Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Desigualdade no Brasil é a Maior do Mundo.
#1
Desigualdade no Brasil é a Maior do Mundo.
(Por Mó Humirde)

[Image: Vunr2IM.jpg?1]

Não sei se o Brasil é o país mais desigual do mundo. Isso é bordão de esquerdista e eu não acredito em nada que esses filhos da puta falam. Mas de uma coisa eu tenho certeza: como esse é povinho é vitimista, puta que pariu. Nunca admitem que são responsáveis pelos próprios fracassos, mas sempre terceiros, os ricos, os Estados Unidos, o bullying, a pobreza. Qualquer um, mesmo um mendigo, tem a liberdade de tentar ser rico. Qualquer um pode sair da inércia e fazer um plano pra ficar rico. Se vai conseguir, é outra história. Mas num país de vagabundos e chopeiros como o Brasil, com um esforço mínimo é possível se destacar.

Então, tudo é uma questão de esforço e disciplina. Seu fracasso não é culpa dos outros, mas da sua própria preguiça. Um imbecil que fica atrás do computador com raiva dos ricos com certeza não está sendo produtivo. Enquanto você fica aí desperdiçando a merda do teu tempo vendo videozinhos no YouTube, pessoas na mesma condição social que você ou até pior estão estudando e trabalhando. Esses serão os ricos de amanhã enquanto trastes metidos a injustiçados como você continuarão afundados na merda. 

A condição social em que um homem nasce não determina a condição social em que você morre. Você vai morrer pobre porque nasceu pobre? Vai morrer pobre porque é um filho da puta desonrado que preferiu ficar no quartinho escuro com raiva do mundo em vez de enfrentar a vida e fazer algo por si mesmo.

Com exceção de políticos esquerdistas, não conheço ninguém que subiu na vida tendo raiva de ricos. Sempre viram os ricos como um referencial, não como inimigos. Raiva a paralisa, tira a sua atenção dos próprios defeitos (no que vc pode melhorar) para os outros e consome toda a energia que podia ser voltada para algo produtivo com ressentimentos e frustrações. Pessoas que sobem na vida estão muito preocupados com os próprios defeitos (e principalmente em como corrigi-los) para ter tempo de pensar na injustiça da existência de ricos. É o contrário do que um merdalhão como vc faz, que fica aí lamentando a má sorte que teve por nascer pobre como desculpa pra não fazer algo de produtivo na vida.

Aliás, é muita hipocrisia alguém com acesso à internet falar em "elite". Você faz parte da minoria da população que tem acesso a esse mundo de informações. Poderia estar pesquisando oportunidades de negócios, estudando para concursos, procurando novas informações sobre a tua profissão. Mas prefere ficar vendo merda no YouTube. É um vagabundo ocioso e está e vai continuar na merda porque é um merda.

Esse tópico faz parte do projeto Segunda das Relíquias perdidas.
Responda-o
#2
Ótimo tópico.
Além disso, ore para que a vontade de Deus seja feita! Não a sua.
Responda-o
#3
Desigualdade não é problema.

A pobreza o é.
Responda-o
#4
esse topico parece ser meio antigo

"Aliás, é muita hipocrisia alguém com acesso à internet falar em "elite". Você faz parte da minoria da população que tem acesso a esse mundo de informações."

A desigualdade social do Brasil é enorme, mas tem gente que acha que quando os "esquerdistas" falam isso, falam sobre uma classe média alta x favelados. Balela, se trata de grandes capitalistas (do agronegocio, banqueiros e industriais) que usam o estado como muleta para reduzir seus riscos. Achar que é privilegiado por ser classe média é uma ilusão sem tamanho - é uma matrix. A classe média é a classe mais volátil e mais manipulada da história.

Sobre desigualdade, é interessante (ja falei antes) estabelecer um paralelo entre a desigualdade e a segregação urbana. Com uma simples sobreposição de mapas de indicativos sociais, podemos ver como a desigualdade atua. Em São Paulo (e em outros grandes centros urbanos - nao todos, evidentemente) temos uma relação direta entre renda, expectativa de vida, educação e saneamento com a distância do indivíduo para o centro da cidade. Existem exceções como alphaville e outros lugares que são mais distante... mas a tendencia é que na periferia você não tenha emprego, saneamento, escolaridade saude para atender a demanda dos moradores. Um dos grandes impactos na segregação urbana (que pode ser vista como desigualdade social no espaço urbano), é um morador de, por exemplo, itaquera ir trabalhar na faria lima x um morador de pinheiros.

