Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[RELATO] Festa na favela
#21
medonho esse relato

jogou truco, dançou, mas não trocou uma palavra com a garota e diz "vira e me bj"

é óbvio q ia dar errado
Responda-o
#22
Relato do ano, sem mais.
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o
#23
Mano... mano...

Meu Deus.

Precisamos de um EDR carioca já. Esses relatos tem que ser gravados em áudio kkkkkk
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#24
(05-07-2019, 10:31 AM)_Blake_ Escreveu: OP depois de mais uns gorós na festa:

[Image: bjsq9m5oizpi6kl5v0whmeo7g.jpg]


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Agora se esse relato for mesmo sério, então nós também temos culpa disso, um membro tão antigo e frequente do Legado Realista não pode ter mais esse tipo de comportamento. Nós falhamos.

Pera lá, fera.

Eu não sou pai de ninguém, pode me tirar desse "nós" aí. 

Sem contar que, duvido muito, que outros usuários com mais reputação por aqui fariam um papelão desse (o que pode acontecer, eventualmente).

E tempo de casa não quer dizer nada, não se esqueça  o que aconteceu com o autor da frase "pago mil putas, mas não assumo uma civil".
Um homem com escolhas é um homem livre.
Responda-o
#25




Tu tem que participar desses bailes aqui.
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#26
(05-07-2019, 02:33 AM)Escobar Escreveu: ...elas sentem o cheiro da segurança e da insegurança de longe, a sua postura vai te entregar, o seu comportamento nesses ambientes vai falar mais do que qualquer palavra dita a elas.  

Curto e direto! Não mudo uma vírgula!





(05-07-2019, 02:33 AM)Escobar Escreveu: ...se vc tomar um fora de uma vadia na frente de outras vadias, nenhuma vadia do local vai querer olhar na tua cara

Se for uma festa pequena, churrasco, aniversário, alguma coisa em que todos de alguma forma se conhecem... se você tomar fora de uma vadia, você não pega mais nenhuma outra nesse dia ali.





(05-07-2019, 12:30 AM)Minerim Escreveu: Não é porque o ambiente seja pobre que não irá existir hipergamia, pensou que estava jogando no modo easy né Jovi....

Minerim matou a pau. O Machado achou que por ser um ambiente de favelado seria fácil pra ele, Mortal Kombat easy mode GargalhadaGargalhada







Homem destacado nunca chega em vadias pra ficar com xavequinho bobo. Ok, você não é destacado, mas tem que fazer o meio termo, xavecar como se não estivesse xavecando, abordar uma mulher como se não tivesse feito aquilo, como se tivesse acontecido sem querer, por parte dela... tem que ser CONFIANTE!


Abordou uma mulher com aquela cara de "Quero te pegar de qualquer forma, estou nervoso, inseguro, não sei o que falar, faço tudo pra ter você"?
Você é um verme pra ela.
Responda-o
#27
(05-07-2019, 04:45 AM)Minerim Escreveu: Daqui a 10 anos se o Machadation  continuar no desenvolvimento ou  clausura de concurseiro e não passar na porra do concurso seguindo a risca o conselho do Libertador poderá abrir um canal do youtube com o titulo...

Gargalhada Gargalhada

Pior que ficou engraçado isso aí.

Se alguém estudar 10 anos e não passar em nenhum concurso público é porque não estudou direito, ficou só se iludindo que estava estudando, mentindo pra si mesmo, ou porque é deficiente mental e não tem capacidade de reter informações.

Por falar nisso, conheço uma pessoa que estuda a mais de 15 anos pra concurso e nunca passou em nenhum. Mas, acho que essa pessoa passa mais tempo dando desculpas do que estudando, porque ela sempre está falando que tem pouco tempo, que a prova estava muito dificil, que os concursos estão muito concorridos, que não tem como competir com os filhinhos de papai que passam o dia todo só pra estudar, que tem muitas matérias, que não tem dinheiro para comprar material bom, que trabalha demais e não sobra tempo pra estudar, aí fica naquela luta sem fim que nunca sai do lugar. 

Quer passar no concurso, mas não quer pagar o preço.

(05-07-2019, 01:10 AM)Minerim Escreveu: Facepalm  O cara tem 30, 30, 30, 30, ANOS. Tem vontade de dar umas fodas,o cara tem libido, não é um eunuco e até quando o sujeito deve ficar num celibato desenvolvimentista?

Yaoming Yaoming

Primeiro que ele não deve ficar. Porque não existe uma regra impositiva na real pra ninguém, cada um faz o que quiser. Eu só dei conselhos do que eu faria no lugar dele. Ele fica o tempo que quiser e se quiser. Ninguém precisa ficar em um celibato desenvolvimentista.

