Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[DEBATE] Direito e sua má fama
#1
Thumbs Up 
[Image: law-clinic-1024x576.jpg]

Tudo o que falam... é verdade?



Boa noite, venho expor uma dúvida, e quem sabe com a experiência de alguns que passam por isso, possa gerar um debate interessante.

Estou finalizando um curso técnico agora, e apesar da área ser totalmente relacionada às exatas, juntamente com trabalho de campo, tenho esse sonho de cursar Direito como ensino superior.

Sei como a maioria dos jovens que estão terminando o ensino médio são atacados por incerteza e dúvida de que rumo tomar, por falta de orientação, ou a cultura que ta direcionando todo mundo pra vala, mas pra mim já faz algum tempo que tem firmado essa vontade.

Fato é que, apesar de ter muito interesse na parte lógica, na matemática, física e afins, o que percebo fazer sempre melhor está relacionado com as habilidades de comunicação, escrita, questões humanas e afins... sempre focando a parte séria. Além disso, me apetece a visão geral que o curso proporciona, seja por teoria ou cotidiano do futuro profissional que consegue se encaminhar.

Antes de postar aqui, procurei algumas experiências e tentei ter contato na área, entrevistei alguns profissionais (funcionários públicos e advogados) e a impressão que me passa é de algo sistematizado e que, felizmente, na minha região, funciona.

[Image: Servidores4-1200x600.jpg]

Penso que, se for necessário, me sujeito a fazer outros serviços, por a mão na massa, este estilo de vida, o do profissional de direito bem sucedido é o que mais me parece como "a meta" para o futuro.

O que acontece é que ao mesmo tempo que tive boas experiências conhecendo, é notável, realmente, a grande quantidade de gente que participa deste ramo de atividade, muuuuitos profissionais, isto que mora em uma cidade média. Além de muitos reclamarem da rentabilidade dos que se aventuram, outros falam que é um ambiente ruim, curso ruim e afins.

Quem for chutar o balde, explique, mas sempre ouvi dizer que pra quem é bom sempre tem trabalho.... será que mentiram e ainda vou encarar uma dura realidade?

Por favor, quem puder comentar opinião e experiência, que o faça.
Responda-o
#2
Ilusão glamourosa ponzi, vou esperar os confrades escreverem sobre o glamour e romantismo burocrático  e depois me manifesto. Big Grin
Só Jesus salva, vá e não peques mais...
Responda-o
#3
Não é uma merda, mas também não tem nada demais. Dificuldade de passar de semestre é quase zero, a soma de professores lixo e cobrança leniente não traz desafio nenhum. No caso, vc terá que encontrar uma área que queira se aprofundar e o resto pode simplesmente cagar pq dificilmente usará na vida.

Advocacia nem pensar, se não tiver nome ou se não babar ovo de professor/advogado tu vai ganhar 1000 conto por mês no regime senzala.

Se tu acha que tem vocação vai e busca seu lugar ao Sol, mas vai ter que ralar, pq saem 100mil bacharéis em Direito por ano dos açougues com nome de universidade que temos por aí.
Responda-o
#4
direito se tornou um curso preparatório pro cara poder ser um concurseiro.

Eu já disse várias vezes e volto a repetir que a única faculdade com retorno garantido é medicina. O resto você terá que disputar seu lugar no sol na base da cotovelada.
Responda-o
#5
Se você não consegue fazer medicina, faça direito.

Sua habilidade com exatas e raciocínio lógico fará de você um profissional excelente, vai se destacar seja qual for a área escolhida. Conselho: estude para concurso que envolve conhecimento em direito e finanças.
Responda-o
#6
Não tem segredo, se você já pesquisou muito, refletiu, procurou o lado obscuro da profissão que o mainstream esconde (concorrência desleal, sujeira, esquema, QI, etc) e mesmo assim esta determinado a disputar seu espaço, vai em frente sem medo, você não precisa de aceitação de ninguém (exceto seus pais).

Foque em conseguir resultados com trabalho duro, o resto é perfumaria.
Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#7
Direito é pra estudar, no mínimo, cinco anos; penar pra passar na OAB (geralmente porque não estudam merda nenhuma); sendo aprovado, ter de disputar cliente a tapa advogando, e viver sem grana; por fim, migrar para os concursos.

Sou formado há quase cinco anos e já dissuadi algumas pessoas de fazerem o curso. Vc vende a alma e não recupera mais. Pode ser um estudo útil pra se conhecer muita coisa, mas, na prática, vc possivelmente será mais um desempregado com diploma correndo atrás de edital de concurso, pra conseguir estabilidade.

