Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Clichê feminino de que "está faltando homem" - Parte 1
#1
Clichê feminino de que "está faltando homem" - Parte 1
(Por The Truth)

[Image: 5IFM5HQ.png?1]

Todas as mulheres já disseram isso em algum momento da vida delas. Todas que eu digo são mulheres solteiras com mais de 20 anos. Elas simplesmente não conseguem assumir qualquer responsabilidade pela solidão delas ou o que seria o fracasso delas. Esse discurso vai se tornando cada vez mais comum na medida em que as mulheres vão envelhecendo. Enquanto elas são novas é fácil arranjar namoros-passatempo, ou seja, bricar de ser feliz com um trofeuzinho qualquer. Apesar do estágio que elas fazem com homens razoáveis, elas só aceitam entrar num casamento com homens que elas intitulam os trofeuzões.

E é aí que começam os problemas. As mulheres que pensam assim, se acham superiores aos homens em geral. Ou seja, nenhum é compatível com elas, segundo o pensamento delas mesmas ou quase todos são considerados inferiores.


A mulher mente quando diz que a demanda de mulheres por relacionamento é maior do que a de homens
Essa mentira denuncia uma total falta de responsabilidade da mulher perante as suas escolhas. Em outras palavras, ela escolhe estar sozinha, porque simplesmente não aceita ficar com um homem mais limitado do que acha que merece.

Existem muito mais homens "à procura" do que mulheres "à procura". Isso é fato pelas seguintes razões: A mulher não precisa realizar nenhum esforço na vida pra se tornar atraente. Já a maioria dos homens não são atraentes em si mesmos. Portanto, a mulher tem muito mais chances de achar um namorado cedo e isso faz com que sobrem homens no "mercado".

Acontece que o valor de um homem é condicionado pela posição que ele ocupa na sociedade. Assim, um homem bonito, torna-se interessante na medida em que outras mulheres o disputam. Da mesma forma, um homem bem sucedido, com bom emprego, na medida em que se torna visado por alguma mulher, logo se torna interessante para outras. O ibope de um homem na sociedade é um medidor de valor do mesmo. Isso também pode ser chamado de "valor exibicionista".

A mulher atualmente é altamente preocupada com a vida social e ela coloca isso acima de tudo. Por isso, a mulher quer um homem capaz de torná-la mais importante do que uma rival, ou até mesmo uma amiga. A mulher não suporta que outrasmulheres tenham homens que ela julga ter mais valor. A vida social da mulher ganha um imenso valor na medida em que ela tem um homem poderoso do lado dela. Ter esse homem poderoso, significa não ter um homem comum, simples, com pouca visibilidade social, mas sim ter um homem muito visível, muito conhecido e por isso, visado por outras mulheres. O valor simbólico do homem na sociedade é algo que condiciona fortemente as expectativas femininas antes de um relacionamento e esse valor é também um valor reconhecido por um público, que nesse caso é o público feminino.

Portanto, não há maior demanda de relacionamentos por parte das mulheres, o que existe é maior competição localizada. As mulheres disputam poucos homens que possuem muito poder e posição de destaque na sociedade e isso cria uma ilusão de que a demanda feminina é maior, quando na verdade isso prova que as mulheres estão exigentes demais e reduzem as possibilidades àquilo que elas acham compatíveis com o valor delas e com as expectativas sociais delas.

A mulher espera um retorno positivo da sociedade quando entra num relacionamento e ela fantasia esse retorno ao lado de um número muito reduzido e limitado de homens. Isto explica o porquê da queixa delas tão frequente (e em certo sentido hipócrita) de que não há homem disponível!


Elas se acham mais lindas, gostosas e inteligentes do que realmente são
Esse problema é muito comum nas mulheres promíscuas e nas mulheres não promíscuas também, mas numa intensidade um pouco menor. Algumas ilusões femininas são casos psiquiátricos, são casos próximos de uma esquizofrenia. Esse tipo de erro será cada vez mais comum por causa dos valores feministas e principalmente aqueles que dizem que a igualdade é também a imitação do comportamento dos homens promíscuos, cafajestes.

Existe atualmente uma supervalorização da mulher e uma ultra banalização do homem. Assim, qualquer esforço feminino ao longo da vida é bastante valorizado. Já qualquer esforço masculino é banalizado. E a mulher que pensa assim, de acordo com essa lógica dual de valorização da mulher e banalização do homem, não tem noção da ilusão que está seguindo e pensa realmente que tem tanto valor quanto fantasia. A desproporção entre o valor real das mulheres e o valor fantasiado por elas é tão grande, que quando elas vão descobrir isso já é tarde demais. Assim, é comum que as mulheres que foram muito arrogantes na juventude se tornem muito amargas com o passar dos anos, porque não aceitam de modo algum perderem a posição de destaque que acreditavam ter.

