Avaliação do Tópico:
  • 18 Voto(s) - 2.89 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Seção Nelson Rubens - Notícias Diversas
#81
Estranho Brasília ser a primeira. Mas pensando bem, lá a política movimenta muito dinheiro, talvez seja isso!
A luz dissipa todas as trevas!
Responda-o
#82
O que vai ter de cara acreditando que a mulher "se cadastrou por engano" não é brincadeira...
.
Responda-o
#83
Em breve os advogados de divórcio irão encher o cu de dinheiro. Só faltava haver um mutirão para divórcio coletivo.
"Qui desiderat pacem, praeparet bellum" - Vegetius
Responda-o
#84
Estudante de TI ganha prêmio por ser a ‘universitária mais vadia do Reino Unido’


Citação:Elina Desaine, de 20 anos, ganhou 500 libras e um suprimento de um ano de camisinhas ao vencer uma competição do controverso site de encontros Shagatuni. A aluna da Universidade de Exeter disse não saber os nomes de todos os parceiros sexuais, mas tenta anotar em uma lista com descrições como “garoto francês”.


Fonte : http://www.noticiasbizarras.com.br/estud...ino-unido/
.
Responda-o
#85
Mulher faz ‘retrato falado’ a procura de homem que a engravidou
http://www.noticiasbizarras.com.br/mulhe...engravidou

[Image: retrato-falado-bizarro.jpg]
Responda-o
#86
Pílula do dia seguinte antiaids começa a ser distribuída hoje!

O uso unificado da "pílula do dia seguinte" para aids começa a valer a partir desta quinta-feira, 24. Com a publicação no Diário Oficial da União do novo protocolo de diretrizes terapêuticas, todas as pessoas que tiverem enfrentado uma situação de risco para o vírus HIV passam a ter acesso aos medicamentos antiaids em qualquer serviço especializado.

A profilaxia pós-exposição, como o tratamento é chamado, é indicado para todos que tiveram risco de contato com o vírus causador da aids. Isso pode acontecer tanto num acidente ocupacional, como médicos ou enfermeiros que tiveram contato com sangue de paciente, quanto com vítimas de violência sexual ou pessoas que tiveram relação sexual desprotegida. Para ter eficácia, no entanto, o tratamento, feito ao longo de 28 dias, tem de ter início no máximo até 72 horas após a exposição ao vírus. O ideal é que o ele seja iniciado nas primeiras duas horas após a exposição.

O objetivo da nova estratégia é facilitar o acesso e, principalmente, evitar a recusa de alguns serviços de fornecer a terapia, eficaz para prevenção da doença. "Antes da mudança, havia o entendimento incorreto de que um serviço especializado poderia atender apenas a um grupo determinado", afirmou o diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Fábio Mesquita.

Com isso, serviços que prestam atendimentos a vítimas de violência, por exemplo, alegavam que só poderiam fornecer remédios às mulheres ali atendidas. "A maior parte das recusas ocorria para pessoas que recorriam ao serviços depois de manter relações sexuais desprotegidas", completou Mesquita.

O Ministério da Saúde não tem estimativa de qual será o impacto da mudança. Para facilitar o acesso aos serviços, o Ministério vai lançar um aplicativo em dezembro com orientações sobre os postos mais próximos de distribuição. Além de centros de serviços especializados em DST-Aids, em algumas cidades antirretrovirais são fornecidos também em unidades de emergência. "Nos casos de serviços 24 horas, a distribuição de medicamentos não é feita para 28 dias. Os serviços dão o suficiente para três ou quatro dias de terapia e pedem que o paciente retorne, num segundo momento, para pegar o restante."

A terapia começou a ser ofertada no Sistema Único de Saúde nos anos 90, inicialmente para profissionais de saúde que tiveram contato com materiais contaminados ou sob risco de contaminação. Em 1998, a terapia foi estendida para vítimas de violência sexual e, em 2011, passou a ser ofertada também a todos os que tiveram uma relação sexual desprotegida.

