Avaliação do Tópico:
  • 3 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
A arte de ser Low Profile
#1
Esta é, realmente, uma "arte" que nem todo mundo tem condições de dominar, mesmo querendo. Mas caso a pessoa consiga, só benefícios vão surgir na vida dela.


Afinal, o que é ser “low profile”?


A pessoa chamada low profile é aquela que pratica a discrição. É aquela pessoa que tendo ou não posses financeiras e materiais de todo tipo, se mantém discreta. É aquele que mesmo com a fama se mantém discreto.


Vamos fazer uma boa comparação para que você entenda melhor. Pense nos casos de Cristiano Ronaldo, Neymar e Messi. Todos são muito conhecidos, mas quais deles são as belladonnas e quem é o low profile? Se você respondeu que Cristiano Ronaldo e Neymar são as “divas” e o Messi é o low profile, acertou. Além do campo de futebol, você sabe algo da vida pessoal do Messi? 


Nem eu.


Ou seja, o low profile é aquela pessoa discreta, que não chama atenção pra si, não gosta de ostentar suas posses e conquistas e geralmente passa despercebido na multidão. 


Ai você se pergunta: “Mas pra que isso Rover? Qual a vantagem disso?”


Eu entendo a confusão que as pessoas podem sentir quando pensam em algo assim. E se você estranha essa “opção” é bem compreensível. 


Estamos no país da necessidade de atenção. Estamos no país onde os jovens atuais tem que ostentar de uma maneira ou de outra para serem aceitos. Estamos no país que é segundo colocado mundial no número de cirurgias plásticas. Somos o país que geralmente “estraga” redes sociais por causa da tsunami de besteirol que compartilhamos para aparecer de alguma forma e conseguir atenção. Somos o país onde os consumidores compram para mostrar para os vizinhos, familiares, amigos e estranhos na rua, usando aquele famoso “eu comprei porque eu posso”. O Brasil é o país das aparências.


Apesar de tudo, você irá descobrir abaixo como ser low profile pode ser uma boa ideia.

As razões para ser low profile e seus benefícios:


Há boas razões para ser uma pessoa low profile. Eu mesmo pratico essa “arte” e é, obviamente, esta a razão que escrevo esse artigo. Aliás as razões e benefícios praticamente se confundem entre eles. Veja as razões/benefícios dessa prática.


Não atrair a inveja e cobiça


Pessoas que são low profile geralmente tem pouca gente para atrapalhar seu caminho. A inveja é um mal do ser humano, todos nós a possuímos, alguns mais outros menos. Só que em um país miserável de 3º mundo onde as pessoas são tão materialistas como o Brasil, o nível de inveja das pessoas geralmente é maior, muito maior. Pessoas que são ricas, famosas ou mesmos simples empresários, são tornados vilões pelas pessoas pobres ou com menor status. Um simples empresário que nem rico é pode ser considerado um “aproveitador”. Veja só a que nível a coisa chega no Brasil. 


A inveja existe de duas maneiras: a inveja inofensiva e a inveja perigosa. A inveja inofensiva é aquela onde a pessoa fica torcendo para seu invejado se dar mal, é aquela onde fazem rezas, macumbas, trabalhos, etc. Eu rio na cara desses. Eles não tem poder pra te fazer mal, o pior que podem fazer é ter má vontade com algo se cruzarem seu caminho. Esse tipo de inveja só atrasa a vida do invejoso. Aquele papinho de “O tamanho da sua inveja é a velocidade do meu sucesso!” é coisa de crente tonto. A velocidade do seu sucesso vai depender da sua criatividade, trabalho, esforço e ação, não do tamanho da inveja de outra pessoa. Como diria o bom e velho Padre Quevedo, isso é charlatanismo, non ecziste.





Agora a inveja perigosa... ahh sim, essa pode te prejudicar muito. A inveja perigosa é aquela onde as pessoas cometem ações ruins, as vezes até crimes, para te prejudicar. Acontece muito em círculos sociais e no trabalho, onde sempre há pessoas tentando puxar seu tapete, fazer com que você seja despedido, com que seu relacionamento acabe, etc. E não só dentro dos grupos de “amizade” ou no trabalho, mas em todos os lugares e segmentos da sociedade. A inveja perigosa pode ser aquele vizinho que risca o seu carro porque ele tem inveja ou joga veneno para seu animal de estimação. A inveja perigosa é aquele garoto pobre da favela que vê o cara destacado na balada atrair a mulher que ele estava afim, sendo que na saída vai e dá dois tiros no peito do cara, simplesmente porque ele não era bom o suficiente para conquistar aquela garota. Cuidado com a inveja perigosa, ela pode destruir sua vida.


Não atrair aproveitadores


Além dos invejosos, existem aqueles que ao invés de ficarem revoltadinhos com suas conquistas e sucesso, tentam se aproveitar de alguma maneira. Existem muitas maneiras de ser enganado e ter pessoas aproveitando de você. Esse tipo de gente está em todos os lugares, as vezes até dentro da nossa própria família.


