Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[REFLEXÃO] Questionar a SI MESMO e nada mais !
#1
Não adira a nenhuma filosofia ou religião antes de conhecer seus textos fundamentais.


[Image: estudos-b%C3%ADblicos.jpg]





De uns anos para cá eu venho lendo muitos livros sagrados, eu li a Bíblia Sagrada, O Torah, Tao te Ching, O Alcorão, Bhagavad Gita, além do estudo de diversos panteons de religiões politeístas, e com isso venho separando o joio do trigo, não estou dizendo que encontrei a verdade e a partir de então posso prescrever verdades para outros, não, mas eu percebi que muitas pessoas estão no lugar errado por pura adesão, sem ao menos saber do que sua fé, prática, filosofia ou religião tratam.


Vou dar exemplos práticos, no Bhagavad Gita como ele é, o livro mais erudito que eu li, a linguagem do Guru Prabhupada sobrepuja com vantagem a linguagem de uma tese de Doutorado muito bem escrita, não só a linguagem mas a complexidade do que é abordado em seus comentários e também a maneira como faz isso são impressionantes, bom, Guru Prabhupada é um conservador de fazer o mais conservador católico corar de vergonha.


Ele afirma convictamente que a monarquia é o melhor regime e o que o povo é mais feliz nela, é absolutamente contra o socialismo e também contra as liberalidades do mundo moderno, um homem tradicional é pouco, seus posicionamentos defendem os comerciantes, policias e sacerdotes, o que eu vi nos encontros Krishnaistas foi um bando de Socialista, os caras até defendiam Lula e Dilma, ou seja, não se deram o trabalho de ler o PRINCIPAL livro com os comentários do PRINCIPAL comentador do Bhagavad Gita, aderiram por qualquer motivo aquela linha, se beneficiaram? Sim, porém, são em sua grande maioria modistas, muitos até carolas de gurus fanfarrões e modinhas alimentares.

A Bíblia Sagrada foi o livro de maior impacto, dolorido, o texto sagrado defende a verdade até doer os ossos não poupando os erros de nenhum personagem Bíblico nem mesmo Jesus, acha que eu estou mentindo ou sendo apostata, vá lá ler o “Livrão Preto” como diz meu amado Pai, e chegue você as suas próprias conclusões, depois de ler a Bíblia Sagrada não consegui mais ver pregação de tele-evangelista nem de pregadores de internet, e por fim, percebi que o que a maioria dos crentes dizem nada ou pouco tem relação com os textos Biblícos e digo mais, muitos sem saber por adesão cega pregam exatamente o oposto daquilo que está nos textos sagrados.


Depois de terminar de ler esses vários livros, decidi ler algumas coisas de Karl Marx, bom, eu até então li o manifesto do partido comunista e ideologia alemã, enfim, lendo os textos de Marx percebi que o que ocorre com os evangélicos também ocorre com os esquerdistas, não conhecem os textos fundamentais daquilo que defendem e praticam, isso me remeteu a minha adolescência quando comecei a ouvir rock e percebi que muitos gostavam de tirar onda de roupa preta bancando o maluco, poucos iam ouvir o que veio antes, e eles recebiam o apelido de Pouser’s ou modistas.


O que eu acabei percebendo e reaprendendo de maneira meteórica é que a grande parte de nós seres humanos temos a tendência tão grande de seguir grupos, a sermos aceitos que simplesmente não questionamos as bases e fundamentos de nossas escolhas políticas, filosóficas, pessoais e religiosas, nesse momento eu me sinto livre e muito tranquilo para dizer que consegui lutando o bom combate comigo mesmo vencer minha tendência de venerar ídolos de barro, nos prostramos diante da grande besta da ignorância para sermos aceitos, para sermos acolhidos, e hoje eu digo, mil vezes a morte, mil vezes a forca, mil vezes o sofrimento de viver em pé e livre do que no conforto do ajoelhamento e da escravidão mental auto imposta.


Desde 14 anos de idade e lá se vão vinte anos estudo esoterismo, hoje sou membro da Rosa Cruz, e lá vejo as mesmas coisas que em todos os outros lugares, religiões, partidos políticos, agremiações futebolísticas, empresas, ou seja, onde há o fenômeno do coletivismo, onde há o fenômeno do grupo, sim necessário, sim importante, sim natural, lá estará o imbecil adesista dizendo, sim, sim e sim, sem pensar, sem questionar, mas questionar o que ? Questionar a SI MESMO e nada mais.


Sim estou sendo claro, nem mesmo no local que decidi comungar e que representa uma considerável parte do conjunto de crenças que eu nutro é 100% compatível comigo, e onde eu decidi estar existe como em qualquer outro lugar um percentual massivo de indíduos que por querer agradas acabam se tornando subserviente ao coletivismo e até chegam ao ponto de mudarem sua natureza para se enquadrar e ser aceito no grupo, no final, não importa que filosofia, pensamento, religiosidade ou prática tenha, você terá de escolher ser livre e desagradar hora sim, hora não, ou ser um escravo e tentar agradar a todos se tornando um pulha, um fraco e um derrotado, completamente falido mental e emocionalmente.


No final das contas percebi que se cada cristão se dessem o trabalho de estudar a Bíblia, os esquerdistas se dessem o trabalho de ler Marx, e assim sucessivamente, muitos não seriam cristãos, muitos não seriam esquerdistas, e que muitas das aberrações que vemos em muitos lugares se dá ao fenômeno conhecido no mercado financeiro como efeito manada, tomem cuidado com isso, e leiam e estudem os textos fundamentais das suas práticas, filosofias, religiões e etc, o preço é muito baixo diante do benefício de se libertar de toda a escravidão do querer agradar os outros.
Assim, Davi prevaleceu contra o filisteu com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou sem que Davi tivesse uma espada na mão.
Responda-o
#2
Tu é Rosa Cruz e tem essa medalha de São Bento no avatar? Essa mistura vai te fazer mal...

Ou abraça de vez a fé com todas as consequencias, ou cai fora. Não existe esse meio termo, é impossivel desafiar a tradição milenar de uma religião nos poucos anos que temos de vida.

