Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Descontrole emocional ou amor próprio?
#21
"Bem feito, ficou agindo igual a uma menina mimizenta ao invés de resolver."  Já tentei pelo diálogo, não deu certo, tentei por essa via e não rolou, como precisamente eu resolveria isso? Estou genuinamente curioso. @Minerim
Responda-o
#22
(09-03-2020, 09:45 PM)Hombre de hielo Escreveu: Enquanto vocês e o casal estiverem com o aluguel em dia, o dono do prédio estará cagando e andando pro conflito.

Água sanitária é sacanagem, leite é moleza, joga azeite!

Pra tua mãe estar do lado do casal, ou ela é amante desse cara, ou ela quer te ver fora de casa o quanto antes.

Nunca tinha pensado nisso, mas realmente, deixar de pagar faria os donos do prédio deixarem de ser pau mole. 
Não sei o que minha mãe quer, acho que ficou bravinha porque eu falei pra ela que ela não fazia nada a respeito, enfim, quem nasceu pra largatixa nunca vai ser crocodilo.

Vou comprar, hoje mesmo vejo essa coisa ai dos ouvidos @Indomável, valeu pela dica.
Responda-o
#23
Que odisseia por causa de um maldito varal ...    Facepalm Yaoming
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#24
(10-03-2020, 09:14 AM)Héracles Escreveu: Que odisseia por causa de um maldito varal ...    Facepalm Yaoming

Nem me fale, parece ridículo contando assim, mas vai lá ficar sem dormir direito dias seguidos por causa de vizinho folgado.
Responda-o
#25
Seguinte, vamos ficar sem pagar o aluguel e usar o dinheiro do aluguel para mudar de apartamento, primeiro vamos ficar sem pagar, quando virem reclamar, vou explicar a situação, e falar que só vamos voltar a pagar, quando eles mandarem tirar o varal, caso eles realmente não resolvam o problema, vamos ficar uns 3 meses sem pagar, e usar o dinheiro do aluguel para sair dali, e depois pagamos o atrasado para eles.

O único problema é que seria melhor retornar a uma casa afastada que temos, e também temos inquilinos, não sei se eles sairiam rápido, e assim como não podem nos expulsar, também não podemos expulsar os nossos inquilinos, até porque são pessoas honestas que pagam em dia como nós(pagávamos, até então).

Tem também a alternativa de ficar jogando leite todo dia na roupa deles, me arrependi de ter jogado qboa, porque estraguei a roupa deles e se eles provassem que fui eu, poderiam tirar uma grana de mim, com leite isso não aconteceria, então namoro a ideia de jogar leite no varal deles até eles desistirem de por roupa lá.(a vontade, é jogar leite em cima deles enquanto estendem a roupa, mas acho que configura agressão, sei lá).

Se tiver alguém formado em direito, me ajuda ai, fazendo a o favor.
Responda-o
#26
Arranca esse varal fora, coloca óleo na cordinha, Compra um passarinho e deixa.no varal pra ele cagar nas roupas.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#27
Eu recomendo que você reveja o seu contrato com observância nas cláusulas, o responsável pode entrar com uma ação de execução até penhorar seus bens para quitação da sua dívida. No mais, boa sorte.
Tomai, por tanto, a armadura de Deus, para que possais resistir nos dias maus e manter-vos inabaláveis no cumprimento do vosso dever. Efésios 6, 13

Responda-o
#28
Estou deixando minha resposta em spoiler para não atrapalhar as postagens e leitura dos demais confrades.

Spoiler Revelar
(12-03-2020, 06:57 PM)Reale Escreveu: Seguinte, vamos ficar sem pagar o aluguel e usar o dinheiro do aluguel para mudar de apartamento, primeiro vamos ficar sem pagar, quando virem reclamar, vou explicar a situação, e falar que só vamos voltar a pagar, quando eles mandarem tirar o varal, caso eles realmente não resolvam o problema, vamos ficar uns 3 meses sem pagar, e usar o dinheiro do aluguel para sair dali, e depois pagamos o atrasado para eles.

O único problema é que seria melhor retornar a uma casa afastada que temos, e também temos inquilinos, não sei se eles sairiam rápido, e assim como não podem nos expulsar, também não podemos expulsar os nossos inquilinos, até porque são pessoas honestas que pagam em dia como nós(pagávamos, até então).

