Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Experiências Transcendentais
#1
Fala foro, tudo bem?
Andava com essa ideia na mente mas sem muito gás para escrever, mas essa subida de patente inesperada me deu a gora de motivação a mais para escrever isso aqui.

Será bom eu escrever aqui pois penso em mais pra frente gravar um podcast relatando as mesmas coisas, e talvez escrevendo, isso possa servir como "roteiro" mais para frente.

Como vocês sabem, meu pai morreu, eu relatei aqui todo o acontecido, mas não relatei tudo, pois essa parte eu considerava de certa forma "reservada" demais para abrir para pessoas que não fossem estritamente próximas, mas ao mesmo tempo, eu acho que isso possa fazer alguém fortalecer suas próprias crenças, ou até eu mesmo entender melhor as minhas.

Poucos meses antes dele morrer, eu andava sentindo muita raiva dele, andava me sentindo abandonado, era algo que eu de fato já deveria ter superado fazia muito tempo, mas muitas coisas haviam acontecido que haviam abalado meu estado psicológico e me feito, talvez regredir emocionalmente, ou talvez amadurecer e perceber o quão imaturo eu era antes.

Acontece que várias coisas ao mesmo tempo haviam caído na minha cabeça ao mesmo tempo e eu não tinha a preparação que achava que tinha para lidar com tudo.
Meus investimentos derretendo.
Uma guria promissora para relacionamento que tive que deixar para trás
A pressão em casa para achar um serviço, tentar achar um serviço, e não conseguir
Meus estudos para concursos indo por água abaixo pois apenas achava que sabia estudar, mas não sabia.
A raiva cada vez maior pelo meu pai, pois na minha cabeça, caso eles estivesse presente, de alguma forma, eu lidaria melhor com tudo isso.

Mas por mais que eu vá falar muito dele nesse post, isso não será sobre ele, mas sobre uma quantidade gigantesca de coincidências que aconteceram na minha vida e que me fizeram, de alguma forma, ter uma fé em algo a mais, por mais difusa e as vezes fraca que essa fé possa ser, dependendo do dia, ela nunca mais se tornou neutra, desde o acidente.

E toda a minha história com o meu lado mais espiritual começou depois daquele acidente, onde eu fui atropelado, e tive perda da memória recente por umas duas semanas.

É como se existisse um eu antes do acidente e um eu depois do acidente, pois o acidente em si nem foi o trauma em si, mas ver todas as pessoas ao meu redor seguindo em frente simplesmente como se eu tivesse apenas tropeçado em uma calçada, isso foi um trauma sutil, mas profundo em minha vida.

Lembro que foi nessa época, inclusive, que comecei frequentar esse fórum, depois daquela épica entrevista com o spider moch feito pelo arthur petry e pelo tiago carvalho.

Foi nessas de ficar mofando em casa, me recuperando, após o acidente, com meu TOC agravado, não sei se pelo acidente ou pelo isolamento repentino, que comecei a ler Dostoiévski, e eu engoli a maioria dos livros dele, Os Demônios foi o livro que de fato me fez perceber que o mundo é mais do que o materialismo vazio em que vivemos, ou ao menos existem pessoas muito inteligentes que acreditam nisso. 

O que me chamou atenção é que esse livro dele não é um livro espírita, e nem religioso, é um livro político, mas foi o livro mais religioso, tirando a bíblia, que eu já li em toda a minha vida, os ultimos diálogos de Nikolai Stavróguin com o monge sobre estar vendo fantasmas, eu lembro até hoje de estar lendo o final do livro, e o dia estava amanhecendo, porque eu não tinha rotina nessa época, minha vida tinha virado de cabeça para baixo.


Após tudo isso eu comecei a perceber que certos números se repetiam quando eu tomava decisões que julgava certas, e outros, quando tomava decisões que julgava erradas, mas isso fica só como uma observação relevante, por enquanto, é apenas um detalhe.

Pouco antes do meu atropelamento o meu pai retornou contato comigo para pagar um pensão atrasada, conversamos e retornamos contato, após o acidente fui visitar ele também.

Vou continuar abaixo pois não sei o quanto cada postagem suporta de caracteres.
Responda-o
#2
Retornamos contato, mas antes de retornarmos esse contato eu já havia ficado anos sem falar com ele, porque ele nunca pagava a pensão e eu percebi que era melhor eu brigar com ele do que ficar brigando com minha mãe, que achava que eu valorizava mais ele do que ela, ela tinha o seu ponto, de certa forma e mais para frente que eu fui descobrir isso.

Mas voltamos a nos falar, lembro que essa época foi uma época onde eu estava insuportável e eu precisava de dinheiro para pagar umas coisas do hospital.

Ele negou e aquilo me deixou revoltado, mandei ele se afogar no próprio egoísmo dele, e depois eu iria mandar um texto enorme desabafando, porém ele nunca leu, pois me bloqueou na primeira mensagem, e nunca mais me desbloqueou, até hoje, depois de morto, sou bloqueado em todas as contas de redes sociais dele.

Dito isso o desabafo consistia em eu ter crescido longe da minha família, em outro lugar, sem primos ou avós, porque ele teve a brilhante ideia de querer se mudar para outro lugar só por causa do frio, conforme fui amadurecendo percebi que essa ideia não foi unilateralmente dele, mas inconsequência dele e da minha mãe, mas já era tarde nesse momento, e aquela mensagem seria a ultima conversa que teríamos em vida, por texto.

Não lembro como foi nossa ultima conversa pessoalmente, mas ele estava feliz, no fundo, ele não queria, ou ao menos eu acho que ele não queria, que as coisas fossem desse jeito.

Mas o tempo passou e muita coisa mudou, a minha cidade natal, que eu tanto detestava, desprezo que tinha herdado em parte pela minha mãe, que odiava a cidade, e culpava o meu pai por morar lá, aos poucos foi se tornando um lugar bonito aos meus olhos, e eu fui aprendendo a admirar o lugar onde eu morava, pode-se dizer que antes de ir embora de lá e estava quase plenamente satisfeito com a minha vida lá, e já não fazia questão de ir embora, ao contrário dos meus anos de adolescência, eu já não valorizava mais uma vida metropolitana e conseguiria me imaginar feliz ganhando um salário modesto em um lugar longe das loucuras desse mundo desprezível.

