Avaliação do Tópico:
  • 4 Voto(s) - 4.5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[FIXO] A Real sobre a promiscuidade!
#1
Star 
Como funciona o sexo no cérebro

[Image: ?u=http%3A%2F%2F1.bp.blogspot.com%2F-tPg...ue.jpg&f=1]

Eu já havia feito um comentário abordando esse tema um tempo atrás. Mas agora a pedido do General Diamante, eu vou fazer uma compilação aqui sobre o que cientistas conceituados falam sobre como o sexo afeta a nossa mente e o nosso corpo. E vou abordar os aspectos que comprovam cientificamente os conceitos da Real e alguns conceitos novos para serem debatidos aqui. Ficando a cada um a tarefa de tirar as suas próprias conclusões sobre o assunto.

Vou abordar o resumo principalmente do livro "Hooked" ( um pouco cansativo para quem não é da area por ser totalmente técnico) e do livro "A verdade Nua e Crua" (O ultimo foi o que o Legionário Sagitário indicou no tópico). Eles focaram na neuroquímica cerebral aplicada ao sexo, ou seja,  somente nos aspectos científicos deixando de lado conceitos sobre o que é certo ou errado, moral ou imoral (Apesar desse ultimo livro citar algumas passagens bíblicas pois os resultados de pesquisas confirmam várias passagens da Bíblia).

O aspecto científico é exatamente o ponto forte dos livros e são baseados em dados recentes. Então o texto vai acabar ficando um pouco técnico.
Indico os dois livros para quem tiver interesse em entender melhor o assunto. Vou postar as fontes ao final para consulta.

Esse é um assunto que tem muito relativismo e muita desinformação. Mas com a ajuda de técnicas de pesquisa e tecnologias modernas, cientistas estão confirmando que sexo é mais do que um ato físico momentâneo e que existem cicatrizes emocionais decorrentes de uma vida sexual não orientada. Eles deixam claro que, assim como a comida, o sexo pode ser mal compreendido e abusado.

O cérebro, a nossa central de comando, trabalho sob o efeito de neurotransmissores e ao fazermos sexo liberamos esses três neurotransmissores:

Noradrenalina;
Ocitocina (Nas mulheres) e Vasopressina (Nos homens);
Dopamina;

Os três são neutros, podendo recompensar bons e maus hábitos, dependendo do estilo de vida ou do comportamento adotados pela pessoa. O sexo produz poderosas (até para a vida toda) mudanças no cérebro que dirigem e influenciam nosso futuro num grau surpreendente”.

A Noradrenalina

A noradrenalina é a “substância da memória”. Quando experimentamos algo muito emocional e sensorial, a noradrenalina é liberada pelo cérebro e fixa essa recordação na memória. “Como os encontros sexuais são bastante emocionais e sensoriais, seu cérebro responde com uma dose dessa substância e fixa cada experiência em sua mente”, explicam os autores.

A Ocitocina e a Vasopressina

São as substâncias do amor. A ocitocina age na mulher e a vasopressina age no homem. Fazem o mesmo efeito no cérebro só muda o nome do neurotransmissor mesmo.

Ela é a responsável por produzir empatia, confiança e profunda afeição. Liberando altas doses sempre que há toques e abraços e aumentando o desejo por mais toques. São liberados níveis crescentes com o tempo o que aumenta a segurança dos laços emocionais a longo prazo.

Têm o efeito adesivo de uma cola poderosa. A poderosa conexão não pode ser desfeita sem grande dor emocional. O rompimento dessa ligação explica a incrível dor emocional que as pessoas geralmente sentem quando um relacionamento é terminado

Segundo os autores, enquanto o efeito hormonal da ocitocina é ideal para casados, ele pode causar problemas para mulheres solteiras. O cérebro feminino pode levá-la a um mau relacionamento que ela pensa ser bom por causa do contato físico e da resposta gerada pela ocitocina.

Constataram que trocar de parceiros danifica a produção desse neurotransmissor. Quanto mais parceiros elas têm, menor a produção de ocitocina em cada novo relacionamento, do mesmo jeito no homem, a produção de vasopressinavai diminuindo em cada novo relacionamento. O que causa uma menor conexão significativa com outros seres humanos, menos laço emocional com o parceiro e menos empatia (mais insensível).

Atividade sexual promíscua gasta a produção desses neurotransmissores. Mudando o cérebro, literalmente no sentido químico. É como uma fita adesiva poderosa que perde a aderência após ser aplicada e removida várias vezes. Esse assunto é tratado com profundidade no livro Hooked.

Segundo os autores, devido à atuação da dopamina, da ocitocina e da vasopressina, entre outros fatores, cada pessoa, na realidade, pode mudar a própria estrutura do cérebro, graças às escolhas que ela faz ou ao padrão de comportamento que adota.

