Avaliação do Tópico:
  • 1 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Cuckold, o lado psicológico e obscuro por trás do fetiche
#1
Confrades, 

Fantasiar ser corno e, pior ainda, colocar em prática parece obviamente algo extremamente deletério e destrutivo.

Mas surpreendentemente é a fantasia n. 1 dos brasileiros, perdendo pra tantas outras mais tradicionais e amplamente comentadas nas rodas de amigos: transar com duas mulheres, pegar aquela vizinha ou prima gostosa, etc.

Só que, diferentemente das outras fantasias, essa permanece, via de regra, no anonimato. Quem denuncia a preferência são as barras de pesquisas dos sites pornograficos.

Qualquer quebra de tabu passa por fases: rejeição, curiosidade, aceitação constrangida e, por fim, ampla aceitação.

Todavia, o que me motivou a pesquisar essa questão à fundo, foi a frequência com a qual comecei a me deparar com o assunto na vida real. A fantasia está popularizada e em processo de admissão pública da preferência.

No meu trabalho, soube recentemente que um cara vai com a mulher pro motel, com outro amiguinho. O prazer dele é assistir o alfa fazer as honras da esposa e depois vai embora e deixa ela lá com o cara, e adora ver ela chegando horas depois de manhã toda usada, quando ela conta como foi passar o resto da noite dando pro coleguinha.

Essa porra está sendo comentada de boa pelo cidadão e as pessoas, embora façam uma brincadeira ou outra, não estão chocadas, como, em tese, deveriam. Isso passa por uma série de questões correlatas, como liberdade sexual, feminismo, busca individual pela felicidade, etc. Tudo bem.

As questões que levanto, são: é somente uma fantasia, que de comum acordo, não causará danos? É algo que, mesmo tomando cuidados e de modo consensual, não faz mal psicologicamente, emocionalmente, fisicamente, e socialmente? Se, de fato, é tão excitante, porque o é? Será que tudo que excita deve ser buscado, ou há limites pra nossa própria proteção? 

Minha busca por respostas não foi no âmbito espiritual ou social, mas emocional e psicológico, principalmente.

Adquiri um livro chamado Insatiable Wives, de um psicólogo americano que, em suma, mais parece uma coletânea de histórias pornôs, e que fundamenta suas conclusões na inexistência de malefícios e na naturalidade da prática.

E nessa toada estão inúmeros artigos e matérias, incentivando algo pra mim extremamente nocivo, mas, apesar disso ser óbvio, só consegui bases científicas em dois artigos: um no youtube que sequer reencontrei, rs. E outro que vou indicar pra todos. Muito embora em inglês, pode ser traduzido automaticamente e na minha opinião é a primeira grande voz que oferece uma alternativa e até "cura" pra quem quer se livrar desse fetiche, e base de contra-argumentação aos adeptos da prática, pra pessoas como eu que entendem que se trata de algo pernicioso.

A compreensão é a chave de tudo. 

Em suma, o up de excitação se dá pela produção de endorfina e dopamina pra que seu cérebro corno suporte, sem entrar em colapso, a maior humilhação que um homem pode passar, por isso erotiza a traição, tornando-a "prazeirosa". Uma base de adaptação similar ao masoquismo e outras situações humilhantes.

Mas a essência do ato, provocador da inferiorização, sentimento de inutilidade, medo da perda, ciúmes, faz com que esses e outros e setimentos destrutivos continuem sendo produzidos, daí porque se explica o tal misto de emoções. E pra dissipá-los, mais erotização com mais carga de dopamina e endorfina, até que aquilo, por fim, será quimicamente absorvido, e psicologicamente aceito e justificado. 

Porém, obviamente, passado o prazer momentâneo, ainda que normalizada a prática, sobram os danos de toda ordem em virtude dessa adaptação e um relacionamento disfuncional que não encontra mais prazer e êxtase na intimidade unicamente do casal, que paradoxalmente começa a se distanciar um do outro. 

O argumento de maior conexão inicial entre o casal se deve unicamente ao fato de ambos compartilharem algo íntimo. É a mesma conexão que se estabelece ao se compartilhar um segredo com alguém, e não há mistério ou magia alguma nisso. E é claro que tais resultados podem ser igualmente obtidos se o casal, de fato, compartilhar intimidades, inclusive fantasias, mas com a consciência de que tais pensamentos, embora aproximadores do casal pela confiança do compartilhamento, quando levados à realidade podem ser deletérios e muitas vezes o são.

Com muito custo encontrei relatos, subnotificados por razões óbvias, em que o rastro de destruição na vida da pessoa foi exposta. E o pior é que tais relatos ainda vem culpando o praticante por não ter tido maturidade pra lidar com algo tão "evoluído" e glamourizado. Foi preconceituoso; fraco.