Eu não cursaria, se voltasse no tempo e soubesse o que sei hoje. Não compre o sonho dourado que as universidades vendem aos montes; vc pode se arrepender amargamente.
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#8
Eu formo esse ano e ja mudei de area praticamente, se eu for atua vai ser so com uns bicos de advogados(na real nem sei se vale a pena, a anuidade de goias e um verdadeiro estupro).
Responda-o
#9
Precisamos de profissionais de áreas mais necessárias que geram valor (pedreiro, mecânico, carpinteiro precisamos muitos deles e há poucos bons) e não pessoas dispostas a trabalhar para cumprir burocracias impostas pelo governo.
Foco deve ser o mercado, olhe ao redor, "a verdade está lá fora" e não em vendedores de cursos e donos de faculdades lavadoras de dinheiro.
Responda-o
#10
Já faz algum tempo que o mercado está saturado pra quem tem formação em Direito, tanto pra advocacia como para concursos. Mas se você acha que tem vocação para ser advogado, prepare-se para arregaçar as mangas e trabalhar duro para fazer seu nome. Se for tentar concurso, é preciso ter disciplina para estudar no mínimo uns dois para passar em um concurso mais ou menos, e mais uns cinco pra passar em um top.

Enfim, só vale a pena se você gosta da área, e não outra melhor que lhe interesse.
[...] brasileiros não são checadores e questionadores de realidade e tampouco ponderam, pois não tem valores, noções de moral e ética e muito menos  noções de lógica aplicada aos fatos. (Minerim)

Responda-o
#11
Eu tenho a opinião de que você pode fazer o curso de direito e ser bem-sucedido, mas no tempo certo, ou talvez nunca. Na realidade, eu não recomendo nenhum curso superior que não seja medicina em termos financeiros.

Acontece o seguite, as pessoas atualmente tem uma mentalidade micro-ondas. Elas querem, e querem pra já! Uma pequena parcela, em qualquer graduação, quer enfiar a cara nos livros, pegando o pequeno retorno financeiro que tem e investindo em cursos de capacitação, e tendo ainda que, no começo, trabalhar por um retorno financeiro pífio apenas para aprender a atividade que deseja exercer. Eu, por exemplo, desde que comecei o curso de ciências contábeis, sabia que não queria trabalhar na área. Algumas pessoas do meu curso, que querem trabalhar na área, não fazem 10% do que é necessário, estão comprometidos com a mediocridade e veem tudo com imediatismo, sem fazerem por onde. Eles tem grandes expectativas, mas a realidade é que nunca se capacitaram o bastante para o sucesso que esperam com o diploma de graduação.

Entende em que quero chegar com o que foi dito? Você pode se dedicar integralmente ao curso de direito e se decepcionar, não atingindo o nível de sucesso que imaginou para si próprio. Assim como pode não atingir o que espera porque faz parte da grande parcela dos alunos medíocres.

Se for um sonho, prossiga sem pressa e focalize nisso, no tempo certo colherá os frutos. Caso não seja, tenha em mente que, se não fizer medicina, a maioria dos cursos atualmente só prestam para fazer concurso público. Se fizer um curso que não seja medicina, pense em ser empregado apenas como uma fase do caminho em busca do sucesso profissional, pois imaginar-se sendo empregado para o resto da vida é quase sempre sinônimo de potencial desperdiçado e lamúria do profissional.
Responda-o
#12
Aquilo que o @Daredevil está corretíssimo, área da medicina da muito dinheiro, muito mesmo. Da pra faturar com este ramo mesmo não possuindo curso de medicina, melhor ainda se tiver. Quer uma combinação boa? Medicina + Ti, atuar na Ti dentro da medicina é quase como se estivesse sendo médico só que sem ter que cuidar diretamente do paciente.
Só que uma coisa é certa o conhecimento em medicina exige um esforço gigantesco no aprendizado (não que outras áreas não exijam).
A Real salva vidas!
“Train yourself to let go of everything you fear to lose.” (Yoda)
Responda-o
#13
Hj em dia o único curso que tem retorno financeiro certeiro é medicina! Direito tem 2 caminhos, ou vc é focado para estudar para passar em um concurso forte, ou tem família rica ou da área para dar suporte para vc ter dinheiro para abrir um escritório, para no minimo depois de 2 anos começar a ganhar dinheiro. Agora se vc n for nenhum dos dois, ou vai ficar desempregado, ou ganhar 1.000 reais em um escritório.
Responda-o
#14
Medicina com retorno garantido? Tá bom. Yaoming

Só faltou falarem de mercado aquecido e tudo mais... de 10 novinhos que conheço, 8 cursam merdicina e os outros 2 tão tentando passar.

