Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Você está desanimado?
#1
Você está desanimado?
(por C.O.B.R.A)

[Image: D7M2gVL.jpg]

Quantos de nós (acredito que todos nós) nos deparamos com aquelas situações em que nos encontramos desanimados, “pra baixo”, sem disposição, incrédulos com tudo e com todos.

Incrédulos com a vida com as pessoas e com a nossa situação.

Garanto que até o mais otimista dos otimistas, já se encontrou assim um dia. E Por motivos diversos:

-Aquela promoção que não sai;

-Aquele emprego que não chega;

-Aquele concurso que não é aprovado por pouco;

-Aquela massa muscular chatinha que insiste em não aparecer nem pegando muito peso;

-A faculdade que insiste em te ferrar por mais que você estude;

-A paz interior que todo mundo busca...

Passamos por dificuldades na vida, justamente porquê se chama “Vida”. Se não fosse isso, a vida não se chamaria vida. Se chamaria “Fácil”.

A vida é um jogo. E ela é que dá as cartas. Sempre.

Alguns nascem com o baralho completinho. Outros nascem com ele pela metade, outros ainda, nascem com cartas ruins, porém, TODOS estão no jogo.

E com a chance de vencer.

Não importando se a chance é grande, boa, favorável, ruim ou remota.

Se estão sofrendo agora, transformem o sofrimento e angústia de vocês em força de vontade, determinação e coragem!

Coragem!

Não importa o que façam, seja lá o que for, façam o melhor!

Lembrem-se:
   O sofrimento é passageiro... 
                                                  ...a glória é para sempre!


Este texto faz parte do projeto: Segunda das Relíquias Perdidas.
Responda-o
#2
Boa noite, confrade (s)!!!

Eu ando bem desanimado, desiludido, tentando me animar.Eu sempre sofri em minha vida, tive momentos bons, felizes, mas sempre sofri.Venho de uma família simples, meu pai analfabeto, mas trabalhador e honesto (in memorian), minha mãe alfabetizada, mas simples, honesta e honrada (in memorian).

Tenho a idade de 56 anos e só comecei a ser mais feliz aos 30 anos, após eu constituir família, antes eu morava só.Sempre, desde os 07 aos de idade sofro com os problemas visuais, miopia muito forte, que consegui operar no ano de 1994, na época estava com 28 graus em um olho e e 26,5 grau no outro.Eu estudava violão erudito neste ano de 1994, após minha cirurgia nos olhos, eu ingressei no estudo do segundo grau, no ensino médio.Durante o dia eu trabalhava no serviço que até hoje trabalho em um órgão público como auxiliar de serviços gerais.Estou lá desde o ano de 1989, já prestei concurso para outros cargos, mas não consegui sair de minha ocupação.

Após conclusão do ensino médio, eu ingressei em uma universidade privada, cursei durante 05 anos o curso de Direito, me formei, e durante alguns anos estudando e sendo reprovado eu passei no exame da OAB, isto foi no ano de 2008.Em 2009, eu peguei minha carteira definitiva como advogado e no ano de 2009 fui afastado do meu trabalho, por estar gravemente com problema nos olhos.Fiquei quase 10 anos afastado do meu trabalho.

Fiquei 05 anos em auxílio-doença, depois quase 05 anos em aposentadoria por invalidez, eu sou do regime jurídico da CLT, concursado no meu trabalho.Retornei ao trabalho em 2018 e voltei a advogar também, pois afastado do meu trabalho no órgão público, não pude exercer minha atividade de advogado. Ah!! Senhores, eu ando desanimado, eu ando condenado à cegueira, sem perspectiva de melhora, meu problema é glaucoma, astigmatismo, catarata, não posso operar a catarata, pois minha retina é muito fina e o globo ocular é largo e grande, o glaucoma eu controlo com o uso de colírio desde o ano de 2005.

Eu o ano passado concluí um curso de MBA em Direito e Processo do Trabalho e Direito Previdenciário, no entanto com a reforma da previdência, houve drástica mudança nos benefícios previdenciários, aí quando entramos no ano de 2020, eu fiz matrícula em curso de pós em Direito Previdenciário via on line, venho estudando bem devagar, bem desanimado, paralelamente ao estudo da pós eu curto estudar violão erudito, só que ando estudando só, gosto demais de tocar violão e minha guitarra, só que ando descontrolado no tempo, não me dedicando ao estudo da pós.
Vou me revoltando com a situação que me encontro, a perda gradativa dos meus olhos, a falta de valorização do meu trabalho (tenho quase 31,5 anos de trabalho), no meu trabalho no órgão público tem pessoas que conseguem uma indicação de um cargo em comissão, mesmo sendo funcionário público, só que estão em cargo de oficial administrativo, eu creio que o cargo que ocupo me impede de conseguir uma oportunidade assim, há uma forte discriminação.