Conferência

Mesquita, que está na Conferência Internacional de Aids, em Vancouver, no Canadá, contou que neste ano o Brasil definirá a estratégia para outra forma de prevenção à doença: o uso dos antiaids antes da relação sexual desprotegida. Neste caso, em vez de "pílula do dia seguinte", os remédios agiriam como uma "vacina".

Hoje, dois estudos estão em andamento, para verificar a adesão de voluntários. "A eficácia da terapia pré-exposição está comprovada. O que observamos é o comportamento de pacientes voluntários, se eles mantêm o uso de remédios, se aprovam a estratégia", contou. Resultados de estudo conduzido na Fiocruz foram animadores. A ideia é definir se a estratégia pode ser incluída no programa brasileiro a partir de 2016.




link: https://br.noticias.yahoo.com/p%C3%ADlul...00552.html
"Se você se apega ao passado, está destinado a revivê-lo todos os dias."  Autor desconhecido
Responda-o
#87
(23-07-2015, 01:21 AM)Thanatos Escreveu: O que vai ter de cara acreditando que a mulher "se cadastrou por engano" não é brincadeira...

Também acho que vai acontecer isso...se bobear vão dizer "foi sacanagem das minhas amigas que fizeram uma pegadinha comigo" e o cara vai acreditar. Tem cara que casa com GP e se relaciona com os mais variados tipos de vadias, um cadastro num site não é o problema e sim a falta de bolas dos caras atuais...
Responda-o
#88
O cara é expulso por uma acusação de estupro, tem evidências de sua defesa e de nada adianta...
Student Expelled for Rape Has Evidence He Was the Victim. Amherst Refuses to Review It.
Fonte : http://reason.com/blog/2015/07/20/studen...evidence-h

Feminazi fica louca ao ser comparada com uma nacionalista
[Image: feminist_vs_nationalist_810x385_1.jpg]
Fonte : https://www.swedishweekly.com/feminist-g...tionalist/
.
Responda-o
#89
Elas estão cada vez mais precoces:


Adolescente de 13 anos tira roupa durante baile funk em garagem de policial


O baile aconteceu na garagem do imóvel que pertence a um policial civil. Ele aluga o local para a realização de festas, mas não possui o alvará de funcionamento


23/07/2015


[Image: 485863785-menor-pelada.jpg]

Uma menina de 13 anos foi flagrada dançando nua durante um baile funk em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Um vídeo gravado por um celular durante a festa mostra menina pelada dançando em cima do palco.

Assistindo às imagens também é possível ouvir alguém ao microfone incentivando a atitude da garota. Mas o DJ Gersinho, um dos profissionais que tocou na festa naquela noite, nega que a jovem tenha sido induzida a tirar a roupa. "Ninguém a obrigou a subir no palco ou incentivou a tirar uma peça".

O baile aconteceu na garagem do imóvel que pertence a um policial civil. Ele aluga o local para a realização de festas, mas não possui o alvará de funcionamento.

O vídeo, que foi publicado nas redes sociais e ganhou grande repercussão, mostra alguns participantes da festa tentando tocar a menina. Mesmo assim, a adolescente não se intimidou e continuou dançando.

Uma testemunha afirma que não é a primeira vez que um evento desse tipo acontece no local. "É uma festa open bar, regada a bebida e drogas, é tudo liberado. A atração no palco, é com estimulação dos DJs. Eles chamam elas para subir no palco para dançar e algumas vezes até estimulam com dinheiro caso queiram dançar sem roupa".

A Polícia Militar foi acionada para apurar a existência do vídeo e realizar o levantamento de provas contra o dono do imóvel. O Conselho Tutelar também vai apurar o caso. 

http://www.folhavitoria.com.br/policia/n...icial.html
O que me preocupa não é nem o grito dos esquerdistas, das feminazis, das mães solteiras, dos corruptos, dos maconheiros, dos cachorrentos, dos LGBTs, dos sem caráter e sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons.
Responda-o
#90
Notícia repetida, veja aqui (último post da página):

http://legadorealista.net/forum/showthread.php?tid=7



Responda-o
#91
Por mim que divulgue. Quem é corno no fundo sabe e só não quer acreditar. Mulher quando trai fica mais fria e dá alguns sinais sutis e o cara quase sempre nota uma diferença, mas por estar tão fundo na matrix desconsidera a hipótese de traição e pensa que não é nada demais.

