Enquete: Qual caminho seguir?
Esta enquete está fechada.
Caminho A
60.00%
3 60.00%
Caminho B
20.00%
1 20.00%
Caminho C
20.00%
1 20.00%
Total 5 voto(s) 100%
* Você votou neste item. [Exibir Resultados]

Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Preciso de conselhos
#41
Desista de academia. Vai cultivar musculos morando com a mamae?

VSF. Prioridades.

Engraxa sapatos. Vende picolé. Faça qualquer coisa. Guarde 10% para o dízimo.

E durma 2 horas por dia.

E delete redes sociais e pare de participar no fórum.

Cara para de romantizar concurso público... coloca dinheiro dentro de casa e saia o mais rapido possivel da casa da sua mae. pqp

Eu dormia com um colchao no chao, tv de 14 polegadas, um fogareiro eletrico, e comia ovos para economizar na marmita, foi uma fase feliz, mas tinha a hombridade de não morar com nenhum familiar. ISso danifica o homem.
Não existe um gene para o espírito humano.
 Gattaca, A experiência genética
Responda-o
#42
(15-07-2022, 09:05 AM)consigliere Escreveu: e saia o mais rapido possivel ...

Não quis comentar antes, mas concordo plenamente.


(15-07-2022, 09:05 AM)consigliere Escreveu: Eu dormia com um colchao no chao, tv de 14 polegadas, um fogareiro eletrico, e comia ovos para economizar na marmita, foi uma fase feliz...

Meu início foi mais ou menos assim também. Um colchão, um armário todo fodido que estraguei na mudança e que já era velho, um chuveiro sem energia (quando me mudei foi bem no inverno - que aqui chega a temperaturas negativas - tive que ser alpha de tomar banho gelado na marra. E não, não virei um espartano, antes que perguntem), uma geladeira e um fogareiro elétrico. Nem tv eu tinha, e roubava o wifi do vizinho. Gargalhada

Que época boa ... e até levei umas piranhas pra lá que adoraram a experiência do sexo meio que selvagem pela falta de luxo Gargalhada Gargalhada

E os caras ficam aí achando problematização e questões para tudo que PENSAM em fazer. Simplesmente faça, é isso. Garanto que de fome você não vai morrer.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#43
(15-07-2022, 01:40 PM)Héracles Escreveu: Não quis comentar antes, mas concordo plenamente.

Por quê?

(15-07-2022, 01:40 PM)Héracles Escreveu: Meu início foi mais ou menos assim também. Um colchão, um armário todo fodido que estraguei na mudança e que já era velho, um chuveiro sem energia (quando me mudei foi bem no inverno - que aqui chega a temperaturas negativas - tive que ser alpha de tomar banho gelado na marra. E não, não virei um espartano, antes que perguntem), uma geladeira e um fogareiro elétrico. Nem tv eu tinha, e roubava o wifi do vizinho.  Gargalhada

Como foi sua saída de casa? Ganhava quanto na época? E por que saiu?

(15-07-2022, 09:05 AM)consigliere Escreveu: Desista de academia. Vai cultivar musculos morando com a mamae?

VSF. Prioridades.

A academia é o de menos, o que me incomoda é a comida, o mercado, 80 reais de academia é pinga perto disso, e estou planejando fazer uma academia caseira, de qualquer maneira. Você tem um ponto.

(12-07-2022, 10:05 AM)hjr_10 Escreveu: Os camaradas já deram bons conselhos, só quero destacar algo acerca do concurso que você quer: INSS.

O edital do concurso para o INSS está para sair, tendo em vista que estão na escolha da banca (salvo engano). Porém, o último concurso para o órgão foi lá em 2015, ou seja, há sete anos.
Como você ainda não começou a estudar, dificilmente você logrará êxito nesse de agora (não estou te chamando de burro, mas passar num concurso leva tempo, ainda mais desse porte) e o próximo vai ser sabe-se lá quanto tempo depois, talvez até mais 7 anos de espera.

Talvez o melhor caminho seja você começar a estudar pelas matérias mais genéricas, que caem em quase todos os concursos (Português, Informática, Constitucional, Administrativo...).  Assim você vai pegando ritmo de estudo e tendo tempo de decidir qual área desejará seguir...

Tem razão, meu plano era usar o INSS como concurso inicial, na verdade, ainda é, mas vou voltar as questões bases, visto que seguridade social realmente é mais específico para o INSS, e pelo que percebo, este será difícil de levar...
Responda-o
#44
(12-07-2022, 11:07 AM)Diamante Escreveu: Eu optaria pelo caminho do equilíbrio. Acharia alguma forma de estancar os gastos; com isso evitaria por consequência imediata sacar as reservas. E de quebra: Até aumentaria as mesmas reservas. Guardando 20% no mínimo, 10% para reserva de curto prazo e os 10% restantes, investiria. No seu caso, investiria em conhecimento (ou o que você achar melhor).

Ando refletindo sobre isso também, mesmo ajudando-a com boa parte do meu dinheiro, uma hora ele acabará e nada garante que até lá eu tenha passado em algo, logo, um emprego ajudaria a estancar o sangramento financeiro.
Um amigo meu me ligou e com ele montei um linkedin, calhou que o meu EAD casou com uma vaga que estava disponível, e irei tentar isso, se não der certo, creio que o melhor caminho é um subemprego para estancar o sangramento financeiro, meu note queimou do nada e ficará quase 1000 de concerto...