Aluguei uma sala para trabalhar no mês de maio de 2019, pago o aluguel com o meu trabalho no serviço público, eu trabalho a noite como plantonista e durante o dia eu ia para a sala, sem antes de ir para academia treinar, saio do trabalho pela manhã, vou prá casa, tomo um café e pão, malho um pouco e depois vou para o meu escritório.Com quase 01 deste aluguel desta sala, eu não tive nenhum cliente.Tenho clientes, só da defensoria pública, pois prá não parar de vez eu exerço o trabalho de advogado dativo.


Pois é, já pensei várias vezes ir embora do país, no entanto, temo.Tenho medo de ocorrer o descolamento das retinas, pois corro o risco.Fico na dúvida se continuo e me dedico, pois não ando dedicando ao estudo da pós em Direito Previdenciário.Eu só consigo ler agora no computador, pois já não leio mais os livros, eu no mesmo adapto a leitura ao tamanho da letra. Tem dias que fico só no violão estudando e sonhando em ser músico, mas por outro lado fica minha consciência me cobrando prá não desistir dos meus estudos da minha profissão de advogado.Como disse tenho família, eu tenho um filho do coração, agora tem 24 anos, veio prá nós com idade de quase 05 anos.

Tem hora que me acho um fracasso, pois me esforcei tanto, não consegui mudar minha situação financeira e isto eu me cobro sempre.Por isso, vim aqui ao Legado Realista, não sei se aqui nesta página é o local correto prá eu conseguir uma palavra de apoio, de ânimo.Muito obrigado pelo espaço.Se não for este espaço eu posso publicar em outro local?

SP, 26/04/20-domingo.

Dsamfer
Responda-o
#3
Eu fico desanimado com as atitudes do povo brasileiro. Não me identifico com essa prática geral de fazer tudo nas coxas, tentar levar vantagem em tudo, não buscar minimamente a excelência no trabalho. Sei que essas coisas existem em qualquer lugar do mundo e não existe cultura perfeita, mas aqui é exacerbado.

Claro que não é correto ficar reclamando no lugar de mudar a própria realidade, mas o entorno acaba fazendo muita diferença. É difícil alterar comportamentos adquiridos na infância ao viver em meio tão improdutivo, ainda mais se mantendo no mesmo meio.

O que nos resta é ficar em pé em meio às ruínas? Ou buscar outros horizontes?

Eu tenho um plano formado de sair do Brasil em 3 anos, imagino que isso resolva boa parte do meu problema com desânimo. Gostaria que os confrades partilhassem as suas opiniões.
Responda-o
#4
Legal trazer esse tópico (...acredito que bem antigo!) para o debate, mas vem cá:

Homem (...não moleque!) não tem tempo para se sentir desanimado, chateadinho com a vida, magoadinho pelo fato que algo não deu certo - mesmo que algo, por menor ou maior que seja, demande determinado tempo, esforço e dificuldade para se concretizar, o cara tem por obrigação fazer por onde dar certo e fim de papo!

Perdeu um ente querido? Está sofrendo de alguma moléstia grave? ...caso negativo, arregace as mangas e vá à luta e não reclame!

A grande maioria tem um teto para se abrigar, mais do que 2 refeições por dia, saúde e um emprego digno... e ainda sim, vai se sentir desanimado? É o que eu sempre cito dessa porra da geração punheteira.

Citação:-Aquela promoção que não sai;

-Aquele emprego que não chega;

-Aquele concurso que não é aprovado por pouco;

-Aquela massa muscular chatinha que insiste em não aparecer nem pegando muito peso;

-A faculdade que insiste em te ferrar por mais que você estude;

-A paz interior que todo mundo busca...

O cidadão que cria desculpas e se vitimiza por causa dos exemplos acima é moleque e vai se foder muito na vida até aprender que o que realmente move a coisa é disciplina, foco, determinação e não expectativas!

...segue o debate!
"Fiat justitia, et pereat mundus..."

#somostodosvelhos
Responda-o
#5
(26-04-2020, 10:54 PM)dsamfer Escreveu: Boa noite, confrade (s)!!!

