Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Incentivo às mulheres nas faculdades, vagabundagem dos homens
#1
Incentivo às mulheres nas faculdades, vagabundagem dos homens
(Comunidade OLODM)

[Image: kRHPXts.png?2]

Não é a questão de conciliar estudos com atividade física etc.

O fator que leva mais mulheres dos que homens à faculdade, como já foi amplamente debatido aqui são dois:

I - Vagabundagem masculina, quando o moleque vira adolescente se torna um "vagal", passando o dia jogando videogame, batendo punheta e correndo atrás de mulher que não presta.

II - as meninas são mais incentivadas a estudar do que os homens, o moleque é instigado a procurar emprego cedo, se chega aos 18 anos sem trabalhar, já começam as cobranças, já com as meninas não é assim, elas podem muito bem chegar aos 25+ sem trabalhar, só para se dedicar aos estudos e ninguém fala nada.

Já foram mostrados vários exemplos aqui, o que mais me chamou a atenção foi o da família em que o pai obrigava o menino a trabalhar com ele como pedreiro, mas não deixava a menina trabalhar porque ela tinha que estudar.

Acho que esse é o exemplo mais claro de como funciona a questão educacional com homens e mulheres.

__________

O sistema de ensino brasileiro é ruim. Concordo que a metodologia é um lixo. Mas ainda acho que o fator principal é a vagabundagem masculina. Homem é muito vagabundo. E falo por mim mesmo, olhando para trás vejo quanto tempo perdi, especialmente correndo atrás de mulheres imprestáveis.

Se todo o tempo que perdi jogando videogame, envolvido com pornografia e correndo atrás de mulheres tivesse sido empregado nos estudos, certamente já seria, no mínimo, juiz de direito.

E esse negócio de ser "descolado" e "pegador" renderá o quê? Gravidez indesejada, pensão alimentícia, muita dor de cabeça, responsabilidades que não estaremos preparados para assumir, nos negando algumas coisas em prol dos filhos.

Comentário do Guardião: Das universidades aos concursos públicos o que mais tenho observado é a maioria esmagadora de mulheres estudando e ocupando mais postos que homens. Portanto se mexam e acordem para vida, Confrades! Lembrem-se da máxima "Sua futura ex-mulher nem nasceu ainda".

Esse tópico faz parte do projeto Segunda das Relíquias perdidas.
Responda-o
#2
Excelente tópico!

Um merecido tapa na cara nos "Zé Fimose" da vida!
"Fiat justitia, et pereat mundus..."

#somostodosvelhos
Responda-o
#3
É um ótimo tópico, de fato.
E serve inclusive para mim. Apesar de trabalhar o dia todo, ainda tenho tempo livro para estudar e sempre procrastino. Procrastinava, aliás!

Mas uma coisa é fato: essa questão do homem ter que trabalhar já cedo e a mulher não é uma verdade incontestável.
Logo quando saí do ensino médio, com 17 anos, já comecei a ser pressionado para arrumar emprego. Graças a Deus no ano seguinte passei num processo seletivo e já comecei a pagar meus próprios estudos.

Nesse ano eu estava no serviço militar obrigatório, na faculdade e ainda trabalhava.
Responda-o
#4
Também colega...
Ainda bem que podemos mudar o nosso futuro!
Mas geralmente é isso aí a vida do jovem masculino. Como diz o schopenhauer, o homem só amadurece por completo por volta dos 25 anos de idade. É muito raro você ver um jovem com uma meta ou expectativa do futuro bem novinho.
Responda-o
#5
(27-04-2020, 07:56 PM)hjr_10 Escreveu: Mas uma coisa é fato: essa questão do homem ter que trabalhar já cedo e a mulher não é uma verdade incontestável.
Logo quando saí do ensino médio, com 17 anos, já comecei a ser pressionado para arrumar emprego. Graças a Deus no ano seguinte passei num processo seletivo e já comecei a pagar meus próprios estudos.

Nesse ano eu estava no serviço militar obrigatório, na faculdade e ainda trabalhava.

Por aqui foi a mesma coisa, e apesar de ser apenas para os homens da família, não acho de todo errado. Sem essa pressão alguns ficariam eternamente nas costas dos pais.

Mas ao mesmo tempo fui e sou cobrado para "conseguir um diploma", chega a ser contraditório. Mas de qualquer forma, o ensino superior é algo que eu quero, e por mais que exista uma "matrix do ensino superior", isso pode me abrir portas.

