Avaliação do Tópico:
  • 1 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[DÚVIDA] Sou muito ansioso, e isso tem acabado com minha saúde.
#1
Confrades, saudações. Desde pequeno, principalmente após traumas com a minha familia, tenho uma ansiedade elevada. Aos 9 anos fiz tratamento pois tinha ataques semelhantes ao do Tony Stark em "Homem de Ferro 3". A questão é que as vezes isso atrapalha meus relacionamentos em geral e desgastam minha saúde. Alguém pode me sugerir algo?
Política é saber a hora de puxar o gatilho!
Responda-o
#2
Psiquiatra e ansiolíticos

Responda-o
#3
Procure um profissional.
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#4
Eu consegui diminuir bastante minha ansiedade, que não era tão problemática assim, por meio de práticas budistas.
Inclusive foi lendo NA que acabei chegando ao budismo.
Responda-o
#5
Percisa eliminar as"ervas daninhas" que despontam sua ansiedade só assim conseguirá a cura .
Responda-o
#6
Leia o tópico chamado Ansiedade Antecipatória:

http://legadorealista.net/forum/showthread.php?tid=1390
“Aproximem-se de Deus e ele se aproximará de vocês! Lavem as mãos, pecadores! Limpem o coração, hipócritas!” Tiago 4:8 - Bíblia Sagrada
Responda-o
#7
Exercicio de Respiração.
Meditação.
Procure a causa dessa ansiedade.

Um profissional no ultimo caso.
Responda-o
#8
Que ataque que o Tony Stark sofreu em Homem de Ferro 3 ?
Responda-o
#9
As dicas que vou te de dar são:
Meditação (medite com frequência isso ajuda a esvaziar a mente e relaxar um pouco)
Áudio binaural( procure esse tipo de áudio pra relaxar ou com ondas alfas, tem vários tipos vc escolhe o que se adequá melhor á vc)
Mas a melhor dica que eu posso te dar é querer realmente mudar, a força de vontade e força mental muda tudo. Eu sei como é isso pois eu tenho deficit de atenção, mas quando eu realmente quero fazer algo eu esvazio minha mente e foco 100% naquilo.
Os confrades deram boas dicas, e vc tem que atacar a causa desse problema e se esforçar pra mudar. Se vc procurar tratamento o cara vai te receitar pilhas de remédio ( só use essas merdas em ultimo caso).
Tenha fé em Deus e faça alguma oração pedindo ajuda divina( se vc tiver crença em algo, senão tiver então ignore essa dica)

E OS CONFRADES DERAM ÓTIMAS DICAS, DESEJO MELHORAS PRA TI  Cool
Chaotic Mind - Benji Chasin
Responda-o
#10
Criar uma rotina lhe faria bem, você prática algum exercício? Tem um emprego? Qual a sua rotina?
Responda-o
#11
Desde pequeno, principalmente após traumas com a minha familia, tenho uma ansiedade elevada. Aos 9 anos fiz tratamento pois tinha ataques semelhantes ao do Tony Stark em "Homem de Ferro 3"


Que tratamento é esse que não resolve? Cool

 A questão é que as vezes isso atrapalha meus relacionamentos em geral e desgastam minha saúde. Alguém pode me sugerir algo?

[Image: broxar.jpg]




https://thoth3126.com.br/   Revista Chapéu de Aluminio
Responda-o
#12
Eu estava ocupado na hora, mas agora vou comentar o seu tópico.
 
Eu não sei que tipo de traumas você teve na infância mas não se preocupe em expor isso, vou te sugerir alguns métodos para aliviar a sua ansiedade. Eu não sou psiquiatra, mas eu ministrei aulas de saúde mental um tempo para cursos de enfermagem, então vou só sugerir, cabe a você reter o que achar útil.
 
A ansiedade é algo bom pois estimula o indivíduo a entrar em ação, porém, em excesso, faz exatamente o contrário, impedindo reações.

Todas as pessoas possuem ansiedade, mas nem todas possuem ansiedade exagerada, assim como todas possuem temperatura corporal, mas nem todas possuem febre. A febre indica a presença de uma infecção, assim como a ansiedade alta indica a presença de conflitos emocionais não resolvidos ou em processo de resolução.

Eu vou pressumir que o seu caso é grave, daquele tipo que apresenta taquicardia, suor, disturbios do sono, disturbios gastrointestinais, panico, fobia e que até interfere nas atividades do seu dia a dia. Pois você disse que tem alguns ataques até hoje.