Se divulgarem, muitos vão levar um soco na cara por serem tansos. E ainda vão ter os amantes que vão fechar o cu de medo de algum mangina perder a cabeça. Deixe que essas escórias se matem.
Responda-o
#92
No HuES, a putaria está tão escancarada que a gente já vê a Real estampada nos jornais:

Adolescentes vão a festas com rodas de sexo
Juíza e conselheiro tutelar dizem que há jovens que enganam pais para ir a encontros com orgias sexuais até durante o dia

Reportagem Especial

VITÓRIA, ES, QUARTA-FEIRA, 22 DE JULHO DE 2015

Sem pensar nas consequências, adolescentes estão enganando os pais para ir a festas com roda de sexo. Os encontros acontecem em festas particulares e até mesmo dentro de alguns motéis na Grande Vitória. Para não levantar suspeitas, os encontros são marcados durante a tarde ou, no mais tardar, até 22 horas, horário em que coincide com o fechamento de shoppings.

Recentemente, o conselheiro tutelar Ronaldo Correia Almeida, da região III e IV (grande Paul e grande Cobilândia), em Vila Velha, recebeu denúncias de que grupos de adolescentes, até mesmo de classe média alta, estão participando de orgias sexuais.

Ronaldo disse que, pelas denúncias, pais levam os filhos em determinados locais e marcam de buscá-los mais tarde. “Eles marcam os encontros pelas redes sociais, são deixados em shoppings ou condomínios de amigos e esperam um tempinho para sair.”

Agora ele vai passar as denúncias para os conselhos tutelares das regiões onde isso está acontecendo. “Eles mentem para os pais dizendo que vão para o cinema, praça de alimentação, e os pais acreditam. Alguns pais ligam para o celular para saber se está tudo bem e eles mentem descaradamente”, destacou o conselheiro.

A juíza titular da 1ª Vara da Infância e Juventude de Cariacica, Fabrícia Calhau Novaretti, contou que um grupo de cinco adolescentes também mentiu para os pais e foi para um motel. O caso só foi descoberto porque uma adolescente teve um sangramento durante o ato sexual e uma amiga ficou desesperada e gritou, achando que a jovem estava morrendo.

“A adolescente confessou que foi escondida no porta-malas do carro. O pai falou que não sabia e achava que a filha estava dormindo na casa de uma amiga.”

Diante das denúncias, a reportagem foi para as ruas ontem e não teve dificuldades em encontrar jovens que admitiram que “a situação é mais comum do que se imagina.” Um jovem relatou: “Nossa, isso é o que mais acontece. Eu mesmo já participei de muitas rodas de sexo, mas agora casei e dei um tempo. Normalmente, os adolescentes não usam drogas e nem bebem para não serem desmascarados pelos pais.”
Taxistas também disseram que essa prática acontece principalmente nas férias.

ADOLESCENTE 16 ANOS
“Rola de tudo nesses encontros”

Com tranquilidade e sem demonstrar constrangimento ao falar sobre o assunto, um adolescente de 16 anos revelou que vários amigos participam de festas com roda de sexo.

Ele revelou que algumas festas aconteciam em sua própria casa, organizadas pelo irmão de 17 anos.

“Não tem horário para acontecer e rola de tudo nas festas. Conheço muitas meninas que mentem para o pai e a mãe e se fazem de santa. Dizem que estão indo para o shopping ou estudar na casa de amigos.”

O adolescente conversou com a reportagem ao lado da namorada, também de 16 anos. Ela confirmou que conhece várias amigas que participam dos encontros com sexo.