A Dopamina

No contexto da química cerebral relacionada ao sexo, além da ocitocina e da vasopressina, há também o hormônio do “bem-estar” chamado dopamina. “Se a ocitocina é a substância que nos diz que estamos apaixonados, a dopamina diz: ‘Preciso de mais!’ Pesquisadores detectaram níveis elevados de dopamina no cérebro de casais recém-apaixonados. A dopamina estimula o desejo provocando uma torrente de prazer no cérebro”

É a substância do prazer. Funciona como uma droga poderosa, o cérebro pede sempre mais e é extremamente viciante.
E o sexo é um dos mais fortes geradores de recompensa dopamínica.

Só que a dopamina é “neutra”. Ela é liberada, independentemente de a causa ser construtiva/correta ou destrutiva/incorreta. Ela age como uma droga e o cérebro sempre vai pedir mais.

Os cientistas constataram que ela age de forma distinta dentro de um relacionamento monogâmico como o casamento, em um contexto de sexo casual em que há troca de parceiros frequentemente e até mesmo no contexto da pornografia.

Vou falar primeiro do contexto monogâmico:

O corpo produz dopamina e isso afeta a forma da produção de ocitocina e vasopressina, aumentando a produção desses neurotransmissores o que por sua vez ajudam a dopamina a ser processada de forma correta pelo corpo, um ciclo saudável.

O que segundo eles acaba causando homens e mulheres mais satisfeitos sexualmente e relacionamentos saudáveis.

Exemplo citado pelos autores: um levantamento da Universidade de Chicago revelou que casais monogâmicos casados registram os níveis mais altos de satisfação sexual. Segundo o levantamento, 87% de todos os casais monogâmicos casados relataram que são “extremamente” ou “muito” satisfeitos com seu relacionamento sexual, e 85% se declararam “extremamente” ou “muito” satisfeitos emocionalmente. “Em outras palavras, a ocitocina está fluindo no cérebro de muitos casais casados.”.

Josh e Erin destacam ainda que os menos satisfeitos física e emocionalmente são os solteiros e casados que têm vários parceiros sexuais. Talvez por isso o número de separações seja maior entre casais cujas mulheres tiveram vida sexual ativa antes do matrimônio.

Conclusão do capítulo: “Mulheres que iniciam precocemente a atividade sexual e aquelas que têm vários parceiros são menos satisfeitas na vida sexual do que as mulheres que se casam com pouca ou nenhuma experiência sexual. O jornal USA Today chamou essa pesquisa de ‘vingança das senhoras da igreja’”.

Agora no contexto do sexo casual:

A evidência mostra que quando o ciclo sexo/ligação/rompimento é repetido algumas ou muitas vezes – mesmo quando a ligação é de curta duração – dano é causado na importante capacidade interna de desenvolver conexão significativa com outros seres humanos. O comportamento adotado no presente vai afetar positiva ou negativamente a vida e os relacionamentos futuros.

O corpo vai produzir mais dopamina, mas a produção de ocitocina/vasopressina se danifica, o que prejudica a dopamina de ser processada corretamente.

Josh e Erin explicam: “Cada vez que você passa para outro relacionamento, precisa ter um pouco mais de contato sexual a fim de satisfazer o desejo do seu cérebro por dopamina, motivo pelo qual geralmente em um novo relacionamento as intimidades partirão de onde foram interrompidas no relacionamento anterior, e o efeito dos laços emocionais começa a se desestabilizar. Além disso, pelo fato de a dopamina provocar uma intensa sensação de prazer, casais sexualmente ativos com frequência substituem os sentimentos de afeição por essa sensação de excitação. Seus relacionamentos se deterioram rapidamente quando começam a buscar mais dopamina em vez de verdadeira intimidade”.

Assim, vale a pena esperar e se preservar porque, “quando o sexo é reservado para o casamento, nosso cérebro ainda recebe doses de substâncias neuroquímicas que tornam o sexo tão excitante, e nosso cérebro pode, então, processar essas substâncias [ocitocina, vasopressina e dopamina] de maneira a promover relacionamentos e reações saudáveis”.

Eles constataram que quanto mais parceiros sexuais uma mulher teve, mais dificil para ela conseguir ter relacionamentos saudaveis com uma pessoa só. Elas ficam viciadas nessa emoção que a dopamina proporciona. O relacionamento monogâmico se torna sem graça, chato e entediante e elas muitas vezes entram em estado depressivo, por isso maior é a chance de separação quando casam.  

