Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
O custo da liberdade
#1
Quando homens livres se esquecem que seus antepassados conquistaram sua liberdade à custo de sangue, suor e lágrimas, a ameaça da escravidão retorna, geralmente quando ninguém espera. 

Tal escravidão não toma seus cativos por raça ou cor, mas sim pelo espírito. Devasta os corações dos homens, seca seus mananciais de virtudes, desertifica a vontade de lutar e de proteger os seus, sequestra sua atenção, que agora é voltada para as grandes inutilidades do mundo moderno.

Põem grilhões nos pés de toda uma descendência.

Empilham hordas de chamados homens, que mesmo em vida estão mortos, pois sua vontade já secou. Não mais estão dispostos a pagar o preço que fora pago no passado.

Pedem desculpas por serem homens, mas se esquecem que nunca o foram, não no real sentido da palavra. Nasceram no sexo masculino por puro acaso da loteria genética. Recusam-se a se forjar no fogo do combate físico, mental, espiritual e profissional.

Cedem completamente ao conforto, acreditando que sua liberdade está garantida, mesmo que nunca saibam exatamente por quem.

Condenam gerações inteiras através de suas fraquezas e vícios. Sua maior obra é criar o engano e espalhá-lo como verdade. Temem a palavra do outro, porque sabem que sua farsa só se sustenta no silêncio. Sugerem a censura de todos aqueles que dizem o contrário.

São frágeis e sabem que qualquer tipo de embate seria seu fim.

Acreditam em direitos que eles próprios não conquistaram. Acham que os diversos pedaços de papel que regem a vida moderna irão valer de algo quando o único cenário possível for o confronto direto.

A constituição irá nos proteger, diz a lei.

O dinheiro irá valer, ostentam os ricos.

A democracia irá prevalecer, apostam os burocratas.

A ciência comprova, ululam os cientificistas.

Tercerizam suas responsabilidades e chamam isso de ser civilizado. Sua garantia é a garantia de outro.

Erguem um falso deus chamado democracia e o tomam como redentor universal.

Quando inevitavelmente falha, ajoelham-se e abrem alas para a revelação pública da tirania do coletivo. Dizem fazer tudo pelo outro. Não acreditam em liberdades individuais, pois já entregaram com sorriso no rosto tudo aquilo que um dia lhes restou.

Uma humanidade que não assume para si o risco de suas ações. Se o outro arriscar a própria pele é melhor manter distância, algo imprevisível pode acontecer.

Por fim, afastam o homem de tudo aquilo que é mais divino e virtuoso. Criam uma criatura amorfa, que nega a si mesmo e que ao negar-se também repudia à Deus.

Zombam de suas tradições, desprezam a própria vida. Criaturas caricatas, imitações de outras imitações. Consideram a originalidade um pecado capital, pois esta os lembra de sua mediocridade.

Seu conceito de felicidade é se esquecer da tristeza e do vazio existencial.

Julgam o outro pela sua própria estatura moral, que é, por via de regra, nula. Acreditam que tudo pode ser comprado, pois eles foram e por muito pouco. Corrompem seus bolsos e contas bancárias, pois suas almas já abandonaram a carcaça que insistem em chamar de corpo.

Homens que se chamam de homens por mera convenção, não porque honram tal título através de suas ações e anceios.

Acreditam mais nas palavras do que na ação, mesmo que saibam que tudo aquilo que dizem é vazio e sem essência. Vivem pela demagogia do discurso, tiram o corpo fora quando as consequências deste retornam. Juram que tudo que fazem e dizem é pelo bem comum e em nome das boas intenções.

Enquanto propagandeiam o "fique em casa" e use máscara até sozinho dentro do carro, estão nas ruas curtindo livremente o mundo que a população se priva de frequentar, sem máscara alguma, usufruindo das suas mordomias conquistadas através da mentira ou pelo dinheiro do contribuinte.










[Image: xWhatsApp-Image-2020-07-20-at-13.51.12-1...Mz4Cw6.jpg]

Prefeito e presidente da câmara de belém se divertindo ²





Do outro lado da moeda vemos o povo sendo agredido se tentar fazer o mesmo.




