Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[REFLEXÃO] Um Desconforto Promissor
#1
Mudar o rumo da vida ou da carreira é sempre um desafio. Por opção ou por obrigação, estar numa posição de recomeço é quase sempre desconfortável.

Mas será que essa posição é de todo ruim? Será que desconfortável é assim tão desagradável? Será que precisa ser? Em alguns momentos é, mas é importante que eles sejam exceção da exceção. Por quê? Porque por trás desse desconforto pode se encontrar um cenário completamente oposto: agradável, sólido, satisfatório, íntegro e recompensador. É como o velho ditado que diz que "sempre depois de uma tempestade vem uma calmaria".

Essa calmaria, que é a analogia do que pode estar por trás de uma posição superficialmente desconfortável, pode não ser tão calma e plena assim no dia a dia, mas sim no seu "eu", que encontra paz interior no caos ao seu redor, uma vez que sabe que tudo aquilo é condição para um bom resultado, para algo maior que você tanto deseja.

As rédeas estão nas suas mãos. Seus anseios, suas ações, reações, projetos e especialmente seus resultados são de sua inteira responsabilidade, ainda que todos nós gostemos de contar com uma pitada de sorte ao nosso lado nos acompanhando! Isso é empreender: encontrar a calmaria e a certeza em meio ao caos dinâmico num emaranhado de incertezas, e saber que todo e qualquer output depende única e exclusivamente de você!

Você se sente confortável na sua situação atual? Sua vida profissional, seu status profissional? Sua propriedade técnica, suas habilidades, sua função e suas atividades do dia a dia te satisfazem? Independente da resposta – se sim, se não, se talvez ou se não sei –, vale a pena pensar um pouco nas possibilidades de um voo que esse "eu" pode alçar, seja ele profissional, pessoal ou social.

Lembrando que voo é qualquer deslocamento regular no espaço atmosférico sem contato regular com o solo. Seu "eu" não precisa atravessar o oceano para voar, especialmente num voo inaugural.

Um pequeno voo de atravessar a rua já pode ser suficiente para você descobrir uma nova perspectiva, um novo projeto, um novo modo, um novo objetivo, ou até mesmo um novo rumo. Qualquer um desses voos pode, por um momento, te introduzir àquele desconforto que comentamos antes: um recomeço. Mas e daí? Lembra que atrás desse desconforto pode existir um belo cenário? Lembra também que você detém as rédeas de tudo isso, e que é 100% responsável pelo resultado? Bom que lembra! Vale a pena nunca se esquecer disso. Em algum momento, sua vida – seu "eu" – pode se beneficiar e muito dessa lembrança.

Afinal, seja seu voo curto ou longo, ele sempre tem uma chegada, que dificilmente vai ser seu destino final, mas uma escala para um novo recomeço, e assim cíclica e continuamente. Quão disposto e atento você está para reconhecer o momento de alçar seu voo?

Fonte:  https://administradores.com.br/artigos/u...-promissor

-x-

Um Abraço Fraterno!
Responda-o
#2
Realmente mudar de vida dá um tremendo de um frio na barriga, um cagaço enorme. Especialmente quando é em um curto espaço de tempo.


A experiência pessoal que eu tenho já compartilhei por aqui. Primeiro foi vender meu negócio, que você acaba se apegando, apesar de sempre estar insatisfeito com a rotina. Fiquei dias sem dormir pra tomar a decisão. Foi foda. Acho que o maior cagaço que passei na vida (tirando as duas vezes que fui assaltado com direito à arma na cara por parte da rapaziada de QI mais baixo).


Segundo foi tomar a decisão de imigrar e investir um caminhão de dinheiro pra isso. Pelo andamento da coisa acho que verei grande parte do valor investido no meu bolso de novo, mas não é garantido.


Terceiro foi começar um negócio do zero num mercado onde eu nunca trabalhei nem de funcionário. Numa cultura totalmente diferente. Mais incerteza, mais frio na barriga.


Quarto foi largar um relacionamento que estava estabelecido por 4 anos. Aposto grana que muitos aqui colocariam aliança no dedo da minha ex, não teriam coragem de meter o pé. Porque muitos que se encontram nessa situação acabam se acomodando e abrindo mão de muitas coisas que não deveriam e de si mesmos.


Quinto, tentar muitas coisas novas que eu não imaginei que faria. Junto de pessoas que pensam totalmente diferente de nós brasileiros.