Ela viciou seu cérebro em "emoções fortes" pelo seu comportamento e ela precisa de um esforço muito maior para controlar isso agora.
Elas são menos alegres, satisfeitas, sentem menos amor pelo parceiro, desistem com mais facilidade do relacionamento, pois devido a promiscuidade, o corpo dela não consegue mais produzir aquela ligação forte que a ocitocina gerava para manter ela ligada ao cônjuge.

Constataram que também não são apenas piores esposas, como também são piores mães.

Durante o sexo, o cérebro dos homens é inundado com vasopressina, “e esse neuroquímico produz uma ligação parcial com cada mulher com quem eles tiveram relação sexual. Eles não percebem que esse padrão de ter sexo com uma mulher e então romper com ela e depois ter sexo com outra os limita a experimentar apenas uma forma de atividade cerebral comum aos seres humanos envolvidos sexualmente – a corrida dopamínica do sexo.

Doenças Sexuamente Transmissveis:

Eles também abordam sobre o perigo das DSTs no sexo casual, durante 10 capítulos e mostram muitos dados que a mídia não dá a devida importância. Vou resumir radicalmente essa parte aqui.

Eles citam que nos anos 60, eram tratadas duas principais DSTs – sífilis e gonorreia. E eram curadas com uma vacina. Hoje, os médicos reconhecem 25 DSTs principais, das quais 19 não têm cura.

Nos anos 60, um em cada 60 adolescentes sexualmente ativos contraia uma DST. Por volta dos anos 70, esse número passou para um em cada 47. Hoje, um em cada 4 adolescentes sexualmente ativos é infectado por ano!

Mais de 87% das DSTs não tem sintomas, podem ficar incubadas por até 10 anos e são responsáveis por 30 a 40% dos partos prematuros e mortes de bebês.

Outro ponto importante é que 2/3 das DSTs acontecem em pessoas abaixo dos 25 anos.
Mulheres até os 25 anos são fisicamente 80% mais vulneráveis a contrair DSTs, pois o revestimento do colo uterino é formado por células colunares que são receptivas como uma esponja. Depois dos 25 anos o colo uterino é coberto por células epiteliais escamosas que formam uma barreira de proteção.

O que coincidentemente é a mesma fase da vida em que o cérebro (feminino e masculino) passa do sistema límbico (emoções brutas) para o córtex pré-frontal (tomada de decisões morais).

Na saúde mental em adolescentes:

Os dados que eles levantaram foram resumidamente os seguintes:

- Adolescentes sexualmente ativas são 300% mais propensas a cometer suicídio do que adolescentes virgens.
- Meninos sexualmente ativos na adolescência são 700% mais propensos ao suicídio do que os rapazes que esperam.
- Mais de 25% das meninas sexualmente ativas entre 14 e 17 anos disseram que se sentem deprimidas, comparadas a 7,7% das virgens.

A Dra. Freda McKissic Bush, do Medical Institute for Sexual Health, citada por Josh e Erin, diz que com quanto mais pessoas elas mantiveram relações sexuais, mais dificuldade terão para formar relacionamentos saudáveis no futuro, quando estiverem prontas para estar com uma só pessoa.

Afetam de modo negativo sua capacidade de criar vínculos; e pode levar à depressão, insegurança e aumento da tendência ao suicídio.

Por ultimo a saúde mental na pornografia:

Alta quantidade de dopamina é jogada no cérebro, no lobo frontal. Quanto mais se consome, mais se quer, a noradrenalina ajuda fixando as imagens no cérebro. Reprograma o cérebro pela repetição do prazer, criando um ciclo vicioso. Age como uma droga poderosa causando dependência.

Mas a descarga de dopamina nunca é a mesma da primeira vez. Pois o cérebro tenta se proteger desse comportamento anormal bloqueando a passagem para diminuir o prazer. Com a tolerância é necessário consumir uma dose mais elevada para o mesmo efeito.

Eles constataram que é o mesmo processo de drogas como cocaína no corpo. E chega a atuar como uma combinação de múltiplas drogas no cérebro. E para quem quer se livrar é necessário ser levada com a mesma seriedade dessas outras drogas.

Cria uma necessidade de mais e mais. Atividades comuns e prazerosas se tornam sem graça com essa tolerância que o cérebro criou à dopamina. Tornando tudo chato, entediante e depressivo.

Eles abordam sobre a plasticidade neural, que são estímulos direcionados que com o tempo fazem uma "trilha" no cérebro, que se fortalece com a repetição. Alterando a forma de enxergar o mundo. Quem vê muita pornografia passa a ver as coisas principalmente pelo aspecto sexual.

