Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[RELATO] Qual limite você rompeu esse ano?
#1
A minha maior conquista do ano foi melhorar o meu agachamento. Cheguei onde jamais pensei que fosse possível para mim.

Poucas sensações na vida são melhores do que vencer o ferro tentando te sucumbir ali embaixo de uma barra.

Conquistei meu agachamento raw com 210kg no dia 13 desse mês, uma das últimas sextas do ano. Segundo alguns é um dia obscuro, macabro e perigoso. Não faça nada arriscado, dizem. Indo para a academia vi um gato preto me encarando. Nem o próprio demônio poderia me impedir de ir fazer meu treino de perna naquele dia.

Dez horas da noite, praticamente sozinho em uma academia de bairro, que mais se parece um covil, cativeiro ou porão abandonado. As teias de aranha espalhadas pelo canto da parede, mariposas voando e algumas baratas brincando no meio das anilhas. Algumas luzes não funcionam e o ambiente é quente igual o inferno. Uma forja sem calor é inútil. Isso seria mais do que o suficiente.

Disse que tinha falado com o dono e que caso ele quisesse ir embora eu trancava a academia e abriria no dia seguinte, sem problema nenhum. O recepcionista disse que me esperava, então comecei a minha noitada.

Ia ter open bar de ferro e eu queria muito pegar várias gostosas de 20kg, mais precisamente dez delas e duas magrinhas de 5. Não queria ficar só no beijinho não, queria comer todas elas com força e ao mesmo tempo, dando pouco intervalo entre uma e outra.

Aqueci com 40 kg e 15 repetições. Fui aumentando gradualmente o peso e diminuindo as repetições.

Fiz o movimento completo, até embaixo, passando da "faixa de segurança" que os fracos inventaram. Se passar dos 90 graus arrebenta o joelho, dizem por ai nas academias fitness da vida. Não estava nem ai pra overtraining. Nunca vi, nem comi, só ouço falar.

Não duvidei nem por um milésimo de segundo do movimento que iria fazer. Nessa noite eu venceria o ferro, nem que isso custasse a minha vida ou saisse de lá lesionado. Meu pré treino foi a raiva, que despejaria ali no ferro depois de mais um dia cansativo de trabalho.

O único telespectador foi o balconista da pequena academia, espantado com o peso e com olhar atônito.

Senti a barra envergando no meu trapézio, o suor escorrendo na testa e caindo dentro dos meus olhos que ardiam vermelhos como sangue, enquanto a adrenalina subia e meu coração tentava saltar pra fora do peito. Soltei um grito do fundo da minha alma, que deixava claro pra qualquer ser visível ou invisível que pudesse eventualmente existir no recinto que eu decapitaria eles se preciso, mas teria força para levantar aquele peso até o fim.

Movimento completo, barra na gaiola. Sento no chão e comemoro silenciosamente a minha vitória invisível. Eu consegui. Nem sequer uma foto, vídeo ou registro do feito. Somente a sensação inexplicável de conseguir bater essa meta. Levantei 210 kg no agachamento em uma sexta feira treze.

Já em casa pego o celular e vejo três mensagens da minha ex, duas horas da manhã. Tinha me mandado uma foto do "atual" com ela, dizendo depois ser sem querer e pedindo "desculpas". Soltei uma gargalhada profunda olhando aquele coitado franzino que tinha supostamente assumido aquela criatura vil. Mais um coitado preso, enquanto eu estava livre. Ela conhece o meu temperamento hostil e achou que iria xingá-la ou fazer algo do tipo.

Disse assim: -Boa sorte ao casal, que tenham uma linda família. Me chama pro casamento que eu levo a minha pra te apresentar também. Mandou um áudio falando que me odiava, me xingando mais uma vez de todos os nomes. Ri novamente. No dia seguinte vejo o post no facebook dizendo que ela desistiu de se relacionar e que nenhum homem prestava.

Vencer lutando é maravilhoso, mas sem fazer o mínimo de esforço é melhor ainda.
Responda-o
#2
(26-12-2019, 03:26 AM)Indomável Escreveu: A minha maior conquista do ano foi melhorar o meu agachamento. Cheguei onde jamais pensei que fosse possível para mim.

