Avaliação do Tópico:
  • 1 Voto(s) - 4 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Treino e dieta para fodidos na vida
#61
Fazendo um breve relato da minha experiencia com as dicas do @Héracles

-10kg de massa banhuda eliminados de maneira "facil" (intercalando jejuns de 16 horas com 20 horas) em 2 meses.
Meu biotipo na adolescência era magro estilo raquítico, eu estava com uma pança de falso magro coisa mais ridicula.
No momento estou com 80kg (quero chegar a 78 para ficar trincado)
-Alto ganho de força nos treinos, rendimento melhorou 100%

Detalhe que eu mais gostei : Posso comer qualquer merda que ainda perco peso (gatilho para o tópico "mereça seus carbos", tbm de autoria de heracles)

Obrigado heracles Smile
Responda-o
#62
(15-04-2020, 11:34 PM)Master_DW Escreveu: Meu maior medo do stronglift ou treino voltado para força, é a probabilidade de lesão ser grande. Por exemplo: Eu pego 74kgs( contando com o peso da barra de 14kgs) no supino para repetição 3 x 12-15rep e convertendo para treino de força seria -> 130kgs... Medo de lesão é absurdo, pelo menos para mim que treino sozinho. Fora o levantamento terra, que o medo de lesionar a lombar é absurdo... Fora isso, treino voltado para a força é algo muito foda, principalmente nos dias de peito e pernas, você se sente bem demais depois dos treinos.

Veja que interessante: "O risco de lesão (aguda ou crônica) é menor no treinamento para esportes de força do que no treinamento de resistência, como corrida ou triatlo." https://www.strengthandconditioningresea...th-sports/

O treinamento visando progressão de carga exige perícia técnica e esse fato reduz a probabilidade de lesão, mas ela existe como em qualquer atividade física.
Tome cuidado com essas conversões. O que difere uma abordagem que visa estética de uma que visa força vai muito além de matemática simples.

Uma sugestão para você testar e constatar por si próprio a sensação de treinar em uma faixa menor de repetição sem uma mudança abrupta:
Primeira semana: Faça 4 séries de 8 repetições com o peso que faria 10 repetições.
Segunda semana: 4x6 com o peso que faria 8
Terceira semana: 4x4 com o peso que faria 6
Quarta semana: 3x10-15 da forma que preferir
Seja prudente e você ficará bem.
Responda-o
#63
Não quis criticar, pelo contrário sou totalmente a favor da progressão de carga e de um treino forte, porém cargas extremamente altas como 130kgs no supino sozinho eu já acho perigoso, MINHA OPINIÃO. 

Faço academia há 3 anos e treino sério faz 1 ano. Saí de 57kgs até 71-72kgs com 12% de BF que pra minha altura 170-171cm é aceitável, utilizando progressão de cargas. Não sou leigo no assunto, mas não sou formado em nada da parte de Educação física. 

Não é porquê não pego 130kgs no supino, que não vou evoluir. Faço progressão de cargas sempre visando estimular o músculo que estou treinando, mas com consciência para não me lesionar. 

Sou a favor da metodologia de treino "stronglift", mas eu não faço ela ainda...
Responda-o
#64
(16-04-2020, 11:33 AM)Counter Escreveu: gatilho para o tópico "mereça seus carbos", tbm de autoria de heracles

Obrigado heracles Smile

Obrigado pelas palavras amigo. Fico feliz que pude ajudar em algo. Esse texto que você citou eu considero muito especial e foi um divisor de águas na minha trajetória. Quem entender pode tirar muito proveito dele, justamente pq é algo simples.


(16-04-2020, 07:24 PM)Master_DW Escreveu: Não quis criticar

Relaxe cara, não achei que foi crítica em momento algum (mesmo se tivesse sido com essa intenção Yaoming)

Como você bem disse, existe diversas maneiras de progredir ... mas como eu comentei anteriormente, é uma questão de mentalidade e afinidade psicológica com o tipo de treino que você gosta de fazer.

"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#65
Eu gosto e muito do treino com baixas repetições.
Nos meus tempos áureos - se Deus quiser voltarão assim que as gyms reabrirem - sempre treinava com baixas repetições os exercícios compostos e com um pouco maior de repetições os poucos isoladores do treino.

