Avaliação do Tópico:
  • 2 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
[FIXO] Dúvidas sobre Musculação e Exercícios Físicos
#61
Difícil dizer sem saber a gravidade do seu problema, mas tente intercalar. Nos dias mais difíceis ande no elíptico, mas sempre faça caminhadas ou corridas (se conseguir) se não seus ossos e articulações vão virar gelatina, falando bem diretamente. Jamais faça APENAS o elíptico sem nenhuma outra forma de fortalecimento e etc.

E se puder treinar membro superior, treine.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#62
(20-07-2017, 08:17 AM)Héracles Escreveu:
(20-07-2017, 12:02 AM)electro Escreveu: Pô ai me desanimou, meu treino é bem intenso e um tanto volumoso, acho que vou ter que comer algo antes msm, e o pior que no meu caso eu vou ficar mais tempo sem comer, vc comeu 2 horas antes de ir eu comeria no caso 5~6 horas antes.

Pode treinar em jejum sim e não diminui performance coisa nenhuma e vc pode continuar a ganhar peso se for esperto. Eu treinei em jejum por uns 2 anos e os treinos continuaram fudidos. O problema vai ser a faze de adaptação, que normalmente dura umas 2 semanas, onde o desempenho vai ser ruim pq seu organismo não está acostumado, mas logo ele se acostuma e funcionar em alto nível sem carbs. Seu tipo metabólico vai influenciar também nessa adaptação, e vc deve ir observando os sinais que seu organismo dará para ajustar a quantidade de carbs ideal para vc. Procure sobre dieta cetogênica e vc vais descobrir que o nosso corpo é muito eficiente em usar cetonas (gordura) como fonte de energia na ausência de carbs.

Como vc quer ganhar peso, aprender a ciclar seus carbs já resolverá seu problema. Ai que carbs de IG alto podem te salvar e vir muito bem a calhar.

Bem, eu entendi que ele já não tem muita gordura para queimar, então manter uma cetogênica por um período prolongado não é o ideal, principalmente se o objetivo for ganhar massa. Quando eu treinei em jejum eu vi essa queda de performance, talvez tenha falhado em me adaptar, mas acho que seria interessante você comentar como estava sua composição corporal para termos uma ideia melhor se você treinou bem apesar do jejum, ou se realmente o jejum não atrapalha a performance. Eu sinceramente duvido que um atleta com minha composição corporal (5% gordura subcutânea +-) não perca performance, mas posso mudar de opinião.

Edit: Até porque minha área é mais nutrição e menos fisiologia do esporte propriamente dita.
  • Sem a visão de um objetivo um homem não pode gerir a sua própria vida, e muito menos a vida dos outros.
Leia: Nuvem de Giz
Responda-o
#63
@Awaken ELA = Esclerose Lateral Amiotrófica? E você está fazendo fisioterapia para tratar a coluna? Não é que o eliptico enfraqueça seus ossos per se, é que ele não coloca stress nenhum neles, e desse ponto de vista é como se você fosse sedentário. O eliptico pode fortalecer um pouco seus músculos, mas sem o fortalecimento concomitante dos ossos não creio que valha a pena. Calistenia é superior se você quiser treinar de casa...

@electro repito que experimente, veja os resultados e decida se vale a pena treinar em jejum. Eu não adaptei, o Héracles sim, talvez você se adapte ou não. Talvez no seu caso um suplemento valha a pena, eles são justamente para esse caso em que você não tem tempo de comer comida de verdade e tal. Para quem é tem pouca gordura e quer ganhar massa, eu creio que mais carbs na dieta são superiores a uma cetogênica (fiz por um bom tempo, quando caí de 9% para 5% de gordura corporal, mas depois meu rendimento caiu um pouco e voltei a introduzir carbs na dieta). De qualquer modo, você não morrer se treinar em jejum, nem desmaiar, a despeito do que os idiotas que comem de 3 em 3 horas poderam te dizer em contrário.
  • Sem a visão de um objetivo um homem não pode gerir a sua própria vida, e muito menos a vida dos outros.
Leia: Nuvem de Giz
Responda-o
#64
Esse é um post sobre cortisol:

Recentemente se tornou comum o uso de suplementos intra-treino por fisiculturistas e adeptos da musculação, como carboidratos (maltodextrina, dextrose), com a finalidade de repor energia, e aminoácidos como BCAAS e glutamina, que prometem efeito anti-catabólico [1]. Essa ideia equivocada tem como pressuposto o fato de durante o exercício físico o corpo aumentar a liberação de hormônios catabólicos, como o cortisol e também as catecolaminas (adrenalina e noradrenalina). O equívoco está em desprezar os efeitos benéficos da atividade desses hormônios, olhando ingenuamente apenas pelo lado do catabolismo proteico.
Durante o exercício ocorre aumento da concentração plasmática de glicose pelas ações combinadas de glucagon, adrenalina, noradrenalina e cortisol. Esses hormônios promovem a glicogenólise (degradação do glicogênio em glicose no fígado e no músculo) e gliconeogênese (síntese de glicose a partir de aminoácidos), aumentando assim a quantidade de glicose disponível para uso como fonte de energia. A insulina ajuda a glicose liberada a penetrar nas células, onde o açúcar pode ser utilizado para a produção de energia. No entanto as concentrações de insulina declinam durante o exercício, indicando que o exercício aumenta a sensibilidade das células a esse hormônio, de modo que há necessidade de menor quantidade de insulina durante o exercício em comparação com as necessidades do indivíduo em repouso. Quando as reservas de carboidrato estão baixas, o corpo se volta mais para a oxidação das gorduras para obter energia, e a lipólise (queima de gordura) aumenta. Esse processo fica facilitado pelos baixos níveis de insulina durante o treino e pelo aumento das concentrações de adrenalina, noradrenalina, cortisol e hormônio do crescimento (GH) [2].
A insulina é o grande inibidor da lipólise. A diminuição das concentrações de insulina durante o exercício ocorre sobretudo devido à ação da adrenalina e da noradrenalina em inibir a liberação de insulina pelo pâncreas. O aumento da insulina antes e durante a atividade física pode inibir a lipólise. O uso de aminoácidos, como a leucina, também estimulam a liberação de insulina, portanto o uso de suplementos como BCAAS e carboidratos durante o exercício vão diminuir a lipólise, não só por estimularem secreção de insulina, mas também porque uma maior oferta de carboidratos durante o exercício vai alterar a proporção do uso dos substratos (usando carboidrato ao invés da gordura) como fonte de energia [3].
A preocupação do catabolismo proteico durante o exercício e a tentativa de inibir ação do cortisol durante o treinamento de força são duas ações que considero improdutivas, não só pela redução da lipólise, mas também porque o cortisol é um hormônio necessário nas adaptações ao exercício de força, provavelmente atuando nos processos de reparação tecidual. Em condições normais, o cortisol não justifica a fama de hormônio cuja concentração, uma vez aumentada, provocaria um aumento do catabolismo da massa muscular [4]. Finalmente,  estudos demonstram que em condições de estresse prolongado (um determinado exercício) há diminuição da secreção de cortisol (após 30-45 minutos de exercício), tornando infundado o medo de catabolismo muscular durante o treino. Segundo Chris Aceto:   “Níveis elevados de cortisol permitem o efeito máximo, tanto do GH como da adrenalina. GH e adrenalina estimulam o corpo a quebrar a gordura corporal (lipólise). Se os níveis de cortisol estiverem elevados, você quebra mais gordura do que se eles não estiverem elevados. Cortisol também estimula a quebra das células de gordura independente dos níveis de GH e adrenalina. As chances de um corpo treinado inibir taxas elevadas de cortisol são muito maiores do que daquele corpo estressado, acima do peso, e que não se exercita. Minha opinião sobre o cortisol é de que, na realidade, ele é benéfico para entrar em forma” [5].
Sem contar que um corpo sadio prefere usar carboidratos e gorduras como fonte de energia, sendo que não mais que 5-10% de proteína são usadas como fonte de energia durante a atividade física, então suplementar aminoácidos durante o treino para um atleta de força é totalmente desnecessário e improdutivo, pois pode afetar negativamente a lipólise e reduzir os efeitos benéficos e sinérgicos do cortisol.