               Eu ando bem desanimado, desiludido, tentando me animar.Eu sempre sofri em minha vida, tive momentos bons, felizes, mas sempre sofri.Venho de uma família simples, meu pai analfabeto, mas trabalhador e honesto (in memorian), minha mãe alfabetizada, mas simples, honesta e honrada (in memorian).

              Tenho a idade de 56 anos e  só comecei a ser mais feliz aos 30 anos, após eu constituir família, antes eu morava só.Sempre, desde os 07 aos de idade sofro com os problemas visuais, miopia muito forte, que consegui operar no ano de 1994, na época estava com 28 graus em um olho e  e 26,5 grau no outro.Eu estudava violão erudito neste ano de 1994, após minha cirurgia nos olhos, eu ingressei no estudo do segundo grau, no ensino médio.Durante o dia eu trabalhava no serviço que até hoje trabalho em um órgão público  como auxiliar de serviços gerais.Estou lá desde o ano de 1989, já prestei concurso para outros cargos, mas não consegui sair de minha ocupação.

            Após conclusão do ensino médio, eu ingressei em uma universidade privada, cursei durante 05 anos o curso de Direito, me formei, e durante alguns anos estudando e sendo reprovado eu passei no exame da OAB, isto foi no ano de 2008.Em 2009, eu peguei minha carteira definitiva como advogado e no ano de 2009 fui afastado do meu trabalho, por estar gravemente com problema nos olhos.Fiquei quase 10 anos afastado do meu trabalho.

             Fiquei 05 anos em auxílio-doença, depois quase 05  anos em aposentadoria por invalidez, eu sou do regime jurídico da CLT,  concursado no meu trabalho.Retornei ao trabalho em 2018 e voltei a advogar também, pois afastado do meu trabalho no órgão público, não pude exercer minha atividade de advogado. Ah!! Senhores, eu ando desanimado, eu ando condenado à cegueira, sem perspectiva de melhora, meu problema é glaucoma, astigmatismo, catarata, não posso operar a catarata, pois minha retina é muito fina e o globo ocular é largo e grande, o glaucoma eu controlo com o uso de colírio desde o ano de 2005.

                 Eu o ano passado concluí um curso de MBA em Direito e Processo do Trabalho e Direito Previdenciário, no entanto com a reforma da previdência, houve drástica mudança nos benefícios previdenciários, aí quando entramos no ano de 2020, eu fiz matrícula em curso de pós em Direito Previdenciário via on line, venho estudando bem devagar, bem desanimado, paralelamente ao estudo da pós eu curto estudar violão erudito, só que ando estudando só, gosto demais de tocar violão e minha guitarra, só que ando descontrolado no tempo, não me dedicando ao estudo da pós.
Vou me revoltando com a situação que me encontro, a perda gradativa dos meus olhos, a falta de valorização do meu trabalho (tenho quase 31,5 anos de trabalho), no meu trabalho no órgão público tem pessoas que conseguem uma indicação de um cargo em comissão, mesmo sendo funcionário público, só que estão em cargo de oficial administrativo, eu creio que o cargo que ocupo me impede de conseguir uma oportunidade assim, há uma forte discriminação.

                       Aluguei uma sala para trabalhar no mês de maio de 2019, pago o aluguel com o meu trabalho no serviço público, eu trabalho a noite como plantonista e durante o dia eu ia para a sala, sem antes de ir para academia treinar, saio do trabalho pela manhã, vou prá casa, tomo um café e pão, malho um pouco e depois vou para o meu escritório.Com quase 01 deste aluguel desta sala, eu não tive nenhum cliente.Tenho clientes, só da defensoria pública, pois prá não parar de vez eu exerço o trabalho de advogado dativo.

           
                     Pois é, já pensei várias vezes ir embora do país, no entanto, temo.Tenho medo de ocorrer o descolamento das retinas, pois corro o risco.Fico na dúvida se continuo e me dedico, pois não ando dedicando ao estudo da pós em Direito Previdenciário.Eu só consigo ler agora no computador, pois já não leio mais os livros, eu no mesmo adapto a leitura ao tamanho da letra. Tem dias que fico só no violão estudando e sonhando em ser músico, mas por outro lado fica minha consciência me cobrando prá não desistir dos meus estudos da minha profissão de advogado.Como disse tenho família, eu tenho um filho do coração, agora tem 24 anos, veio prá nós com  idade de quase 05 anos.