Poucas sensações na vida são melhores do que vencer o ferro tentando te sucumbir ali embaixo de uma barra.

Conquistei meu agachamento raw com 210kg no dia 13 desse mês, uma das últimas sextas do ano. Segundo alguns é um dia obscuro, macabro e perigoso. Não faça nada arriscado, dizem. Indo para a academia vi um gato preto me encarando. Nem o próprio demônio poderia me impedir de ir fazer meu treino de perna naquele dia.

Dez horas da noite, praticamente sozinho em uma academia de bairro, que mais se parece um covil, cativeiro ou porão abandonado. As teias de aranha espalhadas pelo canto da parede, mariposas voando e algumas baratas brincando no meio das anilhas. Algumas luzes não funcionam e o ambiente é quente igual o inferno. Uma forja sem calor é inútil. Isso seria mais do que o suficiente.

Disse que tinha falado com o dono e que caso ele quisesse ir embora eu trancava a academia e abriria no dia seguinte, sem problema nenhum. O recepcionista disse que me esperava, então comecei a minha noitada.

Ia ter open bar de ferro e eu queria muito pegar várias gostosas de 20kg, mais precisamente dez delas e duas magrinhas de 5. Não queria ficar só no beijinho não, queria comer todas elas com força e ao mesmo tempo, dando pouco intervalo entre uma e outra.

Aqueci com 40 kg e 15 repetições. Fui aumentando gradualmente o peso e diminuindo as repetições.

Fiz o movimento completo, até embaixo, passando da "faixa de segurança" que os fracos inventaram. Se passar dos 90 graus arrebenta o joelho, dizem por ai nas academias fitness da vida. Não estava nem ai pra overtraining. Nunca vi, nem comi, só ouço falar.

Não duvidei nem por um milésimo de segundo do movimento que iria fazer. Nessa noite eu venceria o ferro, nem que isso custasse a minha vida ou saisse de lá lesionado. Meu pré treino foi a raiva, que despejaria ali no ferro depois de mais um dia cansativo de trabalho.

O único telespectador foi o balconista da pequena academia, espantado com o peso e com olhar atônito.

Senti a barra envergando no meu trapézio, o suor escorrendo na testa e caindo dentro dos meus olhos que ardiam vermelhos como sangue, enquanto a adrenalina subia e meu coração tentava saltar pra fora do peito. Soltei um grito do fundo da minha alma, que deixava claro pra qualquer ser visível ou invisível que pudesse eventualmente existir no recinto que eu decapitaria eles se preciso, mas teria força para levantar aquele peso até o fim.

Movimento completo, barra na gaiola. Sento no chão e comemoro silenciosamente a minha vitória invisível. Eu consegui. Nem sequer uma foto, vídeo ou registro do feito. Somente a sensação inexplicável de conseguir bater essa meta. Levantei 210 kg no agachamento em uma sexta feira treze.

Já em casa pego o celular e vejo três mensagens da minha ex, duas horas da manhã. Tinha me mandado uma foto do "atual" com ela, dizendo depois ser sem querer e pedindo "desculpas". Soltei uma gargalhada profunda olhando aquele coitado franzino que tinha supostamente assumido aquela criatura vil. Mais um coitado preso, enquanto eu estava livre. Ela conhece o meu temperamento hostil e achou que iria xingá-la ou fazer algo do tipo.

Disse assim: -Boa sorte ao casal, que tenham uma linda família. Me chama pro casamento que eu levo a minha pra te apresentar também. Mandou um áudio falando que me odiava, me xingando mais uma vez de todos os nomes. Ri novamente. No dia seguinte vejo o post no facebook dizendo que ela desistiu de se relacionar e que nenhum homem prestava.

Vencer lutando é maravilhoso, mas sem fazer o mínimo de esforço é melhor ainda.
Otimo confrade !! Melhor vingança contra a ex é seu proprio sucesso !!
"A critica não tem sobre a psicologia das massas o poder sugestivo que tem as crenças afirmativas, mesmo falsas." - Olavo de Carvalho

"Quanto menos inteligente um homem é, menos misteriosa lhe parece a existência." - Arthur Schopenhauer
Responda-o
#3
Este ano eu apenas colhi o que vim plantando nos últimos anos.