Pessoas essas que querem empréstimos em dinheiro ou ajudas de todo tipo. Pessoas que são utilitaristas, ou seja, aquelas que se aproveitam do seu status para tornar a vida delas mais fácil ou se catapultar pra alguma forma de sucesso. Aqui podemos tomar como exemplo aquele cunhado vagabundo que está enrolado com o cheque especial e te pede R$ 1500 reais pra poder quitar a dívida. Só que ele continua gastando o que não tem e logo vai estar endividado novamente. Não vai te devolver o dinheiro e se bobear vai pedir mais.


E para você que é homem? Pense com seus botões por um momento: tá curtindo o prazer de levar as suas amigas para cima e pra baixo com seu carro novo ou semi novo que custa entre 50 e 70% da sua renda mensal pra manter? Tá curtindo bastante? 


Você já tentou entrar em um banco vestido de terno e ir falar com o gerente? Já tentou entrar vestindo tênis, bermuda e camiseta? De terno, o gerente levanta da mesa dá a volta nela para te cumprimentar e receber, te convida pra sentar e oferece cafezinho. Nossa que maravilha né? Não. Ele vai tentar te enfiar vários serviços e investimentos do banco, porque de acordo com sua roupa, você pode pagar. Já vestido de maneira simples, ele vai direto ao ponto, muitos só tentam empurrar algo que você não precisa se você tocar no assunto. Acha que eu estou mentindo? Faça o teste. Eu sempre consigo um empréstimo quando entro em um banco usando uma gravata. Sou chamado de senhor por pessoas que são 25 anos mais velhas que eu, e eu nem pareço que tenho 30 anos nas costas (deve ser porque pareço ter 20 anos, sim eu sou lindo).


Não virar motivo de piada


Isso é bom, muito bom. Você já deve saber, estamos no país do “funk ostentassaum” mas não é disso que vou falar. Os desmiolados que não tem acesso à educação, também precisam de atenção. Essa coisa de funk e funkeiros se vestindo dessa maneira chamativa e ridícula não é o ponto. Engraçado é quando uma pessoa com certo sucesso e talvez alguma escolaridade e cultura ostenta, e acaba virando piada.


Lembra disso aqui?





Nossa, que pesado, ele fez sexo com uma mulher no banheiro da balada. Eu já comi minha namorada no banheiro do quarto do meu sogro, COM ELE EM CASA, mas não fico me gabando por isso (agora que eu contei, podemos considerar como se gabar). Brincadeiras à parte, eu acho que a história desse rei do camarote é fake (na verdade não é, ele realmente é rico, tem uma empresa que lida com seguro automotivo). Não importa se é verdade ou não, o que importa é a reação das pessoas. Foram duas reações: inveja, apesar de que poucos admitiram e piada.


Vamos lembrar de dois casos que são mais reais. Narcisa Tamborindeguy e Val Marchiori. Duas mulheres ricas de verdade. A última é uma empresária de sucesso, não vou tirar o mérito empreendedor dela. Mas... se você quiser rir um pouco, vá fazer uma pesquisa sobre as duas no Google, não vou perder meu tempo aqui (e também to com cagaço de ser processado aGargalhadah).


E o Neymar? Que muda o cabelo de cor a cada semana? É tois? Meu pau de óculos e gravata borboleta, Neymar. 


Não atrair a bandidagem


Infelizmente tenho que te lembrar novamente, estamos no Brasil. Na bela Banania das praias e das mulatas. Você quer ostentar um carrão, motona na rua? Vai lá brother. Olha ai o que pode te acontecer.







Vocês já ouviram aquelas histórias em que o cara fica juntando grana uns 10 anos para comprar um carro ou uma moto esportiva e na primeira semana que sai na rua com dito carro ou moto é assaltado e morto? Isso não é um tipo de história isolada, todo ano, todo MÊS acontece algo assim aqui no Brasil.


E geralmente esses carros e motos custam acima de R$50, 75, 100 mil reais ou mais. Valor, que é claro, sabemos que é muito menor lá fora. O cara do vídeo ali comprou a moto de luxo pra ir fazer uma road trip até o Chile.


Road trip é uma das coisas que mais gosto. O cara era uma pessoa como eu sou, assim como você pode ser ou talvez queira ser. E ai? Vale a pena comprar um carro/moto desses por um valor mais alto do que realmente vale só pra impressionar as pessoas? Talvez não tenha sido o caso desse rapaz, que foi confundido com um policial, mas a bandidagem não quer saber se você comprou pra ostentar ou só pelo gosto de ter. Eu posso comprar um carro/moto desses se eu quiser, é só ficar um ano sem viajar e apertar um pouco aqui e ali que eu consigo. Nem prejudicaria muito meus aportes. Mas pra que?


