Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[Relato] Sempre o cafajeste
#1
[Relato] Sempre o cafajeste
(Por Tyler)

[Image: hVKkCFX.jpg?1]


Essa história é de uma conhecida minha.

Ela entrou na faculdade de direito e conheceu um cara da sala dela. Ele começou a meter xaveco nela e logo ela cedeu, ficou com o cara. Ficaram por 2 meses, ela toda feliz, mal sabia que o cara era um legítimo cafajeste. O tempo passa e o cara esfria, dá o toco nela e para de ficar, e a menina é gata.

E ela toda esperançosa, correndo atrás, coração pulando e o cara nem aí. Ela continua apaixonada. Totalmente apaixonada.

Nisso ela tem uma melhor amiga, da mesma sala também. A amiga consegue ser mais gostosa que ela. O cara começa a explicitamente correr atrás dessa amiga. Ela percebe e se aborrece mas não para de gostar do cara. A amiga jura aos quatro ventos que jamais vai ficar com ele, dizendo que ele não presta.

Essa amiga em questão namorou por 4 anos e chutou o namoro do nada, desde então vem tendo o ego inflado por uma horda de machos, não ficando com nenhum, rejeita todos. 

Rolaram os jogos jurídicos, todos os 3 foram. Lá ela andando pela boate tromba com os 2 ficando escondidos. A amiga não fala nada...
Na manhã seguinte a amiga diz que estava com peso na consciência pras outras meninas, queria ganhar simpatia. Mas logo à noite ficou com o cara novamente na frente de todos.

Sem dúvida fez isso pelas emoções baratas, tipicamente femininas. Mentiu e quis se sentir superior a amiga. Mais bonita. Acabou fazendo sexo com o cafajeste e tentou domá-lo. Acabado os jogos todos retornam à cidade. A "melhor amiga" vadia vem pedindo desculpas...

Esse é o meio feminino, uma puxa o tapete da outra, é uma eterna competição pelos machos mais destacados e cafajestes.

Apareceu um macho, ferrou. Sorte do cara que acabou comendo as 2 gostosas. Esse é o meio feminino, muitas vezes falso e dissimulado como um ninho de cobras!


Esse tópico faz parte do projeto Segunda das Relíquias perdidas.
Responda-o
#2
Excelente relato de campo que mostra que para algumas mulheres o que vale é tentar domar o indomável, e a competição feminina é o que reina. Cheap thrills, as famosas emoções baratas e nada mais.

O homem matrixiano médio não é nem prêmio de consolação, e sim o troféu abacaxi.

Aí está o golpe de misericórdia nos matrixianos com suas paixonites inúteis.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#3
Terminou o namoro de 4 anos pra vadiar na faculdade mas podia ser pior se ela continuasse o namoro e ficasse traindo nas escondidas. Essa competição de amigas é coisa antiga o que mais tem por aí é história de uma furada de olho.
Responda-o
#4
Dava vontade de morrer quando eu via casos parecidos na faculdade.
Que ecossistema mais filho da puta.
Ou não... pois é a vida sem a pasteurização das nossas idealizações, um darwinismo a céu aberto.
Quanto mais eu via isso, mais eu me isolava, mais bitolado ficava nos estudos.
Quanto tempo perdido olhando para aquelas coisas, mas o consolo é que adquiri conhecimento técnico.
Se houver outra encarnação serei ao menos um porra louca inescrupuloso.
Responda-o
#5
(12-07-2021, 12:27 AM)Guardião Escreveu:
Ela entrou na faculdade de direito e conheceu um cara da sala dela. Ele começou a meter xaveco nela e logo ela cedeu, ficou com o cara. Ficaram por 2 meses, ela toda feliz, mal sabia que o cara era um legítimo cafajeste. O tempo passa e o cara esfria, dá o toco nela e para de ficar, e a menina é gata.

E ela toda esperançosa, correndo atrás, coração pulando e o cara nem aí. Ela continua apaixonada. Totalmente apaixonada.

Ela não sabia não, confia.

[Image: 78d68a5864e2b229374dfc2df66ab31b.jpg]
Jet Sky < link

Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#6
Depois de mais de 10 anos de real.
Hoje esses relatos parecem tão ''novos'' como uma receita de arroz escorrido, ou a lista de campeões brasileiros na era de pontos corridos.
Sem novidades no front.

Claro, são histórias sempre válidas e registram uma época da real onde muitos soldados foram salvos na guerra das paixões como descreveu bem Nahassen.

Enfim... Tem 2 filmes (bem old, porém ''gold'') que demonstram esse tipo de ''causo''.
- The last american virgin.
- The inventing abbots.

Bons estudos.

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)