Segundo alguns, liberdade para entrar no mar somente depois da "vacina".





Nos comentários do vídeo acima, vemos o exemplo clássico de um povo que defende a retirada de liberdade do próximo, sem perceber que está prestes a perder a sua própria.

E quem não quiser acreditar na "cura" vinda das mãos do próprio causador do problema? 

Será forçado?

Nesse ritmo quem não tomar a tal da vacina em 2021 não conseguirá pegar nem um ônibus na rua.

Estão criando um mundo novo onde eles podem tudo e nós não podemos nada. Se acham capazes de categorizar aquilo que é essencial e aquilo que não é. Depois disso, o próximo passo é dizer que você, por não se enquadrar nesse teatro, não é essencial e deve ser eliminado. A pior parte: Não teremos vídeo algum para registrar toda essa mentira, porque nada disso vai passar pelos “verificadores de fatos independentes”. Esse é o futuro que nos aguarda se a PL 2630/2020 continuar avançando.

Nunca possuem interesse próprio, mas, coincidência ou não, são sempre os maiores beneficiados de suas articulações. Tramam contra a nação na calada da noite.

Atores de um teatro grotesco, consideram a covardia sua maior virtude¹. Sua prudência é não se revelar nunca. Atacar indiretamente, sempre com alguma canetada por trás, obviamente para outro executar a ação final, como boas hienas que são. Acreditam que por terem aberto a porta para o inimigo serão poupados e recompensados pela subserviência.

Possuem malícia para fazer o mal e inocência para entender o seu inevitável desfecho. Seus mestres não irão poupá-los, pois são traidores e irão traí-los igualmente na primeira oportunidade.

Não reaja: Esse é seu mantra. Nós somos a lei. Nós somos e quem não é obedece.

Você lendo, acredita que se não lutar, será poupado e terá uma vida tranquila e serena, longe de qualquer conflito?

Através de aproximações sucessivas seremos todos escravizados.

Não presuma paz. Esteja preparado se o oposto vier.

Depois de retirar uma liberdade o estado nunca volta atrás se não for forçado a retroceder.

Chamam de extremista a mera constatação destes fatos. Negam a realidade como se esta deixasse de existir por falta de testemunhas. Enquanto nos recusamos a reagir efetivamente, o mundo rui. Desta vez, pela ausência, quase que total, de homens que saibam o verdadeiro custo da liberdade.

Homens que não se escondam atrás de ideologias ou misticismos.

Homens que não estejam dispostos a negociar suas liberdades individuais.

Homens que em tempos de relativismo absoluto não temem a realidade objetiva.

Homens que não se escondam atrás de livros, teorias fajutas ou telas de computador.

Homens que se cansaram de dialogar com aqueles que querem inviabilizar sua existência.

Homens que enfrentam o perigo de frente, sem subterfúgios ou máscaras.

Homens que não se ajoelhem, nem que isso lhes custe a própria vida.


¹ https://legadorealista.net/forum/showthr...p?tid=4543 Inspirado na parte final do comentário do confrade Trglodita: “Nesses "tempos difíceis", em aspas por motivos óbvios, a gente vê como o homem moderno é um maldito cretino que prefere viver uma vida medíocre e troca a própria liberdade por uma falsa sensação de segurança, e o pior: ele quer que você seja um maldito cretino como ele. A covardia se tornou virtude.”


² https://epoca.globo.com/guilherme-amado/...paign=post
Responda-o
#2
Todos querem direitos, mas esquecem de seus deveres. A fraqueza da sociedade se dá pela perca de valores forjadas e aprimoradas a tempo. Quando não se sabem mais o que é arte, e desconhecem sua história surge o barbarismo que nada mais é que a perca da beleza que muitas vezes foi outrora alcançada e perdida por uma sociedade que cansou de lutar e se rendeu ao comodismo. Mas é a história das sociedade como o ser humano e tudo na vida, elas nascem, crescem e morrem e a nossa está cada vez mais próxima do fim.

Baita tópico, @Indomável está inspirado.

                Passei, vi e, ao contrário deles, venci.
Responda-o
#3
Aproveitem os últimos suspiros de liberdade porque o barato pode ficar loko....  Joinha

O Brasil ainda não sabe de que tipo de puta será, se for da China será mais uma escravinha sexual... se for da America poderá ser um lanchinho com alguma dignidade e chance de prosperar.