Como são organizadas essas festas?
Às vezes,são pessoas que se conhecem em festas ou baile funk e marcam pelas redes sociais de se encontrarem na casa de alguém. Em outras vezes, são amigos mesmo que arrumam meninas dispostas a fazerem sexo e vão chamando outras pessoas. Sempre com o número maior de meninos, que fazem sexo com uma ou duas meninas, que estão lá para isso mesmo.

As meninas também são menores de idade?
Sim. Entre 12 e 16 anos, geralmente. Elas se fazem de santas para os pais. Dizem que vão para o shopping, cinema, fazer trabalho ou dormir na casa de amigas, mas, na verdade, estão indo para esses encontros.

O que acontece lá?
Rola de tudo nessas festas, sexo e drogas. Quem organiza chama alguns amigos também e quem quiser participa lá na hora. As meninas quando vão sabem o que vai acontecer. Não tem nada forçado.

Já foi a alguma?
Tenho muitos amigos que participam e já presenciei várias, pois muitas são na minha casa. Mesmo assim, não participei na hora do sexo. Em uma das festinhas do meu irmão chegou a ter nove homens e uma menina só. Mas elas só fazem porque gostam mesmo.

Mas não tem ninguém em casa?
Na verdade, acontecia nos horários que a minha mãe estava no trabalho. Meu irmão organizava. Chamava umas meninas e, quando aceitavam, ele ligava para amigos.

Não acontece mais?
Em casa agora é muito difícil de acontecer, pois estamos morando com o meu pai há alguns meses.

As festas têm horário para acontecer?
Não. Às vezes é de dia ou então de noite, tanto faz.

As pessoas usam camisinha?
Algumas, mas nem todas.


Até dança da garrafa

Admitindo que cinco amigas participam de rodas de sexo,uma jovem de 21 anos contou os bastidores do que rola no que ela chamou de “festinhas ”. “Rola muita criatividade. Tem até a dança da garrafa. Papéis são colocados dentro das garrafas com várias palavras, como abraço, beijos, striptease e rodada de sexo, sem camisinha.”


A jovem disse que suas amigas não sentem receio de mentir para os pais. “Elas dizem que vão ficar na casa de amigas, que vão estudar, mas aprontam de tudo.”

Garota pagou contas

Um taxista de 67 anos contou que, enquanto levava um grupo de cinco adolescentes para um motel, um fato lhe chamou a atenção. “Quem pagou a corrida e o motel foi uma adolescente. Mas essa não foi a única viagem que fiz. Já devo ter levado cinco grupos para o motel ou para festinhas particulares.”


Dizendo-se abismado com a situação, ele aproveitou para contar que tem uma filha de 34 anos, mas que a acompanha em todos os lugares aonde ela vai.

ENCONTROS ESCONDIDOS

“É preciso monitorar”, diz delegado

Pedindo que denúncias sejam feitas, o titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), delegado Lorenzo Pazolini, aproveitou para mandar um recado aos pais para evitar que sejam surpreendidos por atitudes indesejadas.

“A nossa primeira orientação é o diálogo, mas também é preciso que os pais monitorem seus filhos. Recomendamos aplicativos em
celulares que permitem a localização precisa, sem que eles saibam.”

O delegado destacou que motéis podem ser responsabilizados por permitirem o acesso de adolescentes ao local. A pena prevista é de
multa de três (R$ 2.364) a 20 salários mínimos (R$ 15.760). Na reincidência, o estabelecimento poderá ser fechado por até 15 dias.

Ele disse ainda que, mesmo se for com o consentimento, adolescentes com mais de 14 anos que estiverem participando de roda de sexo com
menores de 14 anos podem responder por estupro de vulnerável.

A titular da 1ª Vara da Infância e da Juventude de Vila Velha, Patrícia Pereira Neves, disse que deixar os filhos em um local para depois buscá-los não é garantia de nada.

“Os pais têm de ser mais espertos e até citar exemplos como esses, de encontros de adolescentes para roda de sexo. Eles podem deixar claro que não estão desconfiando do filho, mas que poderão aparecer de surpresa em determinado local.”

