Avaliação do Tópico:
  • 1 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[DEBATE] TRADUÇÃO: A MISANDRIA SOCIAL
#1
Olá confrades, como estão? 

É com imenso prazer que hoje lançamos um artigo BOMBA (a 1° parte dele) sobre um tema muito discutido aqui no Fórum e em outros países do mundo (principalmente nos E.U.A) que recebeu o nome oficial de MISANDRIA SOCIAL. Esse artigo é forte, impactante e rico em informações, e, por isso, acreditamos que ele terá um grande valor ao Fórum assim como para os membros que aqui buscam informações.  

O diferencial desse artigo é sua riqueza em detalhes, fontes e dados que o autor apresenta, assim como uma visão totalmente analítica de como ele via as coisas no passado, como as vê no presente, e quais são suas expectativas para o futuro. Com esse ponto de vista, acreditamos que ficará bem mais fácil aos confrades identificar alguns problemas e armadilhas que ocorrem no Brasil nos âmbitos jurídico, político, econômico e cultural e com isso evitar danos a você ou à sua imagem.

A intenção em o traduzir e nesse Fórum o postar não é a de despertar o ódio contra às mulheres ou ao sexo feminino e sim o de EXIBIR POR MEIO DE FATOS à realidade que nos cerca, e como a civilização atual vem se comportado em relação a nós Homens. Vejam os fatos e tirem suas conclusões. Ao não ver as coisas por si mesmo, você está abrindo a porta para ser enganado e persuadido em uma determinada direção. Não importa quão brutal, duro, triste, ofensivo, imoral, e obsceno algo seja visto, apenas vendo-o com seus próprios olhos você pode formar sua própria opinião sobre o assunto e ver a verdade.

Portanto, se você em algum momento de sua leitura sentir ódio, raiva ou qualquer tipo de sentimento negativo que possa fazer você tomar alguma atitude idiota, pare de ler e volte mais tarde. Refresque a cabeça e retorne a sua leitura com o olhar de um REALISTA. Não deixe que a realidade bruta, cruel e muitas vezes injusta o faça perder a essência e o  equilíbrio que te torna um Homem.

PS 1: Como dito no primeiro parágrafo, essa é a primeira parte do artigo. As partes subsequentes serão postadas à medida que ficarem prontas.

PS 2: Fiquem a vontade para comentarem e darem suas opiniões. Quaisquer dúvidas ou sugestões, deixem na discussão que farei o possível para as colocar em prática.

PS 3: A tradução do artigo foi realizada por mim com pouco auxílio de programas ou softwares (por motivos de que esses programas alteram em muito o significado das frases). Portanto, não esperem uma tradução perfeita. Mas saibam que procurei dar o meu melhor nessa tradução e que procurei ao máximo manter o sentido de tudo que o autor escreveu no artigo original. Mais uma vez, qualquer sugestão ou correção, me avise que irei implementar.

PS 4: As fontes, dados e referências estão TODAS no artigo original. Ao final da tradução, as colocarei aqui para que TODOS, SEM EXCEÇÃO, possam fazer as devidas análises. Elas não foram acrescentadas à essa tradução pois ficaria bem complicado referenciar tudo e manter uma boa qualidade no texto, tendo em vista que o autor foi bem cuidadoso em fazer as referenciações e que elas são MUITAS. 

PS 5: Evitei acrescentar as imagens originais por algumas serem fortes, e para manter a fluidez do texto. 

No mais é só isso. Espero que esse trabalho resulte em boas reflexões a todos os membros do Fórum.   

O presente artigo foi traduzido pelo @Geoman  tendo sido indicado pelo confrade @Fairchild  e sob os auspícios do confrade @Libertador

Introdução ao Site Best Gore
(LINK DO ORIGINAL: https://www.bestgore.com/guest-post/soci...lR7o2icreQATENÇÃO: CENAS FORTES!!!!!! ABRIR QUANDO NÃO TIVER CRIANÇAS NA SALA, OU NÃO ABRIR CASO VOCÊ SEJA SENSÍVEL A IMAGENS FORTES!!!!! ESTEJA AVISADO!!!!!!

Por que este site é importante?

O Best Gore é um site de notícias da realidade que relata eventos da vida real que são de interesse do público. O Best Gore foi fundado no princípio fundamental de que a liberdade de expressão, a liberdade de imprensa e o direito do público a ser informado são condições fundamentais e necessárias para a realização dos princípios de transparência e prestação de contas que, por sua vez, são essenciais para a promoção e proteção de todos os direitos humanos em uma sociedade democrática.

A Misandria Social em um mundo Anti-Homem

Recentemente, tive meus olhos abertos para o que é uma parte tão integrante da nossa cultura que dificilmente é notada – a Misandria Social. 

A Misandria Social criou um mundo Anti-Masculino que foi enfiado em nossas mentes de forma tão firme, que além de ter um forte preconceito contra o homem, o tratamento especial às mulheres não só é considerado normal como não levanta qualquer resistência quando ele ocorre, mas qualquer tentativa de igualar os campos é recebida com forte oposição tanto dos opressores como dos oprimidos. Em outras palavras, a doutrinação é tão completa que, embora seja um privilégio (legal e socialmente) ser uma mulher, enquanto é um fardo (legal e socialmente) ser um homem, homens e mulheres assumiriam automaticamente que era o contrário, e provavelmente assumiriam posições ofensivas contra qualquer um que sugerisse o contrário.

Uma boa maneira de ver o que eu estou falando sobre isso, é olhando para a maneira como se espera que nós percebamos a violência contra as mulheres, versus a percepção esperada da sociedade sobre a violência contra os homens. Quando vemos na televisão imagens de um homem recebendo um chute duro na virilha, espera-se que todos achem engraçado e que todos, homens e mulheres, riam. Pontapear um homem na virilha se tornou um tipo de comédia. Mas quando nos mostram imagens de uma mulher recebendo um chute duro na virilha, se espera que todos demonstrem indignação e espera-se que todos, homens e mulheres, o chamem de agressão. O Best Gore* (site de onde foi traduzido esse texto), de todos os lugares, é um bom exemplo de quão abrangente é essa Misandria Social, pois qualquer representação de violência contra as mulheres é instantaneamente recebida com apelos para que o suposto perpetrador seja linchado, castrado e lentamente torturado.

Tenho vergonha de admitir, mas infelizmente fui contaminado pela esperada discriminação masculina contra a sociedade, pego da mesma forma que todos os outros e, como todos os outros, não consegui a identificar quando ela se apresentou em toda a sua glória. Quando Mark* (amigo do autor) foi preso, uma promotora não fez nenhuma tentativa de esconder que ela odiava os homens até o último átomo fedorento do seu corpo, e que ela teve uma gratificação pessoal em ser capaz de derrubar os homens e arruinar suas vidas só porque eles eram homens. Mas como estão derrubando os homens constantemente e arruinando as suas vidas apenas por serem homens e isso se tornou comum nas sociedades ocidentais, nem passou pela minha cabeça que tudo isso poderia estar errado.

Hoje, depois de décadas sendo repreendidos e abatidos, os homens ficaram tão intimidados que nem sequer conseguem lutar mais. Eles não têm outra opção senão rir com todos os outros das imagens de homens sendo chutados na virilha e assumir que todo homem, incluindo eles mesmos, são um futuro violador insensível que é melhor se for castrado e linchado na primeira oportunidade. Será que realmente surpreende alguém que as taxas de suicídio de homens são 4 ou mais vezes mais altas do que as de mulheres, quando os meninos são forçados a crescer se sentindo alienados?

Como é que os rapazes não se devem sentir alienados, apologéticos pela sua existência, e eventualmente suicidas quando até mesmo os livros escolares são feminizados e anti-homens, colocando muito foco na suposição de que as guerras são o resultado da natureza inatamente violenta dos homens, enquanto não colocam praticamente nenhum foco em fazer os rapazes orgulhosos pelo que os homens conseguiram, tais como a descoberta da matemática, da imprensa, da eletricidade, da máquina a vapor e outras invenções importantes que transformaram o mundo no lugar moderno, físico e tecnologicamente avançado que habitamos hoje? Até mesmo o sistema legal que protege a segurança das mulheres e os direitos das mulheres foi inventado pelos homens.

Essa desordem social é até mesmo propagada pela mídia, especialmente pela televisão. Se você prestasse atenção, você notaria que as series estão repletas de imagens de homens atrapalhados e incapazes que, em sua estranheza, só podem avançar com a ajuda de mulheres inteligentes e presunçosas. Você também notaria como os programas de crime retratam os homens como maus, assassinos e estupradores, e como homens feminizados os perseguem implacavelmente e quando eles os pegam, eles jogam esses estupradores maus contra uma parede e ladram: "seu canalha de meia-tigela!" Mas quando o episódio ocasionalmente gira em torno de uma suspeita do sexo feminino, ele nunca a jogam contra uma parede e a acusam de canalha, porque em seu caso certamente deve ter havido uma boa razão para que ela assassinasse a criança.

É o mesmo com os anúncios de TV. Tipicamente quando a cena se abre, algum palhaço de um homem está lutando para ter uma pista sobre o que está acontecendo. Em pouco tempo, uma mulher que tudo sabe, rolando os olhos e balançando a cabeça em pena, salva o dia ajudando o estúpido palhaço homem a não estragar tudo com o uso do produto anunciado. Às vezes, para não ser muito repetitivo, uma versão de um comercial de TV em que são as crianças que são todas as sábias que ajudam o palhaço do homem a descobrir as coisas enquanto eles entram com o produto. E é claro que todos nós, homens e mulheres, devemos rir: "Haha, olha para aquele cara estúpido. Que idiota!"

