Avaliação do Tópico:
  • 2 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[REFLEXÃO] Os homens e suas vidas de desespero silencioso
#61
(29-06-2019, 03:10 PM)Dallas Escreveu: Não sei se isso é um pensamento padrão ou algo de mesma natureza mas quando comecei minha jornada no desenvolvimento pessoal, e não escondo que foi logo no período que conheci a real, tinha o pensamento de que eu tinha que ser bom no máximo de coisas possíveis e imagináveis. Ler o máximo de livros, saber sobre o máximo de assuntos, me sentir um tanto quanto superior às pessoas que de certa forma vivem no que chamamos aqui de matrix, ter uma certa soberba, algo de sentir-se intelectualmente superior aos incautos pelo simples fato de estar estudando ou de se interessar por áreas bem específicas do conhecimento. Também não sei se isso ocorre ou já ocorreu com quem está lendo isso mas logo quando os ensinamentos realísticos tomam forma na consciência, aquele limiar onde você já se sente confortavelmente convicto da verdadeira forma da realidade, tu olhas para os relacionamentos alheios, para aquelas pessoas que te rodeiam, e então começa a profetizar cenários, cenas e acontecimentos, algo que te faz sentir uma espécie de contentamento por estar em uma posição conveniente. É difícil de explicar mas resumidamente é aquele sentimento de que o outro irá se ferrar na mão de joguinhos psicológicos e você está presumivelmente seguro diante da situação. Quem já assistiu ou pelo menos ouviu falar daquela série Everybody Hates Chris, que ainda passa na TV aberta, quando o Chris se ferrava em alguma coisa, o Drew, que era seu irmão, sempre soltava aquele bordão "ainda bem que eu não sou você!", é algo que explica vagamente esse sentimento. De certa forma há uma fase no percurso do desenvolvimento pessoal que o indivíduo se exime de certos acontecimentos, entra numa bolha e acha que está salvo, livre e puro diante do caótico mundo moderno, esse comportamento também é presenciado em determinadas religiões.

No livro Sobre a Brevidade da Vida, do Sêneca, existem passagens que exemplificam o que escrevi anteriormente, no entanto, uma em especial é bastante marcante, "viver é aprender a morrer", e não há outra melhor definição para isso, nós rumamos na direção da morte e não há nada que impeça isto de acontecer, embora não tenhamos aparentemente uma vida longa, temos tempo suficiente para realizarmos obras impensáveis, colossais, basta olhar para a história do mundo e perceber a estatueta dos que fizeram atos quase humanamente impossíveis como o descobrimento de ilhas remotas no meio do pacífico em navios de madeira e infestado de ratos por exemplo, ou o descobrimento da eletricidade, amostras não faltam. Minha maior dificuldade no início da jornada foi dissolver o ego doentio que jazia dentro de mim e que mesmo transgredido, continuará levemente adormecido esperando ansiosamente o dia do despertar. Diante de tantos interesses e de tantos desejos, muitas coisas não nos arrefecem e elas estão mescladas com nossos verdadeiros sonhos. Quando você desenvolve a habilidade da persuasão e isso é demasiado fácil em um país onde o conhecimento é sempre de segunda ordem, é muito fácil falar. É muito fácil dizer tecnicidades e embelezar tudo com teatralidade e convicção, as pessoas sempre caem no conto do vigário e esse é o reflexo da cultura política no Brasil e da perpetuação em massa de mentiras e indefinições. O livro de Sêneca também redige sobre as ocupações da vida cotidiana, sobre o quão ruim é o ato de se ocupar integralmente com o máximo de coisas possíveis. É o falso sentimento de produtividade, a falsa e tenra noção de que é possível ser bom em tudo e ao mesmo tempo executar enésimas tarefas simultaneamente com o máximo de destreza possível em todas elas. De um lado, a noção falha de que se é bom em tudo e de que conseguirá a perfeição literal, do outro, se ocupar com o máximo de tarefas possíveis e imitar uma espécie de divindade que consegue fazer tudo ao mesmo tempo e exercer a magnitude de sua perfeição em todas elas. Nada trás resultados positivos, tudo faz parte de uma artimanha manipulatória que te induz a uma espiral depressiva e enlouquecedora que te fará ficar completamente inábil até nas tarefas mais simples como escolher uma camiseta para vestir, por exemplo. 

