Avaliação do Tópico:
  • 6 Voto(s) - 4.67 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[RELATO] Primeira lição amorosa que tive
#41
Up. Relato interessante. Vale a leitura.
Responda-o
#42
Fugindo um pouco do assunto principal, quando eu tinha 20 anos meus maiores orgulhos eram de ter comprado um ps2 e um computador com meu dinheiro, mas cara, vc tinha um Fusca e uma mobilete!! Como que voce fazia pra juntar tanta grana?
Responda-o
#43
(19-06-2018, 05:48 AM)SapoCaco Escreveu: Fugindo um pouco do assunto principal, quando eu tinha 20 anos meus maiores orgulhos eram de ter comprado um ps2 e um computador com meu dinheiro, mas cara, vc tinha um Fusca e uma mobilete!! Como que voce fazia pra juntar tanta grana?


  Como eu disse no relato, eu não gostava de estudar, mas gostava muito de dinheiro. Pra mim era uma tremenda perda de tempo estudar, e trabalhar em empregos formais, ao qual se tem que cumprir horários, além de ficar preso dentro de algum escritório o dia inteiro pra ganhar micharia. (não estou dizendo que é errado, estudar e trabalhar formalmente, não é isso) eu estou falando que na minha cabeça de matrixiano não valia a pena perder dias preso em um lugar pra ganhar pouco, estudar?  pior ainda, não me traria resultados imediatos, e era o que eu queria na época. 
Eu não tinha vergonha de trabalhar de oreia seca, de vender balas no sinal, isso com 13 – 14 anos. 

  No mais, com forme ia crescendo eu não deixava passar nem uma oportunidade que me renderia alguns trocados, por exemplo: Aqui em Brasília tinha muita invasão, eu ia até esses lugares e vendia marmita para o pessoal que estava acampado, quando tinha shows na cidade eu vendia cerveja, agua, cigarro etc. Sempre em lugares onde tinha muita aglomeração de pessoas lá estava eu, vendendo algo útil para eles. Sobre o meu equipamento de som e iluminação, além de alugar pra festas particulares eu mesmo organizava eventos, pedia autorização na administração e fazia em algum galpão do governo, naquela época a comunidade era carente de lazer, não se via tantas festas como vemos hoje, então eu organizava cobrava a entrada, fazia parceria com alguns comerciantes pequenos da região, comprava cerveja mais barata e vendia mais cara para os consumidores dentro da festa. Eu me virava como podia, não tinha vergonha nenhuma de chegar na porta da CODAB por exemplo e abrir uma barraquinha pra vender coisas pras pessoas na fila. 

  Numa época em que o salário mínimo era 100 reais por aí, eu ganhava isso por dia,  ganhava muito dinheiro com esses bicos aleatórios.
  Quem tem mais de 30 anos e aqui de Brasília deve se lembrar um uma época que tinha uns escolares com som que buscava os alunos na escola, aqui era comum estudarmos em outras cidades satélites, e os adolescentes se achavam andando nesses escolares, eles tinham até nome: Rotação I-II-III, cabuloso, mania kkkk eu trabalhava de cobrador também nesses escolares, ganhava uma parte dos rendimentos, eu já fiz de quase tudo nessa vida, eu sempre estava atrás de ganhar de dinheiro, de um jeito ou de outro eu corria com forme via oportunidades,  pra sempre ter uma grana no bolso.  

  Quando eu comecei a vender CD pirata, quase ninguém vendia então eu ganhava muito dinheiro,  mobilhei toda minha casa nova com quase tudo comprado a vista. Mas tudo tem um lado ruim não é verdade? 

  Por não ter estudo e nem alguém que me orientasse sobre finanças etc, e viver em um ambiente de gente sem futuro, como eu era, o que importava era farra, cachaça, mulheres e amigos, Eu era tão afundado na matrix, que já cheguei a bancar festas sozinho, quando eu fazia minhas festas de aniversário, enchia a rua de gente e eu babaca, burro pra caralho bancando cachaça e churrasco pra maior parte dos convidados, tudo que eu ganhava eu gastava, não pensava no futuro, em precisar de dinheiro numa emergência, ou o que eu faria quando aquela onda de oportunidades acabasse, do mesmo jeito que eu chegava na sexta com  uma “pacoteira” de dinheiro no bolso, na segunda eu já tinha gastado quase tudo, e tudo começava novamente, uma roda sem fim – trabalha – ganha dinheiro – gasta na mesma proporção – trabalha - ... - ... 