Ser cristão nao impede estudar outras religiões, mas não caia na tentação de misturar os dogmas e acabar criando uma religião nova.
Responda-o
#3
(15-12-2020, 07:33 PM)Wissen Escreveu: Tu é Rosa Cruz e tem essa medalha de São Bento no avatar? Essa mistura vai te fazer mal...

Ou abraça de vez a fé com todas as consequencias, ou cai fora. Não existe esse meio termo, é impossivel desafiar a tradição milenar de uma religião nos poucos anos que temos de vida.

Ser cristão nao impede estudar outras religiões, mas não caia na tentação de misturar os dogmas e acabar criando uma religião no

Obrigado pelas dicas e conselhos meu amigo, fico grato pela contribuição, farei uma reflexão sobre seus apontamentos.
Assim, Davi prevaleceu contra o filisteu com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou sem que Davi tivesse uma espada na mão.
Responda-o
#4
Excelente texto.
Só a título de registro, os esquerdistas atuais são os que menos leem Karl Marx ou outros autores que pregam o genocídio em massa em nome de uma revolução que de social não tem absolutamente nada.
Fato que se constata quando você pega os grandes nomes conservadores e confrontam com os pseudos intelectuais da esquerda.

Acerca da bíblia, nesses últimos tempos fui muito influenciado a lê-la por alguns camaradas, em especial Libertador, Bastardo e você, inclusive.
Então, é um objetivo para o ano que próximo se inicia.

No mais, você tem toda razão e aqui temos um agravante, ainda por cima.
Não conheço outras culturas, mas acho difícil algum outro povo ser tão ignorante e arrogante quanto o brasileiro.
Os brasileiros são especialistas em darem opinião sobre tudo sem saberem de nada. É pior do que jogar xadrez com pombos, bicho.

O sujeito que muito opina, nada sabe.
Eu não comento em tópicos religiosos, simplesmente pois ainda não tenho conhecimento e nível intelectual para tal.
Mas o cidadão que nunca sequer leu dois versículos bíblicos sai por aí pregando a palavra como se fosse o irmão renegado do Silas Malafaia.
Vá tomar no cu, porra.

Quando você se dispõe a estudar sobre coisas relevantes, o sentimento que, ao longo da evolução, vai tomando conta, é o da liberdade.
É como se você estivesse procurando algo num quarto escuro e, tão logo, alguém bate o dedo na tomada e a luz acende. Tudo fica claro, limpo.

Enfim, muito boa a reflexão proposta.
Mateus 21:22
Responda-o
#5
A maior minoria é a do individuo...leis corruptas decorrem de politicas/ideologia falaciosas e lideres corrompidos, a principal característica normativa se perde, a ética se deforma e moral é suprimida,  a injustiça se instala diante de regulações que não são genéricas, abstratas e impessoais gerando o caos, é isso que o coletivismo promove.

Quanto ao símbolo muitos associam ao cubo saturno, os símbolos podem ter vários significados nas civilizações e na história.

Spoiler Revelar

[Image: EgAbHHaU4Ac8y6b.jpg]

[Image: _500W_500H.jpg]

[Image: 84bbc91c6b89f9bf2a6cdb843bc0a34e.jpg]


[Image: 7lq2y95k21h11.jpg?width=488&format=pjpg&...59731c66d5]

Só Jesus salva, vá e não peques mais...
Responda-o
#6
Bons apontamentos amigo.

A minha opinião é que o ser humano busca alguma religião/filosofia para aprender a SE CONHECER. E quanto mais ele se aprofunda nisso, nesse auto conhecimento, mais consegue abstrair, absorver e internalizar os ensinamentos (seja eles quais forem), ou seja, ele se torna mais sábio e mais erudito sobre o assunto quando a sua INDIVIDUALIDADE começar a florescer. Enquanto isso não acontecer, ele vai ser como o brasileiro médio citado no tópido, repetidor de jargões e clichês, seguindo um estilo de vida imposto subconscientemente.

Quanto mais a individualidade FLORESCE, mais ele percebe que a principio estamos condicionados a acreditar no que queremos acreditar. Inicialmente não buscamos conhecimentos que nos deem novas perspectivas e que vão contra nossas crenças, mas sim conhecimentos que reafirmam a nossa própria visão de mundo. Como disse um sábio, você não lê para aprender, lê para se sentir com razão.

Assim sendo ele sabe que discutir com fulano ou ciclano é algo inútil e tóxico. Cada um deve trilhar o seu caminho, e as pessoas estão cada uma em um nível de consciência diferente. Por isso textos sagrados são de difícil compreensão, pq geralmente quem escreveu eles está num nível de consciência muito superior ao nosso, e dado essa dificuldade de compreensão e falta de "definição" é fácil isto ser deturpado e usado de má fé por pessoas mal intencionadas.

Discussões infrutíferas, ou afirmação dogmáticas sobre coisas que estão muito além da nossa compreensão cotidiana são sinais de pobreza espiritual.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#7
(15-12-2020, 05:24 PM)Ares Escreveu:
A Bíblia Sagrada foi o livro de maior impacto, dolorido, o texto sagrado defende a verdade até doer os ossos não poupando os erros de nenhum personagem Bíblico nem mesmo Jesus, (...)

Se bem que Davi foi até que bem "poupado".
Minha memória me trai... quais foram os erros de Jesus?
Responda-o
#8
(15-12-2020, 07:54 PM)hjr_10 Escreveu: Excelente texto.
Só a título de registro, os esquerdistas atuais são os que menos leem Karl Marx ou outros autores que pregam o genocídio em massa em nome de uma revolução que de social não tem absolutamente nada. Fato que se constata quando você pega os grandes nomes conservadores e confrontam com os pseudos intelectuais da esquerda. Acerca da bíblia, nesses últimos tempos fui muito influenciado a lê-la por alguns camaradas, em especial Libertador, Bastardo e você, inclusive. Então, é um objetivo para o ano que próximo se inicia.  No mais, você tem toda razão e aqui temos um agravante, ainda por cima. Não conheço outras culturas, mas acho difícil algum outro povo ser tão ignorante e arrogante quanto o brasileiro. Os brasileiros são especialistas em darem opinião sobre tudo sem saberem de nada. É pior do que jogar xadrez com pombos, bicho.

