The following warnings occurred:
Warning [2] count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable - Line: 895 - File: showthread.php PHP 7.3.33 (Linux)
File Line Function
/showthread.php 895 errorHandler->error




Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Teoria dos Ciclos
#1
Teoria dos Ciclos

Nex Dillon
2023

I. OS CICLOS

Um ciclo é criado sempre que o indivíduo começa a ter os mesmos resultados mesmos
tomando ações diferentes. Isso é o que acontece com os indivíduos que vivem na
modernidade, pois suas vidas são basicamente um conjunto de ciclos, que geram o mesmo
resultado, independente do tipo de ação tomada. O Ciclo que será abordado neste texto é o
dos relacionamentos, onde as pessoas tomam ações que geram resultados iguais, gerando um
ciclo de relacionamentos. Isso ocorre, por exemplo, quando um homem passa a fazer as
mesmas coisas para receber os mesmos resultados com as mulheres, e ao fazer isso, ele
obtém os mesmos resultados. Dentro do mundo dos relacionamentos entre homens e
mulheres, o mecanismo que regula essa dinâmica é o mecanismo de atração física,
responsável por mantê-los em um ciclo de busca por quem gera atração genuína ou um
magnetismo. O problema começa quando esse ciclo se torna um ciclo destrutivo. Um ciclo
destrutivo acontece quando um indivíduo toma várias ações e tem sempre o mesmo resultado,
a rejeição. Esse ciclo é destrutivo pois a rejeição gera sofrimento e as repetidas rejeições
geram sofrimento recorrente, bem como o esgotamento de recursos como tempo e dinheiro.
Existem ciclos diferentes no mundo dos relacionamentos, mas eles sempre são ciclos. Alguns
ciclos são mais longos e outros são mais curtos, alguns são prazerosos e outros destrutivos. O
intuito desse texto é evitar os ciclos destrutivos e criticar os ciclos prazerosos. A ideia é que
ambos os ciclos são movimentos repetitivos que não levam a lugar nenhum, pois eles têm os
mesmos resultados. Um homem e uma mulher se casam e depois se divorciam, um namoro
que começa e logo termina. Um sexo casual que se repete e depois acaba. Todas as pessoas
estão presas em um ciclo sem sentido, onde nada é saciado além do seu instinto de
reprodução. São macacos? A questão é que são essas atividades que fazem o mundo girar,
mas isso faz com que esses movimentos sejam altamente previsíveis, ao ponto de ser possível
surgir uma teoria que explica cada escolha de cada indivíduo, baseando-se unicamente no
impulso gerado pelo instinto biológico e pelas preferências que homens e mulheres possuem.

II. A BLACK PILL

A Teoria da Black pill mostra exatamente como os ciclos de relacionamentos funcionam e
como tudo isso é regulado pela atração física. O instinto biológico força os homens a procurar
as mulheres, criando um ciclo, esse ciclo pode ser prazeroso ou destrutivo, isso depende da
quantidade de atração sexual (capital sexual) que esses homens podem gerar. As mulheres
são obrigadas a fazer um modelo de seleção, pois os homens têm predisposição maior do que
elasa buscar o sexo, isso gera um excesso de demanda masculina por mulheres.
As mulheres precisam obrigatoriamente fazer um processo de seleção, esse processo de
seleção tem sentido biológico mas também lógico, uma vez que não é possível suprir uma
demanda sem fim. A seleção das mulheres ocorre instantaneamente ao observar os seguintes
fatores: aparência (genética), dinheiro, fama etc. O problema é que os homens que não são
selecionados (descartados), continuam sendo impulsionados a procurar mulheres, gerando um
ciclo destrutivo. Isso acontece pois os impulsos masculinos (sex drive) gerados pelo instinto