Não sou expert no assunto - apenas um interessado, mas creio que a partir dessa quantidade considerável de protocolos, sistemas e métodos, é muito importante o sujeito ter consciência corporal, ou seja, conhecer o próprio corpo. Por mais que um ou outro sistema possa ser considerado "geralzão", conhecendo o próprio funcionamento do corpo faz com que especificidades sejam incrementadas.

Um exercício interessante que sempre comento quando tenho oportunidade, é o desenvolvimento lateral (repito, nos tempos áureos, uns 4 anos atrás, Gargalhada).
No treino que eu fazia, podia ser excluído sim. Mas é um exercício que gosto demais, sentia os ombros rasgando, sendo partidos ao meio. E depois de um tempo treino, o que mais teve mudança no meu corpo foram justamente os ombros.

Duas coisas que quero incrementar aos poucos na minha rotina é o jejum e o AEJ.
Hoje fui trabalhar de bike, puta que o pariu, estou até agora energizado, antenado.
O jejum é difícil. Comida sólida consigo ficar tranquilamente, o problema é que nesse ínterim tomo chá, café, suco, tudo com muita, muita açúcar.
Inclusive é o que está me fodendo, puta que o pariu, essa porra vicia demais. Estou tirando isso da minha rotina gradativamente, espero que semana que vem já consiga ter um bom desempenho.

Estou gordão, wtf, hauhuahuaa.
Responda-o
#66
Gostaria de levantar aqui uma questão.

Me apresentaram um vídeo aqui: https://www.youtube.com/watch?v=DrFcM_gMRSs

Falando que dá bons resultados. Gostaria de saber se alguém aqui já ouviu falar disso antes e se realmente tem resultado uma dieta baseada em tipo sanguíneo.
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#67
Até tem alguma lógica por trás... mas como tudo na vida, você só vai descobrir se realmente funciona, TESTANDO.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#68
Esse tópico ficou simplesmente FANTASTICO, tanto pela simplicidade como a riqueza em detalhes. Grande Trabalho @Héracles.

Sempre aplico as dicas que passa através de passagens pelo forum e no blog e só tenho a dizer que eu sou ETERNAMENTE GRATO por cada ajuda. 

Tenho aliado trabalhos home office com trabalhos braçais (faço entrega de bike para aplicativos) e suas dicas me fizeram de min um cara com disposição a mil e com uma economia de caixa absurda. 

Lá pra as 17hrs, eu mando ovos mexidos na manteiga e dois dentes de alho só pra tampar o buraco do dente. Esse horário já terminei o trampo em H.O, pois enquanto expediente tomo meio litro de café e tomando 1 litro de água de meia em meia hora. 

Os treinos, estou somente em cardio. Por enquanto. A academia que treinava fechou devido a crise da covid.

Enfim, detalhes simples que fazem toda a diferenças isso que é complicado rsrs. 

Sucesso sempre e permaneça enriquecendo o mundo com seu conhecimento. Ele salva vidas. GARANTO


Responda-o
#69
Excelente tópico.

Recentemente descobri um negócio que me deixou impressionado: kettlebell. 

Virou o único treinamento que faço com peso, porque só tenho isso pra treinar e as academias estão minguadas por aqui. A que eu ia sempre ficou cheia de maluquisse de só pode não sei quantos por horário, marcar hora e não sei o que e as outras ficam longe pra ir sempre.

Mês passado fui fuçar umas academias de bairro e encontrei um dono que estava entregando o ponto. Tinha vendido tudo, menos dois kettlebells de 24kg e um de 32kg, que segundo ele iam ficar lá mofando e que ninguém queria levar. Tinha visto isso em algum lugar, mas nunca prestei atenção, então pesquisei rápido no celular e acabei levando os três pela bagatela de 120 pratas. 

Raramente lembro de ter feito um treino tão bom e intenso na vida. Nas primeiras vezes que fui tentar fazer fiquei nervoso por não conseguir fazer praticamente nada com isso. Fui tentando e só consegui fazer um treino decente depois de quase 3 semanas. 

Esse negócio é um verdadeiro moedor de carne, mas sinceramente estou achando dificil pra cacete. Depois de umas 4 semanas consegui fazer direito esse exercício do vídeo abaixo, mas ao invés de 25 vezes igual o cara consigo somente 8 e olhe lá, quase morrendo e ofegante no final.





Na primeira vez quase arrebentei o pulso nessa virada que o kettlebell faz, então vi esse vídeo e consegui melhorar.





