Avaliação do Tópico:
  • 0 Voto(s) - 0 em Média
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Dívidas
#1
Tenha o controle sobre suas dívidas

 
- Muitos aqui provavelmente já passaram ou passam por esta situação de endividamento nos quais ficaram sem condições de investir e consequentemente evoluir financeiramente devido ao problema.

- Mas, como exterminar as dívidas?

- Primeiramente, recomendo a leitura deste outro tópico, para evitar contrair mais dívidas com altos juros: http://legadorealista.net/forum/showthread.php?tid=101

Vamos lá!

- Procure todos os credores, para negociar suas dívidas. Você poderá até se surpreender com os possíveis descontos durante estas negociações. Assim como você está determinado a quitar estas dívidas, o credor estará mais disposto a negociar.

- Para não comprometer em demasia o seu salário, seria interessante retirar no máximo 30% da renda mensal para quitação das dívidas. Em alguns casos, esta porcentagem não será o suficiente, mas, por esta razão, é importante você negociar com o seu credor.

Extermine primeiramente as dívidas com os maiores juros.

Motivos: A taxa de juros (ainda mais se tratando de Brasil) estabelecem a velocidade e o crescimento destas dívidas. Quanto maior forem estas taxas, maior será a velocidade de crescimento destas mesmas dívidas. Exemplos: Cheque Especial, Cartão de Crédito, Crédito Pessoal ou Financiamento para Veículos.

- Logo em seguida, faça uma planilha financeira, onde registrará todos os seus gastos mensais para fechar as “torneiras” do desperdício. Todos os seus gastos irão para este registro, todos eles. Até mesmo se você comprar uma bala de R$ 0,10, esta mesma informação terá que constar em sua tabela. Pode até ser meio radical, mas, é necessário. Sendo assim, você identificará todos os desperdícios, e consequentemente remanejar o que conseguiu economizar para quitação das dívidas.

Nota: Você pode fazer esta tabela no Excel ou em programas específicos gratuitos encontrados pela internet.

Conclusão: Extermine as dívidas mais caras por sua alta taxa de juros. Não se comprometa a principio a quitar as dívidas de baixos juros, mas, sim as com as taxas maiores. O objetivo é eliminar as dívidas com altos juros e não as mais longas. Uma vez a dívida mais cara for quitada, passe para a próxima mais elevada e assim sucessivamente até eliminar todas elas.

OBS: Reza a lenda que nunca deve-se trocar uma dívida por outra, entretanto, dependendo da situação em alguns casos, vale a pena pegar um empréstimo consignado com juros de no máximo 2% para eliminar as dívidas com juros maiores em torno de 7% a 16%. 

Nota: Mesmo com um empréstimo a juros menores, jamais faça acordo caso as parcelas ultrapassem os 30% do salário.
Responda-o
#2
Excelentes dicas.
"Se você se apega ao passado, está destinado a revivê-lo todos os dias."  Autor desconhecido
Responda-o
#3
É importante se reduzir o estilo de vida durante esse processo, reduzir gastos, abrir mão de diversão e lazer em alguns casos mais graves, para se ter um custo de vida menor e sobrar mais dinheiro para se quitar as dividas.

Para as mulheres isso é muito difícil de ser feito, e inclusive muitas delas atrapalham o homem a pagar suas dividas porque se recusam a reduzir o estilo de vida mesmo com as dividas cada vez maiores.

E um ponto que considero interessante ressaltar é que nem toda divida é ruim. Existem dividas boas e elas são extremamente importantes para se crescer.

Dividas ruins, são aquelas do cartão de crédito, com gastos inuteis, com alugueis, financiamentos de carros e etc. Que só atrasam a sua vida e tiram o seu dinheiro todo mês, que te dificultam o crescimento, as mulheres adoram essas dividas.

Divida boa, já e bem diferente, é aquela divida que você faz para crescer, elas não são efetuadas para o consumo, mas para aumentar o poder de crescimento do dinheiro. Um exemplo de dívida boa é o financiamento de um imóvel a baixo custo e subvalorizado, para alugar.

Um exemplo pessoal, um amigo meu comprou um imóvel financiado de aproximadamente R$ 200.000,00. Pagou uma entrada de R$ 20.000,00 e o valor do aluguel do imóvel na região é de R$ 1.200,00, com prestações do financiamento em 30 anos de R$ 600,00, pode obter uma rentabilidade de 1,5% sobre o valor investido: afinal, pagou R$ 20.000,00 e pode receber, líquido, R$ 300,00 por mês (R$ 1.200,00 do aluguel subtraídos R$ 100,00 de imposto de renda e R$ 600,00 de prestação e R$200,00 de condominio).