Responda-o
#65
@axl o cara não precisa se preocupar com lipólise, ele já tem baixo porcentual de gordura. E não ficou claro, mas eu quis dizer um suplemento antes do treino, não durante.
  • Sem a visão de um objetivo um homem não pode gerir a sua própria vida, e muito menos a vida dos outros.
Leia: Nuvem de Giz
Responda-o
#66
(20-07-2017, 10:03 AM)Temujin Escreveu: Bem, eu entendi que ele já não tem muita gordura para queimar, então manter uma cetogênica por um período prolongado não é o ideal, principalmente se o objetivo for ganhar massa.

Na verdade é só aumentar a ingestão de gorduras, e como eu disse, ciclar carbs. Dietas cetogênicas não significam necessariamente baixa em kcal ou de corte. Concomitante ao aumento dos treinamentos, as gramas de proteínas por kg também devem aumentar, é claro. 

(20-07-2017, 10:03 AM)Temujin Escreveu: Quando eu treinei em jejum eu vi essa queda de performance, talvez tenha falhado em me adaptar, mas acho que seria interessante você comentar como estava sua composição corporal para termos uma ideia melhor se você treinou bem apesar do jejum, ou se realmente o jejum não atrapalha a performance.

Eu acho que vc falhou. Quando eu comecei com o jejum pré treino eu tinha algo em torno de uns 15% BF (gordo, eu sei), diminuiu rapidamente lógico, mas quando chegou em uns 8-9% estabilizou e os treinos não foram prejudicados. No começo foi horrível, quase desmaiei algumas vezes e perdi força. O período de adaptação varia de pessoa pra pessoa e pode ser uma experiência extremamente miserável, por isso muitos desistem. Seu tipo metabólico pode influenciar na sua performance na ausência de carbs também, como eu disse. Mas como vc muito bem sabe, nossa moeda energética principal ao longo da evolução é a gordura, nosso corpo funciona melhor dessa forma. 

Talvez num nível muito alto, e dependendo da atividade, a alimentação pré possa fazer alguma diferença significativa, mas o que eu quero dizer é que no caso do nosso colega, isso não será um fator determinante e ele poderá fazer bons progressos e aprender muito com o corpo, treinando em jejum.  Fora que não é um jejum jejum, pois ele como cedo, e é algo parecido com o que eu faço hj.  Recentemente eu faço jejum modificado, e a primeira refeição sólida é lá pelas 16 e 30hrs, no caso, é a ref pré treino. Eu vou treinar lá pelas 21h por causa da minha rotina e etc, e nessa refeição eu só como proteínas (ovos fritos, bacon e algum bife), como o electro, e minha performance não é prejudicada em nada. 

Fora que eu estou ganhando peso, mas mais uma vez, faço ciclo de cabs.

A questão é que é possível sim manter e até melhorar e performance treinando em jejum, desde que os demais aspectos sejam observados. 


(20-07-2017, 10:03 AM)Temujin Escreveu: Eu sinceramente duvido que um atleta com minha composição corporal (5% gordura subcutânea +-) não perca performance, mas posso mudar de opinião.

Edit: Até porque minha área é mais nutrição e menos fisiologia do esporte propriamente dita.

Vou dar um exemplo de um atleta famoso. Nas finais da temporada passada, Lebron James fez jogos incríveis, permanecendo em quadra sempre mais que 35 mim em praticamente todos os jogos dos playoffs, até o consagrado título. Isso sem diminuir a performance conforme o jogo passava, ou seja, jogava do primeiro ao ultimo minuto com a mesma "potência", isso na idade de 31 anos (já não tão jovem para o esporte de alto nível). Bem, quem viu os jogos sabe do que eu estou falando. Mas qual o segredo para um desempenho tão brilhante? Dieta cetogênica e ciclo de carbs. 

Se vc observar, L. James deve ter no máximo uns 8-9 de BF, e mesmo assim obteve as vantagens da cetose, associada a ciclo de carbs, e não perdeu performance, muito pelo contrário, melhorou inclusive.  Essa cadência do ciclo vai depender do seu tipo metabólico, e como seu organismo responde aos estímulos do treino. Lógico que para ganhar massa (gorda e magra) mais rápido, usar muitos  carbs tenha um efeito mais pronunciado num primeiro momento, mas essa não é uma alternativa final que não pode ser mudada nunca. Fora que a proteína é o macro principal nesse objetivo. 