Atualização: recentemente (em Agosto de 2016) um colega empresário e que era meu fornecedor, estava vendendo um Mustang GT ano 2014 por R$ 135 mil à vista aqui em SP. Conto a história aqui, na página do PFL do Facebook. Ele estava com problemas de caixa e precisava de dinheiro rápido. Eu, modestia a parte, tinha a grana pra comprar o carro. E eu adoro Mustang. Mas nunca que eu assumiria isso ai aqui no Brasil. A mão coçou, mas fiquei frio e deixei passar. E também, eu tinha a proposta de venda da empresa nas mãos. Já estava quase certo vender tudo pra sumir daqui (coisa que acontecerá em breve).


Prepare-se para rir, sinceramente eu não me importo. Veja só o modelo do meu carro:


[Image: 674237-500x375.jpg]


Eu tenho um Ford Fiesta 99 1.4 à gasolina (não é esse carro da foto e nem é dessa cor). Custa em torno de R$ 8 a R$ 10 mil reais. Eu já vi um cara num Corolla ser assaltado do lado do meu carro em um semáforo em São Paulo. Será que se eu estivesse naquele Corolla ou numa moto dessas, não seria eu? Eu sinceramente não entendo como funciona a cabeça desses vagabundos, mas eu sei que as chances deles me abordarem no meu carrinho velho de pobre é menor do que seu eu estivesse em um carro chamativo.


“Ah, mas carro velho dá muito problema.”


O meu não dá. Talvez seja porque a qualidade dos carros da Ford dessa época seja um pouco melhor que os populares da FIAT, GM e Volkswagen. E tem o fato de eu fazer manutenção e troca de óleo regularmente. Quem sabe. Eu prefiro usar meu carrinho velho, que me leva de A à B do mesmo jeito que o Camaro amarelo, mas não chama atenção e me faz relativamente invisível para a violência. E dai que todos os meus vizinhos na garagem do meu prédio tem carros de R$ 45 a R$ 100 mil reais? Pra que pagar uma fortuna em um carro que não vale e ainda correr riscos por causa dele? Se for pra ter um carro foda, quero ter um Aston Martin como o do vídeo abaixo. Mas em um lugar onde ele não custa um milhão de reais e não vou ter um alvo pintado na testa. Aqui no Brasil eu não preciso de um carro assim.


[Image: 6294736610_fa4d2a353e_b.jpg]

E ostentar para atrair bandidagem não se resume à carros. Joias (mesmo que sejam bijuterias), relógios caros (que as vezes são falsos), roupas e sapatos/tênis de marca, smartphones, etc. Tudo pode chamar atenção de um vagabundo. Você pode levar um tiro. Tem pessoas que gostam de ostentar até com animais de estimação. Ao invés de adotar um coitadinho de abrigo, prefere comprar um cachorrinho de raça, só porque está na moda. Infelizmente esse é o Brasil. Depois ainda perguntam porque quero tanto sair daqui.


Gastar menos


Isso é a minha coisa preferida de ser low profile. Sem carrões, joias, roupas e acessórios caros, eu economizo muita grana. Essa grana posso investir na minha empresa e nos meus investimentos. A pessoa que é low profile e vem de baixo, tem muito mais chance de atingir a Independência financeira do que quem ganha muito mas também gasta muito ostentando.


Já ouviu aquela coisa sobre gastar o que não tem, para comprar coisas que não precisa, para agradar pessoas que não gostamos? Pois é.

Como se tornar uma pessoa low profile

Não é fácil. Se você gosta de coisas fáceis sugiro que vá ler um livrinho de piadas enquanto dá uma bela cagada, não tem coisa melhor e mais fácil. 

A coisa mais importante sobre ser low profile é conseguir algo que muitos tem dificuldade. Deixar de ser uma attention whore. É isso mesmo. Você consegue? Consegue conviver com a ideia de não ser o centro das atenções? Consegue isso? É bem difícil.


Você consegue ter um carro mais velho e mais surrado que todos os seus amigos/familiares? Mesmo que eles fiquem chamando seu “poisé” de carroça? Mesmo que você tenha dinheiro pra comprar um melhor que o de todos eles?


Você consegue deixar de comprar uma dose de whisky por R$ 25 reais numa balada, sendo que você compra um litro inteiro com apenas um valor de seis a oito vezes mais no mercado?


Você consegue fazer uma pizza em casa ao invés de ir naquela pizzaria cara só pra tirar fotinhas com os amigos e colocar na rede social?


Você consegue ficar dois anos e meio com o mesmo smartphone como eu faço e continuo fazendo?


É isso que é ser low profile. E é difícil ser. 


Não confunda ser low profile com ser frugal. Você não precisa viver uma vida de privações, isso é ser frugal. Ser low profile é diferente, você tem uma vida mais regrada mas pode aproveitar também. Fazer o que gosta com seu dinheiro. A diferença é ter BOM SENSO.