Eu fiz este post contra a desilusão de que as mulheres estão em desvantagem na vida por causa do privilégio masculino e opressão patriarcal. Eu já fui vítima dessa desilusão, então eu sei muito bem o quão saturado ela está, e suspeito que muitos leitores do Best Gore foram enganados pela misandria social para abraçar o mundo anti-masculino também.

Note que, em vez de fazer deste artigo uma coleção de meus próprios pensamentos, eu o construí quase exclusivamente sobre referências do que deveria ser considerado, na sua maioria, "fontes confiáveis". Todas as afirmações que se seguem são baseadas em estudos científicos e pesquisas feitas por professores universitários e, portanto, são fatos verificáveis, não opiniões.


Integridade Corporal

Em muitos países, incluindo Austrália, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Nova Zelândia, Noruega, Espanha, Suécia, Reino Unido e Estados Unidos, uma mulher tem proteção legal da sua integridade física (o seu corpo, a sua escolha), mas um homem não (o seu corpo, não a sua escolha).

O que isso significa é que a mutilação genital feminina é ilegal, enquanto que a mutilação genital masculina não é apenas legal, mas muitas das vezes não é sequer regulamentada, e pode ser realizada por qualquer pessoa (o rabino pedófilo não é um cirurgião escolarizado e treinado). Frequentemente, a mutilação genital de homens é realizada antes de a vítima ter idade suficiente para fazer as suas próprias escolhas de consentimento.

Em alguns países, como as Filipinas, os meninos estão sob pressão social para sofrer mutilação genital, e na Indonésia, o ato de mutilação genital de meninos é exagerado pela humilhação pública.

Na Holanda, as meninas têm direito à integridade física e a mutilação genital é ilegal. Os meninos não têm este direito e a mutilação dos seus órgãos genitais não só é legal, como está coberta por certos seguros de saúde.


Estupro

Você foi doutrinado pela Misandria Social se você pensou imediatamente em zombar de um homem que se atreveu a se abrir sobre ter sido vítima de estupro

Em muitos países, a definição de estupro não inclui homens estuprados por mulheres. No Reino Unido, se um homem usa seu pênis para penetrar numa mulher sem o consentimento dela, é estupro - um crime punível com prisão perpétua-. No entanto, se uma mulher usa o pênis de um homem para penetrar a si mesma sem o seu consentimento, não é estupro, é apenas "causar uma pessoa a se envolver em atividade sexual sem consentimento" - um crime punível com até 10 anos de prisão. Em outras palavras, uma mulher não pode legalmente "estuprar" um homem. No mundo anti-masculino, para as mulheres há crimes "menores".

Na Wikipédia, ao abrigo das leis sobre violação, encontrei isto:

Não existem padrões nacionais para definir e relatar ofensas de homem para homem, mulher para mulher ou mulher para homem, de modo que tais crimes geralmente não são incluídos nas estatísticas de estupro, a menos que essas estatísticas sejam compiladas usando informações de estados que as consideram como estupro.

Na Irlanda, os rapazes adolescentes podem ser processados por sexo com menor enquanto as raparigas adolescentes estão isentas.
Em Israel, as mulheres não podem ser acusadas de violação, só os homens podem. O mesmo acontece na Índia.

Sobre a definição de Violador nos dicionários, temos os seguintes exemplos:

Definição anterior de Violador pelo Dicionário Oxford:

Quando Mark foi acusado pela primeira vez, a definição de "estuprador" do Oxford Dictionary era "um homem que comete estupro". Depois de inúmeras queixas, a definição foi alterada para "uma pessoa, tipicamente um homem, que comete estupro". O sexismo anti-homens e a discriminação baseada no gênero anti-homens estão tão fortemente enraizados em nossas sociedades, que nem mesmo os dicionários tentam escondê-la.

É isso mesmo, o Dicionário Oxford alterou a definição de Violador para esta Piada.

Pela mesma lógica, a definição de "Terrorista" deveria ser: "uma pessoa, tipicamente judeu, que comete atos de terrorismo". Exceto que isso não é um bom exemplo, porque as mulheres são perpetradoras de estupro com a mesma frequência que os homens, mas o terrorismo tem sido dominado pelos judeus desde que o inventaram.
E não estou falando apenas da invenção do terrorismo moderno que começou com os judeus bombardeando o King David Hotel, o local do Comando Militar Britânico na Palestina em 1946, matando dezenas de pessoas inocentes e culpando os muçulmanos, que foi quando a palavra "terrorismo" foi usada pela primeira vez. Estou falando também do primeiro uso conhecido de atos que seriam conhecidos como terrorismo hoje - Sicarii (que significa "homens-punhal") como eram conhecidos pelos romanos eram os zelotes da Judéia que realizavam campanhas clandestinas de assassinato de forças romanas, assim como qualquer outra pessoa que eles sentissem ter colaborado com os romanos.


OBS: Eu tomei a liberdade de alterar a definição de Terrorista do Dicionário Oxford seguindo as mesmas diretrizes que eles usam para definir o Violador.

Políticas de estupro nos campi universitários

Em 4 de abril de 2011 (ficou conhecida como a "Carta do Caro Colega" de 4 de abril), o Escritório de Direitos Civis (OCR) do Departamento de Educação dos EUA enviou uma carta às faculdades e universidades dos Estados Unidos que recebem financiamento federal, determinando mudanças na forma como as escolas abordam questões de assédio sexual e agressão sexual no campus.

A carta reduz o padrão de prova exigido para condenar um estudante do sexo masculino por estupro a "preponderância de provas" e "desencoraja fortemente" as faculdades de dar aos estudantes do sexo masculino o direito de questionar seu acusador de estupro. A directiva também exige que todas as universidades permitam que as alegadas vítimas de violação recorram dos resultados das audiências disciplinares do colégio, sujeitando o arguido a "dupla penalização", o que é ilegal nos tribunais dos EUA.

Estatísticas de falsificação de estupro

Homens não violam pessoas, violadores violam pessoas.

O estudo de Eugene J. Kanin, Ph.D., de 1994, publicado no Archives Of Sexual Behavior, Volume 23, No 1, realizado em uma pequena comunidade metropolitana dos EUA, concluiu que 41% das acusações de estupro feitas por mulheres eram falsas. Um estudo de acompanhamento concluiu que 50% das alegações de violação na faculdade eram falsas. 53% das mulheres admitiram ter apresentado a falsa alegação como um álibi.

Os resultados, que foram publicados pelos peritos forenses (pesquisadores imparciais que não são pró-feministas, nem nada mais) concluíram com a pesquisa sobre acusações de estupro, assédio sexual, incesto e abuso sexual de crianças que as falsas acusações se tornaram um problema grave. As motivações envolvidas na elaboração de um relatório falso são muito variadas e incluem confusão, influência externa de terapeutas e outros, mentiras habituais, vantagens em disputas de custódia, ganhos financeiros e a ideologia política do feminismo radical.

O que diz a falsa vítima de estupro versus o que provavelmente realmente aconteceu:

Segundo um estudo da Força Aérea dos EUA, 60% das alegações de violação são falsas. Um total de 27% das alegações foram confirmadas como falsas pela mulher que admitiu tê-las inventado. No entanto, também deve ser dito que os militares estão pressionando os casos de estupro a parecerem mais difíceis de serem "justos" para as mulheres.

Um promotor de Colorado chamado Craig Silverman disse:

“Durante o tempo em que fui procurador e tomei decisões de arquivamento de casos, fiquei surpreso ao ver todas as falsas alegações de estupro que foram feitas ao Departamento de Polícia de Denver. Foi notável e surpreendente para mim. Você teria que vê-lo para acreditar nisso. Qualquer investigador veterano honesto de agressão sexual lhe dirá que o estupro é um dos crimes mais falsificados que existem. Um oficial de comando na unidade de agressões sexuais da polícia de Denver disse-me recentemente que ele colocou os números falsos de estupro em aproximadamente 45 por cento.”

Sexo de arrependimento nem sempre é igual ao sexo de estupro.

O National Intimate Partner and Sexual Violence Survey conduzido pelo US National Center for Injury Prevention and Control of the Centers for Disease Control and Prevention revelou que as mulheres constituem 40% de todos os estupradores e os homens são 50% de todas as vítimas fora da prisão.

Como sugere o caso de Duke, do time de Lacrosse de Durham, Carolina do Norte, homens que são falsamente acusados de estupro podem ter seus nomes manchados e suas vidas arruinadas, enquanto seu acusador é protegido e provavelmente não terá nenhuma punição, ou no máximo uma leve.

No entanto, estas figuras não têm em conta os estigmas sociais que obrigam os homens a suprimir a sua vitimização com medo de serem vistos como efeminados, fracos ou incompetentes, nem a tolerância cultural e a glorificação das mulheres que acusam falsamente os homens de violação.

Na Índia, uma advogada sênior confirmou que as mulheres que fazem falsas alegações de violação se encontram em níveis epidémicos.

Ainda na Índia, houve o caso de uma falsa reclamante de violação em série que acabou por ser presa depois de ter destruído 11 vidas.

Violência contra as vítimas de falsas acusações de violação

Eu já disse na introdução deste artigo que mesmo os leitores do BestGore, homens e mulheres são culpados de forte preconceito anti-homem. Isso se reflete na forma como eles reagem a qualquer notícia de suposta violência contra as mulheres, mas você quase nunca vê nada comparável quando os homens são submetidos a atrocidades indescritíveis, o que acontece com muito mais frequência e com muito mais ferocidade.