A mulher vive com base num poder fantasiado. De fato, ela tem poder e é um poder muito grande. Esse poder está no próprio corpo dela. Mas elas realmente usam mal esse poder, de modo irresponsável e fazem péssimas escolhas. Mas essas escolhas não parecem tão ruins para elas à primeira vista, desde que elas (as escolhas) não sejam para um relacionamento do tipo casamento. Por outro lado, a fantasia do homem ideal as condicionam a adiarem projetos sérios de vida ao lado de um homem e depois de anos de namoros fracassados, elas irão perceber que não possuem poder suficiente pra tantas exigências e que estavam totalmente iludidas sobre o real valor delas. 

A mulher que se acha linda e gostosa na juventude, tem um complexo gigantesco de valor e acha que o homem precisa oferecer muito mais do que um homem comum pra ter qualquer chance com ela. Ela exige coisas muito distantes do homem comum, como uma vida de prestígio, sucesso, bens, coisas que aparentemente estão distantes do homem comum. Por outro lado, o homem que se enquadra no perfil dela é geralmente o tipo disputado por outras mulheres e que na verdade acha essa mulher exigente bastante limitada. Em outras palavras, a mulher que se acha muito bonita e gostosa, pensa que merece mais do que realmente merece e ela precisará errar muito e quebrar muito a cara até entender isso e quando finalmente entender será tarde demais.

As mulheres que possuem escolaridade, além de possuirem beleza e "gostosura" se acham ainda mais no direito de exigirem coisas absurdas dos homens. Essas são ainda mais iludidas do que as mulheres somente gostosas e passarão pelo mesmo processo de frustrações até "cairem" na real que estão exigindo muito mais do que merecem.

Mulheres que são muito complexadas e possuem uma visão irreal da vida e dos relacionamentos dificilmente aceitarão que erraram e por inúmeros mecanismos de defesa tentarão justificar o delírio delas, pra manter viva a ilusão de que vão achar o homem ideal. Esse homem ideal é uma ilusão que não é acessível a nenhuma mulher. Porque os ideais femininos não possuem embasamento na realidade, mas na percepção distorcida da dinâmica social.

A mulher promíscua, que se acha linda, gostosa e inteligente demais é a mais iludida de todas, porque pensa que basta continuar gostosa pra conseguir o que quer e que ter tido muitos relacionamentos não irá dar em nada. Essa é aquela que sabe o feminismo popular na ponta da língua e que defende a liberdade feminina a qualquer custo! Mas é claro que a liberdade feminina para a promíscua complexada é libertinagem e não liberdade responsável e planejada. Ela acha que por ser gostosa, pode sair transando com "todo mundo" de todas as formas, de todos os jeitos que isso não afetará em nada a imagem dela, nem a maneira como os homens a vêem e a julgam.

Se um homem crítica a promíscua, ela se sente ofendida no fundo da alma e chama esse homem de machista, de ignorante, retrógrado. Ela não entende que ser apenas gostosa não é suficiente para um prender um homem após anos de erros repetidos e socialmente conhecidos. No fundo, a mulher promíscua sonha com um homem feminista, que vai aceitar o passado dela sem questionar tudo o que ela fez e fingir que esqueceu e a perdoou como se tudo começasse do zero. Ela sem dúvida supervaloriza o corpo, a beleza dela muito mais do que as outras mulheres e acha que ter lido alguns livros a torna esclarecida e interessante e merecedora de mais amor. Porque a mulher que lê, aparentemente culta, teria assim um supervalor, não seria vulgar, seria uma mulher esclarecida, madura, que merece um homem superior. Mas tudo isso não passa de embromação, não é? Será realmente esse o principal argumento dela? Ou será só mais um argumento que se junta à gostosura, como fator de exigência?

Mulheres promíscuas, com delírio de grandeza, são as mais complexadas e as mais difíceis de curar. Elas são o tipo de mulheres que se tornarão feministas radicais e MADAs. Se tornarão MADAs porque querem a aceitação do homem poderoso que vêem como a salvação da solidão delas e se tornam feministas porque são incapazes de assumirem a responsabilidade pela própria promiscuidade, acusando todos oshomens de machismo, a partir da rejeição tardia sofrida pelos homens que não aceitaram o passado delas.

O problema é que os homens que as rejeitam são os mesmos que foram humilhados por elas nos tempos de glória. Será que elas não entenderam que a vida delas foi muito mais rica que a desses homens que as rejeitam agora e que essa rejeição tardia não é nada mais do que uma compensação para o uso irresponsável do corpo feito por elas?

Se os homens não podem interferir na liberdade feminina, as mulheres não podem obrigá-los a aceitá-las após elas viverem um vida fechada no próprio prazer e com nenhuma solidariedade.