                   Tem hora que me acho um fracasso, pois me esforcei tanto, não consegui mudar minha situação financeira e isto eu me cobro sempre.Por isso, vim aqui ao Legado Realista, não sei se aqui nesta página é o local correto prá eu conseguir uma palavra de apoio, de ânimo.Muito obrigado pelo espaço.Se não for este espaço eu posso publicar em outro local?

SP, 26/04/20-domingo.

Dsamfer

Força, irmão. Continua na luta, isso é para te fortalecer, apesar de parecer uma tormenta eterna. Tenta dividir o tempo entre a música e a advocacia, dá para fazer os dois, é só saber administrar o tempo.
Responda-o
#6
Spoiler Revelar
Citação:@"dsamfer"

Boa noite, confrade (s)!!!


Eu ando bem desanimado, desiludido, tentando me animar.Eu sempre sofri em minha vida, tive momentos bons, felizes, mas sempre sofri.Venho de uma família simples, meu pai analfabeto, mas trabalhador e honesto (in memorian), minha mãe alfabetizada, mas simples, honesta e honrada (in memorian).

Tenho a idade de 56 anos e só comecei a ser mais feliz aos 30 anos, após eu constituir família, antes eu morava só.Sempre, desde os 07 aos de idade sofro com os problemas visuais, miopia muito forte, que consegui operar no ano de 1994, na época estava com 28 graus em um olho e e 26,5 grau no outro.Eu estudava violão erudito neste ano de 1994, após minha cirurgia nos olhos, eu ingressei no estudo do segundo grau, no ensino médio.Durante o dia eu trabalhava no serviço que até hoje trabalho em um órgão público como auxiliar de serviços gerais.Estou lá desde o ano de 1989, já prestei concurso para outros cargos, mas não consegui sair de minha ocupação.

Após conclusão do ensino médio, eu ingressei em uma universidade privada, cursei durante 05 anos o curso de Direito, me formei, e durante alguns anos estudando e sendo reprovado eu passei no exame da OAB, isto foi no ano de 2008.Em 2009, eu peguei minha carteira definitiva como advogado e no ano de 2009 fui afastado do meu trabalho, por estar gravemente com problema nos olhos.Fiquei quase 10 anos afastado do meu trabalho.

Fiquei 05 anos em auxílio-doença, depois quase 05 anos em aposentadoria por invalidez, eu sou do regime jurídico da CLT, concursado no meu trabalho.Retornei ao trabalho em 2018 e voltei a advogar também, pois afastado do meu trabalho no órgão público, não pude exercer minha atividade de advogado. Ah!! Senhores, eu ando desanimado, eu ando condenado à cegueira, sem perspectiva de melhora, meu problema é glaucoma, astigmatismo, catarata, não posso operar a catarata, pois minha retina é muito fina e o globo ocular é largo e grande, o glaucoma eu controlo com o uso de colírio desde o ano de 2005.

Eu o ano passado concluí um curso de MBA em Direito e Processo do Trabalho e Direito Previdenciário, no entanto com a reforma da previdência, houve drástica mudança nos benefícios previdenciários, aí quando entramos no ano de 2020, eu fiz matrícula em curso de pós em Direito Previdenciário via on line, venho estudando bem devagar, bem desanimado, paralelamente ao estudo da pós eu curto estudar violão erudito, só que ando estudando só, gosto demais de tocar violão e minha guitarra, só que ando descontrolado no tempo, não me dedicando ao estudo da pós.
Vou me revoltando com a situação que me encontro, a perda gradativa dos meus olhos, a falta de valorização do meu trabalho (tenho quase 31,5 anos de trabalho), no meu trabalho no órgão público tem pessoas que conseguem uma indicação de um cargo em comissão, mesmo sendo funcionário público, só que estão em cargo de oficial administrativo, eu creio que o cargo que ocupo me impede de conseguir uma oportunidade assim, há uma forte discriminação.

Aluguei uma sala para trabalhar no mês de maio de 2019, pago o aluguel com o meu trabalho no serviço público, eu trabalho a noite como plantonista e durante o dia eu ia para a sala, sem antes de ir para academia treinar, saio do trabalho pela manhã, vou prá casa, tomo um café e pão, malho um pouco e depois vou para o meu escritório.Com quase 01 deste aluguel desta sala, eu não tive nenhum cliente.Tenho clientes, só da defensoria pública, pois prá não parar de vez eu exerço o trabalho de advogado dativo.