O sujeito que muito opina, nada sabe. Eu não comento em tópicos religiosos, simplesmente pois ainda não tenho conhecimento e nível intelectual para tal. Mas o cidadão que nunca sequer leu dois versículos bíblicos sai por aí pregando a palavra como se fosse o irmão renegado do Silas Malafaia.
Vá tomar no cu, porra. Quando você se dispõe a estudar sobre coisas relevantes, o sentimento que, ao longo da evolução, vai tomando conta, é o da liberdade. É como se você estivesse procurando algo num quarto escuro e, tão logo, alguém bate o dedo na tomada e a luz acende. Tudo fica claro, limpo.Enfim, muito boa a reflexão proposta.

Infelizmente esse problema que é comum ao ser-humano se agrava na terra tupiniquim, aqui as pessoas fazem adesão por modismo, para aparecer e ser diferenciado, mas só na casca, só na externalidade, o que eu digo é quanto mais para fora (aparência) menos para dentro (espiritualidade), a verdade seja dita, não acredito que todos devem ler todas as filosofias e religiões para escolher o que quer, mas que aquilo que você escolher ai sim, você deve ler e conhecer bem, até mesmo para ter senso crítica do que esta fazendo e o que esta praticando.

(16-12-2020, 02:04 AM)Minerim Escreveu: A maior minoria é a do individuo...leis corruptas decorrem de politicas/ideologia falaciosas e lideres corrompidos, a principal característica normativa se perde, a ética se deforma e moral é suprimida,  a injustiça se instala diante de regulações que não são genéricas, abstratas e impessoais gerando o caos, é isso que o coletivismo promove. Quanto ao símbolo muitos associam ao cubo saturno, os símbolos podem ter vários significados nas civilizações e na história.

O preço que se paga para ser um individuo é grande para os covardes, a zona de conforto da aprovação mútua é o lugar mais infeliz, hoje eu sei que querer agradar os outros é insegurança, medo, dificuldade de construir uma identidade autônoma e verdadeira, mas a verdade é que devemos ser quem realmente somos, e isso é o grande caminho do autoconhecimento, depois de ler a bíblia fiquei meio frustrado com algumas situações, principalmente com a quantidade de pregações que nem sequer existem no texto bíblico, é horrível, outro dia veio um casal de crentes aqui em casa amigo da família, rapaz, o camarada me instigou a falar sobre a Bíblia acabei demonstrando a ele que o que ele estava falando não esta escrito na Bíblia ele ficou muito sem graça, não gosto dessa situação, evito, mas é o estado de como as coisas se encontram em nossa realidade. 

(16-12-2020, 09:53 AM)Héracles Escreveu: Bons apontamentos amigo.

A minha opinião é que o ser humano busca alguma religião/filosofia para aprender a SE CONHECER. E quanto mais ele se aprofunda nisso, nesse auto conhecimento, mais consegue abstrair, absorver e internalizar os ensinamentos (seja eles quais forem), ou seja, ele se torna mais sábio e mais erudito sobre o assunto quando a sua INDIVIDUALIDADE começar a florescer. Enquanto isso não acontecer, ele vai ser como o brasileiro médio citado no tópido, repetidor de jargões e clichês, seguindo um estilo de vida imposto subconscientemente. 

Quanto mais a individualidade FLORESCE, mais ele percebe que a principio estamos condicionados a acreditar no que queremos acreditar. Inicialmente não buscamos conhecimentos que nos deem novas perspectivas e que vão contra nossas crenças, mas sim conhecimentos que reafirmam a nossa própria visão de mundo. Como disse um sábio, (I)-você não lê para aprender, lê para se sentir com razão. 

Assim sendo ele sabe que discutir com fulano ou ciclano é algo inútil e tóxico. Cada um deve trilhar o seu caminho, e as pessoas estão cada uma em um nível de consciência diferente. Por isso textos sagrados são de difícil compreensão, (II)-pq geralmente quem escreveu eles está num nível de consciência muito superior ao nosso, e dado essa dificuldade de compreensão e falta de "definição" é fácil isto ser deturpado e usado de má fé por pessoas mal intencionadas.  

(III)-Discussões infrutíferas, ou afirmação dogmáticas sobre coisas que estão muito além da nossa compreensão cotidiana são sinais de pobreza espiritual.

Confesso que se não me policiar o modo repetidor de jargões se instala em mim e volto da estaca zero, é necessário se observar e se corrigir esse trabalho é constante, por isso que na minha visão o piloto automático é um perigo, se questionar e refletir o que esta sendo feito é muito importante, sempre, se colocar em constante escrutínio, sem ter piedade de si mesmo e sem justificar os próprios erros, detectar, aceitar e corrigir, esse é o único trabalho essa é a única batalha que existe, muito bem ilustrada na relação entre Krishna e Arjuna, ou seja, do Mestre e do Discípulo, do Eu interior e do Eu exterior, no meio da batalha de kuru-kshetra, que é a luta que ocorre dentro da nossa consciência, mente e coração, o alinhamento desses níveis representam o aumento constante do auto-controle para aquisição da iluminação espiritual, que pode ser traduzida como a capacidade de conexão com o Alto, e o "Alto" é Deus, a luz pura da consciência cósmica e universal.

(I): Ler é ouvir, ouvir é aprender em silêncio, quando lemos com a mente tagarela e de maneira ativa estamos apenas nos envaidecendo.

(II): Aceitar que existem homens iluminados, consciências puras e intimamente conectadas com Deus é insuportável para aqueles que não são humildes, dai segue toda a ladainha de provérbios e Eclesiastes no caso da Bíblia, o Tao Te Ching é inteiramente dedicado a mesma questão de se aceitar a ignorância como passo para o conhecimento e o mesmo se dá na tradição filosófica grega, principalmente no pensamento socrático de sei que nada sei, acompanhado do conheça a ti mesmo.

(III): Saber, Ousar, Querer, Calar: Digo de cadeira, sei, ouso, quero, mas com frequência não calo, e como eu me ferro em não saber calar, o silêncio é a maior arma que temos para nos manter estáveis, equilibrados e firmes em nossos caminhos, sim é preciso falar, mas como diz o ditado a palavra vale prata o silêncio vale ouro.

