Avaliação do Tópico:
  • 1 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
A Real e o Perdão
#21
Hope meus consagrados;

@"Spike"
Na ótica cristã devemos usar o perdão tendo o sacrifício de Cristo como referencial, pois aquele que poderia nos condenar resolveu nos perdoar, isso de certa forma nos livra de um senso de justiça própria, no sentido de nos fazermos seres virtuosos apenas porque "liberamos perdão", mas serve também aquele que não tem o cristianismo como sua cosmovisão.


Um relato aqui:

Tenho um tio que é um ente pilantra, na adolescência sempre foi o malandrão, o esperto! Sempre que o tempo fechava para o lado dele a mãezinha (minha avó) sempre o livrava das merdas ... o resultado foi um adulto que cresceu fazendo cagada e passando impune, mas a parada aqui foi depois de velho, ele aplicou um golpe envolvendo um imóvel em comum, na minha mãe (irmã dele), no caso um casa de praia, a coisa bem suja, envolveu fofoquinha, bichisse, coisa de moleque calhorda, nem a própria irmã escapou de sua filhadaputisse.

Não vou entrar em maiores detalhes, mas conseguimos chegar em um acordo. E para piorar, ele sempre contava para os outros que foi ele é quem foi roubado, ou seja além de se foder na história a gente ainda se passava por malandro esperto.

O pior foi para minha mãe, que só queria ter uma casinha para curtir a aposentadoria, que colocou dinheiro, dedicação e carinho no empreendimento, foi foda para ela superar esta merda, primeiro pela porrada vinda do próprio irmão, segundo pela culpa que carrega em fazer negócio com um cara que sempre foi um pilantrão (e ela sabia disso!),

Perdoar essa apunhalada foi um processo de anos, não passou de hora para outra, só fui ter essa percepção de perdoar e jogar tudo no "mar do esquecimento" (Assim como Cristo fez com nossas transgressões) tipo uns 2-3 anos depois, certos choques demoram para a poeira baixar, mas o tempo se encarrega das coisas.

Escrevo isto aqui sem ressentimentos, sem raiva ou remorso, mas quero ZERO DE CONVÍVIO com ele, nossos círculos de relacionamento sequer se batem ...para ser sincero nem fico difamando ele, essa história para mim, é página virada, acabou!

Perdão é libertação de grilhões que aprisionam a alma, o que a gente tem que evitar é o cultivo dessas mágoas, afim de que não se evoluam a uma existência movida a amarguras, ficar se martirizando nisso é um prato cheio para sofrer depressões e somatizar diversas doenças, por isso que o perdão também é reparo para alma e torna algumas porradas muito menos dolorosas.
Responda-o
#22
Spoiler Revelar
 
Na ótica cristã devemos usar o perdão tendo o sacrifício de Cristo como referencial, pois aquele que poderia nos condenar resolveu nos perdoar, isso de certa forma nos livra de um senso de justiça própria, no sentido de nos fazermos seres virtuosos apenas porque "liberamos perdão", mas serve também aquele que não tem o cristianismo como sua cosmovisão.

@Fernando_R1

Concordo contigo sobre isso, se Cristo não nos perdoasse, não haveria ninguém de pé...

E quanto ao relato do seu tio, só lamento para ele, pessoas assim, devemos perdoar, of course; conviver, já são outros quinhentos.
"Quando um homem quebra seus grilhões e correntes; jura jamais servir a outro senhor, é aí que ele se torna verdadeiramente livre." (Spartacus)

“O amor-próprio não é um pecado tão grande quanto a auto-negligência.”  (Henry V.)

Responda-o
#23
Gostei da reflexão. Acredito que o único capaz de perdoar é o criador por se um ato divino, um ato exclusivo do próprio. E eu sendo um mero mortal e pecador, não posso ter esta dádiva.

Nas relações humanas, há muito tempo não crio expectativas. Sendo assim, quando há uma quebra de lealdade, simplesmente sigo o meu rumo e corto contato.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 2 Visitante(s)