Guerra fria ou 3º Guerra em vista?

O pais sequer tem caças militares modernos para defender o espaço aéreo, confie nas FORÇAS ARMADAS Gargalhada 

A Venezuela ficou mais de uma década comprando arma soviética e fabricando armas soviéticas, é só desembarcar tropas e tocar o pau no BR com ajuda de europeus de zoio na AMAZONIA.


Então qual seria a defesa do país diante da ameaça externa e poderio militar das outras nações, o que as forças armadas ofereceriam num eventual cenário pré guerra ou guerra hibrida: a bunda, a amazônia e a cabeça do povo desarmado. Além é claro de bancarem os cães de guarda da narcocleptocracia comunista atual que tem aliados externos de olho no que o país tem a oferecer Girafales Quem gosta de bandeira é o povo na copa do Mundo.


Positivismo+ narcotismo+ cleptocracia+ CHINA/comunismo=  Africa latina.... onde a URSS E CHINA se instalaram na Africa o baguio virou Venezuela/Rio de Janeiro... milicias locais protegendo fragmentos de território e tropas de exércitos mercenários controlando a extração de riquezas.

Os Venezuelanos também confiavam nos militares Pinguins


Nesse processo de decadência as policias entrarão em enfrentamento direto contra o povo desarmado, não adianta dizer sou do bem, da paz, uso a bandeira do brasil na passeata, acredito em Deus, os caras vão esculachar e pau no seu cú. 

Mas e os seus direitos? Estão no papel trouxa, quer que eu imprima para você por num prato para almoçar ou prefere borrar seu cú sujo com tinta de impressora?

É você por você, na boa,comece sua corrida armamentista individual, para pelo menos defender-se e talvez ter a capacidade de integrar-se a um núcleo de resistência caso a falência civilizacional comece a imperar em definitivo, os indícios já são presentes.

Liguem o modo sobrevivencialista, cautela, prudência e planejamento. Cool
Responda-o
#4
Quem tiver valores civilizacionais comuns mínimos quem seja, é quem sobreviverá. É só isso o que importa no fim das contas, pois as pessoas morrem e o que ficam são esses elementos.

Não adiantará ser armamentista numa sociedade anti-armamentista. Não adianta tentar defender seu interesse numa sociedade que não tem isso por valor, pois sempre o outro vai interferir na sua vida, então o que resta é saber "escolher bem quem será o outro".

O problema não são os mandos ou desmandos provindos das Leis, dos coletivos, ou do Diabo que seja. Na hora do pega pra capar o que vale é ter decência e valores. Já citei esse caso, mas um país como o Japão, que tem um povo decente, uniforme, homogêneo culturalmente e bem unido, está tirando de letra nessa situação de pandemia. Eles sabem quando é hora certa de se isolar, hora certa de fechar as fronteiras, e a hora certa de desfazer tudo isso. Eles não desrespeitam isso não é por que eles não queiram ter liberdade ou individualidade, mas sim por que sabem que precisam ter essa disciplina e fazer sacrifícios para sobreviverem, afinal foi assim na guerra e em todas as catástrofes naturais que eles sofreram desde sempre.

Acima de tudo, acho que os políticos, empresários, etc. das terras Nipônicas em boa parte querem defender o interesse da nação. Uns dizem que eles são muito fechados, mas olha só, não foi que isso se pagou? Aqui se o político ou empresário não é claro defensor da fortuna dos ricos, é um comunistinha tentando inverter o jogo para poder conseguir isso. O povo daqui é individualista, mas do jeito mais errado possível, quando não é coletivista de aparência. É mesquinho, é arrogante, não gosta de ver o crescimento alheio. É de fazer vergonha tamanha inveja arraigada e ressentimento enraizado no espírito de um povo.

Um povo forte mas que apostou no multiculturalismo como os EUA tá se lascando cada vez mais, não bastasse a pandemia, agora os protestos. Eles tem a força, mas não tem a união e homogeneidade necessária. Estão pagando o preço de terem escolhido o caminho do globalismo e multi-culturalismo, as desvantagens estão aí pra quem quiser ver.