(16-12-2020, 10:03 AM)Aricton Escreveu:
(15-12-2020, 05:24 PM)Ares Escreveu:
A Bíblia Sagrada foi o livro de maior impacto, dolorido, o texto sagrado defende a verdade até doer os ossos não poupando os erros de nenhum personagem Bíblico nem mesmo Jesus, (...)

Se bem que Davi foi até que bem "poupado".
Minha memória me trai... quais foram os erros de Jesus?

Irmão, Leia a Bíblia, segue o trecho:

39E, retirando-se, seguiu, como de costume, para o monte das Oliveiras; e os discípulos o acompanharam. 40Chegando ao lugar, Jesus lhes instruiu: “Orai, para que não venhais a cair em tentação”. 41Então Ele se afastou deles à distância de um tiro de pedra, ajoelhou-se e começou a orar: 42“Pai, se queres, afasta de mim este cálice; entretanto, não seja feita a minha vontade, mas o que Tu desejas!” 43Foi então que apareceu-lhe um anjo do céu que o encorajava. 44E, em grande agonia, orava ainda mais intensamente. E aconteceu que seu suor se transformou em gotas de sangue caindo sobre a terra. 45Assim que se levantou da oração e voltou à presença dos discípulos, os encontrou adormecidos, exaustos de tristeza, 46e exortou-lhes: “Por que estais dormindo? Levantai-vos e orai! Para que não venhais a cair em tentação”. Jesus é preso.

Essa passagem é muito bonita porque, apesar da Divindade de Jesus Cristo ele se comportou como um ser humano sabendo que a provação seria muito grande, ou seja, Jesus nesse momento demonstrou toda a sua humanidade, a grande questão exegética aqui é que, sendo o único filho de Deus ele poderia se furtar dessa grande provação, sim, poderia, no entanto, diferentemente de nós meros pecadores, Jesus era puro, e se ofereceu em holocausto para salvar a humanidade e limpar-nos dos nossos pecados, ele também tinha receio, sentia dor e tinha medo, porém sua obediência era muito superior a qualquer dúvida, medo ou insegurança, primeira antes de tudo ele colocou a vontade do PAI, DEUS na frente, mas a ordem estava dada e mesmo receoso ele foi, a força de Jesus não esta no quanto é forte como um Deus Romano, ou Astuto, a grande força de Jesus reside em sua bondade máxima e na sua humanidade perfeita, o maior de todos os exemplos, espero poder ter ajudado.
Assim, Davi prevaleceu contra o filisteu com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou sem que Davi tivesse uma espada na mão.
Responda-o
#9
Independente do tanto de apreço que o confrade tenha pela minha pessoa, meus pensamentos ou minha escrita, não posso me furtar de vir aqui deixar de comentar o quanto esse tópico é importante e por que não, excelente. Parabéns pela reflexão madura, Ares.

Não é de hoje que o esforço de muitos realistas é direcionado a tirar os indivíduos de suas bolhas coletivistas (matrix, esquerdistas, feminazismo, etc.) e trazer eles para o mundo da consciência lúcida. Sou dos que acredita que a consciência é um fenômeno individual, uma singularidade única, tudo o mais seria apenas os inconscientes coletivos, pois não há consciência verdadeira se não há uma verdadeira identidade, única e intransferível. Explico melhor 2 parágrafos a frente.

O coletivismo é uma droga reconfortante, nos dá validação e afaga parte do nosso teor existencial, nos dando propósito. Mas bem sabido que é, na mente da colmeia, tudo é ruído, um zumbido ininteligível. Todas as individualidades são eliminadas ou por exigência grupal ou acabam saindo na média geral dos comportamentos e pensamentos.

Mas aí cabe o questionamento, sim, supondo que o coletivo é importante para a sobrevivência... Mas a sobrevivência de quem, senão do próprio coletivo e de uns poucos mais espertos que conseguem achar brechas e escalarem seus ranks? O que ele dá em razão de viver a uma pessoa é diametral ao que ele toma da individualidade e da vida da própria pessoa. É uma transferência de força vital de um pobre macaco brilhante para uma entidade fantasmagórica. Entenda aqui no sentido não das suas ações ou resultados, ou de como suas partes se identificam, mas sim da concretude da unidade enquanto consciência.

Uma unidade de uma torcida de futebol ou partido político independe de quem são os seus torcedores, pra massa bastam números. Já suas células não só não são conscientes sozinhas, se fossem arranjadas de outra forma, ou trocando pra genética, caso fosse DNAs diferentes, seria outra consciência. Por isso os coletivos são (potencialmente) inferiores ao mais inferior dos indivíduos, ou como já falei de outra vez, uma coletividade é sempre mais burra que o mais burro dos seus indivíduos.

Por que as pessoas aderem a essas enganações pra começo de conversa? Isso por que não há coisa mais assustadora para uns do que solidão, o abandono e a rejeição. Para estes isto pode ser mais doloroso que a morte. Se desafiar o tempo todo, encarar sua própria limitação, sua mortalidade, seus medos e dúvidas, em suma, viver se questionando, não é pra qualquer um. É um exercício de extrema coragem que fico feliz de ver que ainda temos alguns aqui o fazem, ao contrário da quase totalidade dos babacas que tenho que encontrar todos os dias.

Isso aqui que escrevi agora tá entre meio desabafo, meio conversa filosofia de botequim, mas o principal já foi dito: Como bem falado pelo autor do tópico, se questionar é uma penitência, uma vigília diária. É o que chamei em outro tópico uma luta pra não cair na mediocridade.

Então é isso, confrades, superem o medo. Conheçam a si mesmos. Separem o joio do trigo. Se questionem em primeiro lugar e todo o resto é resto.