Confesso que fazer tudo isso foi feito num tremendo de um mal estar, uma incerteza filha da puta mesmo. E valeu a pena. Tudo valeu a pena. Mesmo as coisas que tive que abrir mão, como ficar longe da família (de todas as coisas, a mais difícil pra mim).


Eu diria que toda mudança onde o intuito é evolução sempre começa devagar, com muitos percalços e muito mal estar. Mas o tempo ajuda e você fica cada vez mais confortável nessa mudança. Quando você olha pra trás e vê todo o caminho que conseguiu percorrer e/ou tudo que conquistou, aprendeu, faz um bem tremendo.


Saber olhar pra trás é importante. As pessoas em geral, especialmente o brasileiro que sofre da memória de médio e longo prazo, não sabem olhar pra trás, pq isso não é algo natural. É um hábito que precisa ser adquirido. Foi por isso que meses atrás deixei isto aqui publicado no fórum. Um exercício muito importante de fazer.


No mais, é aquela coisa, parece clichê de coach mas não é: sair da zona de conforto faz bem e alavanca sua vida. E se formos pensar bem, ficar numa rotina por anos à fio, é um tremendo desperdício, pois não somos eternos. A não ser, é claro, que essa rotina traga tamanho bem estar.
Responda-o
#3
Todo dia nós ganhamos uma nova oportunidade de mudar de vida mas em compensação, todo dia nós perdemos uma. Tenho entrado quase que rotineiramente aqui no fórum nesses últimos dias e estou gostando bastante do rumo das discussões aqui postadas, são assuntos interessantíssimos sobre aleatoriedade, sorte, desenvolvimento intelectual, Q.I e inteligência, desafios individuais, mediocridade, personalidade e mudança de vida etc, creio que vagarosamente a mentalidade outrora arcaica será substituída por um forte e assentado desejo de evolução positiva, creio que este estágio será o início de uma nova era realística onde o foco será exclusivamente o desenvolvimento filosófico, físico, psicológico, intelectual e emocional com discussões e debates riquíssimos em conhecimento, algo inimaginável na sociedade hodierna, não que isso nunca tenha existido por aqui, mas percebo facilmente que o foco do fórum está mudando e pude notar isto pelo tempo que passei fora.  Muitas vezes não percebemos a mudança em nossa mentalidade pois somos condicionados a viver no piloto automático, somos levados pela maré e vivemos inconscientemente regidos por hábitos mecanizados, esse inclusive é o cerne de estudo de algumas vertentes do gnosticismo. É muito importante citar que estamos mudando constantemente, certo dia averiguando meus tópicos primevos, notei que minha mentalidade atual difere-se completamente daquela época, e depois que passei a catalogar meus hábitos e equiparar com meus resultados diários, é nítido notar algumas mudanças.

A real está verdadeiramente a anos-luz de distância do senso comum, mas em certo ponto creio que a vaidade que se instala em nosso ego nos impede de continuar aprendendo, não digo que é regra mas é como se estivéssemos convictos de que somos uma parte desfragmentada da realidade, seres especiais no caminho certo, é quase igual o sentimento que os religiosos rígidos sentem quando veem os hereges praticando suas heresias. Por esse motivo muitos nem possuem paciência para responder os novatos ou para dar créditos a novas discussões, entramos na plataforma por hábito, por costume. Devemos instigar a reflexão e o debate assim como está sendo feito por aqui. Tive que tomar algumas decisões difíceis recentemente que me deixaram completamente perdido, é como se eu estivesse em uma floresta, sem bússola e sem ao menos ter noção do mapa geográfico mas é como o Taleb redige no A Lógica do Cisne Negro, existem pessoas as quais ele chama de platonistas, que preferem o mapa ao invés do terreno geográfico, mas um mapa jamais poderá ser tão fidedigno quanto a experiência de explorar o solo, a natureza, a ambientalidade, então por mais que tenhamos enésimas informações a disposição, elas pouco ajudam quando se precisa tomar alguma decisão e eu tive que tomar, todos temos.

