Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[RELATO] Um descaso de família
#1
Qualquer pessoa que já trabalhou um pouco na área penal sabe que um dos crimes mais difíceis de lidar são os de estupro. Misture família e divórcio no meio e você terá a fórmula perfeita para situações quase impossíveis de interpretar.

Essa história começa nos longínquos anos de 1980. Sr. Fernando, um cara pouco sentimental, por razões que ainda não entendo, adotou a Serafina, garota mal cuidada pela família biológica e assumiu a criação da bebê. A criança cresceu com muito carinho e dedicação dos pais adotivos, que nessa época já estavam na faixa de 50 anos e puderam maneirar na criação e dedicar mais atenção a ela do que aos próprios filhos.

Serafina cresceu e ainda na adolescência conheceu Zé. Ele era nascido de mãe solteira e, deixado para ser criado no mundo, cresceu no meio da violência e podridão com referências masculinas tão ruins quanto o meio. Serafina se apaixonou por Zé, mas Sr. Fernando não queria esse namoro por entender que o rapaz não valia nada. 

Para se livrar do pai, Serafina começou a alegar para todo mundo na cidadezinha que ele a maltratava, o que destruiu a reputação do velho e pressionou a permissão para que o casamento acontecesse.

Serafina e Zé se casaram e começaram a colocar filho no mundo. Milene nasceu desse relacionamento e antes do seu quinto aniversário viu a mãe ser presa por estelionato. O ambiente em que cresceu já moldava o futuro nefasto que esperava para Milene.

Zé continuou não prestando, Código Penal para ele era álbum de figurinha. Com o tempo Zé começou a pegar pesado com Serafina e as crianças e aquele "amor" da adolescência foi virando ódio.

O juízo final de Zé veio na forma de prisão preventiva por estupro de vulnerável contra a filha. Pior, a menina engravidou do próprio pai, o que rendeu a ele uma condenação de mais de dez anos e surras constantes que desfiguraram o homem.

O que vem agora é o lado mais obscuro entretanto. Com o tempo a verdadeira história foi se revelando, Milene, a filha engravidada pelo pai, na verdade estava prenha de um jovem traficante da cidade. O que de fato aconteceu foi um puta esquema para colocar Zé atrás das grades.

Serafina, ao saber da gravidez da filha, colocou na cabeça da menina que para ferrar Zé Milene tinha que fazer a polícia acreditar que o filho era fruto de estupro. Dessa forma, Milene embebedou o pai e transou com ele, tudo isso para depois o incriminar quando a barriga começasse a crescer.

Para sorte de Zé, após o exame obrigatório de DNA foi verificado que o filho não era dele, o que reduziu a condenação. 

Serafina ficou com o barraco que Zé levantou sozinho. Milene continua colocando filho de traficante no mundo. Os demais filhos de Zé já estão no mundo do tráfico.

Sei que o tópico é obtuso e não desejo tomar partido de qualquer lado. Escreve o relato para demonstrar que alegações de estupro são bastante difíceis de serem analisadas, servindo muitas vezes para destruir indivíduos e criar parcialidade no juiz. 

Além do mais, vemos o trágico exemplo da criação sem bons exemplos e a repetição cíclica de lares destruídos.
Responda-o
#2
Famílias desestruturadas são fábricas de crimes e criminosos. Esse relato é um retrato do acontece frequentemente nas periferias.

Crime de estupro é delicado por si só, se ocorre entre parentes e envolve vulneráveis, pior ainda. Aqui no Brasil os Tribunais dão valor probatório especial ao depoimento da vítima nos caso de estupro. Acontece quase uma inversão do ônus da prova, se o depoimento da vítima não tiver incoerências e o acusado não apresentar indícios que o favoreçam, já é suficiente para a condenação. A linha entre sexo consensual e estupro é muito tênue se você transou com uma doida que quer te ferrar.
Responda-o
#3
Pra mim esta história tem um ponto de inflexão bem claro: Quando a Serafina, menina bem criada e amada, se apaixona pelo cafa/zédroguinha/malandro Zé. Tudo começa a azedar aí. Daí em diante é só ladeira abaixo.
Isso acaba com a narrativa da mulher "forte e empoderada" (argh).
Esse é um assunto que me incomoda desde sempre: a atração das mulheres (em maior ou menor grau) pelo lado negro. Vi isso pessoalmente centenas e centenas de vezes.
Detes... quer dizer, não morro de amores por mulher de ladrão. E nem posso comentar muito mais o que acho disso, já levei até advertência.
Acho muito merecido tudo que elas sofrem na mão dos marginais.