O bom senso nesse caso é fazer as coisas para VOCÊ. Você não precisa avisar todo mundo que está fazendo ou comprando algo. Não precisa mostrar. Compre experiências e não coisas. Por exemplo, minhas viagens. Tem gente aqui que deve me considerar rico porque sempre viajo pro exterior. Mas conheço gente que gasta R$ 1500 reais com balada por mês. Isso dá R$ 18 mil em um ano. Eu viajo duas vezes com esse valor. E cada viagem que faço me torno uma pessoa melhor, aprendo muito, tenho experiências que carrego por anos comigo. O que se tira de uma balada? Ressaca e dor de cabeça no dia seguinte? Uma trepada? Revolta por não ter conseguido a trepada? Pois é.


Atualização (importante, não deixe de ler): Por muito tempo vi o conteúdo desse artigo comentado nos redutos da Real. Vários confrades entenderam a ideia de ser low profile. Mas muitos não entenderam. Muitos desses que não entenderam acham que ser low profile é se privar das coisas que gosta de ter e fazer. ERRADO. Veja meu caso. Eu gosto de andar de kart aqui em SP, vou todo mês pelo menos uma vez. É caro. Mas eu gosto. A única coisa é que eu não aviso todo mundo nas minhas redes sociais que acabei de dar check in no kartodromo. Não tiro foto minha andando de kart. Não faço update do que estou fazendo. Fulano nem sabe que fui ou vou no kartodromo.


Você gosta de comer, por exemplo, no Outback (que é caro pra caralho), ou então foi em algum Starbucks aqui no Brasil pra tomar aquele café deles que é o mesmo que merda líquida? ÓTIMO. Vá fazer isso se você gosta, tem dinheiro e não vai prejudicar suas finanças. MAS PUTA QUE LHE O PARIU, NÃO PRECISA AVISAR O MUNDO QUE VAI OU FOI


Carro mesmo, é um assunto muito sério na Real. Porque quando falou de carro, falou de mulher. Tira a mulher e ter status com amigos e familiares da equação. O que sobra? Conforto e prazer em dirigir o carro caro/de luxo. Só que se você coloca na balança os custos de ter o carro e a atenção negativa que ele chama pra você, o custo benefício é ruim. Carro é feito, em primeiro lugar, pra te carregar de A à B. O Uninho 97, o gol bolinha e o Fiestinha pau veio, vão te levar de A à B igual o Mustang, igual o Porsche, igual o Corolla, igual o Aston Martin ali da foto acima, etc. Entendeu agora, caro confrade que lê esse artigo? Pegue qualquer coisa ou experiência e tire o "status" e atenção que ela tem a capacidade de te conferir e ai você calcula se vale a pena na sua vida ou não.


Como deixar de ligar para o que os outros pensam

Para deixar de ser um bebê que precisa de atenção é necessário parar de se preocupar com o que os outros pensam sobre você. E dai o que os outros pensam? Você faz sua realidade. E como poderíamos fazer isso?

Deixe as redes sociais de lado: Eu já bati nessa tecla duas vezes aqui no PFL, redes sociais são uma grande de uma merda. Elas alienam sua cabeça, são uma vitrine social cheia de highlights onde as pessoas criam “eus” melhores delas mesmas. Onde se alimentam de atenção e lisonjas. Não preciso explicar mais. Se você está aqui na Real, sabe dos malefícios da exposição à redes sociais.


Veja sua prioridades: O que você quer da vida? Ser low profile significa economizar e ter uma chance maior de chegar na IF. É isso que você quer? Então vá fazer o que tem que fazer, seja lá qual for seu plano. Esqueça se seus amigos, conhecidos, parentes ou até mesmo pais falam que não vai dar certo. Tente. Se você não tentar não vai dar certo mesmo. Se tentar e fracassar, você pelo menos tentou. E aqui vai a boa notícia, você pode tentar de outro jeito. Veja o que um dos maiores gênios empreendedores disse uma vez.

[Image: 29636-henry-ford-quotes-wallpaper-1024x768.jpg]

"Fracassar é simplesmente uma oportunidade de começar de novo, dessa vez mais esperto." - Henry Ford


Pare de depender de coisas: Você não é suas coisas. Você não é seu carro. Você não é aquela roupa cara. Você não é seu “eu” perfeito do Facebook. Você não é o seu dinheiro no banco, seus papéis na bolsa de valores, etc. Se você depende de coisas para ter atenção de outras pessoas, talvez o problema não seja as outras pessoas, seja VOCÊ


“Ahh mas sem carro mulher nenhuma vai me olhar.”


Se você precisa de um carro pra trepar amigo, sugiro que vá no puteiro. No fim das contas é mais barato. 


A arte de ser low profile não é para qualquer um, mas se caso você conseguir chegar lá, sua vida muda 100% para melhor.