Bom exemplo disso é a história de um homem que foi falsamente acusado de estupro e foi linchado até a morte por isso. Mais tarde, foi considerado inocente. Um outro suposto “violador” foi decapitado, esfaqueado e mutilado (NT: no site BestGore é possível ver os vídeos).

Alguns exemplos que não estão no Best Gore:

Menino adolescente chamado Cory Headen, de Courtenay, British Columbia, Canadá, foi espancado até a morte com um taco de beisebol depois que duas meninas o acusaram falsamente de estupro.

A mulher acusou falsamente um homem de a violar para processar por um acordo de 1,5 milhões de dólares. Brian Banks passou 5 anos na prisão. A mulher então casualmente confessou que a acusação era falsa e disse que queria que "o passado fosse passado", mas não queria ter que devolver o dinheiro. Onde estão os chamados para que essa cadela seja castrada e torturada lentamente?

A Cidade de Davis, Califórnia, vai à loucura depois que uma mulher chora por ter sofrido um suposto estupro, alegando que ela foi estuprada por alguns rapazes “patinadores adolescentes”. A Polícia vai ao trabalho questionando dezenas de meninos, e as feministas e seus semelhantes realizam comícios para a "vítima". A frase “morte aos homens” é graffitada e espalhada por toda a cidade, incluindo regalias como "Dead Boys Don't Rape"(NT: Garotos mortos não estupram) e "Curfew for All Men" (NT: Toque de recolher para todos os homens). Passado um tempo, a "vítima" admite que a alegação era falsa. A mulher não é acusada de nada, mas as feministas e seus semelhantes não aceitam a possibilidade de ser falsa.

[CONTINUA...]
Todo mapeamento começa na visualização e compreensão do espaço, dentro da mente. Tal arte, se dominada, pode trazer muitos frutos positivos. 
Responda-o
#2
Já pode comentar ou espera você lançar as partes restantes?
“A honra, a integridade e a verdade precisam ser guardadas, custe o que custar ao próprio eu.” Obreiros Evangélicos, pág. 447
Responda-o
#3
Acompanhando ... parece promissor
Responda-o
#4
Os próprios homens deixaram isso chegar a onde chegou, como essa cornisse toda nasceu é que eu fico curioso. Pode ser masturbação mental, mas eu acredito sim em uma espécie de "nova ordem" que articulou tudo isso, não é possível que os homens tenham afrouxado tanto de forma tão organica, mas uma coisa é fato, a coisa chegou a onde chegou por culpa dos próprios homens...

Aliás, eu acho que é tudo culpa da geração dos anos 70/80, que só pensava na liberação sexual das mulheres para ter mais farra, não se preocupando direito com a educação de filhos ou com valores morais, o resultado ta ai.
Responda-o
#5
(08-03-2020, 11:46 PM)Libertador Escreveu: Já pode comentar ou espera você lançar as partes restantes?

Pode sim. Vou seguir o modelo do seu post das "Loucuras na América". Aí o tópico vai ganhando corpo.
Todo mapeamento começa na visualização e compreensão do espaço, dentro da mente. Tal arte, se dominada, pode trazer muitos frutos positivos. 
Responda-o
#6
Texto formidável.

Desenhos como os Simpsons mostram exatamente isso. O pai de família é um idiota que só faz estupidez e é sempre salvo pelo bom senso e maturidade da mulher que faz todos pensarem sobre como ela consegue suportar aquele idiota e porque não separa logo. Até os filhos são assim, o filho é um idiota delinquente, mas a filha é uma garota esforçada, estudiosa e inteligente. Aproveitam e colocam ela como feminista e vegana para tentar nos fazer associar isso a coisa de pessoas inteligentes e sensatas. E isso é um desenho infantil. Nem eles escapam da doutrinação que virou o mundo.
"A paixão é como o álcool. Entorpece a consciência, elimina a lucidez, impede o julgamento crítico e provoca alucinações, fazendo com que o ser amado seja visto como divino." Como lidar com Mulheres - Nessahan Alita
Responda-o
#7
Este artigo é um registro extenso, detalhado e impressionante sobre como os homens vem sendo tratados em várias esferas da sociedade, há relatos de vários países. Confrade @Geoman, muitíssimo obrigado pelo trabalhão que teve para traduzir e adaptar! 

O autor original escreve artigos em um website do tipo “realidade cruel”, destinado a catalogar atrocidades e todo o tipo de miséria humana, seja por critério de sensacionalismo, conhecimento ou apenas por puro deleite de alguns de seus usuários, desapontados com a humanidade. 

No seu dia a dia, percebeu um certo padrão, a nível global, no que tange o tratamento dispensado ao gênero masculino, uma espécie de predileção por vilipendia-lo e massacra-lo.


“Somente mulheres, crianças e cães são amados incondicionalmente. Homens são amados na medida do que podem oferecer.”  -Chris Rock.
  Se o machado está cego e sua lâmina não foi afiada, é preciso golpear com mais força. Agir com sabedoria assegura o sucesso. - Salomão em Eclesiastes 10.10.
  Muito cara legal foi parar debaixo de uma ponte por causa de uma mulher. - Bukowski.
Responda-o
#8
Boa noite galera, como estão?

Finalmente conclui a segunda e última parte (e mais extensa) da tradução do artigo sobre a Misândria Social.

Essa parte é mais densa, porém possui mais informações. Prestem atenção no que forem lendo, pois é de extrema importância as informações contidas nesse texto.

[CONTINUAÇÃO]

A MISANDRIA SOCIAL EM UM MUNDO ANTI-HOMEM - PARTE 2

Disparidade de sentenças

Uma pesquisa de David B. Mustard, da Universidade da Geórgia, concluiu que as mulheres recebem sentenças mais leves e possuem maior chance de absolvição, simplesmente por serem mulheres.

Sentença média para o mesmo crime em circunstâncias similares (assalto à mão armada):
Sexo masculino: 51,52 meses
Fêmea: 18,51 meses

Um juiz do Tribunal de Família de Queens, John Hunt, analisou os casos de oito adolescentes que vieram antes dele - quatro meninos e quatro meninas - e descobriu que a liberdade condicional recomendava rotineiramente um tratamento mais duro para os meninos, fazendo tudo o que podiam para poupar todas as meninas, exceto as meninas mais violentas do tempo de prisão.

No Canadá, se um homem mata uma criança, é considerado assassinato, punível com uma vida na prisão sem direito a liberdade condicional por 10 a 25 anos. Mas se uma mulher mata seus filhos, ela tem o direito de ser acusada de Infanticídio, que implica em uma pena máxima de 5 anos e nenhuma pena mínima. Os homens não têm esse direito.

A professora de Direito Sonja Starr da Universidade de Michigan descobriu em seu estudo de casos criminais federais de 2012 que os homens recebem em média 63% mais penas do que as mulheres, e as mulheres têm o dobro da probabilidade de evitar o encarceramento se condenadas todas juntas.

Os seguintes dados são baseados no censo de 1990 - 2000 nos EUA

Para cada 100 meninas de 15 a 17 anos na prisão, há 837 meninos.
Para cada 100 mulheres de 18 a 21 anos na prisão, há 1430 homens atrás das grades.
Para cada 100 mulheres de 22 a 24 anos na prisão, há 1448 homens atrás das grades.

Disparidade de Sentenças no Mundo Anti-Homem

Em um caso recente do Canadá, uma mulher de 26 anos que fazia sexo oral em uma menina de 5 anos de idade, foi considerada como NÃO sendo pedófila. Imagine se fosse um homem dando sexo oral a uma menina de 5 anos de idade! Isso é disparidade de sentenças!!

Outro caso recente de grave duplo padrão (dois pesos duas medidas) de Houston, Texas - professora, pedófila e predadora sexual seduz um menino de 16 anos e o viola sexualmente. Ela é condenada a nenhuma pena de prisão, apenas a uma multa de 5.000 dólares e a uma liberdade condicional. Nenhuma palavra sobre se ela também acabará registrada como agressora sexual, o que provavelmente significa que ela não será registrada como uma criminosa.

Imagine se os papéis fossem invertidos, se um professor masculino seduzisse e violasse sexualmente uma garota de 16 anos. Não ouviríamos o fim disso das fileiras de feminazis, e o cara seria condenado a mais de 20 anos de prisão e passaria o resto de sua vida batendo na porta das pessoas para dizer-lhes que era um pedófilo e um desviado sexual.

Ah, esqueci de  mencionar o fato de que os promotores concordaram com o acordo porque Nikki Scherwitz (nome da agressora) concordou em enviar desculpas à mãe e ao distrito, mas não à vítima!

Violência doméstica

A política básica de resolução de violência doméstica em quase todos os países ocidentais é a de  "prender o homem". No entanto, sabe-se que as mulheres são mais ou igualmente agressivas fisicamente com seus cônjuges/parceiros do que os homens em seus relacionamentos.

Uma referência examinando agressões por mulheres a seus cônjuges ou parceiros masculinos foi uma bibliografia anotada por Martin S. Fiebert do Departamento de Psicologia, Universidade Estadual da Califórnia, em que se descobriu que as mulheres são agressoras físicas e emocionais tanto quanto e com mais frequência que os homens, e que são tão ou mais agressivas com seus parceiros como os homens.