Força e honra,
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#10
Spoiler Revelar
A Bíblia Sagrada foi o livro de maior impacto, dolorido, o texto sagrado defende a verdade até doer os ossos não poupando os erros de nenhum personagem Bíblico nem mesmo Jesus, acha que eu estou mentindo ou sendo apostata, vá lá ler o “Livrão Preto” como diz meu amado Pai, e chegue você as suas próprias conclusões, depois de ler a Bíblia Sagrada não consegui mais ver pregação de tele-evangelista nem de pregadores de internet, e por fim, percebi que o que a maioria dos crentes dizem nada ou pouco tem relação com os textos Biblícos e digo mais, muitos sem saber por adesão cega pregam exatamente o oposto daquilo que está nos textos sagrados.

Eu não sei como alguém lê um livro sem ao menos saber sua chave de leitura.

Entender a complexidade dos termos Bíblicos e entender a aplicação dela no contexto histórico foi uma das coisas mais difíceis da minha vida, e eu não a teria entendido completamente se não fosse a Igreja Católica...

Eu não sei realmente qual é seu nível de estudo desses negócios, agora ler uma porrada de livros como ler Harry Potter e dar sua opinião crítica como se fossem livros de opinião política e não transcendentais como é no caso da Bíblia, é meio estranho... sei lá, pra mim não cola.

Mas que bom você leu alguma coisa.

Já chegou a sua conclusão sobre Deus ou não? (sim, essa pergunta é uma pegadinha filosófica)
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#11
(18-12-2020, 10:38 PM)Wild Escreveu: Independente do tanto de apreço que o confrade tenha pela minha pessoa, meus pensamentos ou minha escrita, não posso me furtar de vir aqui deixar de comentar o quanto esse tópico é importante e por que não, excelente. Parabéns pela reflexão madura, Ares.

Não é de hoje que o esforço de muitos realistas é direcionado a tirar os indivíduos de suas bolhas coletivistas (matrix, esquerdistas, feminazismo, etc.) e trazer eles para o mundo da consciência lúcida. Sou dos que acredita que a consciência é um fenômeno individual, uma singularidade única, tudo o mais seria apenas os inconscientes coletivos, pois não há consciência verdadeira se não há uma verdadeira identidade, única e intransferível. Explico melhor 2 parágrafos a frente.

O coletivismo é uma droga reconfortante, nos dá validação e afaga parte do nosso teor existencial, nos dando propósito. Mas bem sabido que é, na mente da colmeia, tudo é ruído, um zumbido ininteligível. Todas as individualidades são eliminadas ou por exigência grupal ou acabam saindo na média geral dos comportamentos e pensamentos.

Mas aí cabe o questionamento, sim, supondo que o coletivo é importante para a sobrevivência... Mas a sobrevivência de quem, senão do próprio coletivo e de uns poucos mais espertos que conseguem achar brechas e escalarem seus ranks? O que ele dá em razão de viver a uma pessoa é diametral ao que ele toma da individualidade e da vida da própria pessoa. É uma transferência de força vital de um pobre macaco brilhante para uma entidade fantasmagórica. Entenda aqui no sentido não das suas ações ou resultados, ou de como suas partes se identificam, mas sim da concretude da unidade enquanto consciência.

Uma unidade de uma torcida de futebol ou partido político independe de quem são os seus torcedores, pra massa bastam números. Já suas células não só não são conscientes sozinhas, se fossem arranjadas de outra forma, ou trocando pra genética, caso fosse DNAs diferentes, seria outra consciência. Por isso os coletivos são (potencialmente) inferiores ao mais inferior dos indivíduos, ou como já falei de outra vez, uma coletividade é sempre mais burra que o mais burro dos seus indivíduos.

Por que as pessoas aderem a essas enganações pra começo de conversa? Isso por que não há coisa mais assustadora para uns do que solidão, o abandono e a rejeição. Para estes isto pode ser mais doloroso que a morte. Se desafiar o tempo todo, encarar sua própria limitação, sua mortalidade, seus medos e dúvidas, em suma, viver se questionando, não é pra qualquer um. É um exercício de extrema coragem que fico feliz de ver que ainda temos alguns aqui o fazem, ao contrário da quase totalidade dos babacas que tenho que encontrar todos os dias.

Isso aqui que escrevi agora tá entre meio desabafo, meio conversa filosofia de botequim, mas o principal já foi dito: Como bem falado pelo autor do tópico, se questionar é uma penitência, uma vigília diária. É o que chamei em outro tópico uma luta pra não cair na mediocridade.

Então é isso, confrades, superem o medo. Conheçam a si mesmos. Separem o joio do trigo. Se questionem em primeiro lugar e todo o resto é resto.

Força e honra,

Somos seres espirituais vivendo uma vida terrena, não um ser material que de vez enquanto e por um lapso experimenta uma vivência espiritual, no final a matéria é uma continuidade dos planos divinos já que o Universo foi criado por uma inteligência superior com uma capacidade complexa demais, o coletivismo se dá na dificuldade da interação entre essas duas realidades a realidade interior e a exterior, os esquerdistas e capitalistas gananciosos acreditam que só existe a matéria assim como essa ciência atual que ignora o espírito. Do outro lado existem os teístas que por mais que tenham fé precisam pagar algum tipo de pedágio a intermediários, daí surge o fanatismo religioso e as seitas, existe também a qualidade desse coletivismo, quando criança e adolescente o agrupamento e identificação se dá por vestimenta, gírias, gestos e termos, na vida adulta é a ida para o estádio de futebol de forma religiosa, os termos da seita, religião, igreja, grupo que faz parte, mas uma coisa é real, o contato com o Divino é direto, e essa água viva deve ser bebida na fonte. 

Em minha vivência particular eu vi o alto preço que é pago quando abrimos mão de nossa identidade e individualidade, claro que faremos partes de grupos, que comungaremos com nossos semelhantes, mas o problema esta na adesão cega e sem limites, em confundir alho com bugalhos é o que vemos constantemente por ai, eu acredito que isso tudo surge da insegurança e necessidade de ser aceito, mas o que adianta ser aceito em um meio em que você só tem valor se abre mão de si mesmo pelo coletivo? Em que você não pode dizer o que pensa ou precisa se tolher de suas opiniões para se adequar ? Dessa vida não vamos levar nem 1 centavo, não vamos levar as críticas nem os elogios, dessa vida só vamos levar nossas ações e emoções, nossas experiências, vamos levar nossa parte nobre, então que sejamos nobre como o mais nobre dos metais, sejamos como o ouro filosófico, como a pedra filosofal que é o puro espírito manifesto em nossas mentes e corações.