(28-10-2016, 08:18 AM)Alberto Santos Escreveu: Psiquiatra e ansiolíticos

Eu não sugiro a utilização de ansioliticos somente, e se fosse utilizá-los, seria em ultimo caso. Ansiolíticos ou calmantes diminuem a ansiedade excessiva, mas não resolvem os problemas psicológicos que a produzem, além de gerarem uma série de problemas emocionais e físicos que vou relatar no final do meu comentário.

Eu sugiro o seguinte:

Aceite sua ansiedade. Ela está aí por algum motivo. Ao invés de ficar chorando por causa da ansiedade e ter medo, raiva ou rejeição dela, decida aceitá-la, por ser uma realidade em você nesse momento. Não lute contra ela. Aceitar não é concordar e ficar quieto sofrendo. É admitir que ela existe, sem fugir dela.

(28-10-2016, 12:33 PM)Arnie Escreveu: Percisa  eliminar as"ervas daninhas" que despontam sua ansiedade só assim conseguirá a cura .

Exatamente o que o Arnie falou, procure descobrir qual é a causa. Só assim você vai ter condições de resolver.

Aprenda a administrar a ansiedade. Olhe para fora de si. Entenda: Você não é a ansiedade, você está com ansiedade. Não é você, mas sim algo em você.

Atue com a sua ansiedade. Diminua o ritmo do que estiver fazendo, mas não o interrompa. Não se desespere, querendo parar tudo para fugir da dor. Se você fugir, por qualquer motivo, seja comendo, comprando coisas, se medicando sem orientação médica, bebendo, usando alguma droga ilícita, etc. A ansiedade pode até diminuir, mas ela vai voltar e talvez pior, dependendo do que você fez na fuga dela. Fique onde está, continue fazendo sua tarefa, mas devagar, sem parar.

Respire devagar e profundamente



(28-10-2016, 03:57 PM)Mandrake Escreveu: Exercicio de Respiração.
Meditação.
Procure a causa dessa ansiedade.

Um profissional no ultimo caso.

Exatamente o que o Mandrake falou, para reduzir as reações do sistema nervoso autônomo, devemos fazer o controle da respiração. Isto pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer hora. Além disso, quando você estiver em um ambiente silencioso e com possibilidade de ficar deitado, use uma técnica de relaxamento. O relaxamento combinado com a respiração diafragmática, certamente, reduzirá a respiração ofegante, a taquicardia e o tremor;

Mantenha os passos anteriores – repita cada passo acima: aceitar a ansiedade como algo real agora, olhar para fora de si, atuar com ela e respirar calmamente. Ela diminuirá com o tempo ao você repetir estes passos.


Administre os seus pensamentos –
Numa crise de ansiedade se exageram coisas, antecipam coisas trágicas que podem nunca ocorrer. Pense que na maioria das vezes em que você sentiu esse mal estar e teve medo de alguma tragédia, ela não ocorreu (meu coração vai parar, vou perder o juízo, etc.), não é verdade? Que tipos de pensamentos você está nutrindo agora? São verdadeiros, ou frutos de sua ansiedade? Tem provas concretas sobre se o que você pensa é verdade? Se tem medo do coração ter um “treco”, o que o cardiologista lhe disse recentemente? Tem como entender o que está ocorrendo agora sem ser esta interpretação trágica?

Lembre-se e diga a si mesmo(a) de que estar muito ansioso(a) é desagradável, mas não é perigoso! Você pode pensar que está em perigo, mas tem provas concretas, reais, definitivas disso? Algum médico disse que você tem doença grave do coração e pode morrer disso? Algum médico disse que você pode perder o juízo qualquer dia destes? Pensamentos trágicos não são necessariamente ligados à algo real. Pode ser só do imaginário. Aprenda a administrar os seus pensamentos.


Atividades físicas -
O estresse do cotidiano é um dos principais fatores que, hoje, desencadeiam quadros de depressão e ansiedade. Cada vez mais comuns, essas doenças provocam queda na produtividade, afetam o organismo como um todo e atrapalham as mais diversas áreas da vida de uma pessoa. Mas você sabia que a prática de exercícios físicos, de forma isolada ou junto a tratamentos específicos, auxilia a diminuir os sintomas, trazendo bem-estar e qualidade de vida?