Esportes como levantamento de peso tem como via metabólica principal a anaeróbia glicolítica alática, por isso ciclar os carbs já é o suficiente, mas não significa que seja fácil ou agradável de fazer no período inicial. Na verdade até para fundistas a cetose é uma ótima opção.
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#67
(20-07-2017, 11:10 AM)Héracles Escreveu:
(20-07-2017, 10:03 AM)Temujin Escreveu: Bem, eu entendi que ele já não tem muita gordura para queimar, então manter uma cetogênica por um período prolongado não é o ideal, principalmente se o objetivo for ganhar massa.

Na verdade é só aumentar a ingestão de gorduras, e como eu disse, ciclar carbs. Dietas cetogênicas não significam necessariamente baixa em kcal ou de corte. Concomitante ao aumento dos treinamentos, as gramas de proteínas por kg também devem aumentar, é claro. 

(20-07-2017, 10:03 AM)Temujin Escreveu: Quando eu treinei em jejum eu vi essa queda de performance, talvez tenha falhado em me adaptar, mas acho que seria interessante você comentar como estava sua composição corporal para termos uma ideia melhor se você treinou bem apesar do jejum, ou se realmente o jejum não atrapalha a performance.

Eu acho que vc falhou. Quando eu comecei com o jejum pré treino eu tinha algo em torno de uns 15% BF (gordo, eu sei), diminuiu rapidamente lógico, mas quando chegou em uns 8-9% estabilizou e os treinos não foram prejudicados. No começo foi horrível, quase desmaiei algumas vezes e perdi força. O período de adaptação varia de pessoa pra pessoa e pode ser uma experiência extremamente miserável, por isso muitos desistem. Seu tipo metabólico pode influenciar na sua performance na ausência de carbs também, como eu disse. Mas como vc muito bem sabe, nossa moeda energética principal ao longo da evolução é a gordura, nosso corpo funciona melhor dessa forma. 

Talvez num nível muito alto, e dependendo da atividade, a alimentação pré possa fazer alguma diferença significativa, mas o que eu quero dizer é que no caso do nosso colega, isso não será um fator determinante e ele poderá fazer bons progressos e aprender muito com o corpo, treinando em jejum.  Fora que não é um jejum jejum, pois ele como cedo, e é algo parecido com o que eu faço hj.  Recentemente eu faço jejum modificado, e a primeira refeição sólida é lá pelas 16 e 30hrs, no caso, é a ref pré treino. Eu vou treinar lá pelas 21h por causa da minha rotina e etc, e nessa refeição eu só como proteínas (ovos fritos, bacon e algum bife), como o electro, e minha performance não é prejudicada em nada. 

Fora que eu estou ganhando peso, mas mais uma vez, faço ciclo de cabs.

A questão é que é possível sim manter e até melhorar e performance treinando em jejum, desde que os demais aspectos sejam observados. 


(20-07-2017, 10:03 AM)Temujin Escreveu: Eu sinceramente duvido que um atleta com minha composição corporal (5% gordura subcutânea +-) não perca performance, mas posso mudar de opinião.

Edit: Até porque minha área é mais nutrição e menos fisiologia do esporte propriamente dita.

Vou dar um exemplo de um atleta famoso. Nas finais da temporada passada, Lebron James fez jogos incríveis, permanecendo em quadra sempre mais que 35 mim em praticamente todos os jogos dos playoffs, até o consagrado título. Isso sem diminuir a performance conforme o jogo passava, ou seja, jogava do primeiro ao ultimo minuto com a mesma "potência", isso na idade de 31 anos (já não tão jovem para o esporte de alto nível). Bem, quem viu os jogos sabe do que eu estou falando. Mas qual o segredo para um desempenho tão brilhante? Dieta cetogênica e ciclo de carbs. 

