Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[REFLEXÃO] O que somos?
#21
(20-11-2018, 10:21 AM)Loki Escreveu: Quem possui limites jamais poderá compreender o ilimitado. Faz parte da condição humana não saber.

Eu prefiro buscar a DEUS! Você é Cristão? Ainda que não seja, recomendo ler as 5 vias de São Tomás de Aquino.

Talvez ajude você a encontrar algum sentido na existência.

Boa sorte.

Sou Cristão sim, além disso estou caminhando para me tornar um pastor (possuo o chamado, no entanto ainda tenho muito que aprender para poder pastorear) estou estudando teologia e tentando aprender um pouco de hebraico.
Não busco o sentido da vida, mas sim descreve-la e segura-la em minhas mãos para que enfim eu possa ajudar as almas mais aflitas.

O que te faz pensar que ao pensar sobre isso não estou buscando a Deus? Gargalhada

Como disse lá em cima, Salomão é minha inspiração.

Além do que... Você diz "É a condição do homem não saber", e foi exatamente o que eu disse no tópico inteiro.

http://www.filosofia.com.br/historia_show.php?id=82
Spoiler Revelar
Suba o primeiro degrau com fé. Não é necessário que você veja toda a escada. Apenas dê o primeiro passo.

-Martin Luther King
Nosso Mundo Ciclico
Responda-o
#22
(20-11-2018, 10:13 AM)ZeRoS Escreveu: O que podemos interpreter do mundo é apenas o que somos capazes de alcançar.

Essa parte eu entendi, pois além de qualquer coisa, isso é obvio.

Não entendi a parte de "ser capaz de voltar seria um dos meus maiores objetivos". Voltar onde? como vc vai "quebrar" a barreira que é vc mesmo? morrendo e voltando a fazer parte do cosmos ou de "deus" ou seja lá qual é a sua crença? vc acredita mesmo que APENAS ler meio dúzia de livros sobre metafísica está te transformando num ser superior e angelical? sua empatia é prática ou metafórica? aposto que metafórica...

Acho que não entendi o que vc quer dizer bem no fim, nem eu e nem ninguém aqui... Yaoming vc precisa organizar melhor essas ideias, vc quer falar de um nível de complexidade filosófico existencial que o seu cérebro e experiência não tem capacidade de compreender e assimilar corretamente ainda, por isso fica essa papo de louco

é só uma dica, não leve pro lado pessoal
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#23
(20-11-2018, 11:15 AM)Héracles Escreveu:
(20-11-2018, 10:13 AM)ZeRoS Escreveu: O que podemos interpreter do mundo é apenas o que somos capazes de alcançar.

Essa parte eu entendi, pois além de qualquer coisa, isso é obvio.

Não entendi a parte de "ser capaz de voltar seria um dos meus maiores objetivos". Voltar onde? como vc vai "quebrar" a barreira que é vc mesmo? morrendo e voltando a fazer parte do cosmos ou de "deus" ou seja lá qual é a sua crença? vc acredita mesmo que APENAS ler meio dúzia de livros sobre metafísica está te transformando num ser superior e angelical? sua empatia é prática ou metafórica? aposto que metafórica...

Acho que não entendi o que vc quer dizer bem no fim, nem eu e nem ninguém aqui... Yaoming vc precisa organizar melhor essas ideias, vc quer falar de um nível de complexidade filosófico existencial que o seu cérebro e experiência não tem capacidade de compreender e assimilar corretamente ainda, por isso fica essa papo de louco

é só uma dica, não leve pro lado pessoal

E quem disse que eu to lendo livros sobre metafisica? Escrevo isso apenas com observações e experiencias do meu dia a dia.
Citei alguns links pois achei que possuem um mesmo ponto.

"Acho que não entendi o que vc quer dizer bem no fim, nem eu e nem ninguém aqui... vc precisa organizar melhor essas ideias, vc quer falar de um nível de complexidade filosófico existencial que o seu cérebro e experiência não tem capacidade de compreender e assimilar corretamente ainda, por isso fica essa papo de louco"

Não entendeu o fim porque eu encerrei um ciclo, se eu tivesse continuado falando você continuaria a entender por mais um breve periodo. E se eu tivesse convergido a uma frase de efeito, eu te perderia em seu próprio mundo. Não quero criar frases de efeitos, mas apenas apontar uma direção dentro de nós mesmo.

No entanto é exatamente essa a ideia que eu quero passar meu amigo, não vou levar pro pessoal. Eu entendo o ponto de vista de vocês e não tenho pressa de fazer com que entendam. Eu descrevo coisas que não podem ser descritas, e falo sobre coisas que não podem ser faladas. Eu falo pela não-ação. Eu falo não-falando. (Pesquise por Wu-Wei se preferir). E por tentar falar sobre isso, eu acabo por ferir seu principio original e então não o pratico. Mas se eu criar um ciclo infinito e aceita-lo como é, eu passo a conseguir "navegar" por entre isso tudo. É como se eu conseguisse me reconstruir até no meu menor pensamento.