Tem também a alternativa de ficar jogando leite todo dia na roupa deles, me arrependi de ter jogado qboa, porque estraguei a roupa deles e se eles provassem que fui eu, poderiam tirar uma grana de mim, com leite isso não aconteceria, então namoro a ideia de jogar leite no varal deles até eles desistirem de por roupa lá.(a vontade, é jogar leite em cima deles enquanto estendem a roupa, mas acho que configura agressão, sei lá).

Se tiver alguém formado em direito, me ajuda ai, fazendo a o favor.

Aos olhos daqueles que nunca passaram por isso, sua história soa como algo muito simples de resolver, não é mesmo? ...mas não é, pois todos os protagonistas desta história já se envolveram, direta e indiretamente em um conflito que possivelmente terá consequências jurídicas, mesmo neste momento eu não lhe aconselhando seguir por este caminho.

Pequenos "causos" vividos:

1) Por experiência própria, já sofrí por este incômodo, pois há muito tempo eu tíve um cão que latia o dia todo e o barulho que o animal fazia era tamanho, que na época, uma vizinha abriu um boletim de ocorrência, a qual me gerou uma encheção de saco absurda... então, eu tinha apenas duas alternativas sumárias: ou fazia o cão ficar quieto (...como se fosse possível!), ou doá-lo e sumir com ele... deixei-o com um conhecido da família em um sítio.

2) Atualmente moro em um apartamento e para meu infortúnio, meu vizinho de cima (...exatamente sobre o meu!), que graças a Deus se mudou daquí a pouco tempo, ficava com o filho pequeno durante uma semana sim e outra não, e quando esse moleque vinha para cá, o porra não dormia, ficando a noite inteira gritando e fazendo barulho, aliás, eu tinha a nítida impressão que o Lúcifer mirim jogava de propósito uma "bolinha de gude" no chão, só para detonar a porra do meu sono (...dava a impressão de uma bomba caindo aquí!). Cansei de reclamar; falar com o pai do moleque; abrir reclamação na imobiliária; abrir boletim de ocorrência, etc e nunca deu em nada, conclusão, tinha novamente duas alternativas sumárias: ou fazia o moleque ficar quieto de algum jeito (...pensei em subir várias vezes e espancar o pai do moleque, e o moleque também (...a cabeça do maluco que não dorme, faz merda!)), ou me mudava daquí, e depois de muito procurar por outro apartamento, esse cidadão se mudou e agora não há mais barulho (...mas eu ainda continuo escutando o filho da puta do pivete fazendo barulho!). rs

Enfim, escreví essas minhas experiências, pois existe sim alguns artifícios legais que você pode tomar, contudo, tenha ciência que é um processo moroso, que lhe aborrecerá tanto quanto o incômodo vivenciado e possivelmente não dará em nada, mas vou transcrever alguns embasamentos sobre isso:

(...)

Decreto Lei, 3688, de 3/10/1941

(...)

CAPíTULO IV

DAS CONTRAVENÇÕES REFERENTES À PAZ PÚBLICA

(...)

Art. 42. Perturbar alguem o trabalho ou o sossego alheios:

I – com gritaria ou algazarra;
II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;
III – abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;
IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda:

(...)

Há também a regulamentação da chamada "Lei do Silêncio", que muito embora não esteja prevista no Código Civil, o que mais se aproxima do assunto no Código Civil é o artigo 1277, contudo o artigo 42 do Decreto Lei anterior seja mais incisivo, abaixo transcrevo:

(...)

CAPÍTULO V
Dos Direitos de Vizinhança
 Seção I
Do Uso Anormal da Propriedade

Art. 1.277. O proprietário ou o possuidor de um prédio tem o direito de fazer cessar as interferências prejudiciais à segurança, ao sossego e à saúde dos que o habitam, provocadas pela utilização de propriedade vizinha.

Parágrafo único. Proíbem-se as interferências considerando-se a natureza da utilização, a localização do prédio, atendidas as normas que distribuem as edificações em zonas, e os limites ordinários de tolerância dos moradores da vizinhança.

