Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[RELATO] Pequenas Histórias por Romeu
#1
Pequenas Histórias
Postado por @Romeu no Mundo Realista em março de 2013


1)A loira na pracinha

Então,essa é de quando eu tinha 25 anos

Uma tarde sem nada para fazer,estava eu mais quatro amigos na praça do condomínio,quando apareceu uma loirinha bonita de olhos verdes e em torno de dezoito anos

Estava passando as férias aqui e conhecia um cara que estava com a gente

Ela sentou numa mesa com a gente,e começou o manginismo pra cima dela

Eu falava algumas coisas,mas ela mal comentava sobre o que eu falava

Aliás,ela esta tratando à distância todos

E assim continuou,até que alguém comentou que eu era dentista

Então os olhos dela brilharam,e tudo o que eu falava ela ria,e me chamava pelo nome,etc e tal

Antes me ignorava,depois disso começou até a puxar assunto comigo,rsrsrs

Na despedida,perguntou se eu iria parecer na praça no dia seguinte

Confesso que isso me deu ojeriza,e eu literalmente caguei pra ela

Hj me arrependo,devia ter comido essa vagabunda,era muito lindinha

Moral da história:

Essa porra de papo,lábia,é balela

O mesmo "papo" meu que era desinteressante,ao saber do meu status,passou o meu "papo" e "lábia" ser interessante

Papo é o cacete


2)A ninfeta

Essa é de 2004,quando eu tinha 34 anos

Estava passando as férias na região dos lagos(RJ),na casa de um primo meu,casado

Então fizeram um amigo oculto,e um churrasco

Apareceu uma roqueirinha de catorze anos,me foi apresentada e eu já estava bêbado

Bebida vai,bebida vem,conversamos sobre bandas,e ela me pergunta quem eu tirei no amigo oculto,e eu joguei um galanteio:

"Infelizmente não foi vc"

Tal frase causou um efeito nela,que ela não desgrudava mais de mim

Continuei bebendo,até que ela foi embora com a mãe dela

Mais tarde a mãe dela retorna,oferecendo carona para um show que iria ter na praia

Aí ela vem e fala comigo:

"Vamos juntos"

Aí fui lá e entrei na porra do carro,totalmente bêbado

Chegando na praia,deschavamos e logo já peguei ela

Ficamos num canto escuro na areia,e ela era muito safada e já vi que não era virgem

Depois conversamos um pouco,disse a mim que não era de bagunça e que gostava de namorar sério

Tudo bem,no dia seguinte meu primo(que é CASADO vem falar comigo no café da manhã:

"Porra,tu pegou aquela mina também"?,ele me pergunta

Eu fiquei espantado,e perguntei:

'Porque,tu pegou ela?"

Ele

"Peguei também!Vc se lembra quando acabou o gelo,e ela foi comigo buscar?

Maior safada ela,aGargalhadaha"

Detalhe:

Essa vadiazinha mirim era amicíssima da esposa desse meu primo,se abraçaram na festa e conversaram por muito tempo

Fiquei espantado com a moça que "só namorava sério e não gostava de bagunça", com o lado obscuro aflorado com tão pouca idade



3)A estagiária

Essa meu irmão que me contou,e foi muita coincidência porque se deu no Rio de Janeiro que é uma cidade enorme

Meu irmão quando estava na faculdade estagiou no Banco do Brasil

Tinha um vizinho e amigo do meu irmão,que um dia saiu pra tomar um chopp com meu irmão

Esse amigo dele falou pra ele:

"Tem que ver a noivinha que eu estou comendo,linda!"

Conversando mais sobre,meu irmão descobre que essa noivinha estagiava lá também,NA MESMA AGÊNCIA DO MEU IRMÃO

Meu irmão na hora disse que nem acreditou quando soube quem era,pois era uma menina muito na dela,e parecia "uma santa"(palavras do meu irmão)

"Ela falava tão baixo que mal dava para ouvir",disse meu irmão

E era bonita

Bom,chegou o dia do casório,e essa noivinha convidou o meu irmão para o casamento

Ele foi

E quem encontra lá?

ELA CONVIDOU O AMANTE DELA PARA O CASÓRIO

Meu irmão disse que ficou estupefato com isso

"O cara já casou corno e com o amante presenciando!",disse meu irmão

Ao ver que o meu irmão conhecia o amante,a noivinha ficou muito nervosa e bolada com o meu irmão

Meu irmão disse que notou isso claramente

Na hora dos cumprimentos,meu irmão disse que cochichou no ouvido dela:

"Fica tranquila"

Meu irmão nem se meteu,não contou porra nenhuma

"O cara já casou corno!"

Repetia


4)Um amigo meu-três histórias envolvendo ele

Eu tive como amigo um cara com quem não tenho mais contato

Ele curtia metal também,e quando eu frequentava a noite do Rio,íamos juntos para baladas de rock

Ele é participante de três histórias que vou contar agora

Hj em dia não tenho mais contato com ele

Vou denominar esse meu amigo de "Rogério"


Primeira história:

Em 1998 eu namorava uma guitarrista de uma banda de rock

Num belo dia,resolvi fazer uma festa em casa

Essa minha namorada era amiga íntima da vocalista dessa banda,e a chamou para essa festa na minha casa

Bom,essa vocalista tinha namorado,um cabeludo guitarrista que tocava em outra banda

Começamos a festa,eu,minha namorada,a vocalista,Rogério e meu irmão

Começou a bebedeira e metal rolando no som

A vocalista diz que o namorado dela também vem para a festa,mas só que iria chegar atrasado,pois estava no trabalho

Meu irmão começa a dar ideia nessa vocalista,até que pega ela na frente de todo o mundo,os dois se beijando na frente de geral

Meu irmão se deu por satisfeito e saiu fora,pois tinha outros compromissos

Continuamos a bebedeira

Nisso,o Rogério começa a conversar com a vocalista,e já estávamos todos bem bêbados

A chama para um quarto vazio e fecha a porta

Passa uns cinco minutos e a campainha toca:

Era o corno da namorado da vocalista chegando

Eu corro e bato à porta do quarto

Sai o Rogério com a cara toda contrariada(depois ele me confessa que já estava chupando os peitos dela e com certeza iria acabar comendo)

Os dois recompõem-se e vão para a sala

Chego o corno todo pagando paixão,dando beijinhos e todo apaixonado,sob os nossos risos todos disfarçados

Achei humilhante isso,o cara pagando paixão e agente tinha testemunhado toda a putaria que rolou poucos momentos antes

No dia seguinte a vocalista culpou a bebida pela falta de controle dela


Segunda história:

Essa é do ano 2000

Por essa época estávamos organizando churrascos do metal

Era sempre na casa de alguém diferente,comprávamos carnes e bebidas,e chamávamos a mulherada do meio metálico para participar

Esse Rogério já estava de papo com uma menina de quinze anos,a quem vou chamar de Gabriela

Gabriela era bonita,típica roqueirinha adolescente

Dizia gostar de Black Metal(não sei se falava isso para me impressionar)

Essa Gabriela foi num desses churrascos,e o Rogério começou a conversar com ela,e saíram juntos da festa

No dia seguinte fiquei sabendo que ele foi pra casa dela,e meteu-lhe a vara

Eles foram a minha casa,e essa Gabriela sentava do meu lado e ficava puxando assunto...não dei corda e saía do lado dela com frequência

Bom,os dois engataram namoro

Certo dia o Rogério foi na casa do meu irmão,que morava junto com uma mulher nessa época

Fizeram um churrasco,e a mina do meu irmão foi dormir cedo,ficando apenas os três,o Rogério,meu irmão e a Gabriela

Era verão e estava muito calor,e Rogério pergunta se pode tomar um banho
Rogério vai tomar banho,e meu irmão fica sozinho com a Gabriela

Assim que o Rogério entra no banheiro,ela tira a roupa e fica pelada na frente do meu irmão,e se atira pra cima dele(ele estava deitado no sofá)

Meu irmão fala:

"que isso garota,tá maluca,o Rogério está na banheiro"

Ela diz:

"Ele demora pra tomar banho"

Meu irmão sai fora,pois além do cara,tinha a namorada dele na casa

Meu irmão conta essa história muito tempo depois,e já desconfiava de que essa garota era uma vagabundinha

Tempo depois aconteceu algo parecido comigo:

O Rogério dormiu lá em casa com ela depois de uma festa,e de manhã foi tomar banho

Dormimos os três no mesmo quarto

Assim que ele entrou no banheiro,ela baixou o lençol e ficou com os peitos despidos na minha frente

Eu ignorei e mandei ela se vestir,pois já estava saindo pra viajar de volta para a cidade onde moro,no interior do Rio

(Curioso que era sempre quando o cara ia tomar banho)

Passou um tempo,e devido á brigas eles terminaram

Depois ela procurou ele e reataram

E logo depois disse estar grávida

Todos acharam estranho,menos o Rogério

Meu irmão falou pra ele:

"Faz o DNA"

Rogério disse:

"Não isso é muita humilhação"