Peguei a maior parte dos exercícios do vídeo desse cara aqui:





Estou pensando em fazer halteres de cimento
Responda-o
#70
Obrigado pelo feed CJ.

Fico feliz por você estar realmente se mexendo... toda a complexidade do treinamento se resume em: voltar ao básico. O segredo é a consistência, permanecer firme e se testando. O que será feito é uma escolha pessoal.

Esses kettlebell são muito úteis mesmo, mas muito pouco usados por aqui.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#71
só uma Coisa , Eu sou um ser nascido e criado na quebrada e não falo da forma como foi descrita aqui ... não podemos generalizar ...
Playboyzinho .
Responda-o
#72
Fumou muita maconha na quebrada hoje amigão? Ou só é retardado mesmo?

Tá falando do que maluco?
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#73
Mais de um ano após essa postagem, mudaria alguma coisa, @Héracles ?
Responda-o
#74
Eu li por cima o tópico, acho que deixaria mais ou menos igual. Só reforçando três pontos que eu descobri serem MUITO importantes: 

1- AERÓBICOS: lá no texto eu já falei sobre a importância de não negligenciar o aeróbico, mas disse de uma forma meio que secundária. Hoje em dia em entendo que o aeróbico É tão importante quanto o treino de força em si, ou seja, eles tem que andar lado a lado. Na época que escrevi esse texto, eu fazia um AEJ (aeróbico em jejum) leve pela manha, uma caminhada rápida na esteira inclinada, não mais que 30 mim. Hoje em dia, pela manhã, eu sempre CORRO pelo menos 5km, e corro também no pós treino, uns 3-4k. Nos finais de semana corro também (e olhe que alguns anos atrás jamais me imaginaria fazendo isso). A minha saúde e disposição geral melhoraram bastante. Como eu gosto de umas atividades na natureza, tipo trilhas no mato e no rio, rapel, canoagem, etc... ter um bom aeróbico facilita tudo. O dia que eu decidi que ia melhorar essa parte foi depois de um evento num clube de tiro onde o trajeto era cronometrado. Tinha alguns obstáculos no meio do mato, e obviamente quem fizesse o menor tempo ganhava. Eu quase morri nesse dia, mesmo treinando diariamente e me achando um semi-atleta. Perdi pra nego que nunca pisou numa academia na vida e nunca cogitou a ideia de fazer dieta, e isso me causou uma profunda revolta interna. Percebi que em um risco real de vida, mesmo com todo o meu treinamento de agora, ainda poderia ser uma presa fácil. Não é atoa que os militares fazem tantos aeróbicos e coisas para resistência. Antigamente eu tinha um bom cardio, pois jogava basket todo dia. Então resolvi focar nisso novamente, sem esquecer o levantamento de peso. Não perdi força nem massa muscular, continuo na casa dos 110-112kg de peso. Na verdade agora eu venho perdendo peso justamente para melhorar a performance nas corridas. Esse cardio moderado-difícil é excelente para saúde, e sem dúvida é fundamental, e a outra grande vantagem é que a capacidade cardiovascular é melhorada rapidamente, você vê o progresso em poucos dias. Também é um exercício mental  ótimo, uma observação e superação do embotamento e entediamento da mente e dos limites do seu corpo. Agora vou reintroduzindo os sprints que eu sempre gostei de fazer. Façam urgentemente aeróbicos médios-longos, sem deixar de treinar para força. 

2- ALONGAMENTOS: eu tinha um pouco de dificuldade de treinar isso nos meus alunos, comprei uns livros, dei uma estuda nesse assunto e descobri coisas novas e interessantes. Diferentemente do que eu sabia, os alongamentos devem ser feitos concomitante aos treinamentos de força (lógico, fazendo o uso de alguma dose de bom senso e racionalidade). É uma característica fundamental para desenvolvimento de força, e especialmente, na prevenção de lesões. A cultura esportiva tupiniquim, geralmente acredita que alongamento é coisa para gays, não atoa o nosso esporte tem tanta lesão e é tão fraco comparado a países desenvolvidos. Se você se lesiona com frequência, é quase certo que o problema maior seja falta de elasticidade do tecido muscular e mobilidade articular deficiente. Eu estou escrevendo um artigo sobre isso, mas esse é um ponto que eu considero obrigatório observar hoje em dia, especialmente para quem, assim como eu, já não é mais nenhum garotinho adolescente. 