O cuckoldismo está sendo assustadoramente glorificado.

Que seja aqui, neste fórum, um local onde aqueles que procuram o entendimento, a crítica, a contrariedade, possam se refugiar e fortalecer seus pontos de vista contrários à prática, buscando conhecimento e relatos que deram errado pra fortalecimento das suas convicções.

Não somos obrigados a aceitar a propoganda massiva de qualquer tipo de merda.

Segue o site

howtostopbeingacuckold.com
Connor McGonigal
Pelo poder da verdade, eu, ainda vivo, conquistei o universo
Responda-o
#2
Cuckoldismo já está na fase de ampla aceitação. Pior é a pedofilia, que está entrando na fase de "aceitacao constrangida" (!!). Trunks do futuro tem razao, é rumo ao abismo.
"Mas o homem é a tal ponto afeiçoado ao seu sistema e à dedução abstrata que está pronto a deturpar intencionalmente a verdade, a descrer de seus próprios olhos e ouvidos apenas para justificar sua lógica."


Responda-o
#3
Os malefícios do cuckoldismo na vida de um homem honrado. Yaoming
Responda-o
#4
Citação:Que seja aqui, neste fórum, um local onde aqueles que procuram o entendimento, a crítica, a contrariedade, possam se refugiar e fortalecer seus pontos de vista contrários à prática, buscando conhecimento e relatos que deram errado pra fortalecimento das suas convicções.

Muito bom, confrade.

Uma pena que poucos aqui dão a devida importância para o impacto que a pornografia causa na vida do sujeito. Talvez, com muita sorte, cutuque e "caia na real" sobre que as imundices que essa maldita prática leva consigno quando vê um mais um vídeo "inofensivo". 
Agradeço, confrade.

Sua pesquisa irá contribuir para um trabalho que estou desenvolvendo sobre "como deixar a pornografia e reconectar com a vida".
"...os homens se corrompem, o sistema quebra, mas DEUS CONTINUA SENDO DEUS!"  
Spoiler Revelar
Autor Desconhecido
Responda-o
#5
Não vou nem me aprofundar muito no assunto, transformar homem em cuckold é FETICHE de toda mulher, um cafajeste pra comê-la gostoso e um otário pra bancar, observar e ser humilhado por ela e pela situação, ser cuckold é fetiche de homem fraco que pensa que o fato de ter uma mulher é um privilégio e que a satisfação dela está acima de tudo, mesmo que ele não faça parte dessa satisfação mas seja o provedor de alguma forma, homens assim se acham sortudos por respirar o mesmo ar de uma mulher e lamber o chão que elas pisam. A fraqueza psicológica que leva a esse fetiche é consequência de diversos fatores que vem desde a criação criação do sujeito, criação superprotegida com dominância feminina, falta de uma figura paterna, loteria genética, fatores que contribuíram formação psicológica deficitária, personalidade, várias vulnerabilidades que o transformam em um ser fraco, manipulável, sem nenhuma autoestima, presa fácil para a mulherada satisfazer seu sadismo e sugar suas energias pro lado obscuro com um otário que se acha sortudo só por ter esmolas de atenção dela e se satisfazem até com sofrimento desde que esse sofrimento seja proveniente de uma mulher.

Cansei de falar que homem tem fetiche em drama e sofrimento.

Falar que isso é cada vez mais presente na vida real não significa muito, não me surpreende, estamos em uma geração que hoje ergue bandeira de seus retardos para validar e romantizar suas fraquezas, muitos fazem isso apenas para chocar, serem aceitos pelas pessoas mas não necessariamente praticam as coisas que defendem, nem todo mundo que coloca bandeira colorida no dia do orgulho gay dá a bunda ou bota a aranha para brigar, essa é mais uma bandeira que mulher defende e homens abraçam por motivos óbvios.

Compartilhar a esposa ou namorada comigo ninguém quer, né. trollface Mas se alguém ai quiser pagar 400 reais to aceitando Yaoming

[Image: 4876876.jpg]