E assumiu a filha

Muito tempo depois eu soube que a mãe da Gabriela cobrava do Rogério meio salário mínimo mensal

Achei isso prostituir a própria filha

A mãe acho que era alcoólatra,os pais eram separados

Enfim,mais uma típica família brasileira


Terceira história:

Então,essa aqui eu soube no verão passado,e deve ter acontecido há uns dois ou três anos

Seguinte:o Rogério conheceu uma moça que havia se recém separada de um PM,e estava na pista

Ele se envolveu com ela,e se apaixonou

Se apaixonou de tal forma que com apenas três meses de namoro propôs casamento a ela,no papel mesmo,no oficial,no civil

(Ele deve ter pensado que fazendo tal ato a mulher reconheceria isso e daria valor a ele,rsrsrs)

Casaram,enfim

E com isso,ele alugou uma casa,e mobiliou através de financiamento das Casas Bahia

Tudo ia bem,o casal apaixonado no seu ninho de amor
Viveram bem,e o Rogério era totalmente dedicado a ela,em uma grande diferença para o ex-marido dela,o tal PM,que segundo confissão dela mesma,a espancava

Mas aconteceu do Rogério perder o emprego dele,e ele só iria arrumar uma colocação uns seis meses mais tarde

As contas começaram a atrasar,e a mulher começou a ficar mal humorada e a regular sexo

As brigas eram constantes

Até um dia em que o Rogério peitou ela,e perguntou se ela ainda o amava

Ela respondeu secamente:

"Não"

Depois dessa discussão,ela resolveu terminar tudo

Isso foi numa sexta-feira

Rogério ficou arrasado com isso,e foi passar o final de semana na casa da mãe dele
Ao retornar na casa na segunda-feira,Rogério tomou um susto:

A CASA ESTAVA TOTALMENTE VAZIA

Sumiram os móveis,a porra toda

Atordoado,Rogério perguntou aos vizinhos o que poderia ter acontecido

Os vizinhos disseram que a tal da mulher encostou uma Kombi com uma equipe de ajudantes lá,e saiu desmontando os móveis e tudo

E levou a porra toda

Pensam que acabou?

Adivinhem para quem a mulher voltou?

Isso mesmo que vcs estão pensando

Fico pensando:

O cara pagando prestação mês a mês e os móveis lá na casa do PM com a mulher

FODA

Soube que o Rogério já arrumou outra mulher

Brasileiro não desiste nunca mesmo


5) A esposa do petroleiro embarcado

Meu primo conhece cinco caras que trabalham embarcados em plataformas da Petrobrás

Ele falou que todos os cinco são cornos

Inclusive ele contou que já traçou uma esposa de um desses caras,disse que a mulher é uma ninfomaníaca e insaciável

Disse que pegou ela numa balada e já traçou na mesma noite

De vez em quando marcava um encontro e comia ela

Mas outros comiam também a mulher é bem promíscua,apesar de casada

Segundo esse meu primo,essa mulher já foi até pro Chile encontrar um cara que ela conheceu no meio virtual,enquanto o marido dela estava embarcado

Esse meu primo uma vez foi convidado por ela para um churrasco na casa dela,dessa mulher que ele de vez em quando comia

Ele foi,mas não gostou do que viu:

O marido dela estava lá,e havia vários outros convidados

Meu primo percebeu que já tinha outros caras lá que já tinham comido ela também,que ele sabia,pois era do mesmo setor de trabalho dele na empresa onde essa mulher trabalha também

Sem sacanagem:

Meu irmão falou que tinha uns SEIS CARAS NA FESTA QUE JÁ TINHAM COMIDO ELA,QUE TINHAM SIDO CONVIDADOS PELA MESMA,contando com ele

Aí juntou uma rodinha com os caras,e nego já está tudo bêbado

O marido dela se apresentou a eles(era o tipo bonzinho trabalhador)

Aí nego começou a comentar:

"Porra isso é sacanagem,o cara é gente boa pra caralho,ele tem que saber do que está rolando..."

Meu primo ficou bolado com essas conversas,inventou uma desculpa e saiu fora

Vai que acontece um crime passional?


Esse tópico faz parte do projeto Segunda das Relíquias perdidas.
Responda-o
#2
Comentário entre as histórias:

Por Romeu - 04 Mar 2013, 16:57

Citação:Major_Lobo_Honrado escreveu:
Muito bom! Lembra Nelson Rodrigues mesmo.

Romeu, conta algumas histórias sobre garotas que mexem com drogas, lembro que vc falava sobre isso às vezes.

Conheço vários casos de drogados feios e sem grana que pegavam gatas,isso é mais comum no universo teenager,das novinhas

Porém não era gente do meu círculo de amizades,pois nunca convivi intimamente com drogados

Então não tenho elementos dramáticos suficientes que dariam boas histórias,com detalhes,etc e tal

Mas me lembro que minha namorada guitarrista de banda,amiga da vocalista de uma história que eu contei aqui,ficava me pedindo receituário especial para comprar remédios de tarja preta(sou dentista)

Lógico que neguei,ainda mais que ela era menor de idade,eu disse a ela que não era traficante

Aí ela disse:

"Não preciso de vc pra arrumar isso,se eu quiser eu tenho como arrumar"

E ficou de mal humor o resto do dia comigo,e deve ter abalado a relação também

Ela dizia pra mim que já havia fumado maconha,mas parou


Por Romeu - 04 Mar 2013, 17:11 (@Romeu )

Agora faço uma pergunta a vcs:

Não tem o conto da estagiária?

Que porra é essa?

Porque ela chamou o amante pro casamento dela?

Qual a intenção?

Que prazer mórbido seria esse?

Queria entender

E esse conto do petroleiro traído?

Porque essas mulheres chamam os ricardões na presença do marido corno inocente???

Que porra é essa????

Que prazer mórbido é esse?


Por war - 05 Mar 2013, 09:02 (@War )

Que isso cara, contos da cripta aqui, mais uma coisa eu confirmo, infelizmente ja estive no papel de 'Ricardão' e é visivel esse prazer morbido que mulher tem de entrosar o comedor com o provedor, lembra que sempre falavam na real que mulher tem uma atitude parecida com serial killer ? sempre deixando pistas do "crime", pois bem ...


Por Major Lobo Honrado - 05 Mar 2013, 12:35 (@Major Lobo Honrado )

Citação:Romeu escreveu:
Agora faço uma pergunta a vcs:

Não tem o conto da estagiária?

Que porra é essa?

Porque ela chamou o amante pro casamento dela?

Qual a intenção?

Que prazer mórbido seria esse?

Queria entender

E esse conto do petroleiro traído?

Porque essas mulheres chamam os ricardões na presença do marido corno inocente???

Que porra é essa????

Que prazer mórbido é esse?

Também queria saber que prazer é esse que elas tem de humilhar o macho, de provar que é poderosa a todo custo; será algo natural delas, ou influência do marxismo social? Já contei aqui no fórum sobre um relato de um conhecido, que tinha feito DP com uma vadia, e a mesma convidou ele e o amigo para o casamento dela. Agora sinistra mesmo foi a vadia do relato do confrade Magno (viewtopic.php?f=14&t=10946), até agora não vi nada pior que isso.
Responda-o
#3
6)A fonoaudióloga

Essa é de 1996,quando eu tinha 26 anos

Bom,um pessoal do trabalho me chamou para uma festa num condomínio de chalés

Um desses caras do trabalho era homossexual,era da minha idade,e era gente boa

A festa iria ser na casa dele,e ficou acertado que se ficasse muito tarde eu poderia dormir na casa dele

Dentre as convidadas,e que era vizinha desse meu colega de trabalho que era gay,estava uma fonoaudióloga que também trabalhava na clínica onde eu estava

Era mediana,e gente boa também,eu já havia conversado com ela algumas vezes
Bom,começou a festa,e rolou bebidas e até acenderam cigarros de maconha

Tinha umas lésbicas convidadas que eram conhecidas desse meu amigo gay,e pela primeira vez na vida vi duas mulheres se beijando na minha frente

Até aí normal,mas depois percebemos,eu e a fonoaudióloga,que de heterossexual só havia nós dois

De modo que ficamos a maior parte do tempo juntos e conversando

Num dado momento,uma lésbica entrega um bilhetinho para a fonoaudióloga,que também tinha por volta da minha idade e não era de se jogar fora

O bilhete dizia alguma coisa como "seus olhos de jabuticaba são lindos"

A fonoaudióloga ao abrir e ler o bilhete soltou uma gargalhada

A lésbica que mandou o bilhete ficou puta,e falou:

"Se vc não está a fim,é só dizer não,não precisa ficar debochando e menosprezando"

E nesse meio tempo,o anfitrião da festa,o meu conhecido gay,tomou um porre e ficou descontrolado

Começou a ficar com ciúme da fono que estava conversando comigo,e entrou numa que iria se declarar para mim

Pegaram ele e levaram para o banheiro para tomar um banho frio

O clima da festa ficou meio estranho,e eu já não me sentia bem lá

E já estava tarde

Foi aí que a fonoaudióloga me convidou para ir dormir no chalé dela

Ela disse que estava muito tarde,e que devido a esses eventos desagradáveis,era melhor que eu dormisse na casa dela