Eu tinha uma mentalidade de que o meu caminho era o certo enquanto o das outras pessoas nada condizia com a "realidade", eu estava imerso em um poço artesanal recheado com a vaidade intelectual, era um platonista, importava-me muito o mapa, pouco o terreno real, vi posteriormente que até um indivíduo sem nenhuma instrução acadêmica possui a capacidade de te ensinar algo. Percebo que as pessoas querem falar muito, querem angariar seguidores para seus séquitos, ninguém perde a palavra, mas é o que eu aprendi com o tempo, aprende-se mais ouvindo do que falando, fazendo do que planejando. Fiz um prognóstico das habilidades do futuro, àquelas que serão verdadeiramente decisivas no desenvolvimento pessoal e indispensáveis às sociedades futurísticas e a primeira é a tomada de decisões difíceis, ela está disparadamente no topo, é a capacidade de conviver naturalmente com a pressão e não sucumbir perante as dificuldades, sei que já é um requisito para algum CEO ou líder empresarial mas em um futuro breve, será exigida por todos os que querem continuar sobrevivendo em sociedade, confesso que estou engatinhando nessa arte mas digo que todo começo já é por si só um resultado. Uma das maneiras que encontrei para lidar com alguns eventuais problemas foi catalogar meus resultados e compará-los diariamente com os antigos, frequentemente você costuma mentir para si mesmo e se colocar em um patamar relativamente alto perante ao seu estado atual de desenvolvimento mas os números não mentem, a estipulação de metas e a organização são cruciais em qualquer processo de redescobrimento, é difícil ser franco e verdadeiro consigo mesmo. 

Todas as obras clássicas, de Aristóteles, de Platão, de Sêneca fazem sentido porque foram redigidas por pessoas francas e sinceras que buscavam o reconhecimento do terreno ao invés do mapa. Não se encontra sabedoria nas escolas mas na vivência, todo mundo aqui já sabe disso, acontece que é inevitável não nos excitarmos com informações novas, estar em um ambiente de discussões sofisticadas ou de informações privilegiadas é uma pitada de envenenamento no ego, você se sente uma divindade, o pecado mais incisivo atualmente é a gula, e não refiro-me ao aspecto alimental mas sim à gula de querermos a perfeição, de querermos ser bons em tudo, de querermos uma vida semelhante a de celebridades, a de queremos nos entupir com o máximo de informação possível a fim de nos sentirmos blindados em nossas bolhas informacionais. A pior dificuldade de se tomar uma decisão difícil é querer insistir no erro, é o medo de perder que aniquila o desejo de ganhar, saber o tempo das coisas é uma dádiva divina, está disponível para todos mas possui um preço, ninguém muda da noite para o dia, mas pode mudar do dia para a noite repetindo isso incansavelmente até quando não se tem uma visão clara do horizonte, bom marinheiro é aquele persistente.
 

Responda-o
#4
Spoiler Revelar
(01-07-2019, 09:50 PM)Mr. Rover Escreveu: Realmente mudar de vida dá um tremendo de um frio na barriga, um cagaço enorme. Especialmente quando é em um curto espaço de tempo.


A experiência pessoal que eu tenho já compartilhei por aqui. Primeiro foi vender meu negócio, que você acaba se apegando, apesar de sempre estar insatisfeito com a rotina. Fiquei dias sem dormir pra tomar a decisão. Foi foda. Acho que o maior cagaço que passei na vida (tirando as duas vezes que fui assaltado com direito à arma na cara por parte da rapaziada de QI mais baixo).


Segundo foi tomar a decisão de imigrar e investir um caminhão de dinheiro pra isso. Pelo andamento da coisa acho que verei grande parte do valor investido no meu bolso de novo, mas não é garantido.


Terceiro foi começar um negócio do zero num mercado onde eu nunca trabalhei nem de funcionário. Numa cultura totalmente diferente. Mais incerteza, mais frio na barriga.


Quarto foi largar um relacionamento que estava estabelecido por 4 anos. Aposto grana que muitos aqui colocariam aliança no dedo da minha ex, não teriam coragem de meter o pé. Porque muitos que se encontram nessa situação acabam se acomodando e abrindo mão de muitas coisas que não deveriam e de si mesmos.


Quinto, tentar muitas coisas novas que eu não imaginei que faria. Junto de pessoas que pensam totalmente diferente de nós brasileiros.


Confesso que fazer tudo isso foi feito num tremendo de um mal estar, uma incerteza filha da puta mesmo. E valeu a pena. Tudo valeu a pena. Mesmo as coisas que tive que abrir mão, como ficar longe da família (de todas as coisas, a mais difícil pra mim).


Eu diria que toda mudança onde o intuito é evolução sempre começa devagar, com muitos percalços e muito mal estar. Mas o tempo ajuda e você fica cada vez mais confortável nessa mudança. Quando você olha pra trás e vê todo o caminho que conseguiu percorrer e/ou tudo que conquistou, aprendeu, faz um bem tremendo.