biológico não cessam quando eles são rejeitados pelas mulheres, isso faz com que eles
continuem procurando mulheres e para continuar sendo descartados, criando um ciclo
destrutivo.
Ao perceber isso, outro ciclo é criado, o ciclo da busca por uma solução. A dinâmica da
seleção para reprodução bem como a construção das preferências (atração), são totalmente
imutáveis. A busca por uma solução pode acabar criando um ciclo, onde todas as ações não
conseguem solucionar o problema. Para que esse problema fosse solucionado, uma das duas
condições precisam ser supridas: ou o homem se torna atraente ou as preferências das
mulheres se ajustam ao seu nível de atratividade. Para saciar uma das condições, uma série de
problemas são encontrados.
Existem fortes limitações para o quão atraente uma pessoa pode se tornar, pois:
É impossível mudar sua genética;
É impossível aumentar sua sorte;
É impossível mudar as preferências das mulheres;
É impossível mudar a realidade.
Para alguns homens, será simplesmente impossível gerar atração genuína em uma mulher.
Isso se deve a diversos fatores que podem diminuir a capacidade de atração desses homens,
como idade, defeitos físicos, altura, raça ou esses fatores em conjunto. Também é impossível
forçar as mulheres a sentir atração genuína ou a mudar suas preferências por meio de leis
criadas pelo Estado. Isso só criaria um ciclo longo de casamentos falsos, gerando sofrimento
e uma massa de homens feios, como no caso da Índia, onde existem casamentos arranjados.
Então, quais opções sobram para os homens que estão em um ciclo de rejeição? Existem
algumas opções, mas nenhuma delas é uma solução. Um homem pode conseguir um
relacionamento com uma mulher que também está em ciclo de rejeição, e por conta disso,
essa mulher o aceita como segunda opção. Isso forma uma massa de pares de rejeitados, que
dificilmente terão um ciclo longo de relacionamentos prazeroso. Irá apenas formar uma
massa de pessoas que vão se aturar durante um tempo e depois irão se divorciar. Existe a
opção de celibato voluntário, onde o sujeito se abdica de buscar mulheres, mas na maioria das
vezes isso é forçado. Ninguém se torna celibato quando ainda existe a opção de viver os
ciclos prazerosos dos relacionamentos casuais. Então o celibato voluntário só existe para
quem já é um celibato involuntário.Tentar substituir as mulheres seria uma boa opção, mas
novamente, isso não chegaria nem perto de ser uma solução. Isso é apenas uma forma de
consolação.

III. DENTRO DO CICLO

O principal motivo de sofrimento do homem não é ficar sem mulher e sim cultivar a falsa
esperança de que ele terá uma mulher de qualidade no futuro. Se ainda existe sofrimento é
porque ainda existe esperança de alcançar esse ponto no futuro. Os homens que estão dentro
do ciclo são aqueles que ainda cultivam alguma esperança de que no futuro eles vão
conseguir um relacionamento com uma mulher atraente ou de capital sexual elevado. São os
escravos do instinto biológico que vão fazer o que for necessário para aumentar sua
atratividade sexual e que vão competir com outros homens por atenção feminina.
O ciclo é praticamente um universo de pessoas que vão tomar ações que geram resultado
igual ou semelhante, que vivem as mesmas situações repetidas vezes. O ciclo do trabalho, da
dívida, do desenvolvimento, ... etc. Eles sempre estarão correndo contra o tempo para tentar
satisfazer algo completamente sem sentido. Pelo menos no mercado de relacionamentos, o
sentido de se estar no ciclo é a recompensa de ter sexo com uma pessoa atraente. Ou seja, é o
sentido de saciar o seu instinto reprodutivo. Mas e os outros ciclos? De certa forma, todos os
outros ciclos estão relacionados direta ou indiretamente com a busca por reprodução. O
desenvolvimento pessoal, o endividamento, o trabalho excessivo, a busca por riqueza... São
todos ciclos para se alcançar o acesso a um valor sexual de mercado maior, para conseguir
mais sexo. Por que as academias estão lotadas de mulheres? Será que é mesmo a busca por
uma vida mais saudável? Ou será que é apenas para aumentar o seu capital sexual? Em que
parte da vida saudável encontra-se a necessidade de se ter uma bunda gigante? Em que parte
da vida saudável se encontram os homens que usam esteroides? Ambos estão apenas tentando
aumentar seu capital sexual. Sua capacidade de barganha e de completar novos ciclos de
reprodução. São apenas macacos vestidos.
Então, se saciar o instinto biológico é tão bom, por que tentar sair desses ciclos? Aqui está o
porquê: a taxa de sucesso em conseguir um relacionamento está totalmente relacionada com o
quão geneticamente atraente uma pessoa é. Isto é, se você não conseguiu ter sucesso nos seus
16-17 anos, as chances de você ter sucesso nos seus 25-30 são ainda menores. E por que são
menores? Porque existe uma utilidade marginal decrescente no valor sexual de todas pessoas
que cai à medida que o tempo passa. É verdade que muitos conseguem melhorar a aparência
depois de adultos, mas em um ambiente competitivo, a maioria dos homens vão tentar
melhorar também, tornando praticamente irrelevante toda capacidade de melhoria que
alguém pode ter.
A taxa de sucesso reprodutivo está relacionada com o nível de atratividade de uma pessoa.
Isso significa que a pessoa teria uma taxa de sucesso maior somente se conseguisse de
alguma forma ficar mais atraente no futuro. Realmente, boa parte dos homens tentam se
tornar mais atraentes, por meio do exercício físico, ficando mais seco e definido, para poder
tentar completar um ciclo reprodutivo. Para alguns casos isso poderia dar certo, contudo, isso
também leva tempo, criando mais um ciclo. Por exemplo, muitos caem no erro de pensar que
uma mulher só aumenta as suas exigências após se relacionar com homens destacados e viver
o que gostam de chamar de “fortes emoções". Na verdade, a mera impressão de um homem