  No emprego na administração, por ser peixada eu trabalhava pouco e depois ia vender meus cd´s na rua,  nao me acomodava em hipótese alguma,  eu tinha duas ocupações com vinte e poucos anos, eu era muito burro pra algumas coisas, mais não pra outras, nisso minha vida ficou naquele chove e não molha, cagava e não limpava a bunda, mais ou menos isso.  

  Parece muito ter um fusca e uma mobilete com 20 anos,  mas se eu tivesse me concentrado, pensado com racionalidade e inteligência, eu poderia ter um Santana, um chevette  ou um opala que era o carro sonho de consumo na minha quebrada. Eu poderia estar muito melhor do que estou hoje se não fosse tão burro e superficial.  Essa foi uma época de vacas gordas, mas quando chegou a época de vacas magras, eu passei maus momentos, e como eu não tinha uma reserva, eu me lasquei bonito, foi uma queda fodida.  Vivendo e aprendendo, a vida é assim mesmo.
Responda-o
#44
Que Relato !
Responda-o
#45
Isso sim é um relato de homem. Pés nos chão isso demonstra que você é um homem de muita honra. Vlw @Escobar Deus te dê muita Perseverança nesta vida.
A vida passa como um conto ligeiro. 
Responda-o
#46
Thumbs Up 
Excelente relato, e em minha opinião um dos top 10 da Real. Na verdade é a terceira vez que leio, e agora com mais calma e tempo irei tecer minhas opiniões.

O relato abrange diversos temas e mostra a Real comprovada na prática.

A importância do papel do Pai: Pelo que entendi seu pai lhe ensinou valores masculinos, uma coisa que infelizmente é escassa hoje em dia. Tanto é que vemos os resultados: jovens com depressão, criados só com mãe, dependente de remédios psicoativos tarja preta, e muitas vezes sem precisar realmente, etc.

Um exemplo aqui:




Diante de todas as dificuldades que citou, facilmente você poderia ter sucumbido a essas "patologias modernas", mas não, foi lá e encarou o problema de frente de forma prática, ganhando dinheiro e conseguindo suas coisas, com vontade e coragem.

Educação Financeira: Se tivesse na época um melhor conhecimento financeiro estaria vivendo de renda ou perto disso. Mas tem um bônus, pois naquela época (98/99) nem Google tinha ainda e a internet estava 'engatinhando'. Para se achar um tema para pesquisar não era só digitar, tinha que navegar por temas até encontrar o assunto desejado. Curiosamente hoje é só digitar o que quer saber que já aparece um monte de resultados, mas sabe-se lá por que, muitas pessoas tem preguiça de fazer isso.

Na lida com a mulher: Desde os primórdios da Real há uns 8 anos atrás se não me engano, é falado sobre a atração que elas sentem por 'cafajestes', e a vontade de querer domá-los, fazendo-as se esforçar para conseguir isso, mas, em contrapartida, se atingissem seus objetivos o jogo perderia a graça e perderiam o respeito pelo macho que se deixou domar. A meu ver foi isso que aconteceu com você, pois o que acho mais louco é que ela tinha motivos de sobra para lhe deixar e não o fazia. Depois que se tornou mais correto, culminou em brigas por assuntos fúteis:

Citação:Se você quiser comida, faça você mesmo, se quiser louça lavada levanta a sua bunda do sofá e vá lavar, eu não sou a sua empregada. Foi jogar bola com as amiguinhos e quer comidinha pronta? Vai tomar no seu cu. 
Me mastrou o dedo do meio e disse: aqui pra você: (.I.) 

[Image: dedo.jpg]
Responda-o
#47

Spoiler Revelar
Excelente relato, e em minha opinião um dos top 10 da Real. Na verdade é a terceira vez que leio, e agora com mais calma e tempo irei tecer minhas opiniões.