Eu não preciso de material pra me convencer dos malefícios do cuckoldismo pra vida do homem honrado, é só não ser otário trollface.
Responda-o
#6
Mano os títulos de vídeos pornográficos são bizarros, é pai com filha, é madrasta e não sei o que, acho que os de corno é ainda os menos bizarros lá, mas concordo que isso aqui é em alta sem contar que vídeos de trans essas parada também é bastante assistido aqui no BR.
Acho que a depravação de hoje em dia supera a que teve na época de noé que Deus acabou com tudo.
Responda-o
#7
É uma profunda obsessão demoníaca em massa, que faz com que o homem mediano vire um capacho de seus desejos mais primitivos, e aflore nele este tipo de "fetiche". Mas não é apenas o cuckoldismo que está em ascensão não; coisas como a pedofilia, incesto, até mesmo necrofilia(em sociedades mais undergrounds), também estão sendo discutidas e normalizadas. Fora do quesito sexual, é perfeitamente normal e aceito socialmente, um bebê ser assassinado dentro da barriga da mãe, e seitas satânicas que se utilizam do aborto para realizarem seus rituais sacanas, estão sendo tratadas como pessoas comuns de religiosidade alternativa. Fora que hoje em dia, tudo que faça alusão ao casamento tradicional, família tradicional, e princípios cristãos, está sendo duramente perseguido. É uma questão da nova era que estamos vivendo, é algo "normal" para os padrões atuais e que só tendem à piorar. A pornografia tem influência direta nos lifestyles das massas, mas não é a única fonte de perversão. O feminismo, a ideia da mulher ser uma semideusa e a baixa auto-estima do homem, são responsáveis por uns 70% dessa explosão do cuckoldismo, até porque o cuckold sempre vai querer um cara viril, dotado e grande para comer sua esposinha, e não um pangaré sojado como ele.
Responda-o
#8
Wissen, concordo. A coisa tá feia.

Penoso, grato pela correção do termo. Já alterei, obrigado

Libre, à disposição se eu puder ajudar com material de pesquisa de artigos na internet, tanto de cuckoldismo qto contrário à pornografia e à masturbação. Nada mais deprimente e solitário. Milito contra.

Myers, bizarros mesmo e num nível cada vez mais extremo

Joxokhanurs, conheço relatos de alfas que curtem. Nem sempre se trata da figura do provedor beta, tendo a mulher comida por alfa. O contrário tb ocorre. O foco é a humilhação e o oposto é ainda mais humilhante

Aproveitando a oportunidade pra agradecer aos comentários de todos vcs.
Pelo poder da verdade, eu, ainda vivo, conquistei o universo
Responda-o
#9
Quando eu olho essas coisas eu penso no quão bom foi largar a pornografia na minha vida.

Esse tipo de doença mental é pra pessoas fracas de estima, espírito e problemas relacionados a uma visão distorcida da realidade.

Em todo caso, eu quero mais que essas práticas doentes fiquem bem longe de mim.
Louvado seja o SENHOR, minha rocha; ele treina minhas mãos para a guerra e dá a meus dedos habilidade para a batalha. Ele é meu aliado infalível e minha fortaleza, minha torre segura e meu libertador. Ele é meu escudo, em quem me refugio; faz as nações se sujeitarem a mim. Salmos 144:1-2

強さと名誉と尊厳
Responda-o
#10
(02-11-2022, 06:28 PM)MacGyver Escreveu: Joxokhanurs, conheço relatos de alfas que curtem. Nem sempre se trata da figura do provedor beta, tendo a mulher comida por alfa. O contrário tb ocorre. O foco é a humilhação e o oposto é ainda mais humilhante

Aproveitando a oportunidade pra agradecer aos comentários de todos vcs.

Bem vindo a "degeneração" e suas ramificações, mas não creio que um homem que curte ser feito de corno, saber e ainda observar possa ser chamado de alfa só por ter atributos superficiais, não significa que ele tenha sofrido as mesmas adversidades que os homens que citei provocando uma formação psicológica, moral deficitária ou o sexo tenha sido tão explorado em sua vida que se tornou banal e agora tenta explorar outras nuances, dependendo do quanto aquilo é capaz de lhe proporcionar prazer e emoção a sua consciência acaba sendo recalibrada e aquilo acaba se tornando normal para ele mesmo sendo anormal para a sociedade como a mulher dar o cu de primeira trollface.

Agora cá entre nós, são apenas humanos e suas bizarrices, universos paralelos a superficialidade da sociedade, há registros de degenerações piores há milhares de anos, tem gente que curte essas merdas pelos mais variados motivos, doença, psicológico fodido por criação, vida, traumas, outros pela própria banalização do sexo em sua consciência buscando opções mais bizarras para tentar ter mais prazer e emoção e outros por pura e simples curiosidade potencializada pelas influências e pela facilidade de inspiração pela pornografia, inércia e inaptidão social e sexual levando a curiosidade pelas ramificações do "prazer", enfim.