Os limites foram as novas experiências de vida de quem sai de casa e vai pro mundo.

O principal eu diria que foi ser totalmente independente e livre.
[...]
Responda-o
#4
Limite orçamentário.

Esse ano foi foda.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#5
Spoiler Revelar
[Image: hqdefault.jpg]
Responda-o
#6
Parabéns Jovi.

Valorize estes 'objetivos secundários' que são feitos sem mídia, reconhecimento ou alarde.

Responda-o
#7
FOI O LIMITE DA VAGABUNDAGEM E CONIVÊNCIA!
Algumas pessoas nunca enlouquecem. Que vida horrível elas devem levar.
Responda-o
#8
Superei limites de forma imposta. Perdi meu pai. Tentando superar alguns relacionados ao evento.
Responda-o
#9
9 anos da criação do Instagram e nunca criei uma conta.

Também foi mais um ano que não tirei uma selfie.

Invicto.
Responda-o
#10
O ano de 2019 foi o ano em que eu exerci maior controle sobre a minha própria mente. Eu consegui ignorar a maioria das vozes que tentavam me sabotar sempre que eu pensava em fazer algo difícil.

Venci definitivamente a pornografia; estudei para concursos o período mais longo em toda a minha caminhada; estou há mais de 1 ano fazendo musculação; etc.

Sempre tive o problema de querer deixar as coisas de lado quando não me via chegando próximo da perfeição. Se na minha cabeça eu não estava fazendo algo do jeito certo, o excesso de pensamentos me levava a desistir da atividade durante um tempo. Eu só voltava a fazer a atividade depois de me autossabotar, quando percebia que por ter parado o que eu vinha fazendo habitualmente, estava pior do que quando parei, intelectual e fisicamente.

Então, esse ano foi muito produtivo nesse sentido, eu joguei no lixo uma enxurrada de hábitos deletérios e não deixei a minha mente me sabotar nos hábitos importantes para o meu desenvolvimento pessoal. Sucesso é muito mais sobre excluir o que faz mal, do que querer acrescentar atividades a rotina. Pensar menos e agir mais também faz muita diferença.
Responda-o
#11
Parabéns aos confrades pelas batalhas lutadas e vencidas.
Mas esse relato do @Indomável foi absurdo. Meus parabéns, cara, deveras motivador o seu texto.
"Sento no chão e comemoro silenciosamente a minha vitória invisível. Eu consegui. Nem sequer uma foto, vídeo ou registro do feito. Somente a sensação inexplicável de conseguir bater essa meta."
Simplesmente do caralho, puta que o pariu.

Eu passei por muitas experiências em 2019. Algumas boas, outras péssimas. Faz parte da vida e o importante é tirar lição de tudo. Muito aprendizado, de fato.
Meu objetivo principal em 2019 não foi conquistado. Falhei. E procrastinei demais em dezembro, tudo errado.

Enfim, apesar de tudo, foi um ano bom.
Mas 2020 pode, deve e SERÁ melhor, pois depende de mim e farei até o impossível para conseguir meus objetivos (sempre com honestidade e honra).
Responda-o
#12
Esse ano consegui finalizar uma meta que consumiu meus últimos três anos, mas mesmo assim termino o ano um pouco decepcionado comigo mesmo.

Preciso melhorar muita coisa ainda, principalmente em relação à minha forma e ao meu condicionamento físico, e à minha postura.

É vergonhoso olhar para o meu planejamento de 2019 que fiz no fim do ano de 2018 e saber que eu podia ter feito mais, ou pelo menos ter feito.
Em tudo dai graças.

Responda-o
#13
Tinha quatro objetivos pessoais pra 2019

- Aprender a tocar ukulele;
- Aprender a falar espanhol fluente;
- Aprender a dançar forró;
- Aprender sobre investimentos em renda variável;

O primeiro, cheguei a comprar o Ukulele no início do ano, mas a prática solitária por meio de vídeos no youtube só durou quinze dias.
O segundo fui começar a botar em prática somente mês passado com a compra do curso, está em processo e com certeza finalizarei em 2020.
O terceiro nem comecei.
O quarto foi o único que consegui completa de modo satisfatório.