Hoje eu penso que a única liberdade que vale a pena ser perseguida é a liberdade interior, somos como uma folha seca de uma árvore caindo de um lugar alto, não sabemos nosso destino, não sabemos quais ventos irão soprar e o que pode acontecer, mas se é verdade que nada controlamos nada nos controla porque a força de nosso espírito fundido com o infinito, com o cósmico é a busca da unicidade na diversidade, não foram grandes movimentos que criaram poesias maravilhosas, que criaram ideias edificantes, nós somos como as pontas dos dedos de Deus e para ele trabalhamos incessantemente, se nos dermos consciência disso podemos obedece-lo e fazer o trabalho correto e combater o bom combate, estamos na era do mais puro e débil materialismo, ninguém nunca vai poder roubar o que tem dentro de você, e a verdade que somos todos filhos de Deus, então devemos sim viver para esse Pai Celestial e de acordo com sua Lei, e quando me refiro a lei divina não me refiro a textos sagrados, me refiro a bondade e o amor que deve desabrochar dentro de nossos corações no serviço ao próximo, sem isso, somos apenas pecadores e miseráveis perambulando por esse mundo vazio, a realidade é um deserto, nada do que vemos aqui estará do mesmo jeito daqui a 1000 anos, somos apenas poeira das eras, devemos ser livres mentalmente, devemos buscar vida interior.

(19-12-2020, 05:32 PM)Awaken Escreveu:
Spoiler Revelar
A Bíblia Sagrada foi o livro de maior impacto, dolorido, o texto sagrado defende a verdade até doer os ossos não poupando os erros de nenhum personagem Bíblico nem mesmo Jesus, acha que eu estou mentindo ou sendo apostata, vá lá ler o “Livrão Preto” como diz meu amado Pai, e chegue você as suas próprias conclusões, depois de ler a Bíblia Sagrada não consegui mais ver pregação de tele-evangelista nem de pregadores de internet, e por fim, percebi que o que a maioria dos crentes dizem nada ou pouco tem relação com os textos Biblícos e digo mais, muitos sem saber por adesão cega pregam exatamente o oposto daquilo que está nos textos sagrados.

Eu não sei como alguém lê um livro sem ao menos saber sua chave de leitura.

Entender a complexidade dos termos Bíblicos e entender a aplicação dela no contexto histórico foi uma das coisas mais difíceis da minha vida, e eu não a teria entendido completamente se não fosse a Igreja Católica...

Eu não sei realmente qual é seu nível de estudo desses negócios, agora ler uma porrada de livros como ler Harry Potter e dar sua opinião crítica como se fossem livros de opinião política e não transcendentais como é no caso da Bíblia, é meio estranho... sei lá, pra mim não cola.

Mas que bom você leu alguma coisa.

Já chegou a sua conclusão sobre Deus ou não? (sim, essa pergunta é uma pegadinha filosófica)

Confrade seus questionamentos são ótimos, então serei claro, quando decidir ler a Bíblia Sagrada primeiramente eu pesquisei qual seria a melhor versão para mim, então devido a recomendação dos meus professores de História Antiga Oriental, História Antiga Ocidental, História Medieval Oriental  e História Medieval Ocidental, cheguei a conclusão que a Bíblia de Jerusalém seria a melhor opção, já que a mesma é utilizada nos seminários católicos, mais especificamente nos programas de Mestrado e Doutorado da PUC, sem dúvida na PUC-RJ, é uma Bíblia de utilização em pós-graduação Stricto Sensu, ela não tem a página divida em duas partes é cursiva e com milhares de notas de rodapé, todas escritas por uma equipe interdisciplinar de Doutores em Teologia, História, Geografia, Arqueologia e etc, e todos os comentários são aprovados pelos Santos Padres da Igreja Católica, foi essa Bíblia que eu li, confesso que li uns 70% das notas de rodapé mas todas as introduções e comentários teológicos escrito pelos Santos Padres foram lidos por mim, tenha certeza.

Assim como você foi possível a mim entender os Textos Sagrados por respaldo mesmo que indireto da Igreja Católica, lendo a Bíblia que o seu Padre estudou no Seminário dele que é composto de dupla graduação em teologia e em filosofia, eu sou formado em História, me dediquei muito a estudar os períodos históricos em que há o nascimento da Igreja Católica e ao longo do meu curso sempre que possível dei muito atenção a história da cristandade e tive muitos amigos cristãos durante a graduação, pessoas com as quais debati e aprendi muito, também tive professores Judeus que eram excelentes, em uma matéria chamada Antiguidade Tardia aprendi os fundamentos históricos da cristandade, então, não fui ler a Bíblia de onda nem como quem lê Harry Potter, fui ler como uma leitura profunda e extremamente fundamentada, assim, como fiz com o Bhagavad Gita, nos outros livros eu não pude ser tão criterioso já que nossa cultura ou vê eles como uma curiosidade sem maiores consequências ou com aversão como é o caso do Alcorão.

Nesse tópico eu não estou discutindo a Bíblia de forma teológica, nem pregando nem mesmo fazendo uma exegese, primeiramente porque não sou moleque para fazer tal coisa não estudando com devida profundidade e atenção o assunto, e quando digo não sou moleque é porque tenho vergonha na minha cara e me envergo diante da grandiosidade e monumentalidade dos textos sagrados, ainda mais a Bíblia Sagrada, mas eu vou responder sua pergunta dizendo o seguinte, quando os cristãos pararem de chamar seu Deus de Deus e começarem a chamar ele pelo seu nome YAWEH com nas tribos do Sul ou como ELOHIN com nas tribos do Norte, já ficaria muito feliz, porque nesse dia eu teria certeza de que esses cristãos se deram o trabalho de ler a Bíblia ao invés de aderir a sua religião por modismo e efeito de manada, e sim, cheguei minha conclusão sobre YAWEH (יהוה) e seu filho YESHUA (יהשוה), agradeço pela sua contribuição ao tópico, disponha.
Assim, Davi prevaleceu contra o filisteu com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou sem que Davi tivesse uma espada na mão.
Responda-o
#12
(19-12-2020, 05:32 PM)Awaken Escreveu:
Spoiler Revelar
A Bíblia Sagrada foi o livro de maior impacto, dolorido, o texto sagrado defende a verdade até doer os ossos não poupando os erros de nenhum personagem Bíblico nem mesmo Jesus, acha que eu estou mentindo ou sendo apostata, vá lá ler o “Livrão Preto” como diz meu amado Pai, e chegue você as suas próprias conclusões, depois de ler a Bíblia Sagrada não consegui mais ver pregação de tele-evangelista nem de pregadores de internet, e por fim, percebi que o que a maioria dos crentes dizem nada ou pouco tem relação com os textos Biblícos e digo mais, muitos sem saber por adesão cega pregam exatamente o oposto daquilo que está nos textos sagrados.