atraente já funciona como forma de aumentar a exigência. Se fosse apenas uma questão de
vivenciar uma boa experiência com um homem de alto valor sexual, nossos problemas
estariam resolvidos, pois é bem óbvio que a quantidade de homens bonitos é extremamente
limitada por região. Então, a que se deve o aumento de exigência? O fato de que as mulheres
começam a receber atenção masculina muito cedo! Isso as tornam, por pura lógica,
selecionadoras natas. Não só biologicamente mas socialmente. Ou seja, quando adultas, elas
já sabem perfeitamente o quão valiosas são e o quanto um homem estaria disposto a ceder em
para manter ou ter uma relação qualquer. Isso significa que uma mulher bonita quando adulta,
possui todas as ferramentas necessárias para destruir as chances de existir qualquer mera
especulação de um futuro seu junto dela. Com isso, seu futuro com uma mulher de qualidade
depende bastante da sua aparência como fator inicial e de recursos financeiros e sociais como
fatores secundários, apenas para manter a relação em funcionamento. Ou seja, é apenas um
ciclo social guiado pela aparência / genética.
Em geral, as relações entre homens e mulheres são puramente utilitaristas e o próprio “amor”
é um fluxo do egoísmo presente em ambos. Da mesma forma, as tomadas de decisões no que
diz respeito ao mercado de relacionamentos não são decididas de forma aleatória, mas sim de
forma egoísta e utilitarista. Todos querem se relacionar com uma pessoa que tem valor sexual
maior que o seu e se julgam merecedores disso. Contudo, o valor sexual não é algo tão
maleável como alguns pensam ser. Um dos maiores erros é pensar que o que atrai as
mulheres bonitas é uma mistura de status, dinheiro e poder. De fato, as mulheres querem isso,
mas elas não sentem atração sexual por isso. Você já se perguntou por que o conceito de
atração genuína é o mais criticado? Você já se perguntou por que o conceito de atração
genuína incomoda tanto? É muito simples! O fato de existir diferença entre atração genuína e
atração negociada coloca um empecilho enorme em tudo que se entende como relações entre
homens e mulheres. Muitos podem argumentar que não importa se atração é genuina ou
negociada, desde que o homem consiga o sexo que ele tanto quer. Contudo, isso não só
importa como dita toda a dinâmica do mercado de relacionamentos.
Se um sujeito “A” consegue sexo por ser rico (como o Andrew Tate) e um sujeito “B”
consegue sexo por ser fisicamente atraente (como no caso dos pretty boys) ambos estão
conseguindo sexo, certo? Certo. Contudo, em um plano competitivo, partindo do mesmo
ponto, quais são as chances de um cara comum ficar rico para conseguir sexo com uma
mulher de capital sexual elevado? Quais são as chances de um pretty boy conseguir sexo sem
precisar ficar rico? Outro pode argumentar:
“O homem ainda poderia pagar por putas de luxo.” Este esqueceu que estamos falando de
um mercado de relacionamentos, onde o sexo acontece por livre escolha. Pagar por sexo
diretamente, é uma forma de “forçar” a mulher a ter sexo com você via acordo e pagamento.
Isso é literalmente uma negociação. Nem sequer existe atração. “Certo, mas então o homem
não queria apenas ter sexo? Ele pode ter pagado.” Ele quem? O mercado de relacionamentos
é composto por uma massa de pessoas, senão a sociedade inteira, partindo do pressuposto que
até pessoas casadas têm seu valor sexual de mercado. Isso tudo é uma grande competição,
onde os que não podem gerar atração genuína levam a pior pois precisam negociar mais,
pagar mais e não ganham nada além de um acordo. Além disso, a competição é imperfeita,
pois ninguém tem o poder de alterar seu valor sexual de fato. Se isso fosse possível, as