O que resolveu um pouco pra mim em relação as cobranças (e pode ser útil aos novatos) foi ter começado desde o ensino médio a pegar estágios. Se deixarmos o preconceito leigo "hur dur estagiário", e olhar de maneira pragmática, um estágio de 4 ou 6 horas pode te render em média R$900 (o mesmo que iria ganhar limpo em um sub emprego como qualquer outro, ralando o dia todo) e vai te deixar com tempo pra estudar. Outra opção é empreender, vender na própria faculdade ou na rua, principalmente comida, rende uma grana.
Jet Sky < link

Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#6
(28-04-2020, 08:06 AM)Gorlami Escreveu:
(27-04-2020, 07:56 PM)hjr_10 Escreveu: Mas uma coisa é fato: essa questão do homem ter que trabalhar já cedo e a mulher não é uma verdade incontestável.
Logo quando saí do ensino médio, com 17 anos, já comecei a ser pressionado para arrumar emprego. Graças a Deus no ano seguinte passei num processo seletivo e já comecei a pagar meus próprios estudos.

Nesse ano eu estava no serviço militar obrigatório, na faculdade e ainda trabalhava.

Por aqui foi a mesma coisa, e apesar de ser apenas para os homens da família, não acho de todo errado. Sem essa pressão alguns ficariam eternamente nas costas dos pais.

Mas ao mesmo tempo fui e sou cobrado para "conseguir um diploma", chega a ser contraditório. Mas de qualquer forma, o ensino superior é algo que eu quero, e por mais que exista uma "matrix do ensino superior", isso pode me abrir portas.

O que resolveu um pouco pra mim em relação as cobranças (e pode ser útil aos novatos) foi ter começado desde o ensino médio a pegar estágios. Se deixarmos o preconceito leigo "hur dur estagiário", e olhar de maneira pragmática, um estágio de 4 ou 6 horas pode te render em média R$900 (o mesmo que iria ganhar limpo em um sub emprego como qualquer outro, ralando o dia todo) e vai te deixar com tempo pra estudar. Outra opção é empreender, vender na própria faculdade ou na rua, principalmente comida, rende uma grana.

O que me salvou nesses últimos tempos foram os jovens aprendizes que fiz. Infelizmente cometi erros de administração de dinheiro (querendo comprar o que o nem meio salário mínimo pode comprar e as dívidas do cartão que ia se acumulando). Se o cara tive mais cabeça, já começa a reinvestir esse dinheiro para pagar um técnico ou outro tipo de investimento como empreender etc.
Responda-o
#7
é bem verdade isso ai. Eu sempre fui vagabundo e tal, mas apesar do incentivo pra mulherada estudar, eu vejo nelas uma limitação... elas sempre precisam de aprovação de professor para fazer algo, sempre fazem perguntas idiotas e fazem as coisas com a finalidade de tirar nota, e nao de aprender (nao quero ser injusto, existem exceções)... nos homens somos mais transgressores neste sentido, isso nos torna mais criativos (eu acho), mas também existem muito playboy q ta ali apenas para agradar a familia mas não tem nem ideia de como vai ser a vida apos a formatura. Tenho um conhecido prestes a se formar, com mais de 30 anos, que simplesmente nao sabe sequer como se exerce a profissão que ele esta a mais de 5 anos estudando e pagando 4k/mes.
Responda-o
#8
Mulheres sao maioria entre empreendedores e nas universidades.
Responda-o
#9
Homem vagabundo e preguiçoso merece uma surra de gato morto que só deve parar quando o gato morto miar, infelizmente a maior parte dessa geração dos últimos 20 anos, considera um ultraje acordar cedo e ajudar o pai na oficina ou no serviço de pedreiro, acha vergonha trabalhar de office boy ou ajudar os parentes em um pequeno negócio, a verdade é que a juventude de um modo geral está mais preguiçosa;

Na verdade o salário mínimo, e o caminhão de direitos trabalhistas que colocam N empecilhos para o empresário contratar o jovem para um primeiro emprego, exceção feita aos aplicativos de entregas ou de transporte.