Pra 2020 não vou mais querer abraçar o mundo com as pernas. Vou focar no espanhol, e só. 2021 busco outra meta e por aí vai. Não preciso de pressa pra hobbie.

Profissionalmente, por ser servidor público, não há muito que se falar em metas. Mas comecei meu empreendimento online, o site está sendo desenvolvido desde setembro pelos freelas que contratei, em 2020 passo a divulgar.

O objetivo pra 2020 é focar em fazer menos, uma meta pessoal e uma profissional.

A meta pessoal é aprender o espanhol fluente.
A meta profissional é ter uma segunda renda, ainda que mínima, com meu empreendimento online.

O que vier além disso é lucro.

Pro ano que vem desejo voltar com alguns hábitos que foram vilipendiados e não tiveram a sequência que gostaria nesse ano de 2019, de maneira como tive em 2018: meditação e banho gelado.

Esses são fundamentais.

Pretendo também praticar o nofap (sexo pode) por um tempo, fiquei esse ano mais de 100 dias e foi um período muito bom.
"É muito mais fácil comprar produtos que indicam superioridade do que ser realmente superior..."
Responda-o
#14
Qual limite você rompeu esse ano?

de peso Sad

de patrimônio Smile
Responda-o
#15
comecei a malhar. sempre fui um drogado magrelo - um legítimo produto da mtv e da modernidade.

Com a malhação, consegui ter uma visão diferente de tudo. Encontrei a motivação para largar a maldita maconha. Essa reação em cadeia me fez ser mais competitivo no trabalho e na esfera acadêmica. Larguei meu estágio de merda que só me explorava (tenho uma capacidade técnica muito superior a dos meus colegas de sala, mas não me importava com isso pq a maconha torna o homem medíocre), e estou ajudando meu pai a reformar uma casa para alugarmos - carregando terra e auxiliando nas atividades do escopo de pedreiro - com muito orgulho, inclusive.
Consequentemente, me tornei mais seguro, comecei a dispensar vadias vileiras interesseiras que so queriam sugar minhas energias, parei de dar importância para os humanóides betas (ou be(s)tas) que acham que a vida se resume a muié - que faziam comentários do tipo "vc precisa de uma buceta, cara. so pensa em trabalho". Antigamente eu os retrucava, mas percebi que isso não vale a pena e agora respondo com uma Joinha e um sorriso sacana de quem sabe oq está fazendo.

Me afastei dos amigos maconheiros de maneira súbita e imponente - tentei tira-los desta vida, mas como todo bom viciado que são, começaram a me ver como um inimigo. Com o afastamento dos "amigos", automaticamente me aproximei da minha família e comecei a conquistar o respeito das minhas sobrinhas. Que são crianças travessas mas que passaram a me respeitar quando eu perceberam que meu semblante ficou mais imponente e incisivo.

Essa transformação tem apenas 3 meses. Renasci e estou pronto para começar o próximo ano com a motivação de ter uma vida digna.
Responda-o
#16
(29-12-2019, 10:43 AM)lokoman Escreveu: comecei a malhar. sempre fui um drogado magrelo - um legítimo produto da mtv e da modernidade.

Com a malhação, consegui ter uma visão diferente de tudo. Encontrei a motivação para largar a maldita maconha. Essa reação em cadeia me fez ser mais competitivo no trabalho e na esfera acadêmica. Larguei meu estágio de merda  que só me explorava (tenho uma capacidade técnica muito superior a dos meus colegas de sala, mas não me importava com isso pq a maconha torna o homem medíocre), e estou ajudando meu pai a reformar uma casa para alugarmos - carregando terra e auxiliando nas atividades do escopo de pedreiro - com muito orgulho, inclusive.
Consequentemente, me tornei mais seguro, comecei a dispensar vadias vileiras interesseiras que so queriam sugar minhas energias, parei de dar importância para os humanóides betas (ou be(s)tas)  que acham que a vida se resume a muié - que faziam comentários do tipo "vc precisa de uma buceta, cara. so pensa em trabalho". Antigamente eu os retrucava, mas percebi que isso não vale a pena e agora respondo com uma Joinha e um sorriso sacana de quem sabe oq está fazendo.

