Avaliação do Tópico:
  • 2 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
A banalização de um diploma universitário
#61
Advogar na seara criminal envolve riscos. Além disso, seu cliente (aquele traficante, por ex.) vai te telefonar um belo dia e dizer "Dotor, nasceu meu filho e o senhor será o padrinho!". Como recusar?

Já vi advogado ser assaltado a faca pelo próprio cliente.

Passo longe do crime. Deixo para Defensoria e MP. Quando eu chegar lá será outra história.

Concordo com o Monarca a respeito da vida ganha. Ser humano é isso, movido pelo interesse.
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#62
Eu creio que os melhores ramos para seguir na advocacia seriam o Administrativo, Cível, Empresarial e Tributário.
Responda-o
#63
Pode ser, de fato, quando eu entrei na área de Sociologia, a melhor opção para fazer dinheiro fácil e rápido era me filiar a um partido, me especializar em Marketing político, cheguei a me filiar em um partido, fiquei uma semana e vi que a coisa era muito arriscado, depois vi que alguns Markteiros, Publicitários e Tesoureiros presos, foi o fim da picada, porque, o dinheiro é de origem duvidosa e os recursos "não contabilizados" conforme o jargão para o Caixa Dois. 

A remuneração de uma campanha eleitoral forte gera tanto dinheiro quanto uma remuneração da tabela da OAB para Direito Penal, mas, os problemas com a justiça podem ser enorme, porque, somos pagos e remunerados para vender ilusões para aqueles que queiram comprar, vi que era um esquema muito arriscado, muito arriscado mesmo e resolvi me afastar.
Responda-o
#64
Entrevista com Sebastião Lauro Nau, engenheiro eletricista

"Pra quem entra na Universidade hoje, primeira coisa, procure fazer um bom curso. Procure aprender. Por mais que digam que as suas notas não têm importância e o que importa é você se formar e ter o diploma, isso não é bem verdade. Você tem que ser um bom aluno. Tem que adquirir o conhecimento, porque é esse conhecimento adquirido na universidade que vai lhe dar condições de continuar a aprender. Vai lhe dar disposição para aprender. Deve ser um bom aluno, ou seja: tirar notas boas, sim. Não pensar que isso não é importante. As empresas valorizam quem tem um bom histórico escolar.
Para quem é recém-formado, trabalhar pode ser considerado até uma continuação da sua vida de estudante, mas não é só isso. Você agora não tem mais compromissos com provas e tudo mais, mas você tem de fazer acontecer. Se você tem um problema para resolver, você tem de resolver. Não adianta você simplesmente saber como resolver: “eu sei como resolver”. Resolva, então!
E pra isso, Ênio, precisa ter humildade, precisa escutar os outros precisa aprender a errar. Não exatamente aprender a errar, mas errar e aprender com os erros.

Tem de se manter sempre aberto a aprender. 
A pessoa que tem soberba, que acha que já aprendeu tudo, que não precisa aprender mais nada, esse é o que não vai ter sucesso nem vai ser contratado, provavelmente. Você tem que sabe muito e o muito que você sabe ainda é muito pouco em relação ao que você pretende saber.

Saber falar uma língua estrangeira. Se você pretende trabalhar para uma empresa grande você não pode pensar que só o Português é importante. Então, língua estrangeira (no nosso caso o Inglês, naturalmente) 

Habilidade com informática. Quem não sabe programar ou utilizar os recursos diversos de informática perde muito em relação a quem tem essas habilidades. 

E tem de ter duas habilidades que supostamente são opostas, mas que ambas são importantes: você tem que saber trabalhar em equipe e você tem que saber trabalhar sozinho. As duas coisas. Muitos problemas, muitos desafios vão ser dados pra você resolver sozinho. E muitos, você vai ter de interagir com tantas pessoas dentro da empresa, que se você não souber trabalhar em equipe você não vai conseguir resolver. Saber trabalhar em equipe, é saber ouvir e saber falar. Falar na hora certa e ouvir na hora certa. Ou seja: habilidade de relacionamento. Só isso!"

Em tudo dai graças.

Responda-o
#65
[separei os posts]

Diploma pra quê, Ligia Fascioni

Estava na semana passada ministrando aulas em um MBA quando um funcionário da instituição, bem desanimado, comentou que um primo dele tinha até doutorado e estava ganhando uma miséria fazendo bicos. Aguardava uma bolsa para estudar mais um pouco. Injustiça, né?

Mas será mesmo?

Sinceramente, acho que não. Pela descrição do perfil, parece que o rapaz é estudante profissional. Não há nada de mal nisso, mas que ninguém espere ganhar fortunas dependendo apenas de bolsas de estudo.