Segundo que ele disse que pega mulheres quando elas já querem ficar com ele. Ou seja, ele não está em nenhum tipo de celibato desenvolvimentista (gostei da palavra kkk), ele só não consegue pegar desconhecidas bonitas e é isso que frustrou ele no relato. Então, se ele não for cristão e for imoral pode ficar comendo meretrizes regularmente que é uma economia imensa de esforço e tempo, e ele também pode continuar pegando mulheres que já demonstrarem estar afim dele. Eu entendi a sua revolta, mas ele pode continuar aproveitando essas oportunidades quando surgirem e fazendo sexo regularmente enquanto ajeita sua vida. Não tem nada de errado nisso.

Terceiro, eu discordo da mentalidade dele de ficar correndo atrás de vileiras desconhecidas em festas, acho uma burrice tremenda e que ele está fazendo papel de palhaço e se humilhando por uma merdinha qualquer que não vale o esforço, mas se um cara está na real a anos e ainda continua pensando assim e tentando essas coisas que parecem terem vindo de um juvena, então quem sou eu para falar o óbvio? Que ele continue em frente já que não provavelmente nunca vai mudar de mentalidade. 

Quarto, eu também não dei conselhos de como agir lá porque sinceramente eu não frequento esses lugares e não sei como agir, mas o Escobar que entende bem desse mundo ensinou sabiamente pra ele como agir e melhorar se ele quiser continuar em frente com isso. A minha metáfora do futebol de campo se encaixa perfeitamente, a diferença que o Escobar seria o cara que ia regularmente ao jogos e aprendeu a dominar as jogadas básicas e as mais ousadas. É o cara ideal para ensinar o Machado a lidar nesse tipo de ambiente que ele não entende.

E como eu disse apesar de eu achar fútil e inútil eu nem me dei ao trabalho de tentar mudar a mentalidade dele só joguei pra ele a ideia de primeiro fazer o básico do dever de casa e depois ficar perdendo seu tempo com essas idiotices. Vai que ele gosta mesmo. Pessoas que tem uma vida vazia e sem significado gostam de coisas fúteis, elas não querem saber de desenvolvimento em questões interiores, espirituais e morais. Tem gente que realmente gosta de ir e estar nessas festas e de ficar falando besteira, de futebol e pegando mulheres diferentes regularmente. Depois que fizer o básico do dever de casa que ele passe a vida inteira nisso se quiser. Qual o problema?

Quinto, eu sei que ele já tem 30 anos, mas, oras, não sei se é o caso dele, mas imagine que um cara tem 30 anos ou mesmo 40 anos e ainda mora com os pais, não tem renda nenhuma, não tem diploma, tem que ficar prestando conta do que faz, tem o físico ruim, saúde fraca, é porque não fez o dever de casa, e é melhor correr atrás disso o mais rápido possível, antes tarde do que nunca.

Se um cara tem só 18 anos e já começou a correr atrás disso, digamos que quisesse ser concursado, ganhar uns 6 a 8 mil por mês, e faz um curso tecnólogo a distância, que sai mais barato, mais rápido e ele consegue focar melhor nos estudos para concurso durante o tecnólogo a distância. Estuda sério. Em uns 3 anos o cara terminou o tecnólogo e é muito provável que passou em um bom concurso com esses 3 anos de estudo sério. Se ele tiver cuidando do desenvolvimento físico nesses primeiros 3 anos, provavelmente não evoluiu muito devido ao foco nos estudos, mas ele compensará nos últimos 2 anos recebendo o salário e com tempo livre, com o salário já vai ter um carro próprio e talvez até dado entrada em uma casa própria. O cara alcançou toda essa base em 5 anos e hoje ainda tem apenas 23 anos de idade. Tem uma boa renda, um carro próprio, uma casa própria. Já é totalmente independente e não precisa prestar contas a ninguém. 

Então, com apenas 23 anos de idade, se ele não é ligado a questões mais profundas, tem uma vida sem significado e gosta de coisas banais, então ele já pode se dar ao luxo de passar o resto da vida perdendo tempo com coisas inúteis se quiser porque ele já fez o básico do seu dever de casa, paga as próprias contas e não deve explicações a ninguém. Pode ficar cochando o ar com movimentos ritmados todo fim de semana, se ele realmente gosta disso qual o problema? 

O cara já está com a base da vida bem construída e se não quer continuar a escada do desenvolvimento (que seria o ideal) já pode perder seu tempo inteiro só com hobbies. Passar o resto da vida só aproveitando do que conquistou nesses poucos anos de foco. Apesar de que desenvolver só a base financeira e física é algo muito incompleto. Se já é o suficiente pra ele, então ótimo. 