Aceitei a oferta,e nem tinha outras intenções,estava eu bêbado e além de tudo eu sabia que ela era noiva

(O noivo morava no Rio Grande do Sul)
Bom,cheguei no chalé dela,ela me deu uma toalha e me mostrou onde era o banheiro

Entro no banheiro já vejo logo um sutiã de renda preta em cima da pia

Achei isso estranho,peguei o sutiã,analisei e deixei no canto

Tomei banho normalmente

Bom,após tomado o banho,eu estava crente que iria dormir na sala,quando ela me diz para subirmos que eu iria dormir no quarto dela

(O chalé só tinha um quarto,era no segundo andar,no andar de cima)

Bom,fui lá

Tinha uma cama de casal e uma cama menor

Eu ia dormir na cama menor

Aí ela vai tomar banho

Quando ela termina o banho e sobe para o quarto vem com uma camisolinha bem curtinha

Confesse que minha pica ficou dura,mas nem pensei maldade,pois afinal ela ERA NOIVA(sim,eu era um idiota e achava as mulheres seres acima de qualquer suspeita)

Não dormimos de imediato,ficamos conversando bastante tempo

Num dado momento ela solta essa:

"Estou preocupado com vc nessa cama,ela é tão dura,tem certeza que vc está bem aí?"

Eu disse que sim.mas já estava percebendo as segundas intenções dela

Como eu não tomei iniciativa,ela depois de um tempo ela falou:

"É,já vi que vc percebe as coisas somente quando vc quer...quando vc não quer,vc não percebe"

Depois disso eu fiquei mudo

Logo depois dormi

Tenho ojeriza a pegar mulheres comprometidas,e fiquei chocado com essa porra,ela parecia uma moça séria

Comecei a perceber o lado obscuro das mulheres com mais clareza

O pior foi o dia seguinte

Eu acordei antes dela,e fui dar uma volta no condomínio

Fui na casa do gay para ver como ele estava(apesar do ocorrido o cara era gente boa)

Fiquei com ele ajudando a arrumar as bagunças da festa,quando chega um carro no condomínio:

ERA O NOIVO DA FONOAUDIÓLOGA QUE HAVIA CHEGADO DE SURPRESA

Ainda bem que eu não estava na casa dela,mas as minhas coisas ficaram lá na casa dela(eu tinha trazido uma mochila com algumas roupas)

Na hora que o cara foi tomar banho,ela me passou a mochila pela janela

O gay perguntou se eu havia comido ela

Eu apenas respondi que não rolou nada

Fico pensando se eu estivesse na casa dela quando o noivo chegou,eu explicando que não havia comido a mulher dele(ele com certeza não iria acreditar),ou tendo que me esconder no armário ou embaixo da cama

Pouco tempo depois eu conversei com outro dentista,o qual confessou que ela também havia dado em cima dele,e ele não pegou ela por ser casado e evangélico

E o homossexual vizinho dela me disse que viu ela entrando com dois caras no chalé dela,à altas horas da noite(mas em dias diferentes,num dia com um cara,e num outro dia com outro)

E era uma moça normal,não tinha nem um jeito de ser vagabunda e periguete

Depois disso,a minha visão sobre as mulheres começava a mudar

Pouco depois dessa história,ela se casou com o noivo e foi morar no sul

Nunca mais a vi,e nem tive notícias dela


7)Ricardão e Paulinho-uma história entre dois casais

O primeiro casal

Havia um casal do meu relacionamento,conhecidos,não propriamente amigos,mas frequentávamos comumente os memos churrascos de fim de semana,etc

Esse casal era o Paulinho e a Soraya;Eles casaram cedo,em torno dos vinte anos,e tiveram quatro filhos nos primeiros seis anos de casamento;

Paulinho,devido á sua profissão,viajava constantemente,e não era incomum ficar uns vinte dias fora de casa

Paulinho era o provedor único da família;Soraya ficava em casa cuidando das crianças

Paulinho era o típico cara família,adorava os filhos e a esposa,e quando estava nas folgas do serviço em casa,era visível o seu contentamento em estar na companhia da esposa e dos filhos

O segundo casal

O segundo casal também fazia parte do meu círculo social,próximos,mas não amigos propriamente dito

Era o casal formado pelo Ricardão e pela Solange

Ricardão:o típico cara bonachão,daqueles que se dá bem com todos,comunicativo(eu mesmo acho o cara gente boa)

Não tem pinta de galã,mas tampouco é feio

Usa drogas com alguma frequência

É casado com Solange,que até onde sei,não usa drogas(não sei se antes usava)

Um detalhe sempre me chamou a atenção

Solange também é mediana,nem bonita nem feia,porém é profissional liberal de nível superior,e Ricardão possui um curso de nível técnico/médio,embora eu ache que a renda dos dois,apesar disso,não deve ser uma bem maior do que a do outro;a discrepância aqui é mais cultural do que financeira

Outro detalhe:Ricardão,mesmo casado,sempre saiu em baladas,e sua esposa Solange sempre ficou em casa,e ela já soube de vários chifres dele nela,tendo perdoado(depois de algumas rusgas e até uma vez uma ameaça de expulsão de casa) todas elas

Até onde sei,Solange nunca o traiu

Outro fato,de que me lembrei agora,era comum a Solange sair nas madrugadas atrás do Ricardão,e algumas vezes protagonizar cenas explícitas de ciúme

Certa vez,nem conhecia NA nem nada,mas já percebia intuitivamente,que as mulheres privilegiavam sujeitos como o Ricardão,que pouco demonstravam respeito,interesse ou consideração pelas mulheres com quem eles se relacionavam

Só lendo NA entendi o porquê de tal atitude delas

Mas voltando ao que eu queria dizer,certa vez eu presenciei uma situação de como ele tratava a Solange no dia-a dia:

Estávamos eu,o Ricardão e um outro amigo meu tomando umas cervas em um quiosque á beira-mar,lá pelas seis horas mais tarde,quando de repente o Ricardão desliga o celular dele e comenta"

"Ah,eu vou desligar o meu celular porque daqui a pouco a Solange vai me ligar pra ir buscar ela do trabalho,e agora eu tô bebendo e não tô a fim de sair daqui não...ela que vá de ônibus,se quiser!!"

Detalhe é o seguinte:

O ônibus que ela iria pegar para ir para a casa iria passar BEM EM FRENTE AO NOSSO QUIOSQUE,e com certeza,depois de ela ligar várias vezes para o celular desligado do cafa,iria topar conosco tomando as cervas no quiosque!

Tanto que eu comentei com o Ricardão:

"Pô,Ricardão,assim ela vai apaixonar de vez!!"

Ele riu

Bom,os dois casais frequentavam festas juntos,ás vezes na casa de um,ás vezes na casa de outro,e ás vezes em um lugar neutro(sem ser nas casas de um dos dois casais)

Nesse entrevero,e em meio ás viagens a trabalho do Paulinho,aflorou uma ligação perigosa entre o Ricardão e a Soraya;

Ficou bem escondido por um tempo,até que estourou em um grande escândalo;Solange descobriu(através de investigação no MSN do Ricardão),que estava mais uma vez sendo traída;o escândalo estoura e Solange diz que vai expulsar o Ricardão de casa;

Paulinho,envergonhado perante os amigos,familiares,conhecidos e a comunidade,se separa (de corpo,não judicialmente,da mulher),abandona a casa,e afunda na bebida

Da última vez que eu o vi,estava bem mais gordo e meio cabisbaixo

Depois disso tudo:

Ricardão,passado o teatro da mulher dele de expulsá-lo de casa,retorna á casa

Pouco tempo depois,fiquei sabendo que ela o flagrou saindo do quarto da casa de um conhecido com outra mulher

Pasmem:ela ficou puta com o dono da casa em que ela flagrou o Ricardão com outra(nem fala mais com o cara até hj),mas o Ricardão,mais uma vez foi perdoado

Bem,Ricardão e Solange continaum juntos até hj,ano passado nasceu o primeiro filho deles(um menino)

E quanto ao Paulinho?

A situação de Paulinho é muito triste:

Fora a pensão que ele paga(quatro filhos,deve ser uma pedrada),a diminuição da convivência com os filhos(que ele adorava),a humilhação pública pela qual passou,o divórcio dos bens do casal(uma casa e um apartamento) está no litígio,o divórcio foi litigioso,não houve acordo,não sei os detalhes,só sei que não houve acordo

Que eu saiba,não se amasiou com outra mulher até hj(além do trauma,deve ter também a questão financeira,não sei nem se sobra algum para a própria sobrevivência dele)

Fim.