O problema é que algumas pessoas costumam levar ao pé da letra aquelas manchetes escandalosas publicadas nas capas de revistas de negócios dizendo que um curso de MBA pode aumentar seu salário em muitos porcento. Vejo gente fazendo as contas do investimento, computando a diferença entre a mensalidade e o incremento no contracheque que espera obter. O problema é que isso não acontece automaticamente, como muitas reportagens querem fazer crer; então, o que se vê por aí é uma legião de pós-graduados subempregados e reclamando da vida.

A questão é que, diferente do que possa parecer, o mercado não faz concursos nem paga mais para quem tem mais diplomas. O mercado remunera melhor quem consegue gerar mais valor, tendo ou não uma pilha de certificados. E é pior contratar uma pessoa sem noção, mas com diploma, pois essa pessoa não vai querer tirar xerox ou fazer serviços “menores”.

O diploma nada mais é do que um comprovante que você teve acesso a um conjunto específico de informações que lhe foram apresentadas de maneira estruturada e com orientação de outros profissionais, supostamente experientes e conhecedores da matéria. Você ganha esse pedaço de papel quando consegue provar para a instituição que o emitiu que conseguiu assimilar essas informações de maneira satisfatória. E só. Lá não tem nada dizendo que agora você é melhor que os outros, que ficou mais inteligente ou que merece um aumento. Pode procurar, garanto que não tem.

Então, como é que o diploma pode ter a ver com aumento de salário? As revistas estariam mentindo?

Não estão. É que, teoricamente, se você tem vários diplomas, teve acesso a vários conjuntos de informações específicas. Isso aumenta muito as suas chances de recombiná-las e criar algo que, de fato, tenha valor para o mercado. Que faça diferença na vida das pessoas. Que seja desejável a ponto de alguém poder pagar mais por isso. Quanto mais cursos, mais combustível e mais matéria prima para converter em excelência. Quem sabe aproveitar isso, ganha mais, claro.

Se, ao contrário, o sujeito pega o papel, emoldura ou então guarda na gaveta e esquece as tais informações, sem fazer nada de útil com isso, então, sinto informar, mas valeria mais a pena ter ficado em casa vendo novela. Seria mais barato e menos frustrante. Há alunos que estão claramente perdendo o seu tempo: pagando as prestações de um diploma que não servirá absolutamente para nada, uma vez que não estão interessados em gerar valor, mas em aumentar o salário.

Vejo um montão de gente por aí que apenas coleciona certificados; não aplica o que aprendeu (se é que aprendeu alguma coisa), não se interessa em fazer coisas novas e interessantes, não transforma o conhecimento em algo útil, e, pior, ainda sai por aí cheio de razão reclamando direitos.

Diploma, sem um profissional que o converta em valor que faça uso do que ele representa, é só um pedaço de papel. Igual àquele que embrulhava o pão antigamente, só que muito menos útil.
Em tudo dai graças.

Responda-o
#66
Quanto que custa em média uma faculdade de Direito? Nao deve ser barata nao, mas pelo que percebo, tem muitos que fazem. Em algumas instituições cobram a mensalidade de mais de uns $2000 para o curso de Direito. E depois... qual o custo benefício?

O brasileiro hur durr acha que por vocè ter um diploma, você já é um médico doutor e é como se fosse o superior, o porra louka sortudo que irá sair da faculdade, e no primeiro momento, o funcionário do RH duma empresa irá atrás de você e te contratar na rua, te pagando 6000 reais + bônus, e sairá sorrindo feliz para sempre!

Tem alguns que fazem cursos lixos como administração e querem sair do curso e virarem donos de escritório, e ganhar no mínimo uns 3 mil. Vejam as pretensões salariais que esses malucos colocam. Administração virou uma piada, um curso que poderia ser nível médio e técnico, para ser gerado um certificado básico, sem precisar de curso superior para tal merda.
Responda-o
#67
(20-04-2017, 10:17 PM)Ph da Real Escreveu: Quanto que custa em média uma faculdade de Direito? Nao deve ser barata nao, mas pelo que percebo, tem muitos que fazem. Em algumas instituições cobram a mensalidade de mais de uns $2000 para o curso de Direito. E depois... qual o custo benefício?

O brasileiro hur durr acha que por vocè ter um diploma, você já é um médico doutor e é como se fosse o superior, o porra louka sortudo que irá sair da faculdade, e no primeiro momento, o funcionário do RH duma empresa irá atrás de você e te contratar na rua, te pagando 6000 reais + bônus, e sairá sorrindo feliz para sempre!

Tem alguns que fazem cursos lixos como administração e querem sair do curso e virarem donos de escritório, e ganhar no mínimo uns 3 mil. Vejam as pretensões salariais que esses malucos colocam. Administração virou uma piada, um curso que poderia ser nível médio e técnico, para ser gerado um certificado básico, sem precisar de curso superior para tal merda.