Saber olhar pra trás é importante. As pessoas em geral, especialmente o brasileiro que sofre da memória de médio e longo prazo, não sabem olhar pra trás, pq isso não é algo natural. É um hábito que precisa ser adquirido. Foi por isso que meses atrás deixei isto aqui publicado no fórum. Um exercício muito importante de fazer.


No mais, é aquela coisa, parece clichê de coach mas não é: sair da zona de conforto faz bem e alavanca sua vida. E se formos pensar bem, ficar numa rotina por anos à fio, é um tremendo desperdício, pois não somos eternos. A não ser, é claro, que essa rotina traga tamanho bem estar.

@Mr. Rover, o agradeço imensamente por comentar este tópico e por nos participar da sua enriquecedora experiência!

Julgo por necessário que esta busca pelo "sempre mais" deva estar intrinsecamente ligada a nossa personalidade e, de fato, reitero que devemos e temos por obrigação estar nesta constante inquietação, a qual para muitos isso possa soar como loucura...

Neste sentido, afirmo que sacrifícios devam ser feitos nestas jornadas, pois o condicionamento passivo da acomodação da conquista almejada nos deixa em um patamar estagnante frente a novas perspectivas e oportunidades em qualquer flanco de nossa vida.

Outro ponto intrigante que gostaria de frisar neste contexto, são as nossas próprias análises em relação à estes estágios evolutivos, e perfazendo a ligação direta no tópico destacado por você, devemos sempre nos questionar a cada etapa outrora estabelecida:

"Planejei, executei e concluí... dei mais um passo, corrí riscos e finalmente conseguí... O que faço agora? O que vem a seguir? O que mais?"

Continue e não pare!

Não será fácil, será dolorido, nos exigirá cada vez mais, mas lá na frente isso será maravilhoso e teremos a certeza que fizemos a nossa parte e o melhor, por nós!

Um Abraço Fraterno!
Responda-o
#5
Spoiler Revelar
(01-07-2019, 11:26 PM)Dallas Escreveu: Todo dia nós ganhamos uma nova oportunidade de mudar de vida mas em compensação, todo dia nós perdemos uma. Tenho entrado quase que rotineiramente aqui no fórum nesses últimos dias e estou gostando bastante do rumo das discussões aqui postadas, são assuntos interessantíssimos sobre aleatoriedade, sorte, desenvolvimento intelectual, Q.I e inteligência, desafios individuais, mediocridade, personalidade e mudança de vida etc, creio que vagarosamente a mentalidade outrora arcaica será substituída por um forte e assentado desejo de evolução positiva, creio que este estágio será o início de uma nova era realística onde o foco será exclusivamente o desenvolvimento filosófico, físico, psicológico, intelectual e emocional com discussões e debates riquíssimos em conhecimento, algo inimaginável na sociedade hodierna, não que isso nunca tenha existido por aqui, mas percebo facilmente que o foco do fórum está mudando e pude notar isto pelo tempo que passei fora.  Muitas vezes não percebemos a mudança em nossa mentalidade pois somos condicionados a viver no piloto automático, somos levados pela maré e vivemos inconscientemente regidos por hábitos mecanizados, esse inclusive é o cerne de estudo de algumas vertentes do gnosticismo. É muito importante citar que estamos mudando constantemente, certo dia averiguando meus tópicos primevos, notei que minha mentalidade atual difere-se completamente daquela época, e depois que passei a catalogar meus hábitos e equiparar com meus resultados diários, é nítido notar algumas mudanças.

A real está verdadeiramente a anos-luz de distância do senso comum, mas em certo ponto creio que a vaidade que se instala em nosso ego nos impede de continuar aprendendo, não digo que é regra mas é como se estivéssemos convictos de que somos uma parte desfragmentada da realidade, seres especiais no caminho certo, é quase igual o sentimento que os religiosos rígidos sentem quando veem os hereges praticando suas heresias. Por esse motivo muitos nem possuem paciência para responder os novatos ou para dar créditos a novas discussões, entramos na plataforma por hábito, por costume. Devemos instigar a reflexão e o debate assim como está sendo feito por aqui. Tive que tomar algumas decisões difíceis recentemente que me deixaram completamente perdido, é como se eu estivesse em uma floresta, sem bússola e sem ao menos ter noção do mapa geográfico mas é como o Taleb redige no A Lógica do Cisne Negro, existem pessoas as quais ele chama de platonistas, que preferem o mapa ao invés do terreno geográfico, mas um mapa jamais poderá ser tão fidedigno quanto a experiência de explorar o solo, a natureza, a ambientalidade, então por mais que tenhamos enésimas informações a disposição, elas pouco ajudam quando se precisa tomar alguma decisão e eu tive que tomar, todos temos.