Ele conseguiu financiar pelo sistema SAC, as prestações serão decrescentes, mas os aluguéis serão crescentes – ou seja, em pouco tempo, os seus R$ 20.000,00 podem render, líquido, mais de 1,5% ao mês, além de uma eventual valorização do imóvel. Em 30 anos, se ele não resolver antecipar o pagamento das prestações, podera ter um imóvel de R$ 200.000,00, que rendeu aluguel por 30 anos, e pelo qual pagou aproximadamente R$ 20.000,00, já que os aluguéis pagam as prestações.

Essa é uma ideia em imóveis, mas se pode fazer isso com qualquer área. A sua criatividade é o limite.

Uma divida boa é aquela que gera lucros maiores do que o valor da prestação que você precisa pagar.
Agora se os juros pagos forem iguais aos lucros ou superiores aos lucros, não fazem o menor sentido adquirir a divida.

Tem que saber distinguir uma divida ruim de uma boa.
Tem gente que acha que comprar um carro financiado é uma divida boa, pois estão construindo patrimônio. ledo engano.
Pois o valor do carro sofre depreciação com o tempo, ele não está gerando rendas para pagar a sua própria prestação, e quem sai lucrando com isso é o banco que estará recebendo os juros.

Mas nem todo carro é uma divida ruim. Por exemplo tem uma coisa que tem gente que faz aqui nos EUA que eu achei interessante é financiar um carro para ir trabalhar com o Uber, já que a demanda é alta aqui. Logo, eles conseguem pagar a prestação do carro com o trabalho e gerar uma renda boa, isso é uma divida boa. Pois você fez a divida com o proposito de ganhar um valor bem maior que o valor da prestação e juros.

Existem pessoas que fazem verdadeiras fortunas sem ter dinheiro, porque souberam fazer dividas boas e usaram o dinheiro dos outros para os seus projetos.

É óbvio que você precisa calcular o risco de dar errado, do imóvel ficar sem alugar, de não ter Uber na região que você mora, do tipo de investimento que você vai fazer e tudo o mais antes de contrair uma divida boa. O lucro tem que ser o suficiente para compensar os riscos que você vai ter e isso precisa ser calculado com bastante estudo sobre o seu investimento.
A maior necessidade do mundo é a de homens - homens que se não comprem nem se vendam; homens que no íntimo da alma sejam verdadeiros e honestos; homens que não temam chamar o pecado pelo seu nome exato; homens, cuja consciência seja tão fiel ao dever como a bússola o é ao pólo; homens que permaneçam firmes pelo que é reto, ainda que caiam os céus.
Responda-o
#4
Photo 
(26-04-2016, 05:43 PM)Libertador Escreveu: É importante se reduzir o estilo de vida durante esse processo, reduzir gastos, abrir mão de diversão e lazer em alguns casos mais graves, para se ter um custo de vida menor e sobrar mais dinheiro para se quitar as dividas.

Para as mulheres isso é muito difícil de ser feito, e inclusive muitas delas atrapalham o homem a pagar suas dividas porque se recusam a reduzir o estilo de vida mesmo com as dividas cada vez maiores.

E um ponto que considero interessante ressaltar é que nem toda divida é ruim. Existem dividas boas e elas são extremamente importantes para se crescer.

Dividas ruins, são aquelas do cartão de crédito, com gastos inuteis, com alugueis, financiamentos de carros e etc. Que só atrasam a sua vida e tiram o seu dinheiro todo mês, que te dificultam o crescimento, as mulheres adoram essas dividas.

Divida boa, já e bem diferente, é aquela divida que você faz para crescer, elas não são efetuadas para o consumo, mas para aumentar o poder de crescimento do dinheiro. Um exemplo de dívida boa é o financiamento de um imóvel a baixo custo e subvalorizado, para alugar.

Um exemplo pessoal, um amigo meu comprou um imóvel financiado de aproximadamente R$ 200.000,00. Pagou uma entrada de R$ 20.000,00 e o valor do aluguel do imóvel na região é de R$ 1.200,00, com prestações do financiamento em 30 anos de R$ 600,00, pode obter uma rentabilidade de 1,5% sobre o valor investido: afinal,  pagou R$ 20.000,00 e pode receber, líquido, R$ 300,00 por mês (R$ 1.200,00 do aluguel subtraídos R$ 100,00 de imposto de renda e R$ 600,00 de prestação e R$200,00 de condominio).

Ele conseguiu financiar pelo sistema SAC, as prestações serão decrescentes, mas os aluguéis serão crescentes – ou seja, em pouco tempo, os seus R$ 20.000,00 podem render, líquido, mais de 1,5% ao mês, além de uma eventual valorização do imóvel. Em 30 anos, se ele não resolver antecipar o pagamento das prestações, podera ter um imóvel de R$ 200.000,00, que rendeu aluguel por 30 anos, e pelo qual pagou aproximadamente R$ 20.000,00, já que os aluguéis pagam as prestações.