Ainda mais depois de reencontrar um velho amigo e estar de namorico com uma moça que descobri ser virgem aos 20 anos.

Lembro que eu conheci ela por estar caminhando com esse amigo meu, ele resolveu ir na casa de uma peguete dele, e eu o acompanhei, foi ali que conheci ela.

Eu fui o primeiro dela, de fato ela se apegou muito a mim, e mais do que eu poderia imaginar, eu fui provavelmente irresponsável por me envolver com ela, tendo uma vaga noção que eu iria embora, mas fazia tantos anos que esse sonho de sair da cidade estava na gaveta, que eu no fundo, nem imaginava mais direito que isso de fato iria acontecer, estava cansado dos planos de minha mãe para ir embora que nunca se concretizavam, ela havia se aposentado, e sempre foi o plano dela sair depois de se aposentar, mas quando vi ela brigando de novo com a minha avó por telefone, na minha mente, eu vi aquilo como só um blefe, ela não querer ir embora de fato.

Eu lembro que reli Os Demônios em 2021, poucos meses antes de conhecer essa menina que eu falei acima, e dessa vez, nessa segunda releitura do livro, me senti um envolvimento sinistro com esse livro, e com o personagem Stavroguin, que no livro de fato era descrito como um homem belo e de liderança natural, o seu perturbador segredo só iria ser revelado no final do livro, mas mesmo assim, foi um personagem que eu passei a admirar após ter relido o livro pela segunda vez, apesar de tudo.

Lembro que o horário que eu me despedi, junto do meu amigo, dessa guria que mais para frente viria a se tornar uma namorada não oficial, eram 20 ou 21 e 33 minutos, não lembro exatamente, o horário, mas lembro que eram 33 minutos, e esse número é particularmente especial para mim, pois o considero um número sagrado e virou uma espécie de talisma na minha vida, então, quando estou para fazer algo e os minutos marcam 33, por exemplo, sinto como se fosse uma espécie de reforço. Superstição de minha parte, mas quero realçar esse detalhe.

Quando fui sondar sobre o passado dela, que ela me contou que havia sido estuprada dos 5 aos 7 anos pelo tio e por um cara que se relacionava com uma parente dela, posso só estar delirando, mas acredito que foi uma espécie de karma para eu abrir os olhos sobre o tipo de personagem que estava tendo como herói na literatura.

Acredito inclusive, que a onda de coisas ruins que aconteceram depois que eu me mudei de cidade, podem ter sido, por que não? Uma forma de eu pagar por a ter deixado e me mudado, sendo que ela já tinha dificuldades emocionais e quando finalmente consegue se abrir com alguém, essa pessoa vai embora.

Pode ser tudo isso, pode ser apenas coincidências, e apenas detalhes, mas eu acho válido deixar isso registrado em algum lugar, porque as coisas não param por ai, e Dostoiévski entra nessa história, retornando ao caso do meu pai.

Continua.
Responda-o
#3
"Terminei" com ela, deixando claro que NUNCA em momento algum, falei que queria algo sério com ela, e ela mesma não queria nada sério, pois era emocionalmente muito fechada, as coisas acabaram rolando depois de muitas saídas, mas jamais a iludi, disso eu posso me orgulhar.

Mas por fim eu estava alegre e feliz, meu amigo me levou para a casa dele, e lá ele, o pai dele e suas respectivas namoradas, todos confraternizamos, e eu me senti de fato acolhido, foi uma noite fria serrana agradável, bebemos vinho, e então, eu fui embora da cidade.

Eu sempre quis sair da minha cidade natal, sempre quis retornar a terra natal de minha mãe, e sempre gostava mais de lá do que do meu próprio lugar, não me sentia pertencente ao lugar, minha mãe não fazia parte do lugar, ela era de fora, logo, eu também não tinha a cultura do lugar, e pra piorar, com 14 anos fiz um vídeo falando mal da cidade que viralizou Big Grin o que definitivamente fez eu não me sentir acolhido de forma alguma no lugar por um bom tempo.

Porém em 2018, ultima vez que fui para a cidade natal da minha mãe de férias, eu já havia percebido que talvez não seria um lugar tão bom assim para morar, porém ignorei esse sentimento, pois agora eu teria que ir e não tinha o que fazer, estava feliz por encontrar minha família, meus primos.

A contraste foi tão grande... a confraternização antes de sair de minha cidade natal e a confraternização com meus primos de lá... botando defeito em tudo que eu fazia, não sabendo manter uma conversa, uma arrogância que talvez sempre tenha existido mas agora que sou mais velho consigo perceber melhor.

E todos aqui, ao menos do meu ponto de vista eram mais ou menos desse jeito, isso tudo me fez perder o brilho e o sonho de sair da minha cidade para ir morar em outro lugar enfim realizado, foi realizado para nada, e tudo que ganhei foi frustração, estresse e solidão.

Mas não vou me estender sobre isso, pois foi bom, eu precisava perder o brilho e realizar esses sonhos fúteis nos meus 20 anos para não virar um homem frustrado, eu prefiro ser "o cara que saiu e foi pro mundo e viu que é tudo uma grande merda" do que "o cara que acha que o mundo é lindo e a cidade dele é que é ruim", foi amadurecedor, sem dúvidas.

Nisso, eu comecei a sentir uma raiva inexplicável que eu descontava na sombra do meu pai, nessa época ele estava vivo, e eu conseguia ver as postagens dele de vez em quando por uma conta secundária, imaginava que se o encontrasse de novo, bateria nele, estava com raiva estava responsabilizando todos os meus problemas, mesmo os que não tinham nada a ver com ele, mesmo que indiretamente.

Fui viajar visitar esse meu amigo, aquele que confraternizei antes de ir embora da minha cidade natal, viajei para fazer um concurso, tentei emprego nessa cidade, não deu muito certo, hehe.

