Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
"Técnica" para perder o apego e a paixão
#21
Depois  de algumas vadias, cinismo e ceticismo teórico e prático tudo se resume a um belo foda-se, é uma espécie de imunidade adquirida com a experiência prática que os caras vão acumulando ao longo do tempo, o sujeitos ficam tarimbados com os padrões  que são preditivos e repetitivos.


Lidar com mulher moderna nas devidas proporções não é muito diferente do comportamento do porta voz ao lidar com os jornalistas br,




Só Jesus salva, vá e não peques mais...
Responda-o
#22
O Homem e as Emoções - Nessahan Alita[/color]

Tenho dito que os homens devem lutar contra as paixões e eliminar os desejos. Tenho dito também que o sentimentalismo é algo tolo e prejudicial, que nos transforma em escravos, seja das mulheres, seja dos problemas da vida. Uma interpretação equivocada, entretanto, pode surgir aí. Há o perigo de entender tudo errado. Vamos esclarecer agora.

A morte dos desejos, das paixões e dos sentimentalismos não é algo que se consegue por meio da sufocação das emoções. A Morte à qual sempre me refiro é uma morte verdadeira, em que os inimigos interiores vão enfraquecendo e nos deixando em paz aos poucos, sem necessidade alguma de resistirmos contra eles.

Não se consegue a superação das paixões pelo ato da resistência. O ato de resistir a uma paixão não a elimina de modo algum e, para piorar, impede o seu reconhecimento. Para se eliminar as paixões, o desbloqueio das emoções é necessário. Emoções bloqueadas jamais serão observadas, compreendidas e assimiladas.

As baixas emoções ou emoções indesejáveis somente podem ser eliminadas por dois agentes mutuamente coordenados: a consciência, com sua ação compreensiva desinfectante, e as forças interiores que nos ultrapassam (o Ser Interno ou Deus). A consciência elimina o poder dos Egos sobre nossa personalidade, a parte superior do homem (seu Ser ou Deus Interior) elimina esses mesmos egos em si mesmos. O que não for por aí não é eliminação verdadeira, é auto-engano.

A sociedade condiciona os homens a reprimirem suas emoções. Somos ensinados, desde pequenos, que não devemos mostrar fraquezas de nenhum tipo. Isso, é claro, termina nos condicionando a bloquear as emoções, o que resulta em doenças físicas e psíquicas.

Quem quiser realmente se tornar interiormente forte, insensível e imune ao sofrimento, deve fazer justamente o contrário do que se apregoa: deve desbloquear as emoções. O motivo é que as fraquezas não desaparecem quando as reprimimos, sufocamos, bloqueamos ou recalcamos. Simplesmente tentar “não sentir o que se sente” é algo desastroso.

Para maior aprofundamento deste ponto, sugiro que estudem esse material:
Orientações dos mestres sobre o vício de resistir aos desejos

Reprimir não é eliminar e é desnecessário

A necessidade de aceitarmos o que somos

Os bloqueios ao Ego e a Morte verdadeira

Abordando imparcialmente o lado tenebroso

Não caiam na armadilha de fingirem que são durões. Melhor que fingir que somos durões, é sermos de fato! E se quisermos ser durões de verdade, temos que matar de verdade as fraquezas, que são as paixões. E isso não é questão de fazer esforços para sermos insensíveis ou sem sentimentos. É questão de assimilar tais sentimentos pela compreensão, o que requer que os deixemos fluir enquanto os observamos sem identificação.
Responda-o
#23
Citação: Pode me apresentar uma virgem do interior da Polônia, loira do olho azul, não me iludo mais, não crio expectativa.