Brasil então, estamos sem mato e sem cachorro. Sem valores, sem coesão, uns cegando aos outros em tempo integral. Mandar os outros e a sociedade ao brejo é só o caminho mais rápido de acelerar a derrocada civilizacional. Provar que de fato isso pouco vale como nação reconhecida e é apenas um antro cheio de tribos semi-civilizadas, algo a se comprar com os piores países da África.

Vocês tem que fazer a aposta, vão fazer isso aqui valer, para o bem ou para o mal, ou já desistiram de tudo de uma vez e vão partir para a selvageria?

O nome do problema está aí (multiculturalismo, falta de valores comuns e coerentes, etc.), façam o que quiser com ele. Ou isso aqui se ajeita como nação uníssona, custe ou que custar, ou vamos viver pela eternidade cheio dos problemas provenientes disso.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#5
(25-07-2020, 04:31 AM)Wild Escreveu:
Spoiler Revelar
Quem tiver valores civilizacionais comuns mínimos quem seja, é quem sobreviverá. É só isso o que importa no fim das contas, pois as pessoas morrem e o que ficam são esses elementos.

Não adiantará ser armamentista numa sociedade anti-armamentista. Não adianta tentar defender seu interesse numa sociedade que não tem isso por valor, pois sempre o outro vai interferir na sua vida, então o que resta é saber "escolher bem quem será o outro".

O problema não são os mandos ou desmandos provindos das Leis, dos coletivos, ou do Diabo que seja. Na hora do pega pra capar o que vale é ter decência e valores. Já citei esse caso, mas um país como o Japão, que tem um povo decente, uniforme, homogêneo culturalmente e bem unido, está tirando de letra nessa situação de pandemia. Eles sabem quando é hora certa de se isolar, hora certa de fechar as fronteiras, e a hora certa de desfazer tudo isso. Eles não desrespeitam isso não é por que eles não queiram ter liberdade ou individualidade, mas sim por que sabem que precisam ter essa disciplina e fazer sacrifícios para sobreviverem, afinal foi assim na guerra e em todas as catástrofes naturais que eles sofreram desde sempre.

Acima de tudo, acho que os políticos, empresários, etc. das terras Nipônicas em boa parte querem defender o interesse da nação. Uns dizem que eles são muito fechados, mas olha só, não foi que isso se pagou? Aqui se o político ou empresário não é claro defensor da fortuna dos ricos, é um comunistinha tentando inverter o jogo para poder conseguir isso. O povo daqui é individualista, mas do jeito mais errado possível, quando não é coletivista de aparência. É mesquinho, é arrogante, não gosta de ver o crescimento alheio. É de fazer vergonha tamanha inveja arraigada e ressentimento enraizado no espírito de um povo.

Um povo forte mas que apostou no multiculturalismo como os EUA tá se lascando cada vez mais, não bastasse a pandemia, agora os protestos. Eles tem a força, mas não tem a união e homogeneidade necessária. Estão pagando o preço de terem escolhido o caminho do globalismo e multi-culturalismo, as desvantagens estão aí pra quem quiser ver.

Brasil então, estamos sem mato e sem cachorro. Sem valores, sem coesão, uns cegando aos outros em tempo integral. Mandar os outros e a sociedade ao brejo é só o caminho mais rápido de acelerar a derrocada civilizacional. Provar que de fato isso pouco vale como nação reconhecida e é apenas um antro cheio de tribos semi-civilizadas, algo a se comprar com os piores países da África.

Vocês tem que fazer a aposta, vão fazer isso aqui valer, para o bem ou para o mal, ou já desistiram de tudo de uma vez e vão partir para a selvageria?

O nome do problema está aí (multiculturalismo, falta de valores comuns e coerentes, etc.), façam o que quiser com ele. Ou isso aqui se ajeita como nação uníssona, custe ou que custar, ou vamos viver pela eternidade cheio dos problemas provenientes disso.

Irretocável, confrade. Na origem um dos maiores problemas, se não o maior, de fato é esse, mas no dia a dia acabamos vendo mais os sintomas do que uma das raizes dessa árvore podre chamada civilização.

