Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Cobra kai - ASSISTAM
#1
Faz pelo menos um ano que vejo anúncio da série "Cobra Kai" no Netflix. Me passava a impressão de ser a continuação do Karatê Kid dos anos 80 e eu não estava com estômago ou sequer curiosidade pra assistir. Porra, Karatê Kid era muito bobinho e essa série teria TUDO pra ser ainda pior...
Minha filha andava me pedindo pra assistir alguma coisa com ela e com minha mulher e já tínhamos assistido diversas séries "bobinhas-família", não tinha muito mais o que assistir.
Até que eu falei "ok, que tal essa?", já meio arrependido. Como ela topou, já preparei o psicológico pra segurar a ânsia de vômito e coloquei a primeira temporada.

INVERTERAM A PORRA TODA!!!!

Parece que foi um realista que se infiltrou no meio dos roteiristas e colocou um monte de referências de MACHO na novelinha. Sabe aquele filme do Clint Eastwood que ele é um velho machão mal humorado e ensina o moleque xingling a ser durão? Meu, parece q foi o mesmo cara que escreveu, só pode.
A série conta a história de como ficou cada um dos personagens, o loirinho que apanhou no fim do primeiro filme e o Daniel San.
O loirinho (Johny Lawrence) virou um tiozão 40+ fracassado, vive na merda. O Daniel San virou um empresário ricão dono de concessionária. Chatíssimo, por sinal.
O tal Johny é o típico MACHO dos anos 80, totalmente deslocado nos dias de hoje. Politicamente incorreto, carro velho V8 beberrão, escuta rock, mora sozinho, bebe pacarai.
Aí ele tem um dia PÉSSIMO, perde o emprego e no fim do dia mal tem grana pra comer uma pizza vagabunda na frente de um boteco em bairro pobre. Nessa aparece um moleque latino (que é vizinho dele e ele nem cumprimenta) levando um cacete de uns playboys, aquela típica cena de bulling de filme adolescente americano. Como jogam o moleque em cima do carro dele, ele intervém e acaba dando um cacete nos playbas.
Aí está a grande sacada da série: o Homem dos anos 80 vira o Sr. Miyagi que vai trazer valores de MACHO para a molecada nerd politicamente correta que apanha e não pega mulher de hoje em dia.
CLARO que tem um monte de cenas chatíssimas, muita groselha, historinhas e personagens bem bobos... mas o Johny como Sensei linha-dura que reabre o dojô Cobra Kai e tranforma os nerds em homens temidos na escola é bom demais. Tem cenas IMPAGÁVEIS dos moleques falando sobre como ser politicamente correto hoje em dia e a cara de NOJO do Johny. Ou ele falando pro moleque tomar um Whiskão depois que catou a gostosa da escola pois "vai fazer nascer pelo no saco dele"...
A trilha sonora do Johny é de RESPEITO. Vem lágrima nos olhos a cena em que ele se levanta, vira o Sensei durão do moleque magrelo latino e reabre o dojô, com a música do Alan Parsons (Sirius), ou ele se levantando de manhã, tomando uma cerveja e saindo no Dojão Challenger ao som do ACDC.







Responda-o
#2
assisti os 2 primeiros e achei bom

o negócio é que assisti há tanto tempo o filme karate kid qdo criança q já nem me lembro mais, então n sei se pego toda referência da história
Responda-o
#3
A série é tudo isso mesmo que você disse, muito bom!
Eu gosto dos filmes não os acho ruim, também é outra época, hoje eles não são de grande valia.
Mas o seriado resgata aquele mundo dos anos 80 e da uma nova roupagem para a época de hoje.

E também mostra o outro lado da moeda, a vida de John Lawrence e seus traumas em conjunto com seus problemas atuais.
Essa ideia que estou comentando aqui não fica muito longe do Creed II que também mostra o que aconteceu com Ivan Drago.
Quais foram as consequências por ter perdido a luta com o Rocky.
"O mais forte espadachim não necessariamente é o que vence. É a velocidade! Velocidade da mão, a velocidade da mente." (Abade Faria).
Responda-o
#4
Já vale a pena somente pelo fato de ver o cara descolado dos anos 80 redescobrindo o novo mundo em 2020.

Fica ainda mais hilário quando ele usa o Tinder e não acha match compatível, daí explica ao millennial que na época dele bastava esbarrar em uma mina, iniciar uma conversa aleatória e convidar para um drink. E quando o fedelho duvida ele responde: testado inúmeras vezes e aprovado. 
Pouco depois na série ele executa essa manobra e inicia um papo com uma mina que, de todas que saiu antes usando o app é a que mais faz o tipo dele.
Se o machado está cego e sua lâmina não foi afiada, é preciso golpear com mais força. Agir com sabedoria assegura o sucesso. - Salomão em Eclesiastes 10.10.
Muito cara legal foi parar debaixo de uma ponte por causa de uma mulher. - Bukowski.
As maiores redpills ouvimos da boca de mulheres.
Responda-o
#5
To assistindo e to gostando. Mostra bem como essa geração hoje é um bando de bundão.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)