Mas uma coisa que eu acredito que vai ficar marcada para mim pelo resto da vida foi a conversa que tivemos, eu fui prestar essa prova e tudo nesse dia foi meio místico, minha mãe queria que eu pegasse o uber,, eu queria economizar e fui de ônibus mesmo, eu estava de saco cheio dela achar que eu não tinha a capacidade de fazer coisas simples, como pegar ônibus em de circular, ela não estava totalmente errada, pois é muito fácil se perder nesses ônibus, e de fato, quase me perdi! E iria perder a prova! Mas dei sorte e perguntei para as pessoas certas na hora certa, fiz a prova, voltei, e encontrei meu amigo louco de conhaque.

Ele falou que queria conversar e que não queria ficar sozinho, ele estava bêbado e parecia meio em transe, começou a me elogiar um monte, disse que, por eu ter crescido sem pai e a minha mãe trabalhar o dia inteiro, eu teria muitas chances de ter me perdido na vida, mas não me perdi, e ele me admirava por isso, falou que definitivamente tinha Algo me protegendo, falou que e estava bêbado demais para falar essas coisas e algo falou por ele, falou para não odiar meu pai, e ele falou com convicção, confrades, falou que meu pai IA pagar por tudo que fez, ele falou com uma gigantesca convicção, isso era em novembro do ano passado, fiquei sabendo do meu pai em dezembro, ninguém sabia até ele já ter morrido.

Meu amigo permaneceu falando sobre minha mãe, pois havia reclamado do fato dela estar me enchendo o saco da questão do uber, mas ele falou que ela tinha que fazer o que podia, e deixou claro que Algo além me protegia, nesse dia parece que ele estava meio mal pois tinha ligado bêbado para conversar com os pais dele também, que havia se separado fazia uns 2 anos.

Após ele falar isso, minha mãe me liga, justamente quando ele estava falando dela, e o pai dele liga para ele em seguida.

Após isso, fiquei mais um tempo na casa dele procurando emprego, mas resolvi ir embora, não valeria a pena para mim ter contas para pagar sendo subempregado.

Sai com meu primo, e ele me solta que achava que a vida dele só iria se resolver quando o pai dele morresse, ele nunca havia falado nada do tipo para mim antes. Isso ele me disse poucos dias antes do meu pai morrer.

Enfim, essa viagem, a noticia do meu pai, essa conversa com meu amigo, minha mudança de cidade, e essa garota, foram como meu segundo "trauma" assim como o atropelamento foi o primeiro, sinto que foram coisas que me abalaram profundamente, mas ao mesmo tempo, me fizeram ter uma visão mais madura da vida.

É claro que nunca vi fantasmas, mas foi uma quantidade de coincidências que simplesmente não consigo deixar mais passar desapercebido e precisava deixar registrado em algum lugar.

E falando em coincidências, os irmãos karamásov era outro livro que eu estava relendo, e havia terminado pouco antes de receber a notícia sobre meu pai.

Acho que o texto ficou bem mais longo, estafante e desconexo do que eu gostaria, mas os fatos foram vindo na minha mente e eu fui jogando no teclado, como se estivesse confidênciando isso em um bar mesmo, sem me preocupar muito com a linearidade dos fatos.

E agora, tenho esse dinheiro para receber, as vezes sinto que é um dinheiro maldito, as vezes que é uma ajuda que ele está dando em morte, o que em vida não deu.

De uma forma ou de outra, se eu estivesse com dinheiro sobrando, talvez até doasse esse dinheiro para evitar coisas ruins, mas esse dinheiro pode e vai ser muito necessário, pois eu não sou rico.

O que eu posso fazer, penso, é ser o mais sábio possível para multiplicar esse dinheiro o quanto eu puder, e chegar a uma patamar tão grande, onde possa doar o capital inicial sem que isso me faça falta.

Bem, era para ser um relato sobre certas coincidências na minha vida, mas acabou virando uma novela Big Grin

Outra coincidência estranha sobre a morte do meu pai, eu faço aniversário em março, e há um cartão de visitas para uma festa de aniversário minha de tantas, é a única que ficou colada na geladeira desde sempre, como lembrança, a data era 08/03/03 embora eu não faça aniversário precisamente no dia 8.

O instagram que meu pai usava para postar antes de morrer teve exatamente 833 postagens.

Quase ia me esquecendo, sintam-se livres para relatar suas experiências transcendentais, sejam coincidências ou conversas, como no meu caso, seja até coisas mais explícitas, enfim, coisas que vocês julguem que guiaram vocês de alguma forma, mesmo que não explicitamente, mas as vezes sutilmente.
Responda-o
#4
Voce escreve muito bem. Li tudo com tranquilidade. Esta sem coesao nenhuma, o que significa que voce poderia escrever um livro de literatura, mas certamente tiraria 0 na prova do ENEM.

Agora, acho que voce esta mentindo pra si proprio porque escreveu muito porem foi muito superficial. Teve medo de falar do odio ao seu pai e dos seus sentimentos verdadeiros.

Por mim, ainda precisar escrever muito mais e escrever a verdade. A verdade e o que interessa as pessoas.

Fato que voce guarda a magoa de nao ter sido criado pelo seu pai. Porra, normal. Seu pai e um filho da puta. O homem que ignora o proprio filho propositalmente nao vale nada.

E nao existe experiencia transcedental nessa merda mesmo, nao. Pegue o maximo que puder desse dinheiro e cuide bem de voce e da sua vida.
Responda-o
#5
Man isso é foda, a coisa começa em um relacionamento complicado, aí entra o filho na jogada, para completar a cagada ensaiada, em muitos casos os filhos sempre são usados como armas de vingança para dar porrada no outro lado (no seu caso seu Pai), ou como objetos de barganha pois é mais fácil incluir um filho que não recebe o cuidado do pai para colocar nele todas as culpas nos fracassos por todas as coisas que venham ocorrer na estrutura familiar.