Se for olhar pelo espectro geo-político e estratégico da coisa, que são reflexos de uma míriade de acontecimentos trágicos que nos colocaram nesse situação, vemos que estamos lascados mesmo, como disse o minerim. Não vejo outro cenário que não seja castastrófico, sem querer ser completamente pessimista, mas já sendo.

Como diz no livro "A conspiração aberta", escrito por um dos fundadores da sociedade fabiana, queriam já em 1928, que é o ano que o livro foi lançado, converter as pessoas de todo o mundo em socialistas, sem que ninguém percebesse. Se for olhar quando a tal da sociedade foi fundada, estaremos olhando pra antes dos anos 1900... Isso tudo é declarado e documentado, sem precisar partir pra nenhuma conspiração aleatória, apesar que se for pesquisar tudo se origina muito antes.

A implementação progressiva de moedas virtuais e renda única universal já mostra pra onde estamos indo.

Quando começo a ver a questão econômica acabo de confirmar todo esse cenário. A bolsa sobe na base de banco central injetando dinheiro pra fechar o caixa no final do dia. Quando colocam um pouco menos já dá aquela balançada na gráfico. Preços completamente artificiais. Uma verdadeira ilusão. O problema é que a impressora não é infinita, nunca será. As bases financeiras estão completamente em frangalhos, enquanto no campo da especulação todo mundo que não olha a base acaba acreditando em crescimento em v e afins, enquanto na verdade quando soltarem o mercado e deixarem o rio seguir o fluxo a situação se define por si só e a queda se torna livre.

Empresas que valem trilhão que não lucram há mais de 10 anos. Dívidas absurdas por todos os lados. Juros tendendo ao negativo. Selic caminhando pra menos de 2%. Preço do ouro em máxima histórica. Limitando valor de saque no dragão vermelho asiático.

Dá pra ficar falando desses absurdos o dia inteiro e sobre como nada disso se sustenta. Quanto mais tempo demorar pra quebrar, pior. Depois disso, algo que sempre acontece: fome e guerra. Crise financeira global = guerra em proporções globais.

Os metacapitalistas agradecem pelo serviço prestado. Até o inocente que entra agora na b olsa querendo faturar financia essa situação que está por vir.

Apoiar tudo aquilo que destroi os pilares da sociedade se tornou algo implicito pro cidadão comum, enquanto monetizar em cima de uma situação dessa é mais fácil ainda pra todos aqueles que querem nos destruir. A única forma de não colocar mais uma corda no nosso próprio pescoço é morar em uma cabana no meio do mato, apesar de que se fizermos isso teremos outros problemas mais imediatos.

As safras também já não são as mesmas. Problemas no mundo inteiro relacionadas a isso também. Frutas não desenvolvendo. Abelhas se perdendo. Produtos industrializados vindo em tamanho menor(shrinking). A situação do sol não anda boa, tudo indica que estamos caminhando para uma mínima solar. A maior dinastia da história do dragão vermelho caiu nesse contexto solar. Rumores de inversão dos polos magnéticos. Astros com comportamentos estranhos, muita coisa relacionada e não relacionada acontecendo ao mesmo tempo, complica até de acompanhar decentemente.

Mal consigo ver todo esse cenário sendo resolvido a longo prazo, quiçá em médio ou curto. Reconstruir esse mundo em escombros vai ser o trabalho das próximas gerações, se sobrar alguma coisa. O problema é que hoje pouca gente sabe meter a mão na massa pra fazer o que for.

Imagina ir parar numa trincheira com a geração felipe neto? Se até em exército bem treinado fogo amigo já é uma realidade cruel, imaginem o resto. Isso se tivermos balas. Guerra assimétrica, proxy war, guerrilha, insurgência e o diabo a quatro. Isso se não tomarem o país de outra forma maluca. Precisa tomar algo que já é seu? São tantas perguntas, tantas variáveis possíveis, não consigo ver isso não dando merda, pelo menos em um cenário dentre os mais que possíveis.
Responda-o
#6
Quem tiver valores civilizacionais comuns mínimos quem seja, é quem sobreviverá. É só isso o que importa no fim das contas, pois as pessoas morrem e o que ficam são esses elementos.