O estudo sobre violência doméstica dirigido por John Hamel, editor-chefe da Partner Abuse, uma editora Springer que foi um projeto de pesquisa de três anos, conduzido por 42 estudiosos em 20 universidades e centros de pesquisa que incluía informações sobre 17 áreas de pesquisa sobre violência doméstica concluiu que "a vítima nem sempre é a atingida, mas às vezes a presa".

O estudo também descobriu que os homens não só são presos de forma desproporcional em casos de violência doméstica, mas às vezes presos por razões arbitrárias, citando, por exemplo, que a polícia freqüentemente prende a parte maior e mais forte nos casos em que o perpetrador não é claro.

Embora estudo após estudo comprove que as mulheres são tão freqüentes ou mais comuns instigadores de violência doméstica do que os homens, a política de resolução "prender o homem não importa o que seja" presume automaticamente a inocência da mulher e a culpa do homem, independentemente de quem seja o agressor.

O International Journal of Criminal Justice Sciences, Vol 5 Issue 1, janeiro que em junho de 2010 publicou um estudo sobre vítimas masculinas de violência do parceiro íntimo nos Estados Unidos, no qual citou um estudo de George e Yarwood que constatou que a polícia ameaçou com prisão 47% das vítimas masculinas de violência do parceiro íntimo, ignorou 35% das vítimas masculinas e 21% foram presas em vez dos perpetradores femininos.

Estudo intitulado "Desabafando a Definição de Abuso Doméstico": How Women Batter Men and the Role of the Feminist State" de Linda Kelly, professora de Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Indiana, descobriu que quando homens abusados chamam a polícia para denunciar violência doméstica cometida contra eles por sua parceira, eles têm três vezes mais probabilidade de serem presos do que sua esposa que os está abusando.

O jogador profissional Warren Moon foi preso depois de ter sido agredido por sua esposa que jogou um castiçal em sua cabeça e o chutou na virilha. Para evitar mais agressões, Moon prendeu sua esposa, mas assim que a polícia chegou, eles o prenderam e o acusaram de violência doméstica. Sua esposa confessou mais tarde que estava sendo indevidamente violenta enquanto ele não retaliou de nenhuma forma o que levaria à sua absolvição, mas como foi o caso das feministas de Davis, Califórnia, que simplesmente não aceitaram a possibilidade de que uma mulher acusasse falsamente um homem de estupro (mencionei o caso antes, ver referência ), neste caso o grupo de mulheres insistiu novamente que Moon fosse acusado. No mundo Anti-Homem dominado pela Misandria Social, espera-se que um homem seja considerado responsável pelos atos criminosos da mulher.

Um estudo da Universidade da Flórida descobriu que as mulheres são mais propensas a "perseguir, atacar e abusar" de seus parceiros do que os homens.

Um estudo do Centro de Controle de Doenças de 2007 constatou que quase um quarto (24%) dos relacionamentos tinham violência, cerca da metade (49,7%) era recíproca. Em relacionamentos não reciprocamente violentos, as mulheres foram as perpetradoras em mais de 70% dos casos.

Ordens de Restrição

Como se ser submetido à violência doméstica por sua parceira não fosse suficientemente ruim para os homens, para piorar ainda mais a situação, na sociedade anti-homem, as mulheres podem facilmente apresentar uma ordem de restrição, e só porque são mulheres, os juízes nem sequer verificam as alegações, eles apenas emitem a ordem.

Quão fácil é para as mulheres obter uma ordem de restrição?
Em 2005, o juiz do distrito de Santa Fé Daniel Sanchez emitiu uma ordem de restrição temporária para "proteger" Colleen Nester que alegou que o que o apresentador do programa David Letterman disse em seu programa eram de fato mensagens codificadas faladas com a intenção de assediá-la e expressar seu desejo de se casar com ela [NT: PUTA QUE PARIU]. Quando perguntado por que ele havia emitido a ordem de restrição sobre uma alegação tão ridícula, o Juiz Sanchez respondeu que a Sra. Nestler havia preenchido corretamente o pedido de ordem de restrição.

Em um estudo de 2010 sobre abuso de parceiros intitulado "Um olhar mais próximo sobre homens que sustentam o terrorismo íntimo por mulheres", a professora Denise A. Hines PhD da Clark University e Emily M. Douglas PhD da Bridgewater State College constatou que, de 302 homens que sofreram violência doméstica por suas esposas, 38,7% relataram que ela entrou com uma ordem de restrição contra ele sob falsos pretextos.

Linhas Diretas e Abrigos contra a Violência Doméstica

Uma pesquisa da National Parents Organization, sediada nos Estados Unidos, descobriu que 64% dos homens que faziam chamadas de socorro para abrigos de violência doméstica financiados por impostos foram informados de que o abrigo só estava ajudando as mulheres. A maioria relatou ter sido ridicularizado e que desligaram na cara, ou que disseram que as mulheres não cometem violência doméstica, portanto deve ter sido culpa da pessoa que ligou.

De acordo com a pesquisa da Humankind Initiative, no Reino Unido existem apenas 13 organizações que oferecem refúgio ou abrigo seguro para vítimas masculinas de violência doméstica com um total de 78 leitos, dos quais 33 leitos são dedicados somente a vítimas masculinas (sendo o restante para vítimas de ambos os sexos), e destes 33 leitos dedicados, 18 são somente para homens gays. Em comparação, no Reino Unido existem mais de 260 organizações com cerca de 4.000 leitos dedicados a vítimas femininas de violência doméstica.

Em outras palavras, no mundo anti-homem, pelo menos 50% das vítimas de violência doméstica são homens, mas há pelo menos 100 vezes mais espaços de abrigo disponíveis para as mulheres porque os homens precisam apenas lidar com isso e parar de lamentar que estão sendo abusados. Afinal de contas, se eles procurassem ajuda, seriam apenas ridicularizados e culpados por serem eles mesmos os perpetradores.


Custódia de crianças

De acordo com o censo americano sobre Mães e Pais de Custódia, as mulheres recebem a custódia dos filhos em cerca de 84% dos casos de custódia.

Pesquisas sobre maus-tratos infantis feitas pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, Administração para Crianças e Famílias descobriram que 81,2% das crianças maltratadas, foram maltratadas por um dos pais (os 18,8% restantes foram maltratadas por pessoas em relação não-parental com elas, tais como creches, pais adotivos, vizinhos, tutores legais, parentes, etc.). Dos filhos maltratados por um dos pais, 38,3% foram maltratados por uma mãe, 6,0% por uma mãe e outra pessoa, 18,1% por um pai, 0,9% por um pai e outra pessoa, e 17,9% por uma mãe e um pai.

No entanto, precisamos levar em conta a disparidade entre mães e pais de custódia, conforme delineado pelo censo listado acima. De acordo com o U.S. Population Reference Bureau Data Brief, 71% das crianças são criadas em uma família nuclear, 29% são criadas em famílias monoparentais. Se as mulheres recebem a custódia em 84% dos casos, podemos presumir que 84% dos filhos que crescem em famílias monoparentais são filhos de pais solteiros. Assim, de 29% das famílias monoparentais, 24,36% são lideradas pela mãe, e 4,64% são lideradas pelo pai. Para o benefício das mulheres, vamos arredondar estes números para 24% de mãe e 5% de pai e de mãe.

Assim, pode-se deduzir o seguinte:

76% das crianças crescem com um pai presente, enquanto 95% das crianças crescem com uma mãe presente.

Isso significa que para cada 100 crianças que crescem com um pai presente, 125 crescem com uma mãe presente.

De todas as crianças maltratadas, 62,2% são maltratadas por uma mãe (soma de 38,3% maltratadas por uma mãe, 6,0% por uma mãe e outra pessoa, e 17,9% por uma mãe e um pai) e 36,9% são maltratadas por um pai (soma de 18,1% por um pai, 0,9 por um pai e outra pessoa, e 17,9% por uma mãe e um pai).

Isso significa que para cada 100 crianças maltratadas por um pai, há 168 maltratadas por uma mãe.
Assim, levando em conta a disparidade de custódia, as mães têm 1,34 vezes mais probabilidade de maltratar seus filhos do que os pais.
É verdadeiramente alarmante que as mulheres tenham a custódia dos filhos após uma separação 5 vezes mais freqüente do que os homens, mas elas têm 1,34 vezes mais probabilidade de serem autoras de maus-tratos do que os homens. Em outras palavras, os maus-tratos às crianças seriam reduzidos em 25,4% se, em vez de às mães, fosse concedida a custódia dos filhos aos pais.

Considerando que, de acordo com os Serviços de Saúde e Humanos, 0,78 milhões de crianças foram maltratadas entre 2004 e 2008. Se dessem a custódia das crianças aos pais em vez de às mães, 198.120 crianças poderiam ter sido poupadas de maus-tratos!

Discriminação por Bolsa de Estudos

Um estudo inédito sobre a participação do NCAA e dados de bolsas de estudo conduzido pelo Conselho de Esportes do Colégio (CSC) constatou que as estudantes do sexo feminino têm muito mais oportunidades do que os estudantes do sexo masculino para competir e ganhar bolsas de estudo. As meninas receberam bolsas de estudo quase duas vezes mais frequentemente que os meninos - para cada 200 meninos, 320 meninas receberam bolsa de estudo.

Discriminação de crimes de ódio

De acordo com a legislação de direitos civis de 1964, o Departamento de Justiça dos EUA não investigará casos de bullying se a vítima for um homem branco.

Em algumas companhias aéreas, como a Air New Zealand, os homens são proibidos de sentar ao lado de crianças em aviões, simplesmente porque são homens e o preconceito social anti-homem dita que todo homem é um suposto estuprador. A British Airways mudou recentemente esta política discriminatória.