8)A farsante

Mais uma historinha:

Esse relacionamento foi um divisor de águas para mim

Depois dele,percebi que havia acumulado experiências suficientes para desacreditar de vez em relacionamentos com as mulheres de hj

Essa história é de 2002,eu tinha 32 anos,e já estava meio desacreditado das mulheres

Mas surgiu essa moça,ela era irmã de uma colega de trabalho

Rolava um clima entre nós,até que um dia numa boate eu peguei ela e começamos a sair juntos,engatar um namoro

Ela tinha 27 anos
Bom,eu já estava meio descrente das mulheres,como disse

Essa moça era de uma família que tem muitas terras,e ela já tinha casa própria desde os 21 anos,que o pai deu pra ela

Na verdade ela morava com os pais e alugava essa casa

Então,já pensei,"vamos ver no que vai dar,essa pelo menos já tem casa,não vou levar um facadão se eu casar e separar depois,vale a pena arriscar"(sim,já estava totalmente em desconfiança com as mulheres,depois de muita coise que vi e vivi)

O namoro ia bem,nunca tivemos brigas,e ela era boa de cama,e realmente gostava de sexo

O corpo dela explodia de excitação na cama,poucas vezes tive uma mulher assim nas minhas mãos,cujo corpo respondia fogosamente e de forma exuberante aos estímulos sexuais

É bem verdade que não havia paixão entre nós,mas achava até bom assim,relações mais focadas na serenidade tendem a ser mais duradouras

Nessas saídas com essa minha namorada conheci uma prima dela,que morava em SP,e que estava se separando do marido,e que passou a frequentar mais as nossas cidades

Saímos muitas vezes nós três juntos,sem nenhum problema

Num belo sábado de manhã liguei para ela,e combinei de sairmos à noite

Falei que ia levar um amigo,que estava interessado numa amiga dela(outra amiga,nada a ver com essa prima dela de SP)

Bom,ficou combinado de sairmos os quatro:eu,ela,esse meu amigo e essa amiga dela que meu amigo estava querendo pegar
Mais ou menos umas seis horas da tarde deste sábado,ela me liga dizendo que não iria mais poder sair,que iria ter de ficar de babá dos filhos pequenos do irmão dela,sobrinhos dela

Falei que tudo bem,que não tinha problema

Ela propôs de sairmos no domingo seguinte,e eu falei tudo bem

Fui avisar ao meu amigo,que o encontro não iria rolar mais

Ele ficou desanimado,mas falou pra gente sair assim mesmo,sem elas

Não estava com vontade,mas ele insistiu muito

E fomos pra essa cidade que minha namorada morava(ela morava numa cidade diferente da minha),porque ele botou na cabeça que queria sair nessa cidade

Fomos;

Chegando lá,entro na porra da boate

É impressionante,mas a primeira pessoa que eu vi foi minha namorada,nessa mesma boate

Naquele ambiente escuro de boate,eu a vi,mas ela não me viu

Incrivelmente não fiquei muito chocado,já esperava o pior das mulheres,já tinha em mente o que esses seres eran capazes de fazer,as artimanhas,as mentiras e as falsidades de que são capazes

Falei pro meu amigo esperar que eu iria pegar umas bebidas pra gente

Fui pelos cantos da boate para ela não me ver,até a fila do bar

Já estava na festa mesmo,iria aproveitar

Chegando na porra da fila,a pessoa que está justamente na minha frente:

A PRIMINHA PAULISTA DELA

Aí já entendi a porra toda,fui deschavado pra ela sair com a priminha dela

Essa prima dela,ao me ver fez uma cara de espanto,depois se recompôs e me cumprimentou

Depois disso,não vi mais a minha namorada na boate

Com certeza a priminha dela a avisou,e ela saiu fora

Bom,eu e meus amigos continuamos na boate,bebendo e chegando na mulherada

Conversei com uma lá,a conversa rolou,mas não consegui pegar

Voltamos pra casa

Bom,passou domingo,e eu não liguei pra ela porra nenhuma

Pra mim já tinha acabado a porra toda

Lá pela terça feira ela aparece e vem falar comigo

E vem com esse papinho:

"Hum,fiquei sabendo que vc saiu na noite,ficou na pista,minha prima te viu"

Eu fiquei calado e vi até onde ela iria levar essa farsa ridícula

Ela vem até mim,e me beija,mas eu não beijo ela,e fico parado esperando a palhaçada continuar

Ela pergunta para onde vamos no fim de semana,eu respondo que não tenho a menor ideia

Ela fica desconcertada,me beija de novo e me abraça

E depois sai

Não liguei pra ela porra nenhuma,e parei de atender aos telefones dela,bem como os pedidos da irmã dela para que eu conversasse com ela

Simplesmente o relacionamento morreu


Confesso que senti uma falta dela,ela era boa de cama,e era branca com os cabelos castanhos claros,do tipo que eu gosto

Mas era uma farsante mentirosa,não dava pra seguir em frente num relacionamento com uma mulher dessas

Confiança só se perde uma vez


Depois disso,morreu em mim a vontade de ter relacionamentos com essas modernetes de hj em dia

Fiquei,dos 32 aos 36 anos perdido,só pegando baladeiras e vadias na noite,mas totalmente desacreditado em mulheres

Até que um dia,esse mesmo amigo meu que eu citei nessa história me convidou para ir num puteiro

Eu abominava puteiros,mas ele me encheu tanto o saco que eu fui

Lá tracei uma loura coxuda muito gostosa,e foi muito bom

Depois percebi que é tudo puta mesmo,e amadoras por profissionais,melhor ficar com as profissionais mesmo


9)O presente

Essa é de quando eu tinha 21 anos,eu era um verdadeiro idiota,totalmente imerso na matrix

Havia uma garota três anos mais nova do que eu,sensual,bonita e gostosa

Eu era amigo dela,e ela me pôs na friendzone

Me abraçava,me agarrava,e com o tempo acabei por me apaixonar por ela

Ouvir a voz dela fazia o meu coração bater mais forte,e quando ela chegava perto de mim parecia que o tempo parava

E ela mandava umas letrinhas,tipo "se eu não estivesse namorando,sairia com vc,"Gosto muito de vc",e essas outras táticas da friendzone feminina
Essa menina tinha um caso enrolado,um carinha que volta e meia eles terminavam e voltavam(devia ser um cafa)

Houve uma vez em que eles terminaram e parecia que era definitivo dessa vez,pelo que ela falava

Então vi ali a minha chance de me declarar

Eu,idiota,resolvi comprar um perfuma da Boticário e escrever algo para ela

Fiz isso,comprei a porra do perfume(que eu sabia que ela gostava),e escrevi um bilhete para ela,perguntando se teria alguma chance de ocorrer algo entre nós,ou se não passava de brincadeira as coisas que ela me dizia

Entreguei a porra do perfume para ela,e entreguei o bilhete

Passou um tempo e ela veio me dizer que estava ainda envolvida por esse carinha que era o caso dela,que me achava interessante e que sairia comigo,mas que ainda gostava muito desse cara

Bom,fiquei triste,mas fiquei conformado,pois tirei de mim uma dúvida que me atormentava

A vida seguiu,e superei totalmente esse episódio e ficava conversando normalmente com ela,mas me desapaixonei dela totalmente

Perguntei pelo bilhete que havia entregue a ela,mas ela não quis me devolver,alegando que não estava assinado

Bom,passado um tempo fiquei sabendo que ela espalhou para todo mundo do nosso círculo social que eu havia entregue o presente para ela

Fiquei puto com essa porra

Provavelmente ela deve ter feito isso para inflação de ego dela,hj conhecedor da obra de Nessahan,percebo isso

Depois disso me tornei frio com ela de vez,e já estava tendo contato mais uma vez com o lado obscuro das mulheres,ia destruindo-se dentro de mim a imagem que eu tinha dentro de mim de que as mulheres eram seres angelicais e decentes

Depois,passado mais um tempo,ela terminou de vez com esse carinha dela,e voltou a me perturbar

Ficava dizendo coisas como "ainda vou ficar com vc só pra ver como vc é',falava de eventos que iria ter para ver se eu convidasse ela,e outra vez até perguntou quando eu ia dar outro perfume para ela

Mas eu já estava desapaixonado por ela

(Aqui eu não sei se ela estava realmente querendo ficar comigo ou se queria me sacanear de novo,o que acham?