Você, por exemplo, provavelmente já fez tudo isso, já tem uma boa formação que te garante um bom salário e está com a parte financeira bem estruturada e não quer mais saber de desenvolvimento pessoal, saturou desse assunto, já construiu uma boa base, está aqui no fórum mais por hobby, pra você deve ser tipo como sentar em uma mesa de bar e contar piadas e ficar fazendo comentários engraçados entre amigos, zoar o que os outros fazem enquanto dá conselhos nas entrelinhas, tem algo de errado nisso? Se você fez o dever de casa, claro que não tem. 

Não importa a idade da pessoa, se tem 18 ou 40 anos, tem que fazer o básico do dever de casa antes e só depois pode perder tempo com o que quiser. E se quiser continuar a escalada do desenvolvimento pessoal, o que eu acho melhor, lendo bons livros, investindo, fazendo musculação, ótimo. Mas se não quiser, é uma escolha da pessoa e não tem nada de errado pois já não precisa prestar contas a ninguém e pode fazer o que bem entender com sua vida passageira.

Sexto, só depois que escrevi tudo isso que eu relendo o tópico percebi como meus comentários foram totalmente diferentes do restante do tópico pois a maioria só queria zoar e outros em dar conselhos sobre como proceder nas próximas festas, mas eu fiz um comentário fora do contexto geral, algo que eu gostaria de ouvir se estivesse com a mesma mentalidade vazia, sem auto-conhecimento e sem conseguir ver necessidade de mudar. E assim acabei fazendo que nem o Machado na festa, sendo estranho e diferente de todo mundo e provavelmente fazendo algo no momento inapropriado. Talvez devesse ter esperado a galera curtir o tópico e zoar mais e daqui umas semanas ter feito esse comentário. Então, agora que já fiz isso acho que é melhor eu parar de postar e tentar ir saindo de fininho deste tópico cochando o ar com movimentos ritmados.
“A honra, a integridade e a verdade precisam ser guardadas, custe o que custar ao próprio eu.” Obreiros Evangélicos, pág. 447
Responda-o
#28
(05-07-2019, 11:45 AM)Libertador Escreveu: Se alguém estudar 10 anos e não passar em nenhum concurso público é porque não estudou direito, ficou só se iludindo que estava estudando, mentindo pra si mesmo, ou porque é deficiente mental e não tem capacidade de reter informações.

Por falar nisso, conheço uma pessoa que estuda a mais de 15 anos pra concurso e nunca passou em nenhum. Mas, acho que essa pessoa passa mais tempo dando desculpas do que estudando, porque ela sempre está falando que tem pouco tempo, que a prova estava muito dificil, que os concursos estão muito concorridos, que não tem como competir com os filhinhos de papai que passam o dia todo só pra estudar, que tem muitas matérias, que não tem dinheiro para comprar material bom, que trabalha demais e não sobra tempo pra estudar, aí fica naquela luta sem fim que nunca sai do lugar. 

Quer passar no concurso, mas não quer pagar o preço.

Isso é totalmente verdade.

Exatamente isso acontece com vestibulares.

- Há aquele cara que se matou até assar o lólis e passou em medicina com um ano de cursinho. Mas quando você conversa com ele, realmente percebe que o cara estudou muito. Qualquer assunto político, o cara sabe tudo desde o Egito Antigo até a Guerra do Vietnã.

- Tem aquele outro cara que está no sexto ano de cursinho e fica dizendo "é muito difícil", "os riquinhos fazem cursinhos caros", "blá blá blá". Porém quando você conversa com o cara, ele não tem noções básicas de geografia/história.
Responda-o
#29
fui sorrateiramente cochando o ar com movimentos ritmados até entrar na sala onde o pessoal jogava truco. 

[Image: giphy.gif]

Esse relato foi o melhor do ano, me garantiu boas risadas. GargalhadaGargalhada

Não é porque é favelada que deixa de ser mulher.

No mais, ir em ambientes que em nada tem a ver conosco só mostra o quanto você carece de autoconhecimento. O resultado é sempre esse, se sentir um merda.
Spoiler Revelar
"Facts don't care about your fellings!"

Responda-o
#30
Que relato confrades, que relato!

Leitura perfeita do confrade @Escobar, penso nessa mesma linha.