Olha aí mais gente falando da Polônia... Big Grin
Responda-o
#24
(30-08-2019, 03:01 PM)Dallas Escreveu: Talvez eu possa contribuir, as mulheres tendem a ser mais magnéticas do que os homens, falo de magnetismo pessoal não de magnetismo visto lá na Física, nós perdemos muita energia magnética durante o dia e principalmente durante a vida, a proposta é reter essa energia e não depositá-la em outras pessoas só assim conseguiremos a libertação desses ciclos egoicos viciantes,  sempre que você é atraído por algo tem duas opções, a de recusar o objeto de fascínio ou a de se entregar a ele, e a única forma de se libertar disso é manter-se consciente, você tem que ser ríspido consigo mesmo, dizer não e recusar aquele objeto maligno, um exercício para diminuir o apego é o de sempre lutar contra a vontade de se entregar a ele, algo que sempre funcionou foi lutar contra o desejo de olhar para o corpo de mulheres atraentes na rua ou de lutar contra o desejo de se masturbar ou de ver pornografia, esses desejos devem ser suprimidos e só assim se transformarão na verdadeira vontade que engrandece o homem. 

 Deve-se ter uma mente muito aberta quando se trata de magnetismo mas um exemplo prático é quando você lê alguma coisa muito atraente, pode ser um tópico que você viu aqui logo quando conheceu o fórum, automaticamente irá sentir uma energia muito intensa mas essa energia não quer ficar confinada, ela tentará sair de todas as forma possíveis e uma das formas se manifesta naquele período quando tratamos de ficar espalhando a Real por aí, pregando a palavra para amigos, parentes ou qualquer um que estiver em nossa frente, isso nada mais é que a manifestação dessa energia querendo se dissipar e se quisermos preservá-la, devemos prendê-la e isso só é possível por intermédio da consciência, a neurologia caminha lado a lado com o estudo do magnetismo mas a comunidade médica sempre tratou de ocultar tudo que fosse minimamente interligado com o misticismo, o Mesmer foi sempre muito criticado por tratar de questões espiritualistas mesmo apresentando um método racional e o Alfred Russel nunca levou o crédito pela teoria da seleção natural das espécies por não atender aos requisitos da ciência que é predominantemente materialista. 

 Eu vejo diuturnamente a constatação desses assuntos no meu cotidiano, as pessoas não conseguem se controlar, elas se entregam à gula, ao desejo sexual, à preguiça e etc, mas o pior é não conseguir controlar a própria fala, um rio profundo é um rio silencioso, ficar só ouvindo é muito mais difícil do que ser igual a praticamente todo mundo que só fala, fala e fala, o mais importante é não satisfazer a vaidade, eu conheço pessoas que postam fotos nas redes sociais de livros, de páginas de conteúdo do cursinho e etc., isso satisfaz a vaidade mas ao mesmo tempo diminui a energia, por isso algumas pessoas não conquistam seus objetivos pois os espalham por aí, cito outro exemplo, o nível de leitura dos brasileiros é muito abaixo da média, mas quando algum medíocre lê um livro, basta um só, logo trata de espalhar isso aos 4 cantos se passando por intelectual, além de ridículo visto que 9000 páginas por ano ainda é pouco para quem busca a intelectualidade, é um atestado de fracasso pois além de satisfazer a vaidade, está perdendo energia que poderia ser poupada para ler mais livros, e se quiser constatar por si mesmo, basta reparar nas redes sociais as pessoas normais imitando comportamento de celebridades postando foto de comida, de roupas e etc., as redes sociais servem para expor a mediocridade das pessoas pois elas apenas reproduzem comportamentos já padronizados.

Nos últimos dias tenho relido alguns ensinamentos e postagens realistas, e sendo bem sincero, esse é um dos melhores textos que já li, puta que pariu.

Acho que todos aqui já devem ter percebido que quando contamos nossos planos e objetivos para muitas pessoas dificilmente essas coisas acontecem.

Não sei exatamente o motivo, mas acredito muito nisso de energia, e pode ser que ao falar sobre seus objetivos pra alguém, esta pessoa carregue alguma energia ruim e te transmita, ou algo parecido.

Assim como um confrade diz em seu post "o ato de racionalidade ante a fala", temos que refletir melhor sobre aquilo que compartilhamos com outras pessoas.

Pensar em magnetismo é algo difícil, tendo em mente que é algo bastante abstrato, mas se pararmos um pouco e refletirmos, é nítido que tudo isso de magnetismo e energia existe.
Apreciador de cervejas, viagens e mulheres.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: D' art, 1 Visitante(s)