paternalmente.

Essa dúvida Hipergâmica é um Medo Existencial para as mulheres.

"E se ele estiver fingindo?"
"E se ele realmente não for quem ele afirma ser?"
"Ele vai ficar depois do sexo?"
"E se eu engravidar dele?"

Essas perguntas, essas dúvidas não se originam do Processo Interpretativo Racional de uma mulher, elas estão profundamente enraizadas em seu Processo Instintual. (Nota: Os conceitos são melhor explicados em links no artigo original, em inglês.)

Essas perguntas são feitas por baixo da cognição de uma mulher e, como tal, fazem parte de um processo inconsciente de Filtragem Hipergâmica que está vinculado ao instinto de repulsa e ao desejo sexual genuíno. Esse é um instinto de aversão ao risco que tem implicações muito reais e com risco de vida. Esse é um ceticismo de autopreservação no nível límbico e é o principal Medo Existencial de uma mulher. E as mulheres farão qualquer coisa para aliviá-lo. As mulheres farão qualquer coisa para garantir que tenham salvaguardas contra as consequências e riscos de vida no caso de ter esse Filtro Hipergâmico enganado.

Por que existe um esforço incessante para criminalizar os PUAs que se aproximam das mulheres nas ruas? Porque isso implica na decepção de encontrar um macho Beta se passando por um macho Alfa para fins de sexo. Este é um crime contra o Medo Existencial delas.

O Medo Existencial nas mulheres é que seu Filtro Hipergâmico inato, sua Intuição Feminina, possam ser enganados e, ao ser enganada, ela possa morrer ou ter seu potencial reprodutivo comprometido por toda a vida, gerando e criando o filho de um homem que é abaixo do seu ideal Hipergâmico escolhido - um homem que exerceu sua própria vontade acima de filtros de escolha Hipergâmicos dela.

Em nosso passado ancestral, a gravidez e/ou investimento paternal poderia ser uma sentença de morte se o Filtro Hipergâmico de uma mulher não fosse extremamente sensível e obsessivamente refinado. O Filtro Hipergâmico também evoluiu como uma contingência contra o imperativo biológico dos homens - acesso ilimitado à sexualidade ilimitada.

Isso não quer dizer que a união de pares (Nota: par homem e mulher) não era uma característica do nosso passado ancestral, era também um aspecto fundamental do acasalamento, mas isso também significa que o custo de investimento de um homem era muito menor do que o de uma mulher quando se tratava de reprodução. Essa é uma definição biológica simples que define uma das estratégias sexuais para os homens. O vínculo dos pares geralmente duraria o tempo necessário para a criança atingir a autonomia de sobrevivência (4-7 anos). E isso não é levando em conta a propensão dos homens a procurar oportunidades de acasalamento ‘extra-conjugais’ mesmo enquanto estão em pares. Vou explorar isso no próximo ensaio.

Trazendo para o século XXI

Agora vamos avançar rapidamente a análise do Medo Existencial e o Filtro Hipergâmico para estes últimos 60 anos. Uma das invenções mais desestabilizadoras sociais do século XX foi proporcionar às mulheres a opção de investirem ou não nas escolhas que elas fazem sobre sua própria sexualidade. O controle de natalidade unilateral pelas mulheres (Nota: de novo falando dos métodos contraceptivos femininos, em especiais os hormonais tal como a pílula) foi efetivamente o maior sistema de segurança contra falhas Hipergâmicas já inventado. Libertou as mulheres da responsabilidade de uma má decisão Hipergâmica. Mas o que este método não fez foi apagar o processo de filtragem da psique das mulheres. Nós tomamos isso como garantido, mas o controle de natalidade hormonal as “libertou” da Hipergamia pela primeira vez na história da humanidade. E, como resultado, os homens cederam cada vez mais seus interesses paternais no processo reprodutivo humano às mulheres em troca da promessa de acesso sexual sem gravidez. Aparentemente, acesso ilimitado à sexualidade ilimitada. Desnecessário dizer que isso também exacerbou a estratégia sexual das mulheres para filtrar taticamente homens indesejados e enfatizar o sexo com homens escolhidos.

