Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
A Destruição da Cultura - Partes 1 e 2
#1
Por Ludvig Sunström, o original está aqui.


Tradução por Daniel Castro. 

(Globalização, Cultura Pop, Emburrecimento, Sistema Escolar Fracassado, e Democracia Participativa)
[Image: Popular-Culture-joker.png?resize=300%2C332&ssl=1]
Se pornô fosse permitido no YouTube o próximo presidente seria uma estrela pornô.

Se a canção tema daqueles que moram na homeostase é Girls Just Want to Have Fun, o tema daqueles que a superam é Push it to the Limit.

“Você observará preocupado o quanto demora para uma verdade útil ser conhecida e existir, antes de ser geralmente aceita e praticada.”
[color=var(--color-text)]  
[color=var(--color-text)]~Benjamin Franklin[/color]
[/color]

“Infelizmente conhecimento correto e princípios sólidos não são suficientes. Uma verdade plácida pode ser eclipsada por uma falsidade excitante.”
~Alduous Huxley
 
Parte 1: A Cultura está se Aprimorando?
Um dos críticos mais interessantes da cultura popular é Alan Moore.Você pode conhecê-lo como o criador de Watchmen. Numa entrevista que assisti no YouTube, ele disse:

Citação:Nós tínhamos a Beggars’ Opera (NT.: Ópera do Mendigo) em 1910.  Em 1969 tínhamos o filme Perfomance de Donald Cammel. Então tivemos o Harry Potter de JK Rowling no começo do século XX (NT.: sic, certamente o autor quis dizer século XXI). Todos os três foram grandes e importantes eventos culturais em suas épocas.
Se você colocar isso em um gráfico, a linha não está subindo. Eu penso que é um comentário justo dizer que nossa abordagem à cultura na corrente principal se degenerou. Os valores que as pessoas costumavam colocar num trabalho de arte, se erodiram.

Em outra entrevista (escrita), quando perguntado sobre filmes de super-heróis, ele respondeu:

Citação:Eu penso que, esta adoção de personagens que eram inequivocamente infantis quando de sua criação em meados do século XX parece indicar um afastamento das complexidades da existência moderna. Parece a mim que uma parcela significativa do público, tendo desistido de entender a realidade na qual ele vive realmente, raciocinou que ao menos ele poderia ser capaz de entender os universos espalhados e sem sentido, mas ao menos finitos apresentados pela DC ou Marvel Comics.

Eu gosto de Alan Moore, mas penso que ele está sendo um pouco duro com a DC e a Marvel.

Eu cresci lendo revistinhas como Homem-Aranha, e assisti os desenhos dos X-Men na TV.

Quando leio o Homem-Aranha agora, eu sinto um pouco de nostalgia, mas não fico excitado. Eu não revi os desenhos dos X-men, então eu não sei. Mas eu posso dizer o seguinte: meu desenho favorito da infância – O Fantasma – tem durado.

[Image: The-Phantom-is-not-part-of-pop-culture.p...C350&ssl=1]
Eu não mantenho uma coleção, mas quando trombo com o Fantasma, eu ainda gosto dele. Por que? Provavelmente porque sua premissa é tão diferente. É baseada em diversos períodos históricos (de modo que você poderia inventar histórias para sempre) e ensina  ao leitor novas ideias e valores sólidos de um modo divertido.

No linguajar do marketing, o Fantasma é o exemplo excelente de um conceito “Sempre-Vivo”. Eu tenho muito respeito pelos criadores do Fantasma, e se eu tiver filhos, comprarei uma coleção grande para eles.
Agora, compare isto à Marvel.

Marvel é parte do império Disney. Disney é uma companhia interessante pelo motivo que ela em quase um monopólio sobre a cultura popular. Nenhuma outra empresa pode ocupar seu papel, pelo menos não rapidamente.
Eu assisti a um entrevista com o CEO Bob Iger, que é brilhante. Ele foi perguntando sobre o filme Pantera Negra (2017) e o que fez aprovar o projeto. Ele disse que olharam três coisas:


  1. Podemos vendê-lo globalmente?

  2. Podemos vender produtos relacionados?

  3. Podemos fazer uma franquia com ele? (filmes, séries de TV, jogos eletrônicos etc.)

A resposta era “SIM”, então eles o fizeram.

O filme Pantera Negra saiu-se bem nas bilheterias. Com um orçamento de $200M e $700M de arrecadação. Não sou um profissional em analisar filmes mas vamos estimar que o lucro líquido foi de $400M. Isto é duas vezes mais que o orçamento – 9 de cada 10 filmes jamais dão lucro – sem contar o lucro futuro baseados nos três mandamentos de Iger para a Disney.

Eu imagino que o Fantasma nunca fez muito dinheiro – se fez.