Quem também aconselha que os pais observem o comportamento de seus filhos é a juíza Fabrícia Calhau Novaretti, titular da 1ª Vara da
Infância e Juventude de Cariacica.

“É claro que não existe receita. Mesmo com fiscalização, pode haver falhas. Não é na adolescência que o pai vai conseguir mudar algo. Essa construção começa na base, na infância mesmo. É natural o adolescente se arriscar, mas quando ele extrapola, como ir para motel e fazer orgia, certamente deixará pistas. Se o pai estiver atento ele vai perceber algo estranho, que chegou com um cheiro diferente, com cabelo molhado.”

Ela defendeu que os pais não deixem de impor limites e, diante de excessos dos filhos, que não deixem de agir, por exemplo, tirando a
mesada, não permitir que ele participe de uma festa que tanto deseja.

Como mãe, ela deu o seu exemplo: “Os pais devem ter contatos dos amigos dos filhos e conhecê-los. Faço isso e ainda acompanho a
minha filha em todos os shows.”
O que me preocupa não é nem o grito dos esquerdistas, das feminazis, das mães solteiras, dos corruptos, dos maconheiros, dos cachorrentos, dos LGBTs, dos sem caráter e sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons.
Responda-o
#93
(23-07-2015, 03:47 PM)Morphix304 Escreveu: Notícia repetida, veja aqui (último post da página):

http://legadorealista.net/forum/showthread.php?tid=7

Foi mal confrades, não tinha visto o outro tópico.



Responda-o
#94
Uma notícia que saiu quando o fórum tava off que logo de cara imaginei os comentários por aqui. 

Só mostra que as coisas são simples de resolver e tudo pode ser melhorado. Também mostra como professor é tudo esquerdistas e não dá a mínima para melhora de estudo e disciplina dos alunos, mas fazem greve todo mês para querer aumentar o salário.

http://oglobo.globo.com/sociedade/polici...r-16590532


Citação:MANAUS - Pintados de branco e azul, os muros da Escola Estadual Professor Waldocke Fricke de Lyra, na zona oeste de Manaus, em nada lembram as pichações que antes estampavam as paredes. Os alunos só saíam para o intervalo com a mochila nas costas, por medo de serem roubados pelos próprios colegas. Nos banheiros, vasos entupidos com o descarte das carteiras de dinheiro furtadas. Brigas no pátio, armas brancas circulando e uso de drogas completavam o cenário.

A violência que sempre marcou o bairro Tarumã, fruto de invasões e considerado hoje uma “área vermelha” da capital amazonense devido aos altos índices de criminalidade, havia ultrapassado os muros do colégio. Em 2012, a pedido do governo estadual, a Polícia Militar assumiu o controle da escola, que passou a se chamar 3° Colégio Militar da PM Professor Waldocke Fricke de Lyra, que atende cerca de 2 mil alunos dos ensinos fundamental e médio.



A mudança veio acompanhada de uma reforma na estrutura física e de uma gestão “linha dura”. Farda e horário rígido para entrar. Para sair, só quando todas as tarefas forem finalizadas. A ordem é tirar a bateria do celular depois de entrar na escola. Se flagrado usando o aparelho, o aluno terá que esperar até o bimestre seguinte para reavê-lo. O coronel aposentado Rudnei Caldas, responsável pela implantação das regras, diz que pais e professores chiaram no início, mas ele não arredou pé.
Hoje, ao passarem pelos policiais armados que atuam como inspetores nos corredores, estudantes endireitam a coluna e batem continência. A rotina nos rígidos moldes militares inclui gritos de guerra antes de iniciar a jornada, além de distribuição de distintivos e de patentes para quem tem notas de destaque. Indisciplinas reiteradas levam à expulsão. Só nos cinco primeiros meses de 2015, cinco foram desligados por não se adequarem. O corpo docente também mudou, e a maioria dos professores antigos deixou a escola.