Mas a maior barganha sexual do século XX à XXI para os homens foi um tiro que saiu pela culatra catastroficamente porque, apesar de todos os benefícios do controle de natalidade hormonal, isso não conseguiu reescrever 100.000 anos de Hipergamia evoluída. E, se fez alguma coisa, exacerbou o desejo das mulheres por segurança contra o medo existencial de ter seu Filtro Hipergâmico enganado por homens trapaceiros.

O poder social e político que os homens cederam às mulheres após a Revolução Sexual foi usado por um único objetivo pelas mulheres - para ter garantias contra seu Medo Existencial. Por que o aborto agora é algo que é comemorado, em vez de tristemente aceito como o mal necessário deste século? Porque alivia o Medo Existencial de dar à luz e manter o produto de uma má escolha Hipergâmica.

Por que o divórcio sem motivo aparente se transformou na indústria misândrica de divórcios que temos hoje? Por que alivia o Medo Existencial. Uma indústria de divórcios unilaterais garante segurança, suporte e recursos que, de outra forma, seriam a ruína de uma mulher em tempos anteriores à pílula. Por que os estigmas da maternidade solteira que existiam há 60 anos atrás agora estão sendo substituídos por mulheres sendo recompensadas por sua escolha de se tornarem mães solteiras? Alivia o Medo Existencial.

Quando as mulheres receberam poder e influência sem precedentes, sua primeira ordem foi direcionada à mudança de leis para aliviar o Medo Existencial. Praticamente toda mudança social, toda mudança política, toda crença egoísta de ter certos direitos, tudo que as mulheres iniciaram desde a Revolução Sexual teve um único propósito latente – lhes aliviar esse Medo Existencial.

E, finalmente, por que a consciência da Pílula Vermelha (Nota: Ou a Real no nosso caso), a prática do Jogo, uma Masculinosfera unida e, sim, até os MGTOW, são percebidos como uma ameaça existencial ao Imperativo Feminino?

Porque tudo isso ameaça perturbar a segurança à qual as mulheres acreditam ter direito ao criar garantias contra o Medo Existencial das mulheres. Expor as maquinações do lado Pílula Azul  da Força (Nota: O que chamamos de quebrar a Matrix) e ensinar os homens a se desconectarem de um sistema que os torna idiotas úteis numa ordem social correta aos olho das mulheres é uma ameaça intolerável à segurança dessas mulheres devido ao seu Medo Existencial, mas também é um novo desafio à base de poder sobre a qual essa segurança se baseia.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#2
R e sum in : mulheres querem controlar as pessoas e etc baseadas no medo?

Pra mim todo ansioso e assim, não necessariamente mulheres.
Pessoas muito agradáveis ou muito sedutoras são em sua maioria ansiosas.

A ansiedade tem dois frutos: auto estima ruim e frustração.
Responda-o
#3
(30-05-2020, 11:06 PM)Luis Claudio Escreveu: R e sum in : mulheres querem controlar as pessoas e etc baseadas no medo?

Pra mim todo ansioso e assim, não necessariamente mulheres.
Pessoas muito agradáveis ou muito sedutoras são em sua maioria ansiosas.

A ansiedade tem dois frutos: auto estima ruim e frustração.

Então, caro confra.

Aposto que muita gente nem leu, mas isso aqui é a base para entender a cabeça das mulheres, o feminazismo e muitas outras coisas.

A gente é muito mais influenciado pelos nossos instintos do que a gente pode imaginar, as mulheres então, desconfio que até muito mais do que os homens.

Veja bem, na natureza as mulheres são muito frágeis, muito mais fracas naturalmente que os homens e precisam destes para protegê-las. É uma predisposição natural muito forte para ser ignorada. Mesmo que tire o homem da equação, elas ainda querem o máximo de controle sobre sua gravidez, para que ela possa ter chance de ter a melhor prole possível. E claro, proteção e recursos para esta (ex.: pensão)

Por isso mulheres se interessam por caras mais altos, mais imponentes, mais temíveis (soldados, policiais, traficantes, mafiosos etc.). E sim, eu acho que mulheres no geral tendem a ser muito mais medrosas, ansiosas e possuem bem menos autoconfiança do que elas querem admitir. Elas não suportam serem abandonadas. É por isso que por bem menos elas entram em estado de histeria, aquilo é puro terror existencial mas nem as próprias entendem isso bem.