O morador de itaquera tem que acordar 5 ou 6 da manha para chegar às 9. Durante o trajeto ele sofre com superlotação do transporte publico ( com o cenario de pandemia, ele e mais propenso a se infectar e infectar seus familiares tb) e, quando chega no trabalho, chega fedendo;

O morador de pinheiros acorda 8 ou 8:30, toma um banho rapido e chega no trabalho cheiroso de carro, de bike ou a pé.

Então a gente percebe que o morador de pinheiros tem muito mais condições de ascender profissionalmente porque ele nao perde 4hrs/dia dentro de um trem... estre tempo ele descansa, le um livro, como um iorgute, escuta uma musica, come uma puta ou qualquer outra coisa que seja mais util do que ficar sendo amassado em uma "lata de sardinha".

enfim, leiam villaça para entenderem melhor e vejam o modelo de avenidas de Prestes Maia em sao paulo... o modelo do prestes maia transforma a cidade em um conjunto radiocêntrico (o centro e algumas partes prediletas da elite sao dotadas de infra estrutura e empregos, enquanto o resto é cagado). Esse modelo de afunilamento para o centro por si só explica o caos do transporte publico em São Paulo. O plano diretor da cidade e os urbanistas atuais acreditam de uma forma de resolver este problema é desenvolvendo e incentivando fiscalmente essas zonas mais distantes do centro para que la haja maiores empregos. Existem bairros em SP que mais de 90% da população trabalha fora dele... isso nao é problema a priori, mas o problema reside dessa população ir toda para uma mesma direção.
Responda-o
#5
Existe desigualdade sim, mas a principal é a da ideologia, é o que se tem na cabeça e guia as ações.

Não é que não existam pessoas mais privilegiadas, desigualdades sociais, financeiras, talvez até raciais. Acho que ninguém, nem um direitista decente jamais tenha negado isso. Mas o problema de muita gente nunca foi esse, mas sim o que o texto aponta primorosamente: A mentalidade derrotista, a mentalidade que procura jogar os problemas nas contas outros ao invés de se responsabilizar, a mentalidade da inveja, a mentalidade de achar de que merece alguma coisa.

Muita gente prefere ficar militando em rede social, lacrando pra cima dos outros, apontando "provilégios" dos outros, ao invés de estar lutando concretamente para mudar sua situação de vida. Ou então se lamentando da vida para parentes e amigos. Esse é o problema real, essa inércia. Muitas vezes a pessoa tem a saúde e o tempo disponível para se dedicar, mas o perde com coisas totalmente desnecessárias. Se o cara tem os dois braços e as duas pernas intactos, saúde de sobra e 24h no dia, o que mais ele pode querer?

É óbvio que não tem como todo mundo ser rico, é óbvio que para enriquecer em um país como o nosso o cara tenha que sonegar um pouco aqui ou alí, se envolver em mutretas, atropelar algumas cabeças no processo lhe tomando a mais valia do trabalho dos outros. Mas mesmo nesse Brasil velho, a não ser que você seja muito fodido, doente, tenha alguma necessidade especial ou coisa do tipo, com esforço e trabalho deve conseguir viver uma vida ao menos digna, apesar de não ser nada de primeiro mundo. Talvez não em São Paulo ou uma capital, mas por que não num lugar menor?

Se a pessoa estiver disposta a trabalhar, a estudar e se aprimorar, a produzir um resultado real, acredito que sempre terá algum trabalho pra ela fazer, algum lugar que ela se fará necessária. Eu mesmo trabalho durante o dia, uma merda o salário, ok, mas estudo a noite ainda mais pra poder alçar voos maiores, todo dia a rotina cansativa de 8h da manhã até as 22h, vou dormir só depois da meia noite, mas vou sempre dormir com um sorriso no rosto em saber que foi mais um dia de dever cumprido e que estou um dia mais próximo das minhas metas.