Eu não sei como alguém lê um livro sem ao menos saber sua chave de leitura.

Entender a complexidade dos termos Bíblicos e entender a aplicação dela no contexto histórico foi uma das coisas mais difíceis da minha vida, e eu não a teria entendido completamente se não fosse a Igreja Católica...

Eu não sei realmente qual é seu nível de estudo desses negócios, agora ler uma porrada de livros como ler Harry Potter e dar sua opinião crítica como se fossem livros de opinião política e não transcendentais como é no caso da Bíblia, é meio estranho... sei lá, pra mim não cola.

Mas que bom você leu alguma coisa.

Já chegou a sua conclusão sobre Deus ou não? (sim, essa pergunta é uma pegadinha filosófica)
Spoiler Revelar
Confrade seus questionamentos são ótimos, então serei claro, quando decidir ler a Bíblia Sagrada primeiramente eu pesquisei qual seria a melhor versão para mim, então devido a recomendação dos meus professores de História Antiga Oriental, História Antiga Ocidental, História Medieval Oriental  e História Medieval Ocidental, cheguei a conclusão que a Bíblia de Jerusalém seria a melhor opção, já que a mesma é utilizada nos seminários católicos, mais especificamente nos programas de Mestrado e Doutorado da PUC, sem dúvida na PUC-RJ, é uma Bíblia de utilização em pós-graduação Stricto Sensu, ela não tem a página divida em duas partes é cursiva e com milhares de notas de rodapé, todas escritas por uma equipe interdisciplinar de Doutores em Teologia, História, Geografia, Arqueologia e etc, e todos os comentários são aprovados pelos Santos Padres da Igreja Católica, foi essa Bíblia que eu li, confesso que li uns 70% das notas de rodapé mas todas as introduções e comentários teológicos escrito pelos Santos Padres foram lidos por mim, tenha certeza.

Assim como você foi possível a mim entender os Textos Sagrados por respaldo mesmo que indireto da Igreja Católica, lendo a Bíblia que o seu Padre estudou no Seminário dele que é composto de dupla graduação em teologia e em filosofia, eu sou formado em História, me dediquei muito a estudar os períodos históricos em que há o nascimento da Igreja Católica e ao longo do meu curso sempre que possível dei muito atenção a história da cristandade e tive muitos amigos cristãos durante a graduação, pessoas com as quais debati e aprendi muito, também tive professores Judeus que eram excelentes, em uma matéria chamada Antiguidade Tardia aprendi os fundamentos históricos da cristandade, então, não fui ler a Bíblia de onda nem como quem lê Harry Potter, fui ler como uma leitura profunda e extremamente fundamentada, assim, como fiz com o Bhagavad Gita, nos outros livros eu não pude ser tão criterioso já que nossa cultura ou vê eles como uma curiosidade sem maiores consequências ou com aversão como é o caso do Alcorão.

Nesse tópico eu não estou discutindo a Bíblia de forma teológica, nem pregando nem mesmo fazendo uma exegese, primeiramente porque não sou moleque para fazer tal coisa não estudando com devida profundidade e atenção o assunto, e quando digo não sou moleque é porque tenho vergonha na minha cara e me envergo diante da grandiosidade e monumentalidade dos textos sagrados, ainda mais a Bíblia Sagrada, mas eu vou responder sua pergunta dizendo o seguinte, quando os cristãos pararem de chamar seu Deus de Deus e começarem a chamar ele pelo seu nome YAWEH com nas tribos do Sul ou como ELOHIN com nas tribos do Norte, já ficaria muito feliz, porque nesse dia eu teria certeza de que esses cristãos se deram o trabalho de ler a Bíblia ao invés de aderir a sua religião por modismo e efeito de manada, e sim, cheguei minha conclusão sobre YAWEH (יהוה) e seu filho YESHUA (יהשוה), agradeço pela sua contribuição ao tópico, disponha.


Ok, então tudo bem.
A questão que eu quis levantar mesmo é que ler e ter uma visão é interessante, mas realmente entender os pontos e a chave de leitura, demoram ANOS de pesquisa e estudo, de prática vivida, de entendimento das profecias, etc.
Atualmente vão fazer 9 anos da minha conversão ao catolicismo, eu leio sobre cristianismo desde os 19, sobre catolicismo desde os 21, e não dá pra estudar tudo.
Agora por exemplo, eu ando estudando sobre o Apocalipse, puta merda... você pega a chave de leitura certa, tudo pra trás começa a bater certinho de como tudo aconteceu, como as profecias do Apocalipse se cumpriram, como o princípio das dores aconteceu como Jesus profetizou em Mateus 24 pra aquela geração e foi simbolizado em 90 por João em Apocalipse 12 com a mulher revestida de sol (cheia de Graça) dando a luz sobre DORES, a um rei (Jesus), ou seja, nada mais do que o nascimento da Igreja tendo Jesus como REI, isso se encaixar por exemplo, é magnífico e depois de 9 anos eu só fui aprender agora tem mais ou menos 1 ano e pouco, realmente tem várias coisas que se você deixar escapar a vertente, você leva a interpretação a um nível inexistente.

Quanto aos nomes próprios, a Igreja sempre foi a Igreja dos idiomas, desde a sua fundação, onde Pedro recebeu o nome de kéfar, nossa Bíblia é escrita originalmente em grego, não aramaico (apesar dos judeus ficarem PUCTOS com livros escritos em grego), então, assim como Cefas virou Pedro, Iesus Khristos foi o nome escolhido para representar o nome do filho de Deus, sendo assim, transformado para o comum JESUS, atual.