Isso aqui precisa ser lido e compreendido, se o cara parar pra pensar e observar as coisas nessa ótica aqui o cara pode de fato ter a chave para entender o comportamento das mulheres. Esse é até agora o texto mais importante que tive a sorte de ler esse ano.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#4
(01-06-2020, 04:31 AM)Wild Escreveu: Por isso mulheres se interessam por caras mais altos, mais imponentes, mais temíveis (soldados, policiais, traficantes, mafiosos etc.). E sim, eu acho que mulheres no geral tendem a ser muito mais medrosas, ansiosas e possuem bem menos autoconfiança do que elas querem admitir. Elas não suportam serem abandonadas. É por isso que por bem menos elas entram em estado de histeria, aquilo é puro terror existencial mas nem as próprias entendem isso bem.

E quando, de maneira rebelde, saem da segurança do seio familiar, querem o Estado como figura masculina protetora. Esse é um dos motivos pra mulherada ter quase sempre uma inclinação esquerdista. E também por este tipo de ideologia passar pano pra putaria e outras coisas nefastas que causam emoções fortes, claro.

E complementando, não existe necessidade de "entender" as mulheres. Um homem de verdade precisa ter autoconfiança e se impor, sem deixar que emoções o controlem. Mulheres clamam por controle, se o homem não consegue impor limites (assim como faz com uma criança birrenta), ele está fadado ao sofrimento e será pisado.

Demonstrações de raiva, tristeza ou qualquer reações instintivas às provocações e testes que elas farão é um erro grave que não se deve cometer. Não tem muito segredo.

Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#5
(01-06-2020, 09:23 AM)Gorlami Escreveu: E quando, de maneira rebelde, saem da segurança do seio familiar, querem o Estado como figura masculina protetora. Esse é um dos motivos pra mulherada ter quase sempre uma inclinação esquerdista. E também por este tipo de ideologia passar pano pra putaria e outras coisas nefastas que causam emoções fortes, claro.

E complementando, não existe necessidade de "entender" as mulheres. Um homem de verdade precisa ter autoconfiança e se impor, sem deixar que emoções o controlem. Mulheres clamam por controle, se o homem não consegue impor limites (assim como faz com uma criança birrenta), ele está fadado ao sofrimento e será pisado.

Demonstrações de raiva, tristeza ou qualquer reações instintivas às provocações e testes que elas farão é um erro grave que não se deve cometer. Não tem muito segredo.

Precisamente isso.

Eu só digo no sentido de entender isso mesmo que falamos, como são as coisas por trás dos bastidores.

Se "entender" você diz no sentido de o cara ficar perdendo tempo maquinando, esquentando a cabeça tentando entender as flutuações das mulheres, eu concordo, é pura perda de tempo. Nem elas se entendem, tudo isso é jogo que se passa no sub/inconsciente delas e não dá para descrever o que elas passam em termos racionais, só dá para darmos as linhas gerais aqui com conceitos de psicologia evolutiva (que é uma das bases de NA, caso alguém não saiba disso).

Evidente que um cara mais esperto pode saber manusear os medos delas em favor de um melhor relacionamento para ambas as partes, que é algo que eu acho justo e importante de fazer. O cara ter alto valor de mercado é basicamente isso, é instigar a elas o medo de perder um homem com genes melhores, em tese.

Também é importante ter consciência disso por motivos sociais. Até por que como o texto bem fala, os mecanismos fazem de tudo para poder tirar total de nós qualquer pedaço de controle da natalidade da nossa própria espécie; cabe a nós restaurarmos ao menos parcialmente algum controle. Se deixarmos às mãos das nossas queridas espertinhas, rapidamente a humanidade vai pro brejo.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#6
Ah, como eu queria ter conhecido a Real há 2 anos...
Responda-o
#7
(02-06-2020, 07:18 AM)Wild Escreveu: não dá para descrever o que elas passam em termos racionais,

Evidente que um cara mais esperto pode saber manusear os medos delas em favor de um melhor relacionamento para ambas as partes, que é algo que eu acho justo e importante de fazer. O cara ter alto valor de mercado é basicamente isso, é instigar a elas o medo de perder um homem com genes melhores, em tese.