O que esse povo mimimi e vitimista, que quer ter vida de príncipe sem fazer bosta nenhuma, tem mais é que se fuder na vida e mexer a bunda da cadeira pra aprender a ser gente.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#6
Acho que o grande x da questão está no fato de que um país de esquerda não favorecerá nem o atual pobre, nem o atual rico. Isso é utópico.

Capitalismo ainda que contenha seus defeitos é o modelo sócio econômico que mais privilegia a possibilidade da pessoa de baixa renda, alcançar uma condição financeira mais vantajosa.

É o modelo que brinda àquele que se dedica a sociedade e a si. Exceto raríssimas mentes brilhantes e dotadas de beneficência extrema que fazem exclusivamente por amor.

Dinheiro é o que move o mundo. Sem uma vantagem econômica em trabalhar, qual a vantagem em trabalhar? O capitalismo leva o pão na casa de qualquer um.

Dinheiro traz conforto, segurança, estabilidade, luxo e sonhos.

Dinheiro não é necessariamente o sinônimo de felicidade, mas sua escassez certamente será sinônimo de, senão tristeza, angústia.
Responda-o
#7
(03-03-2021, 06:33 PM)Wild Escreveu: Existe desigualdade sim, mas a principal é a da ideologia, é o que se tem na cabeça e guia as ações.

Não é que não existam pessoas mais privilegiadas, desigualdades sociais, financeiras, talvez até raciais. Acho que ninguém, nem um direitista decente jamais tenha negado isso. Mas o problema de muita gente nunca foi esse, mas sim o que o texto aponta primorosamente: A mentalidade derrotista, a mentalidade que procura jogar os problemas nas contas outros ao invés de se responsabilizar, a mentalidade da inveja, a mentalidade de achar de que merece alguma coisa.

Muita gente prefere ficar militando em rede social, lacrando pra cima dos outros, apontando "provilégios" dos outros, ao invés de estar lutando concretamente para mudar sua situação de vida. Ou então se lamentando da vida para parentes e amigos. Esse é o problema real, essa inércia. Muitas vezes a pessoa tem a saúde e o tempo disponível para se dedicar, mas o perde com coisas totalmente desnecessárias. Se o cara tem os dois braços e as duas pernas intactos, saúde de sobra e 24h no dia, o que mais ele pode querer?

É óbvio que não tem como todo mundo ser rico, é óbvio que para enriquecer em um país como o nosso o cara tenha que sonegar um pouco aqui ou alí, se envolver em mutretas, atropelar algumas cabeças no processo lhe tomando a mais valia do trabalho dos outros. Mas mesmo nesse Brasil velho, a não ser que você seja muito fodido, doente, tenha alguma necessidade especial ou coisa do tipo, com esforço e trabalho deve conseguir viver uma vida ao menos digna, apesar de não ser nada de primeiro mundo. Talvez não em São Paulo ou uma capital, mas por que não num lugar menor?

Se a pessoa estiver disposta a trabalhar, a estudar e se aprimorar, a produzir um resultado real, acredito que sempre terá algum trabalho pra ela fazer, algum lugar que ela se fará necessária. Eu mesmo trabalho durante o dia, uma merda o salário, ok, mas estudo a noite ainda mais pra poder alçar voos maiores, todo dia a rotina cansativa de 8h da manhã até as 22h, vou dormir só depois da meia noite, mas vou sempre dormir com um sorriso no rosto em saber que foi mais um dia de dever cumprido e que estou um dia mais próximo das minhas metas.

O que esse povo mimimi e vitimista, que quer ter vida de príncipe sem fazer bosta nenhuma, tem mais é que se fuder na vida e mexer a bunda da cadeira pra aprender a ser gente.

Rapaz. 

Meu sogro foi trocar o forro da casa dele de 110m², só de mão de obra pagou 9.500 reais. Trabalharam em dois por 20 dias. Os outros orçamentos passavam de 15 mil. Mas os caras em dois chegavam as 07 e saiam as 19. Paravam 30min para almoçar. Trabalharam até debaixo da lona em dia de chuva. 

Talvez estejamos vivendo o que os EUA passa, como o documentário da Brasil Paralelo trouxe, no Fim das Nações. 

Muitos querem estudo pensando que ficarão rico. Mas a mão de obra. O pegar no pesado, ninguém mais quer. 