— Sei que há uma corrente na educação resistente ao nosso modelo, mas acho que, para o nosso público, vindo de uma desestrutura familiar e carência social muito grande, ele faz a diferença — diz o coronel.

De 2011 para 2013, a escola deu um salto no Ideb. Nos anos iniciais do ensino fundamental, a média passou de 3,3 para 6,1. Nos finais, foi de de 3,1 para 5,8. O índice de reprovação, de 15,2% em 2012, foi zerado no ano passado.
A melhoria no desempenho apareceu também nas Olimpíadas de Matemática das Escolas Públicas (Obmep)

Órfã de pai desde os 8 anos e filha de uma motorista de ônibus, Jennyfer da Silva Veloso, de 16 anos, levou o bronze e uma menção honrosa na competição. Ela foi aprovada em primeiro lugar no vestibular da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), onde começou a cursar matemática este ano.

Ela conta a dificuldade de se adaptar na transição da escola para o regime militar e lembra do primeiro dia da mudança.

— Eu estava com o cabelo pintado, usava piercing no nariz, tinha franja. Fomos levados para a quadra, nos explicaram tudo. Tive que tirar esmalte, prender a franja. Com o tempo, me acostumei e percebi que, aqui, realmente o que importa é o conhecimento, e não a aparência. A escola melhorou muito no novo modelo.
Outro medalhista foi Yuri Macedo Michele, que garantiu a primeira medalha de ouro da escola na Obmep. Tímido, o garoto de 13 anos, aluno do 8º ano, fala da felicidade dos pais — a mãe dona de casa e o pai vendedor em uma fábrica de sorvetes — com a conquista. Entre os colegas, a popularidade do “aluno olímpico”, como são chamados os estudantes que se preparam no contraturno das aulas para as competições, aumentou.

POUCOS PROFESSORES PERMANECERAM

Parte da equipe de aproximadamente 60 professores efetivos que atua nos três turnos, Maria do Rosário de Almeida Braga, de 54 anos, diz que é uma das poucas educadoras que continuaram no colégio depois que a PM assumiu o controle.
— Aqui só fica professor que quer trabalhar. Há exigências para o aluno e para o professor também. Mas o retorno é muito grande, inclusive financeiro — diz Maria do Rosário.
[img=1x0]https://ras.reamp.com.br/pxl?znid=36095&dvrtsrd=1257&cb=1501488372[/img][img=1x0]http://ads.globo.com/RealMedia/ads/adstream_lx.ads/ogcoglobo8/sociedade/materia/L28/1501488372/x21/ocg/6736-1_fiat_150713_OGlobo_ROS_Ret_1304/FIAT_Varejo_Nacio_Jul_Awareness2_2015_globo_ROS_Ret_calendario.html/73524b3153315779496f6741426a6b51?_RM_EMPTY_&entidade=Jennyfer%20da%20Silva%20Veloso-Universidade%20Estadual%20do%20Amazonas-policia%20militar-Manaus-Obmep-olimpiadas-Yuri%20Macedo%20Michele-Ideb-Associacao%20de%20Pais%20e%20Mestres%20e%20Comunitarios-UEA-Rudnei%20Caldas-APMC-Escola%20Estadual%20Professor%20Waldocke%20Fricke%20de%20Lyra-Taruma-Lyra-Escolas%20Publicas-Colegio%20Militar-Maria%20do%20Rosario%20de%20Almeida%20Braga&idArtigo=16590532[/img]
A professora se refere a dois salários extras pagos pelo governo amazonense a todos os funcionários caso a escola atinja metas de qualidade do ensino, alcançadas desde o primeiro ano de administração militar. Além da recompensa individual aos servidores, o colégio recebeu, em 2015, R$ 170 mil do estado em virtude dos resultados conquistados no último Ideb.

