Avaliação do Tópico:
  • 3 Voto(s) - 5 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
A arte de ser Low Profile
#21
Mr. Rover!

Eu te devo agradecimentos.

Li seu texto no início de 2016 e passei a adotar seus princípios de viver de maneira discreta.

Uma das coisas que fiz foi deixar de usar relógios de marca no dia-a-dia e passar a andar com um simples Casio F91W. Comprei um Etios usado também e vendi o Civic que tinha.

Em Novembro de 2016 estava voltando do trabalho para o estacionamento com um grupo de colegas manginas exibindo seu relógios da Armani comprados parcelados e uma balzaca bem piranha exibindo uma corrente de ouro no pescoço e um Iphone 6s na mão.

Não deu outra. Dois caras numa moto pararam todo mundo e apontaram um pistola 9mm mandado passar tudo. Todos foram entregando seus relógios até que o assaltante olhou pro meu Casio F91W e, por incrível que pareça, disse: "você não precisa". Levou todos os relógios e celulares dos exibidos e eu voltei pra casa sem perder nada.

A única coisa que eu pensei quando os caras subiram na moto e foram embora foi: "Puta merda, Muito Obrigado Mr. Rover!"

Eu não te conheço como pessoa, mas se soubesse iria na sua casa te dar um aperto de mãos e agradecer.
Responda-o
#22
Eu sou assim, meus amigos vivem se exibindo e eu ganho 7x mais do que eles. Eles pensam que ganham mais do que eu. Não estou competindo, estou apenas enfatizando que as aparências enganam. E não é pra você sair na rua feito um mendigo,pode até usar coisas caras, desde que nao afetem o orçamento de vocês... Mas a questão é: isso é totalmente desnecessário, um relogio Casio supre sua necessidade de ver a hora.
Responda-o
#23
Parabéns pelo artigo Mr. Rover, muito bem escrito e interessante. Também sou adepto desse estilo.
Responda-o
#24
(25-05-2017, 01:07 AM)OGeneral Escreveu: Mr. Rover!

Eu te devo agradecimentos.

Li seu texto no início de 2016 e passei a adotar seus princípios de viver de maneira discreta.

Uma das coisas que fiz foi deixar de usar relógios de marca no dia-a-dia e passar a andar com um simples Casio F91W. Comprei um Etios usado também e vendi o Civic que tinha.

Em Novembro de 2016 estava voltando do trabalho para o estacionamento com um grupo de colegas manginas exibindo seu relógios da Armani comprados parcelados e uma balzaca bem piranha exibindo uma corrente de ouro no pescoço e um Iphone 6s na mão.

Não deu outra. Dois caras numa moto pararam todo mundo e apontaram um pistola 9mm mandado passar tudo. Todos foram entregando seus relógios até que o assaltante olhou pro meu Casio F91W e, por incrível que pareça, disse: "você não precisa". Levou todos os relógios e celulares dos exibidos e eu voltei pra casa sem perder nada.

A única coisa que eu pensei quando os caras subiram na moto e foram embora foi: "Puta merda, Muito Obrigado Mr. Rover!"

Eu não te conheço como pessoa, mas se soubesse iria na sua casa te dar um aperto de mãos e agradecer.


Não me agradeça confrade, foi sua decisão de usar um artigo menos chamativo e barato. E sorte.

Eu sei como é tensa a situação de ter uma arma carregada, apontada pra você por um filho da puta que não tem respeito nenhum pela sua vida e de ninguém. Eu já fui assaltado na rua e num arrastão dentro de uma pizzaria.

Depois do assalto na rua, passei a carregar apenas minha CNH como documento e carrego meus cartões de débito/crédito em um pequeno envelope plástico num bolso separado. Se neguinho vier assaltar, já entrego celular e carteira e não perco praticamente nada importante.

Pior foi um dos meus irmãos que sofreu um sequestro relâmpago uns anos atrás. Os muleques cataram ele, foram com ele assaltar um bar em Parelheiros e ficaram ameaçando falando que iam matar ele, dando tapas/socos na cara dele. Fizeram ele chorar e implorar. Depois largaram ele numa quebrada e nunca mais ele viu o carro, era um Siena. Ele é pai de família e nunca fez mal pra ninguém, só trabalha e cuida da família. Será que o cara merecia passar por isso?