Poderia talvez fazer, mas não existem tendências polarizantes para se capitalizar, nenhuma onda grande para surfar. O Fantasma é sustentado por seu próprio brilhantismo. Não é uma aposta macro; é uma atmosfera insular. Ele vive muito e prospera, mas não se torna viral, Você provavelmente não pode torná-lo um conceito universal. Ao menos não sem tornar a premissa uma história estúpida 1-2-3.

O Fantasma é o exemplo perfeito do que Alan Moore falou quando ele mencionou “mundo infinitos”. O Pantera Negra é uma história legal que atrai pessoas negras. Felizmente, existem muitas pessoas negras no mundo todo que podem se sentir inspiradas por tal filme. A quem o Fantasma atrai? Não há um grupo alvo específico. É simplesmente uma revistinha ótima que tem o objetivo de ensinar e durar.

Parte 2: A Cultura não se Aprimora Gradualmente
A cultura se aprimorou entre os anos 1000 e 2000?
Sem dúvida.

Não é algo que possamos medir facilmente, mas uma vez que mais pessoas se matavam sem boas razões então, eu tenho de dizer que sim.
Isto significa que a cultura está paulatina e gradualmente melhorando a cada ano?

NÃO!

Isto sequer é uma comparação justa a se fazer.

A cultura popular não existia antes dos meios de comunicação em massa surgirem. Sempre existiram esferas da sociedade que eram intelectual e moralmente superiores ao resto. Conhecimentos especializados existiam, mas permaneciam isolados, ensinados somente na forma orgânica mestre-aprendiz. Então você tinha o Estado e a Igreja definindo o sistema de crenças, e tradições culturais para o resto da sociedade; isto era o equivalente da cultura popular.
E as pessoas espertas ficavam fora dela.

Embora o globalismo e o consumismo só têm poucas décadas de existências, a degradação da cultura e nações têm mais tempo.
Uma das melhores explicações para como isso acontece é o padrão histórico de que uma nação nasce estoica e morre epicurista.

Uma Nação Nasce Estoica e morre Epicurista
O falecido e grande historiador Will Durant disse que uma civilização não é conquistada até que seja destruída desde dentro.

Citação:“Nós estamos abandonando o estudo de como os Gregos e Romanos prevaleceram magnificamente num mundo bárbaro; o estudo também, de como esse triunfo terminou, como a preguiça e a moleza finalmente os levou à ruína, No final, mais do que a liberdade, eles queria segurança, uma vida confortável, e eles perderam tudo.”
—Edith Hamilton, Historiadora (escrito aos 91 anos de idade)
Citação:“Alguém pode imaginar se uma geração que requer gratificação instantânea de todas suas necessidades e soluções imediatas para os problemas do mundo produzirá algo de valor duradouro. Tal geração, mesmo equipada com a tecnologia mais moderna, será essencialmente primitiva — ela irá se maravilhar com a natureza, e se submeter à tutela de homens da medicina.”
—Eric Hoffer, Filósofo

Todo político ocidental deveria imprimir isso em sua parede.
Outro paralelo histórico pode ser útil–

A Guerra Revolucionária:
A Guerra da Revolução Americana foi deflagrada devido a um imposto de 7% sobre selos. Hoje em dia governos aumentam os impostos em mais de 7% sem que as pessoas sequer batam os olhos. E nós, o povo, aceitamos. Como peões passivos.


O que fez os americanos nervosos o suficientes para arriscar suas vidas lutando contra o Império Britânico? Não lógica fria (“não podemos arcar em dar 7% de nossas rendas”), foi o princípio de que eles tinham o direito sobre seu trabalho.


Foi sua rejeição em aceitar a autoridade de uma burocracia opressiva.


Foi sua rejeição em criar um precedente perigoso na direção da escravização de seus descendentes.
Nenhuma tributação sem representação.


[Image: Pop-culture-is-not-join-or-die.jpg?resiz...C341&ssl=1]

Os americanos mais antigos eram uma geração de indivíduos endurecidos, que vieram de todas as partes. Eles não vieram por um cheque de bem estar social, eles vieram para construir e conquistar. Uma seleção das pessoas mais motivadas, aventurosas, e empreendedoras do mundo. Possivelmente uma pessoa como essa é o equivalente de 2 a 10 pessoas medianas.

Eles não atravessaram o oceano a toa. Especialmente não para serem mandados por alguns burocratas do outro lado dele.
Nas palavras do Pai Fundador John Adams. “Vocês nunca saberão o quanto custou à minha geração preservar sua liberdade. Espero que façam bom uso dela.”
  • Sem a visão de um objetivo um homem não pode gerir a sua própria vida, e muito menos a vida dos outros.
Leia: Nuvem de Giz
Responda-o
#2
gostei

a civilizacao decaiu desde a antiguidade, mas no geral ainda é melhor hoje que nessa época

acho que a elite decaiu e isso sim piorou bastante as coisas
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)