Eu tinha uma mentalidade de que o meu caminho era o certo enquanto o das outras pessoas nada condizia com a "realidade", eu estava imerso em um poço artesanal recheado com a vaidade intelectual, era um platonista, importava-me muito o mapa, pouco o terreno real, vi posteriormente que até um indivíduo sem nenhuma instrução acadêmica possui a capacidade de te ensinar algo. Percebo que as pessoas querem falar muito, querem angariar seguidores para seus séquitos, ninguém perde a palavra, mas é o que eu aprendi com o tempo, aprende-se mais ouvindo do que falando, fazendo do que planejando. Fiz um prognóstico das habilidades do futuro, àquelas que serão verdadeiramente decisivas no desenvolvimento pessoal e indispensáveis às sociedades futurísticas e a primeira é a tomada de decisões difíceis, ela está disparadamente no topo, é a capacidade de conviver naturalmente com a pressão e não sucumbir perante as dificuldades, sei que já é um requisito para algum CEO ou líder empresarial mas em um futuro breve, será exigida por todos os que querem continuar sobrevivendo em sociedade, confesso que estou engatinhando nessa arte mas digo que todo começo já é por si só um resultado. Uma das maneiras que encontrei para lidar com alguns eventuais problemas foi catalogar meus resultados e compará-los diariamente com os antigos, frequentemente você costuma mentir para si mesmo e se colocar em um patamar relativamente alto perante ao seu estado atual de desenvolvimento mas os números não mentem, a estipulação de metas e a organização são cruciais em qualquer processo de redescobrimento, é difícil ser franco e verdadeiro consigo mesmo. 

Todas as obras clássicas, de Aristóteles, de Platão, de Sêneca fazem sentido porque foram redigidas por pessoas francas e sinceras que buscavam o reconhecimento do terreno ao invés do mapa. Não se encontra sabedoria nas escolas mas na vivência, todo mundo aqui já sabe disso, acontece que é inevitável não nos excitarmos com informações novas, estar em um ambiente de discussões sofisticadas ou de informações privilegiadas é uma pitada de envenenamento no ego, você se sente uma divindade, o pecado mais incisivo atualmente é a gula, e não refiro-me ao aspecto alimental mas sim à gula de querermos a perfeição, de querermos ser bons em tudo, de querermos uma vida semelhante a de celebridades, a de queremos nos entupir com o máximo de informação possível a fim de nos sentirmos blindados em nossas bolhas informacionais. A pior dificuldade de se tomar uma decisão difícil é querer insistir no erro, é o medo de perder que aniquila o desejo de ganhar, saber o tempo das coisas é uma dádiva divina, está disponível para todos mas possui um preço, ninguém muda da noite para o dia, mas pode mudar do dia para a noite repetindo isso incansavelmente até quando não se tem uma visão clara do horizonte, bom marinheiro é aquele persistente.

@"Dallas", muito obrigado pelo comentário (...uma verdadeira aula!), aliás, todo seu pensamento e as minuciosas palavras estão colocadas de tal forma, que qualquer comentário de minha parte seria insignificante.

Um Abraço Fraterno!
Responda-o
#6
[Image: sisifo.jpg]

Homero faz Ulisses contar de sua viagem pelo Inferno:


“Também vi Sísifo extenuando-se e sofrendo; empurrava um bloco imenso com ambas as mãos. Na verdade, ele o arrastava até o cume, sustentando-se com os pés e as mãos; mas quando estava a ponto de finalmente atingir o alto do morro, o peso excessivo o impelia para baixo.


Novamente então, a pedra impiedosa rolava para o vale. Entretanto, ele reiniciava o trabalho e empurrava-a, a ponto de ter o corpo banhado de suor, ao redor de sua cabeça, porém, pairava uma nuvem de poeira”.