O relato abrange diversos temas e mostra a Real comprovada na prática.

A importância do papel do Pai: Pelo que entendi seu pai lhe ensinou valores masculinos, uma coisa que infelizmente é escassa hoje em dia. Tanto é que vemos os resultados: jovens com depressão, criados só com mãe, dependente de remédios psicoativos tarja preta, e muitas vezes sem precisar realmente, etc.

Um exemplo aqui:




Diante de todas as dificuldades que citou, facilmente você poderia ter sucumbido a essas "patologias modernas", mas não, foi lá e encarou o problema de frente de forma prática, ganhando dinheiro e conseguindo suas coisas, com vontade e coragem.

Educação Financeira: Se tivesse na época um melhor conhecimento financeiro estaria vivendo de renda ou perto disso. Mas tem um bônus, pois naquela época (98/99) nem Google tinha ainda e a internet estava 'engatinhando'. Para se achar um tema para pesquisar não era só digitar, tinha que navegar por temas até encontrar o assunto desejado. Curiosamente hoje é só digitar o que quer saber que já aparece um monte de resultados, mas sabe-se lá por que, muitas pessoas tem preguiça de fazer isso.

Na lida com a mulher: Desde os primórdios da Real há uns 8 anos atrás se não me engano, é falado sobre a atração que elas sentem por 'cafajestes', e a vontade de querer domá-los, fazendo-as se esforçar para conseguir isso, mas, em contrapartida, se atingissem seus objetivos o jogo perderia a graça e perderiam o respeito pelo macho que se deixou domar. A meu ver foi isso que aconteceu com você, pois o que acho mais louco é que ela tinha motivos de sobra para lhe deixar e não o fazia. Depois que se tornou mais correto, culminou em brigas por assuntos fúteis:

Citação:Se você quiser comida, faça você mesmo, se quiser louça lavada levanta a sua bunda do sofá e vá lavar, eu não sou a sua empregada. Foi jogar bola com as amiguinhos e quer comidinha pronta? Vai tomar no seu cu. 
Me mastrou o dedo do meio e disse: aqui pra você: (.I.) 

[Image: dedo.jpg]

Só quero reiterar que eu nunca fui cafajeste, como foi citado por alguns confrades, se a mulher gosta de cafajestes é um problema exclusivo delas, eu disse no relato o seguinte: 

Citação:Confrades, uma coisa que eu prezo muito é a palavra, até então, eu nunca havia dito a ela que iria mudar, nunca prometi fidelidade, sempre fui sincero e deixava a escolha de continuar ou não, nas mãos dela.


Eu nunca menti, nunca enganei mulher nenhuma na minha vida, sempre fui sincero e deixo / deixava as escolhas de se envolver ou não com elas.  (Isso ao meu ver não é ser cafajeste). 

Eu tenho uma visão de que cafajeste é um cara que mente pra conseguir o que quer, diz que quer ter um relacionamento sério quando na verdade só quer comer, menti dizendo várias coisas que elas gostam de ouvir pra faturar uma trepada, eu não faço isso.  Se a mulher se envolve comigo o faz sabendo exatamente quem eu sou e como eu penso. Se eu falar que serei fiel eu vou ser, se eu não quiser um relacionamento sério eu vou falar, pra depois não vir com choradeira me cobrando coisas que  eu sei que não vou cumprir, igual foi o caso do relato, ela sabia e sempre soube que eu era um molecote inconsequente que na ÉPOCA era muito novo e tinha uma visão completamente distorcida do que era a vida.  

Ela ficou porque ela quis, nunca foi obrigada a nada, e no fundo era isso que ela queria, tanto é... Que depois da minha mudança de postura em relação ao relacionamento ela também mudou a postura dela.  

Quando eu era inconsequente ela era uma mulher doce, gentil, submissa e delicada e depois se tornou um demônio de saía, quando eu chegava em casa parecia que estava entrando no filme o Exorcista dos anos 70, me deparando com uma mina louca, possuída que só faltava girar a cabeça, 360 graus vomitando uma gosma verde na minha cara.  