Essa é uma ideia em imóveis, mas se pode fazer isso com qualquer área. A sua criatividade é o limite.

Uma divida boa é aquela que gera lucros maiores do que o valor da prestação que você precisa pagar.
Agora se os juros pagos forem iguais aos lucros ou superiores aos lucros, não fazem o menor sentido adquirir a divida.

Tem que saber distinguir uma divida ruim de uma boa.
Tem gente que acha que comprar um carro financiado é uma divida boa, pois estão construindo patrimônio. ledo engano.
Pois o valor do carro sofre depreciação com o tempo, ele não está gerando rendas para pagar a sua própria prestação, e quem sai lucrando com isso é o banco que estará recebendo os juros.

Mas nem todo carro é uma divida ruim. Por exemplo tem uma coisa que tem gente que faz aqui nos EUA que eu achei interessante é financiar um carro para ir trabalhar com o Uber, já que a demanda é alta aqui. Logo, eles conseguem pagar a prestação do carro com o trabalho e gerar uma renda boa, isso é uma divida boa. Pois você fez a divida com o proposito de ganhar um valor bem maior que o valor da prestação e juros.

Existem pessoas que fazem verdadeiras fortunas sem ter dinheiro, porque souberam fazer dividas boas e usaram o dinheiro dos outros para os seus projetos.

É óbvio que você precisa calcular o risco de dar errado, do imóvel ficar sem alugar, de não ter Uber na região que você mora, do tipo de investimento que você vai fazer e tudo o mais antes de contrair uma divida boa. O lucro tem que ser o suficiente para compensar os riscos que você vai ter e isso precisa ser calculado com bastante estudo sobre o seu investimento.

No caso do imóvel, é interessante alugar um imóvel próximo de centro, metrô e universidades, pois alguns alunos praticam moradias combinadas ( quartos divididos) e se predispõem a pagar um alto valor. No caso de um imóvel de $200 mil, suponho pagar a entrada de $60 mil e deixar no banco uns $20 mil para usar como emergencial no caso de ficar sem alugar.

No início, as prestações do imóvel por amortização são bem mais caras ( umas chegam a $3000), por isso todo cuidado é pouco. Se o cara saber de todas essas informações e arranjar fáceis alugadores, ele lucra com isso fácil. 

Meu primo é do tipo gastador, e sempre diz: "Investir é para rico de terno !". Ele é aquele cara que arrumou uma mediana nota 5 e apaixonado pelo cházinho dela ( e olha que ele não vivia no deserto sexual), foi alugar um muquifo por 500 reais mensais. Eu chamo de muquifo pois é um local subterrâneo, 1 janela que não entra ar, vizinhança chata, vários drogados já alugaram lá, e a dona do aluguel pratica assalto com os moradores de lá : assalto de luz ( vide os gatos que tem lá), assalto de água, etc.

Ele se endividou e não consegue sair do muquifo alugado. Tem aluguel mais barato que o dele, em casas bem ventiladas, com dois andares. Basta uma volta nas casas imobiliárias e verá. Mas o bobão do HueBr não pensa em nada mesmo.

Eu dizia para ele : economiza os trocados do pão. Em um mês, você pode economizar até $80 reais para comprar leite Ninho para a sua filha. Quem disse que ele fazia isso? Ele preferia pedir esse mesmo valor emprestado para familiares, ficar mal falado, do que economizar os trocados do pão. ( Eu já fiz isso, e consegui uns $45 em um mês)

No shopping, fazia compras homéricas de $700, para sustentar ele, a mulher e uma filha de 1 ano ! Um monte de besteira comprada, para um cara que deve até os cabelos do saco : salgadinhos ( compra 3 ou mais), danone, aqueles sacos de sucrilhos, bolachas e barra de chocolate para a mulher, entre varias outras besteiras. É aquele att-whore do mercado. Gasta mais do que meu pai no mercado, na época que ele está sem dividas, que não chega a $500 ( Mulher, ele, 4 filhos). 

Dívidas fazem o homem/cara mudar rapidinho : tem muito homem que nem liga mais para comer, se vestir bem, entre outros, mas sim ver as suas contas quitadas. É um estilo de vida bem análogo ao da escravidão.
Responda-o
#5
muito legal essa ideia de divida boa e divida ruim, mas tem que ter coragem pra fazer isso
"A paixão é como o álcool. Entorpece a consciência, elimina a lucidez, impede o julgamento crítico e provoca alucinações, fazendo com que o ser amado seja visto como divino." Como lidar com Mulheres - Nessahan Alita
Responda-o


Pular fórum:


Usuários visualizando este tópico: 1 Visitante(s)