Percebo que as pessoas querem tudo ao mesmo tempo mas no fundo não querem nenhuma responsabilidade, querem imitar verdadeiras divindades perfeitas e isentas do caos mas não querem o árduo cansaço do esforço, querem resultados imediatistas, querem o trono do rei mas não querem incumbências do reino. Ninguém quer efetivamente produzir mas apenas ser o responsável pelo resultado dessa produção. É por esse motivo que vemos pessoas muito boas, com um talento nato mas presas nas incertezas do que fazer. Há uma fase no desenvolvimento pessoal em que o maior desejo é o de "pregar" uma palavra, de aconselhar, defecar regras e conceitos que em uma concepção fundamentalmente individual, são "verdades". Isso ocorre logo no momento em que notamos a vulnerabilidade das massas, muitas pessoas querem falar, mas quase ninguém quer ouvir. A coisa mais difícil de se viver em sociedade é o ato de ouvir, de escutar o que o outro tem para falar. Muitas vezes, a sensação de ter lido 60 livros no ano que se passou, turva-lhe a mente para a opinião de alguém que nunca leu um manuscrito sequer. É o ego em sua forma intelectual, parafraseio o Rubem Alves, existem inúmeros cursos de oratória, entretanto, não existe nenhum de escutatória. Todo mundo quer aprender a falar mas ninguém está disposto a aprender a ouvir. As pessoas são literalmente jogadas num furacão repleto de informações, regras, conceitos e referências e todo mundo vai coletando itens de acordo com a espiral de vento. Todo mundo vai se agarrando a qualquer coisa na tentativa furada de sair dali. Tudo na aleatoriedade. No exercício de inconsciência. Ainda citando o livro de Sêneca, ler o máximo de livros ou ter acesso a um número exorbitante de dados, estatísticas e informações sobre todos os assuntos, tudo isso não lhe exime ou lhe protege de responsabilidades ou da vida real. Sêneca dá uma alternativa a cultura do quantitativo, você não precisa de 1000 livros na estante mas apenas dos 10 que você tem a plena convicção de que lhe acompanharão por onde quer que você ande e que lhe ofertarão o "ouro", aquilo que realmente importa no trajeto. Creio que nosso sofrimento é ter tudo e ao mesmo tempo não conseguir utilizar nada, isso vai de total desencontro com os nossos antepassados que com tão pouco beiraram o improvável. Nunca foi tudo o que você sempre quis fazer, mas o que você realmente fez. Ótimo tópico.

Dá para dividir estes três parágrafos em dez.
Responda-o
#62
Sobre o post do Dallas, eu concordo com a ideia que é melhor ter 10 livros lidos, re-lidos, praticados e bem estudados que ler 100 livros em um ano, isso claro para os medianos, aqueles que tem um QI 120+ que façam o que lhes der na telha.
Responda-o
#63
(30-06-2019, 09:45 AM)_Blake_ Escreveu: Sobre o post do Dallas, eu concordo com a ideia que é melhor ter 10 livros lidos, re-lidos, praticados e bem estudados que ler 100 livros em um ano, isso claro para os medianos, aqueles que tem um QI 120+ que façam o que lhes der na telha.

Colega, QI 120 não é nada de mais. Aliás, na fase que estou, concluo que experiência e disciplina pesam mais que inteligência.

A maioria dos homens bem sucedidos o são não por que tem um QI avantajado mas sim por que persistiram e foram resilientes.

Quantos homens você conhece nesse perfil? Poucos. Agora quantos conhecidos você tem que são "inteligentes" mas são vagabundos e estão desempregados, pessoas que possuem um talento ou são muito boas em alguma habilidade, mas sempre estão fodidas porque são preguiçosas e desmotivadas? Aposto que várias.

Posso te dar dois exemplos onde trabalho:

Fulano é engenheiro, com título de doutor pela Poli e é assumidade em determinado assunto da engenharia civil, reconhecido no país inteiro, sempre é consultado por empresas e pelo governo sobre sua especialidade. Ganha quase 20 mil por mês e cada consultoria dele não sai por menos de 7 mil reais. QI? Aposto que deve ser no mínimo uns 130. Agora vamos ao outro lado da moeda: 40 anos, foi casado 2x, 3 filhas, paga pensão para todas, além de financiamento de 3 carros, 1 apto no valor de 600 mil reais e 1 casa de veraneio no valor de 350 mil. Custo de vida extremamente elevado, um almoço dele não sai por menos de 70 reais. É so Lellis, Paris 6, Vento Aragano e por aí vai. Resultado: o cara simplesmente não tem nada e vive no rotativo do cartão pagando 4, 5 mil de parcela.