Não falo sobre conceitos básicos ou superficiais, mas sim do mais profundo que existe dentro de cada um de nós. No caso, nosso espirito.

"Não entendi a parte de "ser capaz de voltar seria um dos meus maiores objetivos". Voltar onde? como vc vai "quebrar" a barreira que é vc mesmo? morrendo e voltando a fazer parte do cosmos ou de "deus" ou seja lá qual é a sua crença? vc acredita mesmo que APENAS ler meio dúzia de livros sobre metafísica está te transformando num ser superior e angelical? sua empatia é prática ou metafórica? aposto que metafórica..." 

Voltar do ponto onde não há retorno, transcender as dimensões e então retornar para essa dimensão em que nos encontramos. 
Falo sobre saltos quanticos, e entrelaçamento quantico. Não a nivel corporeo, mas a nivel espiritual.
Nossa consciencia reside em nosso espirito, a moral absoluta e a verdade absoluta.

O ato de compreender isso nos faz sermos nós mesmos independente das nossas memórias ou sentimentos.

É como viver em um estado de amnesia eterno, e mesmo assim ser capaz de viver normalmente entre todos.

Eu vou passar a escrever no blog, porque não faz sentido continuar a escrever aqui no LR sendo que não é o foco do mesmo. Vocês focam em um desenvolvimento financeiro, desenvolvimento emocional. Vocês buscam o "espiritual" com fonte de vida para seu corpo e sua alma. Já eu quero abrir mão do meu corpo e da minha alma, e utiliza-lo a favor do meu espirito. Que é quem eu realmente sou.

É um papo de maluco, eu sei. E acho que nunca vai deixar de ser.
Isso tudo que eu tento descrever funciona melhor se apenas praticado. Mas se eu apenas praticasse, não conseguiria construir um "caminho" para quem pudesse ver além. Seria como um dos grandes mestres que transcendem e seus discipulos se perdem.

Eu quero construir "mestres", e não discipulos que o vento é capaz de levar. No caso, não "eu" mas Deus.
Voltei aos caminhos de Jesus, por ele ser o maior ponto de convegencia já criado por Deus. Sua encarnação, seu unico filho.
Afim de nos fazer nascer em espirito e em verdade.

Para escrever isso de uma forma clara, eu teria que escrever de uma forma especifica para cada um. E para isso um fórum não seria tão eficaz.
Então eu só largo essa semente perdida por aqui.
Spoiler Revelar
Suba o primeiro degrau com fé. Não é necessário que você veja toda a escada. Apenas dê o primeiro passo.

-Martin Luther King
Nosso Mundo Ciclico
Responda-o
#24
E hoje, o que me diz sobre isso tudo? (ao criador do tópico).

Conseguiu organizar melhor seus pensamentos neste sentido?
"Paulistarum Terra Matter..."
Responda-o
#25
Que tópico mais retardado. Parece até que eu entrei num hospício ou num boteco cheio de bêbados. O cara fez uma verdadeira suruba mental em forma de tópico.

Citação:As vezes eu me pego pensando no que realmente somos.

Esse é o problema. As pessoas pensam demais. Pensam demais, agem de menos e o espírito e o subconsciente só apodrecem.


Vivemos numa era onde a crença, os rituais divinos, o contato com o nosso instinto e a força interior estão sendo substituídos por artigos científicos, desconstrução, masturbação mental inútil e a falta de propósito.

Eu sei muito bem o meu propósito nessa vida. Eu vivo para lutar.

Lutar contra os meus próprios defeitos.

Lutar contra os meus desejos de seguir a massa de bonobos.

Lutar pelo meu lugar ao sol.

Resumindo: vai viver desgraça.
Louvado seja o SENHOR, minha rocha; ele treina minhas mãos para a guerra e dá a meus dedos habilidade para a batalha. Ele é meu aliado infalível e minha fortaleza, minha torre segura e meu libertador. Ele é meu escudo, em quem me refugio; faz as nações se sujeitarem a mim. Salmos 144:1-2

強さと名誉と尊厳
Responda-o
#26
O problema é o cara fugir da simplicidade do conceito de sabedoria, que está na vivência simples e na apreensão e internalização de coisas simples, aí o cara tenta ir para a 'sofisticação' da explicação e do argumento filosófico.

Ainda mais hoje que o que se chama de ciência está carregado de argumentações maliciosas com os propósitos mais sacanas que o homem pode imaginar
Responda-o
#27
Por um momento, ao ler o título do tópico, tinha impressão de que era um thread auto-crítico da real, mas no fim, é só um amontoado de tergiversações no meio de (um bocado) tempo livre.

"Só os canalhas precisam de uma ideologia que os absolva e justifique." (Rodrigues, Nelsson)
Responda-o
#28
E eu achava que meus textos eram viajados. Cremdeuspai.
Citação:“Fortuna Perdida? Nada se perdeu... Coragem perdida?
Muito se perdeu... Honra perdida? Tudo se perdeu...”