Homicídios

Como um site de notícias da realidade, um dos lugares onde o Woman Privilege (Privilégios Femininos) pode ser observado claramente é no site Best Gore. Basta clicar no botão "All The Gore" no menu superior e ir de página em página para ver como é absolutamente raro para uma mulher tornar-se uma vítima de violência. E não só a violência contra as mulheres é mais rara do que a violência contra os homens, a gravidade da violência também é incomparável.

O estudo de tendências de homicídios realizado pelo Departamento de Estatísticas de Justiça dos EUA constatou que a taxa de vitimização para homens era 3 vezes maior do que a taxa para mulheres.

Mortes no local de trabalho

Mais uma vez, basta olhar ao redor do site Best Gore para ver que os homens morrem ou se ferem no desempenho de suas tarefas de trabalho com mais freqüência do que as mulheres.

A maioria dos empregados que fazem trabalhos perigosos são homens. Os governos do primeiro mundo fazem um esforço significativo para encorajar as mulheres a entrar em campos tradicionalmente compostos por homens, mas nenhum incentivo é feito para assumir o fardo de fazer trabalhos perigosos.

No verão passado, 19 bombeiros morreram no Arizona. Todos eles eram homens. Não surpreendentemente, a blogosfera feminista não explodiu com apelos de igualdade de gênero.

Os rapazes são submetidos a uma lavagem cerebral desde muito cedo que, para provar que são masculinos, eles têm que assumir trabalhos perigosos. Se você precisar de um exemplo, considere e faça um anúncio de recrutamento do exército.

De acordo com o Bureau of Labor Statistics dos EUA, os homens são responsáveis por 92% de todos os acidentes de trabalho fatais.

O Serviço de Pesquisa do Congresso sobre Guerra Americana e Casos de Operações Militares forneceu as seguintes estatísticas sobre mortes de militares:

Operação Enduring Freedom (de 7 de outubro de 2001 a 6 de fevereiro de 2010): Total de mortos 973, dos quais 953 eram homens. Total de feridos em ação 4.949, dos quais 4.899 eram do sexo masculino.
Operação Liberdade Iraquiana (de 19 de março de 2003 a 6 de fevereiro de 2010): Total de mortos 4.365, dos quais 4.261 eram do sexo masculino. Total de feridos em ação (desde 1º de maio de 2003) 31.103, dos quais 30.495 eram do sexo masculino.

Suicídios

Os suicídios são talvez o melhor indicador do quanto é chato ser homem e do privilégio que é ser mulher. Quando se é empurrado para o suicídio, para fazer o sacrifício final (em vez de apenas fazer uma cena para ganhar o prêmio de rainha do drama do dia - chamadas de atenção com tentativas falsas de suicídio são, como preponderância de se tornar uma falsa vítima de estupro, também um domínio das mulheres) e para tirar sua própria vida, a pressão sobre suas vidas deve ter sido insuportável.

Para cada 100 mulheres de 15 a 19 anos que cometem suicídio, 549 homens na mesma faixa cometem suicídio. Para cada 100 mulheres de 20 a 24 anos que cometem suicídio, 624 homens da mesma faixa etária cometem suicídio.

Um fator confuso em tudo isso poderia ser a constatação de que as mulheres tentam o suicídio com mais freqüência do que os homens. Isto tem principalmente a ver com o fato de que as mulheres frequentemente tentam o suicídio não porque pretendem se matar, mas para chamar a atenção para si mesmas. Enquanto a maioria dos homens que tentam o suicídio o fazem porque ninguém presta atenção a seus problemas.

Existem muitos mecanismos, incluindo instituições governamentais e organizações não governamentais dedicadas exclusivamente a ajudar as mulheres a lidar com situações estressantes. Mas quase nenhum ou absolutamente nenhum dedicado aos homens. Com poucas saídas para os homens enfrentarem, e com a pressão sobre eles sendo maior do que sobre as mulheres, as coisas podem se acumular e passar rapidamente do ponto de ruptura. Acrescente-se a isso a pressão da sociedade sobre os homens para enfrentar ou ser chamados de garotas, maricas ou caloteiros e é fácil ver por que os homens realmente passam por suicídios, em vez de usá-los como um pedido de ajuda.

Sem-teto

O Relatório Anual de Avaliação de Desabrigados de 2009 do Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano dos EUA constatou que 63,7% dos desabrigados nos EUA são homens.

Ação afirmativa

Em muitos países, a ação afirmativa em favor das mulheres é permitida, enquanto a ação afirmativa em favor dos homens é ilegal.

No Canadá, um empregador em um campo dominado por homens é permitido discriminar os homens e contratar mulheres preferencialmente, enquanto um empregador em um campo dominado por mulheres não é permitido contratar homens preferencialmente. Embora a ação afirmativa finja ser uma causa nobre, o que ela faz é dar às mulheres uma vantagem líquida no local de trabalho como um todo e discriminar os homens no local de trabalho como um todo.

Crianças

Nos Países Baixos, as mulheres têm o direito de entregar uma criança não desejada para adoção imediatamente após o nascimento, despojando-se assim de toda responsabilidade financeira pela criança. Os homens não têm esse direito.

Nos Estados Unidos, uma mulher pode nomear qualquer homem que ela escolher como pai. O homem recebe uma carta no correio, se ele não provar que não é o pai biológico dentro de 30 dias (problemas com o serviço postal não são uma desculpa) ele agora é o pai, não pode contestá-la e deve pagar.

Segundo Hermesmann v. Seyer, uma mulher tem o direito de processar o pai de seu filho para sustento da criança, mesmo que a concepção tenha ocorrido como resultado de um ato criminoso, como estupro estatutário, cometido pela mulher.

Inscrição No Serviço Militar

Em alguns países, o serviço militar é obrigatório para os homens. Em muitos outros, os homens são obrigados a se registrar para o serviço seletivo.

Nos EUA, a maioria dos cidadãos americanos do sexo masculino e os não-cidadãos imigrantes do sexo masculino entre 18 e 25 anos de idade estão sujeitos ao Sistema de Serviço Seletivo, o que os torna sujeitos potenciais ao alistamento militar.

Nos Países Baixos, homens entre 17 e 45 anos são sujeitos ao obrigatório.

Disparidade de gastos do governo

Os números a seguir são de British Columbia, Canadá, mas espera-se uma disparidade similar de gastos governamentais na maioria das sociedades ocidentais:

Em 2008/2009 a província dedicou US$561.360 em subsídios para recursos masculinos e US$98.983.236 para recursos femininos.

Em 2009/2010 o governo da Colômbia Britânica gastou US$ 1.516.460 em subsídios para recursos masculinos e US$ 57.562.373 para recursos femininos.

Em 2010/2011 o governo da Colômbia Britânica gastou $3.740.800 em subsídios para os recursos dos homens e $48.331.443 para os recursos das mulheres.

Empresas que as mulheres são proprietárias recebem dinheiro gratuito do governo sem outra razão que não seja porque são dirigidas por uma mulher (isto é, se você pegar duas empresas de nicho, tamanho, renda e outros fatores iguais, sendo a única diferença que uma é dirigida por uma mulher e a outra por um homem, é essa diferença que abrirá portas para que a dirigida por uma mulher liberte o dinheiro do governo).

Disparidade na pesquisa em saúde

Obamacare contém 148 provisões e programas especiais para as mulheres, mas nenhum para os homens, embora as perspectivas de saúde e expectativa de vida dos homens sejam muito mais severas do que para as mulheres. Os gastos federais de saúde dos EUA já são de 65% para as mulheres.

Os homens morrem em média 7 anos antes das mulheres. Antes dos 65 anos de idade, os homens têm três vezes mais probabilidade de sofrer de doenças cardíacas e duas vezes mais probabilidade de morrer de câncer de pulmão do que as mulheres.

Um ramo inteiro da ONU se dedica às questões das mulheres, mas nada para os homens.

Há ramos de governos federais dedicados às questões de saúde da mulher, mas nenhum para os homens.

Suposta Diferença Salarial

As feminazis gostam de usar a alegação de que as mulheres são pagas menos que os homens como base para seus ataques contra os homens. Um estudo de 2009 financiado pelo Departamento do Trabalho dos EUA intitulado "An Analysis of the Reason for the Disparity in Wages Between Men and Women" concluiu que a suposta disparidade salarial só existe porque é apenas um instantâneo da renda média anual em tempo integral que não responde pelas horas extras (cerca de 90% dos homens), tipo de trabalho realizado por fatores voluntários e não discriminatórios. Em conclusão, o Departamento do Trabalho provou que a suposta disparidade salarial é causada por escolhas e não por discriminação.

Aqui está também um vídeo com Carrie Lukas, Diretora Executiva do Fórum Independente de Mulheres que esclareceu a suposta lacuna salarial que existe entre homens e mulheres. A Sra. Lukas argumentou que enquanto as pesquisas trabalhistas mostram que as mulheres ganham 77% do que os homens ganham por trabalho igual, na realidade as mulheres ganham, em média, tanto ou até mais do que os homens.

Aqui está outro relatório bem apresentado sobre o porquê da alegada diferença de remuneração entre os sexos é agora o que os ativistas estão afirmando. [NT: Relatório disponível para consulta nas referências]

Outro relatório bem apresentado por uma mulher que argumenta que estatísticas de igualdade salarial não são como parecem. [NT: Relatório disponível para consulta nas referências]

Feminismo Matou o Cavalheirismo

Acabo de ler um artigo de uma mulher que se perguntava por que um homem não se ofereceria para ajudar com sua bolsa pesada em um avião. Eu consideraria um privilégio dar um soco na cara dessa cadela.