pessoas literalmente iriam aumentar seu valor sexual para conseguir o que tanto querem, mas
não é isso que acontece não é?
Isso se deve ao fato de que não é possível comprar um gerador de atração genuína, pois
atração genuína é algo gerado sob condições de aparência que são imutáveis. Mesmo um
especialista da moda não consegue aumentar seu valor sexual significativamente. Eles apenas
usam fotos com angulos fixos e musculos exagerados para conseguir miseras curtidas das
quais poucas representavam chances reais de sexo, fora que o valor sexual das moças que
aceitam esse acordo, são baixos.
Os outros homens que estão no balcão de negociações, tanto no curto prazo, como no longo
prazo, estão tendo que abrir mão de vários recursos para conseguir sexo com mulheres velhas
de aparência questionavel. Estes mesmos enchem a boca para dizer que não faz diferença.
Estes estão orgulhosos de terem que passar a vida toda se aperfeiçoando e juntando dinheiro
para negociar cláusulas de contratos para então ter o final de feira de um cara que pode gerar
atração genuína.
O tempo é o ativo mais escasso de um indivíduo e mesmo assim ele passa a maior parte
desperdiçando seu tempo. A da sociedade já é feita para sugar parte do tempo de um
indivíduo ao extremo, o deixando praticamente exausto. Qualquer homem que busca ter
algum tipo de relação com mulheres bonitas sabe que demanda um certo gasto de energia e
tempo. Além dos fatores, que restringem a busca por mulheres de qualidade (dinheiro, fama,
poder), ainda existem os momentos certos para fazer essa busca. Entre o período da
adolescência até a fase adulta é o momento correto para buscar as mulheres. E de fato, muitos
jovens gastam tempo na busca por mulheres enquanto ainda adolescentes. O problema é que
esse período é muito curto. Os homens continuam desejando sexo de qualidade com mulheres
jovens e bonitas, porém após o declinio gerado pelo envelhecimento (vida adulta), isso se
torna mais custoso.
Enquanto o adolescente se esforçava para levar a jovem para o quarto, ela estava se
preocupando com estudos e faculdade, em busca de tomar as vagas que deveriam ser desses
mesmos homens. A diferença entre ambos é que o adolescente virá a ser adulto um dia, e terá
um custo enorme para continuar recebendo acesso às mulheres de qualidade, enquanto que a
jovem, ao se formar em medicina, direito ou educação física, vai continuar transando o
quanto quiser.
Para o homem que se tornou adulto, sobram apenas as migalhas e as lembranças dos
momentos que ele teve com essas moças. Geralmente, esse é o caminho normal de um
homem comum. Agora, se o adolescente não teve acesso a sexo nesse periodo, e de alguma
forma quer ter isso já depois dos 25 anos, não irá vivenciar nada de tão interessante quanto
tem um homem destacado que recebe carne fresca. Terá apenas restos a um custo
elevadíssimo. O problema é que o tempo é muito mais escasso para o homem do que para a
mulher. Dispensável dizer que o homem precisa trabalhar mais e assumir mais
responsabilidades, bem como, tem sempre a balança do mercado sexual desfavorável, pois
existe competição excessiva dos homens frente a vontade de conseguir atenção feminina de