Os deuses condenaram Sísifo a incessantemente rolar uma rocha até o topo de uma montanha, de onde a pedra cairia de volta devido ao seu próprio peso, acreditando em Homero, Sísifo foi o mais sábio e prudente dos mortais, essa é minha visão pessoal, o arquétipo de sísifo encerra o que esta sendo debatido aqui, o exemplo é simples, você começa como neófito, encerra como veterano, aquilo não tem mais força para te fazer evoluir e você se torna neófito novamente, exemplos:

Escolar-Acadêmico:

1- Primeiro Grau. [Ginásio]
2- Segundo Grau. [Ensino Médio]
3- Terceiro Grau. [Nível Superior]
4- Pós Graduação Lato Sensu
5- Mestrado
6- Doutorado
7- Pós Doutorado
8- Livre Docência
9- Dupla Graduação, Duplo Mestrado, Duplo Doutorado, Tripla Graduação ? 
10- Prêmio Nobel, Medalha Fields ?

Investimentos.

1- R$ 1,00
2- R$ 10,00
3- R$ 100,00
4- R$ 1.000,00
5- R$ 10.000,00
6- R$ 100.000,00
7- R$ 1.000.000,00
8- R$ 10.000.000,00 
9- U$, €$, £$, Fr$ ???
10- X$ 100000.....,00 ????

A zona de desconforto te leva a um evolução constante, sem dúvidas, para mim Sísifo é o arquétipo da sabedoria e da astúcia, é imbatível, ou seria sísifo apenas uma maneira de esconder o maior dos arquétipos do mundo material ?

[Image: expoencialgrafico3.jpg]

labor improbus omnia vincit
O trabalho persistente vence tudo. Pensamento de Virgílio (Geórgicas, 144 e 145).






Spoiler Revelar
Deus, para a felicidade do homem, inventou a fé e o amor. O Diabo, invejoso, fez o homem confundir fé com religião e amor com casamento. Machado de Assis.

Lágrimas não são argumentos. Machado de Assis.

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho. Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas! Machado de Assis.

Não se ama duas vezes a mesma mulher. Machado de Assis.

Amor repelido é amor multiplicado. Machado de Assis.
Responda-o
#7
Spoiler Revelar
(02-07-2019, 01:24 PM)Ares Escreveu:
[Image: sisifo.jpg]

Homero faz Ulisses contar de sua viagem pelo Inferno:


“Também vi Sísifo extenuando-se e sofrendo; empurrava um bloco imenso com ambas as mãos. Na verdade, ele o arrastava até o cume, sustentando-se com os pés e as mãos; mas quando estava a ponto de finalmente atingir o alto do morro, o peso excessivo o impelia para baixo.


Novamente então, a pedra impiedosa rolava para o vale. Entretanto, ele reiniciava o trabalho e empurrava-a, a ponto de ter o corpo banhado de suor, ao redor de sua cabeça, porém, pairava uma nuvem de poeira”.



Os deuses condenaram Sísifo a incessantemente rolar uma rocha até o topo de uma montanha, de onde a pedra cairia de volta devido ao seu próprio peso, acreditando em Homero, Sísifo foi o mais sábio e prudente dos mortais, essa é minha visão pessoal, o arquétipo de sísifo encerra o que esta sendo debatido aqui, o exemplo é simples, você começa como neófito, encerra como veterano, aquilo não tem mais força para te fazer evoluir e você se torna neófito novamente, exemplos:

Escolar-Acadêmico:

1- Primeiro Grau. [Ginásio]
2- Segundo Grau. [Ensino Médio]
3- Terceiro Grau. [Nível Superior]
4- Pós Graduação Lato Sensu
5- Mestrado
6- Doutorado
7- Pós Doutorado
8- Livre Docência
9- Dupla Graduação, Duplo Mestrado, Duplo Doutorado, Tripla Graduação ? 
10- Prêmio Nobel, Medalha Fields ?

Investimentos.

1- R$ 1,00
2- R$ 10,00
3- R$ 100,00
4- R$ 1.000,00
5- R$ 10.000,00
6- R$ 100.000,00
7- R$ 1.000.000,00
8- R$ 10.000.000,00 
9- U$, €$, £$, Fr$ ???
10- X$ 100000.....,00 ????

A zona de desconforto te leva a um evolução constante, sem dúvidas, para mim Sísifo é o arquétipo da sabedoria e da astúcia, é imbatível, ou seria sísifo apenas uma maneira de esconder o maior dos arquétipos do mundo material ?

[Image: expoencialgrafico3.jpg]

labor improbus omnia vincit
O trabalho persistente vence tudo. Pensamento de Virgílio (Geórgicas, 144 e 145).






Grande @Ares, obrigado mais uma vez pelo comentário com riquíssimos apontamentos!

Citação:"A zona de desconforto te leva a um evolução constante, sem dúvidas..."

Matou a pau!

Um Abraço Fraterno!
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)