A plasticidade neural pode ser comparado a uma ponte que cai e 4 pessoas distintas observam e enxergam isso de maneiras completamente diferentes um do outro.
Por exemplo, um advogado, um médico, um engenheiro e um político.
O advogado vai pensar em como isso poderia dar um ótimo processo. Pois é o que o seu cérebro está condicionado a fazer. O médico vai se preocupar em saber dos feridos e em como foi feito o socorro. O engenheiro vai pensar em qual foi a falha na estrutura daquela ponte. E o político vai pensar em como é possivel ganhar votos em cima disso.

Cada pessoa enxerga o mundo da forma que ela vai condicionando o seu cérebro.

E abordaram também sobre os efeitos físicos que causa: Quanto mais pornografia, menos corpo estriado do cérebro e mais se deteriora as conexões entre o corpo estriado e o córtex pré-frontal. Que é o responsável pelo comportamento e tomada de decisões. Menos massa cinzenta no lóbulo direito do cérebro e menos atividade no córtex pré-frontal. Que também é o responsável por escolhas coerentes para consequências futuras, por juízos sensatos e acalmar decisões descontroladas.

Abordam também uma diminuição na memória de curto prazo, menos concentração, mais déficit de atenção, mais síndrome do pânico, dificuldade de sentir desejo com parceiras reais. Mais liberação de dopamina na pornografia e menos liberação de dopamina no sexo real.

Eles também citam que um grande número de jovens consumidores de pornografia na internet está sofrendo de ejaculação precoce, ereções poucos consistentes e dificuldades de sentir desejo com parceiras reais, é o que afirma reportagem publicada na revista Psychology Today. Pesquisa feita pela Universidade de Pádua, na Itália, indicou que 70% dos homens jovens que procuravam neurologistas por ter um desempenho sexual ruim admitiam o consumo frequente de pornografia na internet. Estão abafando a resposta natural do sexo ao prazer.

Resumindo, danifica o funcionamento adequado do cérebro a longo prazo.

Conclusão dos autores:

O capítulo “Final thoughts” do livro "A verdade nua e crua" termina com a seguinte conclusão:

“À medida que consideramos todos os dados que analisamos neste livro, somos levados à conclusão de que a moderna teoria da evolução a respeito da sexualidade humana está errada. Essa teoria pode ser resumida dizendo que aqueles que a propõem acreditam que os seres humanos são (nos termos deles) ‘projetados’ para ser promíscuos. A teoria fundamental é que as mulheres têm relações sexuais com vários homens, até encontrar aquele com os melhores genes. Homens têm relações sexuais com várias mulheres, até que uma delas o escolha para ser o pai de seu filho."

“O que temos mostrado nos dados que discutimos é exatamente o oposto dessa teoria. Parece que a pesquisa mais atualizada sugere que a maioria dos seres humanos é ‘projetada’ para ser sexualmente monógama com um companheiro para a vida. Essa informação também mostra que os indivíduos que se desviam desse comportamento encontram mais problemas, sejam eles doenças sexualmente transmissíveis, gravidez fora do casamento ou problemas emocionais, além do dano na capacidade de desenvolver conexão saudável com os outros, incluindo o futuro cônjuge” (p. 136, 137).

Para os autores de "Hooked", “o sexo dentro de um contexto matrimonial é o comportamento ideal para evitar problemas” (p. 95)

Outros pontos que podemos concluir com essas pesquisas sobre a neuroquímica cérebral aplicada ao sexo:

• O órgão sexual mais poderoso é o cérebro e não existe preservativo para ele.
• Fuja de mulheres promíscuas. Por mais que alguma delas tenha realmente se arrependido e mudado completamente de vida, ela vai carregar os danos das suas más escolhas da vida passada e isso vai afetar todos os relacionamentos futuros dela, inclusive o papel dela como mãe. Então, até cientificamente, é burrice ignorar o passado de vadias, mesmo que elas "realmente" tivessem mudado.
• Procure mulheres virgens, ou com o menor numero possível de parceiros antes de você, para se relacionar. Pois elas tendem a  ser emocionalmente mais saudáveis e de melhor convivência.
• Tomar cuidado com DSTs pois são um perigo sério, depois ver os links abaixo.
• Procure ter menos relacionamentos rápidos e mais relacionamentos duradouros.
• Evite o consumo de pornografia.
• Por irem totalmente contra o status quo comportamental atual, não acredito que essas pesquisas ganhem alguma grande divulgação.
• Por tantos malefícios emocionais, físicos e comportamentais causados nos jovens não é de se surpreender que a esquerda e as feministas se empenhem tanto em apoiar o comportamento promíscuo e também em atacar o modelo cristão antigo de casamento.
• Apesar do mundo estar entrando em colapso, o sexo dentro do contexto do casamento ainda é o ideal.