E outra coisa para os confrades que estão em algum relacionamento, se vc esta com uma mulher e em uma discussão vc se controla pra não bater nela, existe agressão verbal de ambas as partes, se ela xinga, provoca a ponto de te fazer sair do controle... saía desse relacionamento o mais rápido possível, ele já chegou ao fim e vc não percebeu.  É tipo o caso da Maria do Presidiário e o Bolsonaro, elas vão lá... Provocam, partem pra cima e faz de tudo para te tirar do sério, para que vc reaja e depois termine como o vilão da história, quando o homem agride a mulher ele perde toda a razão, é difícil eu sei, mas se afaste e deixe a maluca batendo a cabeça na parede sozinha, depois com mais calma vc coloca um ponto final, porque se o relacionamento chega ao ponto de vc cogitar a possibilidade de bater na mulher é porque já não tem como continuar, termine porque é daí pra pior. 

Obrigado confrades pelo feedback. 
Abraço. 
Responda-o
#48
Relendo este relato e tirando suas lições de vida para não passar por tal situação ou se passar saber lidar com elas. Muito Obrigado @Escobar Isso sim é um legado Realista. TMj Deus te de muita saúde e perseverança ao passar dos dias.
A vida passa como um conto ligeiro. 
Responda-o
#49
(17-09-2018, 12:26 PM)Escobar Escreveu:
(16-09-2018, 03:18 AM)Batoré Escreveu:

Spoiler Revelar
Excelente relato, e em minha opinião um dos top 10 da Real. Na verdade é a terceira vez que leio, e agora com mais calma e tempo irei tecer minhas opiniões.

O relato abrange diversos temas e mostra a Real comprovada na prática.

A importância do papel do Pai: Pelo que entendi seu pai lhe ensinou valores masculinos, uma coisa que infelizmente é escassa hoje em dia. Tanto é que vemos os resultados: jovens com depressão, criados só com mãe, dependente de remédios psicoativos tarja preta, e muitas vezes sem precisar realmente, etc.

Um exemplo aqui:




Diante de todas as dificuldades que citou, facilmente você poderia ter sucumbido a essas "patologias modernas", mas não, foi lá e encarou o problema de frente de forma prática, ganhando dinheiro e conseguindo suas coisas, com vontade e coragem.

Educação Financeira: Se tivesse na época um melhor conhecimento financeiro estaria vivendo de renda ou perto disso. Mas tem um bônus, pois naquela época (98/99) nem Google tinha ainda e a internet estava 'engatinhando'. Para se achar um tema para pesquisar não era só digitar, tinha que navegar por temas até encontrar o assunto desejado. Curiosamente hoje é só digitar o que quer saber que já aparece um monte de resultados, mas sabe-se lá por que, muitas pessoas tem preguiça de fazer isso.

Na lida com a mulher: Desde os primórdios da Real há uns 8 anos atrás se não me engano, é falado sobre a atração que elas sentem por 'cafajestes', e a vontade de querer domá-los, fazendo-as se esforçar para conseguir isso, mas, em contrapartida, se atingissem seus objetivos o jogo perderia a graça e perderiam o respeito pelo macho que se deixou domar. A meu ver foi isso que aconteceu com você, pois o que acho mais louco é que ela tinha motivos de sobra para lhe deixar e não o fazia. Depois que se tornou mais correto, culminou em brigas por assuntos fúteis:

Citação:Se você quiser comida, faça você mesmo, se quiser louça lavada levanta a sua bunda do sofá e vá lavar, eu não sou a sua empregada. Foi jogar bola com as amiguinhos e quer comidinha pronta? Vai tomar no seu cu. 
Me mastrou o dedo do meio e disse: aqui pra você: (.I.) 

[Image: dedo.jpg]

Só quero reiterar que eu nunca fui cafajeste, como foi citado por alguns confrades, se a mulher gosta de cafajestes é um problema exclusivo delas, eu disse no relato o seguinte: 

Citação:Confrades, uma coisa que eu prezo muito é a palavra, até então, eu nunca havia dito a ela que iria mudar, nunca prometi fidelidade, sempre fui sincero e deixava a escolha de continuar ou não, nas mãos dela.


Eu nunca menti, nunca enganei mulher nenhuma na minha vida, sempre fui sincero e deixo / deixava as escolhas de se envolver ou não com elas.  (Isso ao meu ver não é ser cafajeste). 