3- VEGETAIS: hoje eu como uma quantidade absurda de vegetais e legumes, algo que jamais na minha vida imaginei que comeria, pelos micronutrientes e a melhora da digestibilidade de alguns alimentos. Ajudam bastante na recuperação também e quando você treina 6 dias por semana, 4 deles 2x no dia, recuperação é algo a se levar em consideração de forma séria. Alias, o pilar recuperação (que é uma das bases do treinamento físico) é o ponto fraco de muito cara bem intencionado e com vontade de sair da mediocridade geral, conforme já disse em algum texto por aí. Simplesmente não ouvir o seu corpo e dar um descanso adequado pode atrasar e muito o seu progresso. O ponto fundamental da dieta é justamente na recuperação, vocês tem que pensar nos alimentos que vão restabelecer o seu organismo de forma mais eficiente, e que vão poupar gasto energético na digestão. Proteínas ainda devem ser altas, mas variadas (não apenas ou exclusivamente de cerne vermelha) e os vegetais e legumes devem ser obrigatórios se você quer longevidade nos treinamentos de qualquer espécie. 

Por hora é isso, logo eu publicarei um texto novo no blog falando mais sobre essas coisas ...
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#75
(03-09-2020, 02:55 PM)Héracles Escreveu:  O dia que eu decidi que ia melhorar essa parte foi depois de um evento num clube de tiro onde o trajeto era cronometrado. Tinha alguns obstáculos no meio do mato, e obviamente quem fizesse o menor tempo ganhava. Eu quase morri nesse dia, mesmo treinando diariamente e me achando um semi-atleta. Perdi pra nego que nunca pisou numa academia na vida e nunca cogitou a ideia de fazer dieta, e isso me causou uma profunda revolta interna. Percebi que em um risco real de vida, mesmo com todo o meu treinamento de agora, ainda poderia ser uma presa fácil. 

Isso me fez lembrar de um dia que eu fui a uma pista de corrida, me sentia o máximo nessa época, e quando eu cheguei nesse lugar me deparo com um sujeito que inclusive já estava correndo quando eu cheguei e aparentemente deveria estar finalizando o treino. Era muito mais velho que eu e inclusive muito mais pesado também. Eu não sou de ficar reparando muito nos outros não, apenas o suficiente pra reconhecer o ambiente que eu estou entrando e o perfil de quem está por ali, mas comecei a intuir que o cara estava meio que me desafiando, até porque só tinha idoso e obeso ali, que mais conversavam do que corriam, que baita motivação. 

Comecei com uma corrida leve tranquila de uns 5 min. e depois aumentei o ritmo pensando que ia deixar o maluco pra trás, e não é que o filha da puta apressou o passo também?! Nisso eu já fiquei cabreiro, mas continuei correndo na minha, eu contra eu mesmo. Passaram-se dez, vinte, 30 minutos e aí passou-se mais ou menos 5 minutos e eu comecei a ficar visivelmente cansado, daí o cara passou por mim correndo normalmente, nenhum pouco cansado, e me pareceu ter que apressado ainda mais o passo, aí nessa hora comecei a pensar "porra, vou deixar esse maluco tirar onda comigo?!". 

Tirei o fone que tava no bolso e pluguei no celular e aí coloquei umas músicas pra tocar, pra ver se ajudava um pouco. Ajudou. Mas ajudou por mais uns 2 ou 3 minutos e aí eu comecei a correr ridiculamente devagar, porque não dava mais, não tinha mais possibilidade de manter o ritmo. Reduzi drasticamente e comecei a correr em trote e nisso ele me passou outra vez no mesmo ritmo. Me senti um merda cara, mas continuei correndo no meu passo, nisso eu corri mais ou menos por uns 50 minutos alternando em trote e ritmo mais rápido e parei, tava no limite. 

 Fui pra saída da pista andando normalmente e andei mais ou menos uns 20 metros, olhei pra pista novamente e o cara tinha parado de correr
Mesa.

 Fiquei meio abalado, e vi que eu precisava melhorar e muito. 