A prática de exercícios físicos regulares estimula no organismo a produção de endorfina, responsável por causar sensação de bem-estar. (euforia tem relação com aumento da ansiedade e não diminuição!), aliviando a depressão e normalizando os níveis de ansiedade. A norodrenalina e a serotonina, também responsáveis pelo equilíbrio do humor, são estabilizadas a partir da atividade física.
Para ajudar no combate à depressão, indica-se a prática de atividades físicas aeróbicas moderadas (frequência cardíaca de 60% a 80%) de três a cinco vezes por semana. Caminhadas curtas também ajudam, mas para um efeito prolongado é recomendada a atividade física regular.

Alimentação -
Para controlar a ansiedade, podemos ingerir alimentos que sejam fonte de triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, como a banana e o chocolate. Outra possibilidade é ingerir o triptofano em cápsulas, junto com vitamina B6 e magnésio.

Outros aminoácidos que podem ajudar são a taurina e a glutamina. Eles aumentam a disponibilidade de um neurotransmissor chamado GABA, que o organismo usa para controlar fisiologicamente a ansiedade. Eles também podem ser ingeridos em cápsulas, mas apenas com a orientação de um médico. Existem ainda as frutas, verduras e até mesmo os chás. A maioria dos chás possuem substâncias que funcionam como sedativos suaves e podem ajudar no controle da ansiedade diária. As plantas mais conhecidas e estudadas com essa ação são a passiflora, a melissa a camomila e a valeriana.

Ansiedade excessiva que pode surgir como pânico, fobia, transtorno obsessivo-compulsivo, ansiedade generalizada, etc.. Tem que ver com sensação, consciente ou não, de vulnerabilidade, ou seja, a pessoa quando submetida a perigos internos ou externos não usa recursos para controlá-los, porque não os aprendeu ainda ou porque apesar de possuir recursos para tratar a ansiedade, não os utiliza, pois não crê que pode lidar com a situação.

Gustavo, experimente fazer isso por um mês e depois relate sobre os resultados.


Eu só indico a utilização de ansiolíticos em ultimo caso, pois eles agem direto no nosso sistema nervoso central, potencializando a ação do neurotransmissor GABA, inibindo os efeitos dos neurônios, e assim reduzindo a ansiedade e as crises.


Mas os efeitos colaterais, que são os efeitos normais que SEMPRE vão ocorrer ao utilizar o medicamento, pois está ligado ao mecanismo de ação dele, no caso, a depressão do nosso sistema nervoso central, os efeitos colaterais que eles causam são os seguintes:

São a sonolência, cansaço, diminuição da coordenação motora, diminuição da capacidade de concentração e amnésia para eventos recentes. Outros efeitos comuns são a tontura, aumento da salivação, dor muscular, distúrbios do sono, aumento da frequência urinária e visão borrada. Além de poder provocar em algumas pessoas pensamentos suicidas, depressão, diminuição ou aumento da libido, confusão mental.

Podem ocorrer reações paradoxais e psiquiatricas que são agitação, agressividade, ilusão, alucinações, psicoses. Mas nesse caso, os efeitos tem maior chance de ocorrer em idosos e crianças. Mas em adultos, apesar de menos frequente, também ocorrem.

E ainda causam dependência física e emocional. Quando você tentar parar vai ter crise de abstinência, além do efeito rebote, que é uma ansiedade excessiva passgeira assim que parar de utilizar o medicamento.

Pense nisso Gustavo, você vai ficar calmo ao usar o medicamento, mas vai ficar "anestesiado" na vida. Aquela pessoa passiva, lenta e lesada. Não recomendo isso para nenhum realista, deixe esse tipo de coisa para as balzacas usarem.
“Aproximem-se de Deus e ele se aproximará de vocês! Lavem as mãos, pecadores! Limpem o coração, hipócritas!” Tiago 4:8 - Bíblia Sagrada
Responda-o
#13
Basicamente utilizam-se dois tipos de medicamentos para tratar Ansiedade.

Os Benzodiazepínicos(Ansiolíticos) ou apenas os Antidepressivos.
As escolha depende de como são as crises e etc.

Os efeitos colaterais de ambos são diferentes, mas são extensos e devem ser seriamente considerados.


(29-10-2016, 08:24 AM)Libertador Escreveu: Eu só indico a utilização de ansiolíticos em ultimo caso, pois eles agem direto no nosso sistema nervoso central, potencializando a ação do neurotransmissor GABA, inibindo os efeitos dos neurônios, e assim reduzindo a ansiedade e as crises.

