Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[RELATO] Parte 1- Mulher doida, surtada, tripolar e safada
#1
Parte 1- Mulher doida, surtada, tripolar, safada, tímida, vulgar e mais alguma coisa

Esse relato tem um fim humorístico, não leve nada a ferro e fogo. Desculpa aos users mais conservadores e contidos, mas não existe outra forma de relatar essa história. Quando parecer que me dei bem me fudi, então pode tirar o cavalo da chuva. Estou bebendo cerveja e relembrando da vida, então decidi escrever esse relato.

Encontrei um espécime no mínimo curioso nessas perambulanças da vida, que me fez refletir sobre as bizarrices que acabamos lidando e fazendo na tentativa de consumar algo que fomos projetados para querer: transar. Tudo deu errado no final e eu fiquei rindo sozinho e chorando ao mesmo tempo da situação bizarra, que aconteceu na época do saudoso msn e do orkut.

Tudo começou nas férias de verão, onde toda merda acontece e cresce.

Fui em uma festa de um amigo de um amigo meu. Festa rolando e a bebida também... todos ali no recinto tentando faturar alguma pra noite.

Estava bebendo e papeando quando vejo uma mulher de altissima qualidade com seus 60 e poucos kg bem distribuidos em um metro e meio, cochões fartos, peito suculento, olhos verdes, branquinha com umas tatuagens trash + cabelo descolorido com seus 22 aninhos de putaria. Me pergunto porque ninguém chegou nela e fui o primeiro a tentar a sorte na noite(até hoje acho que ela tem é história por ai).

Cheguei junto falando qualquer coisa aleatória que nem me lembro mais e ela não resistiu.

Ficamos juntos a noite inteira beijando sem parar e bebendo. Ela não quis fazer nada mais elaborado no dia, mas deixei claro o que queria e já deixei uns tapas cravejados na bunda dela, além de umas bolinadas de lei pelo corpo inteiro, dedadas e beliscão no mamilo.

Falei tudo quanto é tipo de putaria no ouvido dela tentando levar ela pra cama, falei que ia chupar ela todinha e botar ela pra gemer na vara, dentre outras sacanagens. Nada funcionou. Cada um pro seu canto com contato um do outro e fim.

No dia seguinte ela me mandou foto das marcas que ficaram, rindo e me chamando de cavalo. Conversa vai conversa vem ela começou a se fazer de santa, que era pra casar e tal e eu não conformado com aquilo tentava provocar ela toda hora por ligação mesmo.

Sabia que estava sozinha em casa. Até que chegou uma hora que comecei a falar tanta putaria que ela cedeu e começamos uma sacanagem braba onde ela tentou me enfeitiçar com um chá poderoso de msn(hoje seria chá de zap), gemendo igual uma cadela no cio e mandando tudo quanto é tipo de nudes da buceta rosa dela, ela na frente da webcam socando a lenha e eu literalmente me matando na punheta.

Ficamos nisso uns 4 dias e eu tentando ir ver ela e ela não deixava e eu tentando ir e ela breckando a porra do encontro e eu desidratando na masturbação só gastando zinco, vivendo em função da bronha.

Ela falava que era minha putinha, eu falava que ia bater com o pau na cara dela, gozar na cara dela todinha, encher o cu dela de leite, dar tapa na cara dela, arrebentar ela na pirocada, chamei ela de vadia, cachorra, vagabunda, puta e ela pedindo mais e mais, uma sacanagem infernal sem fim que só terminou quase que com o sol nascendo. Fiquei com o pau doendo de tanta punheta e n estava mais aguentando de tanta vontade de fazer aquilo ao vivo.

Me comunicou do nada que não estava mais na cidade e sim no interior do interior da puta que pariu por ligação e não tinha internet lá, mas que podiamos transar o dia inteiro se eu fosse até a donzela e que se demorasse muito n ia dar mais por causa disso ou por causa daquilo e ela não voltaria tão cedo pra cidade(morava com a mãe na cidade).

Adivinha o que o cidadão aqui fez? fui cruzar o brasil de pau duro latejando batendo na testa na esperança de meter em uma buceta rosa. Eu te amo pra cá, eu te amo pra lá acabei desbravando o interiorzão do paraná estradas rurais a dentro pra chegar na terra da buceta prometida. Eu carioca pardão com cara de marginal indo comer uma mulher aleatória não sei onde no interior do interior do sul.

Até hoje não sei que lugar era aquele muito menos como cheguei lá, pra vocês verem o tamanho do feitiço da xavasca rosa.

Chegando lá liguei do orelhão mais próximo e estava tudo no esquema. Cheguei lá quase que deixando a camisinha no pau pra já chegar arrebentando tudo, mas quando parei o carro e pisei no terreno da casa meu pau murchou na hora.

Dei de cara com o pai gaúcho da mulher saindo da parte de trás da casa com uma faca e um 38 na cintura, que pelo visto já sabia da porra toda e mais um pouco, só pelo olhar de ódio que ele estava. O pai tinha voltado de surpresa da lavoura só pra empatar a minha foda e possivelmente me matar e enterrar ali mesmo.

[Image: chl-chile-patagonia-a-chilean-cowboy-a-g...RFPT32.jpg]

Morri e quem está escrevendo esse relato é o meu espírito?

Continua na parte 2 do relato
Responda-o
#2
Muito bom Gargalhadaha dei boas risadas... No aguardo da parte 2
Responda-o
#3
Perdi foi tudo no final Gargalhada Gargalhada Gargalhada Gargalhada
Responda-o
#4
.... Eu também já levei um poderoso chá de MSN

Aguardando a p.2
Responda-o
#5
Kkkkkkkkkk muito bom
Responda-o
#6
Aí, paranaense não é gaúcho. Vamos parar com essa viadagem aí kkkk

Aguardando a segunda parte.
Jet Sky < link

Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#7
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

No aguardo da continuação...
Responda-o
#8
esperando a season 2
Responda-o
#9
[Image: images1.jpg]
"Homem Marmito"® is trademark of Marmito Man Corporation ™
Responda-o
#10
Título do tópico reduzido pois estava grande demais no portal (contador da tela principal em que aparecem todos os tópicos) e uma boa parte estava sendo cortada. Mas para manter a descrição eu coloquei o seu título completo em cima do tópico.
Responda-o
#11
Cadê a parte dois? Tô aqui esperando.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)