Eu tenho uma visão de que cafajeste é um cara que mente pra conseguir o que quer, diz que quer ter um relacionamento sério quando na verdade só quer comer, menti dizendo várias coisas que elas gostam de ouvir pra faturar uma trepada, eu não faço isso.  Se a mulher se envolve comigo o faz sabendo exatamente quem eu sou e como eu penso. Se eu falar que serei fiel eu vou ser, se eu não quiser um relacionamento sério eu vou falar, pra depois não vir com choradeira me cobrando coisas que  eu sei que não vou cumprir, igual foi o caso do relato, ela sabia e sempre soube que eu era um molecote inconsequente que na ÉPOCA era muito novo e tinha uma visão completamente distorcida do que era a vida.  

Ela ficou porque ela quis, nunca foi obrigada a nada, e no fundo era isso que ela queria, tanto é... Que depois da minha mudança de postura em relação ao relacionamento ela também mudou a postura dela.  

Quando eu era inconsequente ela era uma mulher doce, gentil, submissa e delicada e depois se tornou um demônio de saía, quando eu chegava em casa parecia que estava entrando no filme o Exorcista dos anos 70, me deparando com uma mina louca, possuída que só faltava girar a cabeça, 360 graus vomitando uma gosma verde na minha cara.  


E outra coisa para os confrades que estão em algum relacionamento, se vc esta com uma mulher e em uma discussão vc se controla pra não bater nela, existe agressão verbal de ambas as partes, se ela xinga, provoca a ponto de te fazer sair do controle... saía desse relacionamento o mais rápido possível, ele já chegou ao fim e vc não percebeu.  É tipo o caso da Maria do Presidiário e o Bolsonaro, elas vão lá... Provocam, partem pra cima e faz de tudo para te tirar do sério, para que vc reaja e depois termine como o vilão da história, quando o homem agride a mulher ele perde toda a razão, é difícil eu sei, mas se afaste e deixe a maluca batendo a cabeça na parede sozinha, depois com mais calma vc coloca um ponto final, porque se o relacionamento chega ao ponto de vc cogitar a possibilidade de bater na mulher é porque já não tem como continuar, termine porque é daí pra pior. 

Obrigado confrades pelo feedback. 
Abraço. 
Que relato cabuloso. Você é um Titan @Escobar Ps: também vejo cafageste um cara que mente muito para ter o que quer.
Responda-o
#50
Apesar do Awaken ter escrito bem, concordo com muito pouco do que ele disse no que tange ao relacionamento do Escobar com essa garota.

Sabedoria só funciona quando a outra parte a tem, caso contrário, só pulso firme. NÃO TEM JEITO. Já tentei ser o bonzinho, conversar, etc, mas não funciona se a mulher for uma anta racional que só tem emoções. Elas não se alinham, não se enquadram, esse tipo precisa de um pulso firme e autoritário. (não digo tirânico, mas de autoridade forte).

Às vezes, se Escobar tivesse dado um corretivo e retirado ela da faculdade/emprego, ela seria casada, mãe de 3 filhos e não estaria Msol morando na casa dos pais. Bastava ter obedecido o marido, mas quis pagar de empoderada e não foi impedida.

Escobar não mentiu e não jogou, foi simplesmente quem ele era. Disse que ia mudar e mudou. Seu erro? esperar coerência, o que pra variar não aconteceu e raramente acontece.

A mulher realmente era fraca da cabeça, maria vai com as outras e se ele cedesse isso ia virar hábito e só traria mais problemas, ele se tornaria a maria vai com as outras e seria mais desrespeitado. (inclusive pelas amigas).

Talvez a solução seria colocá-la para exercitar uma vida intelectual desde cedo, neste caso, pode ser que algo diferente ocorra. (Mas já tentei isso e tb deu errado, dava livros, estimulava a leitura, etc, mas a garota em específico gostava da ignorância).