 Aconteceu outras situações dessa vez no âmbito profissional e acadêmico e aí eu passei a me esforçar MUITO MAIS, e passei a procurar mais o desconforto. Como o Goggins diz, estamos cercados de pessoas que nos dizem coisas bonitinhas "você consegue", "não se culpe", "descanse um pouco" e nisso você vai perdendo a competitividade. Olha o exemplo dos jogadores brasileiros, sempre foram talentosos, futebol brasileiro era sinônimo de talento, mágica, ginga, dom..., os estrangeiros vieram até o nosso país tentar descobrir o motivo disso, hoje nós já vemos a diferença. Os estrangeiros estão infinitamente melhores do que os brasileiros, agora somos a seleção do vexame. Jogadores que só sabem festejar e se lesionar. Não colocam medo em ninguém. Perderam a noção de competitividade, quando você se acha o semi-deus, cai do cavalo porque acredita que merece descansar. O resultado é que os outros, que às vezes eram muito piores que você, te passam e aí você fica sem entender nada. Humildade sempre e esforço cada vez mais.
 

Responda-o
#76
Esse tipo de situação nos tira da zona de conforto, essa que é a vantagem. Eu estava desguarnecido na minha zona de conforto, até que ser derrotado (ou melhor, me sentir derrotado) me deu um isigth. A mesma coisa com você e com muitos outros por aí. A diferença do realista é que ele usa essas situações (por mais simples que sejam) como combustível de autoaperfeiçoamento, diferente do chimpa que fica culpando Deus, o mundo e as oportunidades que não teve para justificar o fracasso.

Por isso que tando repetem o jargão de que são as derrotas que nos fazem melhores.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#77
(03-09-2020, 02:55 PM)Héracles Escreveu: Eu li por cima o tópico, acho que deixaria mais ou menos igual. Só reforçando três pontos que eu descobri serem MUITO importantes: 

1- AERÓBICOS: lá no texto eu já falei sobre a importância de não negligenciar o aeróbico, mas disse de uma forma meio que secundária. Hoje em dia em entendo que o aeróbico É tão importante quanto o treino de força em si, ou seja, eles tem que andar lado a lado. Na época que escrevi esse texto, eu fazia um AEJ (aeróbico em jejum) leve pela manha, uma caminhada rápida na esteira inclinada, não mais que 30 mim. Hoje em dia, pela manhã, eu sempre CORRO pelo menos 5km, e corro também no pós treino, uns 3-4k. Nos finais de semana corro também (e olhe que alguns anos atrás jamais me imaginaria fazendo isso). A minha saúde e disposição geral melhoraram bastante. Como eu gosto de umas atividades na natureza, tipo trilhas no mato e no rio, rapel, canoagem, etc... ter um bom aeróbico facilita tudo. O dia que eu decidi que ia melhorar essa parte foi depois de um evento num clube de tiro onde o trajeto era cronometrado. Tinha alguns obstáculos no meio do mato, e obviamente quem fizesse o menor tempo ganhava. Eu quase morri nesse dia, mesmo treinando diariamente e me achando um semi-atleta. Perdi pra nego que nunca pisou numa academia na vida e nunca cogitou a ideia de fazer dieta, e isso me causou uma profunda revolta interna. Percebi que em um risco real de vida, mesmo com todo o meu treinamento de agora, ainda poderia ser uma presa fácil. Não é atoa que os militares fazem tantos aeróbicos e coisas para resistência. Antigamente eu tinha um bom cardio, pois jogava basket todo dia. Então resolvi focar nisso novamente, sem esquecer o levantamento de peso. Não perdi força nem massa muscular, continuo na casa dos 110-112kg de peso. Na verdade agora eu venho perdendo peso justamente para melhorar a performance nas corridas. Esse cardio moderado-difícil é excelente para saúde, e sem dúvida é fundamental, e a outra grande vantagem é que a capacidade cardiovascular é melhorada rapidamente, você vê o progresso em poucos dias.  Também é um exercício mental  ótimo, uma observação e superação do embotamento e entediamento da mente e dos limites do seu corpo. Agora vou reintroduzindo os sprints que eu sempre gostei de fazer. Façam urgentemente aeróbicos médios-longos, sem deixar de treinar para força. 