Esperem daqui uns anos pra ver o que vai virar isso.

Já conheço essa história desde a Engenharia.
Basta que o almejado ideal aconteça todos os dias para que a sonhada perfeição desapareça. 
Responda-o
#15
Gostei da repercussão do post, as opiniões de todos contam. Ralar pra valer, é o único caminho. Ainda no aguardo do comentário do @Minerim
Responda-o
#16
Dependendo de onde for cursar prepare-se para uma doutrinação esquerdista pesada e também ter que engolir sua opinião.

Na época em que terminei o ensino médio os três cursos mais concorridos de longe eram medicina, direito e odontologia, em geral conseguia-se trabalho facilmente quando formado, os dois últimos já saturaram e isso foi apenas de 2004 pra hoje. Medicina também vai saturar se não conseguirem manter a reserva de mercado na base da canetada
https://g1.globo.com/educacao/noticia/ve...eral.ghtml

O que esse governo socialista não explicou aos tolos é que uma sociedade não pode ser composta apenas de profissionais de nível superior, ainda é necessária uma parcela MUITO maior de técnicos e trabalhadores em atividades mais simples ou braçais para suprir as demandas, quando a oferta de vagas em universidades era menor o filtro era muito mais fino e só entravam os muito inteligentes ou que tivessem dinheiro, passar num vestibular de universidade publica era uma conquista enorme, hoje isso é completamente banal (vide o descrédito dos diplomas brasileiros). O que a mentira da universalização do ensino superior trouxe para uma grande parcela de pessoas foi apenas a frustração de ter um diploma e não exercer a profissão.
Quando não se procura agradar o mundo, ele se vinga; se por acaso se consegue agradá-lo, ele ainda se vinga nos corrompendo. A única saída é trabalharmos longe dele, tão indiferentes a seu julgamento quanto prontificando-nos a ser-lhe úteis.
Antonin-Dalmace Sertillanges
Responda-o
#17
O curso de Direito é supervalorizado no Brasil, tudo para atender leis e protocolos na maioria das vezes imbecis.
Responda-o
#18
A grande demanda de profissionais de direito faz se necessárria, pois o Estado brasileiro interfere nas relações mais banais

Vou até corrigir o que o confrade @_Blake_ destacou, o profissional de direito não é supervalorizado, ele é NECESSÁRIO. Hoje o empresário que não possuir uma boa assistência contábil e jurídica ele está literalmente lascado;

Se não me engano o Brasil é o país que possui mais advogados no mundo, tudo isso feito para atender demandas além de sem sentido, totalmente invasivas;

Outra coisa, é que a especialização de Direito é pré-requisito para vacância em concursos, muitos cursam Direito para entrar na área pública via concursos.
Responda-o
#19
O Brasil é o terceiro, parece. A Índia é o país com mais advogados. Li esses dias.
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#20
A banalização do diploma universitário e o nível ridículo exigido nos vestibulares/ENEM estão afundando o ensino superior no Brasil, inchando o mercado de trabalho com bachareis que não absorveram conhecimento, gerando um preconceito retardado contra tecnicos e trabalhadores braçais, que podem estar ganhando mais que os ditos "formados" (como bem explicou o Rover em outro tópico) e principalmente, criou um negócio para enganar trouxa, óbvio, aqui é Brasil, então o que acontece? Os imbecis saem do E.M. sem nenhum preparo e, se deram sorte, passam em alguma UFXX pra virar fantoche de professor esquerdista (se for humanas), ou abandona o curso por não dar conta da diferença gritante de nível (exatas).

"AIN EU SÓ TIRAVA 10 EM MATEMATICA NA ESCOLA, AGORA TO ZERANDO CALCULO 1 PELA 9ª VEZ BUÁ"

A outra saída é se afundar num FIES ou burlar o ProUni e ir fazer uma "UNIESQUINA COM ORGULHO", e sair de lá ganhando 1.2k por mês. E essa é a matrix do ensino superior.

O direito também se encaixa aí, então a menos que você esteja determinado a ralar a carcaça, esqueça.
Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)