1-Não quando se destrói a cultura de várias formas numa linha do tempo, os valores não  transcendem as gerações,  só permanecem quando coincidentes com a necessária estrutura da realidade.




Não adiantará ser armamentista numa sociedade anti-armamentista. Não adianta tentar defender seu interesse numa sociedade que não tem isso por valor, pois sempre o outro vai interferir na sua vida, então o que resta é saber "escolher bem quem será o outro".

2- Se você se submete a vontade alheia calado numa sociedade em que se pode debater, o nome disso é bunda molismo.


O problema não são os mandos ou desmandos provindos das Leis, dos coletivos, ou do Diabo que seja. Na hora do pega pra capar o que vale é ter decência e valores. Já citei esse caso, mas um país como o Japão, que tem um povo decente, uniforme, homogêneo culturalmente e bem unido, está tirando de letra nessa situação de pandemia. Eles sabem quando é hora certa de se isolar, hora certa de fechar as fronteiras, e a hora certa de desfazer tudo isso. Eles não desrespeitam isso não é por que eles não queiram ter liberdade ou individualidade, mas sim por que sabem que precisam ter essa disciplina e fazer sacrifícios para sobreviverem, afinal foi assim na guerra e em todas as catástrofes naturais que eles sofreram desde sempre.

3- A auto regulação do individuo é o único elemento que em tese faz o Japão administrar a crise com exito, logo a atuação das autoridades do poder público de bosta não fazem diferença alguma com mandos e desmandos? Gargalhada  A maior operação comunista da história para dar um golpe global em curso  e ainda vem dizer isso? Olha o Brasil e o Sistema de Justiça e os Politicos fdp comunistas.....não compare essa latrina vermelha com o Japão que luta pelo estilo ocidental de existência.


Acima de tudo, acho que os políticos, empresários, etc. das terras Nipônicas em boa parte querem defender o interesse da nação. Uns dizem que eles são muito fechados, mas olha só, não foi que isso se pagou? Aqui se o político ou empresário não é claro defensor da fortuna dos ricos, é um comunistinha tentando inverter o jogo para poder conseguir isso. O povo daqui é individualista, mas do jeito mais errado possível, quando não é coletivista de aparência. É mesquinho, é arrogante, não gosta de ver o crescimento alheio. É de fazer vergonha tamanha inveja arraigada e ressentimento enraizado no espírito de um povo.

4- O Japão tem monarquia e consciência nacional diferentes dos dirigentes brasileiros que não passam de ocultistas apatridas em busca de uma utopia satânica. O povo brasileiro foi vitima de devastação intelectual e cultural, perdeu a consciência nacionalista que foi substituida pelo senso comunista inconsciente.


Um povo forte mas que apostou no multiculturalismo como os EUA tá se lascando cada vez mais, não bastasse a pandemia, agora os protestos. Eles tem a força, mas não tem a união e homogeneidade necessária. Estão pagando o preço de terem escolhido o caminho do globalismo e multi-culturalismo, as desvantagens estão aí pra quem quiser ver.
Brasil então, estamos sem mato e sem cachorro. Sem valores, sem coesão, uns cegando aos outros em tempo integral. Mandar os outros e a sociedade ao brejo é só o caminho mais rápido de acelerar a derrocada civilizacional. Provar que de fato isso pouco vale como nação reconhecida e é apenas um antro cheio de tribos semi-civilizadas, algo a se comprar com os piores países da África.


5- Os USA tem conservadorismo organizado para resistir politicamente.

Vocês tem que fazer a aposta, vão fazer isso aqui valer, para o bem ou para o mal, ou já desistiram de tudo de uma vez e vão partir para a selvageria?

O nome do problema está aí (multiculturalismo, falta de valores comuns e coerentes, etc.), façam o que quiser com ele. Ou isso aqui se ajeita como nação uníssona, custe ou que custar, ou vamos viver pela eternidade cheio dos problemas provenientes disso.

6- Selvageria? Yaoming  Existe algo chamado sobrevivencialismo. 

Quem já está partindo para Selvageria é o Estado por meio de seus agentes comunistas, ou você ainda não percebeu isso?