Art. 1.278. O direito a que se refere o artigo antecedente não prevalece quando as interferências forem justificadas por interesse público, caso em que o proprietário ou o possuidor, causador delas, pagará ao vizinho indenização cabal.

Art. 1.279. Ainda que por decisão judicial devam ser toleradas as interferências, poderá o vizinho exigir a sua redução, ou eliminação, quando estas se tornarem possíveis.

Art. 1.280. O proprietário ou o possuidor tem direito a exigir do dono do prédio vizinho a demolição, ou a reparação deste, quando ameace ruína, bem como que lhe preste caução pelo dano iminente.

Art. 1.281. O proprietário ou o possuidor de um prédio, em que alguém tenha direito de fazer obras, pode, no caso de dano iminente, exigir do autor delas as necessárias garantias contra o prejuízo eventual.

(...)

Enfim, para ser sucinto em conclusão sensata neste imbróglio todo, vou utilizar a mesma referência por mim refletida na ocasião: Você tem duas alternativas sumárias: ou resolva esse conflito de maneira legal, pelas vias judiciais (...sendo prudente e de bom alvitre uma conciliação anterior!), ou se muda e fim de papo (?!).

Embora o que eu escreví é uma pequena resposta sobre o seu conflito vivído, desde já o aconselho em não cometer nenhum delito ou infração (...legal ou contratual!) em contrapartida na substituição daquela outrora sofrida, ou seja, pare de jogar qualquer merda sobre os pertences de outrem, honre seu compromisso contratual e pague impreterivelmente seu aluguel, pois o contrário só irá lhe trazer dores de cabeça... e muito mais picuinha!

Abraço!
"Fiat Justitia, Pereat Mundus..."
Responda-o
#29
(12-03-2020, 06:57 PM)Reale Escreveu: Seguinte, vamos ficar sem pagar o aluguel e usar o dinheiro do aluguel para mudar de apartamento, primeiro vamos ficar sem pagar, quando virem reclamar, vou explicar a situação, e falar que só vamos voltar a pagar, quando eles mandarem tirar o varal, caso eles realmente não resolvam o problema, vamos ficar uns 3 meses sem pagar, e usar o dinheiro do aluguel para sair dali, e depois pagamos o atrasado para eles.

O único problema é que seria melhor retornar a uma casa afastada que temos, e também temos inquilinos, não sei se eles sairiam rápido, e assim como não podem nos expulsar, também não podemos expulsar os nossos inquilinos, até porque são pessoas honestas que pagam em dia como nós(pagávamos, até então).

Tem também a alternativa de ficar jogando leite todo dia na roupa deles, me arrependi de ter jogado qboa, porque estraguei a roupa deles e se eles provassem que fui eu, poderiam tirar uma grana de mim, com leite isso não aconteceria, então namoro a ideia de jogar leite no varal deles até eles desistirem de por roupa lá.(a vontade, é jogar leite em cima deles enquanto estendem a roupa, mas acho que configura agressão, sei lá).

Se tiver alguém formado em direito, me ajuda ai, fazendo a o favor.

Se não me engano, teus inquilinos tem 1 mês pra deixar o imóvel, assim que informados. #Volta@Roland

Não atrasa aluguel não, por causa dos juros. Vejo 2 saídas pro teu caso:

1ª Jogar azeite nas roupas;

2ª Ou sair daí sem avisar NINGUÉM (fale isso pra matraca da tua mãe), pra evitar possíveis sabotagens. Só avise o dono quando tiver fora daí, assim ele sentirá o choque de alguém que tinha razão, estar o boicotando.
Responda-o
#30
Ôme, chama o dono desse muquifo para uma reunião urgente, sob ameaça de que se ele não aparecer, vai chamar o mesmo para uma reunião com você e seu advogado. Coloque ele pra resolver isso sob pretexto de que se ele não fizer você vai enquadrar ele e o povo desse varal num processinho bem bonito. O dono da bagaça só sai fazer algo quando o dele tiver na reta. No mais, não vá nessas loucuras de inventar de jogar mais nada. Você tentou no diálogo, agora só restam os meios legais.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#31
Como bem ressaltou o irmão Callahan, cumpra-se o contrato, o ônus que você terá pela quebra ou inadimplemento deste não compensa. E melhor então, procurar outro apartamento/prédio
Tomai, por tanto, a armadura de Deus, para que possais resistir nos dias maus e manter-vos inabaláveis no cumprimento do vosso dever. Efésios 6, 13

Responda-o
#32
(13-03-2020, 10:35 PM)Callahan Escreveu: Estou deixando minha resposta em spoiler para não atrapalhar as postagens e leitura dos demais confrades.