Pois é, já pensei várias vezes ir embora do país, no entanto, temo.Tenho medo de ocorrer o descolamento das retinas, pois corro o risco.Fico na dúvida se continuo e me dedico, pois não ando dedicando ao estudo da pós em Direito Previdenciário.Eu só consigo ler agora no computador, pois já não leio mais os livros, eu no mesmo adapto a leitura ao tamanho da letra. Tem dias que fico só no violão estudando e sonhando em ser músico, mas por outro lado fica minha consciência me cobrando prá não desistir dos meus estudos da minha profissão de advogado.Como disse tenho família, eu tenho um filho do coração, agora tem 24 anos, veio prá nós com idade de quase 05 anos.

Tem hora que me acho um fracasso, pois me esforcei tanto, não consegui mudar minha situação financeira e isto eu me cobro sempre.Por isso, vim aqui ao Legado Realista, não sei se aqui nesta página é o local correto prá eu conseguir uma palavra de apoio, de ânimo.Muito obrigado pelo espaço.Se não for este espaço eu posso publicar em outro local?

SP, 26/04/20-domingo.

Dsamfer

Estarrecido irmão, me fez refletir algumas coisas sobre isso, porém você veio pedir um conselho e está no lugar certo, está casa ajuda e tem ajudado muito homens, eu fui um deles e aqueles que realmente aplicam o que aprendem aqui tem muito a se beneficiar, porém o que um cara como eu posso aconselhar, sendo que tenho metade da sua idade ? 

O que posso fazer nessa situação é utilizar de homens de muita sabedoria que deixaram sua marca do mundo, e hoje irei citar como modo de ajuda o Schopenhauer, o Rei Salomão e Fernando Pessoa, cuja inteligência para problemas contidianos e para a vida foi exposta em seus escritos, sendo assim segue alguns conselhos.

1 - A vida de um homem é baseado em percepção do mesmo, um cara com mente de fracasado mesmo tento tudo irá fracasar na vida, um pobre com mente de crescimento irá ter sucesso, Schopenhauer diz:"O mundo em que cada qual vive depende principalmente de sua própria interpretação desse e, assim, mostra-se diferentemente a homens diferentes; para um é pobre, insípido e monótono, para outro é rico, interessante e importante." 

Claro que não é algo mecânico e vai depender de vários fatores e incógnitas da vida, por isso o Salamão fala no livro de Eclasiastes 7:15 diz: "Há justo que perece na sua justiça, e há ímpio que prolonga os seus dias na sua maldade." e complementa no capitulo 9:2: "Tudo sucede igualmente a todos; o mesmo sucede ao justo e ao ímpio, ao bom e ao puro, como ao impuro; assim ao que sacrifica como ao que não sacrifica; assim ao bom como ao pecador; ao que jura como ao que teme o juramento." Então não existe essa de "há eu dou o meu melhor e não dou bem na vida" existe alguns fatores que muitas vezes não vão para frente o importante é não desistir. é ruim lutando, pior é sem lutar.

2 - Não ache que a vida seria melhor se você acha que tendo isso ou aquilo mudará, claro sempre tenho que ponderá, exemplo, você não tem um caro e anda de ônibus e fica achando que se tivesse um caro tudo seria diferente, e eu digo, tudo irá depender de sua mentalidade e de outras circunstância da vida, vide conselho 1. Fernando Pessoa em um de seus poemas diz: "Falas de civilização, e de não dever ser, Ou de não dever ser assim. Dizes que todos sofrem, ou a maioria de todos, Com as cousas humanas postas desta maneira. Dizes que se fossem diferentes, sofreriam menos. Dizes que se fossem como tu queres, seria melhor. Escuto sem te ouvir. Para que te quereria eu ouvir? Ouvindo-te nada ficaria sabendo. Se as cousas fossem diferentes, seriam diferentes: eis tudo. Se as cousas fossem como tu queres, seriam só como tu queres. Ai de ti e de todos que levam a vida, a querer inventar a máquina de fazer felicidade!"

3 - Nunca desista, independente do que ocorra, sim, é fácil falar quando não se passa por aquilo, mais eu gostaria muito de ouvir caso estivesse em situação semelhante. Honre os maiores presente que Deus lhe deu,  ter Vida e ser Homem. Veja o caso de Beethoven, sua vida era de músico desde sua infância e ao longo da vida foi perdendo a audição, imagine para ele como ele deve ter ficado, pois bem, mesmo assim ele continuou e criou muitas obras ainda. 

Acho que já dá para entender o que pretendo passar, e outros correligionários desta casa deve passar mais conselhos, a maioria tem muita experiência. Sem mais.

                Passei, vi e, ao contrário deles, venci.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)