É mais uma discussão que não vai chegar a lugar nenhum porque se trata de humanos, a sociedade fica chocada com degenerações mas individualmente as pessoas tem fetiches e fazem coisas que deixam até o diabo de boca aberta, as pessoas tem seus múltiplos lados, o público, o privado e o secreto.
Responda-o
#11
Não tem nada de muito obscuro e nem é culpa exclusiva da pornografia, são apenas pessoas, humanos e suas bizarrices pessoais pelos mais diversos motivos.
Responda-o
#12
Tempos degenerados, pessoas degeneradas, tudo ruma para um fim trágico da humanidade de um modo geral. São mais amantes dos prazeres que de Deus.
Parafraseando a bíblia: o mundo jaz no maligno.
"Quando um homem quebra seus grilhões e correntes; jura jamais servir a outro senhor, é aí que ele se torna verdadeiramente livre." (Spartacus)

“O amor-próprio não é um pecado tão grande quanto a auto-negligência.”  (Henry V.)

Responda-o
#13
Cuckold cresceu muito com a pornografia e com redes sociais dizendo " deixa sua mina postar foto semi nua".
"A critica não tem sobre a psicologia das massas o poder sugestivo que tem as crenças afirmativas, mesmo falsas." - Olavo de Carvalho

"Quanto menos inteligente um homem é, menos misteriosa lhe parece a existência." - Arthur Schopenhauer
Responda-o
#14
Todo viciado em pornografia é um cuckold em potencial, Penoso ta certo, o adestramento psicológico sempre começa sutil
Oitavo anjo do apocalipse
Responda-o
#15
O apreço por essa prática doentia nada mais é do que excesso de pornografia que desequilibra o sistema de recompensa do cérebro. O sexo convencional deixa de ser interessante e o consumidor de conteúdo pornográfico passa a buscar coisas mais pesadas para se satisfazer.

E o tal cuckold é só uma delas, há outras práticas nojentas que prefiro nem citar aqui.

Óbvio que as modernetes vão tirar proveito disso. Pra quê mundinho mais conveniente do que ter um doente mental para lhe dar dinheiro e que ainda aceita ser traído?
Responda-o
#16
(03-11-2022, 11:07 AM)Darien Gordon Escreveu: E o tal cuckold é só uma delas, há outras práticas nojentas que prefiro nem citar aqui.

Fury, incesto, zoo, escatologia, enforcamento, BTSM e lista é grande. Tudo coisa de doente degenerado.
Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#17
(03-11-2022, 04:33 PM)Sasquatch Escreveu:
(03-11-2022, 11:07 AM)Darien Gordon Escreveu: E o tal cuckold é só uma delas, há outras práticas nojentas que prefiro nem citar aqui.

Fury, incesto, zoo, escatologia, enforcamento, BTSM e lista é grande. Tudo coisa de doente degenerado.

Pior que essa raça está se multiplicando e achando normal
"A critica não tem sobre a psicologia das massas o poder sugestivo que tem as crenças afirmativas, mesmo falsas." - Olavo de Carvalho

"Quanto menos inteligente um homem é, menos misteriosa lhe parece a existência." - Arthur Schopenhauer
Responda-o
#18
Assunto assim da até um embrulho no estomago, mas a real é que hj, mais do que nunca, precisamos procurar a Deus e blindar nossa alma, pq o inimigo ta mais a espreita do que nunca, para nos escravizar com toda sorte de imundice pro resto da vida
Oitavo anjo do apocalipse
Responda-o
#19
(03-11-2022, 06:51 PM)War Escreveu: Assunto assim da até um embrulho no estomago, mas a real é que hj, mais do que nunca, precisamos procurar a Deus e blindar nossa alma, pq o inimigo ta mais a espreita do que nunca, para nos escravizar com toda sorte de imundice pro resto da vida

De acordo, confrade.
Quando nego chega no estágio de "normalizar" isso e "aceitar" é porquê já está totalmente destruído por dentro e logo mais, estará destruído por fora.
Somente Deus mesmo pra dar um jeito na vida de nego assim.

Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;

Responda-o
#20
Spoiler Revelar
(02-11-2022, 01:06 PM)MacGyver Escreveu: Confrades, 

Fantasiar ser corno e, pior ainda, colocar em prática parece obviamente algo extremamente deletério e destrutivo.

Mas surpreendentemente é a fantasia n. 1 dos brasileiros, perdendo pra tantas outras mais tradicionais e amplamente comentadas nas rodas de amigos: transar com duas mulheres, pegar aquela vizinha ou prima gostosa, etc.

Só que, diferentemente das outras fantasias, essa permanece, via de regra, no anonimato. Quem denuncia a preferência são as barras de pesquisas dos sites pornograficos.

Qualquer quebra de tabu passa por fases: rejeição, curiosidade, aceitação constrangida e, por fim, ampla aceitação.