Principais links e pesquisas sobre o texto em spoiler:

Spoiler Revelar


Analise do livro: "Sexo: A verdade Nua e Crua" Indicado pelo Sagitário (Valeu pela dica).
http://projeto-original.blogspot.com.br/...-crua.html
Na tradução os editores acabaram esquecendo de colocar as referencias do livro original. No qual são mencionados muita pesquisas e publicações importantes, úteis para quem quer se aprofundar no assunto. Então só no original do inglês que se pode encontrar isso. Que se chama: The Bare Facts.

Analise do livro: Hooked – New Science on How Casual Sex is Affecting Our Children (Northfild Publishing)
http://www.criacionismo.com.br/2011/10/c...texto.html

Três das DSTs mais comuns estão ficando intratáveis
http://exame.abril.com.br/tecnologia/not...is-diz-oms

DSTs afetam a fertilidade feminina
http://www.minhavida.com.br/familia/mate...ed_familia

Um novo tipo de droga:
https://padrepauloricardo.org/aulas/um-n...o-de-droga

Sequestrando o cérebro – como a pornografia funciona
http://www.criacionismo.com.br/2010/02/s...rafia.html

Sugestão de livro: Wired for Intimacy: How Pornography Hijacks the Male Brain (Em inglês)
https://www.amazon.com/Wired-Intimacy-Po...r+intimacy

Sugestão de livro: Your Brain on Porn: Internet Pornography and the Emerging Science of Addiction (Em inglês)
https://www.amazon.com/Your-Brain-Porn-P...n+on+porna

A ilusão da pornografia
http://www.criacionismo.com.br/2014/01/a...rafia.html

http://fightthenewdrug.org/ (Em inglês)

Mulheres podem carregar DNA de parceiros sexuais
http://www.criacionismo.com.br/2016/06/m...na-de.html

Ver muita pornografia pode ser prejudicial ao cérebro, sugere estudo
http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/...studo.html

Os efeitos psicológicos de ter vários parceiros sexuais
http://www.criacionismo.com.br/2014/11/o...arios.html

“A maior necessidade do mundo é a de homens — homens que se não comprem nem se vendam; homens que, no íntimo de seu coração, sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.” Ellen White, Educação, Pág 57.
Responda-o
#2
Falando em DST, descobri há pouco que contraí uma herpes Facepalm graças à uma xota suja que eu havia chupado.

E em relação às mulheres no geral, é notório. Quanto mais vagabunda, menos satisfeita com tudo o que lhe cerca.
Responda-o
#3
- De certa forma (em sua forma fisiológica) o Apego masculino se chamaria Vasopressina?

- Por que se for levar por essa ótica, o famoso Homem Desapegadão teria uma tolerância maior a essa substância e consequentemente (devido a mudança bioquímica cerebral) não se apegaria facilmente a qualquer mulher.
"A Real tem 5 estágios: Conhecimento, Revolta, Aceitação, Compreensão e Evolução".
Responda-o
#4
Simplesmente brilhante, quebrou um paradigma meu que eu não entendia.

Sempre entendia as relações humanas no mesmo sentido do texto, os males da promiscuidade etc etc... mas nunca conseguia relacionar isso com a teoria da evolução no sentido da sexualidade.

E com poucas palavras explicitas da conclusão percebi que me contaram a teoria errada. Qualquer cabra menos retardado enxerga os males da putaria em pessoas mais velhas.

Vou colocar o livro para leitura, incrível como nunca suspeitei que a teoria poderia estar equivocada.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#5
(22-10-2016, 04:36 PM)Diamante Escreveu: - De certa forma (em sua forma fisiológica) o Apego masculino se chamaria Vasopressina?

- Por que se for levar por essa ótica, o famoso Homem Desapegadão teria uma tolerância maior a essa substância e consequentemente (devido a mudança bioquímica cerebral) não se apegaria facilmente a qualquer mulher.

Pelo que eu entendi, ambos os sexos possuem essa resistência ao apaixonamento quando se tem relações sexuais com diversas pessoas.
Responda-o
#6
(22-10-2016, 04:54 PM)Henry Volk Escreveu:
(22-10-2016, 04:36 PM)Diamante Escreveu: - De certa forma (em sua forma fisiológica) o Apego masculino se chamaria Vasopressina?

- Por que se for levar por essa ótica, o famoso Homem Desapegadão teria uma tolerância maior a essa substância e consequentemente (devido a mudança bioquímica cerebral) não se apegaria facilmente a qualquer mulher.

Pelo que eu entendi, ambos os sexos possuem essa resistência ao apaixonamento quando se tem relações sexuais com diversas pessoas.

- No caso, sim. Porém, já que estamos em um ambiente exclusivo a homens, destaquei mais a substância masculina.
"A Real tem 5 estágios: Conhecimento, Revolta, Aceitação, Compreensão e Evolução".
Responda-o
#7
(22-10-2016, 04:36 PM)Diamante Escreveu: - De certa forma (em sua forma fisiológica) o Apego masculino se chamaria Vasopressina?