De qualquer forma,eu não me expus a uma nova possível humilhação)

Bom,passou o tempo,e ela arrumou outro cara,e me deixou em paz

Casou-se com esse cara,e depois soube que meteu um chifre nele,e o marido perdoou

Vive com ele até hj,tiveram filhos

O Sr Chronos acabou com ela,nem sombra do que ela já foi

Bom,pra terminar,eu quase que mandei pra ela uma carta imensa junto com o perfume que eu mandei pra ela

Mas tive um lampejo de lucidez,rasguei e joguei no vaso sanitário,e resolvi escrever o tal do bilhete curto

Depois ela me confidenciou que esse bilhete meu ficou "arquivado' junto com outro bilhetes que ela recebia de outros pretendentes(ela era bonita e sabia aplicar bem a friendzone)

Vaidade extrema feminina

E sim,eu era um idiota
Responda-o
#4
10)Vou contar agora histórias em que involuntariamente fui quase um cafa

Digo involuntariamente porque nunca fui um cafa verdadeiro,só me comportava com frieza e desapego com uma mulher se ela realmente não me interessasse muito

São quatro histórias

a)Primeira história:

Esse foi em 1997,quando eu tinha vinte e sete anos

Ocorreu no verão deste ano

Em um dado momento deste verão me foi apresentado uma garota,de dezoito anos,numa rua da minha cidade que era tipo um point dos baladeiros,onde o pessoal se reunia em vários barzinhos antes de ir pras baladas

Um amigo meu com quem eu estava que me apresentou ela...ela era mediana e tinha dezoito anos

Começamos a beber e conversar juntos,e mais tarde iria ter uma festa num clube da cidade

Ela estava com uma amiga,e essa amiga dela estava de carro

Quando chegou a hora dessa festa começar no tal clube,ela me perguntou se eu não queria ir de carona com ela e a amiga dela(eu estava de carona com o meu amigo)

Aceitei e já vi que ela estava me dando mole
Chegando lá na festa,entramos no tal clube e não demorou muito pra eu pegar ela

Só que a amiga dela ficou meio que segurando vela,mas logo se arrumou com um cara,o que nos deixou mais à vontade

Estávamos bem bêbados já,e os amassos estavam ficando cada vez mais calorosos

Então sugeri que fôssemos para um lugar mais tranquilo

Esse clube dá pra uma praia particular,e eu arrastei logo ela pra praia,num canto escuro

Sentamos e continuamos a nos pegar,cada vez mais ardente o negócio

Então ela me diz:

"Vc é muito gostoso.Estou toda molhada"

Entendi isso como um sinal de que ela queria que eu verificasse se era verdade ou não

Não me fiz de rogado e pus logo a mão na passarinha dela

Mas antes ela tinha me avisado de que era virgem

Verifiquei,e ela realmente estava toda encharcada

É dessas mulheres que realmente se molham toda quando ficam excitadas

Aproveitei e comecei a manipular o clitoris dela,ao que ela me diz>

"Ah,não faz isso não..."

Mas depois foi orientado a minha mão,dizendo "mais embaixo,mais embaixo"

(Mulheres sempre dizem o contrário do que querem)

Ela se contorceu em alguns orgasmos,e depois pus o meu membro viril para fora,no que ela já caiu de boca(não sabia chupar,chupava mal pra caralho)

Depois disso ficamos conversando na praia,até que a amiga dela apareceu com o cara que ela estava ficando,e fomos embora

Logicamente que já percebi que era vagabunda,pois mulher que já no primeiro dia já te deixa bater uma siririca para ela,e ainda chupa o teu pau,não pode ser considerada uma mulher honesta,para relacionamento sério

De modo que para mim a história tinha acabado ali

Mas não para ela,na volta ficamos conversando(ela tinha alugado uma casa para temporada no condomínio onde moro),começou a viajar e falar de namoro,que eu iria tirar a virgindade dela,se com o dedo eu já era bom,imagina com o resto

Eu não falei nada nem prometi porra nenhuma,mas não pretendia mais ficar com ela


No dia seguinte nos encontramos nas baladas da cidade,e eu fui totalmente frio e distante com ela

Ela veio falar comigo,mas a tratei friamente

Ela saiu de perto,mas não tirava os olhos de mim

Caguei e andei pra ela

E então foi assim nesse verão,reparei que ela sempre ficava a minha vista,daonde eu pudesse avistar ela

Outros caras chegavam nela,mas ela não ficava com ninguém

Até que um dia,na mesma rua dos barzinhos,eu estava bem bêbado e fui falar com ela

Para minha surpresa ela foi bem receptiva.e a peguei sem dificuldade nenhuma de novo

Começava a nascer dentro de mim uma percepção que eu já vinha tendo de algum tempo:

De que as mulheres adoram os caras que a tratam friamente e que não tem consideração por elas


E assim fui pegando ela quando queria,ela virou um lanchinho de cafa

Nunca tive domínio assim sobre uma mulher quanto essa

Eu poderia facilmente ter tirado a virgindade dela,pois já morava sozinho,era só contar uma mentiras para ela,de que amava ela,etc e tal,que iriamos namorar sério,etc,e levar pro abate

Mas não é de minha índole isso

Eu a poupei

Na última vez que ficamos,numa boate,no final das férias de verão,e ela já iria retornar pra cidade dela,eu pedi o telefone dela

Ela me disse

"Pra que vc quer o meu telefone?eu sei que vc não vai ligar"

E eu disse que iria ligar sim,e ela me deu o telefone

Mas ela estava certa

Eu não liguei para ela

Curioso do fato acima é o seguinte:

MESMO ELA SABENDO QUE EU NÃO ME IMPORTAVA COM ELA,NÃO DAVA A MÍNIMA PARA ELA,ELA SEMPRE FICAVA COMIGO

Demorei muito pra entender essa porra,e só fui entender plenamente quado conheci a obra de Nessahan Alita


b)Segunda história

A balzaquiana

Vamos ao ano de 2002,quando eu tinha 32 anos

O meu primo estava pegando uma mulher,e ela tinha uma amiga de 31 anos,que estava solteira

Meu primo havia marcado uma viagem para a casa de praia dele,ia com essa namorada dele,e essa namorada perguntou se essa amiga dela não poderia vir também

Meu primo falou que tudo bem,e aí ele teve a ideia de me chamar pra ver se eu pegava essa mulher aí

Meu primo falou comigo,e bom,eu estava sem nada pra fazer e aceitei essa proposta

Bom,iríamos no carro do meu primo

Chegou no dia da viagem fui com meu primo buscar elas

No ponto de encontro marcado a conheci,era uma loira que dava pra pegar

Nos apresentamos,e ela sentou atrás comigo,e a namorada do meu primo foi na frente com ele

Ela não deu muito papo no começo,e inclusive botou uma porrada de coisa entre nós dois,mochila,bolsa e o caralho,fez uma barreira entre nós dois

Achei escroto essa porra,e interpretei como um mau sinal,de que não iria rolar nada nessa porra

Fomos conversando os quatro na viagem,mas a mulher conversava comigo,mas sem dar mole descarado

Chegando na casa de praia do meu primo,tomamos banho e nos arrumamos pra sair na night,algum barzinho coisa assim

E aí saímos,e aí resolvi partir pro ataque,comecei a agir de forma mais incisiva,tentando pegar ela

Meu primo ficava de beijos com a namorada dele,o que facilitava o meu trabalho,pois ficávamos só nós dois,e não tinha outra coisa a fazer a não ser conversar

Fomos para um bar que tinha sinuca,e lá nesse bar já chega um cara nessa balzaquiana que eu estava dando ideia,mas ela dá toco no cara

Íamos conversando,cada vez a conversa fluía melhor e eu me via com chances

Depois de bebermos no bar,saímos para dar uma volta na rua,e ver o movimento

Esse bar ficava num lugar cheio de boates,e aí alguém sugeriu para entrar numa dessas boates

Porra,fiquei puto,e não tinha pego a mulher ainda,e entrar numa boate ia ser foda,cheio de homem ia chegar nela,e pior que se alguém pegasse ela lá,eu iria ficar com cara de idiota

Percebi que isso não ia ser bom pra mim,e falei que não estava a fim de entrar em boate

Aí elas falaram que iria entrar só pra ver como estava,o porteiro da boate deixou elas entrarem para averiguar

Já estava ficando desanimado,eu que não iria entrar na boate,boate é o puteiro da mulher

Bom,elas voltaram,e a namorada do meu primo ficou toda animada querendo entrar na porra da boate

A balzaquiana falou comigo,num canto:

"Vamos"

Eu falei pra ela:

"Eu não vou entrar.Vc com certeza vai encontrar alguém que te agrade lá

Bom divertimento"

Falei isso e me retirei,mas ela na mesma hora segurou no meu braço,e falou:

"Espera aí!"

Nisso já tive certeza de que ela estava me dando mole,apenas estava se fazendo de difícil

Instintivamente lhe mandei um ultimatum,e que deu certo

Meu primo entrou com a namorada dele na boate

Eu fiquei com a balzaquiana do lado de fora,e logo depois já estava pegando ela

Bom,algum tempo depois meu primo saiu da boate com a namorada dele,e fomos embora pra casa

Eu estava pegando a mulher,mas ela estava bem impedindo os meus avanços com a mão,pois a minha intenção era comer ela já na mesma noite

Chegamos na casa,e nessa casa tinha dois quartos

Aí na hora de ver onde cada um ia dormir,a balzaquiana sugeriu para nós quatro dormirmos no mesmo quarto

No que eu falei que ia dormir sozinho,se ela quisesse que viesse dormir comigo

Logicamente que era mais um jogo de cena pra se fazer de difícil de novo,e acabou que ela entrou no quarto comigo

Aí lá no quarto já comecei a pegar geral,tirei a roupa dela,e até o sutiã

Já estávamos no amasso geral,e eu só de cueca

Quando faltou de só tirar a calcinha dela,inventou que tinha que ir no banheiro

Voltou da porra do banheiro dizendo que tinha acabado de menstruar,e colocou um absorvente lá embaixo da calcinha

Lógico que era mentira,até tentei botar a mão pra tirar aquela porra,mas ela não deixava