Faculdade de direito que custe 2 mil por mês só vale a pena se você fizer um excelente network e conhecer pessoas importantes que vão te alavancar na carreira lá.

Sobre administração.. os piores administradores que vejo são os que são formados em ADM... parece piada.
Bode velho gosta de Capim Novo.
Responda-o
#68
Nas universidades, a maioria dos professores tudo doente mental. Nao ensinam direito, ficam enrolando, passando o tempo, ensinam errado e com pouca paciência, fazem piadinhas com os outros.

É professor louco da cabeça e balzaca bipolar sendo professora de faculdade. Tive uma professora no meu curso que se o aluno tirasse nota vermelha, abaixo de 3,0, ela dava risada bem alto da cara dele, e ficava feliz no dia. Ela ria com gosto e prazer e ela tinha mestrado. Ela corrigia as provas com mao pesada e tirava ponto de qualquer erro, até de nada a ver com a matéria. Ela estava lá para atrapalhar e não necessariamente ensinar. Parecia que seu ego considerava que todos os alunos eram subprodutos do lixo. Ela se afastou para fazer um doutorado e promete voltar. Cruzes!!!

Oura professora que faço matéria é louca, traumatizada e tem cara de depressiva. Ela acabou de ser contratada ( por um RH lixo) . Ela não sorri nem fudendo, mal olha para a cara dos alunos e pior : nem deu um mês de aula, e acusou um aluno de fazer ato obsceno em sala de aula, junto a outros dois que seriam os colaboradores do ato, como se ele tivesse ficado nu na frente dela, e ele sequer fez algo parecido. Levou isso a sério na Diretoria Sócio Pedagógica do curso, ainda não sabemos o desenrolar desse trama. Deu um problema intenso para buscar mais satisfações sobre esse fato. Depois, ela acusou uma aluna, em menos de 1 mês da última acusação, de estar assediando ela sexualmente!
Responda-o
#69
Aprender e dominar a profissão é essencial, confesso que 80% da minha eu aprendi de verdade colocando a mão na massa e vivenciando, e a faculdade somente me serviu de norte. No entanto se vai trabalhar para uma organização o diploma é essencial para você ser ao menos levado em consideração para ser chamado em uma entrevista, é um pré-requisito!

Pode ser uma droga mas é muito pior sem um diploma, além disso considero a obtenção de um o mínimo a ser feito, nada da vida cai do céu, não adianta reclamar, vá lá e faça seu nome.

Se possível façam especializações na área e nunca deixem de estudar, esses últimos são como medalhas em seu currículo.
  Se o machado está cego e sua lâmina não foi afiada, é preciso golpear com mais força. Agir com sabedoria assegura o sucesso. - Salomão em Eclesiastes 10.10.
  Muito cara legal foi parar debaixo de uma ponte por causa de uma mulher. - Bukowski.
Responda-o
#70
qualquer comerciozinho da mais dinheiro do que a media das graduacoes, conheço semi-analfabetos grossos e ignorantes que ficaram milionarios em menos de 2 decadas.

mas não! vamos perder nossa juventude fazendo faculdade, pos, mestrado, etc pra no fim ganhar menos do que um ajudante de pedreiro!

o mercado é implacavel, temos advogados, administradores, jornalistas o suficiente que so precisiariamos formar novos alunos daqui a 40 anos
Responda-o
#71
Considerando que o que você disse seja verdade, esses semi anlfabetos que ficaram milionários são um ponto fora da curva. Ter um diploma de nível superior que preste ainda é uma boa maneira de se arrumar uma grana. Mas como eu disse, e como deveria ser óbvio, cursos ruins dão uma remuneração ruim. Essa é a realidade.
Responda-o
#72
(26-04-2017, 11:00 PM)Digons Escreveu: Considerando que o que você disse seja verdade, esses semi anlfabetos que ficaram milionários são um ponto fora da curva. Ter um diploma de nível superior que preste ainda é uma boa maneira de se arrumar uma grana. Mas como eu disse, e como deveria ser óbvio, cursos ruins dão uma remuneração ruim. Essa é a realidade.

ponto fora da curva é um advogado, engenheiro, etc ganhar bem acima da media da profissao. Obvio que falo de jovens profissionais e não dos que já estão a decadas no mercado e entraram em tempos diferentes.

Bem-sucedidos serao poucos, e com certeza Quem Indica e sorte contam mais pro sucesso do que estudo, honestidade e profissionalismo

Unico curso excecao é Medicina por enquanto.

Não conheço um unico jovem que não tenha medo de se formar ou ser formado e não exercer a profissão ou ficar desempregado por um longo tempo.