Se vc observar, L. James deve ter no máximo uns 8-9 de BF, e mesmo assim obteve as vantagens da cetose, associada a ciclo de carbs, e não perdeu performance, muito pelo contrário, melhorou inclusive.  Essa cadência do ciclo vai depender do seu tipo metabólico, e como seu organismo responde aos estímulos do treino. Lógico que para ganhar massa (gorda e magra) mais rápido, usar muitos  carbs tenha um efeito mais pronunciado num primeiro momento, mas essa não é uma alternativa final que não pode ser mudada nunca. Fora que a proteína é o macro principal nesse objetivo. 

Esportes como levantamento de peso tem como via metabólica principal a anaeróbia glicolítica alática, por isso ciclar os carbs já é o suficiente, mas não significa que seja fácil ou agradável de fazer no período inicial. Na verdade até para fundistas a cetose é uma ótima opção.

Ótimos pontos, você tem razão. Por algum motivo eu pensei em dietas cetogências como com pouquíssimos carbs o tempo todo (que foi como eu fiz), mas há dietas cetogênicas com carb reload como você mesmo citou (e eu mesmo já traduzi um artigo sobre o assunto). Ademais, nesse período de cetogênica eu ganhei 7kg de massa muscular em +- 4 meses, consumindo de 2 a 5% de calorias como carbos, então novamente você está certo, cetogênicas não necessariamente signifca baixa kcal, eu chegava a 6.000 cal por dia. Não que eu estivesse totalmente errado, eu mesmo disse de cara que é possível adaptar aos treinos em jejum, mas minha própria experiência abortada nesse sentido turvou um pouco minha opinião. No mais, seu foi comentário perfeito.
  • Sem a visão de um objetivo um homem não pode gerir a sua própria vida, e muito menos a vida dos outros.
Leia: Nuvem de Giz
Responda-o
#68
(20-07-2017, 11:47 AM)Temujin Escreveu: Ótimos pontos, você tem razão. Por algum motivo eu pensei em dietas cetogências como com pouquíssimos carbs o tempo todo (que foi como eu fiz), mas há dietas cetogênicas com carb reload como você mesmo citou (e eu mesmo já traduzi um artigo sobre o assunto).


Yaoming Yaoming

Sim @Temujin , inclusive no primeiro rascunho que eu estava escrevendo pro @electro, eu coloquei exatamente assim:

"o site do @temuji tem uns artigos falando sobre dietas cetogênicas e ciclo de carbs, dê uma lida lá", mas mudei de ideia pq eu achei que poderia confundir um pouco por agora. É precisamente essa dieta do predador alfa que eu faço agora... kk

Vc só se perdeu um pouco nos conceitos eu acho... segue o baile  Yaoming
"Compreendi o tormento cruciante do sobrevivente da guerra, a sensação de traição e covardia experimentada por aqueles que ainda se agarram à vida quando seus camaradas já dela se soltaram."  (Xeones para o rei Xerxes)

Responda-o
#69
(20-07-2017, 10:55 AM)Temujin Escreveu: @axl o cara não precisa se preocupar com lipólise, ele já tem baixo porcentual de gordura. E não ficou claro, mas eu quis dizer um suplemento antes do treino, não durante.

Eu entendi, postei só por informação porque achei isso interessante, não para o assunto discutido, só pra enriquecer o topico
Responda-o
#70
Então Temujin sobre a cetogênica durante uns 15 dias é bom primeiramente pegar mais leve aí depois o corpo acostuma e vc vai aumentando a intensidade
Responda-o
#71
Uma estrategia é aliar cetogenica com ciclos, nao de carbos, de hormonios mesmo. Acho que pra isso um bf baixo é interessante. Cetogenica + Ciclo + BF baixo a única coisa que pode acontecer é ganho sólidos. Utilizar raízes e frutas pode a vontade claro, mas fazendo isso com ciclos de carb pode ser mais inteligente. Fiz uma decisao inteligente e cortei meu hiper, mas aumentei meu consumo de proteínas.
Responda-o
#72
(20-07-2017, 09:46 AM)Héracles Escreveu: Difícil dizer sem saber a gravidade do seu problema, mas tente intercalar. Nos dias mais difíceis ande no elíptico, mas sempre faça caminhadas ou corridas (se conseguir) se não seus ossos e articulações vão virar gelatina, falando bem diretamente. Jamais faça APENAS o elíptico sem nenhuma outra forma de fortalecimento e etc.