Escobar, estou contigo, sou católico, mas conheço a realidade da psiquê feminina. Elas amam ser protegidas, tratadas como crianças, subjugadas e bancadas no bom sentido. O mais importante é o homem se auto conhecer, desenvolver e aprender a utilizar do seu poder quando necessário e sem polarizar. Awaken tem razão apenas no que tange a busca pessoal da sabedoria, equilíbrio e evitar o adultério; embora na prática da natureza, há muito mais possibilidade de vc procriar e ter uma tribo, enquanto ele, com essa conversa bonitinha, está mais propenso a viver no celibato e a ser professor dos seus filhos.

No mais tenho experiências parecidas com a do Escobar, de levar pra casa, ser pulso firme e depois aliviar. TODAS AS VEZES QUE ALIVIEI DEU MERDA. Cheguei a dar uns corretivos na bunda de 2 últimas ex's e quando o fazia, elas agradeciam, beijavam minha mão e ficavam um doce, quando tentava levar muito na conversa se tornavam crianças idiotas. Tudo bem que elas eram idiotas, mas é melhor idiota casada e com filhos do que solta por aí engravidando, depressiva e vendendo fotos do rabo na internet pra se sustentar (como é o caso de uma delas, que comigo mal precisou trabalhar, isso se ela não fizer coisas piores pra sustentar o boneco, já que o pai não dá assistência total). No fundo as leis feministas estão fodendo a vida das mulheres: Quanto mais pregam a igualdade e dizem libertá-la, maior a quantidade de anúncios de prostituição. Hoje uma mulher maneira de 18 anos custa 150,00, antigamente custava um casamento e não podia separar.

Agora me digam, tem como ser pró igualdade, empoderamento, liberdade feminina, se todas as vezes que alguém é muito democrático termina tomando no cu? Como? 

Sei que estou me referindo a um Escobar que nem existe mais, mas os comentários/relatos servem para os novatos: Não acreditem em teorias modernas, psicólogos de relacionamento. A grande verdade é que HOMEM TEM QUE SER HOMEM. E isso requer a busca dos arquétipos de guerra, sabedoria e sacerdócio. Tenham pulso.

Feminismo só funciona pra quem sabe usar a liberdade, pra muitas não funciona.


Nenhuma mulher é mais bonita que a liberdade.


Responda-o
#51
Relato pra imprimir e colocar na parede do quarto.

Obrigado @Escobar por compartilhar conosco essa experiência.
"Antes de mas nada, saiba que você morrera e sera esquecido. Portanto, Busque  a felicidade dentro de sua alma e não fora. Entregue-se ao seu espirito. Somente ele estará com você depois da morte." (Nessahan Alita)

Spoiler Revelar
"Desenvolver apenas algumas camadas, negligenciando outras, mais cedo ou mais tarde, a vida cobrara o preço da negligencia." (Mandrake)

"Como eu sempre digo, o homem que não conhece a Real sempre acaba se dando mal." (Conde de Monte Cristo)
Responda-o
#52
Tô só marcando aqui pra ler esse relato aqui de Novo. É a parte 1.
Responda-o
#53
"Então a mãe de Patrícia começou a pressionar, não dava trégua, as vezes chegava na casa da minha mãe fazendo escândalo por que Patrícia estava lá comigo, ela tinha medo de que ela terminasse como a irmã, mãe solteira. Então eu Cabação assumi a bronca e chamei Patrícia para morar comigo, eu tinha 20 anos na época e ela 17. Eu tinha um fusquinha e uma mobilete daquelas moedor de cana, tinha uma mentalidade de Homem para correr atrás das minhas coisas, mas em contra partida tinha um pensamento fraco em relação a desenvolvimento pessoal, achava  que era novo e precisava me divertir, aproveitar a juventude, era muito de farra e esses eventos nos finais de semana me abria oportunidade de pegar muita vagabunda, de curtir e conhecer gente nova,  socializar,  e eu não pensava nas consequências. Deixava Patrícia em casa e caía na bagaceira todo o final de semana, não à levava e nem permitia que ela fosse  atrás de mim, chegava em casa e ela estava com a cara inchada de chorar (por incrível que pareça, isso não me comovia), sabe porquê? Porque ao mesmo tempo que ela descobria traições, levava perdido e parecia triste, SEMPRE no final da noite ela se entregava de forma inteira e apaixonada, mesmo com tudo isso, ela NUNCA cogitou a possibilidade de separação, estranho não? Pois é, eu me sentia como um adolecente infrator, que faz as cagadas e sabe que não vai ser  punido, pelo contrário, eu era recompensado com sexo de ótima qualidade, casa limpa, comida pronta, meu barraco era pobre confrades, mas era limpo e organizado, minhas roupas eram lavadas e muito bem passadas.  ela era uma esposa maravilhosa. Apesar de parecer triste pelas coisas que passava, em alguns momentos parecia sentir orgulho, fazendo comentários do tipo: "