Viver nesse arranjo é muito ruim, imagino que sua mão sempre fez propaganda negativa dele e quando você voltou a falar com ele, o somatório de anos e anos de contaminação por parte da mãe te fez condicionado a sentir raiva dele, mesmo quando ele tentou acertar o curso das coisas, você já veio "carregado" das influencias da convivência com sua mãe, mais para frente todo fracasso na sua vida foi associado a uma co-responsabilidade do seu Pai. ... esse ambiente familiar disfuncional de lado A lado B a coisa era tão pesada que mesmo você como filho sequer foi convidado (mesmo que em contragosto) ao enterro de seu pai, ou mesmo avisado. Muito sinistro isso!

Eu acho que nesses arranjos de famílias as vezes rola muita insatisfação, muita inveja, as energias envolvidas em um ambiente tomado por mágoas, rancores e amarguras viva amargurado remoendo coisas ruins do passado 24/7 na sua vida e veja um problema intestinal ou alguma doença grave aparecer, isto é uma profecia do ÓBVIO, a amargura de vida é decididamente uma porta de entrada de uma porrada de enfermidades, isso não é papo de espiritualista cool da internet. Doenças e outros problemas sempre serão interpretados como resultado do castigo ou de determinadas obras.

Sou meio cético quanto a mistérios do absoluto, relações causa e consequência, acho que você faz associações de certas coincidências e as interpreta como sinais do transcendente ou de mistérios incompreensíveis.

Responda-o
#6
@Wild
Responda-o
#7
Novela da porra, uma força da natureza não permite que eu leia mais de 3 linhas....nada contra.


[Image: 1ca4240a754248c0a0ae70146bdaa559.jpg]



Problemas com o pai   Gargalhada parece fio de M$OL ou femimiminista.....

Então esses Coachs podem te ajudar

[Image: images?q=tbn:ANd9GcTdPzVfFEz441lceiUk-Sh...A&usqp=CAU]






Senão gostar desse tem esse outro, o pareo é duro  Risada




Só Jesus salva, vá e não peques mais...
Responda-o
#8
Ah, para @minerin, a história é boa trollface, mas esse tópico só vai ficar perfeito com a opinião completa do confrade @Wild que nunca dá em lugar nenhum também Yaoming só temos que perguntar pro @Libertador ou pro @Admin se o servidor aguentaria um tópico desse peso e com tantos loops emocionais de redirecionamento Gargalhada

@Novo Mundo como se já não bastasse essas amarras com passado que claramente você ainda está preso você está buscando profundidade demais em coisas simples e coincidências, não entendi ao certo o que tentou passar com esse relato mas só pude notar a suruba que está sua mente e a carga emocional que você carrega e por isso ainda estar tão vivo em sua mente a ponto de escrever essa parede de texto mostra que você não transcendeu ou sequer superou porra nenhuma, está tentando romantizar uma coisa que já devia ter sido superada mas se vê que até no desfecho da forma como que você pretende usar a grana a carga emocional ainda está presente e no comando.

Esquece essa merda e usa a grana pra resolver sua vida e foda-se o passado e o que aconteceu com seu pai, as vezes somos egoístas demais para entender a forma com que a cabeça de outras pessoas funciona e que nem tudo é tão perfeito e lógico como gostaríamos mas a vida continua e você só conseguirá ir para o próximo ciclo se resolver essa questão dentro de si da forma mais nobre que existe, o perdão.
Responda-o
#9
Por coincidência eu estava relendo ontem minhas marcações do livro “Em busca de sentido” e o que você narra é um fenômeno humano bastante comum. Vivemos em constante busca por sentido e significado em nossas vidas, e na ausência de explicações racionais, tendemos a procurar respostas no místico e no espiritual. O filósofo Friedrich Nietzsche advertia: "Se você olhar longamente para um abismo, o abismo também olha para dentro de você". Seu relato dá a entender que você se deparou com este abismo e começou a procurar respostas.

No que diz respeito à relação com seu pai, o seu sentimento de abandono foi aumentado pelo acúmulo de dificuldades que você estava enfrentando. A figura paterna, em geral, é associada à segurança e ao apoio, e a ausência disso muitas vezes gera ressentimento. Mas é importante entender que os pais são, antes de tudo, humanos e como tal falíveis.

Sua busca por significado após o acidente é bastante compreensível. Em situações de trauma e adversidade, muitas pessoas se voltam para a espiritualidade como forma de encontrar algum consolo ou explicação. O fato de que você se sentiu diferente após o acidente - quase como se houvesse um "eu" antes e um "eu" depois - é um reflexo claro de como eventos traumáticos podem transformar a forma como nos vemos e entendemos o mundo.

Quanto aos números que repetem, isso é um fenômeno conhecido como "viés de confirmação". Tendemos a procurar padrões que confirmem nossas crenças e ignorar aqueles que as contradizem.
“A maior necessidade do mundo é a de homens — homens que se não comprem nem se vendam; homens que, no íntimo de seu coração, sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao polo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.” Ellen White, Educação, Pág 57.
Responda-o
#10
Vou bancar o advogado do diabo e, como dizem os coleguinhas canhotos, criticar e questionar TUDO. Incluindo a real e a tradição do corredor da real.

Tenho diversos pontos, ou melhor, opiniões (que no fundo valem absolutamente de nada, apenas caracteres vazios em uma tela) sobre o que o Novo Mundo apresentou e que vou trazer adiante. Mas afinal, um relato nada mais é do que um recorte enviesado de apenas um ponto de vista e podemos interpretar os "fatos" apenas do ponto de vista do autor.

De qualquer forma não posso deixar de perceber a mudança de postura do pessoal nas suas "análises" e respostas. Há uma tendência no fórum em geral de assumir uma persona superior, ao melhor estilo Clint Eastwood de ser. Essa abordagem funciona no que diz respeito a conduzir o vivente a repensar sua vida e criar "casca"? Pode ser que sim, mas o ponto que trago é que, assim como em outros lugares da internet, grande parte dos que se colocam em uma posição moralmente elevada o fazem na covardia de uma tela, alguns nem se quer trouxeram um relato pessoal pra esse espaço para sofrer o corredor, mas se apegam a tradição que citei antes. O famoso "gosta de bater, mas não de apanhar".

