Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
O relato de um homem bonzinho
#1
O relato de um homem bonzinho
Relato postado na OLODM no Orkut em 2008 (Autor Desconhecido) 

[Image: 101797694-88.jpg]


Bom pessoal, vou resumir minha vida de matrixiano. 

Infelizmente o Orkut apagou meus posts do ano passado (quando meu profile foi atacado e deletado) eu namorei por 5,5 anos. 

Fui fiel, ''bonzinho'', justo, trabalhador, enfim aquele cara pra casar. Ela era evangélica,virgem (afinal eu tinha escolhido e queria uma virgem, pois sempre fui honrado, odeio pegar restos)... respeitei a virgindade dela por certo tempo..até rolar sexo um tempo depois de maneira normal. Sem pressões. acabou acontecendo o sexo. 

O relacionamento era bom... ótimo... e tudo mais. Mas acabou terminando... eu tive culpa também (acabei me tornando inseguro... e aí já viu... deriva pra outras vertentes!). O lado obscuro dela começou a aumentar de maneira insana..a ponto da mesma fazer dança do ventre ( dança de puta pra mim). 

Aquilo me deixou perplexo!!! Começou a querer virar baladeira... se achar a ''gostosona do bairro''... dar ideia pra machos e brigava comigo quando ''repelia isso''. 

Com isso... terminamos... reatamos... terminamos... reatamos. 

Até que em meados de 2005... Estávamos terminando a pós graduação (ela inclusive era da minha sala) estávamos juntos, eu tentando ''mudar'' querendo manter o relacionamento, pois achava que só existia ela de fêmea no mundo e que eu era o ''culpado''... e sempre deveria fazer algo a mais não poderia errar!! Ficava com esse remorso. Até que o pior aconteceu... 

Voltava da pós graduação, e fui deixar um amigo de curso o Matheus (nome fictício) em sua casa. Chegando no local... eu observo o carro dela todo ''abafado''... olho novamente e não acredito! Chequei a placa e era o carro dela! Saquei o celular do bolso... e dava caixa postal. Parei o carro... fui com o colega da pós graduação,ver o que estava acontecendo... putz. Vejo o inferno. 

O Eduardo (nome fictício), meu melhor amigo de infância (24 anos de amizade) recebendo um boquete da minha namorada (que eu amava tanto). Aquilo foi um choque tremendo... fiquei sem reação, não conseguia sentir ódio... não conseguia pensar. Comecei a passar mal... bati no vidro... eles viram... e foi só isso que me lembro. Minha pressão baixou e desmaiei ali mesmo. 

O Matheus me levou ao hospital naquela mesma noite. No dia seguinte... eu não sabia pra onde ir. Fui traído duplamente. Perdi 12 quilos em 1 mês. E pra piorar meu pai faleceu num acidente de carro 2 semanas depois!! Devido a tudo isso...minha vida virou um inferno. Meu projeto de pós graduação era excelente... contudo queria abandonar,pois não tinha condições. Mas os professores me estimularam o tempo todo a continuar. E eu não sei da onde tirei forças pra tentar voltar a pós... e acabei realmente voltando (de maneira temporária, pois 2 semanas depois trancaria).

Depois do episódio da traição...

A mesma estava alegre e saltitante... com a cara deslavada... como se nada tivesse acontecido..tirando as melhores notas... sorrindo,dando moral pra outros machos... tudo que ela tocava virava ouro e eu o que fazia nessa época fedia a merda.

Não conseguia entender como ela pode jogar quase 6 anos,de relacionamento, no lixo como uma calcinha velha. Isso era perturbador na minha mente. Eu via isso diariamente e não aguentei... tranquei a pós graduação. 

Eu mal me alimentava... Fiquei com depressão profunda e escrota. mal conseguia sair da cama... me relembrando aquela cena... demorei uns 8 meses pra me recuperar... confesso que busquei o suicídio comprando remédio pra matar rato. Não tinha mais graça a vida pra mim.

Perdi todas as referências... fiquei sem foco. Com meu pai morto não tinha ''ombro amigo'' não sabia e quem confiar... Acabei perdendo o emprego também. Fiquei em pânico... não queria sair de casa... com medo de vê-la na rua. Olhar pra ela significava morte pra mim. Era uma sensação aterrorizadora, na qual não sei descrever. Eu só pensava em vingança!

Acabei tendo a sorte de saber que a mesma foi morar 1 ano na Austrália (2007 inteiro)... com isso passei... a pesquisar sobre o lado obscuro... conheci a comunidade... os livros... até que consegui entender e superar a dor. Passei a me envolver com outras... outras... e ''sarei''. 