Bem-vindo à igualdade! Isto é o que o espancamento constante aos homens conseguiu. A repórter mostra uma miséria flagrante e insulta os homens, comparando-os a pavões, mas no mesmo fôlego acha que merece privilégios especiais só porque é mulher. Que fantástica demonstração de mentalidade feminista - ser desrespeitosa, intitulada, presunçosa e desligada da realidade de uma só vez.

Poderia um homem em meados dos anos 50 ajudar realisticamente uma mulher mais jovem e atraente sem ser acusado de reforçar seu papel sexista de gênero, assumindo que a mulher não poderia cuidar de si mesma, ou mais realisticamente, poderia ser assumido como um verme e um estuprador procurando se aproximar de sua vítima? Eu também não ajudaria nenhuma mulher. Eu provavelmente nem olharia para ela, já que o mero contato visual pode constituir assédio aos olhos da feminista que procura destruir todo homem por ser homem, e já que este tipo de comportamento é apoiado pelo judiciário.

O cavalheirismo está morto, e com razão. A razão? O cavalheirismo era uma rua de dois sentidos e incluía um respeito saudável pelos homens que o exibiam.

Mas o homem ainda o tem (o cavalheirismo) dentro de si. Eles simplesmente não podem se arriscar a ser cavalheiros por uma ameaça realista de ter sua vida arruinada por uma falsificadora de estupro. Para um homem, é mais seguro legal e socialmente tratar uma mulher como outro homem de meia-idade.

Mulheres de verdade não precisam de feminismo.

Mulheres Reais Não Precisam de Feminismo.

Quanto à Sra. Katarina Kroslakova, autora do artigo - você já pensou em pedir ajuda? Duvido que isso cause problemas em levantar sua mala, pois a tripulação de cabine teria prazer em ajudá-lo com ela se vissem que você não poderia fazê-lo você mesmo. Seu problema claramente era seu senso ilusório de direito ao privilégio de ser uma mulher. Sua exigência de que os homens o ajudassem sem se atirar a você sugere que você tem um longo histórico de considerar os homens inferiores a você e ter grande alegria em rejeitá-los.

A Mãe Natureza sabe que o homem tem mais dificuldade

Em um nível social, os fatos podem ser deturpados em favor daqueles com bocas maiores (neste caso "feministas"), então se você cresceu em uma sociedade anti-homem, você provavelmente sofreu uma lavagem cerebral para acreditar que as mulheres tiveram mais dificuldade do que os homens. Onde quer que os humanos com suas deficiências e fragilidades estejam envolvidos, é de se esperar duplicidade. Uma entidade que está acima da fragilidade humana e como tal sabe melhor, é a Mãe Natureza.

Apesar de que as feminazis e seus males animalescos chicoteiam os homens, a Mãe Natureza sabe que os homens têm sobre seus ombros fardos muito mais difíceis de carregar do que as mulheres e, como tal, perecerão a um ritmo maior, portanto, para compensar, ela fez com que nascessem mais homens do que mulheres. Hoje em dia, de acordo com o livro de fatos da CIA, a proporção atual de sexo ao nascer no mundo é de 107 meninos para 100 meninas.

Esta é a Mãe Natureza nos dizendo que os homens têm mais dificuldade do que as mulheres, então mais deles precisam nascer para compensar o tamanho do fardo que têm que carregar ao longo de suas vidas.

Feminismo

Ganhar a compreensão de que vivemos em um mundo anti-homem não é ser anti-mulher. É apenas um apelo à igualdade social e legal entre os gêneros. Não a igualdade total, pois esse é um conceito ridículo que é impossível de instituir. Estou falando de dar aos homens direitos que lhes são negados, incluindo os direitos humanos, como o direito à integridade física ou o direito de acesso a oportunidades em que os homens atualmente não têm o direito de ser iguais no resultado.

O feminismo, que é uma ideologia destrutiva que não é apenas anti menino e anti homem, mas também anti menina e anti mulher, deve enfrentar a condenação social e legal no mínimo igual ao terrorismo, pois seus efeitos negativos sobre os inocentes são muito mais prejudiciais e difundidos.

As feministas argumentam contra coisas como a mutilação genital feminina em países do terceiro mundo, mas estão de acordo com a mutilação genital masculina em países do primeiro mundo. Sem mencionar que as feministas são completamente cegas a taxas mais altas de suicídio entre os homens, taxas mais altas de encarceramento, taxas mais altas de vítimas de violência e acidentes de trabalho, o esboço, direitos de visita para os pais, decisões judiciais contra os pais, pensão alimentícia, percepção de homens bondosos como pedófilos, demonização e criminalização da sexualidade masculina, puxando um cartão de "culpa da vítima" se alguém não ficar automaticamente do lado da vítima de estupro falso só porque ela é uma mulher, etc.

Precisamos parar de tratar os homens como cidadãos de segunda classe que são inferiores às mulheres - tanto cultural como legalmente.

Conclusão

A misandria social na maior parte do que é conhecido como primeiro mundo é fortemente anti masculina. A maioria dos países tem várias comissões sobre o status das mulheres financiadas pelos dólares dos contribuintes, mas nada para os homens. Muitos países oferecem benefícios fiscais para empresas que são "de propriedade de mulheres" e têm contratos garantidos a empresas de propriedade de mulheres, mas não para empresas de propriedade de homens.

A maioria dos países tem um Departamento de Violência contra as mulheres, e/ou o Departamento de Justiça sobre Violência contra as Mulheres (Delegacia da Mulher aqui no Brasil), mas nada comparável para os homens, ainda assim os homens têm o dobro da probabilidade de serem vítimas de um ataque violento.

As mulheres têm direitos quase absolutos sobre seus próprios filhos nascidos, mas os homens só têm direitos sobre seus próprios filhos quando concedidos pelos tribunais ou pelo precedente legal do casamento com a mãe.

As mulheres vivem em média mais 7 anos, mas os países não têm departamentos de saúde masculina, apenas departamentos de saúde feminina.

Entre os direitos das mulheres que os homens não têm concedido por precedente legal, estão:
  • O direito ao aborto.
  • O direito de abandonar seu filho sem o consentimento de seu parceiro.
  • O direito de colocar seu filho para adoção sem o consentimento do pai ou contra ele.
  • O direito de reduzir as penas de prisão pelo mesmo crime, com maior probabilidade de receber liberdade condicional do que o encarceramento e também períodos mais curtos de encarceramento.
  • O direito de "não ser ofendido" no local de trabalho.
  • O direito de expulsar um homem de sua casa porque ela diz ter "medo" dele.
  • O direito de fazer falsas acusações de estupro, violência doméstica ou abuso infantil com relativa impunidade.
  • O direito de manter a custódia dos filhos após o divórcio, a menos que se prove ser um pai inadequado.
  • O direito de ter um homem preso apenas com base em sua palavra, sem nenhuma prova de apoio, após uma alegação de estupro.
  • O direito a clubes, ginásios ou alojamentos somente para mulheres.
  • O direito de usar a depressão, TPM ou "ser controlado por um homem" como uma defesa legal e ter muito mais chances de ganhar.
  • O direito a um padrão de "autodefesa" que não inclua uma ameaça imediata.
Responsabilidades que os homens têm e que as mulheres não têm por lei:
  • Serviço seletivo (The Draft).
  • A obrigação de se listar em uma suposta lista de pais para conseguir ter pelo mesmo os mais fracos direitos aos seus filhos.
  • Uma exigência de apoiar suas esposas (os maridos podem ser acusados de abandono, as esposas não podem).
Responsabilidades que os homens têm e que as mulheres não têm por precedente legal:
  • A responsabilidade de sustentar financeiramente seus filhos (as mães de custódia não são esbofeteadas com uma ordem de "ganhar tanto ou ir para a cadeia". Além disso, as mães raramente são ordenadas a sustentar seus filhos que estão sob a custódia do pai).
  • A responsabilidade de aceitar serem forçadas a ser mães contra sua vontade.
  • A responsabilidade de superar seu passado como homens que não pode usar abusos anteriores como defesa legal, mas as mulheres podem.
Além disso:

Os homens não têm o direito de serem reconhecidos como vítimas de estupro quando forçados a ter relações sexuais não consensuais, nem têm o direito de que aqueles que perpetraram esses atos contra eles sejam acusados de estupradores.

Os homens não têm o direito de ser reconhecidos como vítimas de violência doméstica e de ter a proteção que as mulheres têm. Os homens não têm o direito de não serem presos por denunciarem ser vítimas de violência doméstica (de acordo com a prisão obrigatória e as leis primárias sobre agressores).

Os homens recebem, em média, uma sentença 63% mais severa por condenações idênticas às das mulheres, uma lacuna ainda maior do que a discriminação racial no tribunal.

Os homens não têm o direito de ser presumidos inocentes até que sua culpa seja provada sem margem para dúvidas, especialmente em crimes de natureza sexual, nos quais eles devem freqüentemente provar sua inocência. Este direito foi efetivamente desmantelado na recente carta do "Prezado Colégio". Este mandato não é aplicado de modo geral às mulheres.

Quando acusados de crimes sexuais em um campus universitário, os homens não têm o direito de ser defendidos por um advogado. Os homens não têm o direito de que sua acusação seja julgada e investigada por profissionais da lei.