Bom, dito isso e dando créditos ao jovem aqui por ter bolas de se arriscar com um relato, vamos à porradaria pois também sou filho de Deus  Risada

Citação:Acontece que várias coisas ao mesmo tempo haviam caído na minha cabeça ao mesmo tempo e eu não tinha a preparação que achava que tinha para lidar com tudo.

Meus investimentos derretendo.
Uma guria promissora para relacionamento que tive que deixar para trás
A pressão em casa para achar um serviço, tentar achar um serviço, e não conseguir
Meus estudos para concursos indo por água abaixo pois apenas achava que sabia estudar, mas não sabia.
A raiva cada vez maior pelo meu pai, pois na minha cabeça, caso eles estivesse presente, de alguma forma, eu lidaria melhor com tudo isso.

É importante reconhecer nossas fraquezas, e tu deve estar bem ciente que está agindo como qualquer outro fracote sojado da nossa geração. Achando que o mundo nos deve algo, revoltado por descobrir que o sistema é um grande moedor de carne e que a vida não é justa.

Citação:Vou continuar abaixo pois não sei o quanto cada postagem suporta de caracteres.

Geração TikTok/Twitter é isso aí mesmo. Internet está caminhando a passos largos para tornar seus usuários cada vez mais pobres intelectualmente.

Citação:Eu fui o primeiro dela, de fato ela se apegou muito a mim, e mais do que eu poderia imaginar, eu fui provavelmente irresponsável por me envolver com ela

Elas estão melhorando, essa nem meteu o famigerado "Magic 3" pra cime de você, ousou mesmo é na virgindade. Eu teria alguma empatia se não soubesse que a probabilidade de ela ter o ego enorme e fazer muito pior contigo não fosse tão alta..

Citação:Mas não vou me estender sobre isso, pois foi bom, eu precisava perder o brilho e realizar esses sonhos fúteis nos meus 20 anos para não virar um homem frustrado, eu prefiro ser "o cara que saiu e foi pro mundo e viu que é tudo uma grande merda" do que "o cara que acha que o mundo é lindo e a cidade dele é que é ruim", foi amadurecedor, sem dúvidas.

Quero deixar claro que isso aqui parece um enorme COPE. Você empregou o termo "eu precisava" de maneira leviana. Precisava? Tem absoluta certeza disso? Eu mesmo nunca precisei me mudar para saber que o mundo não é lindo e que o problema não é a cidade, que a responsabilidade sobre a minha vida é totalmente minha.

Citação:Fui viajar visitar esse meu amigo, aquele que confraternizei antes de ir embora da minha cidade natal, viajei para fazer um concurso, tentei emprego nessa cidade, não deu muito certo, hehe.

Momento que vou aproveitar pra deixar um "eu te avisei", pelo outro tópico.

Citação:Bem, era para ser um relato sobre certas coincidências na minha vida, mas acabou virando uma novela 

Entendi o momento desabafo mas...

...que lições você tirou disso? Como tudo isso alterou sua visão de mundo e modo de viver? Não vejo propósito em passar por experiências e não evoluir como pessoa, não se tornar mais sábio, por menos que seja.
Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#11
(03-05-2023, 11:25 PM)Libertador Escreveu: Quanto aos números que repetem, isso é um fenômeno conhecido como "viés de confirmação". Tendemos a procurar padrões que confirmem nossas crenças e ignorar aqueles que as contradizem.

Esse comentário basicamente joga uma pá de realidade e bom senso em toda essa sua viagem de "experiência transcendental".

...


Muito bem meu jovem, já que você ficou "motivado" por ter sido promovido aqui no fórum, também é chegada a hora de falarmos de homem para homem.

Primeiro que conforme eu comentei no chat, ler esse tópico foi difícil, bastante difícil. Não sei se você chegou a ver, mas recentemente eu recomendei um livro chamado "a arte de escrever" de Schop, e dentre muitas coisas que ele discorre uma das mais fundamentais é sobre como quando não sabemos muito bem o que estamos falando, tendemos a dar voltas e mais voltas no mesmo lugar querendo complicar o simples, falando um monte de coisas estúpidas que no fim não significam nada e poderiam ser muito melhor apresentadas em duas ou três linhas. Seguramente o caso desse tópico todo e a sua predisposição a tentar copiar um estilo literário ao qual a sua envergadura intelectual não está preparada para suportar. Sem dúvidas ser fã do Dostoiéviski é uma coisa boa, mas vamos com calma meu jovem. 

Sobre o assunto em si, a única coisa que eu li foi ressentimento. Pelo pouco que eu acompanho as suas postagens aqui no fórum, ao ler esse relato não percebi em você EVOLUÇÃO NENHUMA COMO HOMEM em todos esses anos passados como participante, inclusive por isso eu fui INFLEXIVELMENTE contra a sua promoção para veterano, e seguramente vou manter essa opinião por bastante tempo. Até quando você vai ficar chorando por causa da vida de merda que você teve/tem? Até quando vai viver atolado nesse sentimento deprimente de fracasso? Quando diabos você vai fazer alguma coisa em prol de si mesmo e esquecer a droga do passado que definitivamente não pode ser mudado? CHEGA DE CHORO!!! Faz uns 2 anos que você vem no fórum chorar e planejar coisas que nunca acontecem, igual esse dinheiro que está pra sair e nunca sai! E se isso não acontecer? Vai fazer outro tópico transcendental sobre mais essa derrota pessoal e mais uma vez culpar seu pai pela sua miséria existencial?

A única coisa que se preze nessa punhetação mental toda foi, como disse o Gorlami, a coragem de postar e isso é louvável. Mas esse amontoado da palavras vazias com um falso sentimento de superação não convence ninguém, seguramente nem você mesmo.