A maldita que fez isso tudo comigo voltou da Austrália agora em fevereiro de 2008...13 kg mais gorda... parece uma bola (acabei vendo sem querer uma foto no Orkut de um amigo em comum). Inclusive andou bisbilhotando meu profile. A troco de que, queria saber!?! Ainda não topei com ela. E descartei a vingança... pois não terei meu tempo perdido de volta. Deixe que a vida acerte ela.


Este texto faz parte do projeto: Segunda das Relíquias Perdidas. (Clique nas palavras em vermelho para saber mais como funciona o projeto).
Responda-o
#2
13 demais essa história, ta louco!
A vida passa como um conto ligeiro. 
Responda-o
#3
Mano ... relato pesado, conheço alguns relatos da turma old-school da época do Orkut mas este eu nunca tinha visto.

Temos algumas lições aqui:

- O perigo da idealização de uma mulher exceção: evangélica, virgem recatada, etc - O homem deve para de criar arquétipos e padrões de idealização;

- Terminar e voltar e terminar de novo e voltar de novo - Existe um legalismo boboca e piegas dessa coisa de 'manter o relacionamento' isso é ruim demais e nenhum loop de término e recomeço gera conciliação verdadeira ou relação saudável;

- Colocar a mulher em um pedestal - Os dois estudavam juntos, imagina os 'shitgames' que este cara sofria;

- O cara pega a mulher no bola-gato com o 'melhor amigo' - A traição soou como a música deprê da Maisa, "meu mundo caiu" ... lógico, a mulher era a razão de ser do cara, mais uma vítima da mentalidade do homem-bonzinho;

- Reparem que o ponto de virada na história se deu quando a mulher estava fisicamente longe (portanto inacessível), não sei se pode funcionar para alguns mas conheço um colega que foi traído nestes termos por uma vadia e como ele sempre tinha que vê-la todo dia , mudou-se para longe largou o emprego e foi para outro lugar, justo para fugir deste vínculo de proximidade com a mulher desonrada.
Responda-o
#4
(15-04-2019, 05:53 PM)Fernando_R1 Escreveu: Mano ... relato pesado, conheço alguns relatos da turma old-school da época do Orkut mas este eu nunca tinha visto.

Temos algumas lições aqui:

- O perigo da idealização de uma mulher exceção: evangélica, virgem recatada, etc -  O homem deve para de criar arquétipos e padrões de idealização;

- Terminar e voltar e terminar de novo e voltar de novo  - Existe um legalismo boboca e piegas dessa coisa de 'manter o relacionamento' isso é ruim demais e nenhum loop de término e recomeço gera conciliação verdadeira ou relação saudável;

- Colocar a mulher em um pedestal - Os dois estudavam juntos, imagina os 'shitgames' que este cara sofria;  

- O cara pega a mulher no bola-gato com o 'melhor amigo' - A traição soou como a música deprê da Maisa, "meu mundo caiu" ... lógico, a mulher era a razão de ser do cara, mais uma vítima da mentalidade do homem-bonzinho;

- Reparem que o ponto de virada na história se deu quando a mulher estava fisicamente longe (portanto inacessível), não sei se pode funcionar para alguns mas conheço um colega que foi traído nestes termos por uma vadia e como ele sempre tinha que vê-la todo dia , mudou-se para longe largou o emprego e foi para outro lugar, justo para fugir deste vínculo de proximidade com a mulher desonrada.

Confrade, embora eu tenha tido uma ligeira impressão deste relato ser fictício, sendo fake ou não, é pesado demais.

No mais, os pontos descritos por você foram cirúrgicos.
"Fiat justitia, et pereat mundus..."

#somostodosvelhos
Responda-o
#5
Spoiler Revelar
(15-04-2019, 05:53 PM)Fernando_R1 Escreveu: Mano ... relato pesado, conheço alguns relatos da turma old-school da época do Orkut mas este eu nunca tinha visto.

Temos algumas lições aqui:

- O perigo da idealização de uma mulher exceção: evangélica, virgem recatada, etc -  O homem deve para de criar arquétipos e padrões de idealização;

- Terminar e voltar e terminar de novo e voltar de novo  - Existe um legalismo boboca e piegas dessa coisa de 'manter o relacionamento' isso é ruim demais e nenhum loop de término e recomeço gera conciliação verdadeira ou relação saudável;

- Colocar a mulher em um pedestal - Os dois estudavam juntos, imagina os 'shitgames' que este cara sofria;  

- O cara pega a mulher no bola-gato com o 'melhor amigo' - A traição soou como a música deprê da Maisa, "meu mundo caiu" ... lógico, a mulher era a razão de ser do cara, mais uma vítima da mentalidade do homem-bonzinho;

- Reparem que o ponto de virada na história se deu quando a mulher estava fisicamente longe (portanto inacessível), não sei se pode funcionar para alguns mas conheço um colega que foi traído nestes termos por uma vadia e como ele sempre tinha que vê-la todo dia , mudou-se para longe largou o emprego e foi para outro lugar, justo para fugir deste vínculo de proximidade com a mulher desonrada.