Agora, Ciclano é agente operacional, abre vala, tem 35 anos mas parece ter 50 por causa do estrago do sol. Tem só ensino fundamental e demora 2 minutos pra escrever o nome. Já foi casado, 1 filho e alcoólatra recuperado. Ganha 2 mil por mês, com hora extra não chega a 3. Mas há 15 anos comprou uns 7 terrenos a preço de banana em algumas cidades dormitórios, mas com potencial de crescimento. Transformou cada lote em pensão e cortiço, com 8 a 10 quartos, banheiro coletivo e aluga cada dormitório de 400 a 550 reais. Inclusive eu fiz o projeto da "residência multifamiliar" de dois terrenos pra ele. Ele fatura por baixo uns 20 mil líquidos.

Agora, pergunto, no fim das contas quem é mais inteligente: o engenheiro doutor ou o pedreiro semi analfabeto?
"Escola? E o aprendizado com os próprios erros? A experiência te faz professor de si próprio".
Responda-o
#64
(30-06-2019, 03:03 PM)Bilidequedi Escreveu:
(30-06-2019, 09:45 AM)_Blake_ Escreveu: Sobre o post do Dallas, eu concordo com a ideia que é melhor ter 10 livros lidos, re-lidos, praticados e bem estudados que ler 100 livros em um ano, isso claro para os medianos, aqueles que tem um QI 120+ que façam o que lhes der na telha.

A maioria dos homens bem sucedidos o são não por que tem um QI avantajado mas sim por que persistiram e foram resilientes.

E como você sabe que ter QI avantajado não tem relação direta com ser mais persistente e resiliente? 

De todos os modos, falei em tom de brincadeira ali.  Wink
Responda-o
#65
(29-06-2019, 03:10 PM)Dallas Escreveu: Travolta

rapaz o eduardo voltou.
Basta que o almejado ideal aconteça todos os dias para que a sonhada perfeição desapareça. 
Responda-o
#66
O QI no Br significa quem indica, vamos aos grandes QIs nacionais trollface 


Lula, Dilma, Tiririca, Frota, Mamae eu caguei, Kim cataguri etc.


O Br é uma gaiola de faraday para o desenvolvimento do QI.
Só Jesus salva, vá e não peques mais...
Responda-o
#67
@Libertador 


Spoiler Revelar
Rapaz, bela dissecada no texto. Obrigado pelos insights e desculpa pela zoeira ali. Você tirou o bonde do trilho e depois colocou de volta. Gargalhada


@"Bilidequedi"





Spoiler Revelar
Citação:Agora, pergunto, no fim das contas quem é mais inteligente: o engenheiro doutor ou o pedreiro semi analfabeto?


O engenheiro é mais inteligente, ainda mais se ele tiver um doutorado. Dependendo da engenharia, hoje qualquer um até entra tranquilo com cotas, com ENEM, com PROUNI e o caralho à quatro, mas terminar o curso são outros quinhentos. Cálculo I já separa o joio do trigo, é onde neguinho chora e a mãe não vê. Yaoming 


E depois disso a coisa só piora. Termodinâmica então? Tenho pesadelo com isso até hoje. Saporra me fez chorar. Nem mulher me tirou do sério igual termodinâmica. ahuauhauha


Agora imagine um doutorado em engenharia? Puta que pariu. Vai me desculpar, mas pra conseguir um doutorado nessa porra, o cara é inteligente sim, nem que ele estiver devendo até as pregas no SPC e no Serasa. Big Grin


Se o engenheiro que você conhece vive de aparência e está quebrado devendo até as cuecas (será que está mesmo ou é achismo seu?) é porque falta pra ele educação financeira. Coisa que não se ensina nas escolas brasileiras e em poucas ao redor do mundo. Se você não for judeu, provavelmente não vai ter ninguém pra te ensinar sobre grana, você vai ter que perceber que tem algo errado e se virar sozinho, como todos fazemos aqui. Tem até médico foda por ai que não sabe lidar com grana. Torra tudo que ganha. E vende hora.


O pedreiro semi analfabeto viu uma boa oportunidade, agiu e deu certo. Não sei nem se ele colocou na ponta do lápis, mas ele criou uma fonte de renda passiva, sem ter que vender o tempo dele, ele acertou na mosca. Isso que ele fez eu até citei nesse texto aqui que escrevi anos atrás no blog e trouxe pro fórum recentemente. Não precisou ser um savant pra fazer grana. Não precisa.