2- ALONGAMENTOS: eu tinha um pouco de dificuldade de treinar isso nos meus alunos, comprei uns livros, dei uma estuda nesse assunto e descobri coisas novas e interessantes. Diferentemente do que eu sabia, os alongamentos devem ser feitos concomitante aos treinamentos de força (lógico, fazendo o uso de alguma dose de bom senso e racionalidade). É uma característica fundamental para desenvolvimento de força, e especialmente, na prevenção de lesões. A cultura esportiva tupiniquim, geralmente acredita que alongamento é coisa para gays, não atoa o nosso esporte tem tanta lesão e é tão fraco comparado a países desenvolvidos. Se você se lesiona com frequência, é quase certo que o problema maior seja falta de elasticidade do tecido muscular e mobilidade articular deficiente. Eu estou escrevendo um artigo sobre isso, mas esse é um ponto que eu considero obrigatório observar hoje em dia, especialmente para quem, assim como eu, já não é mais nenhum garotinho adolescente. 

3- VEGETAIS: hoje eu como uma quantidade absurda de vegetais e legumes, algo que jamais na minha vida imaginei que comeria, pelos micronutrientes e a melhora da digestibilidade de alguns alimentos. Ajudam bastante na recuperação também e quando você treina 6 dias por semana, 4 deles 2x no dia, recuperação é algo a se levar em consideração de forma séria. Alias, o pilar recuperação (que é uma das bases do treinamento físico) é o ponto fraco de muito cara bem intencionado e com vontade de sair da mediocridade geral, conforme já disse em algum texto por aí. Simplesmente não ouvir o seu corpo e dar um descanso adequado pode atrasar e muito o seu progresso. O ponto fundamental da dieta é justamente na recuperação, vocês tem que pensar nos alimentos que vão restabelecer o seu organismo de forma mais eficiente, e que vão poupar gasto energético na digestão. Proteínas ainda devem ser altas, mas variadas (não apenas ou exclusivamente de cerne vermelha) e os vegetais e legumes devem ser obrigatórios se você quer longevidade nos treinamentos de qualquer espécie. 

Por hora é isso, logo eu publicarei um texto novo no blog falando mais sobre essas coisas ...

Irmão, aqui eu queria ver contigo umas questões:

Tu fala agora sobre fazer esse aeróbico médio para manutenção do cardio né. Mas olha só, no tempo que eu era atleta (lutador) eu já fiz vários testes, sendo o "padrão" o treino físico com musculação e corridas de longa distância (10km). Já fiz os tais treinos funcionais também, uns treinos parecidos com crossfit e eu sempre sentia o gás nas lutas (que eram 3 rounds de 3 minutos).

Até que em um camp eu resolvi fazer um treino "diferente": 3 vezes na semana eu fazia um circuito, sendo 4 rounds de 3 minutos pra 1 de descanso e a cada 30s segundos trocando o exercício (Ex: terra, agachamento, flexão, sombra, corda e desenvolvimento), treinava na maior intensidade possível como se luta fosse. E 2 vezes na semana eu fazia 10 tiros de 100m.

Cada treino durava de 15 a 20 minutos apenas e mano vou te dizer, com esse treino simples eu trinquei muito e meu gás melhorou consideravelmente, eu terminava as lutas e nem me sentia cansado. Daí que me vem a dúvida: realmente é necessário fazermos aeróbicos longos (corridas médias e longas e longas distâncias de bike) ou é melhor investir em treinos de alta intensidade (tipo sprints de 100 e 200m) ?
Responda-o
#78
(07-09-2020, 09:05 AM)donborjone Escreveu: Daí que me vem a dúvida: realmente é necessário fazermos aeróbicos longos (corridas médias e longas e longas distâncias de bike) ou é melhor investir em treinos de alta intensidade (tipo sprints de 100 e 200m) ?

Olá amigo.

Bem, existe um termo dentro do treinamento que se chama "especificidade". O tipo de treinamento mais adequado para você será o que tenha mais especificidade possível com o esporte principal que você pratica. Como no seu caso era a luta, treinos intervalados de alta intensidade (HIIT) eram mais necessários. Esse principio não é posto muito em prática no brasil, pq geralmente os treinamentos são muito homogêneos devido a algumas crenças limitantes de muitos treinadores, enfim ... a questão é que se você busca PERFORMANCE num determinado esporte, precisa entender de especificidade e treinar de acordo com isso.

O que eu quis dizer sobre a importância do aeróbico é que ele é uma base sólida. Se você optar por HIIT, por musculação normal, por pliometria, enfim, o aeróbico vai te proporcionar uma boa base para iniciar e permanecer treinado. Independente do que fizer, ache um tempo para atividades aeróbica. Se não for esse seu foco principal, use como complemento. Essa é a ideia...  