Interessante isso, pois em TODOS os casos de traição que acompanhei mais de perto, a saída mais acertada foi a distância física de tudo e de todos.

O mais clássico foi o caso do pai de uma parente de 2º grau, a mulher dele o traiu na própria casa. Ele simplesmente saiu com a roupa do corpo e sumiu do mapa. E ele não tinha boa condição financeira na época. Eu fui revê-lo uns 5 anos depois, estava magro (era gordo pra caramba), bem vestido, carro novo, emprego bom, casa boa, o cara deu a volta por cima.
Spoiler Revelar
"Facts don't care about your fellings!"

Responda-o
#6
Lembro bem desse relato - tomara que outros mais "pesados" apareçam para quem chegar agora ter uma referencia de como a Matrix tem agido
Spoiler Revelar





Responda-o
#7
Não é exagero...

A REAL SALVA VIDAS!
"Paulistarum Terra Matter..."
Responda-o
#8
Certamente ainda acontecem muitos desses pesadelos, a diferença é que logo caem na rede - o que deixa o cara mais humilhado e sem rumo.
Responda-o
#9
Spoiler Revelar
(15-04-2019, 05:53 PM)Fernando_R1 Escreveu: Mano ... relato pesado, conheço alguns relatos da turma old-school da época do Orkut mas este eu nunca tinha visto.

Temos algumas lições aqui:

- O perigo da idealização de uma mulher exceção: evangélica, virgem recatada, etc -  O homem deve para de criar arquétipos e padrões de idealização;

- Terminar e voltar e terminar de novo e voltar de novo  - Existe um legalismo boboca e piegas dessa coisa de 'manter o relacionamento' isso é ruim demais e nenhum loop de término e recomeço gera conciliação verdadeira ou relação saudável;

- Colocar a mulher em um pedestal - Os dois estudavam juntos, imagina os 'shitgames' que este cara sofria;  

- O cara pega a mulher no bola-gato com o 'melhor amigo' - A traição soou como a música deprê da Maisa, "meu mundo caiu" ... lógico, a mulher era a razão de ser do cara, mais uma vítima da mentalidade do homem-bonzinho;

- Reparem que o ponto de virada na história se deu quando a mulher estava fisicamente longe (portanto inacessível), não sei se pode funcionar para alguns mas conheço um colega que foi traído nestes termos por uma vadia e como ele sempre tinha que vê-la todo dia , mudou-se para longe largou o emprego e foi para outro lugar, justo para fugir deste vínculo de proximidade com a mulher desonrada.
Esse colega seu foi muito corajoso e honrado. Deve ter sido um inferno passar por isso.
A vida passa como um conto ligeiro. 
Responda-o
#10
@Fernando_R1 Foi preciso no seu comentário.

Coisas desagradáveis costuma acontecer quando o homem entrega seu coração.
"Antes de mas nada, saiba que você morrera e sera esquecido. Portanto, Busque  a felicidade dentro de sua alma e não fora. Entregue-se ao seu espirito. Somente ele estará com você depois da morte." (Nessahan Alita)

Spoiler Revelar
"Desenvolver apenas algumas camadas, negligenciando outras, mais cedo ou mais tarde, a vida cobrara o preço da negligencia." (Mandrake)

"Como eu sempre digo, o homem que não conhece a Real sempre acaba se dando mal." (Conde de Monte Cristo)
Responda-o
#11
Ele comenta que sofre com a ausência do pai.
É muito ruim isso porque um pai é de extrema importância.
A toda situação eu recorro ao meu pai devido sua experiência me ajuda muito.
"O mais forte espadachim não necessariamente é o que vence. É a velocidade! Velocidade da mão, a velocidade da mente." (Abade Faria).
Responda-o
#12
Caralho , relato para ser lido numa sexta-feira 13. Que bom que o pior não aconteceu...
"O primeiro passo para chegar em algum lugar, é decidir que você não quer ficar mais onde está "
Responda-o
#13
Ela era evangélica e virgem que ele a conheceu,com um tempo eles tiveram relação sexual aí,apertaram tipo um botão(start da putaria feminina), e ela se transformou em uma safada de primeira chegando ao ponto de dançar dança do ventre estilo puta de bordel ,o pior foi o amigo dele de infância recebendo o boquete dela isso porque ela era de igreja imagine se não fosse. Gargalhada Gargalhada Gargalhada Gargalhada Gargalhada Gargalhada Gargalhada Gargalhada
Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
  [RELATO] O sofrimento do homem de bem Guardião 37 5,635 25-02-2020, 04:28 AM
Última Postagem: Wild
  ( Relato ) Um homem que não deu certo. Independent 55 9,499 26-09-2017, 02:18 AM
Última Postagem: MacalisteR

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)