Os recursos vão para a Associação de Pais e Mestres e Comunitários (APMC) do colégio e são destinados a bancar projetos, comprar equipamentos e contratar professores. Hoje, há 23 educadores pagos pela associação que reforçam o quadro efetivo da escola, além de dentista, assistente social, psicóloga. Cada aluno contribui com R$ 20 por mês para a entidade, a menos que a família peça isenção por não ter condições financeira.
Responda-o
#95
Relevantíssima iniciativa! É sabido e consabido que só a disciplina nos eleva (vide tópico do Loki), então nada mais correto do que colocar ordem no galinheiro, premiar o mérito e punir o erro, com objetivo de ensinar.

Apóio totalmente e, por mim, o modelo devia ser seguido em outras instituições.
"E, se tiver de cair, caia com os revólveres fumegando." - Roland Deschain
Responda-o
#96
Façam minhas as Palavras do " Ronald Deschamps" ...
" Não confundam Grande Obra Prima do Mestre Picasso com Grande Pica de Aço do Primo do Mestre de Obra ..."
Responda-o
#97
http://www.ararunaonline.com/noticia/171...-televisao

Vejamos como nossa adorável "mulher sapiens" PresidentA se sairá.
"E, se tiver de cair, caia com os revólveres fumegando." - Roland Deschain
Responda-o
#98
Goleiro da seleção brasileira de polo é acusado de abuso sexual durante Pan

- Thye, acompanhado de um amigo (não identificado), teria ido à casa da vítima no dia 16 de julho. O horário não foi informado, mas o crime teria ocorrido durante a madrugada ou pela manhã. Lá, teria se aproveitado que a mulher estava dormindo e abusado sexualmente da vítima. Na sequência, fugiu do local. 

- Thye não estaria usando o uniforme do Time Brasil no momento do crime. A vítima, no entanto, teria reconhecido o goleiro e feito a queixa. Segundo a inspetora, a polícia tem 100% de certeza sobre o envolvimento do atleta no caso.

http://globoesporte.globo.com/jogos-pan-...e-pan.html

Atentem as palavras marcadas, e vejam o feminazismo canadense em prática.
O clichê é imortal. É infinito. É onipresente. Conforta os medíocres e protege os cagões. (Marcello Serpa)

[Image: s2uY1YnJN_X8XF7H6uiNfL-o3T8qgFTKBWvilqd_AMI=w400-h60-no]
Responda-o
#99
(24-07-2015, 04:33 PM)peaga007 Escreveu: Goleiro da seleção brasileira de polo é acusado de abuso sexual durante Pan

- Thye, acompanhado de um amigo (não identificado), teria ido à casa da vítima no dia 16 de julho. O horário não foi informado, mas o crime teria ocorrido durante a madrugada ou pela manhã. Lá, teria se aproveitado que a mulher estava dormindo e abusado sexualmente da vítima[1]. Na sequência, fugiu do local. 

- Thye não estaria usando o uniforme do Time Brasil no momento do crime. A vítima, no entanto, teria reconhecido o goleiro e feito a queixa[2]. Segundo a inspetora, a polícia tem 100% de certeza sobre o envolvimento do atleta no caso.

http://globoesporte.globo.com/jogos-pan-...e-pan.html

Atentem as palavras marcadas, e vejam o feminazismo canadense em prática.

Como assim a mulher estava dormindo e o reconheceu? Que história e esta?
.
Responda-o
So mais uma vítima do modismo ... Eu achava que isso jamais me atingiria por eu odiar pedreiragem e babação de ovo com vadias,  MAS A MINHA VEZ CHEGOU ... A vez de cada um aqui está chegando....tudo questão tempo, afinal... é moda ! Qualquer vagabunda na rua, inclusive as que você nunca viu tem nossas vidas, nosso futuro, nossos sonhos e projetos NAS MÃOS e podem destruí-los a qualquer momento sem que nada lhes aconteça ...bem assim mesmo...
" Não confundam Grande Obra Prima do Mestre Picasso com Grande Pica de Aço do Primo do Mestre de Obra ..."
Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
  Noticias de minuto Gangster 0 460 10-07-2019, 01:39 PM
Última Postagem: Gangster

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 2 Visitante(s)