As mulheres americanas usam 20% a mais de dólares de saúde durante em toda uma vida, mas pagam os mesmos prêmios.

As mulheres americanas usam 50% mais benefícios da seguridade social e de sobrevivência, mas pagam significativamente menos impostos. Em alguns países, as mulheres até conseguem obter benefícios mais cedo.

Proteja-se

Gostaria de propor a promoção da igualdade de valorização social de homens e mulheres, bem como a igualdade de tratamento perante a lei. Entretanto, dada a toxicidade anti-homem do ambiente cultural atual, eu não vejo isso como uma possibilidade viável. Pelo menos não num futuro previsível. Portanto, vou propor uma dica para os homens sobre como se protegerem da má administração social.

Como o tema da autoproteção pode ficar bastante longo, e este post já é um monstro, reduzirei para apenas uma dica - Não namore!

Apenas não namore. Nunca. Sem “se”, “mas” ou “o quê”. Se você precisar de sexo, se masturbe ou pague uma prostituta.

Como homem em um mundo anti-homem, você se colocará automaticamente em desvantagem se participar voluntariamente do jogo de namoro. Se ela não for para a cama com você sem que você lhe compre algo, pare ela ali mesmo e economize o dinheiro que você teria gasto enquanto ainda enfrentava o risco de rejeição sexual, gaste em uma prostituta real com quem você sabe o que recebe, quando e por quanto.

Com o namoro, você não sabe o que recebe, nem sequer sabe se recebe alguma coisa e, no final das contas, isso sempre lhe custará mais. Vai lhe custar não só em dinheiro, mas também com o seu tempo que nunca mais voltará, e você terá que jogar o jogo dela com o namoro e outras normas anti-sociais masculinas.

O mundo já está a favor delas, não a seu favor. Não piore as coisas para você mesmo jogando o jogo delas.
Todo mapeamento começa na visualização e compreensão do espaço, dentro da mente. Tal arte, se dominada, pode trazer muitos frutos positivos. 
Responda-o
#9
REFERÊNCIAS:

[1] http://www.legislation.gov.uk/ukpga/2003/42/section/1 – A person (A) commits an offence if (a)he intentionally penetrates the vagina, anus or mouth of another person (B) with his penis, (b)B does not consent to the penetration, and ©A does not reasonably believe that B consents.
[2] http://www.legislation.gov.uk/ukpga/2003/42/section/4
[3] https://en.wikipedia.org/wiki/Laws_regarding_rape
[4] http://www.thefire.org/frequently-asked-...ce-letter/
[5] http://online.wsj.com/article/SB10001424...30642.html
[6] http://falserapearchives.blogspot.com/20...-1994.html
[7] https://archive.org/details/FalseRapeAllegations
[8] http://www.ipt-forensics.com/journal/volume6/j6_2_4.htm
[9] http://glennsacks.com/blog/?p=573
[10] http://www.cbc.ca/news/canada/british-co...g-1.859939
[11] http://www.huffingtonpost.com/2012/06/08...81605.html
[12] http://articles.latimes.com/1991-08-20/n...enterprise
[13] http://www.cdc.gov/violenceprevention/pd...2010-a.pdf
[14] http://www.terry.uga.edu/~mustard/sentencing.pdf
[15] https://www.nydailynews.com/news/crime/j...e-1.473763
[16] http://www.csulb.edu/~mfiebert/assault.htm
[17] http://www.prweb.com/releases/2013/5/prw...ID=4003003
[18] http://www.sascv.org/ijcjs/pdfs/carolett...l5iss1.pdf
[19] http://www.law.fsu.edu/Journals/lawrevie.../kelly.pdf
[20] https://nationalparentsorganization.org/...-shelters/
[21] http://www.mankind.org.uk/pdfs/21%20Key%...202013.pdf
[22] http://www.nytimes.com/1996/02/23/sports...arges.html
[23] https://www.census.gov/prod/2003pubs/p60-225.pdf
[24] http://www.independent.org/newsroom/article.asp?id=1643
[25] http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2913504/
[26] http://collegesportscouncil.org/newsroom....cfm?id=28
[27] http://www.collegesportscouncil.org/20090715.pdf
[28] http://www.washingtontimes.com/blog/wate...ough-luck/
[29] http://www.bjs.gov/index.cfm?ty=pbdetail&iid=2221
[30] http://www.bls.gov/iif/oshwc/cfoi/cfch0009.pdf
[31] http://www.fas.org/sgp/crs/natsec/RL32492.pdf
[32] http://www.societyhealth.vcu.edu/files/H...Exhibit3-4
[33] http://news.ufl.edu/2006/07/13/women-attackers/
[34] http://ajph.aphapublications.org/doi/abs...005.079020
[35] https://en.wikipedia.org/wiki/Affirmative_action
[36] http://www.erishulp.nl/index.php?paginaID=12
[37] http://mens-en-samenleving.infonu.nl/soc...rland.html
[38] http://www.wetboek-online.nl/wet/BW1/204.html
[39] http://www.sss.gov/
[40] http://www.rijksoverheid.nl/onderwerpen/...enstplicht
[41] http://www.independent.ie/irish-news/cou...24861.html
[42] http://www.jpost.com/Israel/Womens-group...-with-rape
[43] http://www.hindustantimes.com/India-news...21702.aspx
[44] http://davidgbayliss.com/murder-manslaug...adian-law/
[45] https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?...id=2144002
[46] https://www.census.gov/population/www/ce...index.html
[47] http://www.bloomberg.com/news/2011-04-01...-says.html
[48] http://www.cdc.gov/nchs/data/dvs/LCWK1_2002.pdf
[49] http://reason.com/archives/2004/02/01/in...by-default
[50] http://www.gaming.gov.bc.ca/reports/docs...012-13.xls?
[51] http://www.gaming.gov.bc.ca/reports/docs...009-10.pdf?
[52] http://www.gaming.gov.bc.ca/reports/docs...009-10.pdf?
[53] http://reason.com/archives/2004/07/01/co...an-owned-b
[54] http://www.telegraph.co.uk/travel/travel...r-men.html
[55] http://en.wikipedia.org/wiki/Hermesmann_v._Seyer
[56] http://www.unwomen.org/
[57] http://www.womenshealth.gov/
[58] http://www.mediaradar.org/research_on_fa...ations.php
[59] https://en.wikipedia.org/wiki/Presidenti...s_of_Women
[60] http://www.consad.com/content/reports/Ge...Report.pdf
[61] http://www.c-span.org/video/?299089-4/wa...-men-women
[62] http://www.examiner.com/article/gender-p...ists-claim
[63] http://www.telegraph.co.uk/comment/colum...-gaps.html
[64] http://www.telegraph.co.uk/comment/colum...-gaps.html
[65] http://www.theage.com.au/executive-style...32jur.html
[66] http://timesofindia.indiatimes.com/city/...807940.cms
[67] http://www.sunnewsnetwork.ca/sunnews/can...41943.html
[68] http://www.telegraph.co.uk/news/uknews/c...ecade.html
[69] http://www.khou.com/news/cnn/Teacher-get...07861.html
[70] http://archive.acf.hhs.gov/programs/cb/p...8/cm08.pdf
[71] http://www.humanrightseurope.org/2013/10...an-rights/
[72] https://en.wikipedia.org/wiki/Circumcision_and_law
[73] https://www.unfpa.org/gender/practices2.htm#21
[74] http://www.cnn.com/2013/07/01/us/arizona...er-deaths/
[75] https://www.cia.gov/library/publications.../2018.html
[76] http://www.scientificamerican.com/articl...eaker-sex/
Todo mapeamento começa na visualização e compreensão do espaço, dentro da mente. Tal arte, se dominada, pode trazer muitos frutos positivos. 
Responda-o
#10
Caralho, mal comecei isso aqui, mas esse apanhado é destruidor. Estou lendo aqui, assim que terminar e de processar tudo, eu dou meu parecer. Parabéns pela ótima tradução! Esse tipo de informação se faz urgente espalhar. Se possível, faça um PDF, por favor? Tem alguns colegas meus que podem vir a fazer pleno uso disso.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#11
Show.
Grande trabalho confrade Geo, tradução concisa e que passa a mensagem da real que não interessa aos telejornais de hoje.
"Não existe mulher feia, você que bebeu pouco." (Mancho, Rodimeu)

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
#12
Esse artigo é nitroglicerina pura! O governo sabe disso, duvido que eles não possuam estatísticas! (Vejam as referências deixadas pelo @Geoman) O Homem é o boi de piranha que sustenta toda essa palhaçada!
  Se o machado está cego e sua lâmina não foi afiada, é preciso golpear com mais força. Agir com sabedoria assegura o sucesso. - Salomão em Eclesiastes 10.10.
  Muito cara legal foi parar debaixo de uma ponte por causa de uma mulher. - Bukowski.
Responda-o
#13
(27-06-2020, 09:09 PM)Wild Escreveu: Caralho, mal comecei isso aqui, mas esse apanhado é destruidor. Estou lendo aqui, assim que terminar e de processar tudo, eu dou meu parecer. Parabéns pela ótima tradução! Esse tipo de informação se faz urgente espalhar. Se possível, faça um PDF, por favor? Tem alguns colegas meus que podem vir a fazer pleno uso disso.

Esse apanhado reduz o tamanho excessivo da narrativa anti-homem no mundo ocidental. Por isso ele é importante. Existem determinadas informações que são difundidas pelos diversos meios eletrônicos que são falaciosas. 