A Redpill brasileira (Real ) é 5 anos mais avançado do que a redpill americana. Infelizmente a redpill americana só ensina teoria. Não explica direito como o homem pode lidar com o comportamento delas. 

A Real brasileira é organizada em teoria, prática, reflexão, relatos e fóruns. 

O que seria termo Racional? De acordo com o dicionário:

Racional é pessoa que pensa antes de agir. 

Lógica são pensamentos estruturados. 

Quem leu NA sabe que tudo o que a mulher faz segue uma sequência lógica. 
O próprio NA disse no Livro textos complementares que a irracionalidade/ilógico são na verdade uma forma incompreendida de lógica. 

A mulher só usa uma lógica diferente do homem. Essa lógica pode ser aprendida lendo o livro 48 leis do poder.  


Agora sobre as emoções, pode parecer mentira, mas até as emoções seguem uma lógica. Estude na wikipedia em inglês, defense mechanisms e cognitive distortion. E também pesquise esses termos em outros sites. 

NA errou quando disse que o homem é racional. A pessoa pode até pensar. Mas se o emocional dela se desestabilizar, a pessoa não vai conseguir pensar direito. Tanto o homem quanto a mulher agem pela emoção a maior parte do tempo. 

Mas no geral, fora dos relacionamentos o homem tende a ser mais racional e a mulher emocional. Já quando começa a namorar, o homem tende a agir pela emoção e a mulher pela razão. 

Leia no machismo esclarecido o texto do doutrinador paspalho avaliem suas parceiras ou chorem amanhã.

Sobre os medos das mulheres, eu até escrevi um artigo no fórum do búfalo falando sobre as fraquezas femininas. Mas fui criticado.

"há mas é errado manipular". As mulheres fazem de tudo para escravizar os homens. Elas jogam sujo.

E eu vou ficar parado sem fazer nada? Não. Tudo o que eu puder fazer para ajudar os homens eu vou ajudar.

A mulher tem tanto poder hoje em dia porque os homens não fazem nada.
Responda-o
#8
Acrescentando , mecanismos de defesa e distorção cognitiva mostra como funciona a irracionalidade. Claro que para entender o porque a pessoa faz certas ações que parecem não ter sentido além de estudar a 2 coisas acima, ela tem que pesquisar sobre a vida da pessoa. Coletar informações para chegar a uma conclusão.
Responda-o
#9
Eu acho essas discussões que tentam categorizar ou padronificar muito desnecessárias pois o modus operandis de cada mulher é de um jeito.

Já me relacionei com mulher que as cagadas que fazia era por pura burrice, atrelada a uma vontade sexual enorme (famosa loira burra).

Outra era extremamente inteligente, concurseira, mas queria levar vantagem em tudo e passava por cima dos que amavam.

O segredo é sempre ficar esperto com mulher e não abrir a guarda. Sempre sempre sempre ter dois pés atrás e não se entregar demais. (eu diria que se relacionar de uma forma assentimental).
Responda-o
#10
(02-06-2020, 02:04 PM)Luis Claudio Escreveu: Eu acho essas discussões que tentam categorizar ou padronificar muito desnecessárias pois o modus operandis de cada mulher é de um jeito.

Já me relacionei com mulher que as cagadas que fazia era por pura burrice, atrelada a uma vontade sexual enorme (famosa loira burra).

Outra era extremamente inteligente, concurseira, mas queria levar vantagem em tudo e passava por cima dos que amavam.

O segredo é sempre ficar esperto com mulher e não abrir a guarda. Sempre sempre sempre ter dois pés atrás e não se entregar demais. (eu diria que se relacionar de uma forma assentimental).