Neguinho se agarra nas crenças dos pais e avós que nos dizem que faculdade é garantia pra uma vida boa, não é mais.
Responda-o
#73
Eu cheguei na conclusão de que o que vale a pena é concurso público e medicina.
Sou metalúrgico e nessa área a situação está muito complicada. No dia que eu passar em algum concurso público vou mandar tudo pra casa do caralho e nunca mais volto pra "indústria" brasileira.
Responda-o
#74
Vão para Portugal senhores, lá aceita a nota do ENEM.

http://educacao.estadao.com.br/blogs/blo...am-o-enem/


Mas a situação no BRasil tá triste mesmo, tenho colegas formados em universidades federais excelentes, mas estão sem emprego. Só não tenho mais pena porque são petistas e estão colhendo o que plantaram.
Responda-o
#75
Ninguém nega que faculdade não representa mais dinheiro na mão. Você mesmo falou que tem o famoso QI e a sorte podem ajudar. Aliás, você mesmo se refutou. São coisas sujas? Sim, mas é uma maneira de se ter grana ao sair da faculdade. Me cansei de falar de um estágio que eu perdi porque uma menina da minha sala deu pro professor e ela arrancou a vaga de mim, apesar de ter notas péssimas e eu ser um dos melhores da sala.

Exatamente por conta do QI que o cara tem que fazer várias ''parcerias'' durante o curso, senão acaba e ele se fode mesmo.

No mais, como eu disse, ninguém aqui discorda de você. Só faltou ser mais específico mesmo.
Responda-o
#76
Ou empreender, em áreas como alimentação,salão de beleza, manutenção de computação e cia... em serviços manuais como carpintaria, mecânica, eletricista, encanador...

Claro que sonegar impostos se torna questão de sobrevivência.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#77
brasileiro quando quer empreender só quer abrir restaurante e salão de beleza...

Alias, até quando pessoas profissionais e honestas vao negligenciar areas como alvenaria, eletrica, carpintaria. Hj só temos pilantra que ou inventam defeitos ou cobram 200 reais pra apertar um parafuso e ainda assim fazem um serviço porco...

Ei, Bean, vc não diz que anarcocapitalismo é utopia, estranho vc falando que sonegar é necessario pra sobreviver.

Imaginem um mundo sem imposto e regulacoes onde vc trabalha pra vc msm e não pra sustentar parasitas(politico, funcionario publico, sindicalista, bolsa familia, seguro desemprego, etc) ou o filho dos outros(faculdade pra mauricinho e escola pros varios filhos de m$ol)
Responda-o
#78
Eu tenho know-how suficiente pra montar uma fábrica, já operei tudo o que é máquina industrial e já fui líder. O problema é o custo das máquinas, é dinheiro mesmo.

Brasileiro só empreende fazendo lojinhas, serviços gerais e fábrica de tijolo. Comprar máquinas industriais e produzir bens manufaturados que é o que leva o país pra frente que é bom nada.

Quem tem dinheiro empreende e vira industrialista, quem não tem envia currículo ou vira "empresário" (lê-se vendedor ambulante ou lojista)

As fábricas que eu já vi estão todas sucateadas e as máquinas só rodam com 743578 gambiarras e mesmo assim quebram semanalmente, se alguém com grana importar máquinas de qualidade o Brasil vai tremer. O cara vai vencer por WO
Responda-o
#79
Medicina ainda se sustenta porque é curso de elite. Direito já foi assim, e hoje banalizou tanto que qualquer um sai colocando adesivo no carro, comprando moleton do curso e carregando vade mecum debaixo do braço só pra fazer escândalo em loja.

Prevejo que, em 5 anos, talvez não haja mais condições de advogar. Daqui a 10 anos, com certeza a coisa vai pro brejo.

Faculdade pode ser um antro de esquerdismo, vagabundagem e putaria, mas pode ser útil. Como tudo na vida, depende do uso que o sujeito der ao que tem ao seu alcance.

A concursocracia nos torna escravos de professores estelionatários, cursinhos baratos e bancas sem o mínimo critério. Só estou por alcançar um bom cargo público e mandar meu foda-se pra isso tudo.
"Primeiro vêm os sorrisos, depois as mentiras; por último, o tiroteio" - Roland de Gilead
Responda-o
#80
Faculdade (uma boa instituição, claro) vejo que vai muito além do que apenas aprender uma profissão ou botar um diploma debaixo do braço..

Ensina muita coisa sobre a vida, abre-se um campo maior para enxergar o mundo, e te dá ferramentas para prosseguir na aquisição de mais conhecimentos por conta própria.

Todavia, profissionalmente e financeiramente falando, são poucos os que estão se dando bem atualmente, pois a oferta cresceu absurdamente, derrubando a contraprestação monetária..

Sou Advogado e digo, começar a cursar Direito hoje, se o sujeito não tem escritório com uma boa carteira de clientes na família, ou se não é acadêmico por natureza, ou não tem condições de ingressar na magistratura, M.P, ou cargos de alto escalão, tá ferrado..
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)