Não se esqueça de verificar as referências que autor do artigo original colocou. 
Se for necessário, vá até o original e verifique o local exato em que ele referencia uma determinada afirmação. Lá você encontra cada coisa em seu devido lugar (o site apresenta conteúdo forte; fique atento caso seja sensível a material gore). 

Sobre o PDF eu não irei garantir nada, pois estou focado na tradução de outro artigo (tão extenso quanto esse). 

Obrigado pelo seu feedback!!

(27-06-2020, 10:38 PM)Baralho Escreveu: Show.
Grande trabalho confrade Geo, tradução concisa e que passa a mensagem da real que não interessa aos telejornais de hoje.

Obrigado confrade @Baralho

Essa é a mensagem realista raiz. Os telejornais de hoje são para pessoas nutella.

(28-06-2020, 12:07 AM)Fairchild Escreveu: Esse artigo é nitroglicerina pura! O governo sabe disso, duvido que eles não possuam estatísticas! (Vejam as referências deixadas pelo @Geoman) O Homem é o boi de piranha que sustenta toda essa palhaçada!

@Fairchild  O governo sabe. Há muito tempo já. Mas ignoram. 

A realidade é que a sociedade é sustentada pelo homem (por seu trabalho e pela sua vida). Mas isso não contam pra gente.
Todo mapeamento começa na visualização e compreensão do espaço, dentro da mente. Tal arte, se dominada, pode trazer muitos frutos positivos. 
Responda-o
#14
(27-06-2020, 07:33 PM)Geoman Escreveu: International Journal of Criminal Justice Sciences, Vol 5 Issue 1, janeiro - junho de 2010 publicou um estudo sobre vítimas masculinas de violência do parceiro íntimo nos Estados Unidos, no qual citou um estudo de George e Yarwood que constatou que a polícia ameaçou com prisão 47% das vítimas masculinas de violência do parceiro íntimo, ignorou 35% das vítimas masculinas e 21% foram presas em vez dos perpetradores femininos.

(27-06-2020, 07:33 PM)Geoman Escreveu: ...quando homens abusados chamam a polícia para denunciar violência doméstica cometida contra eles por sua parceira, eles têm três vezes mais probabilidade de serem presos do que sua esposa que os está abusando.

É um baita absurdo o que está acontecendo. O homem além de ser a vítima é que sofre a ameaça da polícia e justiça e muitas vezes quem é o punido. É o poste mijando no cachorro. É criminalização do homem só por ser homem.

Citação:Como se ser submetido à violência doméstica por sua parceira não fosse suficientemente ruim para os homens, para piorar ainda mais a situação, na sociedade anti-homem, as mulheres podem facilmente apresentar uma ordem de restrição, e só porque são mulheres, os juízes nem sequer verificam as alegações, eles apenas emitem a ordem.

Foi exatamente o que aconteceu comigo. 

Uma infeliz fez uma denuncia falsa pela Maria da Penha contra mim, e posso afirmar que foi falsa porque eu tenho todas as provas comigo da minha inocência, porém, em apenas algumas horas já tinha um oficial de justiça na porta da minha casa e dois dias depois eu já estava no tribunal para uma audiência que eu não pude participar, porque ela alegou se sentir intimidada na minha presença e tive que esperar no corredor, e fui chamado só para assinar no final, em que ela usando apenas palavras, com alegações sem sentido e sem apresentar uma prova sequer, sendo ela ex-presidiária e eu uma pessoa que nunca tive passagem alguma na polícia, mesmo assim o juiz concedeu uma medida protetiva para ela contra mim, sendo que eu tinha levado todas as provas mas o juiz nem quis me ouvir e nem receber as provas que eu levei. Disse que não tinha tempo pra isso e estava atrasado. Mas teve tempo para ouvir ela.

Ou seja, ela sem prova nenhuma somente com uma acusação verbal claramente sem fundamento conseguiu medida protetiva em apenas dois dias depois da denuncia falsa e eu que tinha gravação comprovando o lugar que eu estava, testemunhas, documentos e comprovantes, não tive o direito nem de apresentar as minhas provas e nem de sequer falar.

O meu advogado questionou e o juiz disse que não importa, mesmo sem fatos, independente da situação, ele sempre concede a medida protetiva para a mulher até o assunto ser esclarecido lá na frente (e depois o homem que se vire para se inocentar e procurar alguma prova para provar a inocência).

Não é a mulher que tem que apresentar provas de acusação, elas só precisam falar e é o homem que tem que correr atrás para procurar evidências para se defender (se é que vai poder ser ouvido para se defender caso consiga encontrar provas). É a injustiça legalizada.

E o pior é que o fato ocorreu a um ano atrás e a medida protetiva continua em vigor. Meu advogado conseguiu autorização com esse juiz para que eu pudesse depor na delegacia da mulher para anexar as provas nos autos, as mulheres da delegacia não queriam me deixar depor, foi com dificuldade e quase criando confusão que consegui anexar a minha defesa nos autos. É mole?

Basta qualquer mulher querer te ferrar que ela consegue em menos de 48 horas. Nem precisa de evidência nem nada. E na medida protetiva diz que se eu chegar menos de 300 metros dela posso ter minha prisão preventiva decretada. Olha só, preso por uma acusação falsa que eu tenho provas da minha inocência.

Muito fácil para elas irem além e ainda armarem uma situação para prenderem um inocente. O meu advogado disse que não incomum isso acontecer. A sorte que eu tenho provas, mas a maioria não tem evidências mesmo sendo inocentes, porque não é fácil você ter algum comprovante de onde estava exatamente naquele dia e hora que a mulher decide alegar um crime e se tiver provas também parece que a justiça não se importa. Imaginem o tanto de homens que estão passando por isso todos os dias por pura vingança e retaliação feminina como foi no meu caso.

Por isso, até entendo quando o autor defende que o homem não deve se relacionar mais e nem sequer ajudar mulher por aí para evitar problemas.

Estamos vivendo em tempos loucos. E ainda tem uns aqui que falam que é a melhor janela da história.

Citação:Nos Estados Unidos, uma mulher pode nomear qualquer homem que ela escolher como pai. O homem recebe uma carta no correio, se ele não provar que não é o pai biológico dentro de 30 dias (problemas com o serviço postal não são uma desculpa) ele agora é o pai, não pode contestá-la e deve pagar.

Segundo Hermesmann v. Seyer, uma mulher tem o direito de processar o pai de seu filho para sustento da criança, mesmo que a concepção tenha ocorrido como resultado de um ato criminoso, como estupro estatutário, cometido pela mulher.

O pior é que programas de televisão e revistas femininas ensinam isso o tempo todo para as mulheres. Mostram as leis e dão exemplos de mulheres que fizeram e como fizeram para ser bem-sucedidas em seus espólios legalizados (veja a discussão do livro A Lei para entender melhor esse conceito).

Dá vontade de pegar o texto, ir em uma gráfica, imprimir em forma daqueles jornais simples grátis que distribuem e juntar com uma galera e distribuir nos semáforos para os carros que estão passando pra ver se o povo finalmente acorda. 

Melhor ainda, acho que vou selecionar esse texto e mais uns 4 textos destruidores com links e referências, imprimir e encadernar e entregar para uns deputados e senadores de direita aqui no gabinete deles no congresso nacional. 

Mas, é melhor esperar os ministros serem colocados de volta no lugar deles e também encerrarem essa palhaçada de inquérito das Fake News para só depois analisar com alguns veteranos a viabilidade de fazer algo assim.
“A honra, a integridade e a verdade precisam ser guardadas, custe o que custar ao próprio eu.” Obreiros Evangélicos, pág. 447
Responda-o
#15
Então, cara, li e processei, muito me lembra um projeto que tava fazendo de juntar vários dados compilados sobre vários pontos e fazer uns dossiês. Eu fiz o primeiro para dar o modelo, mas o projeto não foi à frente por que sabe-se lá o motivo.

Voltando ao texto aqui, esse tipo de informação é uma arma valiosíssima, pois desmancha a narrativa falsificada anti-homem que corre na nossa sociedade. Você só pode combater falsidades trazendo a verdade.

Isso merece não só uma tradução, como talvez até uma adaptação, pesquisa extra, complementação e com muito menos já tem assunto de sobra para fazer um ou vários livros. Fazem por muito menos, como por exemplo a questão dos armamentos, o que é uma vergonha para nós homens, pois esses problemas citados aqui fazem muito mais vítimas do que a violência. (E claro, nós também somos as maiores vítimas da violência, só pra deixar bem claro)

Já ouvi falar dum tal de advogado Eduardo Camargo que trabalha em causas pró-homem e tenta desmascarar essa narrativa. Ele tem bons dados e informações relevantes. Tem que juntar mais e mais gente assim, mais e mais ideias, mais e mais dados. Se cada um quiser apenas cuidar do seu próprio rabo e não dar relevância nenhuma pra isso, estamos fodidos, pois o inimigo é bem unido e coeso quando importa.

Eu só digo uma coisa... Acredito que a gente pode não ter vantagem nenhuma nessa sociedade, mas ao menos não deixemos tudo na mão dos outros, não vamos deixar que eles tenham controle da narrativa, uma voz dissidente, bem argumentada, muitas vezes já pode fazer um baita estrago.

Se não querem ir pro campo de ação lá fora e se expor, minha gente, então bora fortalecer a retaguarda intelectual, botar a bunda na cadeira e estudar, juntar dados, estudos, pesquisas, enquanto pensa em alguma estratégia para as décadas que ainda virão. Se a gente não fizer nada só vai ser pior daqui pra frente.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)