Completamente assentimental, acho que não é possível tio Spectro.
Mas o mais próximo disso possível, eu diria.
"Paulistarum Terra Matter..."
Responda-o
#11
Exatamente bandeirante.
Acho que a frase é: o mais racional possível.
Responda-o
#12
A psicologia evolucionista e o evolucionismo são mecanismos tão perfeitos que permitiram a existência dos betas por milenios, até os dias atuais  Gargalhada

Medo existencial? É um bando de sem vergonha malandra, esperta e fingida.

A cultura feminista só permite 2 estruturas psicológicas  o EGO E O ID, superego é opressão cristã....  Quem funciona na base do ego e do ID são putas, criminosos e endemoniados  (bestiais seguidores de dogmas cientificistas)

O único medo existencial é encalhar sem ter um alfa, muitas preferem pets do que filhos ao lado de um beta betoso.
Responda-o
#13
(02-06-2020, 02:04 PM)Luis Claudio Escreveu: Eu acho essas discussões que tentam categorizar ou padronificar muito desnecessárias pois o modus operandis de cada mulher é de um jeito.

Já me relacionei com mulher que as cagadas que fazia era por pura burrice, atrelada a uma vontade sexual enorme (famosa loira burra).

Outra era extremamente inteligente, concurseira, mas queria levar vantagem em tudo e passava por cima dos que amavam.

O segredo é sempre ficar esperto com mulher e não abrir a guarda. Sempre sempre sempre ter dois pés atrás e não se entregar demais. (eu diria que se relacionar de uma forma assentimental).

O modus operandi é diferente mas é por que a psique é levemente diferente e os gatilhos podem ser diferentes...

Mas tirando todas as camadas de "auto-enganação" racional, no fundo todo homem ou mulher é, para todos os efeitos, um animal medroso que teme pela sua sobrevivência e a da sua prole.

Não convém estudar cada possível tipo de mulher pois aí é de fato punhetação filosófica infrutífera, assim como o cara não precisa conhecer o nome de cada osso e músculo se quiser malhar, mas entender os mecanismos psicológicos mais básicos, acho que isso sim vale a pena, pois eles são universais.

Então o objetivo aqui de fato não é padronizar, mas só dá uma explanação mais ampla. Com isso dá para concluir coisas interessantes como o fato de que a maior parte das mudanças dessa nossa sociedade cada vez mais misândrica provém dos complexos psicológicos mal-resolvidos das mulheres e de um monte de homem tapado que faz de tudo para agradar o sexo oposto achando que vai conseguir sexo.

(02-06-2020, 01:49 PM)fernandobon04 Escreveu: A Redpill brasileira (Real ) é 5 anos mais avançado do que a redpill americana. Infelizmente a redpill americana só ensina teoria. Não explica direito como o homem pode lidar com o comportamento delas.

A Real brasileira é organizada em teoria, prática, reflexão, relatos e fóruns.

O que seria termo Racional? De acordo com o dicionário:

Racional é pessoa que pensa antes de agir.

Lógica são pensamentos estruturados.

Quem leu NA sabe que tudo o que a mulher faz segue uma sequência lógica.
O próprio NA disse no Livro textos complementares que a irracionalidade/ilógico são na verdade uma forma incompreendida de lógica.

A mulher só usa uma lógica diferente do homem. Essa lógica pode ser aprendida lendo o livro 48 leis do poder.  


Agora sobre as emoções, pode parecer mentira, mas até as emoções seguem uma lógica. Estude na wikipedia em inglês, defense mechanisms e cognitive distortion. E também pesquise esses termos em outros sites.

NA errou quando disse que o homem é racional. A pessoa pode até pensar. Mas se o emocional dela se desestabilizar, a pessoa não vai conseguir pensar direito. Tanto o homem quanto a mulher agem pela emoção a maior parte do tempo.

Mas no geral, fora dos relacionamentos o homem tende a ser mais racional e a mulher emocional. Já quando começa a namorar, o homem tende a agir pela emoção e a mulher pela razão.

Leia no machismo esclarecido o texto do doutrinador paspalho avaliem suas parceiras ou chorem amanhã.

Sobre os medos das mulheres, eu até escrevi um artigo no fórum do búfalo falando sobre as fraquezas femininas. Mas fui criticado.