E se puder treinar membro superior, treine.

Muito obrigado, jovem.

(20-07-2017, 10:39 AM)Temujin Escreveu: @Awaken ELA = Esclerose Lateral Amiotrófica? E você está fazendo fisioterapia para tratar a coluna? Não é que o eliptico enfraqueça seus ossos per se, é que ele não coloca stress nenhum neles, e desse ponto de vista é como se você fosse sedentário. O eliptico pode fortalecer um pouco seus músculos, mas sem o fortalecimento concomitante dos ossos não creio que valha a pena. Calistenia é superior se você quiser treinar de casa...

Exatamente, Esclerose lateral amiotrófica... sou filho direto da minha mãe que teve isso quando estava grávida de mim.

Então eu não tenho desculpa pra não fazer musculação. Obrigado a vocês pelas orientações.
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#73
Consegui baixar esse livro "dinousar training" de graça, vou ir lendo.Valeu.

Aquele treino de força que vc me passou (barra fixa), eu estou fazendo 10x 5rep; (10 séries de 5 repetições); então na 8ª série e só consegui fazer 3 repetições, na 9ª consegui fazer 5rep, e na 10ª fiz 4 repetições.

1) Já que é treino para força eu faço de modo explosivo, sem dar impulso claro, é assim que é para fazer?

2) Como na 8ª série em seguida eu começo a falhar, eu devo fazer só 1repetição na 8ª série em diante? (com o objetivo de ficar longe da "falha" na repetição).

OBS: Fiz de modo explosivo para ver quantas barras fixas eu conseguia fazer, e eu consigo fazer 12repetições. Eu sempre treinava barra fixa contando 3segundos na descida e 1 segundo na subida até a falha, nunca treinei barra de modo explosivo.

@Bill
Valeu. Já coloquei os vídeos desse cara nos favoritos, vou acompanhar, tô treinando em casa, preciso comprar barra e anilhas para fazer "terra", mas preciso melhorar da lesão da coxa primeiro.

@Temujin
Valeu, é que eu estava desatento e não entendi.
Responda-o
#74
(20-07-2017, 08:17 AM)Héracles Escreveu:
(20-07-2017, 12:02 AM)electro Escreveu: Pô ai me desanimou, meu treino é bem intenso e um tanto volumoso, acho que vou ter que comer algo antes msm, e o pior que no meu caso eu vou ficar mais tempo sem comer, vc comeu 2 horas antes de ir eu comeria no caso 5~6 horas antes.

Pode treinar em jejum sim e não diminui performance coisa nenhuma e vc pode continuar a ganhar peso se for esperto. Eu treinei em jejum por uns 2 anos e os treinos continuaram fudidos. O problema vai ser a faze de adaptação, que normalmente dura umas 2 semanas, onde o desempenho vai ser ruim pq seu organismo não está acostumado, mas logo ele se acostuma e funcionar em alto nível sem carbs. Seu tipo metabólico vai influenciar também nessa adaptação, e vc deve ir observando os sinais que seu organismo dará para ajustar a quantidade de carbs ideal para vc. Procure sobre dieta cetogênica e vc vais descobrir que o nosso corpo é muito eficiente em usar cetonas (gordura) como fonte de energia na ausência de carbs.

Como vc quer ganhar peso, aprender a ciclar seus carbs já resolverá seu problema. Ai que carbs de IG alto podem te salvar e vir muito bem a calhar.
Eu vou testar segunda ou terça treinar dessa forma, o meu medo não é nem tanto perder performance, é mais de catabolizar ou acontecer algo do gênero por estar treinando assim, se não tiver esse risco ta de boa.