(Provérbio Irlandês)
Responda-o
#29
Brother, vou fazer uma crítica construtiva:

não sei se o texto é seu ou se foi copiado de alguém, mas carece de aprofundamento, direção e unidade. Parece mais um texto de roteiro de vendas de um youtuber vendedor de cursos que utiliza técnicas de PNL. É um texto tipicamente sócio-construtivista, filosoficamente barato e subjetivo.
Responda-o
#30
(16-07-2021, 10:28 AM)Bandeirante Paulista Escreveu: E hoje, o que me diz sobre isso tudo? (ao criador do tópico).

Conseguiu organizar melhor seus pensamentos neste sentido?

Sim, de fato eu consegui.

Tirar um tempo aqui do fórum me ajudou e me agregou muito de certa forma. Infelizmente eu sou de uma geração que possui muito contato com a tecnologia e quase sempre tem algum tipo de aplicativo ou novidade que existe puramente no sentido de me "prender" e viciar no mesmo. Quando finalmente comecei a me isolar e sentir o peso da minha própria existência, ou seja, quando passei a não me basear em experiências ou histórias que lia por ai no fórum e em outros lugares, comecei a vislumbrar o meu próprio caminho.

Hoje, já estou no 9 período de Engenharia (trabalhando como projetista de uma multinacional do petróleo) e pretendo fazer uma pós-graduação ou uma outra graduação voltada puramente para a psicologia.

Eu resumiria bastante o tópico criado por mim em um conceito que aprendi há um tempo atrás, através do Aldous Huxley.

[Image: 61KtzRdpNbL._SX332_BO1,204,203,200_.jpg]

Juntamente com um pouco de conhecimento do psicólogo C. Jung que sempre tratou sobre símbolos e o inconsciente coletivo.
Hoje, eu definiria quem somos em "fronteira máxima da nossa consciência":
O limite entre descobrir coisas novas e o de saber o que precisa ser lembrado.

Nosso cérebro funciona de certa forma "julgando" o que merece permanecer e consequentemente eliminando as informações que não julga necessário para a nossa sobrevivência.
E somos fortemente influenciados pela nossa história (assim como Nietz aborda) e nossa genética.

Logo, quem veio antes de nós, o local em que somos criados e a forma como interpretamos o mundo (através de nossa própria individualidade) acabam por moldar a nossa consciência como algo totalmente independente do mundo.

Ainda sobre o livro que citei acima, ele diz algo sobre o homem dar mais sentido a palavra que define um sentimento do que o próprio sentimento em si.
Como eu abordei no inicio do tópico:

"No fim eu não quero que entenda minhas palavras, nem que as sinta. Minhas palavras são nada além da tentativa falha de descrever algo que não é para se entender e sim... Se perder. Se achar não é nada além do que se perder, clichê eu sei, mas ao se aprofundar você entende."


Eu ainda não compreendia a forma como os símbolos criados por nós (sentimentos) e os símbolos criados pela sociedade (linguagem) se comunicavam com o bruto da nossa experiência existencial.
Antes de existir uma palavra, existia um sentimento (que era a forma como nosso corpo encarava determinadas situações, uma linguagem introspectiva) e antes de existir um sentimento existe quem nós realmente somos.

Claro, podemos dizer que "somos" a consequência de tudo isso e ponto final. Mas é importante relembrar que o caminho do autoconhecimento e do engrandecimento da alma vem do fortalecimento de nossas memórias mais antigas, assim como pessoas e mais pessoas se perdem no mundo de desinformação (Pessoas que dizem que a terra é plana, vacina é uma falácia [parênteses enorme aqui, me refiro ao movimento anti-vacina que existe desde antes de começar o covid]) nós quanto pessoas isoladas em nossa própria individualidade nos perdemos no mundo de "deslembrança".

O contato com a QUALIA  se torna cada vez mais distante conforme nos interessamos apenas por palavras e histórias ao invés de experiências existenciais. (Que eu julgo de certa forma, ser o caminho em que eu estava originalmente ao escrever o tópico). Por isso, eu diria que muitos aqui acharam fútil ou desinteressante o que eu estava escrevendo. Eu falava sobre coisas tão básicas quanto a respiração (ou pelo menos tentei falar sobre).

Caso alguém se interesse pelo assunto ou queira saber mais sobre essa "fronteira" perceptiva que existe em cada um de nós, recomendo a leitura do livro acima.
Claro, não é uma leitura comum e muito menos que você veria em um fórum da real sendo recomendado, mas particularmente é um assunto que sempre me interessou e que julgo ser importante.
Julgo ainda que para a maioria dos senhores esse livro será um simples passeio falando sobre como a água é molhada, mas para alguns será como encostar no mar pela primeira vez.
Spoiler Revelar
Suba o primeiro degrau com fé. Não é necessário que você veja toda a escada. Apenas dê o primeiro passo.

-Martin Luther King
Nosso Mundo Ciclico
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 2 Visitante(s)