Mas os efeitos colaterais, que são os efeitos normais que SEMPRE vão ocorrer ao utilizar o medicamento, pois está ligado ao mecanismo de ação dele...

...

Pense nisso Gustavo, você vai ficar calmo ao usar o medicamento, mas vai ficar "anestesiado" na vida. Aquela pessoa passiva, lenta e lesada. Não recomendo isso para nenhum realista, deixe esse tipo de coisa para as balzacas usarem.

O Libertador tocou num ponto muito importante!

Os efeitos adversos de drogas psiquiátricas, dos Ansiolíticos ou dos Antidepressivos em questão aqui no assunto, não são momentâneos ou passageiros. São resultados direto das reações bioquímicas provocadas pela medicação. São totalmente esperados e vão ocorrer por todo o tempo em que você utilizar o remédio.

Do mesmo jeito que as drogas vão provocar reações químicas com resultados positivos, elas vão também provocar algumas reações com resultados negativos, isso faz parte da essência daquela droga. O único jeito de evitar isso é inventar um remédio diferente que não gere aquelas reações ruins.

Existe um interesse econômico gigantesco por parte dos laboratórios em cima das drogas psiquiátricas, e algumas informações acabam sendo um pouco distorcidas.
Tentam vender a ideia de que os efeitos colaterais são apenas passageiros, vão existir só nas primeiras semanas e logo passa.
Mas pra muitos dos efeitos colaterais, isso não é verdade.



Talvez usar remédios valha a pena. Talvez não.
Mas esteja bem ciente de toda a gama de efeitos colaterais que podem acontecer, físicos, psíquicos e emocionais, para analisar com clareza se o "custo X benefício" vale a pena.
Responda-o
#14
Pega sol, 20 minutos no sol de meio dia TODO DIA (por favor sem protetor solar).

Exercício físico, qualquer um, desde que seja um exercício físico.

Carne gordurosa, quanto mais gordurosa melhor.

Até diria um encontro casual (com o sexo feminino) mas isso é para a próxima etapa.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#15
Grande aula de Libertador.

Tecnicas de Gestão de Tempo auxiliam na redução da ansiedade.

http://legadorealista.net/forum/showthread.php?tid=1395
Responda-o
#16
Não há melhor ansiolítico do que o trabalho.
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#17
(29-10-2016, 08:24 AM)Libertador Escreveu: Eu estava ocupado na hora, mas agora vou comentar o seu tópico.
 
Eu não sei que tipo de traumas você teve na infância mas não se preocupe em expor isso, vou te sugerir alguns métodos para aliviar a sua ansiedade. Eu não sou psiquiatra, mas eu ministrei aulas de saúde mental um tempo para cursos de enfermagem, então vou só sugerir, cabe a você reter o que achar útil.
 
A ansiedade é algo bom pois estimula o indivíduo a entrar em ação, porém, em excesso, faz exatamente o contrário, impedindo reações.

Todas as pessoas possuem ansiedade, mas nem todas possuem ansiedade exagerada, assim como todas possuem temperatura corporal, mas nem todas possuem febre. A febre indica a presença de uma infecção, assim como a ansiedade alta indica a presença de conflitos emocionais não resolvidos ou em processo de resolução.

Eu vou pressumir que o seu caso é grave, daquele tipo que apresenta taquicardia, suor, disturbios do sono, disturbios gastrointestinais, panico, fobia e que até interfere nas atividades do seu dia a dia. Pois você disse que tem alguns ataques até hoje.


(28-10-2016, 08:18 AM)Alberto Santos Escreveu: Psiquiatra e ansiolíticos

Eu não sugiro a utilização de ansioliticos somente, e se fosse utilizá-los, seria em ultimo caso. Ansiolíticos ou calmantes diminuem a ansiedade excessiva, mas não resolvem os problemas psicológicos que a produzem, além de gerarem uma série de problemas emocionais e físicos que vou relatar no final do meu comentário.

Eu sugiro o seguinte:

Aceite sua ansiedade. Ela está aí por algum motivo. Ao invés de ficar chorando por causa da ansiedade e ter medo, raiva ou rejeição dela, decida aceitá-la, por ser uma realidade em você nesse momento. Não lute contra ela. Aceitar não é concordar e ficar quieto sofrendo. É admitir que ela existe, sem fugir dela.