(20-07-2017, 10:39 AM)Temujin Escreveu: @electro repito que experimente, veja os resultados e decida se vale a pena treinar em jejum. Eu não adaptei, o Héracles sim, talvez você se adapte ou não. Talvez no seu caso um suplemento valha a pena, eles são justamente para esse caso em que você não tem tempo de comer comida de verdade e tal. Para quem é tem pouca gordura e quer ganhar massa, eu creio que mais carbs na dieta são superiores a uma cetogênica (fiz por um bom tempo, quando caí de 9% para 5% de gordura corporal, mas depois meu rendimento caiu um pouco e voltei a introduzir carbs na dieta). De qualquer modo, você não morrer se treinar em jejum, nem desmaiar, a despeito do que os idiotas que comem de 3 em 3 horas poderam te dizer em contrário.
Eu vou testar segunda ou terça e posto aqui qual foi minha impressão inicial, caso eu não me adapte vc acha que vale a pena comer um carbo lixo tipo biscoito no intervalo ou na hora da saída pra não treinar sem carbo?

Qual o link do seu blog que o Hércules citou alguns posts antes?
Responda-o
#75
Leia aquele texto que postei sobre o cortisol, talvez te esclareça alguma coisa.
Responda-o
#76
(21-07-2017, 10:44 PM)Axl Rose Escreveu: Leia aquele texto que postei sobre o cortisol, talvez te esclareça alguma coisa.
Eu li o texto, mas ele fala só sobre durante o treino.
Responda-o
#77
Catabolisar parado é meio complicado, você vai estar na faculdade lendo e não fazendo exercícios e isso dificilmente te levará ao catabolismo. Não se perde massa magra assim, você pode perder líquido. Eu sugiro que você faça um bom desjejum ao acordar.
Responda-o
#78
Não precisa ficar com medo de catabolisar se você fizer um treino intenso e depois tiver uma boa nutrição a ponto de recuperar a energia gasta, fornecer nutrientes pra construção e por último carregar seus estoques de energia pro dia seguinte.

E outra, se você for monstrão aí sim precisa ter medo, quanto mais massa magra mais energia precisa pra manter. Por isso monstrão fisiculturista come a cada 2, 3h porque eles comem tanto que jogar 85% das calorias depois do treino fica complicado.
Responda-o
#79
(21-07-2017, 11:09 PM)Axl Rose Escreveu: Catabolisar parado é meio complicado, você vai estar na faculdade lendo e não fazendo exercícios e isso dificilmente te levará ao catabolismo. Não se perde massa magra assim, você pode perder líquido. Eu sugiro que você faça um bom desjejum ao acordar.
Acho que você não entendeu, não é sobre o tempo que eu vou ficar na faculdade, é sobre treinar após a faculdade, comer apenas ovos às 6 horas da manhã e ir treinar 12h.
Responda-o
#80
Ok, vamos ligar os pontos...

Você acorda as 6h da manhã e ingere 6 ovos inteiros o que dá pouco mais de 400kcal. É um bom desjejum só pra começar o dia bem leve sem dar aquele pico, igf-1 ainda em alta e você vai todo felizão estudar. Você passa 6h sem comer nada e nessa situação você sequer encontra-se em jejum e tem muito estoque de energia pra fazer um treino intenso (levando em consideração que no dia anterior você estocou energia comendo muita caloria depois do treino).

Você nessas 6h com certeza vai consumir as 400kcal fácil e sim vai catabolisar mas nada que prejudique seus resultados. E além de tudo, você tem estoque pra fazer um treino. Então sem problemas: pouco catabolismo, estoque para o treino, já estudei, "não tô passando mal", VOU TREINAR PESADO!!!

Aí depois do treino você consome tudo que resta de calorias, o que você gastou, o que vai gastar, o que precisa pra construir músculos e recuperar seus estoques.

Conclusão:
Pode treinar normal, vai sentir fraqueza? Vai! Isso vai atrapalhar, não, seu corpo tende a se adaptar.
Responda-o


Possíveis Tópicos Relacionados...
Tópico Autor Respostas Visualizações Última Postagem
Video [REFLEXÃO] A Real sobre Musculação I Scant 0 542 27-08-2019, 07:38 PM
Última Postagem: Scant
Star Exercícios Aeróbicos ou Musculação? Qual Escolher para Emagrecer? Pensador 9 1,480 01-03-2018, 03:49 PM
Última Postagem: Silver
  GUIA DE EXERCÍCIOS DE MUSCULAÇÃO Mente 6 2,569 02-07-2015, 07:12 PM
Última Postagem: TheOak

Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)