Chega de raciocinar, de esperar, de lembrar, de planejar, de sonhar, de querer ... ESTÁ NA HORA DE AGIR PORRA!!!
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#12
(03-05-2023, 06:18 PM)Penoso Escreveu: @Wild

O wild escreve bastante também Gargalhada
Responda-o
#13
(03-05-2023, 10:19 PM)Penoso Escreveu:
Spoiler Revelar
Ah, para @minerin, a história é boa trollface, mas esse tópico só vai ficar perfeito com a opinião completa do confrade @Wild que nunca dá em lugar nenhum também Yaoming só temos que perguntar pro @Libertador ou pro @Admin se o servidor aguentaria um tópico desse peso e com tantos loops  emocionais de redirecionamento Gargalhada

@Novo Mundo  como se já não bastasse essas amarras com passado que claramente você ainda está preso você está buscando profundidade demais em coisas simples e coincidências,  não entendi ao certo o que tentou passar com esse relato mas só pude notar a suruba que está sua mente e a carga emocional que você carrega e por isso ainda estar tão vivo em sua mente a ponto de escrever essa parede de texto mostra que você não transcendeu ou sequer superou porra nenhuma, está tentando romantizar uma coisa que já devia ter sido superada mas se vê que até no desfecho da forma como que você pretende usar a grana a carga emocional ainda está presente e no comando.

Esquece essa merda e usa a grana pra resolver sua vida e foda-se o passado e o que aconteceu com seu pai, as vezes somos egoístas demais para entender a forma com que a cabeça de outras pessoas funciona e que nem tudo é tão perfeito e lógico como gostaríamos mas a vida continua e você só conseguirá ir para o próximo ciclo se resolver essa questão dentro de si da forma mais nobre que existe, o perdão.
Eu sabia que inevitavelmente iria receber alguma zoeira, Gargalhada 

De fato, talvez tenha sido um conglomerado de coisas que aconteceram ao mesmo tempo é que, como o libertador falou, fizeram eu tentar achar um sentido para tudo isso, e de fato, eu dei um sentido para isso, por mais que na visão dos outros possam ser bobagens, ou algo simplesmente da minha cabeça, é uma narrativa que vai acabar ficando na minha mente para sempre, eu acredito, pois foram uma série de fatos que aconteceram de forma seguida e que por algum motivo besta, eu realmente acredito que eles tenham alguma ligação entre si.

Mas nada impede de ser um grande viés de confirmação.

Por exemplo, a garota que eu conheci e relatei no texto, só conheci porque meu amigo tinha voltado para a nossa cidade, e ele voltou provavelmente influenciado pela pandemia e uma coisa levou a outra, olhando por um escopo mais racional, dá para explicar vários desses acasos também.

De fato, sempre tive o sonho de enriquecer o mais rápido possível, em 2021 eu estava no auge, com mais de 60 mil na conta, para quem nunca tinha nada, foi uma boa conquista, ai depois perdi uns 40 mil Smile mas pelo menos senti o gostinho de ter um dinheiro relativamente grande em mãos.

Agora que vou receber essa herança, sinto que saberei usar esse dinheiro com mais cautela, afinal, eu sei a dor de ver o seu patrimônio derretendo.

Vou usar essa experiência como trampolim para acelerar meu enriquecimento financeiro e técnico.
Responda-o
#14
(04-05-2023, 08:21 AM)Gorlami Escreveu: Quero deixar claro que isso aqui parece um enorme COPE. Você empregou o termo "eu precisava" de maneira leviana. Precisava? Tem absoluta certeza disso? Eu mesmo nunca precisei me mudar para saber que o mundo não é lindo e que o problema não é a cidade, que a responsabilidade sobre a minha vida é totalmente minha.

Eu não sei, confrade, se eu permanecesse lá talvez ficaria frustrado por nunca ter conseguido sair de lá, e era o sonho da minha mãe sair de lá, eu poderia ficar por lá sozinho e me sustentando, naturalmente, mas estava cegado demais por querer economizar o máximo possível e ironicamente, perdi mais dinheiro do que se tivesse tirado uns anos para morar sozinho lá mesmo GargalhadaGargalhada

As nossas situações talvez sejam diferentes, eu não sei se você é de cidade pequena, mas eu era, e minha mãe tinha um desgosto muito grande por morar naquela cidade, naturalmente, mesmo que de forma irracional, eu herdei esse desgosto.

Nos ultimos anos, eu até estava gostando de ficar por lá, mas eu passei mais de 10 anos querendo ir morar mais perto da minha familia, naturalmente sera uma experiência que se eu não tivesse, eu acho que várias pontas soltas ficariam na minha, eu poderia terminar com uma vida feliz e pacata e não ir junto com ela, poderia me juntar com essa guria, e virar um autêntico interiorano, ainda tenho um pouco dessa chance, ela não sumiu completamente, na verdade.

Porém, eu não valorizaria as coisas ao meu redor que eu tinha lá, se jamais tivesse ido para outro lugar.

Ao menos essa é a minha narrativa, talvez seja apenas um COPE, talvez se a minha mãe tivesse optado ficar por lá hoje eu seria mais feliz, mas não aconteceu assim e isso não vai mudar. Por bem ou por mal.
Responda-o
#15
(04-05-2023, 08:21 AM)Gorlami Escreveu: ...que lições você tirou disso? Como tudo isso alterou sua visão de mundo e modo de viver? Não vejo propósito em passar por experiências e não evoluir como pessoa, não se tornar mais sábio, por menos que seja.

Preciso de dinheiro, preciso de independência, e de potência, colocar, como o confrade heracles falou, minhas ideias em prática, criei um canal de música, simples, sem muita edição, e já criei umas 15 músicas, vou deixar ele aqui para provar que não estou absolutamente inerte na vida Smile.

Sabe, outra coisa que não falei sobre meu pai, ele gostava muito de música, mas passava a maior parte do tempo dele reclamando sobre política, minha mãe conta que era lula pra cá, lula pra lá, e antes do lula achava outros motivos para reclamar. Mas ele gostava de música ele tocava junto com o capital inicial na adolescência, pois ele era filho de general e bem de vida, mas ele nunca deslanchou em nada, porque nunca criava as próprias músicas.

Minha falava que ele só fazia solo e não sabia pegar um violão e simplesmente tocar uma música, ele fazia montagens meio toscas no photoshop dele tocando junto com os beatles, era engraçado e meio triste, ao mesmo tempo.

No ano novo tive um estalo de como sempre quis postar músicas na internet e resolvi simplesmente começar a fazer isso sem esperar o momento perfeito.