(28-10-2016, 12:33 PM)Arnie Escreveu: Percisa  eliminar as"ervas daninhas" que despontam sua ansiedade só assim conseguirá a cura .

Exatamente o que o Arnie falou, procure descobrir qual é a causa. Só assim você vai ter condições de resolver.

Aprenda a administrar a ansiedade. Olhe para fora de si. Entenda: Você não é a ansiedade, você está com ansiedade. Não é você, mas sim algo em você.

Atue com a sua ansiedade. Diminua o ritmo do que estiver fazendo, mas não o interrompa. Não se desespere, querendo parar tudo para fugir da dor. Se você fugir, por qualquer motivo, seja comendo, comprando coisas, se medicando sem orientação médica, bebendo, usando alguma droga ilícita, etc. A ansiedade pode até diminuir, mas ela vai voltar e talvez pior, dependendo do que você fez na fuga dela. Fique onde está, continue fazendo sua tarefa, mas devagar, sem parar.

Respire devagar e profundamente



(28-10-2016, 03:57 PM)Mandrake Escreveu: Exercicio de Respiração.
Meditação.
Procure a causa dessa ansiedade.

Um profissional no ultimo caso.

Exatamente o que o Mandrake falou, para reduzir as reações do sistema nervoso autônomo, devemos fazer o controle da respiração. Isto pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer hora. Além disso, quando você estiver em um ambiente silencioso e com possibilidade de ficar deitado, use uma técnica de relaxamento. O relaxamento combinado com a respiração diafragmática, certamente, reduzirá a respiração ofegante, a taquicardia e o tremor;

Mantenha os passos anteriores – repita cada passo acima: aceitar a ansiedade como algo real agora, olhar para fora de si, atuar com ela e respirar calmamente. Ela diminuirá com o tempo ao você repetir estes passos.


Administre os seus pensamentos –
Numa crise de ansiedade se exageram coisas, antecipam coisas trágicas que podem nunca ocorrer. Pense que na maioria das vezes em que você sentiu esse mal estar e teve medo de alguma tragédia, ela não ocorreu (meu coração vai parar, vou perder o juízo, etc.), não é verdade? Que tipos de pensamentos você está nutrindo agora? São verdadeiros, ou frutos de sua ansiedade? Tem provas concretas sobre se o que você pensa é verdade? Se tem medo do coração ter um “treco”, o que o cardiologista lhe disse recentemente? Tem como entender o que está ocorrendo agora sem ser esta interpretação trágica?

Lembre-se e diga a si mesmo(a) de que estar muito ansioso(a) é desagradável, mas não é perigoso! Você pode pensar que está em perigo, mas tem provas concretas, reais, definitivas disso? Algum médico disse que você tem doença grave do coração e pode morrer disso? Algum médico disse que você pode perder o juízo qualquer dia destes? Pensamentos trágicos não são necessariamente ligados à algo real. Pode ser só do imaginário. Aprenda a administrar os seus pensamentos.


Atividades físicas -
O estresse do cotidiano é um dos principais fatores que, hoje, desencadeiam quadros de depressão e ansiedade. Cada vez mais comuns, essas doenças provocam queda na produtividade, afetam o organismo como um todo e atrapalham as mais diversas áreas da vida de uma pessoa. Mas você sabia que a prática de exercícios físicos, de forma isolada ou junto a tratamentos específicos, auxilia a diminuir os sintomas, trazendo bem-estar e qualidade de vida?

A prática de exercícios físicos regulares estimula no organismo a produção de endorfina, responsável por causar sensação de bem-estar. (euforia tem relação com aumento da ansiedade e não diminuição!), aliviando a depressão e normalizando os níveis de ansiedade. A norodrenalina e a serotonina, também responsáveis pelo equilíbrio do humor, são estabilizadas a partir da atividade física.
Para ajudar no combate à depressão, indica-se a prática de atividades físicas aeróbicas moderadas (frequência cardíaca de 60% a 80%) de três a cinco vezes por semana. Caminhadas curtas também ajudam, mas para um efeito prolongado é recomendada a atividade física regular.

Alimentação -
Para controlar a ansiedade, podemos ingerir alimentos que sejam fonte de triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, como a banana e o chocolate. Outra possibilidade é ingerir o triptofano em cápsulas, junto com vitamina B6 e magnésio.