"há mas é errado manipular". As mulheres fazem de tudo para escravizar os homens. Elas jogam sujo.

E eu vou ficar parado sem fazer nada? Não. Tudo o que eu puder fazer para ajudar os homens eu vou ajudar.

A mulher tem tanto poder hoje em dia porque os homens não fazem nada.

Concordo, mas em compensação acredito que estamos uns 5 anos atrás na teoria. Infelizmente meu inglês é ruim e não dá para eu extrair muita coisa, mas vou fazer o que posso pra conseguir umas coisas novas. O negócio é gente pra ler e discutir, brasileiro é bicho foda, quer pular logo para a prática sem ter muito embasamento.

E sim, de fato há uma lógica. Nessahan fala bem claramente que homem usa de uma lógica racional excluidora de opostos, enquanto a mulher segue uma lógica não-racional, instintiva e não uma lógica racional. Ponto muito bem notado, confrade!

E sim, manipular não é errado, no sentido de que vai depender da finalidade. Elas instintivamente nos manipulam e chantageiam o tempo todo, a gente também faz mas as vezes não analisa racionalmente o que está fazendo. Pelo fato de ser racional ou não, não torna uma atitude menos manipulatória, você se sinta culpado ou não depois.

Se a gente com a racionalidade conseguir criar meios de manipulação e contra-manipulação eficazes, essa seria mais uma vitória pro intelecto. Mas como já falado por Nessahan também, o racional infelizmente é muito mais devagar enquanto o instintivo é praticamente instantâneo, então é muito difícil a gente conseguir fazer alguma coisa que preste nesse a não ser que a gente use algum tipo de reflexo condicionado.


(02-06-2020, 05:11 PM)Minerim Escreveu: A psicologia evolucionista e o evolucionismo são mecanismos tão perfeitos que permitiram a existência dos betas por milenios, até os dias atuais  Gargalhada

Medo existencial? É um bando de sem vergonha malandra, esperta e fingida.

A cultura feminista só permite 2 estruturas psicológicas  o EGO E O ID, superego é opressão cristã....  Quem funciona na base do ego e do ID são putas, criminosos e endemoniados  (bestiais seguidores de dogmas cientificistas)

O único medo existencial é encalhar sem ter um alfa, muitas preferem pets do que filhos ao lado de um beta betoso.

Confrade comedor de pão-de-queijo, é evidente que são mecanismos falhos, o próprio texto aponta isso, o filtro hipergâmico não é feito para os dias atuais. Os mecanismos da psicologia evolutiva possuem uma lógica de funcionamento. LÓGICA. O que não quer dizer que eles possuam INTELIGÊNCIA, (spoiler: não possuem nenhuma, assim como qualquer mecanismo evolutivo), essas são duas coisas bem distintas.

id, ego e superego são uma forma simplificada da psicologia do Freu para descrever alguns impulsos básicos da nossa psique, mas está longe de ser um modelo completo que explique toda a psicologia humana.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#14
Caramba wild refutando Freud.... Aí eu paguei pau mesmo. Nao falo pra estudar tipos de mulheres diferentes (apesar que isso seria melhor que generalizar...) mas falo em ANALISAR de forma individualizada a candidata preterida a relacionamento. Oque você faria com a informação de que: toda mulher e medrosa? Muda oque na capacidade de relacionar com ela?
Responda-o
#15
(07-06-2020, 10:35 AM)Luis Claudio Escreveu: Caramba wild refutando Freud.... Aí eu paguei pau mesmo. Nao falo pra estudar tipos de mulheres diferentes (apesar que isso seria melhor que generalizar...) mas falo em ANALISAR de forma individualizada a candidata preterida a relacionamento. Oque você faria com a informação de que: toda mulher e medrosa? Muda oque na capacidade de relacionar com ela?

Kkkkkkkk, não estou refutando nem meu cachorro. Freud é uma base muito boa, mas claramente não é tudo. Acho bom estudar Jung também kkkkk.