Artigo publicado no Projeto Free Lifestyle em 20/08/2014
Responda-o
#2
muito bom, as vezes as pessoas "ostentam" e fazem essas imbecilidades sem perceber, sem usar a autocrítica.
Responda-o
#3
Excelente artigo de 2014 e atualizado.

Me lembrou tb o perfil do maior investidor do BR, Luiz Barsi. Aqui um trecho importante pra macacada aprender que ostentar não leva a nada:

"Barsi leva uma vida que se poderia classificar como espartana. Morador da região metropolitana de São Paulo, ele decidiu, há alguns anos, comprar um apartamento na capital para facilitar seus deslocamentos. Fiel a seu estilo, estudou cuidadosamente trajetos e itinerários. ?Se escolhesse bairros da moda, como Jardins ou Vila Olímpia, eu perderia muito tempo no trânsito, por isso acabei comprando um apartamento de 80 metros quadrados na zona leste de São Paulo?, diz o investidor. ?Fica perto do metrô, no qual, aliás, viajo de graça.? O porte de sua conta bancária permitiria a Barsi comprar várias coberturas e uma frota de helicópteros para se deslocar entre elas, mas a opção por um apartamento de classe média (bem média) mostra sua filosofia em relação aos gastos. ?Vivo bem, moro em uma boa casa, não me privo de nada, mas não vou ficar comprando o que não preciso apenas para lustrar meu ego?, diz ele.

Link: http://www.istoedinheiro.com.br/noticias...iro/135077

Responda-o
#4
Excelente. Segure meu like.
[...]
Responda-o
#5
(30-03-2017, 04:45 PM)Tesla Escreveu: Excelente. Segure meu like.

Riqueza para mim é viajar. Assim você gasta dinheiro e se enriquece com a experiência. Imagine um médico, com seus colegas médicos, é difícil o cara não gastar; é como dizem, quanto mais se ganha, mais se gasta. O negócio é ser invisível mesmo, foda-se os outros; mas muitos querem ostentar para atrair mulher...
Responda-o
#6
Pega meu +1 aí. Excelente tópico.
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#7
Caraca, que bom te ver por aqui Rover.

Já deu o pé do BR? Qql coisa manda MP.

PS: Uma pena ter excluído os posts do seu blog.
Bode velho gosta de Capim Novo.
Responda-o
#8
Mr. Rover, coincidentemente essa semana eu estava pensando em escrever um relato/reflexão aqui no fórum, citando algumas pessoas que conheço, têm poder aquisitivo bem alto, conquistaram fontes de renda muito boas e constantes, já possuem uma reserva bem grande e muitos ativos, porém mesmo assim levam uma vida de aparência simples. Por exemplo: podem tranquilamente adquirir um carro de altíssimo nível pagando à vista, mas dirigem carros medianos.

Minha intenção era refletir sobre o perfil de ostentação do brasileiro.
Existem pessoas(pouquíssimas no br) com renda superior a 20K e mais de 500K em caixa, dirigindo Fox, Gol, Fiesta, um Polo bem antigo quem sabe;
E pessoas com renda menor que 3K dirigindo seu New Civic, i30, Ford Fusion, com bancos de ouro... usados, que foram parcelados em 48x. E o caixa é zero, estão cheias de dívidas na verdade.



Mas você já explicou tudo isso muito bem. Fez uma reflexão muito abrangente sobre esse assunto, com ótimas dicas de postura e exemplos práticos inclusive.
Parabéns, ótimo artigo!
Responda-o
#9
Então confrade tópico interessante, sobre o exemplo da moto, sempre foi meu sonho ter uma moto esportiva por paixão mesmo, por gostar de verdade de motos, desde pivete já colecionava modelos em miniatura e tinha maior ciúme delas e sempre dizia que algum dia iria possuir uma dessas de verdade, tanto que consegui graças a Deus a realização desse sonho; em contrapartida sempre fui um cara mais discreto, reservado e na minha, nunca tive muitas amizades e nunca fui popular, e não tenho redes sociais desnecessárias como o facebook e essas de compartilhamento de fotos; nem sei se sou low profile pra falar a verdade; como moro em cidade pequena algumas pessoas me conhecem por vista mas como não tenho facebook elas não possuem acesso á informações de minha vida; o roubo de motos esportivas aqui na minha região não existe até o momento, pois são pouquíssimas motos desse nível rodando por aqui então os malas preferem as mais comuns por ser mais fácil de roubar e não ser pego.

Quando saio na minha moto sempre recebo olhares pois realmente chama a atenção, principalmente no interior onde é pouco comum portar veículos chamativos, maioria das mulheres acabam dando uma olhadinha quando passo, inclusive as com namorados, percebo a insatisfação e insegurança dos caras quando passo perto de alguns "pombinhos apaixonados", alguns caras até olham torto fazendo cara de marrento enquanto a namoradinha fica me olhando e querendo estar na minha garupa kk enfim, Modéstia parte, eu poderia ser praticamente um rei aqui na cidade pegar civil a rodo, pegar mina comprometida e até montar um harém(calma) rsrs.... porém nem esquento com isso sei que isso seria um atraso pro meu desenvolvimento e um estrago na minha vida.