Depois ainda me questionam porque eu sempre quis sair do Brasil, mesmo quando tinha minha empresa indo de vento em popa. E agora vou mesmo, muito em breve sair em definitivo. Meu processo de imigração já esta na reta final. Vou empreender lá fora e dar serviço pra gringo.
Responda-o
#25
Pessoas comuns que optarem pela discriçao... serao a 'versao humana / viva' dos 'fantasmas'!

Por isso que so existe falastroes e palhaços sociais nas classes mais baixas... é um comportamento desesperador pra demonstrar que eles existem!
Responda-o
#26
@Hombre de hielo
Mas a intenção é justamente essa não chamar atenção, quanto menos pessoas souberem melhor.

Tem um monte de gente que tem barganha e é discreto e reservado, eu não tenho carência de atenção, estou preocupado com o meu. A aprovação sócial vai de acordo com seu desenvolvimento, se você tem algo e não gosta de mostrar isso "intriga" as pessoas.
Chaotic Mind - Benji Chasin
Responda-o
#27
(03-06-2017, 04:15 PM)Ballerhov Moissanite Escreveu: @Hombre de hielo
Mas a intenção é justamente essa não chamar atenção, quanto menos pessoas souberem melhor.

Tem um monte de gente que tem barganha e é discreto e reservado, eu não tenho carência de atenção, estou preocupado com o meu. A aprovação sócial vai de acordo com seu desenvolvimento, se você tem algo e não gosta de mostrar isso "intriga" as pessoas.

Entao, a discriçao serve pras pessoas DESTACADAS! Uma pessoa comum ser discreta, ela estara 'morta' em vida! Sao poucas pessoas comuns que conseguem lidar com a invisibilidade social (provavelmente, a maioria das pessoas comuns que tu acha que sao discretas, na verdade sao timidas).
Responda-o
#28
Vc nao precisa ser um fodido, e discriçao é uma qualidade que atrai muitas mulheres inteligentes. A mulher sabe quando vc tem grana e poder mesmo vc nao se exibindo... Quem nao precisa saber é o bandido que vai te enfiar um cano por causa dum relogio Tag H
Responda-o
#29
Conheço gente do alto escalão aqui na minha cidade que ganha na faixa de $20 a $30 mil reais mensais que anda de Gol e Siena.Os caras saem com gola polo daquelas compradas nas Pernambucanas e jeans bem basicão mesmo.O investimento desse tipo de gente é em casas de sítio,imóveis,viagens e dinheiro guardado em fundos de renda.
Gastam de forma precavida e inteligente sem as pessoas perceberem!
"O mundo é perigoso não por causa daqueles que fazem o mal,mas por causa daqueles que vêem e deixam o mal acontecer!" (Albert Einstein)
Responda-o
#30
Up.
@Mr.Rover (e outros confrades) você conhece algum livro/artigo sobre low profile além desse material que disponibilizou ?
Responda-o
#31
(12-06-2017, 03:43 AM)Arthurr Escreveu: Up.
@Mr.Rover (e outros confrades) você conhece algum livro/artigo sobre low profile além desse material que disponibilizou ?

Estou sendo sem educação respondendo a pergunta feita ao Mr. Rover...
Então, se você pesquisar sobre estilo de vida minimalista, você vai encontrar bastante conteúdo a respeito disso, Google It.
Responda-o
#32
Ótimo artigo!
Ha alguns anos descobri o termo "Low Profile" e vi que ele se ajustava perfeitamente a mim e a coisas que penso.
Mesmo não tendo atingido a perfeição em tal estilo de vida, busco o aprimoramento com o passar do tempo!
Mais uma vez, parabéns pela ótima publicação!
Responda-o
#33
As pessoas com maior riqueza que já vi na minha vida faziam questão de cada centavo, seja investido, seja controlado.