"A segunda metade da vida de um homem é composta de hábitos acumulados durante a primeira metade" Fiodor Dostoiévski
Responda-o
#54
Uma pessoa que é capaz de aceitar traição, é capaz de qualquer coisa
Oitavo anjo do apocalipse
Responda-o
#55
Quase todo relacionamento que vi de perto, tendo o homem como pegador de vagaba por fora, e a mulher no papel de coitada submissa que se esforça pra prender o macho que ela sabe que a trai, envolve, de um lado, um imaturo, egoísta e inconsequente, e do outro uma pessoa com baixa auto-estima que não se valoriza.

Se o cara não se emenda, mais cedo ou mais tarde, é trocado na primeira oportunidade da hipergâmica, ou leva chifre de vingança. 

Se o cara muda de proceder, acontece o que houve no relato: a mulher se sente no controle, por cima, segura, e passa a cagar e andar, ou por ressentimento pelo passado, ou por desestímulo e desinteresse na relação, que ela já não valoriza mais.

Ou seja, de um jeito ou de outro, nesses relacionamentos disfuncionais desde o começo, melhor coisa é terminar o qto antes, porque lá na frente chega a conta. É certeza que vai dar merda.
Pelo poder da verdade, eu, ainda vivo, conquistei o universo
Responda-o
#56
(17-09-2018, 12:26 PM)Escobar Escreveu:
Spoiler Revelar
Excelente relato, e em minha opinião um dos top 10 da Real. Na verdade é a terceira vez que leio, e agora com mais calma e tempo irei tecer minhas opiniões.

O relato abrange diversos temas e mostra a Real comprovada na prática.

A importância do papel do Pai: Pelo que entendi seu pai lhe ensinou valores masculinos, uma coisa que infelizmente é escassa hoje em dia. Tanto é que vemos os resultados: jovens com depressão, criados só com mãe, dependente de remédios psicoativos tarja preta, e muitas vezes sem precisar realmente, etc.

Um exemplo aqui:




Diante de todas as dificuldades que citou, facilmente você poderia ter sucumbido a essas "patologias modernas", mas não, foi lá e encarou o problema de frente de forma prática, ganhando dinheiro e conseguindo suas coisas, com vontade e coragem.

Educação Financeira: Se tivesse na época um melhor conhecimento financeiro estaria vivendo de renda ou perto disso. Mas tem um bônus, pois naquela época (98/99) nem Google tinha ainda e a internet estava 'engatinhando'. Para se achar um tema para pesquisar não era só digitar, tinha que navegar por temas até encontrar o assunto desejado. Curiosamente hoje é só digitar o que quer saber que já aparece um monte de resultados, mas sabe-se lá por que, muitas pessoas tem preguiça de fazer isso.

Na lida com a mulher: Desde os primórdios da Real há uns 8 anos atrás se não me engano, é falado sobre a atração que elas sentem por 'cafajestes', e a vontade de querer domá-los, fazendo-as se esforçar para conseguir isso, mas, em contrapartida, se atingissem seus objetivos o jogo perderia a graça e perderiam o respeito pelo macho que se deixou domar. A meu ver foi isso que aconteceu com você, pois o que acho mais louco é que ela tinha motivos de sobra para lhe deixar e não o fazia. Depois que se tornou mais correto, culminou em brigas por assuntos fúteis:

Citação:Se você quiser comida, faça você mesmo, se quiser louça lavada levanta a sua bunda do sofá e vá lavar, eu não sou a sua empregada. Foi jogar bola com as amiguinhos e quer comidinha pronta? Vai tomar no seu cu. 
Me mastrou o dedo do meio e disse: aqui pra você: (.I.) 