------------


Sobre a questão de "acusação de estupro" (mesmo infundada) como arma das mulheres hoje. Pelo que os MGTOWs falam, essa parte já está até superada. Agora elas estão fazendo acusação de estupro RETROATIVA. Elas estão acusando de estupro homens que se envolveram em relacionamentos CONSENSUAIS 5 ou 10 anos ATRÁS.
Claro que essa modinha tá mais forte na gringa, mas já tá querendo pegar por aqui também. Aguardem!
Enquanto isso, quem não tiver o prestígio e a grana para advogados de um Neymar, melhor ficar muito do esperto mesmo.
Responda-o
#4
(19-07-2019, 11:41 AM)Navegante Escreveu: Essa história começa nos longínquos anos de 1980. Sr. Fernando, um cara pouco sentimental, por razões que ainda não entendo, adotou a Serafina, garota mal cuidada pela família biológica e assumiu a criação da bebê. A criança cresceu com muito carinho e dedicação dos pais adotivos, que nessa época já estavam na faixa de 50 anos e puderam maneirar na criação e dedicar mais atenção a ela do que aos próprios filhos.

Por que será né?

Ela se equivale a uma neta pro 'Sr.' Fernando!
Responda-o
#5
Lugar comum ou não por aqui na Real, nunca deixa de ser assustador! Até onde vai a vilania de algumas pessoas? É a própria família.

A moça chegou ao absurdo de se deitar com o pai somente para incriminá-lo!

Por conta de relatos como este que às vezes acho que a maldade está no sangue e não por conta do meio em que vivem.
Se o machado está cego e sua lâmina não foi afiada, é preciso golpear com mais força. Agir com sabedoria assegura o sucesso. - Salomão em Eclesiastes 10.10.
Muito cara legal foi parar debaixo de uma ponte por causa de uma mulher. - Bukowski.
As maiores redpills ouvimos da boca de mulheres.
Responda-o
#6
Famílias desestruturadas geram pessoas desestruturadas.
Responda-o
#7
(19-07-2019, 09:53 PM)Haggar Escreveu: Famílias desestruturadas geram pessoas desestruturadas.

Concordo, mas como toda regra tem sua exceção, já vi casos de pessoas que vieram de famílias desnaturadas e se tornaram honestas e bem sucedidas.
"Escola? E o aprendizado com os próprios erros? A experiência te faz professor de si próprio".
Responda-o
#8
O problema do Estado, como representação da vontade social, é querer passar a mão na cabeça de quem nunca se importou com a sociedade.
Infelizmente certas pessoas não são civilizadas e nada dá jeito. A menina com boa criação, com tudo certo, quis por que quis entrar no mundo errado e deixar certos frutos por aí.
O Estado diz que paga, a sociedade custeia e os banqueiros internacionais lucram com as dívidas exorbitantes desse Estado-Sociedade.

Sempre que alguém faz merda e o Estado se responsabiliza, um banco sai ganhando.

Da mesma forma a família desestruturada, que gera filhos desestruturados.

Enquanto parte da sociedade se mata para trabalhar, uma outra parte fica trepando e recebendo auxílio do governo.


Nenhuma mulher é mais bonita que a liberdade.


Responda-o
#9
(19-07-2019, 10:24 PM)Bilidequedi Escreveu:
(19-07-2019, 09:53 PM)Haggar Escreveu: Famílias desestruturadas geram pessoas desestruturadas.

Concordo, mas como toda regra tem sua exceção, já vi casos de pessoas que vieram de famílias desnaturadas e se tornaram honestas e bem sucedidas.

Mas as estatísticas mostram que pessoas sem estrutura familiar, tendem a tornarem-se desorientadas e marginalizadas. Exceção sempre existe, contudo, a regra é aplicada a maioria.
Responda-o
#10
Cara fica até complicado de comentar nesse tópico, porque você não sabe quem agiu da pior forma. Se foi o pai, a filha ou a mãe.

Mas de certa forma eu concordo com o @Fairchild que a maldade está no sangue, algumas pessoas simplesmente são capazes de coisas absurdas, só pra atingirem um objetivo muitas vezes tosco.

Disso tudo ai, pelo menos o Sr. Fernando só saiu com a sua reputação estragada, porque com esse pessoal ele poderia ter sofrido coisa pior.
Responda-o
#11
pau que nasce torto...
Responda-o
#12
(19-07-2019, 04:24 PM)Berzerk Escreveu: Pra mim esta história tem um ponto de inflexão bem claro: Quando a Serafina, menina bem criada e amada, se apaixona pelo cafa/zédroguinha/malandro Zé. Tudo começa a azedar aí. Daí em diante é só ladeira abaixo.

Exato, ele tinha estrutura e foi a que deu inicio a essa espiral de merda, o que mostra que de todos, ela tinha o caráter mais torpe.
Responda-o
#13
Já dizia Facção Central: "Periferia é campo fértil pra brotar história trágica"

Zé se fodeu

Exemplo de maldição hereditária. Provavelmente a garota já trazia isso de seus avôs desestruturados e de sua mãe que, apesar de ter sido adotada e criada pelo amor de um lar, já trazia em seu astral uma carga negativa herdada dos pais biológicos.

Quem mais se fodeu nessa história, foi o tal do Zé, sendo que nessa época, estuprador tomava surras diárias na cadeia(hoje em dia não tanto devido a divisão de presídios)
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 2 Visitante(s)