- Por que se for levar por essa ótica, o famoso Homem Desapegadão teria uma tolerância maior a essa substância e consequentemente (devido a mudança bioquímica cerebral) não se apegaria facilmente a qualquer mulher.

O nosso cérebro cria o apego de duas formas distintas e complementares.

A vasopressina vai te viciar nela a longo prazo. Gera uma sensação de união com a parceira. Quanto mais tempo de relacionamento, mais você se sente unido a ela. A quebra desse laço pode causar depressão e grande dor emocional. As pesquisas mostram que, se ele tem relações sexuais com múltiplas parceiras, a sensação de união é dissipada.

A dopamina vai te viciar no curto prazo, normalmente quando ela fizer o chá de buceta. Devido a corrida dopaminica no cérebro que é extremamente viciante, te fazendo querer ver ela o tempo todo. É a famosa paixão que vai te manter preso até se apegar a ela.

O curioso é que a ocitocina é liberada na mulher quando ela é tocada de forma amorosa e quando ela está amamentando também há liberação de ocitocina no cérebro dela, o que fortalece os laços emocionais entre a mãe e o bebê. Se ela está com essa produção afetada, vai afetar o seu apego pelo filho também.
“A maior necessidade do mundo é a de homens — homens que se não comprem nem se vendam; homens que, no íntimo de seu coração, sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.” Ellen White, Educação, Pág 57.
Responda-o
#8
(22-10-2016, 03:41 PM)Libertador Escreveu:
Agora no contexto do sexo casual:

O corpo vai produzir mais dopamina, mas a produção de ocitocina/vasopressina se danifica, o que prejudica a dopamina de ser processada corretamente.
Matou a pau. Mais um motivo do pq v@dias rampeiras que já deram pra geral se foderem na vida e se tornarem problemáticas psicologicamente.

Responda-o
#9
(22-10-2016, 04:54 PM)Henry Volk Escreveu:
(22-10-2016, 04:36 PM)Diamante Escreveu: - De certa forma (em sua forma fisiológica) o Apego masculino se chamaria Vasopressina?

- Por que se for levar por essa ótica, o famoso Homem Desapegadão teria uma tolerância maior a essa substância e consequentemente (devido a mudança bioquímica cerebral) não se apegaria facilmente a qualquer mulher.

Pelo que eu entendi, ambos os sexos possuem essa resistência ao apaixonamento quando se tem relações sexuais com diversas pessoas.

Não sei até que ponto isto seja verdade. Eu infelizmente, me apeguei muito a minha ex. Quando perdi ela, tive problema pra me concentrar em qqr coisa. E acreditem. Pegar geral, não aumentou minha resistência ao apaixonamento. Pelo contrário. Me deixava com mais saudades dela. Sai com umas 10 mulheres no primeiro mês pós termino(a maioria GP é claro) e vi que não adiantava. O que me fez efetivamente esquecer, foi prometer pra mim mesmo que não iria pegar ngm por 2 meses e ocupar minha mente sempre que me pegava pensnado em mulher, ia jogar algum jogo, ia treinar, ia ler, ia assistir anime, etc.

Isto sim leva ao desapaixonamento. Tentar trocar o apego de uma pelo apego de várias não funciona. O que funciona e treinar PESADO e ocupar a mente.

--------------------------------------------------------------------------------------

Sobre DST, supondo que uma camisinha tenha estourado com uma prima novata. Quanto tempo leva pros exames disserem se deu merda ou não?
.
Responda-o
#10
No Brasil é assim:


O hímen é apenas uma pelinha.

A virgindade da mulher ou feminista começa aos 30 anos.

Quanto mais rodada,  mais estável, sadio e duradouro será o relacionamento, a fidelidade é garantida e a vagina é quase virgem, rasa e apertadinha. Big Grin

Sempre suspeitei que as mulheres que experimentaram mil e uma picas sofrem de degeneração psíquica permanente.

Conclusão do capítulo: “Mulheres que iniciam precocemente a atividade sexual e aquelas que têm vários parceiros são menos satisfeitas na vida sexual do que as mulheres que se casam com pouca ou nenhuma experiência sexual. O jornal USA Today chamou essa pesquisa de ‘vingança das senhoras da igreja’”.




Ela viciou seu cérebro em "emoções fortes" pelo seu comportamento e ela precisa de um esforço muito maior para controlar isso agora. 

Elas são menos alegres, satisfeitas, sentem menos amor pelo parceiro, desistem com mais facilidade do relacionamento, pois devido a promiscuidade, o corpo dela não consegue mais produzir aquela ligação forte que a ocitocina gerava para manter ela ligada ao cônjuge.