Mas sim, concordo que devemos avaliar individualmente a mulher, acabei de responder algo do tipo no FdB. As generalizações são sempre um ponto de partida, uma base e nunca um fim. Mesmo assim aqui na Real usamos o tempo todo. 

Cara, entender melhor os impulsos que nos guiam e as guiam acho interessante pois dá meios para que nos aprimoremos, saibamos avaliar melhor as nossas atitudes e conhecer o medo permite a gente avaliar melhor os riscos. Conhecer os medos delas então pode nos dar vantagens psicológicas e formas de reequilibrar o jogo pro nosso lado.

Usar dos nossos medos e inseguranças contra nós é o que as espertinhas já tem feito instintivamente por um bocado de milênios...
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#16
(06-06-2020, 08:25 PM)Wild Escreveu: Se a gente com a racionalidade conseguir criar meios de manipulação e contra-manipulação eficazes, essa seria mais uma vitória pro intelecto. Mas como já falado por Nessahan também, o racional infelizmente é muito mais devagar enquanto o instintivo é praticamente instantâneo, então é muito difícil a gente conseguir fazer alguma coisa que preste nesse a não ser que a gente use algum tipo de reflexo condicionado.
O livro 48 leis do poder ensina manipular e a se defender de manipulações.

Eu prefiro dizer consciente e subconsciente. Por exemplo, uma pessoa quando vai aprender inglês, o cérebro dela é lento porque ela não está acostumada. Assim que ela vai praticando, o cérebro dela vai ficando mais rápido até que ela consegue formar frases rapidamente sem precisar pensar. 

A mesma coisa a manipulação (lógica maquiavélica/lógica da duplicidade). As mulheres e homens alfas já tem as táticas no subconsciente. Eles são maquiavélicos por natureza. 
O ideal é o homem aprender a lógica maquiavélica e alternar o modo de pensar (alterar a lógica) de acordo com as situações.

Wild, aqui está o link da versão resumida em português do livro 48 leis do poder: 
http://lelivros.love/book/baixar-livro-a...er-online/

A lógica padrão do homem é rígida. Enquanto a maquiavélica é flexível. Depois que o homem aprende a lógica maquiavélica, o cérebro dele fica muito mais rápido. 
Quando o homem aprende a lógica maquiavélica, ele quase não usa mais a lógica padrão.
Responda-o
#17
Vou baixar esse livro e imprimir aqui valeu fernadão.
Responda-o
#18
(08-06-2020, 09:26 PM)Seu vagem Escreveu: Vou baixar esse livro e imprimir aqui valeu fernadão.

De nada. Mas essa é a versão resumida. A versão completa tem 460 páginas. Infelizmente não encontrei a versão completa em português pela internet. Se você sabe inglês, pode procurar a versão completa na internet que tem para download.
Responda-o
#19
(08-06-2020, 11:51 PM)fernandobon04 Escreveu:
(08-06-2020, 09:26 PM)Seu vagem Escreveu: Vou baixar esse livro e imprimir aqui valeu fernadão.

De nada. Mas essa é a versão resumida. A versão completa tem 460 páginas. Infelizmente não encontrei a versão completa em português pela internet. Se você sabe inglês, pode procurar a versão completa na internet que tem para download.
Eu achei que nesse link era completa. Entao é serio que esse livro tem esse tanto de paginas?


Responda-o
#20
(09-06-2020, 07:18 PM)Gângster Escreveu:
(08-06-2020, 11:51 PM)fernandobon04 Escreveu: De nada. Mas essa é a versão resumida. A versão completa tem 460 páginas. Infelizmente não encontrei a versão completa em português pela internet. Se você sabe inglês, pode procurar a versão completa na internet que tem para download.
Eu achei que nesse link era completa. Entao é serio que esse livro tem esse tanto de paginas?

Sim. Porque o livro além de explicar as leis, também mostra várias histórias. Mostra o uso correto da lei (observance of the law) e de maneira errada (trasgression of the law).

Eu li a versão em inglês. Porque tem de graça na internet.  É fácil de achar.

Na Amazon, o livro completo em português está R$ 17,59

Aqui está o link:

https://www.amazon.com.br/As-48-leis-do-...2192&psc=1
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)