Todavia, o que me motivou a pesquisar essa questão à fundo, foi a frequência com a qual comecei a me deparar com o assunto na vida real. A fantasia está popularizada e em processo de admissão pública da preferência.

No meu trabalho, soube recentemente que um cara vai com a mulher pro motel, com outro amiguinho. O prazer dele é assistir o alfa fazer as honras da esposa e depois vai embora e deixa ela lá com o cara, e adora ver ela chegando horas depois de manhã toda usada, quando ela conta como foi passar o resto da noite dando pro coleguinha.

Essa porra está sendo comentada de boa pelo cidadão e as pessoas, embora façam uma brincadeira ou outra, não estão chocadas, como, em tese, deveriam. Isso passa por uma série de questões correlatas, como liberdade sexual, feminismo, busca individual pela felicidade, etc. Tudo bem.

As questões que levanto, são: é somente uma fantasia, que de comum acordo, não causará danos? É algo que, mesmo tomando cuidados e de modo consensual, não faz mal psicologicamente, emocionalmente, fisicamente, e socialmente? Se, de fato, é tão excitante, porque o é? Será que tudo que excita deve ser buscado, ou há limites pra nossa própria proteção? 

Minha busca por respostas não foi no âmbito espiritual ou social, mas emocional e psicológico, principalmente.

Adquiri um livro chamado Insatiable Wives, de um psicólogo americano que, em suma, mais parece uma coletânea de histórias pornôs, e que fundamenta suas conclusões na inexistência de malefícios e na naturalidade da prática.

E nessa toada estão inúmeros artigos e matérias, incentivando algo pra mim extremamente nocivo, mas, apesar disso ser óbvio, só consegui bases científicas em dois artigos: um no youtube que sequer reencontrei, rs. E outro que vou indicar pra todos. Muito embora em inglês, pode ser traduzido automaticamente e na minha opinião é a primeira grande voz que oferece uma alternativa e até "cura" pra quem quer se livrar desse fetiche, e base de contra-argumentação aos adeptos da prática, pra pessoas como eu que entendem que se trata de algo pernicioso.

A compreensão é a chave de tudo. 

Em suma, o up de excitação se dá pela produção de endorfina e dopamina pra que seu cérebro corno suporte, sem entrar em colapso, a maior humilhação que um homem pode passar, por isso erotiza a traição, tornando-a "prazeirosa". Uma base de adaptação similar ao masoquismo e outras situações humilhantes.

Mas a essência do ato, provocador da inferiorização, sentimento de inutilidade, medo da perda, ciúmes, faz com que esses e outros e setimentos destrutivos continuem sendo produzidos, daí porque se explica o tal misto de emoções. E pra dissipá-los, mais erotização com mais carga de dopamina e endorfina, até que aquilo, por fim, será quimicamente absorvido, e psicologicamente aceito e justificado. 

Porém, obviamente, passado o prazer momentâneo, ainda que normalizada a prática, sobram os danos de toda ordem em virtude dessa adaptação e um relacionamento disfuncional que não encontra mais prazer e êxtase na intimidade unicamente do casal, que paradoxalmente começa a se distanciar um do outro. 

O argumento de maior conexão inicial entre o casal se deve unicamente ao fato de ambos compartilharem algo íntimo. É a mesma conexão que se estabelece ao se compartilhar um segredo com alguém, e não há mistério ou magia alguma nisso. E é claro que tais resultados podem ser igualmente obtidos se o casal, de fato, compartilhar intimidades, inclusive fantasias, mas com a consciência de que tais pensamentos, embora aproximadores do casal pela confiança do compartilhamento, quando levados à realidade podem ser deletérios e muitas vezes o são.

Com muito custo encontrei relatos, subnotificados por razões óbvias, em que o rastro de destruição na vida da pessoa foi exposta. E o pior é que tais relatos ainda vem culpando o praticante por não ter tido maturidade pra lidar com algo tão "evoluído" e glamourizado. Foi preconceituoso; fraco.

O cuckoldismo está sendo assustadoramente glorificado.

Que seja aqui, neste fórum, um local onde aqueles que procuram o entendimento, a crítica, a contrariedade, possam se refugiar e fortalecer seus pontos de vista contrários à prática, buscando conhecimento e relatos que deram errado pra fortalecimento das suas convicções.

Não somos obrigados a aceitar a propoganda massiva de qualquer tipo de merda.

Segue o site

howtostopbeingacuckold.com
Connor McGonigal

Resultado direto da pornografia.

O cara assiste tanto pornô que já prefere assistir sua mulher ser comida que comer.
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 4 Visitante(s)