Então me lembro que li no livro Feliz ano velho,que o autor do livro tinha passado por essa mesma situação,e ficou cavucando por cima dela com calcinha e tudo mesmo

Fiz a mesma coisa,tirei a cueca e fiquei cavucando por cima dela,peladão mesmo

Ela parece que gostou

Ficamos nisso a noite toda
No dia seguinte tido tinha mudado

A mulher estava toda melosa e não se desgrudava de mim

pqp

Aonde eu ia,ela vinha do lado

Sem falar que toda hora queria ficar me beijando,e ei já estava sem saco

Na verdade estava feliz de que de noite iríamos embora

Nem pedi o telefone dela nem porra nenhuma

Na verdade não pretendia mais vê-la

Nos despedimos,e já havia até esquecido dela

Mas uma semana depois meu primo me liga,e fala pra repetirmos a viagem

Eu descarto,falei que não estava mais a fim de pegar ela

Meu primo falou que a balzaquiana ficou amarradona,e que a namorada dele estava mesmo insistindo para que eu visse a balzaquiana de novo

Mas descartei,falei que iria estar muito ocupado e que não poderia mais viajar

Um tempo depois meu primo meio que teve uma desavença com essa namorada dele,ficou solteiro e na pista

Daí que resolvemos viajar,e fomos pra casa de praia dele,pois teria um show na cidade

Fomos embora e partimos para a viagem

No caminho ele me diz que a balzaquiana tinha arrumado um cara,e eu me senti aliviado,pois ela arrumou meu telefone e me ligou umas duas vezes,me sugerindo para sairmos juntos,e estava cada vez mais desagradável para eu inventrar desculpas as mais mirabolantes

Chegamos na casa de praia,maior empolgação,esse show ia dar muita mulher,acho que era uma bande dessas de axé que iria tocar

Fizemos um churrasco pra passar o tempo e esperar a hora de sair pra night

Estava tudo certo,até que...

Aparece a porra da namorada dele de surpresa,e não veio sozinho,veio com a balzaquiana

Vieram no carro da balzaquiana

pqp,não acreditei quando vi,minhas expectativas para a balada foram todas por água abaixo

Meu primo logo fez as pazes com a namorada dele,e começaram a se pegar

Eu já tinha bebido um pouco,e tomei logo um remédio pra ir dormir

Mal falei com a balzaquiana,ela veio falar comigo mas me mantive frio e à distância

Fui deitar no quarto,o mesmo que eu peguei ela dias antes e quase comi

Ela vem e entra também

Peguei um colchão que tinha lá e deitei no chão,se ela quisesse que dormisse na cama

Ela vem e senta na cama

E fala comigo:

"Vem cá,senta aqui,vamos conversar"

Eu respondi que estava com muito sono

PORRA,ELA JÁ ESTAVA SAINDO COM OUTRO CARA,QUE PORRA É ESSA???

PORQUE VEIO ME PERTURBAR???

Mesmo ela estando ela saindo com outro cara,facilmente eu pegaria ela de novo naquela noite,e quem sabe até comeria

Bom,logo apaguei,o remédio fez efeito rápido

No dia seguinte ficou um clima meio ruim,e elas foram embora logo

Passado muito tempo depois,acho que um ano ou um ano e meio,essa balzaquiana me liga,falando que teria que ir na cidade onde moro,e se não tinga lugar pra ela ficar

Achei estranho essa porra,parecia que ela estava se convidando pra minha casa

Dei-lhe o endereço de uns hotéis e desliguei o telefone

E detalhe,ela estava comprometida com esse mesmo cara que ela arrumou depois de mim

Parece que o meu desapego a deixou maluca,e somando com o efeito de ela ser balzaquiana,a coisa ficou muito exacerbada

Depois disso peguei trauma de balzaquiana,nunca mais peguei uma na minha vida

E sim,elas gostam de serem destratadas


Vou continuar de onde parei,tenho mais duas histórias para contar das formas em que agi desapegadamente das mulheres,que foi quando menos me fodi em relacionamentos

Mulheres gostam de serem desprezadas

c)Terceira história

A paciente

Essa é de 2002,quando eu tinha 32 anos

Estava eu indo da minha cidade(que é no interior do Rio),para a capital

Fui num ônibus rodoviário,aqueles ônibus de viagens

Embarquei e o ônibus estava meio vazio

Eis que embarca nele também uma paciente que eu estava atendendo,de 19 anos,um pouco acima do peso,mas bonitinha

Ela me vê e me cumprimenta,e depois pergunta se pode sentar do meu lado,já que o lugar estava vazio

Eu falei que não havia problema


Bom,ela se senta ao meu lado,e passamos a conversar durante a viagem

Reparei que ela ficava muito próximo a mim,encostando a perna dela no meu corpo e tudo,então já vi que ela estava com segundas intenções

Peguei na mão dela e ela deixou,e logo depois tasquei-lhe um beijo nela
Nessa época eu estava namorando sério,com a Farsante,a qual já contei a história aqui

De modo que para mim foi apenas um beijo sem maiores consequências

Para mim o negócio teria morrido ali


Bem,como disse,ela era minha paciente(sou dentista,pra quem não sabe)

Passou-se alguns dias,e eis que finalmente chegou o dia em que eu iria atendê-la de novo

Eu a atendia e à irmã dela também

Cheguei e a atendi normalmente

Depois da consulta,ficamos um tempo à sós e ela me pergunta quando é que a gente vai sair

Eu,surpreso e constrangido,estava sem tempo

O rosto dela se encheu de lágrimas nos olhos

Eu fingi que não vi

Depois vem a irmã dela,que ia atender em seguida,e pergunta para mim porque a irmã dela está chorando

Eu disse que deveria ter sido por causa da consulta,ela deve ter ficado nervosa

Depois eu pensei:

"Pqp,por causa de um beijo um papelão desses"

Já começava a antever problemas com essa porra

Ela já tinha 19 anos e não era criança,além do mais não prometi nada a ela

Fiquei receoso dessa porra se espalhar e atrapalhar o meu namoro

Os dias se passaram e ela continuava insistindo em falar comigo

Eu lia jornal numa pracinha na hora do almoço e ela dava um jeito de aparecer por lá

Ficávamos conversando,mas eu não pegava mais ela,já vi que não tinha maturidade e discrição para dar uma boa amante

De modo que um dia fui bem direto com ela,e disse que eu era um comprometido,que tinha uma mulher,falei até que era casado

Ela ficou olhando sério para mim,e deu certo isso,pois parou de me perturbar

Também não me chantageou

De vez em quando ainda a vejo,ela é casada e tem filhos


Bom,estou contando estas histórias da forma como aconteceram na minha vida

Para perceberem porque virei RS striker e adeptos de puteiros

Vcs entenderão tudo ao final desse ciclo de histórias,já está acabando

As principais histórias estão acabando

Por essa época,eu estava me sentindo bem na minha nova fase,pretendendo ser um cafajeste

Como vcs vem acompanhando os relatos,eu comecei a pensar de que mulher realmente gosta é de ser esculachada e mal considerada,pois quando fui verdadeiro com as mulheres só me fodi

Então,por essa fase de 2002(depois do trauma que eu tive com a Farsante),até 2005,eu andava totalmente desapegado de mulher,na verdade já estava descrente em levar relacionamentos sérios com elas,pegava só por pegar mesmo e era contra puteiros,achava coisa de derrotado

Dito isto,continuemos;



D)Quarta história

A morena

Essa é de 2004,e também agi desapegadamente

Em 2004 eu já estava fora da matrix,já percebia que investir em relacionamentos era furada

Conheci essa mulher com meu primo

Era final de 2004,depois do natal,às portas do réveillon de 2005

Nós pegamos o carro à noite,e começamos a chegar nas mulher com o carro mesmo na rua

A gente estava numa cidade turística,havia muita gente nas ruas
Avistamos umas quatro mulheres,e chegamos nelas,encostando o carro na calçada

Elas aceitaram a nossa carona,e entraram no carro

Havia uma coroa que era a mãe delas,e três moças,duas de vinte e poucos anos e uma de treze

Eu passei pra trás,e sentei do lado de uma morena,e já pus o braço no ombro dela,e ela não tirou,o que evidentemente é um bom sinal

Quando chegamos na região cheia de barzinhos,já saí do carro segurando a mão dela

Foi muito fácil pegar ela,logo depois já estava beijando

Meu primo pegou a outra de vinte anos

A coroa,que era mãe delas,falou:

"Vcs vão ficar beijando as minhas filhas e eu vendo,quero cerveja"

Aí pegamos cerveja e ficamos bebendo

Teve um momento em que eu tirei ela da mesa e a levei para um canto escuro
Essa morena que eu peguei tinha 23 anos

A gente trocou telefones,ela era uma bonita,já estava pensando em como teria que fazer para comer ela,pois não ficaria muito tempo nessa cidade do meu primo

Saímos uma vez novamente em grupo,eu,meu primo,as moças e a mãe dela

Depois disso,chegou um pessoal na casa do meu primo,que já estava marcado para passar o ano novo lá,e o meu primo não poderia mais sair comigo,pois teria que ficar fazendo sala,e também acho que ele não se amarrou muito na mulher que ele pegou desse grupo

