Avaliação do Tópico:
  • 2 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[RELATO] Um ano de América
Que se prevaleça o verso bíblico, quem quiser comer, que trabalhe.

Não tem sentido em dar dinheiro de impostos (em qualquer país, e no caso do Brasil, que é um país pobre, nem pensar) pra quem teve oportunidade de realizar sua IF e não foi precavido e não teve humildade de buscar orientação.

Somente tem obrigações positivas com o indivíduo, ele próprio e seus pais (e ainda assim até certa idade), de resto que se vire.
"Não existe mulher feia, você que bebeu pouco." (Mancho, Rodimeu)

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
(18-07-2019, 09:31 PM)Baralho Escreveu: Que se prevaleça o verso bíblico, quem quiser comer, que trabalhe.

Não tem sentido em dar dinheiro de impostos (em qualquer país, e no caso do Brasil, que é um país pobre, nem pensar) pra quem teve oportunidade de realizar sua IF e não foi precavido e não teve humildade de buscar orientação.

Somente tem obrigações positivas com o indivíduo, ele próprio e seus pais (e ainda assim até certa idade), de resto que se vire.



Concordo. E também acho que não deveria ser dado nem aposentadoria "simbólica" pra esses caras. Porque nesse caso estaria sendo aberta uma exceção e isso é injusto com todos os outros contribuintes que ficam anos sendo roubados pela previdência falha e piramidal do Brasil.


Isso sem contar que tem muita gente lá do passado que representou o Brasil em competições esportivas e o governo cagou e andou. Será que deram prêmio pra Maria Esther Bueno? Pro Chico Landi? E sei lá mais quem poderia ser posto nessa lista.
Responda-o
É por quê no Brasil, automobilismo ou tênis são esportes de elite, então por ''default'' seus praticantes seriam privilegiados da sociedade; e o futebol, um esporte das classes baixas, da ascensão social, daí não fica tão ''impopular'' premiar seus ex-jogadores (mesmo de seleção) com esse dinheiro.

Mas esquece-se, na mídia sobretudo, que é exatamente o atleta que chegou na seleção e além disso, disputou uma copa, que passou da condição de ''mais humilde'' para de fato um outro patamar social e financeiro.

Porém como a maioria é ''pino frouxo'', torra toda a grana com GP e cachaça e depois de novamente pobres, reaparecem em programas caça-níqueis de audiência, sobretudo na Record e Band.

O irônico é que no futebol, onde se encontram os casos mais notórios de desvio/sonegação de impostos (que beneficiariam exatamente os mais necessitados em seus países).

Qual boleiro, ajudado por seus empresários, nunca ''moveu'' nos contratos, a maior parte da bolada pra rubrica de ''direitos de imagem'' (onde incide menor tributação como IRPF, por ex.) ???

Como um general bem asseverou, há muito tempo, o Brasil não é (nunca foi) um país sério.
"Não existe mulher feia, você que bebeu pouco." (Mancho, Rodimeu)

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
(19-07-2019, 11:27 PM)Baralho Escreveu: Como um general bem asseverou, há muito tempo, o Brasil não é (nunca foi) um país sério.

Não é, não foi e nunca será. Essas semanas que estou passando aqui me mostram como tomei a decisão certa em querer sair.
Responda-o
Triste realidade.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
(19-07-2019, 11:27 PM)Baralho Escreveu: É por quê no Brasil, automobilismo ou tênis são esportes de elite, então por ''default'' seus praticantes seriam privilegiados da sociedade; e o futebol, um esporte das classes baixas, da ascensão social, daí não fica tão ''impopular'' premiar seus ex-jogadores (mesmo de seleção) com esse dinheiro.

Mas esquece-se, na mídia sobretudo, que é exatamente o atleta que chegou na seleção e além disso, disputou uma copa, que passou da condição de ''mais humilde'' para de fato um outro patamar social e financeiro.

Porém como a maioria é ''pino frouxo'', torra toda a grana com GP e cachaça e depois de novamente pobres, reaparecem em programas caça-níqueis de audiência, sobretudo na Record e Band.

O irônico é que no futebol, onde se encontram os casos mais notórios de desvio/sonegação de impostos (que beneficiariam exatamente os mais necessitados em seus países).

Qual boleiro, ajudado por seus empresários, nunca ''moveu'' nos contratos, a maior parte da bolada pra rubrica de ''direitos de imagem'' (onde incide menor tributação como IRPF, por ex.) ???

Como um general bem asseverou, há muito tempo, o Brasil não é (nunca foi) um país sério.

Meu camarada, infelizmente não temos material humano pra isso. Parece racista mas é realidade.
Mas eu vislumbro uma boa perspectiva econômica no Bostil sob a gangue do capitão,  isso falando pra GANHAR DINHEIRO.
Responda-o
Sou só eu que ainda tem esperanças do Rover dar um feedback por aqui?
Responda-o
Só o Ego dirá
"Há um amplo fosso de aleatoriedade e incerteza entre a criação de um grande romance – ou joia, ou cookies com pedaços de chocolate – e a presença de grandes pilhas desse romance – ou joia, ou sacos de biscoitos – nas vitrines de milhares de lojas. É por isso que as pessoas bem-sucedidas em todas as áreas quase sempre fazem parte de um certo conjunto – o conjunto das pessoas que não desistem." O andar do bêbado.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)