A arte de ser low profile não quer dizer "ter tudo ruim", ter um carro que não chame a atenção não quer dizer que você não tenha que andar passando sufoco por aí, nem andando com roupa furada.

As vezes uma coisa de boa qualidade, mesmo chamando a atenção, acaba te economizando tempo, e tempo, todos sabem... $$$

Eu nunca pensei em ter uma moto na vida, já vou tirar a carteira e comprar uma para poder andar no HUE de Janeiro... antes eu me preocupava com muitas situações e até mesmo o risco de perder a moto, mas agora eu sei que eu estou perdendo tempo demais na minha vida passando de duas a três horas dando voltas em um fucking ônibus desconfortável para que alguém fique rico com o lucro das passagens enquanto eu padeço podendo chegar na pior das situações com 1 hora de moto em casa.



Ser low profile está, na minha opinião, acima de tudo em:

  • Ser extremamente organizado com suas coisas, o que facilita as demais.
  • Optar por coisas econômicas e necessárias ao invés de supérfluas e aparências.
  • Saber manter e consertar as coisas que tem para não precisar dos outros.
  • Ter contatos e pessoas que possam te socorrer caso algo aconteça.
  • Saber trocar coisas meramente ultrapassadas por um bom valor graças ao bom estado de conservação. (Ex: Guardo até hoje a caixa do meu celular, o mesmo carregador original, o cabo original, manual, etc. Se for vender, invisto 80 reais em um fone e vendo ele como semi novo com um preço bem superior aos demais)
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#34
(12-06-2017, 03:43 AM)Arthurr Escreveu: Up.
@Mr.Rover (e outros confrades) você conhece algum livro/artigo sobre low profile além desse material que disponibilizou ?

Procure pelos termos "como ser discreto" ou "como passar despercebido na multidão", porque é isso que o low profile é: ser discreto.

Muitos confrades confundindo ser low profile com ser frugal ou minimalista. Mas são coisas diferentes, apesar de que as duas características citadas também são positivas.

Veja as diferenças:

Low profile: Você ouve todo mundo falar bem do Outback Steakhouse, por exemplo, que é uma franchise modinha. Você tá com vontade de ir lá com algum amigo/a ou namorada. Você tem dinheiro pra pagar R$50 paus numa porção de batata frita e mais R$100 e poucos no resto da refeição. VÁ. Só não precisa anunciar nas suas redes sociais que você tá indo, dar check in, não precisa tirar foto da comida no prato ou de você e sua companhia, ou caso tirar, guarde pra você. Você foi no Outback, gastou uma nota, saiu satisfeito e ninguém dos seus círculos sociais ficou sabendo.

Frugal/minimalista: Você quer ir comer no Outback mas não vai porque é caríssimo e poderia comer tão gostoso na Churrascaria do Zé como comeria no Outback, por uma fração do valor. Ou melhor ainda, você decide economizar e fazer o rango na sua casa. Mas você acaba anunciando pro mundo que foi na Churrascaria do Zé ou tá fazendo uma janta pros amigos em casa. No fim você economizou um pouco, não fez o que realmente queria e quis ser o centro das atenções por algumas horas.


Low profile: Você foi viajar pra Islândia (só um exemplo), gastou quase R$ 20 mil na viagem, fez fotos, vídeos, conheceu lugares fantásticos, nadou dentro da falha geológica, escalou vulcão, fez a social com várias loiras do cu rosa. Não compartilhou nada em rede social, não deu check in em aeroporto, etc. Semanas depois alguém te pergunta: "Fulano, tu sumiu no começo do mês, onde você tava?" e você "Ahh tava resolvendo uns pepinos ai.". Curtiu pra caralho, experiência fantástica, tem os momentos registrados pra olhar de vez em quando. Fim.

Frugal/minimalista: Vai preferir viajar para um lugar muito mais barato (um Chile/Miami) por exemplo, mesmo que a vontade seja mesmo de ir visitar a Islândia. Vai anunciar pro mundo no dia do embarque, vai dar check in nos dois aeroportos, vai postar fotinha com legenda "Já cheguei...", e enquanto isso, caso você more só, numa casa por exemplo, vão saber que sua casa tá vazia e não tem ninguém olhando por alguns dias. Você pode voltar da viagem e encontrar uma casa vazia/toda revirada com seus bens faltando.