[Image: dedo.jpg]

Só quero reiterar que eu nunca fui cafajeste, como foi citado por alguns confrades, se a mulher gosta de cafajestes é um problema exclusivo delas, eu disse no relato o seguinte: 

Citação:Confrades, uma coisa que eu prezo muito é a palavra, até então, eu nunca havia dito a ela que iria mudar, nunca prometi fidelidade, sempre fui sincero e deixava a escolha de continuar ou não, nas mãos dela.

Eu nunca menti, nunca enganei mulher nenhuma na minha vida, sempre fui sincero e deixo / deixava as escolhas de se envolver ou não com elas.  (Isso ao meu ver não é ser cafajeste). 

Eu tenho uma visão de que cafajeste é um cara que mente pra conseguir o que quer, diz que quer ter um relacionamento sério quando na verdade só quer comer, menti dizendo várias coisas que elas gostam de ouvir pra faturar uma trepada, eu não faço isso.  Se a mulher se envolve comigo o faz sabendo exatamente quem eu sou e como eu penso. Se eu falar que serei fiel eu vou ser, se eu não quiser um relacionamento sério eu vou falar, pra depois não vir com choradeira me cobrando coisas que  eu sei que não vou cumprir, igual foi o caso do relato, ela sabia e sempre soube que eu era um molecote inconsequente que na ÉPOCA era muito novo e tinha uma visão completamente distorcida do que era a vida.  

Ela ficou porque ela quis, nunca foi obrigada a nada, e no fundo era isso que ela queria, tanto é... Que depois da minha mudança de postura em relação ao relacionamento ela também mudou a postura dela.  

Quando eu era inconsequente ela era uma mulher doce, gentil, submissa e delicada e depois se tornou um demônio de saía, quando eu chegava em casa parecia que estava entrando no filme o Exorcista dos anos 70, me deparando com uma mina louca, possuída que só faltava girar a cabeça, 360 graus vomitando uma gosma verde na minha cara.  


E outra coisa para os confrades que estão em algum relacionamento, se vc esta com uma mulher e em uma discussão vc se controla pra não bater nela, existe agressão verbal de ambas as partes, se ela xinga, provoca a ponto de te fazer sair do controle... saía desse relacionamento o mais rápido possível, ele já chegou ao fim e vc não percebeu.  É tipo o caso da Maria do Presidiário e o Bolsonaro, elas vão lá... Provocam, partem pra cima e faz de tudo para te tirar do sério, para que vc reaja e depois termine como o vilão da história, quando o homem agride a mulher ele perde toda a razão, é difícil eu sei, mas se afaste e deixe a maluca batendo a cabeça na parede sozinha, depois com mais calma vc coloca um ponto final, porque se o relacionamento chega ao ponto de vc cogitar a possibilidade de bater na mulher é porque já não tem como continuar, termine porque é daí pra pior. 

Obrigado confrades pelo feedback. 
Abraço. 

Mas isso é sensacional, é uma pérola, é um achado, o destino é uma vadia mesmo trollface
Responda-o
#57
(24-07-2022, 01:58 PM)Penoso Escreveu: Mas isso é sensacional, é uma pérola, é um achado, o destino é uma vadia mesmo trollface

Nunca diga nunca trollface
Responda-o
#58
(08-02-2018, 01:22 AM)Rozyzz Escreveu: Confrade @Escobar, mais uma prova que as mulheres quando conseguem domar um cafa , perdem o encanto no parceiro.No meu relacionamento passado, no início do namoro eu fui uma viagem com amigos e não fui com ela, ia em baladas sozinho e ela sempre correndo atráz .A partir do momento que me  decide me entregar no relacionamento por achar ela ser uma garota digna pra namorar sério ( pior Burrada) o sexo começou a perder qualidade e quantidade, não dava satisfação de onde ia, enfim após ela me domar perdeu o encanto.
Fica minha observação, apesar de meu relacionamento ser totalmente diferente e mais curto que o seu.
O lado bom é que não teve nenhum filho nessa gravidez.

Ainda bem, quando a mulher engravida e é um filho é um saco.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 2 Visitante(s)