Como aqueles textos gigantesco que eu postei acima acabaram descambando para um novela de desabafos, eu acho que nem me preocupei em tentar abstrair alguma lição.

Mas se eu pudesse tirar uma lição de tudo isso seria: TENTE!
Ou você vai perceber que o que você queria realmente valia a pena, ou vai perceber que perseguia uma ilusão.
Responda-o
#16
(03-05-2023, 11:25 PM)Libertador Escreveu: No que diz respeito à relação com seu pai, o seu sentimento de abandono foi aumentado pelo acúmulo de dificuldades que você estava enfrentando. A figura paterna, em geral, é associada à segurança e ao apoio, e a ausência disso muitas vezes gera ressentimento. Mas é importante entender que os pais são, antes de tudo, humanos e como tal falíveis.

Outro ponto importante de ter voltado para cá, foi descobrir que meu pai era um tremendo filho da puta (não achei termo melhor) para a maioria das pessoas.
Ele veio de família rica e o avô dele tinha mais de 450 alqueires paulistas, logo ele não tratava bem garçons, não tratava bem os meieiros do sítio e se achava superior por ter estudo e diploma, mesmo sendo diploma de jornalismo Gargalhadaha que não vale muita coisa, já que dá pra ser jornalista sem diploma.

Sabe, o sítio onde ele morava era assim, tinha uma casa grande em cima, a deles, e tinha umas casinhas descendo um morro, a dos meieiros, ele nunca respeitou o sono dos meieiros e deixava som alto rolando na madrugada, fazia o mesmo quando era casado com minha mãe.

Em poucas ocasiões eu cheguei a considerar que minha poderia sim estar fazendo alguma alienação parental, mas após eu ouvir o relato do meieiro idoso que viu ele crescer e ela empragado do meu avô, eu vi que não havia alienação alguma e a minha mãe inevitavelmente acaba soltando um ou outro fato desgostoso sobre ele, ela até que manteve tudo bem escondido até os meus 11, 12 anos.

Agora, é um estigma bem grande ser filho de alguém assim, eu sou muito parecido com ele, fisicamente, então cresci sendo comparado a ele, quando fazia erros, isso me fez ir desgostando dele desde a adolescência.

Hoje percebo que não é culpa minha ser parecido com o meu pai em aspectos superficiais Gargalhada, sempre procurei tratar desde garçons até pedintes de uma forma respeitosa, e meio que após a morte dele, superei isso de vez, ou ao menos acho que superei.

Certa vez, o meieiro estava fazendo um velório, na casa de baixo, e o meu pai estava escutando música na casa de cima, sem respeitar os mortos.

Não, me recuso a ser comparado com ele novamente, e já falei isso para minha mãe, desde então, essas comparações pararam.
Responda-o
#17
(04-05-2023, 10:26 AM)Héracles Escreveu: Sobre o assunto em si, a única coisa que eu li foi ressentimento. Pelo pouco que eu acompanho as suas postagens aqui no fórum, ao ler esse relato não percebi em você EVOLUÇÃO NENHUMA COMO HOMEM em todos esses anos passados como participante, inclusive por isso eu fui INFLEXIVELMENTE contra a sua promoção para veterano, e seguramente vou manter essa opinião por bastante tempo. Até quando você vai ficar chorando por causa da vida de merda que você teve/tem? Até quando vai viver atolado nesse sentimento deprimente de fracasso? Quando diabos você vai fazer alguma coisa em prol de si mesmo e esquecer a droga do passado que definitivamente não pode ser mudado? CHEGA DE CHORO!!! Faz uns 2 anos que você vem no fórum chorar e planejar coisas que nunca acontecem, igual esse dinheiro que está pra sair e nunca sai! E se isso não acontecer? Vai fazer outro tópico transcendental sobre mais essa derrota pessoal e mais uma vez culpar seu pai pela sua miséria existencial?


Chega de raciocinar, de esperar, de lembrar, de planejar, de sonhar, de querer ... ESTÁ NA HORA DE AGIR PORRA!!!

Eu sou obrigado a discordar, caro confrade, nesses 3 anos eu ganhei muito dinheiro(pros meus padrões) perdi muito dinheiro(pros meus padrões Gargalhada), aprendi a lidar melhor com essa perda, conheci algumas facetas do meu pai que até então me eram desconhecidas, me relacionei e tive bons parâmetros de pessoas ao meu redor, de exemplos, tanto para o lado bom, quanto para o lado ruim.

De fato, ainda estou desempregado e sigo concursando enquanto isso, mas eu tentei buscar algumas empregos, e passei pela experiência de ir lá fazer as entrevistas e sentir como é esse ambiente de concorrência por subemprego.

Eu concordo que em vários pontos eu não evolui, mas não foi por falta de tentativa, foi por falta de êxito nesses casos Smile.

Mas eu acho que me deixei levar pelo meu ego e escrevi de forma empolada demais e densa demais, eu concordo que isso é um saco e eu mesmo odeio ler textos assim, vou tentar melhorar minha escrita e ser mais direto na hora de expressar minhas ideias.

Aliás, creio que esse ganho astronômico seguido por uma perda colossal de dinheiro foram boas para mim, pois isso aconteceu com um dinheiro que eu mesmo havia construído, acredito que isso vá me ajudar na hora de administrar essa herança que está por vir, com mais sabedoria.

Sobre colocar as coisas em prática, eu criei um canal de música, vou deixar ele aqui.



Responda-o
#18
@Novo Mundo Eu li seu relato, o texto em si está bastante desconexo, e sem uma linha temporal bem definida, mas entendo, você falou que foi apenas jogando sem se ligar nisso, enfim, vou me atentar apenas em alguns pontos e algumas coisas que tenho meio em comum com você.

“Meus investimentos derretendo.”

Cara eu sei bem o que é isso. Não sei no que você investiu, se foi ações ou Cripto, mas eu sofri um grande baque em um investimento de alto risco que fiz e estou colhendo as consequências até hoje, fui literalmente a falência praticamente, relatei no meu tópico e acho que você viu, mas serviu como um grande aprendizado, hoje vejo que nenhum investimento é certo, e a diversificação é a única forma de você tentar evitar o pior, é super importante, acreditar demais em teses futuras de investimento e colocar todo seu dinheiro nisso, pode ser um tiro no escuro.