E por ai vai. Existem tantos exemplos que eu poderia dar aqui. Ser low profile não significa que você tem que escolher as opções mais econômicas, se vestir mal, dirigir carros velhos caindo as pedaços, etc. Isso é uma opção. Você pode ter tudo do bom e do melhor se quiser e sua condição financeira permitir. Apenas seja aquele cara que olham e não conseguem dizer quem você é e o quanto possui. Infelizmente existem certos tipos de bens no Brasil que vão chamar atenção negativa do populacho. Igual citei antes aqui no tópico, nos EUA se eu quiser ter um Corvette na garagem, eu vou ter e ninguém vai ligar. Aqui no Brasil, você automaticamente desenha um alvo na sua testa, bandidagem e gente interesseira.

O low profile é bom no Brasil, porque aqui a violência é uma das maiores do mundo. Em toda esquina tem alguém querendo tirar algo de você. Por isso que é bom ser um "camaleão". Não quer dizer que você precisa viver na mendicância.
Responda-o
#35
@Rover
Explicando detalhadamente a diferença entre ambos.
Também penso como você. No Brasil a vantagem de ser low profile é se blindar da bandidagem, invejosos e interesseiros.
Agora em países de primeiro mundo você pode ter seu carro importado, você pode desfrutar melhor dos seus bens e riqueza.

@Rover esse tipo de carro nos EUA é bem comum, se compararmos com o huezil, os carros lá custam uma "mixaria". Um dia realizarei os mesmos passos do meu primo que se mudou pros EUA, meu sonho é morar naquela joça.
Chaotic Mind - Benji Chasin
Responda-o
#36
Sim está claro que há diferenças entre low profile e minimalismo.
Sou um cara que não faço questão nenhuma de exibir bens e contar qualquer vantagem, me policio o máximo.
Estou trabalhando nisso e desenvolvendo um perfil simples e discreto em tudo.

Uma coisa interessante é que quando adotamos esse perfil, nos tornamos misterioso e isso é bom. 
Você acaba chamando a atenção por não querer atenção e desperta curiosidade de um certo grupo de pessoas próximo.
--
Agora em relação ao Frugal/Minimalista - seguindo o exemplo você citou do Outback iria sem problema se tivesse vontade 
de experimentar ou conhecer e pagaria o valor. Faço o que quero e vou onde tiver interesse e sem ficar exibindo pra ninguém.

Todas as coisas que gosto e que são do meu interesse (roupas de qualidade, boa alimentação, meus hobby's, etc) faço questão de pagar o valor pela qualidade melhor, não me importo. Só pra citar exemplo - estou renovamente meu guarda roupa e desenvolvendo estilo: 
Duas calças que estou olhando pra comprar uma da Levi's modelo 511 que custa ~R$ 250 e uma da C&A que custa ~R$ 99.
Estive com as duas na mão e realmente há diferença na qualidade do jeans. Nesse caso prefiro a pagar um valor maior pela Levi's.

Todas outras coisas que fogem meus interesses principais não faço questão de que seja extremamente de qualidade - analiso custo/benefício e avalio.
Claro, não fico ostentando absolutamante nada nem falo pra ninguém.
--
Mais uma vez, agradecimentos ao Roover pelo post. Obrigado !!
Acredite, isso esta fazendo parte do meu desenvolvimento, um dos principais lemas.
Responda-o
#37
(15-06-2017, 08:13 PM)Mr. Rover Escreveu:
(12-06-2017, 03:43 AM)Arthurr Escreveu: Up.
@Mr.Rover (e outros confrades) você conhece algum livro/artigo sobre low profile além desse material que disponibilizou ?

Procure pelos termos "como ser discreto" ou "como passar despercebido na multidão", porque é isso que o low profile é: ser discreto.

Muitos confrades confundindo ser low profile com ser frugal ou minimalista. Mas são coisas diferentes, apesar de que as duas características citadas também são positivas.