Ao meu ver, o grande erro do confrade foi tentar emular um comportamento que não era seu, talvez ele não percebesse mais estava um peixe fora d'agua tal qual um índio em um evento de cosplay nerd;

Na certa os locais viam em ti uma figura "excêntrica" ao local e pelo fato de algumas cervejinhas ou por falta de traquejo, achou que pudesse dar uma de Don Juan pegador perto da moreninha-jambo-exceção;

A donzela que não é boba, assim como toda mulher malandrona, detecta insegurança de longe, com certeza seu flerte maluco deve ter soado patético para a mocinha, o que deixa essas mocinhas abertas e receptivas são os vida loka de hornet roubada, os manos de cordão de ouro gigante e de pistola na cintura.

Mas fique tranquilo, já fiz muita merda neste nível e todas com a mesma característica: Entrar em ambientes que são totalmente estranhos a minha personalidade e a partir disso emular um personagem, a gente não percebe, mas quem está de fora vê como sua postura está artificial, forçada.

Por isso o melhor é frequentar esquemas e/ou ambientes a qual não precise agir de forma dissimulada para se passar de descoladão, se até nas festinhas de classe média/alta tá foda aturar esse ode ao medíocre, as músicas de apologia ao crime e putaria desregrada, isto não é apenas na favela.
Responda-o
#31
[Image: giphy.gif]
[...]
Responda-o
#32
Admiro sua honestidade, mas para um cara com 30 anos na fuça, não tem como não dizer: que falta de traquejo da porra!

Uma coisa que eu aprendi na vida é que só os bobões se esforçam tanto a ponto de se ridicularizarem por mulher (e nesse grupo incluo os PUA's). Na realidade, esse tipo de interação é muito mais fácil do que se imagina, não precisa chegar em ninguém e ficar falando essas coisas ridículas que dependem da aprovação da mulher não.

Não sei se é porque eu uso uma farda e desde então é tudo mais fácil para mim. Nem quando eu estava em total desgraça, precisei ficar mandando cantada para mulher poder dizer "sim" ou "não". O fato é que não precisa mandar cantada, nem dançar, nem desgraça nenhuma, se a mulher quiser dar a buceta, você vai saber distinguir se é uma vontade genuína ou se ela só está ali para ter o ego inflado (por isso ela te agradece muito).
Responda-o
#33
Todo mundo por um motivo ou por outro cai num ambiente que não conhece.
Encheram o meu saco pra ir e uma vez, por volta dos meus 30 anos, caí em uma balada "country". Gigantesca, por sinal.
Eu não sabia porra nenhuma desse mundo, achava que estava todo mundo fantasiado meio de velho oeste americano, meio festa do peão do interior de Goiás. Roupas ridículas, alguns caras com camisas com anúncios (!), dancinhas de passinhos tipo country americana, muita gente de chapéu de cowboy. Eu tinha uma banda cover do iron, aquelas músicas eram um terror no meu cérebro.
E a maldita festa estava LOTADA de gostosas. Provavelmente eu deveria parecer um alienígena lá, tava na cara que eu não sabia o mínimo do "código de conduta social" de balada country. Minhas roupas da época eram urbanas demais pra festa.
CLARO que eu nem me meti a besta de chavecar nenhuma mulher, nem as que foram no nosso grupo. Entrei mudo e saí calado. Aliás, arrumei uma desculpa pra picar a mula antes de todo mundo...
Responda-o
#34
Já falaram tudo acima principalmente o @Escobar,  Da próxima vez que estiver em um lugar que não está acostumado a frequentar evite egerir bebidas alcoólicas isso só afeta a sua percepção e observação, essa mistura é foda Bebida+ mulheres+ pagodinho de laje, é certo alguém passar vergonha e nesse caso foi você... Elementar meu caro Watson!

No mais experiência pra próxima, Relato bastante divertido.
"Antes de mas nada, saiba que você morrera e sera esquecido. Portanto, Busque  a felicidade dentro de sua alma e não fora. Entregue-se ao seu espirito. Somente ele estará com você depois da morte." (Nessahan Alita)

Spoiler Revelar
"Desenvolver apenas algumas camadas, negligenciando outras, mais cedo ou mais tarde, a vida cobrara o preço da negligencia." (Mandrake)

"Como eu sempre digo, o homem que não conhece a Real sempre acaba se dando mal." (Conde de Monte Cristo)
Responda-o
#35
Tudo que os confrades falaram sobre ser peixe fora da água é verdade.
Mas há mais um fator que ficou de fora: Não é você quem deve agradar ou tentar parecer legal.
No longo prazo a linguagem e a propaganda possui muito mais força do que as armas.