Um povo demente, fodido e confuso não querendo ver o pior e cobrando do outro impotente ao lado uma atitude....

Se venderem uma linda estorinha para enfiarem os brasileiros em trens, é bem capaz que acreditem.


Quanta falácia Wild... pare de comer soja e menstruar.

[Image: URVP6U4UVQDDGU6NAGQD7J6HO4.jpg]
 
Responda-o
#7
Sinceramente, não consigo ver uma coisa excluindo a outra, precisamos dos dois. Sem esses valores civilizacionais não chegaremos longe, não sem uma coesão cultural mínima. Ao mesmo tempo, não revidar nunca foi uma opção, mesmo que praticamente sozinhos. Não vejo outro cenário, mas tenho consciência que sem um grande número seguindo no mesmo caminho é esforço que pode não dar em lugar nenhum.

Vai muito da natureza de cada um, não tem como pedir pra um peixe subir uma árvore. No final cada um vai seguir pelo caminho que acredita ou que for obrigado pelas circunstâncias. Eu acredito na reação, mas quem não quiser reagir não deve se não tiver convicção nisso.
“Habit to us is given from above:
it is a substitute for happiness.”
― Alexander Pushkin


Responda-o
#8
Um biscoito para esse cara aqui:
(25-07-2020, 08:39 PM)Minerim Escreveu: 1-Não quando se destrói a cultura de várias formas numa linha do tempo, os valores não  transcendem as gerações,  só permanecem quando coincidentes com a necessária estrutura da realidade.
Os valores transcendem a cultura, podem ser transmitidos por via cultural normalmente sim, mas valores civilizacionais são patrimônios de toda a humanidade e resistem ao teste do tempo por serem atemporais e universais. Quase todas as culturas possuem um certo senso comum de alguns valores que perpassam toda a humanidade.

(25-07-2020, 08:39 PM)Minerim Escreveu: 2- Se você se submete a vontade alheia calado numa sociedade em que se pode debater, o nome disso é bunda molismo.
Por que esse povo é tudo se "submeter"? Até parece que nunca fizeram nada a contragosto na vida. A questão não é essa: A vida na pólis é regida pelas regras do coletivo. Não estou dizendo que acho isso o certo ou bonito, mas sim dizendo o que é. Quiser ir morar longe da civilização, a escolha é sua, boa sorte.

(25-07-2020, 08:39 PM)Minerim Escreveu: 3- A auto regulação do individuo é o único elemento que em tese faz o Japão administrar a crise com exito, logo a atuação das autoridades do poder público de bosta não fazem diferença alguma com mandos e desmandos? Gargalhada  A maior operação comunista da história para dar um golpe global em curso  e ainda vem dizer isso? Olha o Brasil e o Sistema de Justiça e os Politicos fdp comunistas.....não compare essa latrina vermelha com o Japão que luta pelo estilo ocidental de existência.
Autorregulação do indivíduo é o nome bonito que você deu para o que chamei de decência e valores. Realmente, lá não tem como comparar com isso aqui, quem tem consciência faz as coisas por espontânea vontade, não fica reclamando à toa só por que não gosta do que precisa ser feito.

(25-07-2020, 08:39 PM)Minerim Escreveu: 4- O Japão tem monarquia e consciência nacional diferentes dos dirigentes brasileiros que não passam de ocultistas apatridas em busca de uma utopia satânica. O povo brasileiro foi vitima de devastação intelectual e cultural, perdeu a consciência nacionalista que foi substituida pelo senso comunista inconsciente.
Isso eu concordo sem tirar nem por.

(25-07-2020, 08:39 PM)Minerim Escreveu: 5- Os USA tem conservadorismo organizado para resistir politicamente.
Sorte a deles que ainda tem alguns núcleos pequenos dispersos. Mas isso não muda a situação como um um todo. Os conservas e os neocons de armário não estão movendo uma palha para poder mudar a situação atual.

(25-07-2020, 08:39 PM)Minerim Escreveu: 6- Selvageria? Yaoming  Existe algo chamado sobrevivencialismo. 
Você já está com a cabeça na selva, lá você vai usar o dom do sobrevivencialismo muito bem. Vida em sociedade é outra história.