Veja as diferenças:

Low profile: Você ouve todo mundo falar bem do Outback Steakhouse, por exemplo, que é uma franchise modinha. Você tá com vontade de ir lá com algum amigo/a ou namorada. Você tem dinheiro pra pagar R$50 paus numa porção de batata frita e mais R$100 e poucos no resto da refeição. VÁ. Só não precisa anunciar nas suas redes sociais que você tá indo, dar check in, não precisa tirar foto da comida no prato ou de você e sua companhia, ou caso tirar, guarde pra você. Você foi no Outback, gastou uma nota, saiu satisfeito e ninguém dos seus círculos sociais ficou sabendo.

Frugal/minimalista: Você quer ir comer no Outback mas não vai porque é caríssimo e poderia comer tão gostoso na Churrascaria do Zé como comeria no Outback, por uma fração do valor. Ou melhor ainda, você decide economizar e fazer o rango na sua casa. Mas você acaba anunciando pro mundo que foi na Churrascaria do Zé ou tá fazendo uma janta pros amigos em casa. No fim você economizou um pouco, não fez o que realmente queria e quis ser o centro das atenções por algumas horas.


Low profile: Você foi viajar pra Islândia (só um exemplo), gastou quase R$ 20 mil na viagem, fez fotos, vídeos, conheceu lugares fantásticos, nadou dentro da falha geológica, escalou vulcão, fez a social com várias loiras do cu rosa. Não compartilhou nada em rede social, não deu check in em aeroporto, etc. Semanas depois alguém te pergunta: "Fulano, tu sumiu no começo do mês, onde você tava?" e você "Ahh tava resolvendo uns pepinos ai.". Curtiu pra caralho, experiência fantástica, tem os momentos registrados pra olhar de vez em quando. Fim.

Frugal/minimalista: Vai preferir viajar para um lugar muito mais barato (um Chile/Miami) por exemplo, mesmo que a vontade seja mesmo de ir visitar a Islândia. Vai anunciar pro mundo no dia do embarque, vai dar check in nos dois aeroportos, vai postar fotinha com legenda "Já cheguei...", e enquanto isso, caso você more só, numa casa por exemplo, vão saber que sua casa tá vazia e não tem ninguém olhando por alguns dias. Você pode voltar da viagem e encontrar uma casa vazia/toda revirada com seus bens faltando.


E por ai vai. Existem tantos exemplos que eu poderia dar aqui. Ser low profile não significa que você tem que escolher as opções mais econômicas, se vestir mal, dirigir carros velhos caindo as pedaços, etc. Isso é uma opção. Você pode ter tudo do bom e do melhor se quiser e sua condição financeira permitir. Apenas seja aquele cara que olham e não conseguem dizer quem você é e o quanto possui. Infelizmente existem certos tipos de bens no Brasil que vão chamar atenção negativa do populacho. Igual citei antes aqui no tópico, nos EUA se eu quiser ter um Corvette na garagem, eu vou ter e ninguém vai ligar. Aqui no Brasil, você automaticamente desenha um alvo na sua testa, bandidagem e gente interesseira.

O low profile é bom no Brasil, porque aqui a violência é uma das maiores do mundo. Em toda esquina tem alguém querendo tirar algo de você. Por isso que é bom ser um "camaleão". Não quer dizer que você precisa viver na mendicância.

Interessante, mas ser low profile pra esconder as aparências esbarra de LEVE no minimalismo...

Mas o confrade ressaltou um fato importante, não importa realmente o quanto você tem, mas como as pessoas olham pra você e te decifram como playboy ou pé rapado...
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#38
Só preciso de mais uma coisa pra melhorar meu estilo de vida:

Deletar o perfil no Facebook. Como eu detesto aquela porcaria.
Responda-o
#39
Eu não tenho como deletar facebook, meu público usa...
The absence of virtue is claimed by despair






Responda-o
#40
O negócio é ser frugal e low profile, deixando pra gastar o dinheiro investido em coisas boas como viagens internacionais e não contar pra ninguém.
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 5 Visitante(s)