Outros aminoácidos que podem ajudar são a taurina e a glutamina. Eles aumentam a disponibilidade de um neurotransmissor chamado GABA, que o organismo usa para controlar fisiologicamente a ansiedade. Eles também podem ser ingeridos em cápsulas, mas apenas com a orientação de um médico. Existem ainda as frutas, verduras e até mesmo os chás. A maioria dos chás possuem substâncias que funcionam como sedativos suaves e podem ajudar no controle da ansiedade diária. As plantas mais conhecidas e estudadas com essa ação são a passiflora, a melissa a camomila e a valeriana.

Ansiedade excessiva que pode surgir como pânico, fobia, transtorno obsessivo-compulsivo, ansiedade generalizada, etc.. Tem que ver com sensação, consciente ou não, de vulnerabilidade, ou seja, a pessoa quando submetida a perigos internos ou externos não usa recursos para controlá-los, porque não os aprendeu ainda ou porque apesar de possuir recursos para tratar a ansiedade, não os utiliza, pois não crê que pode lidar com a situação.

Gustavo, experimente fazer isso por um mês e depois relate sobre os resultados.


Eu só indico a utilização de ansiolíticos em ultimo caso, pois eles agem direto no nosso sistema nervoso central, potencializando a ação do neurotransmissor GABA, inibindo os efeitos dos neurônios, e assim reduzindo a ansiedade e as crises.


Mas os efeitos colaterais, que são os efeitos normais que SEMPRE vão ocorrer ao utilizar o medicamento, pois está ligado ao mecanismo de ação dele, no caso, a depressão do nosso sistema nervoso central, os efeitos colaterais que eles causam são os seguintes:

São a sonolência, cansaço, diminuição da coordenação motora, diminuição da capacidade de concentração e amnésia para eventos recentes. Outros efeitos comuns são a tontura, aumento da salivação, dor muscular, distúrbios do sono, aumento da frequência urinária e visão borrada. Além de poder provocar em algumas pessoas pensamentos suicidas, depressão, diminuição ou aumento da libido, confusão mental.

Podem ocorrer reações paradoxais e psiquiatricas que são agitação, agressividade, ilusão, alucinações, psicoses. Mas nesse caso, os efeitos tem maior chance de ocorrer em idosos e crianças. Mas em adultos, apesar de menos frequente, também ocorrem.

E ainda causam dependência física e emocional. Quando você tentar parar vai ter crise de abstinência, além do efeito rebote, que é uma ansiedade excessiva passgeira assim que parar de utilizar o medicamento.

Pense nisso Gustavo, você vai ficar calmo ao usar o medicamento, mas vai ficar "anestesiado" na vida. Aquela pessoa passiva, lenta e lesada. Não recomendo isso para nenhum realista, deixe esse tipo de coisa para as balzacas usarem.
Agradeço a todas as respostas, mas em especial a esta, pois englobou as dos outros confrades. Obrigado pela atenção meu irmão! Vou seguir o conselho de vocês!
Política é saber a hora de puxar o gatilho!
Responda-o
#18
" Pense nisso Gustavo, você vai ficar calmo ao usar o medicamento, mas vai ficar "anestesiado" na vida. Aquela pessoa passiva, lenta e lesada. Não recomendo isso para nenhum realista, deixe esse tipo de coisa para as balzacas usarem."

A Real nua e crua do que o sistema pretende fazer com o gado comum .
Responda-o
#19
(28-10-2016, 03:00 PM)Libertador Escreveu: Leia o tópico chamado Ansiedade Antecipatória:

http://legadorealista.net/forum/showthread.php?tid=1390

É, leia mesmo.   Yaoming  


No mais, ansiedade alta é sintoma de testosterona baixa. Aumente-á que sua ansiedade passa.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#20
Quando eu fico ansioso minhas mãos tremem muito. Minhas mãos sempre tremem, mas quando eu estou ansioso ou nervoso essa tremedeira é multiplicada por 100.
Isso já me prejudicou muito profissionalmente. Já teve uma vez que eu fiz um croquis pro meu chefe da época com a mão toda tremendo e isso pegou muito mal.
Quando eu faço provas importantes eu seguro uma mão na outra enquanto escrevo.
Eu já fui no médico e ele falou que eu não tinha nada..... emoções fortes são uma desgraça.
A minha técnica pra esconder isso é ficar com a mão fechada em situações de raiva e ansiedade.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)