Agora se você juntar todos os engenheiros de engenharias complicadas (não merdas como engenharia florestal, conhecida como engenharia da maconha ou engenharia de produção, que nada mais é do que adm com cálculo) e todos os pedreiros semi analfabetos, você vai perceber que os engenheiros estão melhores financeiramente do que os pedreiros. A média sempre mostra a realidade da coisa.


Por isso que eu citei nesse artigo "aprenda sobre dinheiro". Eu também conheço um monte de nego semi analfabeto aqui em SP que empreendeu e hoje é rico. Conheço um monte de nego que é inteligente pra caralho, que foi professor meu em universidade, que depende de aposentadoria do INSS e vai passar necessidade se a previdência quebrar.


Aprendam sobre a porra do dinheiro, caralho.


@Minerim 


Spoiler Revelar
O Brasil é um campo de concentração sem cercas. Começou a dar errado em 1531.
Responda-o
#68
Eu peguei dois exemplos fora da curva, mas o que quero dizer é que muitas vezes relacionamos inteligência e QI somente raciocínio lógico matemático, mas inteligência é muito mais abrangente, como cognição, música, canto, lingüística etc.

Claro que este doutor tem um poder de raciocínio infinitamente superior ao pedreiro, mas este tem mais sabedoria, tem a habilidade de aprender com os próprios erros. O engenheiro pelo contrário, está estagnado no desenvolvimento, só desaprende. E a tendência é só piorar.

Engraçado você comentar sobre judeu, pois o pouco que sei sobre investimento aprendi com meu primeiro chefe, lá em 2005, que era um também e vivia me zoando falando que "quem conhece juros compostos enriquece e quem desconhece é um eterno devedor" rs.
"Escola? E o aprendizado com os próprios erros? A experiência te faz professor de si próprio".
Responda-o
#69
@Mr. Rover

Só hoje pude ler o tópico com calma.

Sinto muito pela situação que relatou no início do texto.

Quero agradecer pelo que escreveu não só neste tópico, mas em todos os outros que já li, sempre me dão um norte e motivação, além disso, admiro sua humildade na escrita, você praticamente é isento de pedantismo.

Abraço.
"Tudo o que te resta é o desenvolvimento pessoal." Mr. Rover 
Responda-o
#70
Caraca, eu não tinha visto esse artigo do @Mr. Rover ainda, mas ele é sensacional!

A Visão dele sobre a politica mundial e a China me trouxe outra "visão" sobre isso.

Esse artigo vale por muitos livros.

Inclusive compartilhei diversas partes do texto com o meu pai e ele ficou abismado na sabedoria que os textos continham.

Passei as partes que fala sobre democracia e QI!

Além dessa parte aqui sobre VIDA, que achei sensacional!

"O que os confrades precisam encontrar nas suas vidas são ocupações que fazem deles felizes, que possam ser feitas sozinho e que o prazer esteja baseado na atividade em si e não na aprovação de outras pessoas. Eu por exemplo, posso afirmar que ter a oportunidade de estar perto da natureza onde moro lá nos EUA, pescar, acampar, as vezes deitar ao relento olhando um céu super estrelado por estar no meio do nada é algo que me fez um bem tremendo.


Estar aqui em São Paulo nesses últimos dias me mostrou como eu estava me desfazendo nesse lugar. A poluição é algo que consigo perceber, coisa que não conseguia antes. E ter achado outra atividade além das citadas acima que é garimpar ouro, também me fez um bem tremendo. Eu não me sentia excitado e feliz com em fazer algo desde que eu era criança.


Por isso que eu digo, repito e repito novamente. Batalhem pra se estabilizar financeiramente, aprendam tudo o que puder e vão viver como um homem deveria viver, que é em contato com a natureza, com a própria mente e com Deus. A vida moderna, principalmente a vida urbana, é um câncer. As coisas simples e o tempo, ainda são e vão continuar sendo os bens mais valiosos para um homem. Para as mulheres também, mas devido à natureza delas, acabam que sofrem e são sugadas pra dentro desse "buraco negro" que virou nossa sociedade. "
Além disso, ore para que a vontade de Deus seja feita! Não a sua.
Responda-o
#71
Bom forista perdido esse Mr Rover... quem sabe ele aparece algum dia para dar mais algumas valiosas contribuições ao fórum.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)