A mulher é a maior fábrica de cafajestes do mundo.
Responda-o
#36
Ao mesmo tempo que eu achei engraçado esse relato, eu fiquei "decepcionado" para não falar outra coisa. Você aparece as vezes no meu blog machado, e se não estou enganado você entrou nos fóruns mais ou menos a mesma época que eu então faz um bocado de tempo já, e eu fico triste de perceber (pq você mesmo contou) que você NÃO EVOLUIU NADA E NÃO ABSORVE PORRA NENHUMA DO QUE EU OU A REAL EM GERAL DIZ!

Se eu lesse esse relato sem saber quem é o autor eu teria certeza que era de um remelento metido a malandro de no máximo 17 anos. Que porra é essa cara? que merda você está fazendo com a sua vida? Nem uma vileira qualquer você consegue, que dirá "atingir" algum objetivo real. Bem, não cabe a mim te julgar, fui só um desabafo pela decepção mesmo ... mas eu te aconselharia a acordar para vida logo, ela está acabando rapidamente... pense nisso.

boa sorte aí com as tuas vileiras



PS: Pelo menos a sua escrita melhorou, isso é inegável
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#37
Homem com + de 25 anos de idade 'na pista' é o fim!
Responda-o
#38
(05-07-2019, 05:58 PM)Hombre de hielo Escreveu: Homem com + de 25 anos de idade 'na pista' é o fim!

E a gorda só tava sozinha lá porque tu não foi né Yaoming
[...]
Responda-o
#39




Cenas exclusivas do filme estrelado pelo machado
Responda-o
#40
 Não adianta se martirizar à toa, isso já passou, e a coragem que te fez dizer "Só vira e me beija" para a moça, use-a para passar um borrão nisso e não lembrar mais de absolutamente nada, evite frisar essa imagem na mente, evite associações não é esse o princípio básico da meditação? Frequentemente vejo você postando coisas relacionadas ao ego e hoje, olha só, você está integralmente vivendo a manifestação real da egolatria humana, primeiro pelo envergonhamento de si mesmo, segundo pela sensação de ter sido rejeitado e terceiro por desejos suprimidos, por não ter conseguido o que queria. Você está experienciando um misto de sensações que causam desconforto, raiva de si mesmo e vontade de poder voltar no tempo, aproveite, sinta cada precioso minuto dessa agonia que está lhe desmoronando por dentro, é isso que promove o desenvolvimento, que faz crescer. Nenhuma informação secreta ou especial, nenhuma seita, grupo oculto ou associação restrita  lhe fará um indivíduo desenvolvido. A sensação de que só por ter acesso a um vasto material sobre relacionamentos e dinâmicas sociais, nem aqui e muito menos em Marte fará sua evolução positiva aflorar, é nesse momento que devemos ter humildade suficiente para reconhecer que somos completamente vulneráveis àquilo que mais estudamos e debatemos. O conhecimento liberta mas liberdade tem preço, não acredite em refeições gratuitas. Veja esse causo como uma espécie de punição, um teste da vida, tenho quase certeza de que você foi à festa por uma pura e simples ilusão de sua própria mente que te fez acreditar no mito do resultado imediatista, lendo a própria descrição do ambiente me fez chegar a essa pressuposição, não passou pela sua cabeça a ideia de que você seria uma espécie de divindade na festa? Bem quisto, respeitado e desejado? 

 Já que você teve coragem e humildade suficiente para expor uma infelicidade sua e não tentou se sair por cima na situação (acredite, muitas pessoas passam por isso e por coisas muito mais escabrosas mas no outro dia saem repetindo falaciosamente absurdos inventados por uma mente em busca de autoafirmação, são verdadeiras mentirosas descaradas mesmo quando pegas pela realidade), irei contar um relato meu. Sou introspectivo e bem abaixo da média no campo do desenvolvimento físico por ainda ser bem magro, também sou averso a ambientes muito movimentados e desde muito novo tenho uma espécie de complexo de inferioridade, algo que só fui conseguir contornar em meados de quando conheci a real, também tenho estatura baixa e me considero um sujeito não muito adequado aos parâmetros estéticos (me encaixo mais ou menos no estereótipo do homem médio que é invisível socialmente, mas não é feio ou bonito, talvez por ainda parecer com um adolescente, eu não seja tão repulsivo às mulheres que estão acima de mim na pirâmide social, de certo modo eu não estou no jogo delas  Yaoming ), não sou tímido mas por conta de inseguranças emocionais, as vezes deixo transparecer isto em minha linguagem corporal, principalmente quando estou em situações desconfortáveis como subir em um ônibus muito movimentado ou entrar em um auditório na mesma situação, fora disso, e por ter estudando oratória, consigo me sair muito bem em quase todas as situações e evoluí bastante nos últimos anos, ah e também sou Low Profile, ultimamente venho tentando entrar no minimalismo. Fui a minha primeira festa no ano passado, embora relutado bastante, tive que ir por ter prometido a um amigo e por que estava realmente me desafiando a fazer coisas novas, coisas que me causassem embrulhos estomacais. Era uma festa universitária e como bem sabemos, há níveis estratosféricos de hipergamia no ar aqui, são as piores para um sujeito típico mediano ir e ademais não sabia nem o local do festejo, tive que ir a casa de meu amigo e me guiando por um endereço eletrônico no celular. 