A verdade é que que tivemos uma universalização do ensino superior, principalmente as carreiras de humanas, que são áreas com apelo de escolha muito mais voltado as mulheres;

Eu vejo uma cultura de comportamento de massa focada na promoção da malandragem e do dinheiro fácil como virtudes, o que cria jovens vagabundos, com aspirações fúteis, materialistas e imediatistas, e isto afetou muito mais aos homens que as mulheres.
Responda-o
#10
(28-04-2020, 02:13 PM)Fernando_R1 Escreveu: Homem vagabundo e preguiçoso merece uma surra de gato morto que só deve parar quando o gato morto miar, infelizmente a maior parte dessa geração dos últimos 20 anos, considera um ultrage acordar cedo e ajudar o pai na oficina ou no serviço de pedreiro, acha vergonha trabalhar de office boy ou ajudar os parentes em um pequeno negócio, a verdade é que a juventude de um modo geral está mais preguiçosa;

Na verdade o salário mínimo, e o caminhão de direitos trabalhistas que colocam N impecilhos para o empresário contratar o jovem para um primeiro emprego, exceção feita aos aplicativos de entregas ou de transporte.

A verdade é que que tivemos uma universalização do ensino superior, principalmente as carreiras de humanas, que são áreas com apelo de escolha muito mais voltado as mulheres;

Eu vejo uma cultura de comportamento de massa focada na promoção da malandragem e do dinheiro fácil como virtudes, o que cria jovens vagabundos, com aspirações fúteis, materialistas e imediatistas, e isto afetou muito mais aos homens que as mulheres.

[Image: aplausos-gif-15.gif]
"Fiat justitia, et pereat mundus..."

#somostodosvelhos
Responda-o
#11
(28-04-2020, 10:13 AM)PensadorSolitário Escreveu:
(28-04-2020, 08:06 AM)Gorlami Escreveu: Por aqui foi a mesma coisa, e apesar de ser apenas para os homens da família, não acho de todo errado. Sem essa pressão alguns ficariam eternamente nas costas dos pais.

Mas ao mesmo tempo fui e sou cobrado para "conseguir um diploma", chega a ser contraditório. Mas de qualquer forma, o ensino superior é algo que eu quero, e por mais que exista uma "matrix do ensino superior", isso pode me abrir portas.

O que resolveu um pouco pra mim em relação as cobranças (e pode ser útil aos novatos) foi ter começado desde o ensino médio a pegar estágios. Se deixarmos o preconceito leigo "hur dur estagiário", e olhar de maneira pragmática, um estágio de 4 ou 6 horas pode te render em média R$900 (o mesmo que iria ganhar limpo em um sub emprego como qualquer outro, ralando o dia todo) e vai te deixar com tempo pra estudar. Outra opção é empreender, vender na própria faculdade ou na rua, principalmente comida, rende uma grana.

O que me salvou nesses últimos tempos foram os jovens aprendizes que fiz. Infelizmente cometi erros de administração de dinheiro (querendo comprar o que o nem meio salário mínimo pode comprar e as dívidas do cartão que ia se acumulando). Se o cara tive mais cabeça, já começa a reinvestir esse dinheiro para pagar um técnico ou outro tipo de investimento como empreender etc.

Eu to falando. Funciona e é uma opção viável. É só meter a cara. Como dizem, quem quer, faz.

(28-04-2020, 02:13 PM)Fernando_R1 Escreveu: Homem vagabundo e preguiçoso merece uma surra de gato morto que só deve parar quando o gato morto miar, infelizmente a maior parte dessa geração dos últimos 20 anos, considera um ultraje acordar cedo e ajudar o pai na oficina ou no serviço de pedreiro, acha vergonha trabalhar de office boy ou ajudar os parentes em um pequeno negócio, a verdade é que a juventude de um modo geral está mais preguiçosa;

Na verdade o salário mínimo, e o caminhão de direitos trabalhistas que colocam N empecilhos para o empresário contratar o jovem para um primeiro emprego, exceção feita aos aplicativos de entregas ou de transporte.

A verdade é que que tivemos uma universalização do ensino superior, principalmente as carreiras de humanas, que são áreas com apelo de escolha muito mais voltado as mulheres;

Eu vejo uma cultura de comportamento de massa focada na promoção da malandragem e do dinheiro fácil como virtudes, o que cria jovens vagabundos, com aspirações fúteis, materialistas e imediatistas, e isto afetou muito mais aos homens que as mulheres.