mulheres bonitas. O mercado de relacionamentos em geral gira em torno das mulheres, assim
como boa parte da dinâmica social. O homem já vem perdendo protagonismo em diversos
âmbitos para dar lugar às mulheres. Isso é o reflexo de como a situação está desequilibrada.
As mulheres são como deusas e os homens são como adoradores. Eles fazem de tudo para ter
atenção das mulheres e para dar espaço para elas. Obviamente que isso faz parte de uma
agenda global impulsionada por grandes organizações e pelo próprio Estado. Mas isso não
importa muito, pois a origem do fenômeno não é o que afeta a vida dos homens e sim o
fenômeno em si. O fenômeno é que os homens estão sendo jogados para fora da equação.
Eles só servem como burros de carga e banco com pernas, ou seja, as mulheres de hoje não
cultivam absolutamente interesse nenhum por 98% dos homens.
O viés de seleção das mulheres em geral consiste em escolher o homem branco que possui
recursos financeiros e entregar toda sua atenção para ele. A maioria das mulheres medianas
vão tentar namorar e casar com esses caras, em busca de ter filhos com eles. As mais bonitas
vão tentar transar com o máximo de homens desse tipo e fazer o famoso rodar de pratos, onde
elas transam com vários deles ao mesmo tempo que tentam extrair recursos financeiros e
sociais.
É impressionante como é só você postar 3 fotos de um homem branco, jovem e bonito no
Tinder para atrair atenção de mulheres de todas as idades. Isso forma o viés de seleção das
mulheres dentro do mercado sexual. A condição social do indivíduo pode ser um fator
altamente excludente quando se trata do mercado de relacionamentos e até mesmo da
sociedade como um todo. Homens pobres são desprezados pelas mulheres e pela sociedade
em geral e são tidos como exemplo de fracasso. As mulheres de classe média raramente vão
ficar com homens que estão fora da sua condição social e do seu círculo social. É bem
comum ver casais da mesma cor, da mesma classe social, e muitas vezes, da mesma
localidade. Não se confunda, isso não é apenas porque estão próximos e sim pois estão no
mesmo patamar. O homem pardo e pobre (brasileiro) que mora à margem da cidade fica
fantasiando a vida toda com a stacy de apartamento e até mesmo desenvolve algumas ilusões
de uso de drogas para tentar atraí-las.
De fato, alguns desses caras podem até conseguir uma noite com mulheres de classe média,
mas isso raramente tem a ver com o homem pardo pobre que sonha com uma loirinha de
apartamento. Isso tem mais a ver com o traficante que também é branco e possui carro e
maconha. Isso forma a famosa transada na onda, onde esses caras vão comer as drogadas
enquanto o pardinho fica fantasiando na solidão de sua casa na favela, com esgoto a céu
aberto e horas de distância da cidade onde ela mora
O meta game social é tão forte que já criaram termos para as pessoas que não estão
meta-gamificadas, como low profile, ou invisíveis. Uma mulher low profile e de qualidade é
muito valiosa, mas um homem low profile geralmente é visto como alguém que tem
dificuldades de interagir socialmente. Dependendo do nível de aparência de um homem low
profile, ele pode até conseguir ficar com mulheres interessantes, mas raramente ele vai
conseguir ficar com uma mulher que tem muitos seguidores no instagram. Isso tudo parece
óbvio, mas a variável da falta de status gera um enorme pesar nos homens, pois diferente de

anos atrás, toda a dinâmica acontece online. Todas as conversas acontecem online. Raramente
uma mulher vai ficar conversando com os homens em festas ou carnavais. Os homens que
são estritamente dependentes de atenção feminina diária, vão sofrer muito com essa questão.
Os que já superaram essa questão, vão apenas se tornar pessoas inexistentes para essas
mulheres de qualidade, aumentando portanto, ainda mais a distância entre o que o homem
deseja e o que ele pode ter.
Triste lembrar que boa parte das mulheres da atualidade são feministas. Isso não incomoda os
destacados, pois na maioria das vezes, ela vai ceder para ele independente de sua ideologia.
Porém, isso é utilizado como uma desculpa para excluir homens feios da jogada, logo, as
feministas não odeiam todos os homens, elas odeiam todos os homens feios. Elas não querem
conversar e se relacionar com homens feios. Mas os homens brancos vão continuar
consumindo carne fresca e feminista. Não teria problema nenhum nisso se não fosse o fato de
que os homens feios tentam interagir com mulheres desse tipo. Outros ficam irritados e
entram em debates com mulheres desse tipo, levando muito a sério a posição feminista delas.
A maioia delas nem sequer tem carga ideologica para ser genuinamente uma feminista ativa,
é só um falso comportamento, o mesmo que os novos homens sigma ou based que ficam
fingindo estar tendo uma vida mais gratificante sem ter acesso ao sexo com mulheres. Nem
preciso dizer que a maioria deles sofre bastante com a falta de sexo e de atenção de mulheres.
Alguns deles literalmente estão por um fio de cope até o suicidio.
O ciclo do trabalho é o maior incômodo nisso tudo, pois é literalmente como se os homens
incels e homens medianos pagassem por toda essa degeneração. Eles literalmente mantêm a
sociedade de pé, o Estado, o governo, as empresas e até mesmo o próprio fluxo das redes
sociais dessas pessoas. Eles não são convidados para a festa da degeneração mas são
convidados para limpar a sujeira que isso cria. Seu dever é ser um cidadão ativo da sociedade,
pagador de impostos e baba ovo dessas pessoas. Eles literalmente vivem em meio ao líquido
fecundante expelido e não tem nem tempo nem para pensar em uma forma de sair desse
meio. Enquanto ele for um assalariado e pagador de impostos ele será um N.P.C que sustenta
toda a penetração do tecido social das classes mais altas.
Então, o que pode ser feito? Aceitar o estado de coisas que não estão em seu poder e não
podem ser alterados. Exposto de forma direta, não adianta buscar solução para o
insolucionável. A conclusão é que as relações entre as pessoas são apenas egoístas, a
moralidade é algo totalmente relativo, e a sociedade é apenas um coletivo que vive de
aparências, pois só existe para manter o sistema vigente. Ou seja, a sociedade é apenas um
grande bloco de escravos do sistema vigente e suas ações são apenas fruto de um objetivo
egoísta, que busca a satisfação do ego. Assim sendo, toda vez que algum aspecto da realidade
falhar em te satisfazer, só te resta descartá-lo. Ainda assim, existem outras formas de se
satisfazer dentro da realidade. Quando não se tem o que se almeja, como sexo, dinheiro e
poder, deve-se então buscar o que se pode ter, deve-se buscar a paz de espírito. Para ter paz
de espírito, suas decisões precisam ser equivalentes à pressão gerada pelo externo, apenas
como uma forma de defesa tua contra essa pressão. Essas decisões são tomadas levando em
conta o conjunto de limitações (determinísticas) e devem ser tomadas de forma eficiente, com