Porque não mudou mais? Poderia? Sim, o nome de Jesus poderia ter mudado mais ainda assim como as pinturas representativas de Jesus mudam de acordo com a cultura, mas a manutenção do nome Jesus se mantém graças aos missionários partirem todos do mesmo lugar e os pós missionários que colonizaram o mundo também utilizando os mesmos escritos gregos.
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#13
(20-12-2020, 08:36 PM)Awaken Escreveu:
Ok, então tudo bem. A questão que eu quis levantar mesmo é que ler e ter uma visão é interessante, mas realmente entender os pontos e a chave de leitura, demoram ANOS de pesquisa e estudo, de prática vivida, de entendimento das profecias, etc. Atualmente vão fazer 9 anos da minha conversão ao catolicismo, eu leio sobre cristianismo desde os 19, sobre catolicismo desde os 21, e não dá pra estudar tudo. Agora por exemplo, eu ando estudando sobre o Apocalipse, puta merda... você pega a chave de leitura certa, tudo pra trás começa a bater certinho de como tudo aconteceu, como as profecias do Apocalipse se cumpriram, como o princípio das dores aconteceu como Jesus profetizou em Mateus 24 pra aquela geração e foi simbolizado em 90 por João em Apocalipse 12 com a mulher revestida de sol (cheia de Graça) dando a luz sobre DORES, a um rei (Jesus), ou seja, nada mais do que o nascimento da Igreja tendo Jesus como REI, isso se encaixar por exemplo, é magnífico e depois de 9 anos eu só fui aprender agora tem mais ou menos 1 ano e pouco, realmente tem várias coisas que se você deixar escapar a vertente, você leva a interpretação a um nível inexistente. Quanto aos nomes próprios, a Igreja sempre foi a Igreja dos idiomas, desde a sua fundação, onde Pedro recebeu o nome de kéfar, nossa Bíblia é escrita originalmente em grego, não aramaico (apesar dos judeus ficarem PUCTOS com livros escritos em grego), então, assim como Cefas virou Pedro, Iesus Khristos foi o nome escolhido para representar o nome do filho de Deus, sendo assim, transformado para o comum JESUS, atual. Porque não mudou mais? Poderia? Sim, o nome de Jesus poderia ter mudado mais ainda assim como as pinturas representativas de Jesus mudam de acordo com a cultura, mas a manutenção do nome Jesus se mantém graças aos missionários partirem todos do mesmo lugar e os pós missionários que colonizaram o mundo também utilizando os mesmos escritos gregos.


Agradeço pelo contraponto confrade, quando criei esse tópico não imaginei que as coisas iriam pegar esse rumo, o que esta falando é a realidade das coisas, os textos sagrados são um estudo para a vida toda, não é com uma leitura que se entende os aspectos principais do texto sagrado, agora o que eu acho interessante é que as pessoas mais católicas que eu conheci na minha vida eram analfabetas, não estou aqui pregando a ignorância, mas se partimos do pressuposto que Deus é infinito em sua inteligência o que devemos de fato é acreditar nele e entregar nossa vida em suas mãos, a minha avó e suas irmãs vieram de Minas Gerais para o Rio de Janeiro para trabalhar em casa de família, uma delas foi responsável por formar uma capela que hoje é uma igreja em Nova Iguaçu, local onde residia, quando faleceu o Padre fez questão de ir ao seu enterro, foi um ônibus alugado pela igreja com muitos fieis, e ele a elogiou por até a mais avançada idade ter ajudado a igreja, dava conselho para o Padre (segundo o próprio) e morreu vivendo uma vida de mais oitenta anos dedicada ao catolicismo, assim como minha avó, que infelizmente morreu mais cedo por ter doença de chagas.

A experiência de Thomas de Aquino não me deixa mentir, o Santo Padre escreveu a Suma Teológica que é uma enciclopédia relativa assuntos da fé cristã, leu e releu a Bíblia é um dos maiores pensadores da cristandade, no final das contas Thomas de Aquino foi um dia a Igreja e ao rezar teve a experiência da Graça, aquilo foi tão forte que a partir daquele dia ele decidiu nunca mais se relacionar com as coisas divinas pela via racional, não posso falar por você @Awaken, mas a verdade que leio porque me sinto ignorante, admirava minha avó que durante a vida toda nunca perdeu uma missa, que ia a procissões e mais procissões todos os anos, e todo santo dia rezava o terço no mesmo horário fizesse sol, fizesse chuva, doente ou com saúde, se estivesse a passeio, viajando ou na casa de algum parente, eu trocaria todas essas horas que dediquei a ler esses textos pela certeza, fé e retidão dessas pessoas que experimentaram a presença divina de uma maneira indubitável.

mas temos nosso caminho a trilhar, hoje me sinto um miserável que sem a graça divina estaria completamente perdido, quando do meu quase afogamento só consegui me acalmar rezando uma pai nosso e uma ave maria que já não rezava a mais de 10 anos, me recolho a minha insignificância em relação as coisas da fé, não sou católico, respeito a Igreja Católica, apesar de saber que existem problemas lá como em qualquer lugar, no final o que precisamos irmão é deixar Deus tocar nosso coração sombrio e limpar nossa mente suja, somos pecadores inveterados e ser bom de verdade, fazer o bem de verdade, perdoar de todo o coração é para os fortes e falando por mim, ainda tenho muito que aprender, tive exemplo dentro de casa e sei o que é ser bom, seguir o exemplo que é o problema, ser mais altruísta e menos egoísta não é para os fracos como eu ando sendo a muito tempo. 
Assim, Davi prevaleceu contra o filisteu com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou sem que Davi tivesse uma espada na mão.
Responda-o
#14
Marcando esse tópico pra ler com atenção (quando tiver tempo) e postar depois.

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
#15
Vou entrar na rosa cruz logo logo, sempre me atrai por esoterismo egipcio e hermetismo, me conte como foi sua jornada lá ?
Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma. Eclesiastes 9:10
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)