Constataram que também não são apenas piores esposas, como também são piores mães.


Tem um monte de brasileiras que perderam as pregas afetivos morais, porque aderiram a promiscuidade feminista, elas estão formando a estranha cidadania do balzaquistão. Nenhum macho as sacia, ficam velhas e bagacentas e começam  a se entulhar aos milhões com gatos, rivotril e corpos gordos.

Querem o melhor de tudo? Eu não duvido que o Islã comece a fornecer mulheres como estratégia de conquista e ampliação populacional nos territórios alvos, quantos manginas não se converteriam ao Islão?Um grande chamariz e uma forma de conquistar fiéis.

Sempre suspeitei que as mulheres que experimentaram mil e uma picas sofrem de degeneração psíquica permanente.

A Real tem razão.

o Confrade pegou boqueira  Big Grin  vai ser zuado por aí, tatuagem de quem anda com viado ou puta.

Spoiler Revelar
[Image: herpes-labial-remedios-tratamento-sintoma.jpg]
Só Jesus salva, vá e não peques mais...
Responda-o
#11
(23-10-2016, 10:59 PM)Minerim Escreveu: Querem o melhor de tudo? Eu não duvido que o Islã comece a fornecer mulheres como estratégia de conquista e ampliação populacional nos territórios alvos, quantos manginas não se converteriam ao Islão?Um grande chamariz e uma forma de conquistar fiéis.

nem dá essas ideias..
Basta que o almejado ideal aconteça todos os dias para que a sonhada perfeição desapareça. 
Responda-o
#12
(23-10-2016, 10:51 AM)Thanatos Escreveu:
(22-10-2016, 04:54 PM)Henry Volk Escreveu:
(22-10-2016, 04:36 PM)Diamante Escreveu: - De certa forma (em sua forma fisiológica) o Apego masculino se chamaria Vasopressina?

- Por que se for levar por essa ótica, o famoso Homem Desapegadão teria uma tolerância maior a essa substância e consequentemente (devido a mudança bioquímica cerebral) não se apegaria facilmente a qualquer mulher.

Pelo que eu entendi, ambos os sexos possuem essa resistência ao apaixonamento quando se tem relações sexuais com diversas pessoas.

Não sei até que ponto isto seja verdade. Eu infelizmente, me apeguei muito a minha ex. Quando perdi ela, tive problema pra me concentrar em qqr coisa. E acreditem. Pegar geral, não aumentou minha resistência ao apaixonamento. Pelo contrário. Me deixava com mais saudades dela. Sai com umas 10 mulheres no primeiro mês pós termino(a maioria GP é claro) e vi que não adiantava. O que me fez efetivamente esquecer, foi prometer pra mim mesmo que não iria pegar ngm por 2 meses e ocupar minha mente sempre que me pegava pensnado em mulher, ia jogar algum jogo, ia treinar, ia ler, ia assistir anime, etc.

Isto sim leva ao desapaixonamento. Tentar trocar o apego de uma pelo apego de várias não funciona. O que funciona e treinar PESADO e ocupar a mente.

--------------------------------------------------------------------------------------

Sobre DST, supondo que uma camisinha tenha estourado com uma prima novata. Quanto tempo leva pros exames disserem se deu merda ou não?

Ocupar a cabeça (de cima) é uma ótima estratégia como o Thanatos disse.

Ao meu ver é uma questão de opções, e não ao fato de comer um monte de mulher.

Comer GP esvazia o saco, mas não afaga o EGO.

Quanto mais opções disponíveis o cara tiver, mais desapegado se torna, uma vez que se não dá certo com uma tem outra disponível e por aí vai. Pra que se incomodar com uma se tem várias outras?

Por isso que para as mulheres é mais simples, terminou o namoro, já tem umas 30 picadura pra ela sentar.
Basta que o almejado ideal aconteça todos os dias para que a sonhada perfeição desapareça. 
Responda-o
#13
Muito bom seu resumo Libertador. Acredito que os hormônios e a resistência do organismo à eles ajuda a explicar muita coisa. A necessidade crescente por fortes emoções, cria um tédio que precisa ser constantemente superado, e pode ser notado no famoso olhar de mil rolas de muitas mulheres.
"Homem Marmito"® is trademark of Marmito Man Corporation ™
Responda-o
#14
(23-10-2016, 11:35 PM)Tesla Escreveu:
(23-10-2016, 10:51 AM)Thanatos Escreveu:
(22-10-2016, 04:54 PM)Henry Volk Escreveu:
(22-10-2016, 04:36 PM)Diamante Escreveu: - De certa forma (em sua forma fisiológica) o Apego masculino se chamaria Vasopressina?