 Ao encontrar meu amigo em sua casa depois de ter ido de mototáxi por não ter locomoção para aquelas bandas, posteriormente pegamos algumas garotas que eram amigas dele e fomos direto pro festejo e ao chegar lá notei que duas das garotas estavam meio que mais receptivas para mim, intuí também que uma em especial estava muito mais do que a outra, aqui classificaríamos as duas como submedianas e as outras duas eram medianas arrumadas na qual de cara saquei por qual motivo elas realmente iam, é difícil categorizar pois o que é bonita pra mim pode não ser pra você, eu achava as medianas bem acima da média mas classificarei como medianas para entrar em um consenso. Éramos seis comigo incluso, fui respeitoso e falei de forma igualitária com todas elas mas percebi que uma das medianas, a que eu achei mais arrumadinha, estava tentando jogar com meu valor oscilando entre receptividade e frieza e me tocando de forma ambígua nos ombros, mais tarde quando ela estava dançando funk, ela meio que jogou o quadril na parte lateral da minha cintura para me empurrar, como se estivesse brincando ou me incitando para que eu revidasse. Eu defendo que a intuição é a melhor arma de um homem nesse mundo caótico e minha intuição estava me dizendo para fugir daquilo, para abrir meus olhos e eu sei que mesmo diante de inúmeros avisos, isso não é fácil. Ao entrar no clube, vejo a musicalidade ambiente, pessoas dançando e flertando, outras bebendo..., o típico ambiente estereotipado que a maioria aqui conhece e claro, eu fiquei admirando a beleza das universitárias meio como um sertanejo que vislumbrado pelos prédios da cidade grande fica extasiado olhando tudo. Pegamos as bebidas e reunimos um grupinho que amealhou uma quantidade razoável de pessoas - mas nos atentemos apenas as principais pois muitas transitavam de grupo em grupo - e lá começamos a beber, aqui abro o detalhe que eu particularmente detesto beber mas tive que fazer para não parecer um alienígena, nessa época eu estava saindo de um período de isolamento direcionado, mas por ter estudado e até colocado em prática alguns itens de oratória e persuasão, estava me saindo muito bem, ressalvo que a mente nos tenta enganar a todo instante fazendo-nos de trouxa, não existe contradição maior no desenvolvimento individual de um homem do que fazer algo simplesmente para se adequar a algum ambiente, a um ambiente que não é o seu ou de tentar ser alguém que você não é por pura aceitação social.  

 Mesmo travado e ainda me sentindo um pouco deslocado, estava analisando o ambiente com aquele olhar enquadrado e minucioso em todos os detalhes, tive aqui a constatação bruta e total de muitas coisas que aqui debatemos, pude perceber como ninguém o tamanho da superioridade da real no que tange a análise e o estudo das relações sociais, foi incrível, literalmente. As duas medianas arrumadas estavam na procura do macho superior e uma delas estava dançando sensualmente na tentativa de fisgar uma vítima pelo canto da sereia. Uma das submedianas, eu não sou muito de julgar a aparência das pessoas até porque não me considero neste patamar, mas ela não combinava absolutamente nada comigo, era muito maior do que eu e não me causava excitação alguma, não era gorda mas tinha proporções corporais muito acentuadas pra mim e também não tinha traços atrativos, na minha concepção claro. A outra era-me mais convidativa pois além de magrinha, era baixa e me atraia fácil, porém, como a primeira desde o princípio estava muito próxima de mim e eu percebi que havia meio que um conluio delas duas a meu respeito, não tive como me aproximar da que me atraia e logo ela sumiu de minha visão, restando apenas as medianas e a submediana. Fiquei bebendo e conversando com meu amigo e com as duas medianas que estavam no período de descanso da labuta pelo macho superior - acho que elas não acharam nenhum nessa noite - contudo, ao tocar uma música de funk meio que famosa na época, quase todo mundo se exaltou e ao som de uivos e gritos uma espécie de ritual de acasalamento mútuo se iniciou. Fiquei na mesma situação do autor do tópico pois uma das medianas e a submediana começaram a se enroscar em mim e no meu amigo e já sob o efeito nefasto dos lícitos, meio que comecei a entrar na onda. Nesse momento a submediana se aproveitando de mim, tentou me tascar um beijo mas eu inventei que estava muito bêbado e apenas abracei ela, foi engraçado pois tive que ter jogo de cintura pra fingir pois nunca fiquei completamente bêbado na vida, nessa noite eu colocava mais refrigerante do que álcool na mistura lícita do copo e nessa altura do campeonato meu amigo e até a submediana estavam muito alterados enquanto eu ainda estava nos estágios iniciais dos efeitos da bebida desgraçada, e pra ser sincero, eu nem vi as medianas bebendo. Aqui fica uma ressalva, elas não encontraram nenhuma vítima e mesmo conversando com alguns homens, não vi elas cederem, em alguns momentos a mediana falava comigo e até brincava um pouco me empurrando e puxando conversa mas eu não cedi, sabia que ela não estava interessada em mim apenas viu um comportamento incongruente no fato de que eu não a bajulei. Os homens que chegaram nas duas, saíram com as mãos nos bolsos, elas rejeitaram todos. Eu até tentei tocá-la no ombro e espelhar o comportamento dela comigo mas percebia uma frieza sutil, era estranho, então eu simplesmente me afastei e do meio para o final da festa ela começou a me olhar ruim como se estivesse me ignorando, tentando me destratar. 