Me afastei dos amigos maconheiros de maneira súbita e imponente - tentei tira-los desta vida, mas como todo bom viciado que são, começaram a me ver como um inimigo. Com o afastamento dos "amigos", automaticamente me aproximei da minha família e comecei a conquistar o respeito das minhas sobrinhas. Que são crianças travessas mas que passaram a me respeitar quando eu perceberam que meu semblante ficou mais imponente e incisivo.

Essa transformação tem apenas 3 meses. Renasci e estou pronto para começar o próximo ano com a motivação de ter uma vida digna.


Parabéns, permaneça no caminho e seja resiliente.
"Paulistarum Terra Matter..."
Responda-o
#17
(29-12-2019, 10:43 AM)lokoman Escreveu: comecei a malhar. sempre fui um drogado magrelo - um legítimo produto da mtv e da modernidade.

Com a malhação, consegui ter uma visão diferente de tudo. Encontrei a motivação para largar a maldita maconha. Essa reação em cadeia me fez ser mais competitivo no trabalho e na esfera acadêmica. Larguei meu estágio de merda  que só me explorava (tenho uma capacidade técnica muito superior a dos meus colegas de sala, mas não me importava com isso pq a maconha torna o homem medíocre), e estou ajudando meu pai a reformar uma casa para alugarmos - carregando terra e auxiliando nas atividades do escopo de pedreiro - com muito orgulho, inclusive.
Consequentemente, me tornei mais seguro, comecei a dispensar vadias vileiras interesseiras que so queriam sugar minhas energias, parei de dar importância para os humanóides betas (ou be(s)tas)  que acham que a vida se resume a muié - que faziam comentários do tipo "vc precisa de uma buceta, cara. so pensa em trabalho". Antigamente eu os retrucava, mas percebi que isso não vale a pena e agora respondo com uma Joinha e um sorriso sacana de quem sabe oq está fazendo.

Me afastei dos amigos maconheiros de maneira súbita e imponente - tentei tira-los desta vida, mas como todo bom viciado que são, começaram a me ver como um inimigo. Com o afastamento dos "amigos", automaticamente me aproximei da minha família e comecei a conquistar o respeito das minhas sobrinhas. Que são crianças travessas mas que passaram a me respeitar quando eu perceberam que meu semblante ficou mais imponente e incisivo.

Essa transformação tem apenas 3 meses. Renasci e estou pronto para começar o próximo ano com a motivação de ter uma vida digna.

Parabéns e continue firme, uma vida nova de maior liberdade é possível, esse é o segredo eliminar o desnecessário e começar a busca a ascenção.

                Veni, vidi, vici
.
Responda-o
#18
2019 começou meio turbulento, estava em um emprego que era horrível e em fevereiro eu fiz minha carta de demissão a punho e sumi no horizonte. (Estou desempregado até hoje, mas com fé que 2020 eu consiga outro).

Voltei a frequentar esse ambiente hostil chamado REAL, refiz algumas leituras.

Exclui todas as redes sociais a cerca de quatro meses, era muito tempo perdido.

Ontem dia 28 completou um ano que deixei o vício do cigarro, eu fumei dos treze até os trinta e dois anos, é incrível como me sinto bem sem o maldito cigarro. No início foi complicado tive depressão nos três primeiros meses.

Durante todo esse ano não consumi nada de bebidas alcoólicas, vivo muito bem sem elas, essa parte não tive nenhuma dificuldade.

Em dezembro dei início a uma dieta sozinho, sem ajuda direta de ninguém, já eliminei dez quilos, é muito pouco comparado com o que preciso perder mas já é um pequena vitória.

Comecei a fazer caminhadas diárias e fui aumentando gradativamente o tempo e já faço treze quilômetros. (Para um gordo sedentário é muita coisa).

Resumo:
 - Larguei emprego bosta.
- Voltei a frequentar o fórum. 
- Exclui todas as redes sociais. 
- Parei de fumar.
- Parei de Beber.
- Comecei minha dieta.
- Comecei a caminhar.
- Perdi 10 quilos.
Avante Senhores!
Não Tá Morto Quem Peleia!
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 2 Visitante(s)