objetivo de oferecer a melhor proteção possível contra a pressão da realidade. Muitas vezes, a
única e melhor saída para um problema é literalmente desistir de resolvê-lo. Por exemplo,
perder tempo tentando solucionar um problema moderno é tolice. Se fixar em falsas
esperanças também é tolice. Sempre que for possível se aproveitar de uma situação, será
feito. É desnecessário pensar demais em ambientes hipotéticos, mas pelo contrário, é
necessário se manter presente e tomar decisões que favoreçam o seu bem-estar dado essas
restrições.

IV. FORA DO CICLO

A Teoria dos Ciclos nos mostra que a vida dentro do ciclo é justamente uma repetição. É
justamente o gasto de energia desnecessário em busca de vivenciar as mesmas experiências
várias vezes. É uma lógica de escravidão do homem. A Teoria Fora do Ciclo é justamente a
quebra de vários ciclos destrutivos, com intuito de não repetir nenhum tipo de experiência
destrutiva que pode ser evitada. É radical no sentido de que é a completa negação a vivenciar
qualquer tipo de ciclo destrutivo já conhecido. O sujeito pode sair de qualquer ciclo, como o
do trabalho, do casamento, dos movimentos políticos... De qualquer coisa que seja destrutiva
e repetitiva. É literalmente estar fora do ciclo destrutivo. Mas isso deve ser feito de forma
definitiva!
A teoria só funciona quando se pode sair do ciclo completamente, portanto é necessário uma
preparação para evitar a frustração de criar um ciclo ao tentar sair de um ciclo. Ao analisar
todo o problema insolucionável da Black pill, ficou claro que o ciclo dos relacionamentos
possui um problema fechado, insolucionável. Só o ato de tentar solucionar esse problema
criaria um ciclo destrutivo. Logo, a melhor decisão é não fazer nada! Se deve optar por sair
do ciclo e viver fora dele quando se descobre que qualquer decisão tomada em direção ao
ciclo de relacionamentos piorará sua situação.
Portanto, viver fora do ciclo significa tomar decisões que não levam em direção ao ciclo,
nesse caso em específico, o ciclo de relacionamentos.
Existem alguns problemas ao aplicar essa teoria:
Você saiu do ciclo mas seu corpo continua da mesma forma que antes. Você possui as
mesmas necessidades, as mesmas demandas e o mesmo instinto biológico. Tudo isso são
limitações que servem para tentar te obrigar a voltar para o ciclo de relacionamentos. Por isso
é tão difícil tomar a decisão de sair do ciclo. Essa decisão vai contra sua programação
evolutiva!
Todavia, fica bem evidente qual é o ponto central de tudo isso e isso é o que te permite se
manter fora do ciclo. A mulher é o ponto central dentro de todo o ciclo de relacionamentos, e