Spoiler Revelar
(12-03-2020, 06:57 PM)Reale Escreveu: Seguinte, vamos ficar sem pagar o aluguel e usar o dinheiro do aluguel para mudar de apartamento, primeiro vamos ficar sem pagar, quando virem reclamar, vou explicar a situação, e falar que só vamos voltar a pagar, quando eles mandarem tirar o varal, caso eles realmente não resolvam o problema, vamos ficar uns 3 meses sem pagar, e usar o dinheiro do aluguel para sair dali, e depois pagamos o atrasado para eles.

O único problema é que seria melhor retornar a uma casa afastada que temos, e também temos inquilinos, não sei se eles sairiam rápido, e assim como não podem nos expulsar, também não podemos expulsar os nossos inquilinos, até porque são pessoas honestas que pagam em dia como nós(pagávamos, até então).

Tem também a alternativa de ficar jogando leite todo dia na roupa deles, me arrependi de ter jogado qboa, porque estraguei a roupa deles e se eles provassem que fui eu, poderiam tirar uma grana de mim, com leite isso não aconteceria, então namoro a ideia de jogar leite no varal deles até eles desistirem de por roupa lá.(a vontade, é jogar leite em cima deles enquanto estendem a roupa, mas acho que configura agressão, sei lá).

Se tiver alguém formado em direito, me ajuda ai, fazendo a o favor.

Aos olhos daqueles que nunca passaram por isso, sua história soa como algo muito simples de resolver, não é mesmo? ...mas não é, pois todos os protagonistas desta história já se envolveram, direta e indiretamente em um conflito que possivelmente terá consequências jurídicas, mesmo neste momento eu não lhe aconselhando seguir por este caminho.

Pequenos "causos" vividos:

1) Por experiência própria, já sofrí por este incômodo, pois há muito tempo eu tíve um cão que latia o dia todo e o barulho que o animal fazia era tamanho, que na época, uma vizinha abriu um boletim de ocorrência, a qual me gerou uma encheção de saco absurda... então, eu tinha apenas duas alternativas sumárias: ou fazia o cão ficar quieto (...como se fosse possível!), ou doá-lo e sumir com ele... deixei-o com um conhecido da família em um sítio.

2) Atualmente moro em um apartamento e para meu infortúnio, meu vizinho de cima (...exatamente sobre o meu!), que graças a Deus se mudou daquí a pouco tempo, ficava com o filho pequeno durante uma semana sim e outra não, e quando esse moleque vinha para cá, o porra não dormia, ficando a noite inteira gritando e fazendo barulho, aliás, eu tinha a nítida impressão que o Lúcifer mirim jogava de propósito uma "bolinha de gude" no chão, só para detonar a porra do meu sono (...dava a impressão de uma bomba caindo aquí!). Cansei de reclamar; falar com o pai do moleque; abrir reclamação na imobiliária; abrir boletim de ocorrência, etc e nunca deu em nada, conclusão, tinha novamente duas alternativas sumárias: ou fazia o moleque ficar quieto de algum jeito (...pensei em subir várias vezes e espancar o pai do moleque, e o moleque também (...a cabeça do maluco que não dorme, faz merda!)), ou me mudava daquí, e depois de muito procurar por outro apartamento, esse cidadão se mudou e agora não há mais barulho (...mas eu ainda continuo escutando o filho da puta do pivete fazendo barulho!). rs

Enfim, escreví essas minhas experiências, pois existe sim alguns artifícios legais que você pode tomar, contudo, tenha ciência que é um processo moroso, que lhe aborrecerá tanto quanto o incômodo vivenciado e possivelmente não dará em nada, mas vou transcrever alguns embasamentos sobre isso:

(...)

Decreto Lei, 3688, de 3/10/1941

(...)