Então eu marquei para sair sozinho com essa morena que eu estava pegando

Marquei num bar com ela,ás tais horas

Estava tudo certo,mas aconteceu um imprevisto:

Bom,um dia antes de eu sair com essa morena que eu havia marcado,chegou na casa dos meus primos um pessoal,conforme eu já havia falado

Dentre essa turma que chegou lá,havia uma mulher,de 28 anos

No primeiro dia,a gente na mesma casa,só conversei com ela

Aconteceu de no dia em que eu ia sair com essa morena,acabou que eu peguei essa mulher(essa história será contada também,será a próxima,eu fui um verdadeiro estepe emocional)

Eu peguei essa mulher,estava tendo um churrasco,eu já estava bêbado e pegando essa mulher

E chegando a hora do encontro com a morena,eu me lembro que eu ainda fiquei em dúvida se eu iria ou não me encontrar com ela

Já estava bêbado e pegando essa mulher que apareceu na casa do meu primo,foi aí que pensei que mulher gosta é de cafajeste mesmo,elas gostam de serem maltratadas

Pensei:

"Vou porra nenhuma,vou ficar com essa por aqui e depois pego ela de novo"

Nem liguei desmarcando nem nada,poderia ter feito isso,mas não fiz

Quis ver até onde dose de cafajestismo faz as mulheres ficarem caídas por vc



Acabou que eu fiquei até o réveillon com essa mulher que eu peguei,passei o réveillon com ela

Quando ela foi embora da casa do meu primo,fiquei livre para atacar a outra

Estava tudo certo na minha mente,inventei uma história de que tinha rolado um imprevisto,e liguei pra ela e iria contar pra ela

Eu liguei para ela,e contei um caô qualquer,sugerindo para nós nos encontrarmos novamente

Era certo de eu pegar ela de novo,pois ela se mostrou bem na minha quando eu pegava ela


Pra minha surpresa ela me xingou de filho da puta e tudo

Falou que ficou me esperando no bar por bastante tempo,e que eu não dei os ares de minha presença

E falou também para que nunca mais a procurasse

A história que eu contei não colou,na verdade ela mal quis ouvir

Na verdade eu fiquei atordoado com essa porra,pois na minha cabeça de cafa recém adquirida,eu estava certo de que eu iria pegar ela de novo

Não entendi porra nenhuma,e isso deu um nó na minha cabeça

Fui verdadeiro,me fodi,estava tentando ser cafa,e me fodendo também

Então fiquei a ver navios,porque essa morena eu perdi,e a que eu peguei na casa do meu primo se revelou uma decepção,conforme vcs verão mais à frente

Estava muito complicado entender a cabeça das mulheres,não à toa,depois de dois anos só iria passar a frequentar puteiros e ficar livre das dores de cabeças dessa merda de ter que lidar com essas modernetes de hj

Lamentei muito ter perdido essa morena,porque com mais um pouco de investida era certo eu comer ela

Enfim,cafajeste não se cria,já nasce feito



Depois vou contar a história dessa da casa do meu primo,e que me atrasou com essa morena,e de mais uma história da minha infância

E se encerrará o ciclo de "Pequenas histórias"
Responda-o
#5
11)Estepe

Vou contar agora a história daquela que me fez perder o encontro marcado que eu tinha com a morena,na qual dei bolo

A chamarei de Juliana

Bom,estava eu na casa do meu primo

Estava para chegar um pessoal na casa dele,que iriam passar o réveillon na região dos lagos,RJ

Nessa leva de pessoas,eis que vem junto uma moça:

Juliana

Eu estava de boa,já tinha pego uma mulher na noite anterior com o meu primo(relatado no conto anterior),mas sabemos como nós homens somos:

Quanto mais mulheres,melhor

Ela veio solteira,e como era bonita,de uma beleza normal,com seus olhos ora verdes,ora castanhos claros(nunca consegui descobrir a cor certa),logicamente que me chamou a atenção
Ela tinha 28 anos

Eu não fui com sede ao pote,primeiro a estudei,e tive que vencer um contratempo antes de ficar com ela:

Um rival

O tal do rival era um amigo do meu primo,que havia discutido com a esposa dele,e perguntou se não poderia vir para a casa do meu primo,para espairecer e trocar ideia

Pois bem,esse cara chegou no mesmo dia em que a Júlia chegou,e já ficou se atirando pra cima dela

Houve um churrasco lá,eu conversei com ela,mas o cara era bem mais acintoso e insistente do que eu,ficava cercando ela mesmo

Eu deixei pra lá,tinha um encontro no dia seguinte com a morena que eu tinha pego na noite anterior,estava tranquilo

Em certo momento do churrasco,esse cara veio falar comigo:

"Aí,vc está a fim dela?

Então é melhor pegar ela logo,porque ela já está no meu papo

E eu não dou mole com mulher,eu pego mesmo,eu me garanto"

Eu apenas falei que estava tranquilo

Chegou a noite,fui dormir,e o cara ficou lá xavecando ela

Esse cara tinha uma arma importante

Um Astra zerado,em 2004 era carro isso,não sei hj,mas em 2004 botava uma banca

Eu tinha ido de carona com o meu primo,estava,portanto desmotorizado lá

No dia seguinte acordei,soube que o cara não tinha conseguido pegar ela

Reparei na distância dos dois no café da manhã,mas soube que tentou ficar com ela

(Meu primo falou que viu ele abraçando ela e passando a mão no cabelo dela,mas não conseguiu pegar)
Depois do café da manhã sugeriram nós irmos para uma praia

Aí que fodeu a porra toda:

Saímos,eu,meu primo,esse cara e a Juliana no Astra dele

Era um carro zerado,e com aquele painel todo rebuscado,belo estofamento,etc e tal

A Juliana foi na frente,ao lado dele

Ali vi que tinha perdido a parada

Durante o trajeto,o cara só ficou contando vantagem do trabalho dele,ele trabalhava na área de petróleo

Enfim,chegamos à praia

Aí se deu um lance de sorte

O cara do Astra encontrou uns amigos dele do trabalho num bar em frente ao mar,e já foi logo conversar com os caras,se sentando à mesa

Eu aproveitei esse momento de forma rápida,e falei pra Juliana:

"Vamos dar uma volta aí,conhecer melhor a praia"

Para minha surpresa ela aceitou

Meu primo ficou com o cara do Astra no bar, o qual perguntou:

"Vcs vão aonde?"

Falei que ia só mostrar um negócio para ela,e depois voltar

Pouco tempo depois já estava segurando a mão dela

A levei para uma ponte sobre um rio,e a beijei lá

Consegui pegar a mulher

Na volta,o cara do Astra sentiu a escama:

Pois a Juliana se sentou na parte de trás,ao meu lado

O cara perguntou:"Ué,porque vc vai aí atrás?"

Mas aí ele percebeu que tinha rodado e perdido a parada

Meu primo foi na frente com ele

Chegando em casa,o tal do cara do Astra inventou uma desculpa,que a esposa dele ligou,etc e tal,e foi embora rapidamente

Não sei se ficou envergonhado por ter perdido a mulher para mim,o fato é que o cara arrumou as suas bagagens e se mandou

Bom,estava de tarde,e fizemos um churrasco

Nesse mesmo dia eu tinha um encontro marcado à noite com a morena do outro tópico

Mas é foda,comecei a beber,já estava pegando outra,e os beijos estavam ficando cada vez mais quentes

Ela já estava na mesma casa que eu,era sexo certo,pensei eu

E além do mais eu estava convencido de que mulher gosta de ser sacaneada,queria por à prova isso

Como sabem,eu furei o encontro e não deu certo

Acabou-se o churrasco,e todo mundo foi tomar banho e ir dormir

Nessa casa os quartos eram em cima,e a sala ficava na parte de baixo

A Juliana ficou comigo,inventamos uma desculpa de que ia passar um filme na TV que a gente ia ver

A televisão ficou ligada no filme,mas nós nem olhamos pra tv

Só fiquei pegando ela e tentando comê-la ali no sofá mesmo,mas não consegui

Deitei ela no sofá e fiquei por cima só cavucando ela mesmo,como fiz no conto descrito com a balzaquiana

Porém foi muito bom,mesmo sem ter conseguido comer ela

Faltavam dois dias para a passagem de ano

Passei esse tempo pegando ela,e tentando comer

Ficamos a sós num quarto,rolou muita sacanagem,mas transar mesmo com ela,não consegui

Mas estava bom

Eu estava totalmente desapegado,e tentando me tornar um cafa

Passamos o ano novo juntos

No dia seguinte,fomos dar um passeio na beira do mar,ao por do sol

Ela me chamou para um banco,defronte ao mar,falou que queria conversar comigo

Sentamos,e ela me pergunta:

"Vc tem alguém?"