indiretamente, em outros ciclos. Portanto, para se manter fora do ciclo, você precisa retirar
completamente a ideia da existência de mulheres na sua vida. Isso não inclui familiares, e
relações obrigatórias de coabitação. Mas inclui todas as formas evitáveis de vivência em
função da mulher. É a completa e mais radical anulação da busca por qualquer tipo de
relacionamento com o sexo oposto. Vale lembrar que isso só faria sentido se incluísse a
anulação de qualquer tipo de busca por relação sexual. É necessário o abandono completo de
qualquer chance de decisão que busca a vivência no ciclo de relacionamentos, pois já foi
entendido previamente que qualquer tomada de decisão nesse sentido levaria com absoluta
certeza ao sofrimento / sugjugação / escravidão. Portanto, se trata de uma decisão que requer
uma análise fria e completa.
Após sair do ciclo, suas prioridades serão qualquer prioridade que não tenha como fim o
retorno, para isso é necessário criar uma armadilha de segurança blackpilladora. Essa
armadilha consiste em um método de segurança que busca se manter black pillado e se
manter fora do ciclo. Trata-se de um conjunto de vídeos, prints, lembretes, e qualquer tipo de
coisa que te faça se manter black pillado. Você deve cair nessa armadilha com a frequência
necessária para te manter fora do ciclo e black pillado. Caso seja necessário, você pode
montar uma armadilha de segurança diária. No meu caso, vou utilizar um conjunto de vídeos
e prints que eu tenho guardado e organizá-los como uma forma rápida de armadilha de
segurança, que caso for necessário, será utilizada diariamente.
Para lidar com os impulsos, se deve utilizar de copes e substituições possíveis, desde que
esses não criem outro ciclo destrutivo. Afinal, a intenção dessa teoria é fornecer uma
ferramenta para anular todos os ciclos destrutivos e não criar mais deles.
Então como saberei que um ciclo é destrutivo? Averiguando se esse ciclo te coloca em
desvantagem, escravidão ou em estado constante de sofrimento. Para isso é necessário fazer
um cálculo de maximização do egoísmo, ou seja, buscar tomar as decisões que te colocam o
mais acima possível, dentro do possível.
Maximizar o egoísmo é não ser subjugado por nada ou ninguém. É basicamente a busca pelo
auto domínio irrestrito. Isso inclui colocar de lado uma série de coisas como:
- Forças culturais destrutivas;
- Movimentos políticos, grupos, coletivos e ideias que reivindicam eles;
- Apetites individuais destrutivos (vícios, drogas, exageros);
A verdadeira “liberdade” só pode ser alcançada rejeitando tais imposições externas e internas.
Deus, propriedade, homem, mulher, relacionamentos, sexo, humano, razão, comunidade,
dinheiro, as pessoas, amor, trabalhador, raça, estado, moralidade, etc., podem agir como
espiões quando são mantidos absolutamente acima de tudo - santificados. Quando são
santificados e usados como justificativa (mais frequentemente como desculpa) para as ações
de alguém, eles assombram o indivíduo. Isso não significa que essas ideias sejam inúteis, mas
que uma pessoa conscientemente interessada pretende usá-las para objetivos e propósitos

mais concretos e estaria ciente de que ideias (e linguagem) não podem descrever
completamente pessoas e propriedades concretas únicas. Pessoas, coisas e ideias não são
sagradas. Por isso, este mecanismo não é uma oposição às mulheres nem aos
relacionamentos, mas sim uma oposição à santificação dos relacionamentos e da busca pelos
relacionamentos. É a não tomada de ação forçada (instinto). É a não adoração forçada
(neotenia). É a não busca forçada (Sex drive). É a rejeição da escravidão gerada pela nossa
própria natureza.
Responda-o


Mensagens neste Tópico
Teoria dos Ciclos - de Rick O'Connell - 13-03-2023, 06:20 AM
RE: Teoria dos Ciclos - de Bean - 13-03-2023, 12:41 PM
RE: Teoria dos Ciclos - de Gorlami - 13-03-2023, 02:09 PM
RE: Teoria dos Ciclos - de Bean - 14-03-2023, 03:07 PM
RE: Teoria dos Ciclos - de Novo Mundo - 14-03-2023, 07:59 PM
RE: Teoria dos Ciclos - de OneShot - 15-03-2023, 02:43 PM
RE: Teoria dos Ciclos - de Joxokhanurs - 18-03-2023, 12:18 PM

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)