Elas Tentam Justificar a solidão com a mentira de que são exigidas demais pelos homens
Uma das características das mulheres modernas é inventarem falsas desculpas para o fracasso.

A principal característica da mulher no século XXI é negar a responsabilidade pelos erros que ela comete!

A mulher nunca, lembre-se disso, nunca irá atribuir o próprio fracasso a ela mesma. Ela sempre arrumará um modo de negar essa responsabilidade!

E qual é a forma mais fácil de negar essa responsabilidade? É através de um álibi. As mulheres descobriram que o homem é o álibi perfeito para o fracasso delas. Qualquer coisa que dê errado na vida da mulher hoje em dia é culpa do homem.

Uma das desculpas mais mentirosas que elas usam atualmente, desculpa que é usada até pelas feministas, é aquela que diz que as mulheres são cobradas demais em relação à aparência delas!

Essa é uma das desculpa mais toscas já inventadas desde que existe vida na terra. De fato, o que ocorre é justamente o contrário e esse próprio tópico é a prova disso. As mulheres erram porque exigem coisas demais do homens e não porque são exigidas. Em outras palavras, não são os homens que exigem demais delas, é o contrário, são elas que exigem demais dos homens!

O truque das mulheres é na verdade um delírio. Elas no fundo se sentem exigidas por homens que elas consideram o ápice do poder na sociedade, ou seja, os homens que elas se sentem exigidas são os muito ricos, muito bonitos, homens famosos, com fama e status, homens que estão no topo da pirâmide social. Então, esses homens são os homens que elas utilizam como referência quando dizem que os homens exigem muito delas.

Quando as mulheres falam de homens, entendam sempre os homens mais poderosos da sociedade. Os homens comuns são invisíveis, são insignificantes, são eunucos para a maioria das mulheres. Isso pode parecer uma imagem exagerada. Mas se você perguntar pra qualquer mulher acerca de um homem comum, ela vai dizer que ele não serve. Ela dirá que ficar com ele seria o mesmo que se rebaixar a uma condição inferior, algo incompatível com o orgulho das mulheres de hoje.

Faça o teste você mesmo! Pergunte a uma mulher conhecida que se queixa dos homens acerca de um pretendente comum e simples que é conhecido de vocês dois! Ela provavelmente dirá que ele não é uma opção válida!

Elas dizem que os homens cobram que elas estejam sempre bonitas, perfumadas, gostosas, prontas para o sexo. Os homens em geral nem poder pra exigirem qualquer coisa das mulheres possuem. Então elas não se matam na academia pra agradarem um homem comum, com beleza mediana, que tem rendimentos razoáveis e um emprego comum. Pra elas esse homem não é e nunca será referência. Elas sabem que esse tipo de homem nunca exigirá nada delas e é por isso que as desculpas delas seriam todas absurdas se levassem em consideração a realidade e o poder da maioria dos homens num país como o Brasil.

As mulheres acham que os efeitos da idade serão anulados por academia, cosméticos, virtudes tardias. Elas esperam que os homens as aceitem somente porque elas cuidam do corpo e se tornam mais gostosas, mais atraentes, mais preocupadas com a aparência. A verdade é que as mulheres são bastante aceitas na juventude sim. Principalmente no período que vai dos 15 até os 30 anos. Mas após os 30 anos, as mulheres perdem o poder de barganha que possuíam no passado e perdem porque gastaram demais o poder que tinham de forma vulgar e inconsequente. É claro que muitas mantém esse poder de barganha ao ponto de se sentirem confortáveis com a solidão nesse período da vida. Mas até quando será possível prolongar essa juventude gloriosa e muitas vezes irresponsável?

A mulher promíscua é ainda mais iludida em relação às supostas exigências masculinas. É claro que a mulher gostosa consegue sexo no momento em que ela quiser, mas isso tem o preço da banalização do corpo dela. Só que a promíscua acha que ser apenas gostosa é suficiente para agradar um homem depois dela ter vivido uma vida excessivamente promíscua.

A prova disso é que a promíscua se mata de malhar na academia achando que o passado dela de promiscuidade será totalmente perdoado se ela ficar ainda mais gostosa do que é. Só que malhar a bunda e as coxas na academia não apaga o passado de ninguém, nem as bobagens e as besteiras que uma mulher faz na vida dela. Com isso, ao descobrir que ser gostosa não é suficiente pra prender um homem após o período de glória, a mulher promíscua se torna revoltada com os homens e se sente injustiçada, passa a ver os homens todos como canalhas, safados e se esquece que ela lucrou muito com a "canalhice". Essa crise de responsabilidade é comum nas mulheres promíscuas que não aceitam perder, não aceitam os efeitos dos atos delas e vêem isso tudo como uma injustiça total.