Perfeita descrição da situação atualmente. Dificil é a solução pra isso. Salve-se quem puder.
Jet Sky < link

Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#12
Realmente, a questão do tópico é bem enraizada na sociedade, onde o trabalho é sempre cobrado apenas do homem,quase nunca da mulher. Uma mulher que não trabalha e vai cursar faculdade é taxada como forte, estudiosa,intelectual pela sociedade, já o homem é simplesmente o vagabundo.Tanto que já ouvi dos mais antigos que ''homem pobre não estuda,isso é coisa pra rico, pobre tem que trabalhar'', eu creio que o estudo deveria ser incentivado tanto para o homem quanto para a mulher, pois o estudo evita uma vida desgraçada em eternos subempregos e serviços braçais até envelhecer (ou o corpo ''quebrar'')

Excluindo aqui as classes mais baixas , onde geralmente se começa a trabalhar desde criança , largando escola e gerando um ciclo vicioso sem fim , pode-se dizer que os homens , geralmente são pressionados a trabalhar quando estão no ensino médio , entre 15 e 17 anos. Já as meninas , em sua minoria são incentivadas ao trabalho apenas a partir dos 18 anos (em sua maioria, estágios e trainees) , e apenas em alguns casos, muitas saem da faculdade sem ter um registro na carteira (até por que elas tem opção, podem escolher entre trabalhar ou casar).

Não posso deixar de concordar com o que já falaram ,o cara adolescente é mais vagabundo sem dúvida,só quer saber de PC, Video Game,Punheta e Mulher mesmo. Fora que nessa idade a grande maioria é muuito,mas muuuito ruim de trabalho, sei por 2 motivos, no meu último trabalho, eles mantinham de 2 a 4 menores aprendizes na empresa, sempre tinha um no meu setor, TODOS , sem exceção, eram ruins de trabalho, ou por serem vagabundos e estarem ali por pressão dos pais, ou por serem travados por completo, ou por quererem mostrar serviço demais realizando cagadas atrás de cagadas,ou por serem morcegos e ficarem sumindo do setor e ficar de papo furado . Tanto que não tinha um único funcionário,que era um Aprendiz efetivado, todos eram dispensados ao fim do contrato.

O outro motivo é , eu sei por que, eu no passado ,depois que passei de criança pra adolescente ,tipo dos 14 anos pra frente era extremamente vagal e malandro, fugia de trabalho igual o diabo foge da cruz , me fazia praticamente de invisível, me aproveitava dos problemas da família,e de possuir um irmão mais estourado e ''problemático'' do que eu, e ia passando despercebido.Tipo começavam a me cobrar de trabalho, eu meio q desconversava ou embromava,logo surgia outro problema e aquilo ficava esquecido.

Além de que ,no universo escolar onde estava inserido,isso não era muito comum, sou de cidade pequena e estudei nas escolas particulares e caras da cidade,meus colegas eram todos de famílias abastadas, a grande maioria só foi saber o que era trabalho mesmo ao entrar na faculdade e fazer estágio, antes disso era o papo e pensamento era só PC, Games e a mulherada da escola.Todo mundo uns ''vida ganha'' . Só que no caso deles era mesmo , pois sempre teriam um espaço num dos empreendimentos da família deles.O que não era meu caso,mas fui acompanhando o ritmo e comecei a trabalhar sério ao sair do ensino médio.hoje é claro , melhorei ,amadureci depois de tomar umas reais escancaradas da vida, mudei de mentalidade e me arrependo,pois sei que se tivesse agido diferente,estaria anos luz a frente do que estou agora.
Responda-o
#13
Eles perceberam que as mulheres não conseguiam superar os homens em várias áreas então eles resolveram rebaixar os homens para ficar mais fácil delas vencerem.
Responda-o
#14
@The Real Slim Shady

Concordo com isso aí ... O jovem modernoso (homem ou mulher) é acovardado, posso estar falando besteira, mas é inserido uma 'programação mental', principalmente na escola, dentro da premissa de que a 'sociedade' (como se ela fosse um ente de vontades) deve as coisas ao jovem e que sua existência se deve a resultante de uma luta de classes infinda;

É incentivada com isso a depositar suas esperanças na classe política e confiar na ajuda estatal em detrimento de esforço e trabalho duro.
Responda-o
#15
Entrar mais mulheres do que homens na faculdade não é um problema. Acredito que a tendência é o ensino superior deixar de ser tão valorizado como é hoje, sendo um movimento influenciado pelos próprios empresários, mas isso não vai se aplicar a todas as áreas. As próprias companhias reconhecem que quando contratam um funcionário em formação ou recém formado se vê obrigada a investir em treinamento até que ele consiga exercer a função de forma plena porque o modelo de ensino está ultrapassado. Isso é mais um fator de encarecimento da mão de obra e também esse é o motivo de existirem vagas de estágio que pedem experiência anterior (um absurdo).

@The Real Slim Shady os menores aprendizes não são ruins pelo motivo que você acha... mas pasme: é porque eles são jovens e estão aprendendo. Você não pode esperar maturidade de uma pessoa com 15 anos de vida.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)