Aqui na nossa região estão entrando haitianos aos montes, pra fazer o serviço braçal que o brasileiro não se sujeita a fazer aqui, mas vai pra gringa fazer. 

A diferença daqui para os EUA é que lá parece endividar o CPF. Aqui endivida a nação
Responda-o
#8
Bem acrescentado, saltando rapidinho pro tema de educação, estudo não é sinônimo de nada nesse país onde o ódio à inteligência é a norma. Mas primeiro estudo por mim mesmo, depois para ver como posso aplicar isso na prática. Por exemplo quero melhores meus estudos em línguas estrangeiras, pra não ficar dependente desse país pra fazer qualquer coisa que seja.

A crise da educação é grave e atinge o mundo todo, o americano médio sai com mais de $30,000 em dívidas da faculdade e por isso não consegue mais ter o mesmo padrão de vida, carros e casas, que tinha no passado, pois vai passar boa parte da vida pagando essa dívida monstra. No Brasil o ensino, mesmo gratuito e superfaturado, ainda só dá um monte de pedaço de papel para analfabetos funcionais, o que esperar de gente com esse tipo de formação?

Todos esses problemas já foram delineados ao longo dos anos nas discussões por aqui. Voltando para a questão das desigualdades, o que mais me emputece na esquerdalhada é que eles bolam as mais mirabolantes teorias, mas esquecem do óbvio: Igualdade não é só impossível, como indesejável. E claro, temos a natureza humana que é totalmente variável: hora quer competir, hora colaborar, hora tacar o fodasse pro mundo todo...

Os modelos onde há mais liberdade individual tem menos igualdade por que algum esperto ou mais forte tem os meios de virar o jogo a seu favor? Sim! Mas e daí? Isso é por que no fundo o que o pessoal quer não é que todo mundo seja igual, e sim ser melhor que o seu vizinho, quer o poder para continuar competindo cada vez mais no jogo.

Quem está por baixo que é estar por cima, quer mais poder, quer mais escolhas, quer coisas melhores. No fundo o ser humano é egoista e manipulador, isso é um comportamento social com base biológica que não tem civilização do mundo que jamais conseguirá extirpar esse comportamento de um povo pequeno que seja, o que dirá da humanidade.

E a verdadeira desigualdade, ironicamente, é a que é mais protegida pela esquerdalhada, primeiro a entre o estado e o resto, e depois as grandes fortunas que financiam os projetos dela. No caso lá de Wall Street até professor canhota foi defender os milionários de Wall Street que ganham a vida de manipular o mercado. Olha só como as coisas são. Quem mais fala de desigualdade é justamente quem mais a promove, só pra variar, é exatamente o contrário do que falam, imagina só que coisa, não? (insira cara do Quico aqui)
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#9
Belo resgate.
Se chega a ser relíquia é outra história, mas de fato é uma resenha das antigas, dos primeiros redutos realistas na web.

Grande Mó Humirde.. tempos das cmm no orkut e altas tretas com o Werlão cruzeirense... rendiam boas piadas naqueles ''fóruns'', que é o que as cmm acabariam se convertendo após algum tempo.

Porém o Nobre gadoso errou ao asseverar sobre a liberdade no Brasil.  O país tem garantias de direito individual e privado, também sobre propriedade.. mas é até aí.. pois pra chegar a ser proprietário, de qualquer bem (imóvel, veículo, empresa e afins) o que menos se encontra no Brasil é liberdade financeira, no acesso restrito ao crédito, burocracia e juros sobre capital fora de propósito, dignos de países escandinavos.

Por falar nesses, o Brasil copiou-os nisso: tem a carga tributária, que além de alta é invertida, pegando em cheio o consumo (onde onera mais exatamente os pobres) e pega pouco pra cima de heranças e renda (não é por altruísmo que se faz tanta filantropia nos Eua, é pra não dar de bandeja pro Fisco mesmo), comum nos países desenvolvidos.

Copiar bons serviços e condutas profissionais e impessoais no trato com o erário... fica pra o ano 3000, talvez aí sim, o eterno país do futuro encontre o seu.. futuro.. se chegar tão longe.

De resto...
(01-03-2021, 06:05 PM)Per Onore Escreveu: Desigualdade não é problema.

A pobreza o é.

Close topic.

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)