Não saio na moto todos os dias, uso-a mais pra lazer e viagens(coisa que mais gosto), já no dia a dia ando a pé e pra facul vou de busão; não dou moral pra interesseira(outro lado ruim de possuir um artigo de "luxo", interesseiras chovem) e nem pra amigos falsos(inclusive quase não tenho amigos), além de continuar o mesmo de sempre, continuo sem ter redes sociais, não frequento as festas locais, nem saio todos os dias pra me exibir por ai, porém sempre tem comentários das pessoas indignadas por verem meu sucesso, inclusive parentes que ficam estranhos e olhares de invejosos isso realmente pesa quando se consegue algo que poucos no lugar tem, porém me esquivo disso e continuo atrás de realizar meus outros sonhos. Não me arrependo de ter comprado essa moto, a sensação de prazer por ter conseguido atingir um objetivo é sem dúvidas o melhor de tudo.
 

Responda-o
#10
@Alberto Santos

Pois é tem o Barsi. Mas no caso dele isso é mais parte da personalidade humilde dele do que ser low profile. Na verdade ele é frugal. Não tem como ele ser low profile simplesmente pelo motivo que sabemos que ele existe e tem a montanha de dinheiro que tem. De certa maneira ele é, ao mesmo tempo que não é.

Eu sinceramente se fosse o Barsi sairia do Brasil até por segurança. O fato de que o crime organizado aqui é muito organizado e criativo, pode levar um grupo até o prédio dele ou até um dos locais que ele frequenta. Acredito que ele deva ter seguranças, não é possível que alguém como ele circule por ai numa boa. Pode crer que a bandidagem sabe da existência de gente graúda em cada uma das capitais desse país.

E o Barsi tem tanto dinheiro que... puta que pariu,  se eu tivesse a grana dele, eu aproveitaria muito. Não viraria estrelinha de rede social, mas viajaria pelo mundo o ano todo e voltaria para casa por umas semanas (não o Brasil) para brincar na pista, sendo Clienti Ferrari (o programa da F1 que a Ferrari vende pra caras com muita grana).


@Machadation

Somos dois. Viajar é uma das coisas que mais gosto na vida. Acompanhar colega de profissão em coisas que custam muito sempre é cagada. No caso mulher, ai cada um sabe o que faz. Eu sempre avalio custo benefício das coisas e com mulher não é diferente. 


@destruidor

Semana que vem embarco para passar 6 semanas no local 9a cidade) onde escolhi, que é um dos chamados "mountain states" nos EUA. Uma cidade com número razoável de habitantes, nem grande nem pequena. Vou lá pra me aclimatar no lugar, ver como funciona tudo e adquirir conhecimento pro negócio que pretendo montar lá. Mudo definitivamente na metade do ano.

@TheOak

Cara, é verdade, isso descreve a garagem do meu prédio. No meu prédio a maioria dos moradores são aposentados e geralmente pessoas mais velhas tem mais dinheiro, mas chega a ser ridículo a diferença entre meu carro e o carro dos vizinhos. No começo eu até ficava com um pouco de vergonha. Mas isso passa rápido, já as parcelas demoram anos pra chegar no fim.

@Monarca

Esse Boechat é uma figura. De vez em quando ele dá umas esquerdadas de leve, mas se comparado com outros jornalistas ele é "based as fuck" como diriam os centipedes (eleitores do Trump).

@Tyler

No interior é um pouco mais tranquilo mesmo, mas mesmo assim tem que ter cuidado. E olhar a mulherada vai mesmo, isso é da natureza delas, mesmo que o namorado/marido esteja do lado. E se você é solteiro, use a moto pra pegar umas vadias de vez em quando. Não tem problema nenhum. Você trabalhou pra ter a moto que te dá prazer ao andar. Se atrai vadia, bonus points cara. Só toma cuidado pra não irritar algum corno e tomar facada ou tiro.

E parente é uma merda mesmo. Tem os bons é claro. Mas sempre tem o parente invejoso. Por isso é bom não dar muita ideia pra esse povo de como você conseguiu suas coisas e o quanto tem.


@Aos outros confrades, obrigado. Fico feliz em poder contribuir com a Real. Ela me ajudou muito lá atrás (uns 10 anos atrás, ainda na época do orkut).
Responda-o
#11
Interessante,eu sou um pouco em alguns aspectos,especialmente vida pessoal e estudos,atrai muita inveja e gente negativa essas áreas.Se eu comentasse para o que estou estudando por exemplo já viria gente desejando muita coisa ruim(amigos e família).Low Profile com certeza não faz parte da boiada.
Responda-o
#12
Excelente tópico,

tenho esse pensamento já há algum tempo, ainda preciso de maior otimização, mas to caminhando nesse sentido.. Só te traz benefícios.