- Por que se for levar por essa ótica, o famoso Homem Desapegadão teria uma tolerância maior a essa substância e consequentemente (devido a mudança bioquímica cerebral) não se apegaria facilmente a qualquer mulher.

Pelo que eu entendi, ambos os sexos possuem essa resistência ao apaixonamento quando se tem relações sexuais com diversas pessoas.

Não sei até que ponto isto seja verdade. Eu infelizmente, me apeguei muito a minha ex. Quando perdi ela, tive problema pra me concentrar em qqr coisa. E acreditem. Pegar geral, não aumentou minha resistência ao apaixonamento. Pelo contrário. Me deixava com mais saudades dela. Sai com umas 10 mulheres no primeiro mês pós termino(a maioria GP é claro) e vi que não adiantava. O que me fez efetivamente esquecer, foi prometer pra mim mesmo que não iria pegar ngm por 2 meses e ocupar minha mente sempre que me pegava pensnado em mulher, ia jogar algum jogo, ia treinar, ia ler, ia assistir anime, etc.

Isto sim leva ao desapaixonamento. Tentar trocar o apego de uma pelo apego de várias não funciona. O que funciona e treinar PESADO e ocupar a mente.

--------------------------------------------------------------------------------------

Sobre DST, supondo que uma camisinha tenha estourado com uma prima novata. Quanto tempo leva pros exames disserem se deu merda ou não?

Ocupar a cabeça (de cima) é uma ótima estratégia como o Thanatos disse.

Ao meu ver é uma questão de opções, e não ao fato de comer um monte de mulher.

Comer GP esvazia o saco, mas não afaga o EGO.

Quanto mais opções disponíveis o cara tiver, mais desapegado se torna, uma vez que se não dá certo com uma tem outra disponível e por aí vai. Pra que se incomodar com uma se tem várias outras?

Por isso que para as mulheres é mais simples, terminou o namoro, já tem umas 30 picadura pra ela sentar.

A questão é a qualidade. Eu só tive 2 namoradas na vida, porque tenho o seguinte pensamento. "Antes só do que mal acompanhado" Eu exijo que minha mulher seja bonita, jovem, sem filhos, não baladeira, que beba pouco(ou não beba), que me ame, me respeite, me trate bem, não tenha um sogro chato, não seja feminazi, não seja pós moderna, esquerdopata etc, etc, etc. E das que eu namoraria, eu acho que mal e mal encontrei 10 mulheres na vida que namoraria se ela tivesse interesse em mim.

Eu sei que vai ser difícil encontrar uma outra mulher que cumpra estes requisitos, mas enquanto isto, vo me divertir com as GP's e talvez montar um pac-b. Já consegui uma vez, por que não vou conseguir de novo? O negócio é focar em enriquecer, assim se eu não conseguir uma mulher que atinge estes requisitos, posso me tornar um sugar daddy
.
Responda-o
#15
Excelente este tópico.
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#16
Tópico foda.
Responda-o
#17
(22-10-2016, 03:41 PM)Libertador Escreveu: • O órgão sexual mais poderoso é o cérebro e não existe preservativo para ele.

 Fato. A mente de uma mulher promíscua nunca será a mesma. Uma mulher não perde realmente a virgindade ao somente investir em técnicas para tornar mais estreito o seu objeto de prazer, mas seria a de dar um reset no cérebro. 

A virgindade feminina é realmente sagrada e não se deveria perder com qualquer um. A virgindade masculina é um cabaço a mais, que tampouco importa. Mulher muda a cada parceiro que ela teve na vida, e passa a exigir mais sem o mínimo de dó.

Em homens, o cérebro é poderoso : ele pode te livrar de ejaculação precoce, ele pode te livrar de broxa, ele pode ampliar a sua performance sexual, a sua segurança em conseguir mais parceira para sexo, tudo isso.
Responda-o
#18
Tópico bom esse, como já dito, as vadias mais rodadas que a catraca do metro tem que padecer, mulher tem que ser virgem e ponto final!
"O que as suas mãos tiverem que fazer, que o façam com toda a sua força, pois na sepultura, para onde você vai, não há atividade nem planejamento, não há conhecimento nem sabedoria."
Eclesiastes 9:10
“Poucos vêem o que somos, mas todos vêem o que aparentamos”.
by Maquiavel
Responda-o
#19
Os franceses têm um nome pra isso, "la petite mort".
Responda-o
#20
isso nao foi um topico, isso foi uma AULA !!

[Image: giphy.gif]
"A paixão é como o álcool. Entorpece a consciência, elimina a lucidez, impede o julgamento crítico e provoca alucinações, fazendo com que o ser amado seja visto como divino." Como lidar com Mulheres - Nessahan Alita
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 2 Visitante(s)