“Uma guria promissora para relacionamento que tive que deixar para trás.”

Cara será que ela era realmente promissora para relacionamento? Pense que talvez não seria o que você estava imaginando, quando você relatou que ela foi estuprada na infância, tomei um susto, imagine a carga emocional gigantesca que ela deve ter, não é nada fácil superar isso, não sei nem o que dizer.

“A pressão em casa para achar um serviço, tentar achar um serviço, e não conseguir.”

Essa pressão é normal, provavelmente vem de sua mãe correto? É apenas ela querendo ver você com algo que possa te dar uma estabilidade e segurança na vida.

“Meus estudos para concursos indo por água abaixo pois apenas achava que sabia estudar, mas não sabia.”

Recentemente prestei um Concurso Público também, estudei durante 4 meses, extremamente focado, mas no dia da prova a prova estava mais difícil do que eu esperava, meu resultado não foi bom, tirei 60 pontos de uma prova valendo 100, me frustrei, mas estou decidido a continuar os estudos, cheguei a conclusão que 4 meses foi pouco tempo para uma preparação real, e que é necessário ter foco e estudar bem antes do Edital sair, coisa de 1 ano antes a depender do nível do concurso, quanto mais difícil mais tempo, talvez você tenha tido pouco tempo para estudar tbm.

Você tem que idade? Parece ser bem novo, e tudo isso com certeza vai te fortalecer e te dar maturidade pra vida!

Abraços!
Responda-o
#19
(04-05-2023, 12:08 PM)Novo Mundo Escreveu: Eu concordo que em vários pontos eu não evolui, mas não foi por falta de tentativa, foi por falta de êxito nesses casos...

Como eu disse, baseio a minha opinião no pouco que eu vi e no pouco que eu vi comentarem sobre você e ao ler esse relato, e a forma confusa e desconexa ao qual ele foi redigido, pautada quase que exclusivamente em emoções deletérias não superadas que evidenciam uma considerável parcela de imaturidade psíquica, me pareceu que você continua no mesmo ponto onde desembarcou aqui na real.

Mas se você diz que está tentando, isso que importa. Sobre valores e quantias ganhas ou perdidas, acredito que isso seja irrelevante no sentido de maturidade psicológica que é afinal o que buscamos aqui... descrições nesse sentido não passam de vaidade quando descontextualizadas e além do mais, não cabe a mim nem a ninguém estabelecer uma régua comparativa de sucesso.

Mas conservo a opinião de que você pode tentar mais, ou melhor, tentar mais enérgica e incisivamente... pois é inegável que em todas as suas declarações ainda transparece um certo ar de apatia e inércia.


(04-05-2023, 12:08 PM)Novo Mundo Escreveu: Mas eu acho que me deixei levar pelo meu ego e escrevi de forma empolada demais

Com certeza...mas isso só escrever cada vez mais pode resolver, por isso mantenha um diário para que você nunca esfrie essa atividade.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#20
(04-05-2023, 12:30 PM)Gil_23 Escreveu:
Spoiler Revelar
@Novo Mundo Eu li seu relato, o texto em si está bastante desconexo, e sem uma linha temporal bem definida, mas entendo, você falou que foi apenas jogando sem se ligar nisso, enfim, vou me atentar apenas em alguns pontos e algumas coisas que tenho meio em comum com você.

“Meus investimentos derretendo.”

Cara eu sei bem o que é isso. Não sei no que você investiu, se foi ações ou Cripto, mas eu sofri um grande baque em um investimento de alto risco que fiz e estou colhendo as consequências até hoje, fui literalmente a falência praticamente, relatei no meu tópico e acho que você viu, mas serviu como um grande aprendizado, hoje vejo que nenhum investimento é certo, e a diversificação é a única forma de você tentar evitar o pior, é super importante, acreditar demais em teses futuras de investimento e colocar todo seu dinheiro nisso, pode ser um tiro no escuro.

“Uma guria promissora para relacionamento que tive que deixar para trás.”

Cara será que ela era realmente promissora para relacionamento? Pense que talvez não seria o que você estava imaginando, quando você relatou que ela foi estuprada na infância, tomei um susto, imagine a carga emocional gigantesca que ela deve ter, não é nada fácil superar isso, não sei nem o que dizer.

“A pressão em casa para achar um serviço, tentar achar um serviço, e não conseguir.”

Essa pressão é normal, provavelmente vem de sua mãe correto? É apenas ela querendo ver você com algo que possa te dar uma estabilidade e segurança na vida.

“Meus estudos para concursos indo por água abaixo pois apenas achava que sabia estudar, mas não sabia.”

Recentemente prestei um Concurso Público também, estudei durante 4 meses, extremamente focado, mas no dia da prova a prova estava mais difícil do que eu esperava, meu resultado não foi bom, tirei 60 pontos de uma prova valendo 100, me frustrei, mas estou decidido a continuar os estudos, cheguei a conclusão que 4 meses foi pouco tempo para uma preparação real, e que é necessário ter foco e estudar bem antes do Edital sair, coisa de 1 ano antes a depender do nível do concurso, quanto mais difícil mais tempo, talvez você tenha tido pouco tempo para estudar tbm.

Você tem que idade? Parece ser bem novo, e tudo isso com certeza vai te fortalecer e te dar maturidade pra vida!

Abraços!

Passei dos 25, sou "Jovem", mas longe de ser novo Big Grin, concurso é maratona, mas só agora eu de fato estou entendendo isso, se não tivesse a herança para receber provavelmente iria tentar passar em algum concurso de fácil acesso como serviços gerais ou tentar algum emprego como estoquista.

Agora que sei que tenho essa grana, eu não tiro essas possibilidades, mas antes, tentarei com força o concurso dos correios, se não conseguir, eu tento o que falei acima.

Vários confrades falaram que meus textos estão desconexos, espero que isso seja só por falta de instrução pessoal minha e não porque a minha mente esteja fragmentando...

Obrigado pelo comentário confrade.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 3 Visitante(s)