E eu não acho que 5-10k de corrida seja aeróbico longo para pessoas que treinam recreativamente. Acho que essa deveria ser uma meta para qualquer homem, conseguir correr pelo menos uns 10k sem maiores dificuldades. Aqui tem toda uma ideia de funcionalidade do corpo humano que eu sempre defendi. 

Seria isso.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#79
(08-09-2020, 08:18 AM)Héracles Escreveu:
(07-09-2020, 09:05 AM)donborjone Escreveu: Daí que me vem a dúvida: realmente é necessário fazermos aeróbicos longos (corridas médias e longas e longas distâncias de bike) ou é melhor investir em treinos de alta intensidade (tipo sprints de 100 e 200m) ?

Olá amigo.

Bem, existe um termo dentro do treinamento que se chama "especificidade". O tipo de treinamento mais adequado para você será o que tenha mais especificidade possível com o esporte principal que você pratica. Como no seu caso era a luta, treinos intervalados de alta intensidade (HIIT) eram mais necessários. Esse principio não é posto muito em prática no brasil, pq geralmente os treinamentos são muito homogêneos devido a algumas crenças limitantes de muitos treinadores, enfim ... a questão é que se você busca PERFORMANCE num determinado esporte, precisa entender de especificidade e treinar de acordo com isso.

O que eu quis dizer sobre a importância do aeróbico é que ele é uma base sólida. Se você optar por HIIT, por musculação normal, por pliometria, enfim, o aeróbico vai te proporcionar uma boa base para iniciar e permanecer treinado. Independente do que fizer, ache um tempo para atividades aeróbica. Se não for esse seu foco principal, use como complemento. Essa é a ideia...  

E eu não acho que 5-10k de corrida seja aeróbico longo para pessoas que treinam recreativamente. Acho que essa deveria ser uma meta para qualquer homem, conseguir correr pelo menos uns 10k sem maiores dificuldades. Aqui tem toda uma ideia de funcionalidade do corpo humano que eu sempre defendi. 

Seria isso.

Perfeito, muito obrigado pelo retorno!

"Aqui tem toda uma ideia de funcionalidade do corpo humano que eu sempre defendi." 

Sobre isso eu penso de forma mais ou menos parecida, creio que existem algumas habilidades básicas que todo homem tem a obrigação de ter e é nisso que foco meu treinamento: 

- Condicionamento: para fugir ou perseguir, subir uma escada com alguém nas costas em casos de incêndio, desastres, etc;
- Capacidade de puxar o próprio corpo (por isso as barras): se ficar pendurado num telhado, penhasco, etc;
- Capacidade de empurrar (flexão, supino): se cair um tronco de árvore ou pedra em cima de ti, ter força para empurrar o objeto;
- Luta: defesa pessoal, dispensa maiores comentários;
- Nado: dispensa comentários também.

Minha base de treinos hoje é composta por calistenia, corrida, boxe e jiu. A natação por motivos financeiros tive que parar. A cada 15 dias treino tiro (pistola .380 e espingarda de chumbo). E sempre que possível (mínimo 1 vez no mês) uma trilha no meio do mato. 

Gostei bastante da parte da especificidade que tu comentou e realmente é muito real e importante isso. Hoje como não sou competidor em mais nada vou voltar a correr diariamente.

Novamente, obrigado pelos conselhos. Abraço.
Responda-o
#80
(08-09-2020, 09:19 AM)donborjone Escreveu: creio que existem algumas habilidades básicas que todo homem tem a obrigação de ter

Exato. O treinamento físico deve ir além de algo puramente estético, fútil. Como eu escrevi alguns anos atrás, a forma segue a função, ou seja, se a função do seu corpo for a de desempenhar atividades viris, desgastantes e desafiadoras, o forma que ele terá, invariavelmente será condizente com essa necessidade. Resumindo, quanto mais ativo e operacional, mais masculino.

Muitos caras que só querem saber de "shape pro verão" esquecem desses fundamentos básicos, por isso que mesmo sendo musculosos, continuam parecendo e sendo moças.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
  [INSTRUÇÃO] Treino abdominal para hipertrofia rápida Trglodita 15 2,657 21-02-2019, 02:14 PM
Última Postagem: Trglodita

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)