 A submediana começou a dançar e rebolar no meu pau e nesse momento a outra submediana chegou, justamente a que eu queria pegar, ela passou um tempo considerável fora e eu acho que sabemos bem o que ela foi fazer..., ela começou a dançar do meu lado virando o quadril em minha direção enquanto a outra estava na desesperada tentativa de me fisgar, confesso que estava gostando bastante daquilo e você se sente meio que poderoso, desejado, assim como no caso do autor do tópico, mas nesse caso eu poderia facilmente ter dirigido-me, se existisse, a uma delegacia de polícia dos homens alegando aliciação sexual pois literalmente eu não senti desejo sexual algum nisso talvez até por minha introspecção, por uma espécie de barreira, não considero isso como algo ruim. Eu agradeço por ter tido bastante atenção ao tópico da farsa das baladas, li e reli várias vezes aquele tópico e extrai muita coisa boa dali, tive cuidado com muitos detalhes que passam despercebido por quem sai faminto pra esses lugares e inclusive rejeitei bebida quando me ofereciam, fiquei ao lado do meu copo em todos os momentos e mantive-me sempre com uma garrafinha de água e com bastante refrigerante próximo, mas mesmo tomando todos as devidas precauções, em um determinado momento senti que estava começando a ficar tonto e foi nesse instante que sai de perto do grupo e fui a uma espécie de jardim dos fundos do lugar, quase uma mata. Nesse lugar eu me lembrei bastante de muita coisa que li e que ouvi ao longo de minha breve vida, o cheiro da promiscuidade exalava no ar, vi pessoas bêbadas e caídas no chão, outras sentadas cabisbaixas provavelmente lamentando algum fora tomado, vi pessoas sendo levadas pelos braços pois estavam completamente desmaiadas, pessoas se pegando publicamente, outras estavam se preparando para vomitar, vi pessoas provocando escândalos pois mesmo muito bêbadas, não queriam sair da festa, eu particularmente achei tudo isso muito triste. Inclusive quando eu estava travadão lá apenas balançando o corpo de um lado para o outro e bebendo a mistura de álcool com refrigerante, uma das medianas viu a submediana dançando perto de mim e me disse "ela tá dançando na tua frente, chega junto", eu apenas me aproximei e dei aqueles tapinhas falsos nas nádegas dela assim como fazem em clipes de funk, só colocando a mão e imitando o movimento, e ela realmente queria que eu fizesse isso.
 