Valeu pela injeção de ânimo.
Responda-o
#13
Me encaixo no low profile, só aviso meus pais ou avós onde eu vou e ja era, não curto fica falando a todos aonde eu estou indo, atualmente sou aposentado por ser deficiente, mais faço de tudo pra economizar e não ser destacado, ando de shorte e camisa apenas, e a noite com uma calça de 40 reais e uma camisa de 20. Meu dia dia eu fico queito sem avisar a nada no Facebook ou em rede social
"A critica não tem sobre a psicologia das massas o poder sugestivo que tem as crenças afirmativas, mesmo falsas." - Olavo de Carvalho

"Quanto menos inteligente um homem é, menos misteriosa lhe parece a existência." - Arthur Schopenhauer
Responda-o
#14
- Eu diria que ser Low Profile é um cara Frugal; só que com camuflagem. Um cara discreto.

- Na minha visão, está entre o Sovina e o Frugal.


- Sovina: Uma pessoa que não gosta de gastar, mesmo precisando.

- Low Profilie: Discreto. Só gasta quando é extremamente necessário.

- Frugal: Mesma dinâmica do Low Profile, a diferença que o Frugal gosta de gastar no que gosta. Mas, em compensação, é extremamente ferrenho em gastos desnecessário.
Responda-o
#15
Alguns constrangimentos via Facebook poderiam ser evitadas se a galera nao colocasse mjita coisa da vida pessoal
"A critica não tem sobre a psicologia das massas o poder sugestivo que tem as crenças afirmativas, mesmo falsas." - Olavo de Carvalho

"Quanto menos inteligente um homem é, menos misteriosa lhe parece a existência." - Arthur Schopenhauer
Responda-o
#16
(30-03-2017, 01:52 PM)Mr. Rover Escreveu:
Esta é, realmente, uma "arte" que nem todo mundo tem condições de dominar, mesmo querendo. Mas caso a pessoa consiga, só benefícios vão surgir na vida dela.


Afinal, o que é ser “low profile”?

[...]

A arte de ser low profile não é para qualquer um, mas se caso você conseguir chegar lá, sua vida muda 100% para melhor.

[/size][/align]
Artigo publicado no Projeto Free Lifestyle em 20/08/2014

Texto muito bom MR.rover,me abriu a mente em todos os sentidos,parabéns!!!
Responda-o
#17
Tópico muito foda! Adicionei +1 na sua reputação.

Sobre o conteúdo, esse tópico me fez refletir sobre o assunto. Ser low profile não é só um estilo de vida no Brasil, é uma questão de sobrevivência. Eu considero essa definição de low profile como um forma sofisticada de disfarce e de proteção.

Quem nunca viu filmes como Jason Bourne, em que o cara se disfarça de uma pessoa comum pra não chamar a atenção e assim passar desapercebido no meio da multidão? A técnica era simplesmente fazer atitudes comuns e insuspeitas. É exatamente assim que enxergo o estilo de vida Low Profile.

O Low Profile consegue se esquivar de assaltantes com a mesma habilidade que se esquiva da inveja e traições de familiares e amigos.

Me lembrou a definição do Gray Man (Homem Cinza) que é largamente utilizado por agentes secretos de contra inteligência.

O jeito certo de agir do "Homem Cinza" é mais ou menos assim:

Ande pelas ruas de forma que ninguém repare ou presta atenção. Não seja interessante, não tenha roupas ou aparelhos caros, não esteja na moda. Não corra, não ande rápido demais ou lento demais, acompanhe o fluxo, se misture. Seja neutro demais para ser um alvo, comum demais para ser suspeito, simples demais pra ser uma ameaça. Não queira ser lembrado por características marcantes, suas roupas não tem cor, e se tem elas se misturam e se fundem.
Não seja educado demais, nem seco demais. Nem charmoso, viril, amistoso ou duro. Seja o suficiente para ser esquecido rápido.
Seja a sombra que faz o caminho certo, que por acaso está bem posicionado, que surgiu do nada, que percebeu o que iria acontecer, que sumiu sem deixar rastros.
Ninguém conhece sua dureza, seus limites, seus equipamentos, suas armas ou sua capacidade real, não é possível saber sua história, sua tática ou sua estratégia. A menos que você queira que saibam.

Citação:Na maioria dos casos você deverá se vestir como as outras pessoas. Se todos estão vestidos de camisa e bermuda, você não quer estar de camisa de manga comprida e calça cargo cáqui. Da mesma forma, se você está em uma zona pobre da cidade não é interessante vestir terno e gravata.

O que você DEVERIA usar, se a situação permitir, são as roupas certas para te deixar mais desinteressante. Pode parecer clichê, mas o cinza é uma ótima cor para se usar quando você não quer ser notado. Algo como um casaco ou jaqueta cinza funciona muito bem e pode ser usado por cima de outras roupas que possam parecer mais óbvias. Encontre um bom casaco sem estampas ou logos que possam chamar atenção.