(25-07-2020, 08:39 PM)Minerim Escreveu: Quem já está partindo para Selvageria é o Estado por meio de seus agentes comunistas, ou você ainda não percebeu isso?
Concordo.

(25-07-2020, 08:39 PM)Minerim Escreveu: Um povo demente, fodido e confuso não querendo ver o pior e cobrando do outro impotente ao lado uma atitude....
A cobrança não tem endereço, é para quem a carapuça servir se responsabilizar pelos seus atos. Só se muda o panorama geral de um tabuleiro se todas as peças se mobilizarem.

(25-07-2020, 08:39 PM)Minerim Escreveu: Se venderem uma linda estorinha para enfiarem os brasileiros em trens, é bem capaz que acreditem.


Quanta falácia Wild... pare de comer soja e menstruar.
Evidente que não posso responder pelos outros.

Quanto às "falácias", a gente pode examinar bem seus "argumentos", sr. Chapéu de Alumínio, daí a gente pode começar a falar de falácias de fato.

Eu só estou aqui para conversar e não tenho monopólio de verdade nenhuma, não adianta tentar me imputar algo que eu nem ao menos tentei fazer.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#9
Excelente colocação do confra Indomável.
(25-07-2020, 05:16 AM)Indomável Escreveu: As safras também já não são as mesmas. Problemas no mundo inteiro relacionadas a isso também. Frutas não desenvolvendo. Abelhas se perdendo. Produtos industrializados vindo em tamanho menor(shrinking). A situação do sol não anda boa, tudo indica que estamos caminhando para uma mínima solar. A maior dinastia da história do dragão vermelho caiu nesse contexto solar. Rumores de inversão dos polos magnéticos. Astros com comportamentos estranhos, muita coisa relacionada e não relacionada acontecendo ao mesmo tempo, complica até de acompanhar decentemente.

Se me permite retocar, a gente só não precisa endoidar pelo que não faz muito sentido, veja bem...

Foi bom levantar esse ponto do Sol. Os ecologistas alarmistas (aka ecoterroristas) de hoje propagam destruição pelo "aquecimento global antropogênico", mas se esquecem que o maior fator de influência do clima na terra sempre foi e será o Sol e seus ciclos solares. Apesar de se conhecer muito bem essa estrela, ainda não se sabe tudo e a humanidade vai se extinguir muito antes de saber.

O que se conhecem são certos ciclos solares normais e sim, eles influenciam colheitas, o clima, etc. e teve o poder de mudar o curso de guerras e até de civilizações no passado.

Tudo isso muda demais a dinâmica da vida na Terra e muitas espécies podem se extinguir nessas mudanças, e com isso vai todo um ecossistema que já possuía um equilíbrio frágil em sua cadeia alimentar, e agora terá que arrumar um novo ponto. É como o Chaves equilibrando a vassoura no pé...

Terremotos, maremotos, tsunamis, erupções vulcânicas, inversão dos polos magnéticos, etc. são coisas da própria estrutura da Terra enquanto massa no cosmos, são outras coisas que tem um papel enorme, mas tudo isso pouco tem a ver com a nossa civilização ou a nossa vontade, e que a gente não pode fazer nada para evitar.

Os astros e até o próprio planeta não estão nem aí para a vida na Terra, pode a qualquer momento aí cair um cometa ou asteroide grande e dar um reset em tudo. Os astros fora o Sol e a Lua em nada mudam a vida na Terra. O universo tá cagando e andando pra gente, essa é a verdade.

O resto que nos compete, bem sabemos, está uma merda. Até onde se sabe nenhuma civilização durou "pra sempre", caso contrário estaria agora aqui conosco. Pra mim a corrida tem que ser para salvar o que ainda resta de valor. Os gregos, romanos e cristãos primordiais se foram, mas ainda estamos numa sociedade com seus valores, sua lingua, sua religião, etc.

Digo isso porque quando o vácuo da falta de valores toma conta de uma sociedade, ela tende a ser absorvida por outra mais forte. Os comunas russo-chineses e o Islã tão aí batendo na nossa porta...

Força e honra, sempre, meu caro!
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)