Esse sentimento de ser injustiçada, comum nas mulheres com mais de 30 anos sozinhas é também o sintoma de uma luta interna. A mulher que foi promíscua se recusa a aceitar que abusou da sorte e das chances de acertar que a vida ofereceu a ela e que jogou todas foras, por puro orgulho e vaidade. Ela muda, é claro que muda. Mas a mudança dela é forçada, é uma mudança que se torna possível na medida em que uma reflexão sobre o passado se torna urgente. É claro que essa mudança parece falsa para muitos homens. Por isso, simular virtudes, ou mudar tardiamente pode ser inútil, não é algo garantido. O uso abusivo e vulgar do corpo tem um preço muito alto, maior para algumas mulheres e menor para outras, mas tem um preço para todas. 

As mulheres deliram uma exigência que nunca existiu e que na verdade a maior exigência não tem relação alguma com beleza e gostosura, mas com o uso responsável do corpo. As mulheres querem brincar com a promiscuidade e depois querem negar qualquer consequência disso. E como não aceitam isso, surtam e levam ou uma vida de amargura, ou tentam mudar de forma desesperada, o que é muitas vezes inútil.

Uma coisa tem que ficar clara, as mulheres que negam as consequências da promiscuidade, pagarão por ela mais cedo ou mais tarde. Não há feminismos que impeça a promiscuidade feminina de ter consequências. Durante a juventude as mulheres são muito pouco exigidas pelos homens comuns, simplesmente porque elas escolhem. Na juventude, os homens comuns não possuem poder algum, mas as mulheres sim. Contudo, o uso desse poder será cobrado mais tarde, principalmente no momento em que a mulher perder o poder de barganha do corpo, poder que ela usou sem qualquer responsabilidade. As mulheres se sentem exigidas principalmente tardiamente, depois de uma vida de lucros e facilidades. Associar essas exigências com a juventude, não possui muito sentido. Não adianta elas se revoltarem com os homens, porque até mesmos os homens que se dizem feministas, dificilmente aceitam as condições impostas pelas mulheres e preferem os relacionamentos abertos, os relacionamentos casuais e namoros breves.

Os homens feministas, que elas sonham em casar, no período mais tardio da vida delas, são também hipócritas que fingem que as aceitam e negam compromisso com a mentira que não querem se casar porque não acreditam no casamento e são moderninhos. Os cafajestes são os homens que mais se fingem de feministas e eles fazem isso justamente pra levar essas mulheres complexadas para a cama.

As mulheres promíscuas amam homens que fingem aceitação, que fingem feminismo, apenas pra usá-las para sexo temporário. Contudo, os espertinhos que se fingem de feministas são justamente os poderosos que elas sonham em casar. No fundo, pouquíssimos homens aceitam mulheres promíscuas, após certa idade e após elas perderem o poder de barganha que tinham com o corpo jovem. As mulheres que procuram homens que se fingem de feministas, são tão hipócritas quanto eles e no fundo estão apenas adiando as glórias da juventude para uma época, na qual nem os feministas as aceitarão mais, até mesmo pra sexo casual e relacionamento aberto. A única melhor coisa que uma mulher nova pode fazer é ser responsável e pensar direitinho nas consequências de tudo o que ela faz. Também é importante abandonar os complexos de superioridade e deixar de ser egoísta e centrada em si mesma. A promiscuidade tem riscos, se a mulher quer ser promíscua, então que assuma os riscos disso e depois não banque a vítima, nem a virtuosa arrependida tardiamente.

A mulher nova possui um mar de possibilidades. Quanto mais responsável, mais realista, mais solidária e menos complexada ela for, maior a chance de se relacionar com um homem mais próximo da condição real dela e com mais chances de valorizá-la.

Agora a mulher que banaliza o corpo, escolhe de modo irresponsável, se acha melhor e superior à maioria dos homens, dificilmente vai escolher bem e mesmo que consiga prender um homem, vai viver uma vida de parasitismo, devido aos complexos de valores centrados somente nos projetos dela.

O que é aparentemente lucrativo no presente terá consequências no futuro. Mas deixar pra pensar isso após a juventude é pagar pra ver. As mulheres que dizem que não há homem disponível no fundo podem estar pagando pra ver e o resultado disso poderá ser desastroso.

Continua...


Este texto faz parte do projeto: Segunda das Relíquias Perdidas.
Responda-o
#2
Alto nível, mas acho importante tambem citar que existem homens que não são merda alguma e querem exigir mulherão !!! por isso a auto-observação é imprescindível !
Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma. Eclesiastes 9:10
Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
  Clichê feminino de que "está faltando homem" - Parte 3 Guardião 0 52 13-12-2021, 12:40 AM
Última Postagem: Guardião
  Clichê feminino de que "está faltando homem" - Parte 2 Guardião 0 47 13-12-2021, 12:27 AM
Última Postagem: Guardião

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)