Citação:Não entregue suas capacidades

Se você se encontrar em um cenário de desastre como o furacão Katrina ou durante algum apagão, muito cuidado ao ligar aquele gerador barulhento que você possa ter. Se alguém ouvir seu gerador rodando durante a noite, saberão que sua casa está preparada para emergência e vão assumir que você também tem comida e dinheiro.

Falando de luzes, se você for usar eletricidade a noite em uma área que não está com acesso a ela por alguma razão, você deveria tampar suas janelas para que a luz não apareça. Pendure um cobertor no umbral da porta para que eles não possam ver quando você abri-la. Se uma área estiver sem energia elétrica por um tempo eles com certeza verão um brilho forte da sua luz no meio da noite.

Se reparar bem, a definição acima é o mesmo conceito de se esconder o valor da conta bancária aos familiares e amigos, e principalmente, a sua mulher. É uma questão de proteção. É óbvio que vai ser necessário um esforço mental bem grande e muita diciplina para se acostumar com esse estilo, a ser aparentemente inferior a todos a sua volta, já que o natural de todos a nossa volta no Brasil é ostentar, competir, se comparar uns com os outros e querer parecer ser melhor do que os outros.

Eu gostei do estilo de vida que o Mr Rover defende e vou adotar na minha vida. Vou levar um estilo de vida abaixo do radar para conhecidos, familiares e amigos, mesmo quando eu tiver bastante dinheiro sobrando. E é óbvio que eu continuarei gastando com meus hobbies, afinal, ter dinheiro é para se aproveitar, mas o farei sem ficar ostentando.

E pra finalizar esse versículo de Salomão, o homem mais sábio que já existiu, sobre a importância de ser Low Profile:

Citação:Há alguns que se fazem de ricos, e não têm coisa nenhuma, e outros que se fazem de pobres e têm muitas riquezas.
O resgate da vida de cada um são as suas riquezas, mas o pobre não ouve ameaças.
Provérbios 13:7-8
“A honra, a integridade e a verdade precisam ser guardadas, custe o que custar ao próprio eu.” Obreiros Evangélicos, pág. 447
Responda-o
#18
Gostei muito de seu artigo, já merece está no tópico dos clássicos da Real. O fato é que vivemos numa sociedade de consumismo e da aparência, me lembro muito bem na minha infância, em que a maioria dos meus amigos tinham tênis caro e eu usava meu kichute por falta de dinheiro dos meus pais, hoje vi que isso foi fundamental em minha vida, ao invés de gastar dinheiro com coisa superficiais, gastava viajando, passeando pagando cursos e livros nos quais meus amigos não tinham. A grande maioria dele vivem da mesma forma que seus pais, de aparência e de ajuda.
Responda-o
#19
Porra Rover seu blog era o mais foda da blogosfera de finanças/desenvolvimento pessoal, pena que não salvei alguns textos de lá, comentei até em alguns deles. Minha admiração e respeito a você confrade, sucesso na terra do Trumpão.
Esforça-te, pois, e sê homem. (1 Reis 2.2)

Responda-o
#20
(31-03-2017, 07:25 PM)Diamante Escreveu: - Eu diria que ser Low Profile é um cara Frugal; só que com camuflagem. Um cara discreto.

- Na minha visão, está entre o Sovina e o Frugal.


- Sovina: Uma pessoa que não gosta de gastar, mesmo precisando.

- Low Profilie: Discreto. Só gasta quando é extremamente necessário.

- Frugal: Mesma dinâmica do Low Profile, a diferença que o Frugal gosta de gastar no que gosta. Mas, em compensação, é extremamente ferrenho em gastos desnecessário.

Confrade Diamante

Na minha humilde opinião acho que Frugal e Low profile são o oposto do que você disse.

O Frugal se limita ao se dar alguns luxos pra economizar, mesmo podendo arcar com aquilo ou até coisas melhores. Por exemplo, uma pessoa que tem dinheiro pra morar numa casa legal, mas prefere morar num apartamento de 45m².

Já o low profile é aquele que se permite luxos, mesmo que sejam desnecessários e vão pesar no orçamento de alguma forma.

Resumindo, ser low profile é bom porque ajuda suas finanças porque você limita alguns gastos para não aparecer, para não se destacar.

Ser low profile nada mais é do que ser discreto. Não significa que a pessoa tem que se privar de nada.

No caso do Brasil, acabamos economizando porque evitamos de comprar coisas que chamam atenção principalmente à bandidagem. Mas num país seguro, como os EUA, por exemplo, se eu quiser comprar um Corvette de US$ 70 mil eu posso e continuo sendo low profile, é só não ficar exibindo em redes sociais, por exemplo. 


Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 4 Visitante(s)