Eu respondi que não,não tinha ninguém,e respondi rindo

Idiotamente eu pensei que ela iria propor namoro,ou algo mais sério,mas o que se seguiu foi outra coisa

Ela me disse que tinha um cara a quem amava

E que este cara tinha feito uma proposta para ela:

Que abrissem o relacionamento no ano novo,que ele iria para Porto Seguro,que iria partir pra galinhagem,e que se ela quisesse ficar com alguém,ele não se importaria

Ela me disse isso,e falou;

"Eu não acreditei quando ele me propôs isso,pensei que ele estava brincando...eu gosto muito dele"

Entendi tudo:eu não passava de uma vingancinha dela

Fiquei chocado com essa porra,pois eu não esperava isso

Falei pouco e ouvi muito

De ficante dela,passei à confidente

Começou a me contar do cara:

Que o cara era advogado,e morava com a mãe no bairro da Lagoa(bairro do Rio onde só mora gente com grana,então já vi que o cara era um destacado)

E começou a contar que não se dava bem com a mãe do cara,segundo ela,por não ter formação de nível superior,etc

Enfim,fiquei ouvindo as lamúrias dela com esse cara

Tentei aparentar frieza e de que não havia ficado surpreso

Enfim,ela era um lanchinho de cafa destacado


Eu me senti usado,um instrumento,um estepe,acho que nunca tinha me sentido assim antes,não desta forma descarada

Perguntei se ela tinha gostado de ter ficado comigo

Ela disse que sim

Depois dessa noite,e nos dois dias seguintes antes dela partir,ela se tornou fria comigo

Não ficava mais perto de mim,chegou ao ponto de passarmos um pelo outro nos corredores da casa,e nem nos falarmos

Eu passei a ignorar ela também

Me ocorreu de ligar pra morena com quem eu havia furado,liguei e foi aquele fora que eu levei,conforme relatado,o que me levou de vez pro buraco

No dia dela ir embora,almocei e fui dormir no quarto,para não ter que me despedir dela,pois ela iria logo após o almoço

Fiquei do quarto na parte de cima ouvindo as despedidas dela,ela nem foi no quarto pelo menos falar alguma coisa comigo

Se mandou

Algum tempo depois,uns dois meses,eu tinha bebido umas cervas e me ocorreu de ligar pra Juliana,pra ver como estava,etc e tal

Eu tinha pego o telefone dela

Liguei,conversamos,e fiz uma sondagem sobre a impressão que ela teve de mim

Ela apenas me respondeu:

"Eu lembro de vc"

E seguiu-se um silêncio

Rasguei o telefone,joguei fora e a esqueci de vez

O réveillon seguinte eu viajei com um amigo para Natal,onde passei a virada de ano

Na volta,meu primo me conta que a Juliana ligou pra ele perguntando de mim.para eu ligar pra ela,etc e tal

Meu primo falou que eu estava muito longe dali,no Nordeste

Provavelmente ela queria matar dois coelhos com um tiro só

Arrumar um lugar pra cair no réveillon e me fazer de estepe pra vingancinha do namorado cafa dela

O homem para a mulher é sempre um meio

Sei que entrei nesse ano de 2004 totalmente perdido,tudo dava errado em relacionamentos com mulheres,eu era bonzinho e me fodia,era cafa e me fodia

Enfim,tudo dava errado

Por hj é isso



Por Barão_Kageyama - 21 Mar 2013, 17:16 (@Barãozin )

Caralho, parei pra ler a primeira história e não consegui parar até ler todas. Ficava até tocando aquela musiquinha do antigo seriado "A vida como ela é..." na cabeça enquanto eu lia Gargalhada

No aguardo de mais!


Por Robson - 24 Mai 2013, 13:47

excelente relatos

mostra de uma maneria bem simples, a Real e o verdadeiro lado feminino perante ao homem comum e o lado obscuro delas bem nitido

um dos melhores topicos


Por KajiraS - 02 Jun 2013, 21:31

Citação:Romeu escreveu:
Agora faço uma pergunta a vcs:

Não tem o conto da estagiária?

Que porra é essa?

Porque ela chamou o amante pro casamento dela?

Qual a intenção?

Que prazer mórbido seria esse?

Queria entender

E esse conto do petroleiro traído?

Porque essas mulheres chamam os ricardões na presença do marido corno inocente???

Que porra é essa????

Que prazer mórbido é esse?

Boa noite.
Desculpe-me intrometer nessa conversa. 
Vi essas perguntas aqui e gostaria de tentar respondê-las, uma vez que sou terapeuta, lido com vários tipos de pessoas, e ouço muitas histórias.
Sobre a estagiária e a mulher do homem da petrobrás, acredito que esse é um comportamento típico de imposição de poder. Tanto o homem quanto a mulher, muitas vezes, tem a necessidade de impor o poder, só que cada sexo faz de maneira diferente. Levar o(s) amante(s) para um casamento, festa, aonde o atual companheiro estará presente é uma demonstração do poder que ela acredita ter sobre o mesmo. O prazer mórbido se encontra em se achar triunfante diante de uma situação em que ela coloca dois ou mais relacionamentos num mesmo ambiente, o marido fica fazendo papel de trouxa, e o(s) amante(s) fica(m) vulnerável(is), sem poder fazer absolutamente nada: ele não pode tomar a mulher para si pois ele já sabia estar se envolvendo com um mulher casada, e ele, por "obrigação" tem que ficar calado, pois se algo for dito, a mulher já tem suas maneiras de dissimular de forma a sair como vítima da situação, e colocar um ambiente inteiro contra o(s) amante(s) que está(ão) difamando-a.
É um comportamento torpe, cruel, de alguém com um sério desvio de personalidade, que não merece ser levada em consideração e que deveria ser ignorada.
Nesse caso, mesmo o homens tendo aproveitado e comido a mulher por pura vontade de fazer sexo, eles se mostram de certa forma fracos, ao se prestarem a fazer parte do teatro de marionetes que essas mulheres criaram, comparecendo nesses eventos para reforçar o sentimento estúpido de triunfo que ela sente por se achar a dominante da situação.
Na minha humilde opinião, esses caras nem deveriam ter ido ao local.
Agora eu pergunto, por que os amantes compareceriam?
Obrigada.


Por Gambit - 03 Jun 2013, 02:15 (@Gambit )

Caralho velho!

Cadê as mulheres honradas do Brasil?rpz...depois dessas historias aí deu até medo de me casar.Só ficar tirando onda com as minas mesmo e acabou,a hitoria 8 do ricardão e paulinho é tensa pra caralho mano!

Os caras mesmo convivendo com as suas esposas por vários anos não sabem quem realmente elas são e o que fazem na ausência deles,por isso é bom ler N.A e passar um bom tempo namorando pra ver o tipo de pessoa que está ao seu lado.

Engraçado que essas mulheres depois de se separarem e verem a merda que fizeram devem se arrepender da situação e chorar porque tinha um marido que as tratava bem e o amante só queria apenas uma aventura.


Por Romeu - 08 Jun 2013, 20:33

Obrigado a todos que leram este tópico

Gostei da explicação da KajiraS sobre o porquê das mulheres que traem seus companheiros colocarem os mesmos em situação de ridículo

Tenho mais duas histórias para contar,e se encerrará o ciclo

É a história de um amigo meu pegador,que eu já contei quando tinha o nick Valmont no Orkut,e de um outro cara

Eu ia contar uma história da minha infância,mas depois pensei que isso seria forçar a barra,pois uma menina de seis anos,penso eu,não pode ser acusada de agir de forma obscura como agem as mulheres

Achei isso forçação de barra,e vou deixar de fora

Assim que voltar a inspiração,e eu eu tiver saco de escrever,eu voltarei aqui

As histórias,principalmente desse meu amigo pegador,é longa,é muita história pra contar

Abraços,amigos


Por OGuardião - 24 Jun 2013, 03:46 (@OGuardiao )

Os relatos do Romeu são excelentes.

Desde a época do orkut ele mandava reais, que contribuíram para ampliar minha visão.

Agora que eu vim encontrar esse tópico!

Comentário do Guardião:

O Romeu nunca mais apareceu para terminar os últimos dois contos. Então, aqui concluo as pequenas histórias do Romeu. Podem comentar abaixo.

Esse tópico faz parte do projeto Segunda das Relíquias perdidas.
Responda-o
#6
@Romeu, que lugar é esse que ser dentista é status? Yaoming
Responda-o
#7
Não vou negar...algumas dessas histórias tem cor, cheiro e aspecto de fan-fic. "Assim que o Rogério entra no banheiro,ela tira a roupa e fica pelada na frente do meu irmão,e se atira pra cima dele(ele estava deitado no sofá)", difícil de acreditar.

De qualquer forma, os comentários salvam o tópico.
Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#8
Eu também acharia que tem fanfic no meio dessas histórias, mas acho que não por causa de um detalhe: tudo se passa na Sodoma e Gomorra do Brasil também conhecida como Rio de Janeiro. Isso faz mais possíveis de serem reais.
Responda-o
#9
Grande Romeu!!! Saudações
Responda-o
#10
Já vi cada história escabrosa que eu não duvido de mais nada ... A capacidade do ser humano fazer merda nessa vida parece não ter limites
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)