Vou tentar como porteiro ou vigia, porteiro principalmente, pois parece ser algo tranquilo, na minha visão, se não der, tento como estoquista, prefiro trabalhar erguendo peso do que lidando com gente.

Se não der certo isso também, vou tentar callcenter, se tiver, pelo menos eu aprimoro minha lábia.
Responda-o
#45
Eai Nmundo, qq tu decidiu fazer ?
Oitavo anjo do apocalipse
Responda-o
#46
No seu lugar, eu investiria uma parte da grana em algum curso técnico (SENAI da vida) em algum ofício (pedreiro, pintor, eletricista, instalador de ar condicionado(ou aquecedores), programação (que é o meu caso)), porque é o seguinte, lek. Eu ando analisando as movimentações econômicas e já estou desesperado por um ofício, o típico trabalhador "liberal" ou autônomo, pra parar de depender de empreguinho CLT. Já faz alguns anos que o mercado de trabalho se divide entre empregos muito seletivos que desejam certas experiências, em certas carreiras e os subempregos da vida. Estes últimos, além de estarem saturados pra caralho já há alguns anos, ainda esbarram no fato que o salário não acompanha nem fodendo a inflação (alta dos alugueis, alta do combustíveis, gás, preços em geral) e empregos com salários ruins, vão virar empregos com salário péssimo. Eu mesmo ganho um salário que há uns 4 anos atrás, era considerado um salário foda, diriam que eu ganharia "bem" e hoje em dia eu tenho a mesma sensação da época que ganhava um salário mínimo.

Sobre concursos, não vou opinar porque eu particularmente não gosto, então não sei como está a realidade dos concursos hoje.

Apostaria em aprender uma profissão que tenha demanda (você ganhará conforme os serviços) e aplicaria a grana em diversas rendas extras.
Responda-o
#47
Apareceu uma oportunidade de serviço onde eu basicamente vou trabalhar como atendente para vender bebida de madrugada, na maioria dos dias serão 6 horas de serviço, e nos dias mais movimentados, 12 horas.
Sinceramente, eu preferiria mais algo relacionado a vigia ou porteiro que dá para ficar sentado fazendo minhas coisas enquanto não tem ninguém.

Mas estou pensando em aceitar apenas para desenferrujar minha lida social, enquanto procuro um emprego melhor, mais estável e mais tranquilo.

É isso.

Ah... editando aqui, pois esqueci desse fato, eu não faço a menor ideia de quanto esse tipo de serviço paga, mas pelo que vi nos horários, nos dias tranquilos são 8 horas, e nos agitados chega a ser mais de 12 horas, então eu penso que nesse tipo de emprego, menos de 1500 não vale a pena, o o ideal mesmo seria mais de 2 mil, vamos ver amanhã qual será o salário.

Mas se for muito baixo, creio que compense mais seguir buscando algum tipo de emprego mais tranquilo.
Responda-o
#48
(15-07-2022, 08:30 PM)Novo Mundo Escreveu: Por quê?

Ultimamente ando evitando comentários que POSSAM parecer depreciativos... principalmente para quem parece perdido.


(15-07-2022, 08:30 PM)Novo Mundo Escreveu: Como foi sua saída de casa? Ganhava quanto na época? E por que saiu?


Foi assim como eu disse. Um dia resolvi sair e fui. Quanto eu ganhava eu não lembro, mas era menos que hoje em dia.

Sai por independência, basicamente. Precisava de um espaço que fosse só meu.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#49
(18-07-2022, 07:55 AM)Héracles Escreveu: Foi assim como eu disse. Um dia resolvi sair e fui. Quanto eu ganhava eu não lembro, mas era menos que hoje em dia.

Sai por independência, basicamente. Precisava de um espaço que fosse só meu.

Entendo, ando sentindo essa necessidade de independência também.
Mas esse emprego que surgiu, francamente, não era o que eu queria, sei que quando se trata de trabalho não dá muito para escolher, mas como eu ainda não estou em uma posição de total desespero tentarei algo melhor, ou talvez tente esse e saia quando consegui algo melhor, decidirei isso, basicamente, hoje.
Responda-o
#50
Primeiro tu toma a decisão, depois ajusta os detalhes, nada é perfeito, sair de casa também não é, eu recomendo pra td mundo, por que 1 ano morando sozinho vai te ensinar mais sobre a vida e a si mesmo do que qualquer babaquice teórica
Oitavo anjo do apocalipse
Responda-o
#51
(18-07-2022, 09:22 AM)War Escreveu: Primeiro tu toma a decisão, depois ajusta os detalhes, nada é perfeito, sair de casa também não é, eu recomendo pra td mundo, por que 1 ano morando sozinho vai te ensinar mais sobre a vida e a si mesmo do que qualquer babaquice teórica

Tens razão.
Responda-o
#52
Vou fazer uma entrevista para ser ajudante ou atendente de fazedores de sushi, eu queria mesmo era ficar na cozinha para aprender como fazer sushi, mas acho que vou terminar como atendente, de qualquer forma, acho que vai ser bom para desenferrujar o meu lado social e ganhar uma grana.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)