CAPíTULO IV

DAS CONTRAVENÇÕES REFERENTES À PAZ PÚBLICA

(...)

Art. 42. Perturbar alguem o trabalho ou o sossego alheios:

I – com gritaria ou algazarra;
II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais;
III – abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos;
IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda:

(...)

Há também a regulamentação da chamada "Lei do Silêncio", que muito embora não esteja prevista no Código Civil, o que mais se aproxima do assunto no Código Civil é o artigo 1277, contudo o artigo 42 do Decreto Lei anterior seja mais incisivo, abaixo transcrevo:

(...)

CAPÍTULO V
Dos Direitos de Vizinhança
 Seção I
Do Uso Anormal da Propriedade

Art. 1.277. O proprietário ou o possuidor de um prédio tem o direito de fazer cessar as interferências prejudiciais à segurança, ao sossego e à saúde dos que o habitam, provocadas pela utilização de propriedade vizinha.

Parágrafo único. Proíbem-se as interferências considerando-se a natureza da utilização, a localização do prédio, atendidas as normas que distribuem as edificações em zonas, e os limites ordinários de tolerância dos moradores da vizinhança.

Art. 1.278. O direito a que se refere o artigo antecedente não prevalece quando as interferências forem justificadas por interesse público, caso em que o proprietário ou o possuidor, causador delas, pagará ao vizinho indenização cabal.

Art. 1.279. Ainda que por decisão judicial devam ser toleradas as interferências, poderá o vizinho exigir a sua redução, ou eliminação, quando estas se tornarem possíveis.

Art. 1.280. O proprietário ou o possuidor tem direito a exigir do dono do prédio vizinho a demolição, ou a reparação deste, quando ameace ruína, bem como que lhe preste caução pelo dano iminente.

Art. 1.281. O proprietário ou o possuidor de um prédio, em que alguém tenha direito de fazer obras, pode, no caso de dano iminente, exigir do autor delas as necessárias garantias contra o prejuízo eventual.

(...)

Enfim, para ser sucinto em conclusão sensata neste imbróglio todo, vou utilizar a mesma referência por mim refletida na ocasião: Você tem duas alternativas sumárias: ou resolva esse conflito de maneira legal, pelas vias judiciais (...sendo prudente e de bom alvitre uma conciliação anterior!), ou se muda e fim de papo (?!).

Embora o que eu escreví é uma pequena resposta sobre o seu conflito vivído, desde já o aconselho em não cometer nenhum delito ou infração (...legal ou contratual!) em contrapartida na substituição daquela outrora sofrida, ou seja, pare de jogar qualquer merda sobre os pertences de outrem, honre seu compromisso contratual e pague impreterivelmente seu aluguel, pois o contrário só irá lhe trazer dores de cabeça... e muito mais picuinha!

Abraço!

Obrigado pela resposta, amigo, vou fazer isso, mas o que me desanima, é que como você falou, talvez não dê em nada, e mesmo se eu ganhar algo, é uma dor de cabeça que vai durar um bom tempo, porque a justiça desse país é uma lesma, não é a toa que mais de 90% dos assassinatos não são solucionados nessa latrina...

Estou pensando em entrar com um processo, o que fode é que se eu perder por qualquer motivo que seja e tiver que pagar advogados e etc, eu vou ter que usar todas as minhas economias, e eu não quero isso agora, não dá, simplesmente agora NÃO DÁ PRA PEGAR DINHEIRO DAS MINHAS ECONOMIAS PARA ISSO, mas tenho medo de entrar com um processo contra eles e perder, só que se eu der para trás no dia do BO e não entrar com nada, ai que eles vão deitar e rolar.

Mas acho que como são pequenas causas não deve ter esse problema de advogado, mas eu não sei dizer, se tivesse algum advogado realista ai, viria bem a calhar  Yaoming
Responda-o
#33
Passa bosta na maçaneta do carro deles.
[...]
Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
  Amor-próprio e a regra 5/5... Karl Rossmann 19 2,568 04-08-2018, 06:25 PM
Última Postagem: Sísifo
  Do inferno emocional a independência emocional. Delta 8 1,130 11-12-2017, 07:04 PM
Última Postagem: Machado Annihilator

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)