 Depois de ter saído de perto do grupo, fiquei sentado por alguns instantes olhando o ambiente quando fui arrastando de volta pra danceteria pela submediana e por meu amigo que estavam visivelmente alterados e foram me buscar, eu já não poderia contar com ele para voltar pra casa e essa era mais uma das minhas maiores preocupações junto com o fato de que eu provavelmente teria que cuidar de bêbado no restante da noite, tentei me divertir mas confesso que não consegui muito pois não via sentido algum em ficar dançando e bebendo e ainda tentando me esquivar das tentativas da submediana, para me beijar. Passei o resto da noite tendo que encarnar um personagem para não me passar por esquisitão, continuei bebendo mais um pouco e percebi que as medianas foram embora no zero a zero, apenas dançaram e beberam, muito pouco pelo que vi. Meu amigo estava tentando pegar a outra submediana que tinha saído e depois voltou e de vez em quando ele me falava isso no meu ouvido, que ia ficar com ela, eu apenas soltava um sorrisinho discreto e assentia com a cabeça concordando com aquelas palavras, eles ficaram dançando por bastante tempo mas quando ele investia um movimento de que ia beijá-la, ela meio que se saia daquilo mas educadamente pelo que percebi visto que ela estava razoavelmente sóbria e ele não. Enquanto isso a submediana me abraçava e queria que eu ficasse ali abraçado com ela..., a festa se desenrodilhou até próximo do amanhecer quando fomos embora junto com o pessoal, eu já estava bem sóbrio e já sob o efeito da famigerada ressaca moral que me deixou meio caladão em meio aos demais. Deixei meu amigo na casa dele e tive que ficar lá porque ainda estava escuro e eu estava com receio de voltar sozinho pra casa - ele morava relativamente próximo do clube, coisa de algumas quadras então dava pra ir a pé mesmo - meio que já estava com esse receio desde que percebi que ele estava bebendo muito, fomos em grupo na garoa da madrugada, com as ruas completamente desérticas e ainda correndo risco de vida, mas  ainda sim ele relutava no caminho, queria retornar ao ambiente da festa que a essa altura já estava sendo organizado pelo pessoal da limpeza. Tive que ficar controlando ele e ainda o pus pra dormir, sorte que ele não deu muito trabalho para isso. Esperei os primeiros relances de luz solar no horizonte e vim pra casa no frio, a pé e literalmente perdido, depois de uma baita caminhada e refletindo profundamente sobre a noite e principalmente sobre minha vida, vi por experiência própria que não é essa a vida que eu quero pra mim. No caminho eu via os trabalhadores abrindo suas lojas, os catadores de papelão empurrando as carrocinhas, garis varrendo a rua, pessoas caminhando e correndo, praticando exercícios físicos nas pracinhas, vi que enquanto há uma legião de pessoas que fingem viver e que acham que estão se divertindo, há outras que buscam algo maior, pessoas empenhadas em suas próprias vidas, empenhadas no trabalho. 

Existe um provérbio budista que diz mais ou menos assim "dor agora, prazer depois", se você optar por prazer agora, acostume-se com a dor no dia posterior, seja com ressaca, sensação de agonia, vergonha alheia e uma série de outros sentimentos e lembranças ruins, a conta não fecha com exatidão. Do contrário, se escolher a dor agora, acostume-se com um futuro promissor, colha os frutos de seus esforços, os verdadeiros frutos, a verdadeira evolução. Cheguei em casa depois de bastante caminhar todo sujo, sem dinheiro e me sentindo muito mal lembrando de tudo aquilo,  tomei um banho bem demorado, fiz um lanche pois estava com muita fome e passei o resto da semana inteira com vergonha alheia lembrando da noite que tinha se passado, nunca mais vi as pessoas que conheci na festa e vejo muito pouco o meu suposto amigo, tudo acabou ali, acho que todo mundo foi pra inúmeras outras festas depois desse dia e esse ciclo se repetiu por inúmeras vezes até hoje, eu, na contramão, nunca mais fui a festa alguma e me sinto bem melhor no meu habitat natural, agradeço bastante por ter tido acesso a muito conteúdo bom e muita informação de qualidade, isso me evitou muita coisa desagradável mas talvez eu nunca tivesse a constatação de como realmente é essa vida de boêmia se eu não tivesse ido para uma, se eu não fizesse esforço algum pra sair da minha zona de conforto eu nunca chegaria a esse pensamento, hoje eu sei que devo passar longe desses lugares, aquilo não é pra mim, eu não nasci pra ser pegador e muito menos para festejar naturalmente com qualquer um e em qualquer lugar. Se eu tivesse que deixar uma mensagem pro autor do tópico, tudo que você tá sentindo é normal e acredito firmemente que você não foi o único então bola pra frente e creia que agora de fato você aprendeu a lição. Existem pessoas que aprendem com os livros, outras que aprendem com a vivência e existem o pior grupo, as pessoas que não aprendem nem com os livros e nem com a vivência, espero de verdade que você tenha aprendido a lição. Largue de besteira e não se preocupe com a opinião das moças e nem dos que estavam lá, eles nem lembram mais do que aconteceu e talvez nem lembram mais do seu rosto apenas certifique-se de ter aprendido a lição e siga em frente com extremo cuidado para não repetir os mesmos erros, a real perdoa mas a vida não. 
 

Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
Photo [RELATO] Festa Junina Coyote 11 534 08-07-2019, 03:59 PM
Última Postagem: Minerim

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)